Paulina dias de oliveira



Baixar 7.41 Kb.
Encontro05.07.2018
Tamanho7.41 Kb.


QUESTÃO 89



A randomização é uma técnica de alocação que visa:

a) impedir que indivíduos sem critérios de elegibilidade sejam incluídos no estudo

b) evitar perdas seletivas de acompanhamento que levem a resultados enviesados

c) garantir a distribuição homogênea de características prognósticas entre os grupos comparados

d) garantir que os pacientes alocados em diferentes grupos de tratamento recebam a mesma qualidade de assistência.
Alternativa A errada. Os critérios de elegibilidade são definidos pelos critérios de inclusão e critérios de exclusão (HULLEY 2008 p. 170).

Alternativa B errada. A perda de sujeitos é uma característica dos estudos de coorte e pode ser minimizada de diversas formas: 1) excluir sujeitos com alta probabilidade de perda; 2) obter informações que permitam futura localização; 3) contato periódico com os sujeitos para coletar informações, fornecer resultados, demonstrar interesse (HULLEY et al. 2008 p. 123)

Alternativa C correta e resposta da questão. A dúvida nesta alternativa é a palavra garantir, mas no enunciado temos a palavra visa significa segundo o dicionário Michaellis “pretender”. Ou seja. Temos que ler o enunciado e a alternativa, assim a randomização, apesar de não garantir que os grupos sejam idênticos, tenta que isso ocorra. Ainda assim, alguns livros afirmam (erroneamente na minha opinião) que é garantida a homogeneidade: “A alocação aleatória garante que fatores como idade, sexo e outra características basais de prognóstico que confundiriam uma associação observada (incluindo fatores desconhecidos ou não aferidos) sejam distribuídos igualmente entre os grupos randomizados, exceto pela variação ao acaso” (Hulley ey al. P. 174).
Alternativa D errada. Ela se refere ao cegamento: as intervenções devem, sempre que possível, ser planejadas de tal forma que os participantes do estudo, os membros da equipe com os quais eles têm contato, os responsáveis pelas medidas laboratoriais e aqueles que adjudicam os desfechos não saibam para qual dos grupos cada um dos participantes foi alocado. Em um ensaio clínico randomizado, o cegamento é tão importante quanto a randomização, pois protege o estudo de vieses devido ao uso de co-intervenções e devido à avaliação enviesada dos desfechos (HULLEY et al. 2008. P. 176).
Hulley et al. Delineando a pesquisa clínica: uma abordagem epidemiológica. Artmed. 2008.



Rua Rio Grande do Norte, 63 sala 41, 4° andar l Santa Efigênia l Belo Horizonte l MG



www.grupometa.med.br l grupometa@grupometa.med.br l (31) 3245-4025 l (31) 9737-9020


Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal