Opel Media Information



Baixar 350.18 Kb.
Página1/5
Encontro04.01.2018
Tamanho350.18 Kb.
  1   2   3   4   5






Opel Astra Sports Tourer
Dossiê de Imprensa

Dezembro, 2010

Índice

Em resumo

Nova Opel Astra Sports Tourer: estilo, conforto e dinamismo 3


Tradição

Opel foi pioneira da Station Wagon e continua a inovar neste segmento 12


Bagageira

Elevada funcionalidade e muito espaço 19


Design

Visual elegante e dinâmico com os novos genes de design da Opel 23


Equipamento e tecnologias inovadoras

Conforto maximizado e segurança de nível superior 28


Chassis, direcção e travões

Station wagon multifacetada destaca-se por dinamismo e conforto 33
Motores e caixas de velocidades

Vasta opção de motorizações com baixos consumos e prestações elevadas 39


Utilização

Design e engenharia inteligentes reduzem custos de utilização 43
Principais Características Técnicas 48

Equipamentos 51

Gama e Preços 53

Resumo
Nova Opel Astra Sports Tourer: estilo, conforto e dinamismo


  • Compartimento de bagageira com inovações inéditas no segmento;

  • Versão ecoFLEX com tecnologia Start/Stop;

  • Opel lidera vendas Station Wagon em Portugal há 23 anos;

  • Comercialização em Janeiro, com gama de seis motores, dois níveis de equipamento e preços a partir de 21.300 euros.

A nova station wagon Astra Sports Tourer destaca-se no segmento dos veículos compactos pela elegância, funcionalidade e tecnologia, oferecendo aos seus utilizadores um elevado grau de versatilidade para combinar num único veículo a condução dinâmica do dia-a-dia e o prazer dos tempos livres.

Partilhando com o Insignia o ADN de design Opel e a denominação Sports Tourer, a Astra Sports Tourer coloca também um foco idêntico na elevada qualidade e na funcionalidade. As formas esculpidas da carroçaria envolvem um habitáculo que possui todos os atributos amplamente elogiados do Astra de dois volumes (cinco portas), a que acresce a ampla capacidade de carga. A mala desenhada para rentabilizar o espaço, permitindo transportar volumes até 1550 litros, é complementada por elementos engenhosos e próprios de segmentos superiores, nomeadamente os novos bancos traseiros FlexFold - um sistema que rebate as costas dos bancos traseiros mediante um simples toque numa tecla.

O visual atraente da Astra Sports Tourer é reforçado pelo dinamismo em estrada. A nova station wagon da Opel tem em comum com o modelo de dois volumes a mesma suspensão traseira inovadora e o chassis FlexRide controlado electronicamente. Outras características de topo, como o sistema de faróis adaptativos AFL+ e os bancos dianteiros ergonómicos certificados, acrescentam conforto e segurança ao prazer de condução.


Uma vasta gama de motorizações, composta por seis unidades de baixo consumo, oferece um leque de potências entre 95 cv e 180 cv. A tecnologia Start/Stop, economizadora de combustível, será integrada primeiro no motor 1.3 CDTI (95 cv), no primeiro trimestre de 2011, o que conferirá à Astra Sports Tourer um nível de emissões de CO2 de apenas 109 g/km.
Para além da redução dos custos com combustível, os engenheiros da Opel criaram uma station wagon que lidera o sector na redução dos custos de reparação de danos resultantes de colisões a baixa velocidade – as mais frequentes, segundo as seguradoras. Como consequência, os proprietários do novo Astra poderão contar com alguns dos prémios de seguro anuais mais baixos do sector.
A Opel foi dos primeiríssimos fabricantes de automóveis da Europa a lançar o formato de carroçaria wagon no início da década de 50 do séc. XX. A nova Astra Sports Tourer beneficia de mais de 50 anos de experiência da Opel em matéria de concepção e construção de station wagon.
A Astra Sports Tourer aproveitará certamente o impulso gerado pelo grande sucesso de vendas da variante de dois volumes, para o qual foram até agora recebidas cerca de 200.000 encomendas. Nos últimos anos, aproximadamente 25 por cento dos Astra vendidos na Europa eram carrinhas.
Concebido e desenvolvido no International Technical Design Center da Opel, em Rüsselsheim, a Astra Sports Tourer será construída na unidade de produção que a empresa possui em Ellesmere Port, Reino Unido. As entregas no mercado português terão início em Janeiro.
Nova linguagem de design Opel estreia no segmento das carrinhas compactas
A Astra Sports Tourer reproduz agora a nova e atraente linguagem de design da Opel – arte escultural aliada à precisão alemã – no segmento das carrinhas compactas. Concebida em paralelo com a variante de dois volumes, a nova station wagon da Opel possui uma identidade muito própria. As proporções que resultam num conjunto de aparência musculada conferem-lhe uma presença única, distanciando-a da posição de simples versão wagon da carroçaria de dois volumes.
Dos pilares B para trás, a carroçaria é totalmente nova. O carácter atlético da Astra Sports Tourer é definido pelo grafismo de janela única inclinada na direcção do pilar D e por uma linha de ombros proeminente que culmina em ópticas traseiras amplas e esculpidas que lhe acrescentam um porte mais estilizado e imponente.
O visual elegante é acentuado pelas barras longas e esguias do tejadilho que fluem na direcção de um spoiler de tejadilho volumoso, integrado na parte superior do portão traseiro. O ângulo inclinado deste apêndice aerodinâmico cria um perfil dinâmico em perfeito equilíbrio com o visual amplo da secção dianteira. O motivo da ‘lâmina’ do Astra, esculpido na parte lateral da carroçaria, à frente das rodas traseiras, contribui para a acentuar a sensação de movimento.
Bagageira espaçosa e versátil com características de automóveis topo de gama
A carroçaria elegante e requintada alberga um compartimento para bagagens surpreendentemente espaçoso. Funda e de flancos planos, a bagageira inteiramente alcatifada não apresenta quaisquer esquinas redutoras de espaço nem intrusões das cavas das rodas.
A Astra Sports Tourer é o primeiro modelo de carrinha compacta fora do segmento premium a integrar um dispositivo de rebatimento remoto dos bancos. Este ergonómico elemento de comodidade assegurado pelos bancos traseiros FlexFold aumenta da capacidade de carga de 500 para 1550 litros mediante um simples toque numa tecla. Cada uma das partes das costas dos bancos traseiros rebatíveis a 60/40 é automaticamente desbloqueada e baixada. Deixa de ser necessário dar a volta ao automóvel para baixar separadamente as costas de cada banco. Os engenheiros da Opel conceberam o sistema também para que funcione sem ter de afastar os cintos de segurança para fora das costas dos bancos. Com as costas dos bancos rebatidas, o deck de carga aumenta para uns notáveis 1835 mm -- mais 28 mm do que na actual carrinha Astra.
A Astra Sports Tourer junta-se aos compactos de topo de gama ao disponibilizar a cortina de bagageira de dois toques. Com uma ligeira pressão, a cortina Easy Access Cover desliza para cima, abrindo espaço para colocar ou retirar os objectos mais pequenos.

Para manipular volumes de maior dimensão, a tampa recolhe completamente para o respectivo compartimento, imobilizando-se suavemente. Quando não seja necessário, o conjunto completo pode ser facilmente removido e guardado sob o piso de carga da bagageira.


As opções de versatilidade da nova Astra Sports Tourer integram ainda:

  • Forro multicamadas da bagageira, que protege a alcatifa do piso, a abertura do portão traseiro, o pára-choques traseiro e as costas dos bancos, quando rebaixadas.

  • Sistema de arrumação adaptável FlexOrganizer da Opel, composto por redes e divisórias que permitem personalizar a configuração do espaço de carga.

  • Estará igualmente disponível, no próximo ano, uma nova geração do inovador porta-bicicletas integrado FlexFix da Opel.

Dado que a Astra Sports Tourer irá provavelmente rebocar atrelados, o sistema electrónico Trailer Stability Assist (TSA) da Opel é activado automaticamente quando se instala no veículo um gancho de reboque aprovado pela Opel. O sofisticado TSA recorre ao Controlo Electrónico de Estabilidade, de série em todas as versões, para contrariar qualquer instabilidade que venha a ocorrer ao rebocar um atrelado ou caravana.


Habitáculo acolhedor oferece múltiplas possibilidades de arrumação
A nova Astra Sports Tourer possui um habitáculo de elevada qualidade, harmoniosamente desenhado, em tudo semelhante à variante de dois volumes. O tabliê envolvente, em forma de asa, descreve um arco em direcção à parte superior das molduras das portas, criando um ambiente acolhedor.

A sensação de espaço e movimento é sublinhada ainda por uma elegante consola central de plano inclinado, que flui do painel de instrumentos até à base da alavanca da caixa de velocidades. Os pormenores decorativos – como os aros cromados dos instrumentos, dos comandos e da moldura da consola central – são combinados com materiais de toque suave e uma subtil iluminação ambiente, resultando numa apresentação de elevada qualidade.


O habitáculo tem tanto de prático como de requintado. Nenhuma outra carrinha compacta oferece tanto espaço para arrumação acessível no habitáculo – um total de 25 litros, ou seja, o dobro da carrinha da actual geração. A nova station wagon possui locais de arrumação em posicionamento intuitivo, nomeadamente bolsas nas portas com capacidade para garrafas de 1,5 litros, uma consola central de elevada adaptabilidade permitindo múltiplas configurações, um porta-luvas de grandes dimensões e gaveta para arrumação sob o banco do condutor.
Elevado conforto em trajectos longos
Muitos condutores da Astra Sports Tourer irão utilizar a carrinha para as deslocações do dia-a-dia e para passeios de fim-de-semana com a família, pelo que se prevê que façam quilometragens superiores às distâncias anuais habitualmente percorridas pelos condutores europeus. A Astra Sports Tourer oferece algumas características essenciais para optimizar o conforto e a segurança em viagens longas.
Os bancos dianteiros disponibilizam o maior curso de ajuste longitudinal do segmento. Em opção, a Opel propõe os inéditos bancos dianteiros ergonómicos certificados pelos especialistas independentes da organização alemã Aktion Gesunder Rücken (AGR).
O conforto e a segurança são reforçados pelo sistema de faróis dianteiros adaptativos AFL+ de terceira geração da Opel. Este sistema assegura nove funções de iluminação que são automaticamente accionadas em função das condições do piso e do tipo de condução adoptado.
Os condutores podem dispor ainda do sistema Opel Eye, baseado numa câmara capaz de reconhecer sinais de trânsito, que alerta o condutor para limites de velocidade e proibição de ultrapassar, e emite um alarme caso o veículo saia inadvertidamente da faixa de rodagem – uma função particularmente útil em viagens longas.
Dinâmica superior com tecnologia avançada de chassis
A nova Astra Sports Tourer herda a configuração de chassis e toda a apurada dinâmica de condução da variante Astra de dois volumes. A suspensão traseira integra uma combinação inovadora e inédita de eixo de torção composto e paralelogramo de Watt. Este conceito engenhoso e economizador de espaço suporta as forças laterais nas curvas, dotando o automóvel de elevada maneabilidade, sem comprometer a estabilidade nem o conforto.
O comportamento do chassis pode ser ainda mais refinado através do sofisticado sistema de suspensão adaptativa FlexRide. Este sistema serve-se da tecnologia de chassis mecatrónico, integrando funções mecânicas e comandos electrónicos, o que constitui uma verdadeira raridade no segmento compacto.
O sistema FlexRide ajusta o amortecimento da suspensão de forma contínua, adoptando as melhores regulações para as condições do piso e o tipo de condução em cada momento. O modo ‘Standard’, totalmente automático, proporciona toda a amplitude de ajustes disponível. Nos modos ‘Sport’ e ‘Tour’, seleccionados pelo condutor, o sistema aplica a gama de regulações mais desportiva ou mais confortável, respectivamente. O modo ‘Sport’ imprime ainda uma maior sensibilidade às respostas do acelerador e da direcção - bem como à gestão electrónica da transmissão automática.
Gama de motorizações alargada: redução das emissões de CO2 para 109 g/km
A gama de motores da Astra Sports Tourer integra três opções turbodiesel e outras três a gasolina, oferecendo um leque de potências que vai de 95 cv a 180 cv.
A gama turbodiesel inclui as unidades 1.3 CDTI, 1.7 CDTI e 2.0 CDTI - todas dotadas de injecção múltipla common-rail, turbocompressor de geometria variável e filtro de partículas isento de manutenção. Todas estas unidades cumprem as normas Euro 5.
A tecnologia Start/Stop, recentemente integrada nos Opel Ágila e Corsa, estará disponível no início de 2011 para o Astra 1.3 CDTI (95 cv). Permitirá que a Astra Sports Tourer alcance um consumo excepcionalmente baixo de 4,1 l/100 km no ciclo misto e emissões de CO2 de apenas 109 g/km.
O 1.7 CDTI debita 125 cv de potência máxima e um elevado binário máximo de 280 Nm. O consumo no ciclo misto é de 4,5 l/100 km e o nível de emissões de CO2 de 119 g/km.
O topo de gama 2.0 CDTI está disponível com transmissão manual ou automática de seis velocidades. Debitando 160 cv de potência e um elevado binário de 350 Nm logo a partir das 1750 rpm, a Astra Sports Tourer 2.0 CDTI cumpre a aceleração de zero a 100 km/h em menos de dez segundos. O consumo em ciclo misto, com a transmissão manual, é de 5,1 l/100 km, com um nível de emissões de CO2 de 134 g/km.
A gama de motorizações a gasolina compreende unidades de 1,4 litros – em variantes ‘atmosférica’ e sobrealimentada – e o 1.6 Turbo, disponibilizando um leque de potências entre 100 e 180 cv. O comando de válvulas de variação contínua, nos lados de admissão e de escape, está presente nas duas variantes do bloco 1.4.
O motor a gasolina 1.4 Turbo, com 140 cv, substituiu a unidade 1.8 litros do modelo anterior, que apresentava uma potência idêntica. No âmbito da estratégia de downsizing adoptada pela Opel, o novo 1.4 Turbo oferece um ganho de quase 15 por cento na economia de combustível e um acréscimo de 14 por cento de binário, revelando um consumo em ciclo misto de apenas 6,1 l/100 km. Este propulsor está disponível com transmissão manual ou automática de seis velocidades.
A unidade de entrada na gama, o motor ‘atmosférico’ de 1,4 litros, debita 100 cv e apresenta no ciclo misto um baixo consumo de 5,9 l//100 km e 139 g/km de CO2. A unidade sobrealimentada 1.6 Turbo com 180 cv e 230 Nm de binário completa a gama de motores a gasolina.
A gama Astra Sports Tourer oferece caixas manuais de seis velocidades acopladas aos motores a gasolina 1.4 Turbo e 1.6 Turbo, e aos turbodiesel 1.7 CDTI e 2.0 CDTI. Os motores 1.4 ‘atmosférico’ e turbodiesel 1.3 CDTI vêm equipados com transmissões de cinco velocidades.
A gama Astra Sports Tourer em Portugal
«A Opel é a marca com maior tradição no segmento das carrinhas compactas em Portugal. Somos a marca que maior número de station wagon comercializou no mercado. Não temos dúvidas de que a nova Astra Sports Tourer é a melhor carrinha Astra de sempre. Dito isto, estamos a contar reforçar a nossa tradição e ambicionamos atingir um volume de vendas que nos permita liderar este segmento tão competitivo», afirma Guillermo Sarmiento, Director-Geral da GM Portugal.
Na linha do que já fizera com o Astra de cinco portas, a Opel posiciona a nova Astra Sports Tourer de forma muito competitiva no mercado português. Por comparação com as versões correspondentes da variante de cinco portas, os preços da variante Sports Tourer apresentam um acréscimo de apenas 800 euros, o que se traduz numa das menores diferenças praticadas actualmente no mercado. A gama inicia-se com a Astra Sports Tourer 1.4 Enjoy, proposta por 21.300 euros.
A Opel definiu dois níveis de equipamento para a nova station wagon – Enjoy e Cosmo. O equipamento de série é completo logo a partir da versão Enjoy, incluindo já ar condicionado, quatro vidros eléctricos, fecho centralizado de portas com comando à distância, computador de bordo, rádio-leitor de CDs compatível com MP3, programador de velocidade e espelhos de regulação eléctrica, entre outros. A versão Cosmo, adiciona de série elementos como travão de estacionamento eléctrico, bancos forrados a couro e tecido, sistema de som com sete altifalantes, jantes de liga leve de 17 polegadas, faróis de nevoeiro, e sensores de chuva e de faróis, entre muitos outros.
Para além do conforto, também o foco na segurança está em destaque. Airbags frontais, airbags laterais, airbags de cortina, encostos de cabeça activos, cintos de segurança com tensores e limitadores de força, sistema Isofix para cadeiras de criança e controlo electrónico de estabilidade (ESC) fazem parte do equipamento de série.
A gama da nova station wagon Astra Sports Tourer em Portugal integra seis motores – três a gasolina (1.4, 1.4 Turbo e 1.6 Turbo) e três turbodiesel (1.3 CDTI, 1.7 CDTI e 2.0 CDTI). Todos estão acoplados a transmissões de comando manual com cinco ou seis velocidades. A caixa automática de seis velocidades Active Select, com controlo electrónico, está disponível como opção para os motores 1.4 Turbo, 1.6 Turbo e 2.0 CDTI.
O início de comercialização do novo modelo está agendado para os primeiros dias do próximo mês de Janeiro, com toda a gama disponível à excepção do motor 1.3 CDTI, que chegará ao mercado poucas semanas depois, em Março.
Astra Sports Tourer tem o menor custo total de utilização
A carrinha Sports Tourer é uma escolha óbvia para frotas, que se prevê venham a superar 50% das vendas em mercados como a Alemanha. A carrinha compacta pode desempenhar, durante a semana, o papel profissional adaptável e apto para elevadas quilometragens, revelando-se, aos fins-de-semana, um automóvel requintado para passear a família e toda a sua bagagem.
Dado que os custos de propriedade assumem uma importância crescente na gestão das frotas e nas contas dos particulares, os designers e engenheiros da Opel foram mais além e concentraram-se na contenção dos custos de reparação em caso de acidente. Embora muitas colisões ocorram a velocidades relativamente baixas, causam geralmente danos dispendiosos na carroçaria e nos componentes. Essencial para a vantagem competitiva da Astra Sports Tourer é o desenho dos pára-choques e as secções dianteira e traseira da carroçaria: os baixos custos de reparação traduzem-se em prémios de seguro baixos, podendo a poupança cifrar-se em algumas centenas de euros por ano.
Os sólidos valores residuais do novo Astra são já indicados pelas vendas das unidades de dois volumes usadas que começam a aparecer no mercado. Os peritos da indústria automóvel prevêem que a nova Astra Sports Tourer venha a ter um sucesso semelhante.
Tomando todos os factores em consideração, a Astra Sports Tourer oferece o melhor custo total de utilização da sua categoria.
Tradição
Opel foi pioneira da Station Wagon e continua a inovar neste segmento


  • Opel popularizou as station wagon na Europa;

  • De modestas van comerciais para carrinhas estilizadas e dinâmicas;

  • Nova Astra Sports Tourer é a evolução natural da ‘espécie’;

  • Opel é a marca com maior número de carrinhas vendidas em Portugal.

O lançamento da nova carrinha compacta da Opel, a Astra Sports Tourer, é uma boa oportunidade para lembrar a sensação que a Opel gerou na Europa quando lançou o modelo Olympia Rekord Caravan em 1953 – uma carrinha popular que proporcionava a flexibilidade de poder combinar num único veículo a utilização profissional e a particular. Desde então, durante quase seis décadas, a Opel garantiu o sucesso das station wagon na Europa, especialmente no segmento compacto, onde os modelos Kadett e Astra Caravan ocuparam sempre os tops de vendas em todo o continente.


Desde o início da História do automóvel que se fez uma clara distinção entre as carrinhas comerciais, que transportavam mercadorias e cargas volumosas, e os automóveis, que transportavam pessoas com o máximo espaço e conforto. A maioria das utilizações quotidianas, que tornam a carrinha tão relevante hoje em dia, não existia naquela época: não era necessário carregar as compras da semana, nem havia pranchas de surf para transportar antevendo o fim-de-semana junto ao mar.
Antes de meados da década de 30 do séc. XX, a bagagem dos viajantes não era transportada no interior do veículo; geralmente, os objectos eram colocados em caixas resistentes que, por sua vez, eram fixadas a calhas montadas no exterior, na traseira ou nos estribos.
As carrinhas foram inventadas na América
Quando a pequena empresa automóvel americana Hudson lançou a sua nova station wagon Terraplane, em Dezembro de 1936, foram poucos os que adivinharam que este novo tipo de veículo iria mudar em grande parte a forma de viajar da sociedade – para férias, viagens de negócios ou simplesmente para o transporte familiar. Nessa época, o modelo foi visto apenas como uma das muitas tentativas de design híbrido destinadas a aumentar as proporções de um sedan e de um veículo comercial.
Não obstante, a Terraplane, com uma carroçaria em painéis de madeira e o grande portão traseiro, foi a primeira realização sem compromissos do conceito de station wagon e a primeira a ser produzida em massa. Infelizmente, a ideia não alcançou sucesso comercial antes da II Guerra Mundial, em grande medida pelo simples facto de não haver procura de veículos multi-usos espaçosos.
Essa situação mudou em meados da década de 40, com a ascensão de uma classe média constituída sobretudo por comerciantes independentes, vendedores e pequenos industriais que necessitavam dos veículos para a sua actividade mas que não tinham ainda disponibilidade financeira para possuir um automóvel à parte para a família. Então, todos os construtores automóveis americanos começaram a comercializar carrinhas. Mandavam, contudo, construir as suas carroçarias a pequenos fornecedores, sobretudo porque a produção morosa de pequenas séries não compensava. Os pequenos fabricantes de carroçarias, dispondo muitas vezes apenas de uma oficina, construíam as carroçarias especiais das carrinhas em madeira ou numa combinação de madeira e aço. Embora as carroçarias das primeiras carrinhas americanas (conhecidas por “woodies”) sejam consideradas hoje particularmente atraentes, na altura não passavam, na verdade, de uma solução de expediente. Os fabricantes de carroçarias recorriam à madeira porque o processamento do aço teria sido demasiado complicado.
Quando a procura destes veículos versáteis começou a aumentar verdadeiramente, os grandes construtores americanos assumiram a produção com uma construção totalmente em aço - muitas vezes revestida com imitação de madeira, o que contribuía para diferenciar visualmente as station wagon das carrinhas puramente comerciais.
Popularização da station wagon na Europa: Opel Olympia Rekord Caravan de 1953
Na Europa, a distinção entre veículo comercial e automóvel de passageiros começou a esbater-se com a chegada da estrutura de carroçaria monobloco, mas só no início do Wirtschaftswunder - ou milagre económico alemão - na década 50.
Na realidade, as station wagon descendem das carrinhas comerciais – não sendo, como muitos crêem, derivadas das berlinas. A carrinha comercial baseada no Opel Olympia destinava-se, de início, exclusivamente a utilizadores profissionais. Porém, os catálogos dos veículos comerciais da marca alemã em 1951 e 1952 começaram a oferecer a possibilidade de converter a carrinha comercial Olympia num prático automóvel familiar. A conversão não era efectuada na fábrica, mas sim executada pela Autenrieth, líder alemã na construção de carroçarias, sediada em Darmstadt, muito próximo da Rüsselsheim. É interessante verificar que esta oferta não vinha mencionada nos catálogos de automóveis de passageiros.
Tal como nos EUA uns anos antes, a ascensão da classe média que utilizava as carrinhas comerciais durante a semana, aliada ao baby boom, veio criar na Europa a necessidade de um novo tipo de veículo. A conversão foi apenas uma extensão inteligente da funcionalidade do veículo de trabalho, que se podia transformar num excelente automóvel familiar durante o fim-de-semana.
A Opel foi o primeiro construtor alemão a perceber que havia uma tendência sustentada por trás do sucesso destas conversões. Em 1953, no Salão Automóvel de Frankfurt, a Opel apresentou a sua primeira station wagon genuína: a Olympia Rekord. Caracterizada por uma traseira em forma de caixa com janelas laterais, a inovação foi exposta lado a lado com uma versão sedan e apresentada como um automóvel de passageiros versátil. O sedan e a wagon tinham em comum a secção dianteira da carroçaria, com a característica boca de tubarão, mas a station wagon criou um nome que ficaria na história do automóvel como sinónimo de todo um género de automóveis: “CarAvan.” Segundo se crê, a combinação das palavras “car” e “van” deriva da pergunta perplexa: “Este carro é uma van?”
Contrastando com as carrinhas convencionais de tipo caixa, a Opel Olympia Rekord Caravan de 1953 estava, pelos padrões da época, extravagantemente equipada. “Com apenas alguns gestos,” rezava a publicidade da Opel, “e sem grande esforço, os bancos traseiros podem ser rebatidos – a elegante e respeitável Opel Caravan torna-se num veículo de transporte de grande utilidade, com genuína economia.”
A station wagon fez rapidamente furor na Europa, já que se tratava da síntese perfeita entre uma berlina elegante e apresentável e um prático veículo comercial. Na Alemanha, as pessoas designavam este novo tipo de carroçaria como "Caravan" mas também como “Kombi,” uma abreviatura de “Kombinationsfahrzeug” – um veículo que combinava atributos de duas categorias. Actualmente, os marketeers chamar-lhe-iam "cross-over flexível".

  1   2   3   4   5


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal