Programa dinheiro direto na escola



Baixar 211.11 Kb.
Página1/2
Encontro05.12.2017
Tamanho211.11 Kb.
  1   2



PROGRAMA DINHEIRO

DIRETO NA ESCOLA

FNDE/PDDE - 2014

Orientações básicas sobre transferência e

execução dos recursos, elaboração e

encaminhamento das prestações de contas


Florianópolis/2014






Prefeitura Municipal de Florianópolis

Secretaria Municipal de Educação

Diretoria Administrativa e Financeira

Departamento de Convênios e Projetos Especiais
PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA

PDDE – 2014
Orientações básicas sobre transferência e execução dos recursos, elaboração e encaminhamento das prestações de contas

APRESENTAÇÃO
Criado pelo Governo Federal/FNDE, o Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE, tem o objetivo de suplementar as escolas com recursos financeiros, realizando repasse anual até então, somente às escolas do Ensino Fundamental. A partir de 2009 a Educação Infantil passou a fazer parte deste programa.
A execução do Programa pela Prefeitura Municipal de Florianópolis através da Secretaria Municipal de Educação, das Unidades Escolares e das Associações de Pais e Professores – APPs, visa à melhoria da estrutura física e pedagógica, contribuindo para a elevação da qualidade da educação básica.
A descentralização dos recursos financeiros para as Unidades Educativas reforça a autonomia gerencial e a participação da comunidade escolar no planejamento e na execução de algumas atividades.
O recurso financeiro é depositado pelo FNDE diretamente nas contas bancárias das APPs, que em parceria com a comunidade escolar e com a Secretaria de Educação vêm gerenciando a aplicação desta verba.

Este manual tem por objetivo disponibilizar informações sobre a forma de execução e prestação de contas do PDDE, qualificando o emprego deste recurso público.


Em nome da equipe da Secretaria Municipal de Educação e, em particular, da Gerência Administrativa e Financeira, que elaborou o presente manual, colocamo-nos à disposição para esclarecimentos.
Cordialmente

Secretário Municipal de Educação

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Prefeito – César Souza Júnior

Vice-Prefeito – João Antônio Heizen Amin Helou




Secretário – Rodolfo Joaquim Pinto da Luz



Secretária – Adjunta – Maria José da Costa Brandão
Diretoria Administrativa e Financeira – Márli Lorensetti
Diretoria de Administração Escolar – Marcos Roberto Abreu
Diretoria do Observatório da Educação e Apoio ao Educando – Simone Leite
Diretoria de Infra-estrutura – Mauricio Amorin Efe

Diretoria de Educação Infantil – Sônia Cristina de Lima Fernandes



Diretoria de Ensino Fundamental – Cláudia Cristina Zanela

I - LEGISLAÇÃO




  • Constituição Federal de 1988.

  • Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964.

  • Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

  • Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009.

  • Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000.

  • Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993.

  • Portaria nº 448, 13 de setembro de 2002.

  • Resolução nº 09 de 02 de março de 2011.

  • Resolução nº 10 de 18 de abril de 2013.

  • Lei nº 10.520, de 17 de junho de 2002.

  • Lei nº 12.708, de 17 de agosto de 2012.

  • Decreto nº 5.450, de 31 de maio de 2005.

  • Decreto nº 7.507, de 27 de junho de 2011.

  • Resolução nº 2, de 18 de janeiro de 2012, do Conselho Deliberativo do FNDE.

  • Resolução nº 5, de 31 de março de 2014.



II – ORIENTAÇÃO


  1. CADASTRAMENTO

As escolas públicas de educação básica da rede municipal – Creches, NEIs, Escolas Básicas e Desdobradas, EJA e polo UAB podem ser beneficiadas com o recurso do PDDE mediante seguintes condições:
 Estar com os dados atualizados no Censo Escolar realizado pelo Ministério da Educação, no ano anterior ao do atendimento;

 Permanecer ativas no ano do repasse dos recursos;

 Enviar a Secretaria Municipal de Educação, a cada ano, a documentação necessária para o cadastramento: Anexo I-A; cópia da Carteira de Identidade, CPF e ata de posse do Presidente da APP.


  • Não possuírem pendências com a prestação de contas de recursos do PDDE no FNDE, até o dia 30 de junho de 2014.



B) RECURSOS FINANCEIROS

O FNDE providenciará a transferência do valor em duas parcelas de 50%. A cada Unidade Educativa o valor é determinado com base no número de alunos matriculados na educação básica, conforme censo escolar do ano anterior:

  • Escolas Urbanas e Rurais com UEx: R$20,00 per capita;

  • Valor fixo R$1.000,00;

  • Público alvo da Educação Especial: R$80,00 per capita;




  1. TIPOS DE DESPESA:

Os recursos transferidos para as escolas beneficiárias destinam-se a DESPESAS DE CUSTEIO: manutenção/consumo e DESPESA DE CAPITAL: materiais permanentes.
DESPESAS DE CUSTEIO - MANUTENÇÃO/CONSUMO: Compreendem a aquisição de materiais de consumo e a contratação de serviços para o funcionamento e manutenção das atividades da escola. Os materiais de consumo são materiais que, em razão de seu uso corrente, perdem sua identidade física ou tem sua utilização limitada há dois anos.
DESPESAS DE CAPITAL - MATERIAIS PERMANENTES: São bens adquiridos que em razão de seu uso corrente, não perde a sua identidade física e tem durabilidade superior a 2 (dois) anos, como exemplo, destacamos a aquisição de mobiliários, equipamentos, máquinas, etc. A guarda e a conservação do material permanente são de inteira responsabilidade da escola beneficiada. Para incorporação dos bens ao patrimônio da escola, a Secretaria Municipal de Educação encaminha para SMA (Secretaria Municipal de Administração) os documentos (Termo de doação e cópia das Notas Fiscais) e a mesma efetua os tombamentos. Cabe, a cada UEx encaminhar à PMF/SME através da prestação de contas os referidos documentos.
Relação de materiais de CONSUMO E PERMANENTE, conforme Portaria Nº 448, de 13 de setembro de 2002 da SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL.


  1. DESPESA DE MANUTENÇÃO (Aquisição de Material de consumo e/ou Prestação de Serviços).

1.1 - MATERIAL DE CONSUMO




MATERIAL DE CONSUMO

MATERIAL EDUCATIVO E ESPORTIVO

apitos, bolas, bonés, brinquedos educativos, camisas de malha, cordas, esteiras, joelheiras, luvas, raquetes, redes para prática de esportes, tatame de EVA, tornozeleiras, quimonos e afins.


MATERIAL DE EXPEDIENTE

agenda, alfinete de aço, almofada para carimbos, apagador, apontador de lápis, arquivo para disquete, bandeja para papéis, bloco para rascunho bobina papel para calculadoras, borracha, caderno, caneta, capa e processo, carimbos em geral, cartolina, classificador, clipe cola, colchete, corretivo, envelope, espátula, estêncil, estilete, extrator de grampos, fita adesiva, fita para máquina de escrever e calcular, giz, goma elástica, grafite, grampeador, grampos, guia para arquivo, guia de endereçamento postal, impressos e formulário em geral, intercalador para fichário, lacre, lápis, lapiseira, limpa tipos, livros de ata, de ponto e de protocolo, papéis, pastas em geral, percevejo, perfurador, pinça, placas de acrílico, plásticos, porta-lápis, registrador, régua, selos para correspondência, tesoura, tintas, toner, transparências e afins.


MATERIAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS

cartuchos de tinta, capas plásticas protetoras para micros e impressoras, CD-ROM virgem, disquetes, mouse PAD peças e acessórios para computadores e periféricos (mouse, pen drive), recarga de cartuchos de tinta, toner para impressora lazer, cartões magnéticos e afins.


MATERIAL DE ACONDICIONAMENTO E EMBALAGEM

arame, barbante, caixas plásticas, de madeira, papelão, cordas, engradados, fitas de aço ou metálicas, fitas gomadoras, garrafas e potes, linha, papel de embrulho, papelão, sacolas, sacos e afins.


MATERIAL DE CAMA, MESA E BANHO

cobertores, colchas, colchonetes, fronhas, lençóis, toalhas, travesseiros, almofadas e afins.


MATERIAL DE COPA E COZINHA

abridor de garrafa, açucareiros, artigos de vidro e plástico, bandejas, coadores, colheres, copos, copo de liquidifcador, facas, farinheiras frigideiras, garfos, garrafas térmicas, paliteiros, panelas, panela de pressão não industrial, panos de cozinha, papel alumínio, pratos, recipientes para água, suportes de copos para cafezinho, tigelas, xícaras, bandejas e travessas e inox, e afins.


MATERIAL DE LIMPEZA E PRODUÇÃO DE HIGIENIZAÇÃO

babeiros, capacho, cesto para lixo, creme dental, desinfetante, escova de dente, mangueira, papel higiênico, sabonete, álcool gel 70%, repelente , protetor solar, balde plástico, toucas, luvas, algodão, e afins.


MATERIAL PARA MANUTENÇÃO DE BENS IMÓVEIS

amianto, aparelhos sanitários, arames liso e farpado, areia, basculante, boca de lobo, bóia, brita, brocha, cabo metálico, cal, cano, cerâmica, cimento, cola, condutores de fios, conexões, curvas, esquadrias, fechaduras, ferro, gaxetas, grades, impermeabilizantes, isolantes acústicos e térmicos,janelas, joelhos, ladrilhos, lavatórios, lixas, madeira, marcos de concreto, massa corrida, niple, papel de parede, parafusos, pias, pigmentos, portas e portais, pregos, rolos solventes, sifão, tacos, tampa para vaso, tampão de ferro, tanque, tela de estuque, telha, tijolo, tinta, torneira, trincha, tubo de concreto, válvulas, verniz, vidro, varão para cortinas e afins.


MATERIAL PARA MANUTENÇÃO DE BENS MÓVEIS

cabos, chaves, cilindros para máquinas copiadoras, compressor para ar condicionado, mangueira para fogão margaridas, peças de reposição de aparelhos e máquinas em geral, materiais de reposição para instrumentos musicais e afins.


MATERIAL ELÉTRICO E ELETRÔNICO

benjamins, bocais, calhas, capacitores e resistores, chaves de ligação, circuitos eletrônicos, condutores, componentes de aparelho eletrônico, diodos, disjuntores, eletrodos, eliminador de pilhas, espelhos para interruptores, fios e cabos, fita isolante, fusíveis, interruptores, lâmpadas e luminárias, pilhas e baterias, pinos e plugs, placas de baquelite, reatores, receptáculos, resistências, starts, suportes, tomada de corrente, controle p/portão eletrônico. Controle p/ TV e DVD, e afins.


MATERIAL DE PROTEÇÃO E SEGURANÇA

cadeados, capacetes, chaves, cintos, coletes, dedais, guarda-chuvas, lona, luvas, mangueira de lona, máscaras, recargas de extintores e afins.



MATERIAL DE SINALIZAÇÃO

placas indicativas para setores e seções, crachás, cones e afins.


MATERIAL PARA ÁUDIO, VÍDEO E FOTO

álbuns para retratos, alto-falantes, antenas internas, cartão de memória para câmera fotográfica, filmes virgens, fitas virgens de áudio e vídeo, lâmpadas especiais, molduras, pen drive e afins.


MATERIAL BIBLIOGRÁFICO NÃO IMOBILIZÁVEL

jornais, revistas, periódicos em geral (podendo estar na forma de CD-ROM) e afins.


SEMENTES, MUDAS DE PLANTAS E INSUMOS

adubos, argila, plantas ornamentais, bulbos, enxertos, fertilizantes, mudas envasadas ou com raízes nuas, sementes, terra, tubérculos e afins.


MATERIAL LABORATORIAL

bastões, bico de gás, cálices, corantes, filtros de papel, fixadoras, frascos, funis, garra metálica, lâminas de vidro para microscópio, lâmpadas especiais, luvas de borracha, pinças, rolhas, vidraria,tais como: balão volumétrico, Becker, conta-gotas, Erlemeyer, pipeta, proveta, termômetro, tubo de ensaio e afins.


FERRAMENTAS

alicate, broca, caixa para ferramentas, chaves em geral, enxada, espátulas, martelo, pá, picareta, serrote, tesoura de podar, regador, trena e afins.


SERVIÇO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS

Serviços de reparos e consertos em máquinas e equipamentos de processamento de dados e periféricos, em máquinas e equipamentos gráficos, em aparelhos de fax, em calculadoras, em eletrodomésticos, em máquinas de escrever e afins.


SERVIÇO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE BENS IMÓVEIS

pedreiro, carpinteiro e serralheiro, pintura, reparos em instalações elétricas e hidráulicas, reparos, recuperações e adaptações de biombos, carpetes, divisórias e lambris e afins.


SERVIÇO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

aparelhos de fax e telex, calculadoras, eletrodomésticos, equipamentos de proteção e segurança, equipamentos gráficos, máquinas de escrever, turbinas e afins.


SERVIÇOS DE ÁUDIO, VÍDEO E FOTO

confecção de álbuns, emolduramento de fotografias, revelação de filmes e afins.



SERVIÇOS GRÁFICOS

confecção de impressos em geral, encadernação de livros jornais e revistas, impressão de jornais, boletins, encartes, folder e assemelhados e afins.


2 - MATERIAL PERMANENTE


APARELHOS E EQUIPAMENTOS DE COMUNICAÇÃO, ORIENTAÇÃO, MEDIÇÃO

antena parabólica, aparelho de telefonia, bloqueador telefônico, central telefônica, detector de chamadas telefônicas, fac-símile, interfone, PABX, rádio receptor, secretaria eletrônica, bússola, balanças em geral, e afins.


APARELHOS E UTENSÍLIOS DOMÉSTICOS

aparelhos de copa e cozinha, aspirador de pó, batedeira, botijão de gás, cafeteira elétrica, chuveiro ou ducha elétrica, circulador de ar, condicionador de ar (móvel), conjunto de chá/café/jantar, escada portátil, enceradeira, exaustor, faqueiro, filtro de água, fogão, forno de microondas, geladeira, grill, liquidificador, máquina de lavar louca, máquina de lavar roupa, máquina de moer café, máquina de secar pratos, secador de prato, tábua de passar roupas, torneira elétrica, torradeira elétrica, umidificador de ar, fechadura elétrica, panela de pressão grande, cuba inox, lixeira ecológica e afins.


COLEÇÕES E MATERIAIS BIBLIOGRÁFICOS

álbum de caráter educativo, coleções e materiais bibliográficos informatizados, dicionários, enciclopédia, ficha bibliográfica, jornal e revista (que constitua documentário), livro, mapa, material folclórico, partitura musical, publicações e documentos especializados destinados a bibliotecas, repertorio legislativo e afins.


DISCOTECAS E FILMOTECAS

disco educativo, fita de áudio e vídeo com aula de caráter educativo, microfilme e afins.


EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO, SEGURANÇA E SOCORRO

alarme, extintor de incêndio, pára-raio, sinalizador de garagem, porta giratória, circuito interno de televisão e afins.


INSTRUMENTOS MUSICAIS E ARTÍSTICOS

todos os instrumentos de cordas, sopro ou percussão, como também outros instrumentos utilizados pelos artistas em geral. clarinete, guitarra, pistão, saxofone, trombone, xilofone, flauta doce e afins.




MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS GRÁFICOS

aparelho para encadernação, copiadora, cortadeira elétrica, costuradora de papel, duplicadora, grampeadeira, gravadora de extenso, guilhotina e afins.


EQUIPAMENTOS PARA ÁUDIO, VÍDEO E FOTO

amplificador de som, caixa acústica, carregador de pilhas, data show, equalizador de som, filmadora, flash eletrônico, fone de ouvido, gravador de som, máquina fotográfica, microfilmadora, microfone, objetiva, projetor, rádio, rebobinadora, retro-projetor, sintonizador de som, tanques para revelação de filmes, tape-deck, televisor, tela para projeção, toca-discos, vídeo-cassete, cabeçote (tipo de caixa acústica), aparelho de DVD, suporte de teto para projetor, tela retrátil e afins.


MÁQUINAS, UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS DIVERSOS

aparador de grama, aparelho de ar condicionado, bebedouro – carrinho de feira, furadeira, ventilador, varal de alumínio, balanço e afins.


EQUIPAMENTOS DE PROCESSAMENTO DE DADOS

caneta óptica, computador, data show – fitas e discos magnéticos, impressora, kit multimídia, leitora, mesa digitalizadora, modem, monitor de vídeo, placas, processador, roteador wirelles, scanner, teclado para micro, HUB (distribuidor para internet), HD externo e afins.


MÁQUINAS, INSTALAÇÕES E UTENS. DE ESCRITÓRIO

apontador fixo (de mesa), caixa registradora, carimbo digitador de metal, desumidificador, globo terrestre, grampeador (exceto de mesa), máquina autenticadora, máquina de calcular, quebra-luz (luminária de mesa) e afins.


MOBILIÁRIO EM GERAL

armário, arquivo de aço ou madeira, balcão (tipo atendimento), banco, banqueta, base para mastro, cadeira, cama, carrinho fichário, carteira e banco escolar, cristaleira, escrivaninha, espelho moldurado, estante de madeira ou aço, estofado, guarda-louça, mapoteca, mesa, poltrona, porta-chapéus, prancheta para desenho, quadro de chaves, quadro imantado, quadro negro/verde, quadro para editais e avisos, relógio de mesa/parede/ponto, roupeiro, sofá, suporte para TV e vídeo, suporte para bandeira (mastro), vitrine, varal de alumínio, bibliocanto e afins.


PEÇAS NÃO INCORPORÁVEIS A IMÓVEIS

biombos, carpetes (primeira instalação), cortinas, divisórias removíveis, estrados, persianas, tapetes, grades, toldos, e afins.





  1. COMO MELHOR UTILIZAR OS RECURSOS RECEBIDOS.

1º passo:

  • Convocar assembleia com a comunidade escolar (pais/ professores) para definir os itens a serem adquiridos e suas finalidades, registrando em ata;

  • Afixar cópia da ata em local legível na sede escolar;

  • 2º passo

  • Realizar pesquisa de preços dos materiais de consumo/prestação de serviços e materiais permanentes, junto ao maior número possível de fornecedores, sendo obrigatória apresentação de, no mínimo, 03 orçamentos;

  • 3º passo:

  • Apresentar os orçamentos em formulário próprio, contendo os dados do fornecedor, como: CNPJ, endereço, telefone, validade da proposta (30 dias), forma de pagamento, condição de entrega ou prestação de serviços, além de especificar com clareza os itens;

  • Lavrar ata apresentando os 03 fornecedores escolhidos, observando o critério de menor preço, assinada pelos representantes da UEx e/ou comunidade escolar.

  • Será admitida aquisição de materiais de Consumo/prestação de serviços, materiais permanentes com base no menor preço global, se o valor da proposta for inferior ao menor preço por item;

  • Para cálculo final da proposta de orçamento deverá ser incluído os dispêndios com fretes, seguro (como despesa de consumo), se não forem prestados gratuitamente pelo fornecedor;

  • As aquisições de materiais e bens e/ou contratação de serviços em empresas de comércio eletrônico pela internet deverão observar as disposições do Código de Defesa do Consumidor, de que trata a Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, as diretrizes gerais estabelecidas na Oficina “Desafios da Sociedade de Informação: comércio eletrônico e proteção de dados pessoais”, de 30 de junho e 1º de julho de 2010, da Escola Nacional de Defesa do Consumidor (ENDC), disponível no endereço eletrônico portal.mj.gov.br, bem como instruções e normas similares emanadas de organismos competentes para legislarem sobre a matéria.

  • As pesquisas de preços que não forem realizadas com no mínimo 03 fornecedores só serão aceitas se precedidas de justificativa comprovando a inviabilidade dessa exigência (declaração de exclusividade);

  • Evitar pesquisa de preços nos mesmos fornecedores;

  • No caso de empate entre duas ou mais propostas de orçamentos realizar sorteio público (contendo 03 representantes da APP, e se possível responsável pela proposta) e registrar em Ata assinada pelos representantes da UEX e ou comunidade escolar;

  • Na aquisição de Materiais de Consumo, Prestação de Serviços e Permanentes deverá ser atendido o princípio de padronização, que impõe compatibilidade de especificações técnicas e de desempenhos dos produtos adquiridos;

Ex: 01 caderno brochura 60 fls (não colocar marca, nem detalhar muito)

  • É proibido pagamento antes da entrega do produto ou prestação do serviço. O cheque deve apresentar a mesma data da nota fiscal.


E) FINALIDADE DOS RECURSOS:
1 - Os recursos podem ser utilizados nas seguintes finalidades:
Recursos de capital poderão ser empregados em:

  • Aquisição de material permanente;


Recursos de custeio poderão ser empregados em:

  • Manutenção, conservação e pequenos reparos da unidade escolar;

  • Aquisição de material de consumo necessário ao funcionamento da escola/creche/NEI/EJA e polo UAB.

  • Implementação de projetos pedagógicos e desenvolvimento de atividades educacionais.


- Os recursos NÃO podem ser utilizados:


  1. Na compra de:

  • Bens e na contratação de serviços que concorram com o objeto de programas instituídos (como o da alimentação escolar e o do livro didático), financiados pelo FNDE;


b) No pagamento de:

  • A qualquer título, a servidores da administração pública federal, estadual, do Distrito Federal ou municipal;

  • De pessoal e encargos sociais;

  • De gêneros alimentícios (PNAE);

  • De festividades e comemorações (coquetéis, recepções, etc.);

  • De água, luz, telefone, aluguel e taxas de qualquer natureza;

  • Combustível, material para manutenção de veículos, transporte para desenvolver ações administrativas;

  • Talonário de Cheques, tarifas bancárias e encargos por devolução de cheques, além de outros.


F) PRESTAÇÃO DE CONTAS
Sendo a APP uma entidade que administra dinheiro público, deve prestar contas dos recursos financeiros transferidos pelo FNDE. Portanto, para que não haja impropriedade ou irregularidade na Prestação de Contas, é importante que sejam respeitadas determinações legais que disciplinam o gerenciamento, utilização, guarda e prestação de contas de recursos públicos, observando os “LEMBRETES IMPORTANTES” a seguir relacionados e listagem dos documentos que constituem a Prestação de Contas.
A SME se responsabiliza em encaminhar a unidade educativa cópia da prestação de contas com carimbo de confere com a original, no ano subsequente ao de sua efetuação.
1 – A Prestação de Contas deverá ser elaborada e apresentada nos seguintes formulários:
A – Ofício de encaminhamento e parecer do Conselho Fiscal da APP, assinados pelos seus representantes;
B - Demonstrativo da Execução da Receita e da Despesa e de Pagamentos Efetuados (vide modelo em anexo);


    • Neste formulário deverão ser prestadas as informações referentes aos pagamentos efetuados – despesas de custeio e/ou de capital – indicando os favorecidos e especificando, com detalhes, os bens adquiridos ou os serviços contratados à conta dos recursos do PDDE, de modo que se tenha noção precisa do que exatamente foi adquirido e contratado e quando, como e quanto foi pago.


C - Relação de Bens Adquiridos ou Produzidos (vide modelo em anexo);

    • Neste formulário deverão ser relacionados os bens patrimoniais (equipamentos, materiais permanentes, etc.), adquiridos com recursos do PDDE.


D - Termo de Doação - dos Bens Adquiridos ou Produzidos (vide modelo em anexo);

E - Consolidação da Pesquisa de Preços



    • Neste formulário deverão ser relacionados os dados dos 03 orçamentos obtidos (vide modelo em anexo)

F - Cópias das atas



  • Ata de definição da compra dos itens e suas finalidades,

  • Ata de registro de escolha do menor orçamento obtido;

  • Ata de desempate por sorteio, em caso de empate de proposta orçamentária;

G - Notas fiscais originais



  • Deverão ser emitidas em nome da APP;

  • Conter as siglas FNDE e da destinação do repasse do PDDE a serem indicadas pela UEx, conforme exemplificado a seguir: FNDE/PDDE, ou FNDE/PDDE/PDE Escola, ou FNDE/PDDE/Educação Integral, etc.;




  • Conter o atesto do recebimento do bem ou material fornecido e/ou do serviço prestado à escola, com a data, a identificação e a assinatura do membro da UEx que firmou o atesto;



NOTAS FISCAIS – 1ª VIA ( ORIGINAIS )

Em cada nota fiscal, o(a) Membro(a) da UEx (APP) deverá certificar/assinar que o material/serviço foi entregue/prestado na Unidade Educativa.

Modelo de carimbo:


Certifico que o

Material foi Entregue

Serviço Prestado
Data : ____/____/____
__________________

Membro da UEx (APP)

Matrícula



Apresentação da Nota Fiscal

Apresentação de Notas Fiscais:



  • Conter o registro de quitação da despesa efetivada, com a data, a identificação e

assinatura do representante legal do fornecedor do bem ou material ou do prestador do

serviço. (Carimbo de PAGO fornecido pela loja)


H - Justificativa, se necessária.

I - Cópia dos comprovantes dos pagamentos efetuados: cheques nominais, transferências eletrônicas de disponibilidade, comprovante de débito (cartão PDDE) etc.
l - Conciliação Bancária, se necessária.
2 – PRAZO FINAL:

> Para realização de Despesa: até 03 de outubro de 2014.

> Para PRESTAÇÃO DE CONTAS: até 13 de outubro de 2014

> Local para entrega da Prestação de contas:



Edifício da Prefeitura – 5º andar – sala 503 – SME/Departamento de Convênios e Projetos Especiais – fone: 3251-6138 (Cristiane ou Simone)
G - ATRIBUIÇÕES DAS APP’s PREVISTAS NA RESOLUÇÃO/ FNDE/CD Nº 10 DE 18 DE ABRIL DE 2013.

As APPs têm obrigações legais, dentre outras:


  1. manter seus dados cadastrais atualizados no sistema PDDEWEb e na agência depositária dos recursos do programa;




  1. manter o acompanhamento das transferências do PDDE, de forma a permitir a disponibilização de informações sobre os valores devidos às escolas ou aos polos que representam, cientificando-as dos créditos correspondentes;




  1. exercer plenamente autonomia de gestão do PDDE, assegurando à comunidade escolar participação sistemática e efetiva nas decisões colegiadas, desde a seleção das necessidades educacionais prioritárias a serem satisfeitas até o acompanhamento do resultado do emprego dos recursos do programa;




  1. empregar os recursos em favor das escolas ou dos polos que representam, em conformidade com o disposto na alínea anterior e com as normas e os critérios estabelecidos para a execução do PDDE;



  1. adotar os procedimentos estabelecidos pela Resolução nº 9, de 2011, e comentados no “Guia de Orientações para Aquisição de Materiais e Bens e Contratação de Serviços com Recursos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), disponíveis no sítio www.fnde.gov.br, para as aquisições de bens permanentes e materiais de consumo e contratações de serviços em favor das escolas ou dos polos que representam, mantendo os comprovantes das referidas despesas em seus arquivos, à disposição do FNDE, dos órgãos de controle interno e externo e do Ministério Público, pelo prazo previsto no caput do art. 18;




  1. afixar, nas sedes das escolas ou dos polos que representam, em local de fácil acesso e visibilidade, a relação dos seus membros e demonstrativo sintético que evidencie os bens e materiais e os serviços que lhes foram fornecidos e prestados a expensas do programa, com a indicação dos valores correspondentes;




  1. prestar contas à EEx, à qual se vinculam as escolas e os polos que representam, da utilização dos recursos recebidos, nos termos do inciso I, do § 1º, do art. 19;




  1. disponibilizar, quando solicitada, às comunidades escolar e local toda e qualquer informação referente à aplicação dos recursos do programa;




  1. garantir livre acesso às suas dependências a representantes do FNDE, do Tribunal de Contas da União (TCU), do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal e do Ministério Público, prestando-lhes esclarecimentos e fornecendo-lhes documentos requeridos, quando em missão de acompanhamento, fiscalização e auditoria;




  1. proceder, quando da contratação de serviços de pessoas físicas para consecução das finalidades do programa sobre os quais incidirem imposto de renda, ao imediato recolhimento das parcelas correspondentes ao tributo e à apresentação da Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF) na forma e prazo estabelecidos pela Secretaria da Receita Federal do Brasil do Ministério da Fazenda;

  2. apresentar as Declarações de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ) e de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF), ainda que de isenção ou negativa, nas formas e prazos estabelecidos pela Secretaria da Receita Federal do Brasil do Ministério da Fazenda, disponíveis no sítio www.receita.fazenda.gov.br;




  1. apresentar a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), ainda que negativa, na forma e prazos estabelecidos pela Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério do Trabalho e Emprego; e

m. formular consultas prévias e regulares ao setor contábil ou financeiro da EEx à qual se vinculam e/ou ao órgão mais próximo da Fazenda Federal, Estadual, Distrital ou Municipal quanto a possível obrigatoriedade de retenção e recolhimento de valores a título de tributos incidentes sobre serviços contratados a expensas do programa, bem como para informar-se sobre outros encargos tributários, fiscais, previdenciários ou sociais a que porventura venham a estar sujeitas.


LEMBRETES IMPORTANTES – ANO 2014


  • Prazo para realização das despesas: 03 de outubro de 2014.

  • Os recursos são destinados a CUSTEIO E CAPITAL (consumo e permanente);

  • Os valores destinados para cada finalidade devem ser respeitados; Não pode usar valor de Manutenção em Equipamento e/ou vice-versa;

  • Verificar o saldo de recursos do FNDE do ano de 2013 reprogramado e prestar contas junto com o valor de 2014;

  • É obrigatório fazer pesquisa de preços/orçamentos de no mínimo 03 fornecedores e adquirir o de menor preço. Caso o produto seja fornecido por apenas um fornecedor, fazer uma justificativa indicando a inexistência de outras empresas e incluir na prestação de contas a declaração de exclusividade;

  • Lavrar ata incluindo os 03 fornecedores vitoriosos pelo critério de escolha, menor preço por item ou excepcionalmente, qualidade.

  • A nota fiscal/cupom fiscal deve ser em nome da APP;

  • Identificar cada Nota Fiscal/cupom fiscal com: FNDE/PDDE – 2014;

  • Só serão aceitas despesas efetuadas no período de execução do PDDE/2014;

  • Até o fornecimento do cartão/PDDE as despesas devem ser pagas com cheque nominal, transferência entre contas correntes no mesmo banco, transferência entre bancos distintos através de DOC e TED;

  • Incluir cópia de cheque na prestação de Contas;

  • Não pode haver rasuras nas notas e/ou cupons fiscais;

  • Movimentar os recursos do PDDE na conta específica;

  • Equipamento/ material permanente adquirido será patrimônio da escola. Cada equipamento/ material permanente receberá um número de registro (Tombamento);

  • Exigir do Banco e guardar todos os extratos bancários, mensalmente. Observar sempre se o extrato traz do primeiro ao último dia do mês, pois se faltar um dia será necessário tirar outro extrato e isso poderá acarretar em ônus se o mês referido for anterior ao corrente;

  • Todos os documentos que compõe a prestação de contas devem ser guardadas pela APP, por vinte anos; (Resolução 10 de 18 abril 2013).

  • Prestação de contas: Deverá ser elaborada, de acordo com as instruções em anexo e encaminhada à SME/Departamento de Convênios e Projetos Especiais (sala 503), impreterivelmente, até o dia 13/10/2014;

  • As EEx, UEx e EM serão isentas de pagamento de taxas e tarifas bancárias em conformidade com os termos do Acordo de Cooperação Mútua nº 41/2011, disponíveis no sítio www.fnde.gov.br, celebrados entre o FNDE e as instituições financeiras em cujas agências foram abertas as contas depositárias dos recursos do programa.


ATENÇÃO: As despesas a serem realizadas (compra de materiais e/ou serviços) deverão ser decididas em comum acordo APP e comunidade escolar (Diretor, professores, pais, etc.) e registrado em Ata, para posterior encaminhamento junto à prestação de contas.

SIGLAS UTILIZADAS



CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica
CPF - Cadastro de Pessoa Física
FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
PDDE – Programa Dinheiro Direto na Escola
UEx – Unidade Executora Própria
SME – Secretaria Municipal de Educação

DIAF – Diretoria Administrativa e Financeira
DIPJ – Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica
DCTF – Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais
RAIS – Relação Anual de Informações Sociais

REx – Relação Unidades Executoras Próprias



  • Qualquer dúvida dirigir-se à Secretaria Municipal de Educação/DIAF – Departamento de Convênios e Projetos Especiais – Telefone: 3251-6138.




  • Cristiane e Simone – diaf.pdde@gmail.com


ESTADO DE SANTA CATARINA


PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS
APP:_________________________________________________

MEC - FNDE

PDDE - 2014
PRESTAÇÃO DE CONTAS

VALOR: R$___________________________


MEC/FNDE - FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS/SC

ASSOCIAÇÃO DE PAIS E PROFESSORES - APP




  1   2


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal