Pontifícia universidade católica de são paulo faculdade de ciências sociais departamento de história



Baixar 44.45 Kb.
Encontro09.12.2017
Tamanho44.45 Kb.




PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO


FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS - DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA
COGEAE - CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: HISTÓRIA, SOCIEDADE E CULTURA


Curso: HISTÓRIA, SOCIEDADE E CULTURA

Disciplina: TRABALHO, SOCIEDADE E CULTURA


Professores:

Dr. Antonio Rago Filho

Dr.a Lívia C. A. Cotrim

Semestre: 1º/2010


Módulo III

Turma A

Vânia Noeli F. de Assunção: 1ª, 2ª, 3.ª 4ª, 7ª e 8ª aulas

Antonio Rago Filho: 5.ª e 6.ª aulas
Responsável pela entrega dos resultados das avaliações à Cogeae:

Prof. Dr. Antonio Rago Filho



Cronograma:

06/03, 13/03, 20/03, 27/03, 10/04, 17/04, 24/04, 08/05



Período:


Tarde

Carga Horária: 32 horas



I - Ementa da Disciplina e Objetivos do Curso.
O curso visa a compreensão e a tematização dos momentos significativos das lutas do trabalho na ordem social moderna. A partir das experiências clássicas, busca-se remontar a história dos vencidos, as particularidades históricas no interior das formas sociais do capital, além da reflexão sobre os processos culturais e artísticos, a derrocada das formações pseudo-socialistas e o processo contraditório de individuação social.
II – Conteúdo e Unidades

I – O segredo das revoluções. Os trabalhadores na cena histórica.



  1. As Revoluções de 1848 no centro da Europa.

A burguesia e a contra-revolução na Prússia.

Daumier e Courbet na revolução.



  1. O bonapartismo como “religião da burguesia”.

A história da Comuna de Paris de 1871. Crônicas da Comuna.
II. – A Transição Impossível: da Revolução Russa à queda da União Soviética.

  1. O fenômeno histórico do populismo russo. Púchkin e “O cavaleiro de Bronze”.

  2. A Revolução Russa: a questão dos elos débeis.

  3. A crítica do fenômeno stalinista. Os gestores do capital coletivo/não-social

  4. O desmoronamento da União Soviética.

III – Cultura e Política no Entre-Guerras: O paradoxo do Modernismo

Reacionário na República de Weimar (1919-1933). A Guerra Civil

Espanhola (1936-1939).




  1. A revolução Alemã: 1918 - 1923. Canções de Bertolt Brecht e Kurt Weill.

O paradoxo do modernismo reacionário. A Bauhaus e a “Arquitetura da

Destruição”.





  1. O capitalismo tardio espanhol. A 2a República e a Comuna

das Astúrias. A guerra civil: 1936 - 1939. A “Revolução Inoportuna”.

Filmes: “A Língua das Mariposas”. “Terra e Liberdade”.



III - Metodologia.
A metodologia de trabalho contará com aulas expositivas, embasadas em textos de leitura obrigatória, previstos para cada um dos tópicos propostos para a discussão. No trabalho didático realizaremos análises de charges, caricaturas, pinturas, músicas, obras teatrais, literatura e fotografia. Desse modo, a participação dos alunos se realizará nos debates e nas análises problematizadoras das diversas fontes para o trabalho de ensino e pesquisa em história.

IV – Roteiro das Aulas e V – Leituras do Curso

1.ª/2.ª AULAS: As Revoluções de 1848 no centro da Europa.

A burguesia e a contra-revolução na Prússia.

O bonapartismo. A Comuna de Paris de 1871.


Textos básicos:

DROZ, J. - “O Socialismo Francês de 1848 a 1871” in: História Geral do



Socialismo/3. Lisboa: Livros Horizonte, 1977, pp: 648-729.

MARX, K. - “NGR, nº 169, 15 de dezembro de 1848”, in. A Burguesia e a



Contra-Revolução. São Paulo: Ensaio, 1987, pp: 53-59.

______. - “O que é a Comuna?” in: A Guerra Civil em França. Marx &



Engels: História. Florestan Fernandes (org.). São Paulo: Ática,

1983, pp: 293-307.

VALLÉS, J. et al. Crônicas da Comuna. São Paulo: Ensaio, 1992, extratos.
Textos complementares:

LISSAGARAY, H. P-O. “O prólogo do combate. A França antes da guerra”, in. História da Comuna de 1871. 2ª ed. São Paulo: Ensaio, 1991, pp: 12-39.

______. “18 de março”; in. História da Comuna de 1871. 2ª ed. São

Paulo: Ensaio, 1991, pp: 81-87.

MARX, K. - “VII” in: 18 Brumário de Luís Bonaparte. Marx. Os Pensadores.

2.ª ed. São Paulo: Abril Cultural, 1978, pp: 393-404.


3.ª/4.ª/5.ª AULAS: A Revolução Russa: a questão dos elos débeis. O populismo russo.

A crítica do fenômeno stalinista. Os gestores do

Capital coletivo/não-social. Tolstói e a história.

Gorki e a revolução. O desmoronamento da União Soviética.


Textos básicos:

NETTO, José Paulo - “Introdução”, in. LENIN, V. I. O desenvolvimento do capitalismo na Rússia. São Paulo: Nova Cultural, 1985, pp: VI-XXI.

HOBSBAWM, Eric J. - “A revolução mundial” in: Era dos Extremos. São Paulo:

Companhia das Letras, 1995,pp: 61-89.

CHASIN, J. - “A crise total do Pós-Capitalismo” in: “A sucessão na crise e a crise na esquerda”. Ensaio 17/18. São Paulo: Ensaio, 1990, pp: 10-25.
Textos complementares:

DOCUMENTOS - Cf. FERRO, Marc. A Revolução Russa. 2 ed. São Paulo:

Perspectiva, 2004, pp: 100-129.

TOLSTÓI, Leon - A Morte de Ivan Illitch. São Paulo: 34, 2005.

BROUÉ, P. - “A Stalinização da Internacional”; in. História da

Internacional Comunista 1919-1943. Vol. I. São Paulo:

Sundermann, 2007, pp: 587-615.

VÁRIOS. - "Dossiê Revolução Russa", in: Revista História Viva, nº 20,

São Paulo: Duetto, 32-53.


6.ª AULA: O paradoxo do modernismo reacionário. A “revolução conservadora”.

Bertolt Brecht: teatro e revolução. Bauhaus: arquitetura da construção.

Arte humanista e o Realismo Alemão. Filme: “Arquitetura da Destruição”.
Textos básicos:

LOUREIRO, Isabel - A Revolução Alemã (1918-1923). São Paulo: UNESP, 2006,

pp: 17-40 e 125-176.

HERF, Jeffrey - “O paradoxo do modernismo reacionário” in:



O Modernismo Reacionário. Campinas/São Paulo:

Editora da Unicamp/SP: Ensaio, 1993, pp: 13-29.

CONTIER, A. D. - “Tragédia, Festa, Guerra: os coreógrafos da modernidade

conservadora”, in: Dossiê 50 anos de Final de 2.ª Guerra.



Revista USP, n.º 26. São Paulo: EDUSP, 1995.
Textos de apoio:

BRECHT, B. “A ópera dos três vinténs”; “Ascensão e queda da cidade de Mahagonny”; “A decisão”, in. Teatro Completo, vol 3. 3 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

TROTSKY, L. Revolução e contra-revolução na Alemanha. São Paulo: Lech, 1979.
7.ª/8.ª AULAS: O capitalismo tardio espanhol. A 2a República e

A Comuna das Astúrias. A guerra civil: 1936-1939.

A “revolução inoportuna”. Análise dos documentários da No-Do e os filmes:

“A Língua das Mariposas” e “Terra e Liberdade”.


Textos básicos:
BROUÉ, Pierre - A Revolução Espanhola (1931-1939). São Paulo: Perspectiva,

1992, pp. 72-103.

VILAR, Pierre - “Os dois campos: economia, sociedade, ideologia e cultura”. In:

A Guerra da Espanha. Trad. Regina Célia X. Freire. São Paulo:

Paz e Terra, 1989, pp. 75-94.

SANTILLÁN, Diego Abad. - “A Revolução da Liberdade”. In: Organismo econômico

da revolução. A autogestão na revolução espanhola.

Trad. Arnaldo Spindel; Pierre N. Ruprecht. São Paulo:

Brasiliense, 1980, pp. 191-227.

CLAUDIN, F. - “A revolução inoportuna”. In: A Crise do Movimento



Comunista - 1. Trad. José Paulo Netto. São Paulo: Global,

1985, pp. 189-215.


Filmes:

Terra e Liberdade, direção Ken Loach. Itália/Espanha/Reino Unido/Alemanha, Warner Home Vídeo VideoLar, 1995.


A língua das mariposas, direção José Luis Cuerda. Espanha. Warner Home Vídeo, VideoLar, 2002.

Libertárias, direção Vicente Aranda. Espanha: LolaFilmes, 1997.

1941-1942: amistades peligrosas. Los Años del No-Do. Madri: Planeta DeAgostini, 2007.

1943: Franco da lavuelta a España. Los Años del No-Do. Madri: Planeta DeAgostini, 2007.

VI - Avaliação:

Presença e participação nas aulas.

Como atividade final, o aluno deverá escolher uma das avaliações propostas:
Resenha crítica do texto:

MARX, K. - “O que é a Comuna?” in: A Guerra Civil em França. Marx &



Engels: História. Florestan Fernandes (org.). São Paulo: Ática,

{Ou}

HOBSBAWM, Eric J. - “A revolução mundial” in: Era dos Extremos. São Paulo:

Companhia das Letras, 1995, pp. 61-89.

{Ou}

HOBSBAWM, Eric J. - “Contra o inimigo comum” in: Era dos Extremos. São Paulo:

Companhia das Letras, 1995, pp. 144-177.


Data de Entrega da Avaliação: 08/05/2010



VII – Bibliografia Complementar


AGULHON, M. 1848: o aprendizado da República. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

ANDERSON, Perry. “Trotski e o Stalinismo” in: Revista Perspectiva Internacional. São Paulo, junho/julho, 1983, pp. 18-43.

ASSUNÇÃO, V. N. F. de. “Marx e a Comuna de Paris: a propósito do Estado, da Política e da Emancipação Humana”. In: Cadernos de Ciências Sociais: ciência e engajamento, n.º1. CUFSA. Santo André/SP: FAFIL, 2005, pp: 205-242.

BOITO Jr. A. (Org). A Comuna de Paris na História. São Paulo: Xamã, 2001.

BROUÉ, P. La revolución y la guerra de españa. Vol I & II. México: Fondo de Cultura Económica, 1962.

_________ . El Partido Bolchevique . Vol I, II. São Paulo: Editora Instituto José Luis e Rosa Sundermann, s/d.

_________ . História da Internacional Comunista. Vol. I e II. São Paulo: Editora Instituto José Luis e Rosa Sundermann, 2007.

CIMAZO, Jacinto. La Revolución Libertaria Española (1936-1939).Buenos Aires: Editorial Reconstruir, 1994.

CHASIN, J. “Marx – a determinação ontonegativa da politicidade”, in. Ensaios Ad Hominem nº 1, Tomo III – Política. Santo André, SP: Ad Hominem, 2000, pp: 129-161.

CLARK, T. L. Imagen del pueblo: Gustave Courbet y la revolucion de 1848. Barcelona: Editorial Gustavo Gili Arte, 1981.

CLAUDIN, F. Marx, Engels y la revolución de 1848. Madri; Siglo XXI, 1975.

COGGIOLA, O. (Org). Escrito sobre a Comuna. São Paulo: Xamã, 2003.

COTRIM, Lívia. Marx: política e emancipação humana. Programa de Estudos Pós-graduados em Ciências Sociais. Doutorado. PUC-SP, 2007.

DAUMIER, H. Caricaturas. Porto Alegre: Paraula, s/d.

DEUTSCHER, I. Trotski: o profeta desarmado (1921-1929). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1984.

DITTMAR, G. (Org.) Paris sous la Commune. Par un témoin fidèle: la photographie. Paris: Éditions Dittmar, 2002.

DITTMAR, Gérald. Histoire des Femmes dans la Commune de Paris. Paris: Éditions Dittmar, 2003.

HOBSBAWM, E. A era do capital. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

LENIN, V. I. A Comuna de Paris. Lisboa: Avante, 1975.

__________. O desenvolvimento do capitalismo na Rússia. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

LENOIR, Noëlle. La vie politique de Daumier à nos jours. Paris: Somogy éditions d’Art, 2005.

LOMBARDI, J. C. - "A educação e a Comuna de Paris" In: WILLARD, C. (at. al.) A Comuna de Paris de 1871: história e atualidade. São Paulo: Ícone, 2002, pp: 65-88.

LOSURDO, D. Democracia e bonapartismo. Triunfo e decadência do sufrágio universal. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ; São Paulo: Editora da Unesp, 2004.

LUKÁCS, G. “Narrar ou descrever”, in. Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965, pp: 43-94.

___________ .“Marx e o problema da decadência ideologia”, in. Marxismo e a teoria da literatura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

___________ . “La sociologia alemana del período guillermino (Max Weber)”, in. El Asalto a la razón: la trayectoria del irracionalismo desde Schelling hasta Hitler. México: Fondo de Cultura Económica. 1959, pp: 485-500.

MACIEL, D. et. all. Revolução Russa: processos, personagens e influências. Goiânia, GO: CEPEC, 2007.

MARX, K. Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

MICHEL, Louise. Cartas a Victor Hugo. Vinhedo, SP: Horizonte, 2005.

OEHLER, D. O velho mundo desce aos infernos. Auto-análise da modernidade após o trauma de junho de 1848 em Paris. São Paulo: Cia. das Letras, 1999.

_________ . Quadros Parisienses: estética antiburguesa: 1830 - 1848. São Paulo: Cia das letras, 1997.

PERROT, M. Os excluídos da história: operários, mulheres e prisioneiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

REIS FILHO, D. A. As revoluções russas e o socialismo soviético. São Paulo: editora da Unesp, 2003.

RUDÉ, G. A multidão na história. Estudo de movimentos populares na França e na Inglaterra 1730-1848. Rio de Janeiro: Campus, 1991.

TOCQUEVILLE, A.- "Da revolução de fevereiro de 1848 ao golpe de Estado de 2 de dezembro de 1851". In: Igualdade social e liberdade política. São Paulo: Neumann, 1988, pp: 151-169.

TOMBS, R. La guerre contre Paris, 1871. Paris, Aubier, 1997.

TRAGTENBERG, M. A revolução Russa. 2ª ed. São Paulo: Unesp, 2007.

TROTSKY, L. A revolução de 1905. São Paulo: Global, s/d.

__________ . A Revolução Traída. São Paulo: Editora Instituto José Luis e Rosa Sundermann, 2005.

VINCENT, Mary & STRADLING, R. A. Espanha e Portugal. Coleção Grandes civilizações do passado. Barcelona: Ediciones Folio, 2008.



VV. Dossiê Comuna de Paris, in: Revista História Viva, nº 12.

São Paulo: Duetto, outubro de 2004, pp: 28-46.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal