Programa de componentes curriculares



Baixar 34.42 Kb.
Encontro08.04.2018
Tamanho34.42 Kb.






UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA

PRÓ-REITORIA GRADUAÇÃO

COORDENADORIA DE ENSINO E INTEGRAÇÃO ACADÊMICA

NÚCLEO DE GESTÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA





PROGRAMA DE COMPONENTES

CURRICULARES



CENTRO




COLEGIADO

Centro de Artes, Humanidades e Letras





Mestrado em Ciências Sociais




COMPONENTE CURRICULAR


































CÓDIGO




TÍTULO




CARGA HORÁRIA




ANO




CAH 653





SOCIOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO NA AMÉRICA LATINA





T

P

E

TOTAL




2018







51







51







EMENTA

Teoria da modernização. A sociologia de Gino Germani. Críticas à teoria da modernização. O conceito sociológico de subdesenvolvimento. Celso Furtado e o pensamento cepalino. Teorias da dependência. O debate atual sobre o desenvolvimento.




OBJETIVOS

  • Debater os limites da teoria da modernização para explicar a situação específica da América Latina;

  • Apresentar a sociologia de Gino Germani como uma das expressões da teoria da modernização;

  • Discutir as críticas à teoria da modernização e a relevância do pensamento cepalino e da obra de Celso Furtado;

  • Analisar as diferentes versões da teoria da dependência;

  • Introduzir o debate atual sobre o desenvolvimento.




METODOLOGIA

Debates de texto em sala de aula, sob responsabilidade compartilhada do professor e estudantes. Seminários sobre autores e livros fundamentais. Leitura dirigida.




CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

  1. A teoria da modernização e a sociologia de Gino Germani;

  2. Críticas à teoria da modernização e o pensamento da CEPAL;

  3. O debate sociológico sobre o subdesenvolvimento;

  4. As diferentes posições na teoria da dependência;

  5. As noções de capitalismo dependente e colonialismo interno;

  6. O debate atual sobre o desenvolvimento.



AVALIAÇÃO

A avaliação constará de um seminário sobre autor ou temática fundamental na disciplina e de um artigo acadêmico a ser entregue no término das aulas. O trabalho final deverá possuir de 10 a 15 páginas, com espaçamento 1,5 entre linhas, fonte tamanho 12 e fonte Times New Roman. Os seminários e o artigo valem de zero a dez.


BIBLIOGRAFIA

CARDOSO, Fernando Henrique, FALETTO, Enzo. Dependência e desenvolvimento na América Latina. 4. Ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.

CARDOSO, Fernando Henrique. As idéias e seu lugar: ensaios sobre as teorias do desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1993.

COSTA PINTO, Luiz de Aguiar. Sociologia e desenvolvimento. Rio de Janeiro: 1963.

DOMINGUES, José Maurício, MANEIRO, María (orgs.), América Latina hoje: conceitos e interpretações. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

DOMINGUES, José Maurício. Aproximações à América Latina: desafios contemporâneos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil. 5. Ed. São Paulo: Globo, 2006.

___ Mudanças sociais no Brasil. 4. Ed. São Paulo: Globo, 2008a.

___ Sociedade de classes e subdesenvolvimento. 5. Ed. São Paulo, 2008b.

___ Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. 4. Ed. São Paulo: Globo, 2009.

___ Circuito fechado. São Paulo: Globo, 2010.

FURTADO, Celso. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

___ Formação econômica do Brasil. 25. Ed. São Paulo: Editora Nacional, 1995.

GERMANI, Gino. Sociologia da modernização: estudos teóricos, metodológicos e aplicados à América Latina. São Paulo: Mestre Jou, 1974.

GONZÁLEZ CASANOVA, Pablo. Sociología de la explotación. Buenos Aires: CLACSO, 2006.

IGLESIAS, Enrique (ed.), El legado de Raúl Prebisch. Washington: Banco Interamericano de Desarollo, 1993.

MANTEGA, Guido. A economia política brasileira. 8. Ed. Petrópolis: Vozes, 1995.

OLIVEIRA, Francisco de. Crítica à razão dualista/O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

SAMPAIO JR., Plínio de Arruda. Entre a nação e a barbárie: os dilemas do capitalismo dependente em Caio Prado, Florestan Fernandes e Celso Furtado. Petrópolis: Vozes, 1999.

SANTOS, Theotônio dos. A teoria da dependência: balanço e perspectivas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

SOTELO, Ignácio. Sociologia da América Latina. Rio de Janeiro: Pallas, 1975.

STEDILE, João Pedro (org.), A questão agrária no Brasil: o debate tradicional – 1500-1960. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

___ A questão agrária no Brasil: o debate na esquerda – 1960-1980. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

TAVARES, Maria da Conceição (org.), Celso Furtado e o Brasil. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2000.

TOLEDO, Caio Navarro de. ISEB: fábrica de ideologias. 2. Ed. São Paulo: Ática, 1978.



TOLEDO, Caio Navarro (org.), Intelectuais e política no Brasil: a experiência do ISEB. Rio de Janeiro: Revan, 2005.









Aprovado em Reunião, dia ______/_____/_____.


____________________________________

Diretor do Centro

____________________________________

Coordenador do Colegiado


Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal