Personagens Principais: Rubens Monterrique Protagonista



Baixar 140.3 Kb.
Encontro30.12.2018
Tamanho140.3 Kb.



Personagens Principais:

Rubens Monterrique * Protagonista

Julia Castelli * Protagonista

Paulo de Cesar Monterrique * Pai de Rubens e dono da rede banco “Monterrique Banks”

Carlos Castelli * Pai de Julia e dono da rede de bancos “C & Castelli Banks”

Carolina Castelli * Mãe de Julia
Personagens ligados aos protagonistas:

Pietro * Melhor amigo de Rubens

Don Leandro * Professor de Teatro

Larissa * (vilã) * Melhor amiga de Julia


Personagens Complementares:

3 Meninas para o teste e cena

3 Meninos para cena

1ª Ato
O palco esta iluminado por algumas luzes vermelhas.


Abre as cortinas.
JULIA:

(sentada na mesa onde ficará o corpo de Julieta)

Por volta do ano de 1660, havia na cidade de Verona, na Itália, duas famílias inimigas: Os Capuleto e os Montecchio. Mas a nossa história se passa no século XXI, numa cidade grande que também há duas famílias inimigas: Os Castelli e os Monterrique. As razões da inimizade eram por causa de suas empresas, pois as duas famílias são donas das duas maiores redes de bancos da cidade. Uma linda história de amor esta para começar.

Fecha as cortinas.
2ª Ato
O palco esta arrumado com o cenário de uma sala de aula com os personagens complementares e Rubens e seu amigo Pietro um do lado do outro, e o professor chegará após o tocar do sinal.
Abre as cortinas.

Toca o sinal.


PROFESSOR: Bom dia turma!
ALUNOS: (todos na mesma hora) Bom dia / E aê fessor / Dia...
PROFESSOR: Tenho uma boa notícia pra vocês...
RUBENS: Qual?
PROFESSOR: Uma aluna nova, e a mais impressionante: o teatro de inverno.
PIETRO: Então são duas notícias.
Rubens e Pietro começaram a rir.
RUBENS: Então onde esta a aluna nova?
PROFESSOR: Pode entrar.
Julia entra em cena, um pouco tímida, ela fica ao lado do professor.
PROFESSOR: Seja bem vinda...
JULIA: Julia... Julia Castelli.
PROFESSOR: Pode se sentar, querida. Ali naquela carteira.
Rubens fica olhando Julia atentamente, e Julia se senta ainda muito tímida. Rubens não tira os olhos de Julia.
PROFESSOR: Agora o teatro de inverno, alguém chutaria uma opinião em qual será o tema?... Alguém?
ALUNO UM: Hamlet?
PROFESSOR: Quase... Ah! Deixa pra lá. O teatro será: Romeu e Julieta.
Rubens olha para o professor com uma cara de animado.
RUBENS: O que? Romeu e Julieta? Quem vai fazer o papel do Romeu?
PROFESSOR: Quem se candidatar primeiro. O teste será amanhã, e para se candidatar e só escrever o nome no cartaz que será colado no recreio.
Toca o sinal.
PROFESSOR: Bom, por hoje é só...
Todos começam a arrumar os materiais.

Rubens e Pietro conversam arrumando os materiais.
RUBENS: Você esta pensando o mesmo que eu?
PIETRO: Ah! Não Rubens, outro teatro não. Você acabou de fazer Rei Arthur.

RUBENS: Mas um pro currículo.
Rubens vai em direção ao professor.
RUBENS: Professor, eu queria me candidatar para o papel do Romeu.
PROFESSOR: É seu.
RUBENS: O que?
PROFFESOR: O papel é seu... ninguém vai querer se candidatar pra esse papel, é muito “difícil”. Mas, vou te dar uma missão.
RUBENS: Uma missão?
PROFESSOR: É, quero que você procure a Julieta.
Rubens olha para Julia.
RUBENS: (vagamente) Acho que eu já encontrei...
PROFESSOR: O que?
RUBENS: Não, nada.
A cortina fecha.
3ª Ato
Abre a cortina.
O cenário agora e o pátio da escola. Alguns alunos estão sentados conversando e lanchando. Julia esta conversando com Larissa.
LARISSA: Que pena que não estamos na mesma classe...
Rubens entra em cena com o cartaz na mão, ele prega-o na parede.
LARISSA: Amiga, me belisca eu só posso ta sonhando, conhece aquele garoto?
Julia olha para traz.
JULIA: Conheço... quer dizer, não muito... ele estuda comigo.
Rubens sobe em cima de uma cadeira para dar um recado.
RUBENS: Galera, quem quiser fazer os testes para o teatro de inverno do professor Leandro é só escrever o nome neste cartaz. Ok? Os testes serão amanhã. (olhando para Julia). Sou eu quem vai escolher a Julieta.
Rubens desce e cola o cartaz na parede, (algumas pessoas escrevem o nome).
LARRISA: To dentro amiga!
Larissa se levanta e vai em direção ao cartaz.
JULIA: Do que? Me espera!
Julia acompanha Larissa.

As duas chegam ao mesmo tempo. Larissa começa a escrever o nome.
LARISSA: (entregando a caneta para Julia toda animada) Vai fazer?
RUBENS: Vamos, vai ser legal.
JULIA: Ah! Eu não sei... (pensa um pouco e depois pega a caneta) Ta bom.

Julia escreve o seu nome no cartaz.
RUBENS: Meu nome é Rubens.
JULIA: Prazer Julia.
RUBENS: (rindo meio sem graça) É eu sei...
LARISSA: (intrometendo-se na conversa) E o meu é Larissa.
Rubens balança a cabeça.

Larrisa faz um gesto de alegria e puxa a amiga para o meio do palco.
LARISSA: Esse teatro vai ser demais!
JULIA: (meio sem papo) E!...
LARISSA: Amiga, imagina a minha pessoa como Julieta... (fazendo cena) Oh! Romeu, Oh! Romeu.
JULIA: (rindo) Ficaria ótima!
Fecha cortina.
4º Ato
O cenário agora é a casa dos Castelli. Carlos e Carolina Castelli estão discutindo.
Abre cortina.
CARLOS: (gritando) EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ COLOCOU A MINHA PRINCESA ESTUDANDO NA MESMA ESCOLA QUE AQUELE “MONTEMERDA”
Julia entra em cena. Mas os pais não a vêem.
CAROLINA: (tentando acalmá-lo) Eu não sabia. Quando eu fui ver já era tarde!
CARLOS: Quero que você tire ela de lá, mas rápido possível!
JULIA: (entrando na conversa) Ela quem? Eu não acredito que vocês vão me tirar da escola de novo. Pai eu não estou agüentando mais, eu não fico em uma escola nem um bimestre, e você já me tira dela. Mas desta vez você marcou e recorde, nesta eu não fiquei um dia. Parabéns.

CARLOS: Minha filha, você tem que entender...
JULIA: Entender o que pai? (começando a chorar) Eu não quero ir pra outra escola! Eu não quero!
Julia corre para seu quarto e sai de cena.
CAROLINA: Satisfeito? Viu o que você fez?... Essa menina vai entrar em depressão escuta o que eu estou falando.
CARLOS: Não importa! Mas nessa escola, (batendo a mão na mesa) a JULIA NÃO ESTUDA!
Carlos sai de cana.
CAROLINA: (massageando o rosto) Isso não é bom pra minha pele. (saindo de cana e gritando) FILHA, MAMÃE TA INDO!
Fecha cortina.
Quarto de Julia.

Julia esta em sua cama chorando.
Abre cortina.

Chega Carolina.
CAROLINA: Filha não fica assim, seu pai anda muito estressado com o trabalho. E quando ele coloca uma coisa na cabeça.
JULIA: Mas eu só queria saber o porquê dessa vez, mãe.
CAROLINA: Oh, minha filha eu vou te contar, mas pelo santo do cartão de crédito, não conta isso pra ninguém.
JULIA: (enxugando as lagrimas) Pode deixar mãe.
CAROLINA: É que quando eu fui fazer “novamente” a sua matrícula, eu não sabia que um dos filhos dos Monterrique estudava lá, quando eu fui saber já era tarde. Aí já da pra você ver a história que formou.
JULIA: E quem é o filho desses Monte... Monterrique?
CAROLINA: É um tal de... como é que é mesmo... ah! Rubens.
Julia fica sem ação.
JULIA: (sussurrando) Não acredito!
CAROLINA: O que?
JULIA: (voltando ao estado normal) Nada não!... é... mãe hoje a senhora não tinha que ir ao salão?
CAROLINA: Nossa é mesmo!
Carolina sai apressada.
JULIA: Se o meu pai souber que eu estudo junto com ele, é capaz de me mandar para o colégio interno.
Fecha cortina
5º Ato
O cenário é a sala de teatro da escola para os testes.

As meninas de personagens complementares para o teste da Julieta.
JULIA: Amiga, tenta imaginar o que aconteceu.
Larissa coloca a mão na cabeça fazendo uma cara estranha.
JULIA: (estala os dedos) Larissa o que você esta fazendo?
LARISSA: Ué! Tentando imaginar!
JULIA: (faz cara de riso e ao mesmo tempo indignada) Tem aquela antiga história de briga da minha família e a Monterrique?
LARISSA: Tem.
JULIA: O meu pai descobriu que o filho desse tal Monterrique estuda aqui, aí você já viu! E o pior se ele souber que eu estudo junto com ele, meu pai é capaz de me mandar pro colégio interno!
LARISSA: E quem é?
JULIA: O Rubens.
LARISSA: O que? O Rubens? “Oh my god”
O professor entra, junto com Rubens.
PROFESSOR: Galera! Vamos começar os testes... (todos se posicionam em fila) Vamos começar com você. (apontou para a menina 1)
MENINA 1: (Ela começa a encenar parecendo uma loca viciada em Shakespeare) Ah, Romeu... por que você é um Montecchio? Renegue o seu pai, mude de nome e, se não quiser fazer isso, diga que me ama e eu deixarei de ser uma Capuleto!
O professor e o Rubens ficam espantados de ouvir e ver uma menina encenar tão mal, e logo o professor chama outra menina.
PROFESSOR: É... você.
A menina 2 fica no lugar da outra e começa a fazer alguns gestos com a mão e barulhos com a boca e antes dela começar o professor a interrompe.
PROFESSOR: Outra, por favor.
A menina 3 fica no lugar da outra e começa a aquecer a voz parecendo uma louca e antes dela começar o professor a interrompe.
PROFESSOR: Minha filha você esta na escola errada. Outra. (murmurando com Rubens) De onde essas meninas saíram?
Larissa entra em cena toda glamorosa.
LARISSA: Ah, Romeu... por que você é um Montecchio? Renegue o seu pai, mude de nome e, se não quiser fazer isso, diga que me ama e eu deixarei de ser uma Capuleto!
PROFESSOR: Até que fim, fique aqui. Próxima.
JULIA: Ah, Romeu... por que você é um Montecchio? Renegue o seu pai, mude de nome e, se não quiser fazer isso, diga que me ama e eu deixarei de ser uma Capuleto!
Rubens encantado se levanta e começa a encenar com ela.
JULIA: Quem está aí?
RUBENS: Sou aquele que a ama, sou seu enamorado, mas terei o nome que escolher. Se quiser, não serei mais Romeu.
JULIA: Como pode estar aqui? Se o virem, está morto!
RUBENS: Há mais perigo nos seus olhos, Julieta, do que em mil espadas!
JULIA: Quem lhe ensinou este caminho?
RUBENS: O amor, que tudo sabe.
Todos da sala ficaram em silêncio. O ódio na cara de Larissa era visível. O professor se levanta.
PROFESSOR: Magnífico, Romeu e Julieta. (olhando para o restante dos alunos) Olha vocês três infelizmente como atrizes são ótimas alunas, o teatro concerteza não é uma boa pra vocês. (agora para Larissa) E você querida vai ficar com o papel da criada da casa dos Capuleto.
Julia e Larissa conversam distante do centro do palco.
JULIA: Eu consegui amiga, consegui!
LARISSA: É E, conseguiu.
Rubens chega e chama Julia.
RUBENS: Julia, posso conversar com você um instante?
Julia o acompanha.

Larissa pega o celular.
LARISSA: (cel.) Alô, eu posso falar com o Carlos Castelli? Carlos! Aqui é a Larissa amiga da sua filha, olha eu só liguei por que eu só quero bem da Julia, e como eu sei que você não gosta dos Monterrique... é que a Julia entrou em um teatro onde ela faz um papel romântico com o filho dele... do Monterrique... Alô?... alô?... Desligou. (off.) Ai, amiga, a distância entre nós vai ser tão grande, você no colégio interno e eu aqui, pertinho do Rubens...
Fecha cortina.
5º Ato.
Monterrique Banks”

Sala do Sr. Paulo de Cesar Monterrique.
Abre cortina.

Carlos entra na sala enfurecido, gritando que nem um louco.
CARLOS: (off.) Sai da frente sua secretária idiota. (sala) OLHA AQUI SEU MONTE DE MERDA, se o seu filho se aproximar isso daqui da minha filha eu acabo com você!
PAULO: Quem você pensa que é pra vim na minha empresa e me ameaçar?
CARLOS: O recado estar dado!
Carlos sai de cena.

Paulo logo pega o telefone.
PAULO: (tel.) Patrícia, liga pra escola do Rubens e manda ele vim aqui agora, é urgente.
Fecha a cortina.

Abre a cortina com Rubens já entrando, como tivesse passado algum tempo.
RUBENS: (sentando-se) Pode falar pai.
PAULO: Rubens, você sabe quem veio me visitar? O Carlos Castelli.
RUBENS: E o que, que tem?
PAULO: (levantando-se com raiva) E o que, que tem? Rubens você sabe que não é de hoje que os Monterrique e os Castelli não se dão bem. Rubens eu não quero saber, ou você se afasta dessa Garota ou eu tiro a sua mesada, cancelo a sua viagem de fim de ano, que por sinal custam caríssimas, e te mando pro colégio interno.
RUBENS: Você é um monstro. Você e a mamãe vivem como robôs, nunca se beijam, nunca saem, nunca se amam, e quando eu encontro o uma menina que o meu coração bate mais forte, você me fala pra eu afastar dela.
PAULO: Recado esta dado, como diz o tal. (se senta)
RUBENS: Que pena.
Rubens começa a sair, quando Paulo se levanta.
PAULO: (gritando) RUBENS VOLTA AQUI, RUBENS!
Fecha cortina.
5º Ato
O cenário agora é um parque.

Julia esta sentada esperando o Rubens.
Abre cortina.

Rubens entra em cena.
RUBENS: Desculpa pela demora, é que meu pai me chamou na empresa para dar um recado.
JULIA: É o que ele falou?
RUBENS: Pra eu me afastar de você.
JULIA: E você vai obedecê-lo?
RUBENS: Nem em sonhos.
JULIA: Por que?
RUBENS: Você acredita em amor a primeira vista?
JULIA: Acredito.
RUBENS: Então esta explicado!
Rubens e Julia vão aproximando-se para dar um beijo.

A Mãe de Julia, Carolina chega bem antes dos dois se beijarem.
CAROLINA: (gritando) JULIAAAA...
Julia e Rubens se afastam.
CAROLINA: Julia minha filha, o que esta fazendo, quer dizer, o que você ia fazer. Se seu pai souber...
RUBENS: Calma senhora...
CAROLINA: Senhorita, pra você.
RUBENS: A culpa foi minha...
CAROLINA: Julia se o seu pai souber!
JULIA: Mãe, por favor, não conte nada pro papai, por favor, eu te imploro!
CAROLINA: Só se você me prometer que nunca mais vai se aproximar desse menino!
Julia olha pro Rubens muito triste e depois pra mãe.
JULIA: Eu prometo!
Fecha cortina.
6º Ato
Sala de teatro para o 1º ensaio.

Todos da peça estão em grupinhos separados.

Julia conversa com Larissa e Rubens conversa com Pietro.
Abre cortina.
RUBENS: ... e agora eu tenho que ficar longe dela.
PIETRO: Conversa com o professor, talvez ele pode ajudar vocês.
RUBENS: O professor?
PIETRO: Pelo menos vocês poderão ficar juntos na aula dele.
RUBENS: Bom idéia Pietro!
Julia e Larissa conversam.
LARISSA: Ah! Amiga quem será que contou para o seu pai?
JULIA: Eu não sei, mas disse minha mãe que o papai fez um escândalo lá no banco Monterrique.
LARISSA: Amiga a vida é assim, nem tudo dá certo.
JULIA: Credo Larissa!
LARISSA: Ué, é o que eu penso.
O professor entra em cena.
PROFESSOR: Gente, vamos começar com o ensaio, hoje vamos ensaiar a “mensagem de Julieta”. A cena é com o Rubens, Pietro, Larissa e Julia.
A cortina se fecha e se abre com os personagens já e posição, como fosse realmente Romeu e Julieta.
PIETRO: Ola, meu primo! Você está pálido e abatido! Teve alguma aventura?
RUBENS: Nada fiz que conversar com as estrelas...
Larissa entra em cena.
LARISSA: Conhecem por acaso o Jovem Romeu? Sabe onde posso encontrá-lo?
RUBENS: (zombando) Na falta de outro melhor, eu tenho esse nome. Aceita-me?
LARISSA: Vamos nos afastar daqui, moço mal educado. Espero que ouça minhas palavras com mais seriedade.
Larissa e Rubens se afastam.
LARISSA: Espero que minha jovem senhora não tenha se enganado, quando me disse que era um rapaz sincero!
RUBENS: Perdoe-me velha ama, não a reconheci. Qual é a mensagem de Julieta?
LARISSA: Ela diz que o ama e que tudo fará por você. Mas eu lhe digo, de minha parte, que minha menina é muito jovem, é uma donzela pura e sincera. Se você a enganar, vai sofrer comigo!
RUBENS: (alegre) Ouça: diga á minha amada que procure, esta tarde, ir sozinha ao convento dos franciscanos. Ali estarei à sua espera. Ali também, ela encontrará um frade, frei Lourenço, que vai nos confessar e celebrar nosso casamento. Corra, ande! E não esqueça!
Rubens tira algumas moedas do bolso.
RUBENS: Dê este dinheiro a algum criado da casa que seja de sua confiança. Ele deve arranjar uma escada de corda para que eu possa, esta noite, subir o quarto de Julieta.
Agora do outro lado do palco esta Julia.

Larissa se aproxima.
JULIA: Então, ama, o que disse meu amado?
LARISSA: Calma, menina! Deixe-me sentar... O jovem Romeu pede que esteja, esta tarde, e desacompanhada, no convento dos franciscanos. Lá, depois de confessá-la, frei Lourenço, um religioso de toda confiança, realizara o seu casamento.
JULIA: Casamento!
LARISSA: Sim, menina. Vocês devem se casar antes de mais nada, porque assim terei a consciência mais leve... E agora vamos, sem tardança... Ainda tenho de providenciar a escada que dará a Romeu o acesso ao seu balcão.
JULIA: Esta tarde verei o meu amor!
LARISSA: Sim, Julieta, minha menina... Esta tarde o seu amor será sacramentado. Deus queira que seja para o seu bem!
Larissa saindo Julieta grita.
JULIETA: Vá, ama! Depressa, para realizar minha felicidade!
A cortina se fecha.

A cortina se abre com os personagens todos em pé esperando a opinião no professor.
PROFESSOR: (fazendo cena) Eu não sei não... eu acho que esta faltando alguma coisa...
PIETRO: Mas o que? Esta perfeito!
PROFESSOR: Um adiantamento. Esta perfeita, sem explicação. A peça vai estrear semana que vem, vai ser um sucesso!
Todos começam a comemorar.

Comemorando Rubens tenta beijar Julia, mas ela vira o rosto.

Rubens pede desculpa.

Rubens vai em direção ao professor.
RUBENS: Professor, posso conversar com você?
PROFESSOR: Pode sim Rubens.
RUBENS: É que eu estou gostando de uma menina, gostando muito.
PROFESSOR: Sério Rubens. Por quê?
RUBENS: Pela Julia.
PROFESSOR: Pelo menos a minha peça esta servindo pra alguma coisa...
RUBENS: Mas não é só isso, é que os meus pais e os pais da Julia não aceitam. Até me ameaçou me mandar pro colégio interno se eu não me afastar dela. Eu que saber se você nos deixa ficar juntos na sua aula?
PROFESSOR: Olha Rubens eu posso até deixar vocês conversarem sabe, mas sem beijo, ta, e contra as normas da escola. Sinto que o amor de vocês é verdadeiro e sem maldade.
RUBENS: Obrigado professor.
Fecha cortina
7º Ato
O cenário é a portaria da escola.

Julia e Rubens de despedindo.
Abre cortina
JULIA: (carinhosamente) Thau Rubens.

RUBENS: (passando a mão nos cabelos de Julia) Você é Linda Julia!
JULIA: (sem graça) Obrigada... É... Será que vai dar certo Rubens, agente nem pode se beijar, concerteza meu pai já colocou seus seguranças para me vigiar. Será que vai da certo?
RUBENS: Eu te amo Julia!
JULIA: O que!
RUBENS: Eu te amo Julia. Eu te amo desde que você entrou na sala de aula, eu te amo muito!
JULIA: Nossa Rubens! Nunca nenhum garoto falou isso pra mim antes!
RUBENS: Eu duvido muito!
JULIA: Eu também te amo!
Julia e Rubens se aproximam para se beijar.

Larissa chega e interrompe.
LARISSA: Julia, vamos embora.
JULIA: Thau.
Rubens da um beijo no rosto de Julia.

Suas mãos vão se afastando lentamente.
Fecha cortina.
8º Ato
O cenário e a casa de Julia.

Estão na mesa de almoço sua mãe e seu pai muito furioso.
Abre cortina

Entra Julia
CARLOS: (raiva) Até que fim a Julieta apaixonada chegou em casa!
JULIA: Do que você esta falando pai?
CARLOS: O segurança da empresa passou pela escola e viu você e aquele filho... juntos quase se beijando...
JULIA: Eu sabia!
CARLOS: Sabia e não se preveniu. Ah! E você tem que dar graças a Deus a amiga que você tem, pra te ajudar ela ligou pra mim e contou que você ia fazer um teatro romântico com aquele garoto...
JULIA: O que?! (sussurrando) mas que vaca!
CARLOS: O que?
JULIA: (raiva) ...fome de vaca... eu estou com uma fome que eu comeria até uma vaca!

Julia se senta na mesa com muita raiva.
Fecha cortina
9º Ato
O cenário agora é a portaria da escola.
Abre cortina

Julia entra de um lado e Larissa do outro.
LARISSA: Oi amiga!
Julia chega perto de Larissa e dá um tapa na sua cara.
LARISSA: (com a mão no rosto) Você esta louca!
JULIA: Você é uma falsa Larissa, uma falsa.
LARISSA: Do que você esta falando?
JULIA: Você ligou pro meu pai e contou tudo pra ele.
LARISSA: (se revelando) Contei mesmo, se pudesse contaria de novo!
Julia levantou a mão para dar outro tapa em Larissa.

Nesse mesmo estante chega o professor acompanhado de Rubens.
PROFESSOR: O que esta acontecendo aqui?
LARISSA: Professor ela deu um tapa na minha cara, sem eu ter feito nada de errado!
JULIA: (começando a chorar) É mentira!
PROFESSOR: Julia o rosto dela esta vermelho.
JULIA: É que ela contou pro meu pai...
RUBENS: Contou o que?
JULIA: Que eu e você íamos fazer um teatro juntos!
PROFESSOR: Isso é verdade Larissa?
LARISSA: Eu contei porque eu achei que era para o bem dela!
JULIA: Como você é falsa!
PROFESSOR: Estou vendo que isso não vai levar a nada. As duas pra diretoria!
RUBENS: Professor, eu acredito na Julia.
PROFESSOR: Olha Rubens, eu não vou tirar a Julia da peça, mas ela errou...
RUBENS: Mas todo mundo erra!
PROFESSOR: Como amigo Rubens, passava, mas como professor eu não posso. Então Julia e Larissa pra diretoria.
RUBENS: Eu te amo!
JULIA: Eu também.
Fecha cortina
10º Ato
O cenário esta arrumado como o pátio da escola.

Rubens e Julia conversam.
Abre cortina
RUBENS: Como foi lá na diretoria?
JULIA: Ah, ela só nos preveniu. Um ultimo aviso.
RUBENS: E a Larissa?
JULIA: Ela fez um teatro, me pediu desculpas...
RUBENS: E você aceitou?
JULIA: Não. A diretora quase que me obrigou , mais eu disse que não.
Outro lado do cenário.

Larissa e o Professor.

LARISSA: Professor, o senhor tem que tirar ela da peça. Ela quase me matou, olha a marca na minha cara, nem um quilo de maquiagem da conta...
PROFESSOR: Larissa, concerteza você fez alguma coisa para a Julia, ela não ia de bater do nada... Tenho que ir, a próxima aula é minha... thau, e vê se toma jeito em...
O professor sai.

Larissa fala só.
LARISSA: Idiota, isso não vai ficar assim, ou eu não me chamo Larissa.
Fecha cortina
11º Ato
O cenário e a casa dos Castelli.
Abre cortina
Larissa entra em cena para conversar com Carlos.
LARISSA: licença. Eu vim conversar um assunto muito sério com o senhor. A Julia não desistiu da peça, e eu fiquei sabendo que o senhor estava propondo três anos no colégio interno, eu acho que é uma boa para ela, ela é muito inteligente.
CARLOS: Espera ai, você esta me propondo que eu mande a Julia pro colégio interno, é isso mesmo?
LARISSA: É... bem... quase.... eu acho que vai ser o melhor pra ela agora.
Carlos pensa por alguns segundos.
CARLOS: Se ela não se afastar desse menino, essa vai ser a única alternativa.
Fecha cortina

Abre a cortina com Julia já em cena em sua casa.
JULIA: O que? Eu não vou desistir do teatro e nem do Rubens!
CARLOS: O que, que eu fiz pra merecer isso Julia? Eu sempre te dei tudo do bom e do melhor...
JULIA: Mas e o necessário em pai... o amor. Nunca jantamos juntos, nunca conversamos, agora que eu gosto de alguém você me pede para desistir... Nunca pai, nunca.
CARLOS: Então pode arrumar suas coisas, semana que vem você vai pra suíça, vai pro colégio interno...
Carolina entra em cena indignada.
CAROLINA: O que? Minha filha não vai pra lugar nenhum. Não vai!
CARLOS: Quem decide as coisas aqui nesta casa sou eu, então ela vai e ponto final!
Julia sai de cena, quase que corendo.

Carolina vai atraz.
Fecha cortina.
Quarto de Julia
Abre cortina

Julia e Carolina estão conversando.

Julia esta com a cabeça no colo de sua mãe.
JULIA: Mãe, como que o papai pode ser tão... sem coração?
CAROLINA: Eu não já te falei, seu pai anda muito estressado com o Banco. Você tem que deixar esse rapaz, filha...
JULIA: (se sentando) Mãe eu estou amando. Eu amo o Rubens, e ele também me ama...
CAROLINA: Neste mundo que agente vive o amor não existe, é o dinheiro que fala mais alto!
JULIA: Nossa mãe, que cruel. Se o mundo for assim, eu não quero fazer parte dele... não quero... Você ama o papai?
CAROLINA: Nossa que pergunta filha... é... sim, claro...
JULIA: Pra você qual é mais importante: o amor ou um cartão de crédito sem limite?
CAROLINA: Essa é difícil...
JULIA: Estou vendo que o amor com você não tem vez...
Julia sai de cena.
CAROLINA: Julia, espera aí!... (off) mas o cartão de credito pode comprar tudo, por falar em comprar aquela bolsa de couro de cobra ta em liquidação...
Carolina se levanta e sai de cena.
Fecha cortina
12º Ato

O GRANDE DIA: ROMEU E JULIETA
O Cenário agora e os bastidores da peça (todos estão nervosos).

Num lado do palco estar Rubens e do outro estar Julia. (camarim)
Abre cortina

Larissa entra em cena acompanhada de Carlos Castelli.

E do outro lado entra Paulo de Cesar Monterrique.

(Os dois com raiva)
- JULIA –

CARLOS: Então você vai fazer essa peça ridícula?
JULIA: Não é peça ridícula, é Romeu e Julieta de Shakespeare.
- RUBENS –

PAULO: Você não vai fazer isso Rubens!
RUBENS: Há muito tempo eu não te escuto mais pai.
- JULIA –

JULIA: Quem diria em Larissa... um tapa não foi o suficiente?
- Os dois na mesma hora Carlos e Paulo –

CARLOS E PAULO: JÁ CHEGA, SE VOCÊ NÃO PARA COM ISSO AGORA, VAI AMANHÃ MESMO PRO COLÉGIO INTERNO.
JULIA: Não importa, eu vou amar o Rubens em qualquer lugar, seja na suíça ou no Brasil.
RUBENS: Pode fazer o que você quiser!
- Os dois na mesma hora Carlos e Paulo –

CARLOS E PAULO: QUE ASSIM SEJA!
Fecha cortina
No cenário Julia esta prestes a tomar o sonífero.
Abre cortina
JULIA: Oh! Doce remédio, esta é a única maneira de ficar com o meu eterno amor! (bebe o remédio)

Fecha cortina
Julia esta deitada na mesma mesa onde ela começou a primeiro ato.
Abre cortina

Rubens entra em cena.
RUBENS: Oh! Minha amada porque fizestes tal barbaridade... A única maneira de sermos felizes é na interinidade... (tira o veneno do bolso e bebe)... Vou morrer ao teu lado minha eterna amada... (morre).
Julia acorda
JULIA: Meus Deus, este que esta ao meu lado é o meu amado... por que?... não me esperastes?... (deita em cima de Rubens e pega uma adaga)... Esta adaga me trará pra perto de ti, meu amado... (enfia a adaga em seu coração e cai encima de Rubens).
Fecha cortina.
SUÍÇA
O cenário agora é o colégio interno.

Julia e Rubens finalmente juntos.
Abre cortina.
RUBENS: Eu te encontrei, finalmente te encontrei, eu te amo Julia, eu te amo.
JULIA: Dizem que amor de colegial não da certo. Mas quem se importa. Junto de você eu me sinto especial, me sinto num conto de fadas. EU TE AMO Rubens, muito...
Quando os dois finalmente vão se beijar a cortina se fecha.

Fim .















Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal