O mapeamento e avaliação da degradação de rochas de cantaria: estudo de caso da Igreja de Santa Rita, Paraty rj



Baixar 6.62 Kb.
Encontro17.03.2018
Tamanho6.62 Kb.

O mapeamento e avaliação da degradação de rochas de cantaria: estudo de caso da Igreja de Santa Rita, Paraty - RJ.

Anderson de Araújo Soares 1; Emílio Velloso Barroso1; Viviane Farroco da Silva1;



1 Universidade Federal do Rio de Janeiro (Brasil) / Instituto de Geociências – Departamento de Geologia

filhoedri@yahoo.com.br; emilio@geologia.ufrj.br; viviane.farroco@yahoo.com.br


O efeito do intemperismo sobre as rochas leva à modificação de seus minerais primários, os quais dão lugar aos minerais neoformados, e produzem soluções que são lixiviadas alterando a composição química original. Com relação a componente física deste processo, ocorre a propagação de fissuras pré-existentes na matriz da rocha, aumentando o volume de vazios, com o conseqüente crescimento da capacidade de absorção de líquidos pela rocha. O resultado desta combinação de fatores fica registrado nas rochas sob formas macroscópicas visíveis (morfologias de alteração) e também na degradação das propriedades físicas e geomecânicas.

A preservação de rochas de cantaria em construções de valor histórico é uma relevante ação para conservação do próprio patrimônio. Há que se ressaltar que, em muitos casos, as rochas empregadas não mais estão disponíveis porque as antigas áreas fontes se encontram em regiões urbanizadas ou de preservação ambiental.

O estudo tem a finalidade de avaliar a degradação dos granitos que revestem a fachada da igreja de Santa Rita. A abordagem terá início com a identificação e mapeamento das morfologias de alteração. Posteriormente foram realizados ensaios “in situ” de esclerometria, absorção de água (RILEM, 1980) e medidas de perfis das rugosidades das superfícies das rochas.

Foram realizadas diversas visitas a Igreja de Santa Rita para mapeamento das morfologias onde utilizou-se a classificação proposta por Farroco et. al 2007.

O índice de esclerometria foi obtido com o martelo de Schmidt do tipo L, cujo resultado está relacionado com a dureza superficial da rocha testada. Os ensaios de absorção empregando o método do cachimbo quantificam o volume de água absorvida em um intervalo de tempo. Essa informação está relacionada com as propriedades permo-porosas da rocha, que são significativamente modificadas com o aumento da intensidade de alteração da rocha. Empregou-se um perfilógrafo para descrever a rugosidade das superfícies dos blocos de rochas. O intuito foi verificar se o processo de desagregação granular e erosão associada são responsáveis por variações significativas no perfil geométrico desta propriedade.

O processamento dos dados obtidos no campo foi realizado no software Arc Gis, onde as patologias foram digitalizadas e analizadas.Os dados de esclerometria obtidos foram analisados no software SURFER e gerou-se mapas de contorno das durezas superficiais dos blocos de rocha ensaiados. Para os dados do ensaio de absorção foram confeccionados gráficos de volume absorvido por tempo. Com o perfilógrafo foram tomadas várias seções, em uma malha quadrada, para se obter um modelo digital da superfície e assim estimar o volume das perdas de massa.



Resultados preliminares mostram que as morfologias encontradas com maior freqüência são manchas e películas. As regiões com menores valores de resistência são coincidentes com as bordas dos blocos, que em geral encontram-se bastante erodidas e com as áreas que foram afetadas por morfologias de alteração dos grupos dois (perda de massa).Os valores de esclerometria encontrados no geral são baixos, o que está associado a grande erosão superficial dos blocos e a desagregação granular intensa.

Agradecimentos: CNPq/PIBIC,.IPHAN.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal