Policia militar regulamento do campeonato desportivo da pm



Baixar 122.03 Kb.
Encontro10.08.2018
Tamanho122.03 Kb.



Polícia Militar do Estado de São Paulo

ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA


REGULAMENTO

DO

CAMPEONATO DESPORTIVO

DA

POLICIA MILITAR
REGULAMENTO DO CAMPEONATO DESPORTIVO DA PM

TÍTULO I FINALIDADE

Art.1º. Tem por finalidade fomentar e desenvolver os valores físicos e morais proporcionados pelo esporte, além de fortalecer os laços de amizade, companheirismo e espírito de grupo, massificando a prática desportiva na Polícia Militar.
TÍTULO II COMPETIÇÕES MILITARES

CAPÍTULO I

DAS INSCRIÇÕES

Art.2º. No Campeonato Desportivo da PMESP, concorrem as equipes dos Grupos Corporativos na seguinte conformidade:

I.CPA/M-1 ao 12, 12 (doze) equipes, sendo representativa uma equipe por CPA;

II. CPI-1 ao 10, 10 (dez) equipes, sendo representativa uma equipe por CPI;

III. CPChq, 01 (uma) equipe representativa;

IV. CCB (ESB e CSM/OpB), 01 (uma) equipe representativa;

V. CBM (unidades subordinadas), 02 (duas) equipes representativas;

VI. CBI (unidades subordinadas) e 17º GB, 02 (duas) equipes representativas;

VII. CPAmb, 01 (uma) equipe representativa;

VIII. CPRv, 01 (uma) equipe representativa;

IX. Diretorias e OPM subordinadas, 02 (duas) equipes representativas;

X. EM/PM, CMil, DSAGC, Assessorias, CORREG, PMRG e GRPAer (Capital), 02 (duas) equipe representativa;

XI. 01 (uma) equipe representativa;

XII. CPTran, 01 (uma) equipe representativa.

§ 1º O efetivo pertencente às Assessorias que não se fizerem representar nessas competições, em princípio e mediante autorização desses Órgãos, poderá inscrever-se pelo EM/PM.

§ 2º Cabe às Assessorias a iniciativa da ligação com o EM/PM, que definirá as inscrições de policiais militares do seu efetivo.

§ 3º o efetivo do CPC participará juntamente com o efetivo do CPA/M-11, e o do CPM se juntará ao CPA/M-12;

§ 4º Os grupos corporativos do CBI e CBM apresentarão duas equipes ao invés de uma como os demais grupos, dado ao grande efetivo subordinado, principalmente, e ao histórico participativo em campeonatos desportivos da Corporação.

§ 5º Quanto às idades, as categorias serão:

I. Praticantes: até os 39 anos de idade inclusive, nascidos no ano de 1974;

II. Veteranos: de 40 a 49 anos de idade inclusive, nascidos entre 1964 a 1973;

III. Sênior: a partir de 50 anos inclusive, nascidos em 1963 inclusive;

§ 6º As 03(três) categorias de idade serão adotadas apenas para os esportes individuais, sendo que nos esportes coletivos teremos apenas Praticantes e Veteranos (acima de 40 anos);

§ 7º Em ocorrendo um número muito grande de inscritos nas modalidades individuais será facultativa a mudança de divisões de categoria de idade pela EEF, para tornar o evento mais atrativo aos participantes, na seguinte conformidade:

I. Praticantes: até 29 anos;

II. Veteranos I: 30 a 34 anos;

III. Veteranos II: 35 a 39 anos;

IV. Veteranos III: 40 a 44 anos;

V. Veteranos IV: 45 a 49 anos;

VI. Sênior I: 50 a 54 anos; e.

V. Sênior II: a partir de 55 anos.

§ 8º É permitida a participação de atletas mais velhos nas categorias mais jovens, exceto na competição de TAF. O inverso não será autorizado;

§ 9º Os atletas mais velhos poderão participar nas duas categorias de idade nas modalidades coletivas do Campeonato Desportivo, exceto nas competições individuais;

§ 10º Os policiais da reserva e reformados poderão participar do Campeonato e representarão sua última OPM;

§ 11º Nas modalidades individuais as equipes serão formadas pelas OPM que contarão pontos para os seus respectivos grupos corporativos;

Art. 3º No Campeonato Desportivo concorrem, em princípio, as equipes das OPM da PMESP.

§ 1º Os policiais militares das Unidades Subordinadas, que não se classificarem para a 2ª e 3ª Fases poderão integrar a equipes dos Grandes Comandos, a critério dos Comandantes.

§ 2º Os Grandes Comandos deverão organizar e dirigir competições entre suas OPM subordinadas, a seu critério para formação de suas equipes.

§ 3º As OPM que possuírem curso de formação de SD PM, ou cursos de especialização poderão utilizar o efetivo discente para compor suas equipes, porém o policial militar poderá participar por outra unidade ao término do curso, independentemente de estarem ligados administrativamente a ESSD, no caso de SD PM 2ª Cl.

§ 4º A mesma interpretação vale para os policiais militares das Bases do GRPAer no interior do estado, que estarão livres para competir pelos respectivos CPI onde se encontram as Bases.

Art. 4º Os esportes coletivos masculinos serão disputados com distinção de círculo de oficiais e praças, no feminino não haverá distinção de círculos.

Parágrafo único. As modalidades individuais não haverá distinção de círculos.

Art. 5º. O Calendário Anual Desportivo da Policia Militar estabelece as modalidades desportivas e as provas a serem disputados, bem como as épocas, os locais de sua realização e os períodos de disputa.

§ 1º Poderá ser incluída modalidade esportiva durante o ano da competição, porém deverá divulgado aos participantes com 60 dias de antecedência da realização do evento.

§ 2º Em algumas provas individuais, podem ser fixados, pela EEF, índices mínimos para inscrição.

Art. 6º. Todos os Grupos Corporativos são obrigados a participar das competições previstas, ainda que deixem de concorrer em certas provas.

Parágrafo único. As equipes podem deixar de apresentar sua equipe completa, porém em todas as modalidades deverá possuir uma equipe representante com o número mínimo estipulado nas regras de cada modalidade.

Art. 7º. O Policial Militar movimentado para determinada OPM, desde que já apresentado, pode competir pela mesma, ainda que esteja temporariamente afastado (em escola, curso ou à disposição de outra OPM).

Art. 8º. Todos os policiais militares participantes do Campeonato Desportivo deverão estar aptos para a prática de Educação Física, caso não tenham o exame anual realizado na data do evento, o policial militar deverá apresentar atestado médico no ato de sua inscrição que ficará arquivado na EEF como prova de sua aptidão para participar do Campeonato Desportivo.

Parágrafo único. Caso o policial militar utilize um atestado médico particular para participação no Campeonato Desportivo e possua restrição médica para a prática de educação física em sua OPM, o mesmo ficará sujeito às punições cabíveis.

Art. 9º. Nas competições da PMESP, os concorrentes devem receber números de acordo com o recebimento da inscrição.

Parágrafo único. Nas competições individuais, os números de inscrição devem ser distribuídos dentro dos limites determinados para cada competição.

Art. 10. As inscrições gerais, por desporto a ser disputado, são entregues ao Presidente da Comissão Organizadora de cada Fase, por ocasião da Reunião Preparatória.

Parágrafo único. As inscrições devem ser encaminhadas pelo Oficial de Treinamento Físico da OPM.

Art. 11. Uma equipe desportiva compreende, de modo geral, os seguintes elementos:

I - Chefe da Equipe;

II - Técnico; e

III - Atletas.

Parágrafo único. A constituição detalhada das equipes correspondentes aos diversos desportos constará no ANEXO A deste Regulamento e as regras de cada modalidade no site da Escola de Educação Física.

Art. 12. O Chefe de equipe poderá atuar como atleta de sua equipe.

Art. 13. O Chefe de equipe pode ser também, o técnico.

CAPÍTULO II

DA ORGANIZAÇÃO E DIREÇÃO

Art. 14. A responsabilidade pela organização e direção é atribuída à Comissão Organizadora, composta pelos Oficiais de Treinamento Físico das Unidades e presidida, no nível PMESP, pelo Diretor de Ensino e Cultura, por meio do Cmt da EEF.

Art. 15. A Comissão Organizadora é responsável por todos os setores da organização (técnica, administrativa, militar, cívico e protocolar) e pode dividir seus encargos entre tantas subcomissões quantas se fizerem necessários.

Parágrafo único. A encarregada da parte técnica é a Subcomissão de Direção Técnica e seu Chefe é o Diretor Técnico da competição, cabendo-lhe:

a) indicar os diretores de provas;

b) supervisionar a preparação das instalações e dos locais destinados à realização das provas;



  1. organizar o calendário das competições;

  2. realizar os sorteios que se fizerem necessários, de acordo com os regulamentos e regras vigentes;

  3. regular o treinamento prévio das equipes nos locais das provas;

  4. assegurar-se de que a regulamentação das provas é obedecida;

  5. controlar, supervisionar e divulgar os resultados das provas; e.

h) encarregar-se de quaisquer outras providências de caráter técnico.

Art. 16. O Campeonato será realizado nos esportes coletivos em 02 (duas) fases e nos individuais em 01 (uma) fase:

§ 1º Os esportes coletivos que compreendem o programa do Campeonato são os seguintes:


  1. Futebol de Campo – masculino

  2. Futsal – Masculino e feminino

  3. Basquetebol – masculino

  4. Handebol – feminino

  5. Voleibol – masculino e feminino

  6. Cabo de Guerra – masculino e feminino

§ 2º Os esportes individuais que compreendem o programa do Campeonato são os seguintes:

  1. Atletismo – masculino e feminino

  2. Natação – masculino e feminino

  3. Corrida de Cross Country - masculino e feminino

  4. Xadrez – misto (masculino/feminino)

  5. Judô – masculino e feminino

  6. Jiu-Jitsu - somente masculino

  7. Taekwondo - masculino e feminino

  8. Boxe - masculino

  9. TAF - masculino e feminino

  10. Tiro - masculino e feminino

  11. Policial mais Resistente - masculino e feminino

  12. Tênis de Mesa - masculino e feminino

  13. Tênis de Campo – masculino e feminino

  14. Técnicas Policiais (POP) - misto (masculino/feminino)

  15. Biathlon Policial – masculino e feminino

§ 3º Os Esportes Coletivos terão suas fases divididas nas seguintes conformidades:

I. A Primeira Fase será organizada por cada Grupo Corporativo, determinada no Art.2º deste Regulamento e supervisionada pela EEF.

II. A Segunda Fase será organizada e dirigida pela EEF, compreendendo as disputas eliminatórias, semifinais e finais.

III. As equipes deverão possuir 02 (dois) uniformes de cores distintas.

§ 4º Os Esportes Individuais serão realizados em Fase Única sob organização e direção da EEF.

Art. 17. Devem ser adotadas as seguintes providências para a organização da competição:

I - programação em documentos apropriados;

II - expedição de "Informações Preliminares" aos concorrentes, com antecedência de 15 (quinze) a 30(trinta) dias, estabelecendo:



  1. desportos e modalidades a serem disputadas;

  2. provas previstas em cada modalidade;

  3. datas e locais das provas; e.

  4. constituição das equipes;

  1. - reconhecimento detalhado do local em que terá lugar o evento;

  2. - expedição de "Instruções Particulares" aos concorrentes, com antecedência de 30(trinta) a 45 (quarenta e cinco) dias, contendo:

a) notícias sobre competições anteriores do desporto a ser disputado;

b) descrição das características mais importantes das instalações e locais das provas (dimensões, número de pistas, natureza dos pisos das quadras e pistas, característica da iluminação para os eventos noturnos, etc.);



  1. calendário das provas;

  2. detalhes sobre premiação; e.

  3. aspectos administrativos, militares ou cívicos que devam ser salientados;

V - realização de reunião preparatória, na véspera da competição, com a presença obrigatória da comissão organizadora, do Diretor Técnico, dos Diretores de provas, dos Chefes de equipes, compreendendo três partes bem distintas e que se sucedem na seguinte ordem:

  1. disposições gerais para a competição;

  2. reunião do(s) Júri(s) Técnico(s); e.

  3. reunião do diretor técnico com os diretores de provas.

Art. 18. As "disposições gerais" para uma competição obedecem, em princípio, à seguinte agenda:

I- recepção;

II- apresentação da comissão organizadora;

II - informações gerais sobre a organização da competição;

IV - considerações de ordem técnica a cargo do diretor técnico e dos diretores de provas;

V- recebimento das inscrições gerais;

V - formação do júri de apelação;

VI- disposições particulares para o treinamento;

VII - questões eventuais das delegações; e.

VIII - sorteios (se for o caso).

Art. 19. Cada desporto ou modalidade desportiva, em certos casos, deve ter um júri técnico correspondente.

Art. 20. Um júri técnico é composto de cinco membros escolhidos entre policiais militares de reconhecida competência nos assuntos técnicos do desporto ou modalidade desportiva considerada, sendo o policial militar de maior precedência hierárquica, o seu presidente.

Parágrafo único. Os membros dos júris técnicos não podem fazer parte da comissão organizadora e nem do júri de apelação.

Art. 21. Cabe ao júri técnico:



  1. - verificar se as instalações e locais destinados às provas do respectivo desporto satisfazem às exigências da regulamentação correspondente;

  2. - receber, apreciar e julgar os recursos impetrados em primeira instância, ouvindo, se necessário, os diretores de provas, árbitros, juízes, técnicos e outras pessoas - e emitindo suas decisões por escrito, dentro de duas horas após o recebimento dos mesmos; e.

III - suspender a competição no todo ou em parte, até decidir sobre o recurso, caso tal providência se mostre necessária.

Art. 22. Cabe aos Diretores de Provas:

I - organizar e preparar a execução da prova sob sua responsabilidade;

II - instruir árbitros, juízes, cronometristas e auxiliares que devam participar da prova;



  1. - orientar os concorrentes a respeito das normas gerais e peculiares a serem obedecidas na prova;

  2. - exigir, durante a prova, a fiel observância da regulamentação estabelecida, por parte dos concorrentes e da arbitragem; e.

  3. - apresentar ao Diretor Técnico, no prazo previsto, os resultados obtidos pelos concorrentes.

Art. 23. O Júri de Apelação é constituído por representantes de cada uma das entidades concorrentes e sob a presidência do presidente da comissão organizadora.

Art. 24. Cabe ao Júri de Apelação receber, apreciar e julgar, no prazo de três horas, em segunda e última instância, os recursos que lhe forem interpostos pelos Chefes de Equipes inconformados com as decisões de determinado júri técnico.


CAPITULO III

DA PROGRAMAÇÃO


Art. 25. O Calendário do Campeonato Desportivo da Policia Militar obedecerá ao calendário estabelecido na seguinte conformidade:

I. Esportes Coletivos:

a) 1ª Fase será disputada no período de Abril a Junho;

b) 2ª Fase será disputada no período de Julho a Outubro;

Parágrafo único. A modalidade de Cabo de Guerra será disputada em fase única.

II. Esportes Individuais:

a) As modalidades individuais serão disputadas em fase única;

Art. 26. Poderão ser inseridas outras modalidades ao longo do Campeonato por iniciativa das OPM após aprovação de proposta de inserção de modalidade enviada à EEF.

Parágrafo único. Tais competições serão disputadas na modalidade de Teste, não somando pontos no Quadro de Pontuação Geral.
CAPITULO IV

DOS RECURSOS

Art. 27. Só cabe recurso contra erro de direito.

§ 1o Entende-se por erro de direito o desrespeito à regulamentação pré-estabelecida para a competição militar.

§ 2o A falha de observação do árbitro ou juiz, no transcorrer de uma disputa, não constitui erro de direito, mas sim erro de fato e não pode ser motivo de recurso.

Art. 28. Os Chefes de Equipes podem recorrer, por escrito, ao Júri Técnico competente, até trinta minutos após a informação oficial do resultado da prova.

Parágrafo único. O Chefe de Equipe que discordar da solução dada por um Júri Técnico pode recorrer, em segunda e última instância, ao Júri de Apelação, apresentando-lhe suas razões, por escrito e dentro do prazo de uma hora, após haver tomado conhecimento da decisão em causa.

CAPÍTULO V

DO CERIMONIAL

Art. 29. As cerimônias de abertura e de encerramento das competições devem revestir-se do maior brilhantismo compatível com as circunstâncias do local e do momento, a fim de reavivar os sentimentos cívico-militares dos participantes e de divulgar ao máximo as atividades desportivas do Brasil.

Art. 30. A Cerimônia de Abertura obedece, normalmente, a seguinte seqüência:

I- formação do dispositivo;

II- recepção da mais alta autoridade;

III - apresentação das delegações a mais alta autoridade;

IV - hasteamento da Bandeira Nacional, da Bandeira Paulista e dos estandartes das OPMs participantes, com a execução do Hino Nacional;

V- canto da Canção da Polícia Militar;

VI- acendimento da Pira Olímpica pelo atleta mais laureado em competições anteriores do desporto a ser disputado;

VII- juramento do atleta;

VIII- palavras de abertura da autoridade que preside a cerimônia; e.

IX- desfile em continência a mais alta autoridade.

Art. 31. A Cerimônia de Encerramento se desenvolve, em princípio, na seguinte seqüência:

I- recepção da mais alta autoridade;

II - leitura da nota para boletim geral alusiva a solenidade;

IV - premiação;

V - apagamento da Pira Olímpica pelo atleta mais laureado na competição;

VI- canto da Canção da Policia Militar;

VII - arreamento da Bandeira Nacional, da Bandeira Paulista e dos estandartes das OPMs, com a execução do Hino Nacional;

VIII - palavras de encerramento da autoridade que preside a cerimônia; e.

IX - desfile em continência a mais alta autoridade.

CAPÍTULO VI

DA PREMIAÇÃO

Art. 32. A premiação tem por finalidade:

I - estimular os atletas, as equipes, os treinadores e as entidades participantes;

II - reverenciar o mérito excepcional de determinados atletas ou equipes; e.

III - homenagear as organizações e pessoas que tenham apoiado o Desporto Policial Militar de modo significativo.

Art. 33. Os prêmios normalmente concedidos são os seguintes:

I - para OPM campeãs:


  1. troféus;

II - para atletas classificados:

  1. medalhas (ouro, prata e bronze).

CAPÍTULO VII

DA PUBLICAÇÃO DOS RESULTADOS DAS COMPETIÇÕES

Art. 34. Os resultados das competições, em suas primeiras fases devem ser publicados nos boletins das entidades organizadoras.

Parágrafo único. No caso de competição no âmbito da Corporação, cabe à EEF providenciar o encaminhamento dos resultados para publicação em BG.

CAPÍTULO VIII

Prescrições diversas


Art. 35. A data-base para cálculo de idade dos atletas será o ano do seu nascimento.

Art. 36 As inscrições são restritas a policiais militares ativos ou inativos, de ambos os sexos.

Art. 37 É vedada a participação de Soldados Temporários PM em qualquer fase ou esporte do Festival Olímpico.

Art. 38 Quaisquer dúvidas poderão ser sanadas por meio do e-mail campeonatodesportivo@policiamilitar.sp.gov.br, devendo a mensagem estar intitulada “Campeonato Desportivo da PM”.

A presente regulamentação não esgota o assunto, podendo ser aditada posteriormente.
ANEXO A

ORGANIZAÇÃO DAS COMPETIÇÕESPOLICIAS MILITARES


1. ATLETISMO
Provas

Seguirão na ficha de inscrição divulgada no site da EEF.



Inscrições

Para oficiais e praças (misto).

Dois atletas por prova individual e uma equipe por revezamento.

Os atletas podem inscrever-se em qualquer número de provas.



Equipes

Total máximo - 32 policiais militares



Regras

- Da Confederação Brasileira de Atletismo

- Categorias de idade próprias para a PMESP.

Atletas que tenham estabelecido recordes:

a) Diploma de Recordista.

2. NATAÇÃO
Provas

Seguirão na ficha de inscrição divulgada no site da EEF.



Inscrições

Para oficiais e praças (misto).

Dois atletas por prova individual e uma equipe por revezamento.

Os atletas podem inscrever-se em qualquer número de provas.



Equipes

Total máximo - 32 policiais militares


Regras

- Da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.

- Categorias de idade próprias para a PMESP.

Atletas que tenham estabelecido recordes:

a) Diploma de Recordista.

3. BASQUETEBOL
a. Torneios

- Masculino (oficiais e praças indistintamente).

b. Jogos

- De acordo com o processo adotado para a composição dos jogos.

c. Inscrições

- Uma equipe de 22 (vinte dois) policiais militares.


e. Regras

- Da Confederação Brasileira de Basquetebol.

f. Contagem de Pontos e Classificação

1) No torneio:

- de acordo com o processo adotado para a composição dos jogos.

4. CORRIDA CROSS COUNTRY

a. Provas



  1. Percurso Curto (4.000 m a 5.000 m);

  2. Percurso Longo (11.000 m a 12.000 m).

b. Inscrições

  1. Para oficiais e praças (misto);

  2. cada OPM poderá inscrever no máximo 12 atletas por percurso sendo permitida a inscrição dos mesmos atletas nos dois percursos; a equipe que inscrever menos de quatro atletas não participará da competição por equipes.

Total máximo 24 policiais militares

d. Regras

- Da Confederação Brasileira de Atletismo.


3) Classificação

a) Individual:

- de acordo com o resultado oficial de cada prova. Não haverá classificação geral individual.

b) Por equipe:



  1. a classificação por equipe será estabelecida por percurso, levando-se em conta os três melhores resultados no percurso longo e os três melhores no percurso curto; e.

  1. será considerada vencedora a equipe que somar o menor número de pontos.

c) Geral:

  1. a classificação geral por equipe será estabelecida pela ordem crescente do somatório dos resultados dos dois percursos, levando-se em conta os seis melhores resultados no percurso longo e os três melhores no percurso curto;

  2. em caso de empate, será mais bem classificada a equipe que apresentar o atleta melhor classificado individualmente em qualquer das provas; persistindo o empate, será o resultado individual do segundo melhor atleta das equipes empatadas e assim até o sexto atleta das equipes empatadas.

4) Recordistas:

- Diplomas de Recordista.



5. FUTEBOL
a. Jogos

- De acordo com o processo adotado na composição dos jogos.

b. Inscrições


  1. Oficiais e praças círculos distintos.

  2. Cada entidade concorre com uma equipe de onze atletas efetivos e cinco reservas.

Total máximo 30 policiais militares
d. Regras

- Da Confederação Brasileira de Futebol.

e. Contagem de pontos e classificação

- De acordo com o processo adotado na composição dos jogos.


6. HANDEBOL
a. Torneios

- Feminino (oficiais e praças indistintamente).

b. Jogos

- De acordo com o processo adotado para a composição dos jogos.

c. Inscrições

- Uma equipe de 22 (vinte dois) policiais militares.


e. Regras

- Da Confederação Brasileira de Handebol.

f. Contagem de Pontos e Classificação

1) No torneio:

- de acordo com o processo adotado para a composição dos jogos.

7. JUDÔ
a. O Campeonato de Judô será disputado sem distinção de círculo e consistirá de competição individual, masculino e feminino, sendo disputado nas categorias oficiais da Confederação Brasileira de Judô:

Observação:

- Será realizada uma pesagem única até 24 horas antes do inicio da competição. Os atletas deverão participar nas competições "por equipe" e "individual" nas suas respectivas categorias, não podendo, portanto, ocorrerem mudanças de categorias, em função de a pesagem ser única.
b. Inscrições

1) Competição Individual



  1. Cada equipe poderá inscrever quantos judocas quiser por categoria.

  2. É permitido, ao atleta que lutou na categoria imediatamente superior na competição por equipes, participar na sua categoria (na competição individual), desde que tenha seu peso confirmado na pesagem.

  3. As inscrições dos atletas serão nominais, entregues dentro do prazo estipulado pela EEF.

  4. Um judoca poderá competir em uma categoria de peso e na categoria "Absoluto".

c. Equipes

Total máximo 22 policiais militares


d. Forma de disputa


  1. o sistema de disputas será de eliminatórias simples;

  2. não haverá disputas de terceiro lugar, empatando os dois perdedores das semifinais;

  3. a elaboração das chaves será realizada ao final das inscrições e respeitará a classificação do ano anterior para sorteio dos combates;

  4. os combates terão a duração de 5 (cinco) minutos;

  5. em caso de empate, o combate será decido no Hantei, conforme a regra da Federação Internacional de Judô.

f) Se, ainda assim, persistir o empate, considerar-se-ão as equipes empatadas.
h. Prescrições Diversas

  1. Serão obedecidas as regras da Federação Internacional de Judô (FIJ), naquilo que não colidir com o presente regulamento.

  2. O calçado, fora do Do-Jo, deverá ser de preferência, sandália de borracha, ficando proibido o uso de sapatos ou tamancos.

3) Os detalhes relativos à pesagem serão estabelecidos na reunião de abertura.

8. BIATHLON POLICIAL MILITAR
a. Competição Combinada: Corrida e Tiro.
Início

1. 1.650m de corrida (cross country);

2. 12 disparos em alvo próprio para a competição de Biathlon;

3. 1.650m de corrida (cross country);

4. 12 disparos em alvo próprio para a competição de Biathlon;

5. 1.650m de corrida (cross country);

Final

Percurso Total: 4.950 metros e 24 disparos.


A regra detalhada será publicada no site da EEF.
b. Inscrições

- Para oficiais e praças (misto).

c. Equipes

Total máximo 22 policiais militares


d. Regras

- Da Federação Mundial de Policias e Bombeiros - WPFGF.


e. Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição do CDPM.


Atletas que tenham estabelecido recordes:

a) Diploma de Recordista.



9. TÊNIS
a. Torneio e jogos.

1) Torneios de Simples.

2) Jogos:

- a partida terá duração de 01 (um) set normal de jogo.

- as finais serão disputadas no Sistema Melhor de Três Sets.
b. Inscrições


  1. Para oficiais e praças (misto).

  2. Cada OPM pode inscrever:

  1. até 10 tenistas no torneio de simples;

c. Equipes

Total máximo - 10 policiais militares

e. Regras

- Da Confederação Brasileira de Tênis.

f. Classificação

1) Torneio de Simples

- De acordo com o processo utilizado na competição dos jogos.

10. VOLEIBOL

a. Jogos

- De acordo com o processo utilizado na composição dos jogos e o número de equipes concorrentes.

- Todas as partidas serão disputadas em melhor de 03(três) Sets de 25 pontos, porém as Semifinais/Finais serão em melhor de 05(cinco) Sets.


b. Inscrições

- Masculino e feminino (oficiais e praças indistintamente).

c. Equipes

Total máximo 22 policiais militares


d. Regras

- Da Confederação Brasileira de Voleibol

e.Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição dos jogos.



11. FUTSAL

a. Jogos

- De acordo com o processo utilizado na composição dos jogos e o número de equipes concorrentes.

b. Inscrições

- Masculino e feminino (oficiais e praças indistintamente).

c. Equipes


Total máximo 22 policiais militares
d. Regras

- Da Confederação Brasileira de Futsal


e. Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição dos jogos.



12. CABO DE GUERRA
a. Provas:

HOMENS


- Peso Pesado: 12 homens na equipe com um treinador (não participa)

- Peso Máximo com todos os puxadores (oito a cada puxada) é de 800 KG


MULHERES:

- Peso leve: 10 mulheres na equipe com um treinador (não participa)

- Peso Máximo com todas as puxadoras (seis a cada puxada) é de 480 KG
UNIFORME e CALÇADO:

O Uniforme das equipes será o uniforme operacional da Policia Militar em meia marcha.


O Diretor da Prova conferirá todo o calçado de acordo com o piso que será utilizado.
AO AR LIVRE (Grama ou pavimento)

Botas de serviço operacional policial, meio cano ou cano alto, Não são permitidos nenhum calçado com metal ou cravos.


EM RECINTO FECHADO (quadra de qualquer superfície)

Tênis normal ou de basquetebol de cano alto somente. Nenhuma bota operacional de solado preto ou escuro será permitida.


FORMA DE COMPETIÇÃO

Eliminatória Dupla ou por chaves.


REGRAS GERAIS

Melhor de 03 puxadas. As equipes devem trocar o último homem a cada puxada. Puxadores não podem ser mudados em meio à partida.


Cerca de 3,50m de comprimento de puxada são necessários para a vitória. Pessoa de âncora colocará o fim da corda debaixo de um braço, por trás, debaixo do outro braço e então passará a corda em cima deste mesmo ombro, de modo que esta fique pendurada e solta atrás dele. Ele não poderá amarrar o fim da corda ao seu corpo de maneira alguma.
Sentar ou deitar como tática de disputa resultará em desqualificação. O treinador não pode tocar a corda ou estabelecer contato físico com qualquer atleta durante competição. Qualquer pessoal adicional puxando desqualificará a equipe.
As equipes não devem soltar a corda ao término de uma partida, de modo a prevenir lesões a qualquer atleta da equipe adversária.
b. Inscrições

- Masculino e feminino (oficiais e praças indistintamente).

c. Equipes

Total máximo 22 policiais militares (12 homens e 10 mulheres)


d. Regras

- Da Federação Internacional de Cabo de Guerra

e.Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição do CDPM.



13. TAF
a. Competição:

- Seguirá as divisões de idade e normas prescritas para o TAF-3 da corporação. Cada OPM poderá inscrever até 20 atletas;

- As pontuações nas provas do TAF não serão limitadas em 100 pontos, havendo progressão na pontuação caso o desempenho atingido assim exija. Será vencedor o atleta com a maior pontuação somando-se as quatro provas;

- Os atletas deverão competir em sua respectiva faixa etária, sendo proibido ao atleta com mais idade competir em categorias mais jovens;

- A faixa etária para disputa nesta Competição será a mesma das tabelas do TAF 3;

- O uniforme para competir será o regulamentar, exceção aos calçados.

b. Inscrições

- Para oficiais e praças (misto).

c. Equipes

Total máximo 22 policiais militares.


d. Regras

- Da Policia Militar do Estado de São Paulo

e.Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição do CDPM.



14. TAEKWONDO

a. Competição:

- Nas lutas, não haverá divisão por círculos hierárquicos, apenas por sexo.

- As categorias serão as olímpicas:

Masculino: até 58kg, até 68kg, até 80kg e acima de 80Kg;

Feminino: até 49kg, até 57kg, até 67kg e acima de 67kg;

- A modalidade de “Formas (Poomsae)” será livre, não havendo divisão de sexo;

- A pesagem será realizada em até 24 horas antes da competição. Não haverá tolerância de peso.

b. Inscrições

- Para oficiais e praças (misto).

c. Equipes

Total máximo 22 policiais militares


d. Regras

- Da Federação Mundial de Taekwondo

e. Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição do CDPM.



15. XADREZ
a. Competição:

Seguirá o Sistema suíço de 7 a 9 rounds, cores aleatórias.

O ritmo do jogo será o denominado “Xadrez Ativo"; a duração do jogo permitida a cada jogador é 30 minutos até o fim, ou até o "flagfall.”.

O desmembramento dos sistemas serão "Bucholz".


b. Inscrições

- Para oficiais e praças (misto).

c. Equipes

Não existe limite de inscritos, porém somente os 04 melhores resultados contarão pontos para classificação por equipe.


d. Regras

- Xadrez nos Jogos obedecerá a exigências da FIDE (Federação Internacional de Xadrez).

e. Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição do CDPM.



16. POLICIAL MAIS RESISTENTE

a. Competição:

- Em cada prova será atribuída pontuação de 0 a 1000 pontos levando em conta o tempo, distância e peso.

- Ao fim da competição, os pontos de cada indivíduo serão somados para um total final.

- Se o atleta perder sua chamada para o evento será desqualificado da competição.

- O atleta deve tentar executar todas as provas, sem exceção.

- Não poderão ser usadas luvas, bancos, nem sapatilhas. Haverá uma conferência obrigatória no início da competição.

PROVAS:


1º. 5.000m corrida;

2º. Arremesso do Peso (cada pessoa terá dois arremessos, Homens até 39 anos usam o peso de 7,260 Kg, homens acima de 39 usam o peso de 5,440 Kg e todas as mulheres usam o peso de 3,600 Kg;

3º. 100 metros rasos;

4º. 100 metros natação, estilo Livre;

5º. Subida na corda – 6,3 metros de corda, sendo que o atleta terá direito a 2 tentativas somente, podendo renunciar a uma delas, sendo que os homens e mulheres começam da posição sentada e realizam a subida somente com as mãos, não podendo usar o apoio de pés ou pernas;

6º. Supino – o atleta realizará 2 elevações, sendo válida a melhor execução completa.

7º. Flexão na barra fixa – mãos em pronação, o queixo deve ultrapassar a barra, de modo que nenhum chute ou balanço será permitido e deverá haver uma extensão completa de braços a cada execução.

8º. Corrida de obstáculos


A regra detalhada será publicada no site da EEF.
b. Inscrições

- Para oficiais e praças (misto).

c. Equipes

Total máximo 20 policiais militares


d. Regras

- Da Federação Mundial de Policias e Bombeiros - WPFGF.

e.Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição do CDPM.



17. TÉCNICAS POLICIAIS - POP

a. Competição:

- O Regulamento específico da prova será divulgado no site da EEF.

- O uniforme para competir será o regulamentar com EPI completo.

b. Inscrições

- Para oficiais e praças (misto).

c. Equipes

Total máximo 10 policiais militares


d. Regras

- Da Polícia Militar do Estado de São Paulo

e.Contagem de pontos e classificação

-De acordo com o processo utilizado na composição do CDPM.


Todas as demais modalidades terão seus regulamentos publicados no site da EEF.
ANEXO B
JURAMENTO DO ATLETA

a. É proferido pelo atleta participante de maior grau hierárquico e repetido pelos demais, por ocasião da cerimônia de abertura das competições militares.

b. Ao comando de "PARA O JURAMENTO DE ATLETA, PREPARAR!" - dado a partir da posição de sentido - os atletas elevam o braço direito estendido, à frente do corpo, até atingir o plano horizontal do ombro, voltando, ao mesmo tempo, a palma da mão para baixo; em seguida, flexionando o braço, trazem a mão direita, ainda estendida e com a palma para baixo à altura do peito, tocando com o polegar a extremidade inferior do externo, mantendo o antebraço na horizontal.

c. São repetidas, então, em uníssono, as seguintes palavras:



- "JURAMOS - QUE NOS APRESENTAREMOS - NESTA COMPETIÇÃO - COMO COMPETITORES LEAIS - RESPEITANDO OS REGULAMENTOS – EMPREGANDO O MAIS ALTO ESPÍRITO ESPORTIVO - PARA O BEM DE NOSSAS EQUIPES - E PARA GLÓRIA DOS DESPORTOS NA POLICIA MILITAR".







Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal