Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal



Baixar 18.42 Kb.
Encontro13.04.2018
Tamanho18.42 Kb.



Universidade Federal do Paraná
Setor de Ciências Agrárias - Centro de Ciências Florestais e da Madeira
Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal




Sessão de Defesa de Dissertação
Defesa no. 1103

O Curso de Pós-Graduação em Engenharia Florestal realizará no dia 03 de março de 2015, com início previsto para às 08:30 horas, no Centro de Ciências Florestais e da Madeira, sessão pública de defesa da dissertação de Claudio Gumane Francisco Juizo, cujo título é "APROVEITAMENTO DE COSTANEIRAS EM SERRARIA DE EUCALIPTO PARA PRODUÇÃO DE PAINÉIS EGP".

A banca examinadora será composta por:

Dr. João Vicente de Figueiredo Latorraca

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Primeiro examinador
Dr. Setsuo Iwakiri

Universidade Federal do Paraná

Segundo examinador
Dr. Márcio Pereira da Rocha

Universidade Federal do Paraná

Orientador e presidente da banca examinadora
Dr. Marina Mieko Nishidate Kumode

Pontifícia Universidade Católica do Paraná-PUCPR

Suplente
Dr. Jorge Luis Monteiro de Matos

Universidade Federal do Paraná

Suplente






Curitiba, 13 de fevereiro de 2015.

Antonio Carlos Batista


Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Engenharia Florestal

Av. Lothário Meissner, 3400 - Jardim Botânico - CAMPUS III - CEP 80210-170 - Curitiba - Paraná


Tel: (41) 360-4212 - Fax: (41) 360-4211 - http://www.floresta.ufpr.br/pos-graduacao

RESUMO: Este trabalho teve o objetivo de avaliar a possibilidade de utilização de subprodutos obtidos no desdobro de toras de Eucalyptus saligna e Eucalyptus grandis para produção de painel colado lateralmente mesclados pelas duas espécies, com emendas finger joint no topo. Para o efeito realizaram-se ensaios determinando as propriedades físicas das duas espécies, e posteriormente foram retiradas e quantificadas costaneiras das duas espécies de onde foram obtidos os subprodutos na forma de sarrafos que foram utilizados como matéria prima para a montagem e confecção dos painéis. A quantificação das costaneiras e dos subprodutos efetuou-se a partir de 30 toras que foram previamente selecionadas e agrupadas em 15 toras por cada espécie divididas em três classes diamétricas compostas por 5 toras. Em seguida se determinou o volume de toras, rendimento de madeira serrada, e rendimento em serragem, com esses dados determinou-se o rendimento em costaneiras utilizando-se método balanço de material, de onde foram determinados o rendimento de sarrafos obtidos por tora e por cada classe diamétrica. Os sarrafos foram secos e usinados nas dimensões finais para a montagem dos painéis. Assim sendo, para união de topo dos sarrafos utilizou-se o adesivo polivinil acetato e para a união lateral utilizou-se o adesivo emulsão polimérica de isocianato. Após a montagem dos painéis fez-se avaliação das propriedades mecânicas dos elementos colados através de ensaios de flexão estática e tração normal para as emendas de topo em corpos de prova previamente submetidos em pré-tratamento a seco, pré-tratamento a elevadas temperaturas e em pré-tratamento de 3 ciclos. Em seguida fizeram-se ensaios de cisalhamento da linha de cola, para avaliar a interação entre as duas espécies com os adesivos. Os resultados demonstraram que a massa especifica das duas espécies foram estatisticamente diferentes, porém o mesmo não se observou com a contração radial, tangencial, longitudinal e volumétrica, avaliadas nas duas espécies de eucalipto. Para E. grandis verificou-se um aumento do rendimento em costaneiras com o aumento da classe diamétrica, e um maior rendimento final em sarrafos na classe diamétrica 1. Porém, para E. saligna verificou-se redução do rendimento em costaneiras com o aumento da classe diamétrica, no entanto, semelhante a E. grandis, o maior rendimento em sarrafos foi observado na classe diamétrica 1. Os painéis montados atenderam os requisitos mínimos de qualidade de colagem de topo sendo que o pré-tratamento seco foi o que melhor se destacou tanto em resistência a tração, assim como na resistência em flexão estática. Para os mínimos requisitos de colagem lateral estabelecidos pela norma EN-13353, os painéis também cumpriram as exigências porém com baixas porcentagens de falhas na madeira. Diante do exposto recomenda-se a utilização destes painéis compostos em ambientes secos, podendo se fazer a incorporação de adesivos mais resistentes nos próximos estudos para uso desses painéis em ambiente externo.
Palavras chaves: Eucalyptus saligna e Eucalyptus grandis rendimento em costaneiras, rendimento em sarrafos, juntas coladas, acetato de polivinila, emulsão polimérica de isocianato

(Dissertação contendo 104 páginas



ABSTRACT: This work aimed to evaluate the adaptability of using byproducts obtained in sawing logs of Eucalyptus saligna and Eucalyptus grandis for production of edged glued panel mixed by the two species, with finger joint seams on top. For this purpose, assays was performed by determining the physical properties of the two species, and were subsequently removed and quantified slabs of the two species from which the by-products were obtained in the form of battens, which were used as raw material for the manufacture, and assembly of the panels. The quantification of the slabs and by-products made ​​up from 30 logs previously selected and grouped into 15 logs for each species divided in three diameter classes composed by five logs. Then was determined the volume of logs, volume of sawn timber and yielding of sawdust, with these data was determined the yielding of slabs using material balance method, thus obtaining the yielding of battens by logs and by each diameter class. The battens were dried and machined to the final dimensions for assembly of panels. Thus, for butt joint of the battens were used the polyvinyl acetate adhesive and for the lateral union was used the adhesive emulsion polymer isocyanate. After mounting the panels, was performed the evaluation of mechanical properties of bonded elements by bending strength and tensile strength for top seams on specimens previously submitted in dry pre- treatment, high temperatures pre - treatment and finally pretreatment of 3 cycles. Then was performed the shear strength tests of the glue line, to assess the interaction between the two species with the adhesives. The results showed that the specific gravity of the two species were different, but the same did not observed with the radial, tangential, longitudinal and volumetric shrinkage evaluated in two species of Eucalyptus. In E. grandis, there was an increasing in yield of slabs with increasing of diameter class and a higher final yield of battens on the diameter class one. However, in E. saligna was found the reducing of yield of slabs with increasing of diameter class, and as in E. grandis, the highest yield in the battens was observed in diameter class one. The assembled panels met the minimum requirements of quality bonding in the top, and the dry pre-treatment was the best excelled both in tensile strength, as well as to bending strength. For minimum lateral bonding requirements of the standard EN-13353, the panels also fulfilled the requirements but with low failure percentages in the wood. In this light, is recommended to use these panels in dry environments, being able to make the incorporation of more resistant adhesives in future studies for use of these panels outdoors.

Key words: Eucalyptus saligna, Eucalyptus grandis, yield of Slabs, yield of battens, bonded joints, polyvinyl acetate, and polymeric emulsion of isocyanate.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal