Projeto Klauss Vianna, um resgate histórico



Baixar 219.8 Kb.
Página1/4
Encontro07.04.2018
Tamanho219.8 Kb.
  1   2   3   4

Projeto Klauss Vianna, um resgate histórico

Transcrição do diário de viagem escrito por Angel Vianna em junho de 1974 durante a viagem feita com Klauss Vianna e Maria Helena Martins (Nena) à França, Inglaterra e Estados Unidos.

Transcrito por Juliana Polo e revisado por Angel Vianna, mantidas as grafias originais do documento.
Viagem Prêmio Molière

1º dia, 6-6-74, quinta-feira. Paris.

- Viagem de avião (genial)

- O avião não parou nem um pouco e eu Klauss e Nena não cansamos.

- Passou um filme, mas nós dormimos!

- Thalia estava nos esperando no aeroporto e tomamos um ônibus até o centro.

- Depois fomos ao hotel que a agência reservou, mas não tinha lugar.

- Nena e Klauss esperaram na porta do hotel e eu e Thalia fomos procurar hotel.

- Achamos o grande Hotel Moderno, pois era amigo de Thalia o dono.

- Hotel muito simpático com banheiro junto. As paredes todas de papel vermelho com duas camas de casal.

- Viagem ótima (Air France).

- Thalia esperava ansiosa e feliz.

- Paris 6-6-74, chegada Orly.

- Grande Hotel Moderno. Rue des Ecoles, 33. Quartier Latin.

- Almoço com Klauss, Angel, Thalia. Restaurante Pizza il Pescatore na mesma rua do hotel.

- Jantar – Volcan na Place de la Contrescarpe


2º dia – 7-6-74, sexta-feira.

- Catedral de Notre-Dame

- Almoço Saint-Michel. 10 Boulevard Saint-Michel (restaurante popular)

- Arènes de Lutèce. Dos tempos dos Romanos da Fundação de Paris. Arena (luta dos Gladiadores).

- Jantar restaurante chinês Hong Kong. Rue Saint Jacques.

- Passeio de carro com Katia no Champs-Élysées.

- Arco do Triunfo. Place de la Concorde (centro do mundo). Louvre L'ópera de Paris. Avenida George Sand.
3º dia – 8-5-74.

- Mudamos para casa de Kátia (legal)

- Conheci Pirineu, isto é, Elizeu (simpático, bonito, brasileiro, mora em Lisboa). Me convidou... joga no Belenences.

- Torre Eiffel (genial, com fontes luminosas). Vista espetacular. Fui cantada e eu falei "merci".

- O carro de Kátia quebrou na mudança do hotel e fomos de taxi. (Kátia cozinhou macarrão, legal).

- Jantar Pizza Veguvia Saint Germain.


4º Dia – 9-6-74, domingo.

- Eu, Klauss, Nena e Tholia. Mercado da rua Mouffetard (legal). Nena dançou com um feirante.

- Almoço em casa de Kátia, comida comprada.

- Praça de Voges (com um jardim no centro e vários prédios em volta bastante antigos)

- Casa de Victor Hugo. Na mesma praça onde vimos um casamento de judeus gozadíssimo. A noiva era coisa mais incrível e os convidados idem.

- Vimos de fora a Igreja de Sacré-Coeur de Montmartre. A vista mais linda de Paris.

- Praça Tertre (onde fica enorme quantidade de pintores). Tomei o melhor sorvete de chocolate.

- Bar da mesma praça com as figuras mais estranhas. Um homem tocava piano (um tango). Parece bar de hippies.

- Demos uma volta grande de carro com Kátia. Na praça Pigalle, vimos o Moulin Rouge.
5º Dia 10-6-74, segunda-feira.

- Dormimos até as 11 horas.

- Almoço eu e Nena num restaurante perto de casa de Kátia.

- Tarde saímos com Kátia de carro: eu, Nena e Mariza (mexicana), fomos a embaixada do Brasil, conversamos com José Botafogo e depois com o adido cultural da Embaixada da França. Depois fomos Centre Français du Théâtre e Klauss conversou com uma senhora e conseguiu entradas de teatro.

- Noite recebemos Rafael Hime e depois eu, Nena e Klauss andamos à pé e jantamos perto do nosso antigo hotel – horrível o jantar.
6º Dia 11-06-74, terça-feira.

- Saímos com Rose (eu, Klauss, nena e Kátia) e fomos ver a aula de Jérôme e conhecemos Françoise (aluno) muito simpático. Jérôme deu uma aula de técnica bastante boa e depois aula de improvisação com panos também bastante boa (a aula durou três horas).

- Depois fomos a Place de la Contrescarpe, como Rose e marido, Françoise e Silvia. Gente simpaticíssima.

- Jantamos eu, Klauss e Nena perto da casa de Kátia e dormimos 9:30h.


7º Dia 12-06-74, quarta-feira.

- Fomos ver a aula de Solange de Máquina (legal). Almoçamos num restaurante chinês.

- Fomos assistir com Rose a aula de Roger (dentro do estilo da de Jérôme, mas não tão boa). Nena fez a aula.

- Rose nos deixou na Praça de la Concorde onde tomamos o metrô pela primeira vez. Klauss quase sentou sem cadeira e eu passei duas vezes com o mesmo bilhete e fiquei presa.

- Fomos no endereço de Ivete Chavaliet e batemos com o nariz na porta.

- Tomamos novamente o metrô e viemos para casa.

- A noite fomos com Rafael e Maria Lúcia ao teatro Gaîté Lyrique (Teatro que Ofenback apresentou suas operetas). Bastante antigo e bonito. Assistimos ao teatro japonês de marionetes Du Bunraka. Eles seguram os bonecos vestidos de preto e capuz (genial) e dois rapazes ficam do lado do palco: um lendo e o outro tocando.

- Assistimos duas peças: uma O Exilado e a outra Suicídio (esta última legal).

- Depois fomos para casa de Rafael e jantamos lá e em seguida viemos dormir.
8º Dia 13-6-74, quinta-feira.

- Fomos à aula de Maquina e fizemos, foi legal (30 francos cada).

- Klauss foi com Kátia ver Jacques Lecof (o papa da expressão corporal)

- Depois eu e Nena fomos de metrô procurar pero André Felipe. Ele apenas nos deu umas revistas.

- Depois fomos ao banco trocar dinheiro e passamos à pé pela Galeria Lafaiete.

- Depois tomamos o metrô e viemos para casa encontrar Klauss.

- Saímos novamente de metrô e paramos na Place Concorde e passeamos à pé pelo Jardim das Tulerias e vimos esculturas belíssimas.

- Viemos para Champs-Elysées e jantamos no restaurante Le Madrigal 32, av. des Champs-Elysées. (boa comida).

- Depois fomos ao Espaço Cardin assistir Peter Goss (dança moderna e jazz) não gostei do espetáculo.

- Depois viemos de metrô para casa.


9º Dia 14-6-74, sexta-feira.

- Eu e Klauss almoçamos na Rue St Jacques, restaurante Perraudin com Lia (a comida foi genial, tipicamente francesa) e depois fomos a Igreja Saint-Étienne-du-Mont, começada em 1521 e terminada em 1545 onde está o túmulo de Santa Genoveva a patrona de Paris estilo renascentista.

- Depois fomos ao Jardim de Luxemburgo onde sentamos e ficamos apreciando o palácio e as pontes que são belíssimas.

- Depois fomos à pé até Montparnasse, passamos pelo café onde Hemingway costuma escrever seus contos.

- Procuramos pela Air France até encontrar, mas não conseguimos falar com o S. Gilles.

- Voltamos em casa para descansar e saímos com Kátia de carro à noite (eu, Klauss, Nena, Mariza e Patrícia).

- Fomos primeiro ao drugstore e depois fomos ao Hotel des Invalides ver “Som e Lumière” (sobre a vida de Napoleão). Foi lindíssimo, dava impressão de viver naquele tempo. O som vinha de trás, do lado, de frente com iluminação no pátio. Depois fomos jantar num restaurante grego legal no Saint Severin.
10º Dia 15-6-74, sábado.

- De manhã eu e Nena fizemos aula com Solange.

- Depois almoçamos no restaurante chinês lá perto.

- Museu de Cluny na Place Paul Painleve em Saint German de Pres.

- Museu do ano 1330 com as tapeçarias mais lindas que já vi. Há também esculturas as Thermas em Ruínas (onde fazem concertos) Maravilhoso o prédio e objetos. Tem objetos de 600.

- Depois fomos à casa de Rose e depois saímos e fomos ao espetáculo de dança de Jérôme, sua mulher e irmã numa casa antiga onde eles fizeram um teatrinho. Legal (no bairro Belleville), um bairro onde Edith Piaf freqüentava.

- O espetáculo foi de pesquisa de som e corpo (idéia é boa, mas não foi bem realizado).

- Depois fomos passear de carro e visitamos o Palais Royal e a Comedie Française e passeamos pelo jardim (algo maravilhoso).

- Jantamos no restaurante La Coupole. Bairro de Montparnasse. Restaurante badalado cheio de pessoas de todo tipo (mas bastante caro, 160 francos).

- Depois fomos dormir.


11º Dia 16-6-74, domingo.

- Acordamos tarde.

- À tarde fomos ver o museu de Rodin (além das peças dele serem maravilhosas tem um jardim belíssimo também com esculturas dele e muitas flores.

- Depois andamos atrás de algum café aberto, pois já eram 6h e não tínhamos ainda almoçado.

- Entramos num café e comemos sanduíche e nos divertimos com uma mesa de três senhoras (velhas) todas de chapéu tomando vinho.

- Na outra mesa um velho só, que batia o maior papo como se conversasse com alguém (engraçado e triste ao mesmo tempo).

- Depois viemos à pé pelo Sena, passamos pela ponte Alexandre III (belíssima) cheia de monumentos. Depois sentamos num banco nas margens do Sena apreciando a paisagem. Passamos por diversas pontes até a Pont Neuf onde tomamos o metrô e viemos para Rua Moufftard onde jantamos num restaurante grego, muito legal. O dono é gozadíssimo, me beijou na boca e depois a Nena (um daqueles beijos).

- Dormi.
12º Dia 17-6-74, segunda-feira. Aniversário da Angel.

- Saímos com Lili e fomos assistir uma aula da prof. Lílian Arlen. Ela baseia na hata yoga e fez exercício de abertura (eu fiz a aula, mas condicionamento corpo na sala Pleyel onde entreguei a carta)

- Almoço (galeria Les Champs) com Lili (legal) com torta de cebola e salada miçoise (ótima)

- Depois fomos à casa de Solange e entregamos a carta, mas ela não estava.

- Depois fomos com Lili à uma confeitaria La Boulangerie Saint Philippe 73 av. Franklin – Roosevelt. Paris 8º (tinha tortas geniais).

- Depois fomos para casa descansar.

- Depois fomos eu, Glória, Nena, Klauss, Rose, Carlos Henrique e Kátia ao teatro Gaité Champs assistir a peça Loreta Strong (Klauss gostou, o resto detestou, eu em parte – ele ficava nu pegando no pinto murcho e bunda murcha).

- Depois fomos jantar num restaurante francês no Saint German (genial) Comemorei meu aniversário.

- Depois fomos dormir.


13º Dia 18-6-74, terça-feira.

- Pela manhã eu e Nena fizemos máquina e Klauss ficou em casa.

- Depois fomos com Rose à aula de Jerome.

- Depois fomos tomar chá na casa de Renné, mãe de Fernanda (genial) os bolos que ela faz e o apartamento.

- Depois fomos pegar Klauss e Rose nos levou até o metrô Port Royal para irmos à casa de Lili jantar.
- Adoramos o passeio de trem, os subúrbios são geniais.

- Custamos a achar a casa da Lili, mas respiramos um ar puríssimo.

- O edifício de Lili é todo cercado de um belíssimo jardim. O jantar foi maravilhoso, com purê de castanha.

- Adoramos ver as crianças e Júlio.

- Retornamos de trem e fomos dormir.
14º Dia 19-6-74, quarta-feira.

- Eu e Klauss fomos pela manhã assistir a aula de Francheti onde estava fazendo aula Nureyev (imagina!).

- Depois fomos tomar café com sanduíche na mesma Place Blanche.

- Depois fomos à embaixada americana resolver sobre a ida de Klauss aos States, mas ficou para ser resolvido em Londres.

- Depois fomos encontrar com Nena que fez aula com Roger na Quai D’orsey e fomos à livraria La Donne e compramos um livro e Nena três e discos.

- Depois fomos para casa de metrô onde encontramos Tholia que havia retornado de Londres.

- Nena foi à exposição de pintores a convite de Nemer que mora em cima do hotel.

- Depois fomos juntos, com Tholia, Nena, Klauss, eu, Kátia e amigas de Nemer e o mesmo com Ângelo e um francês (Pierre, que faz mímica). O jantar foi na Place Moufftard.

- Depois fomos dormir.
15º Dia 20-6-74, quinta-feira.

- Acordamos cedo e começamos a arrumar as malas. Depois tiramos as roupas sujas e fomos à lavanderia pública.

- Eu e Nena não entendíamos como fazer com as máquinas e pedimos uma moça que por sinal era surda, mas nos ensinou tudo (rimos muito, pois parecíamos, eu, Nena e a surda personagem de Fellini).

- A surda contou a vida dela toda por mímica (foi tudo muito engraçado)

- Depois fomos comprar comida enquanto a roupa secava, voltamos à lavanderia e nos divertimos dobrando as roupas.

- Almoçamos em casa com Kátia, Glória e depois fomos arrumar as malas.

- Kátia e Glória foram nos levar ao aeroporto. Tive de comprar passagens para Klauss, pois meu crédito não servia para ele.

- A passagem foi complicada pois tive que trocar dinheiro no andar superior do aeroporto.

- A viagem foi ótima (mas a Air France só serviu laranjada).

- A chegada foi engraçada, pois o chofer estava nos esperando, mas não sabíamos como encontrá-lo. Procuramos e deixamos Nena com a bagagem num carrinho. Sem mais nem menos veio a ela uniformizado e perguntou: Are you miss Vianna? E Nena respondeu: No. E apontou para Klauss e eu que estávamos mais na frente tentando encontrar o chofer. Nena deixou-o com a bagagem e foi atrás de nós. O chofer todo uniformizado parecia um lord. Quando chegamos no carro quase caímos para trás. O carro era daqueles pretos de cinema. Quando chegamos ao hotel quase caímos duros. Maravilhoso. Depois eu e Nena saímos para procurar hotel para ela.


16º dia 21-7-74. Londres.

-Pela manhã fomos ao escritório do Edson, fomos buscar Nena e fomos para a casa de Raimundo Veloso.

- Passeamos pela cidade pelos Hyde Park, e vimos por fora São Paulo Church, Buckinghan, Big Bem, Parliament House e rodamos quase um bom pedaço da cidade.

- Depois almoçamos no Pub.

- The Anchor Pub London (Southbank)

- O sinal do Pub é um galo de outro na porta (legal o lugar perto de um mercado antigo)

- O sr. Charles pediu nossos pratos e depois sentamos dentro do restaurante, lugar aconchegante

- O restaurante é tipo popular todo de tijolos escuros e dentro é todo de detalhes bem europeu com frutas penduradas.

- O pessoal pega o prato e sua bebida e sai para sentar fora parecendo um terraço que dá para o Thames.

- Depois fomos ao Museu London Tower (castelo)

- O castelo é belíssimo construído em 1229 mais ou menos.

- Depois entramos para ver as jóias da rainha (belíssimas)

- Depois entramos na parte de armaduras, espingardas, capacetes.

- Depois andamos todo o parque do Jardim das mil e uma noites e subi na torre e dei ordens ao Klauss como uma prisioneira.

- Passamos pela ponte que dobra no meio London Tower Bridge.

- Depois fomos ao Market comprar camisa e gravata de Klauss (no mesmo lugar que o chofer compra suas roupas).

- Depois fomos à rua King’s Royal e vimos os mercados de roupas.

- Depois viemos ao hotel, descansamos, mudamos de roupa e fomos à casa de Edison tomar drink (o qual veio nos buscar com Patrícia. A família toda de Édson são uns amores. Depois fomos jantar num restaurante tipicamente inglês perto da casa dele (comi truta com amêndoas)

- Foi tudo genial. Voltamos à casa dele e depois ao hotel para descansarmos.
17o. dia, 22-6-74, sábado.

- Saímos às 10 e meia do hotel com o chofer (aponte para o detalhe) e fomos buscar Nena e fomos ver a Portobello a feira com lojas mais incríveis que jamais vi.

- Muitos antiquários com peças belíssimas, estampas antigas e cartões postais antigos e escritos. Bonecas antiqüíssimas e belíssimas.

- Há muitos músicos tocando violão aqui fora.

- Um velho vestido de casaca com um realejo e uma arara.

- A feira é enorme e não conseguimos vê-la inteira. Há também roupas e bermudas.

- Almoçamos no restaurante. The Ranelagh – 39 Ranelagh Grove S.W. 1 tel – 01.730 2572, muito simpático com uma mesa giratória onde a gente escolhe a comida (legal). Perto tem uma igreja de 1847 toda de pedra e a área toda é lindíssima.

- Passamos por bairros lindíssimos para irmos a “Windsor Casttle” até chegarmos ao castelo a visão foi belíssima.

- Chegamos a cidade Dachet e visitamos a capela fundada em 1506. O teto todo em alto relevo com brasões como uns medalhões, com um monumento dedicado à filha de Jorge IV, filha Carlota morta (belíssimo) como carpideiras, cobertas com lençóis de mármore cobrindo-as (parecia pano).

- O túmulo (monumento) do Rei George V e Queen Mary (1867 – 1953).

- O túmulo de Henrique VIII – Túmulo do Rei Edward VI (1841-1910) e Queen Alexandra (1844-1925).

Túmulo de Edward Fiennes de Clinton e sua terceira mulher Lady Elizabeth FitzGerald.

- Depois andamos pelo jardim algo de mil e uma noites.

- Entramos na parte da casa de bonecas da Rainha Mary’s e parecia conto de fadas.

- Foi construída como um castelo a casinha de bonecas com o quarto da Rainha e do Rei com o quart, sala de jantar, sala de visita, hall com tapetes, quadros e tudo de um palácio (em miniatura).

- A parte de residência da Rainha, casa preferida delam, só vimos das grades.

- Depois demos uma volta pela cidade e atravessamos o Rio Thomas. Antes tomamos café num barzinho antes da ponte (daqueles bem europeus).

- Depois fomos a pé até o College Eton (colégio dos filhos dos associados, todos vestidos de casaca.

- A cidade toda parecia um presépio, outro conto de fadas.

- Depois fomos até Widsor Safari, mas já tinha fechado. Seguimos de volta por cima estrada belíssima com árvores lindas e belíssimas casas.

- Passamos pelo Great Arch of Widsor onde o pessoal faz piquenique e é o parque do palácio tendo uma estrada no meio enorme para passear de cavalo.

- Passamos pelos subúrbios de Londres os quais são lindéssimos com casinhas de bonecas cheia de flores.

- Passamos pelo Hampton Court Palace onde morava Henrique VIII onde tem as roupas de Maria Stuart.

- Entramos de carro para passear pelo parque Richmond, um dos maiores parques que tem nos corredores de Londres. Cheio de veadinhos.

- Passamos pelo campo de tênis Wimbledon onde uma brasileira ganhou o campeonato.

- Passamos por uma ponte muito antiga “Hammersmith”.

- Depois levamos Nena ao hotel e viemos para o hotel.

- Jantamos no quarto. Sopa de cebola.

- Depois assistimos televisão um show sobre a ida da Rainha Vitória à Escócia. (Legal a televisão como Regina falou e foi muito chá). Dois Maria Trapo e José Mulambo assistindo televisão. Só mesmo Regina poderia pensar nos mínimos detalhes.
18o dia, 23-6-74, domingo.

- Tomamos um café fortíssimo com peixe defumado, ovo em omelete, ovo mexido com salsicha defumada, pois Klauss não sabendo de que tratava foi pedindo mais no cardápio.

- Depois sr. Charles nos pegou, pegamos Nena e fomos a Oxford.

- A estrada para Oxford é belíssima, passamos por diversas fazendas, campos belíssimos com flores (tudo muito bem cuidado).

- Passamos pela cidade de Oxford, cidade pequena, mas uma graça com telhados parecendo sapé daquelas que eu só vi em cinema (parece que estou sonhando).

- Depois passamos por Village (uma vila) que mais parece um dos bairros chique aqui do Brasil.

- Passamos por um Castelo que o chofer disse “Este é pequeno, sem importância”.

- Depois passamos por outra cidade legal com a outra Bicerter (Farmácia Bister).

- Passamos por outra Vila chiquérrima, as casas todas de pedra daquelas que eu mais gosto.

- Não entendo como essas vilas que não são tão grandes e que são afastadas da cidade são tão bem habitadas.

- Passamos em outra vila.

- Passamos agora por uma cidade com um monumento do centro da Praça Bambury. O monumento bastante antigo. Descemos e tomamos café. Vimos a Igreja mais antiga desta área.

- Seguimos viagem e novas paisagens com o campo todo florido e nuances de verde, carneirinhos e gados em penca.

- Passamos por outra Vila belíssima Adithon maravilhosa.

- Outra vila com um lago onde os meninos pescam.

- Passamos pela fábrica do “Chrysler” de carro.

- Passamos pela cidade Coventry, uma graça. Maior que as outras. Cidade industrial (carros) passamos pela Rolls Royce (fábrica). Passamos por uma torre de igreja antiga belíssima de tijolos vermelhos. Passamos pelo Teatro Covent Garden que passava um festival de dança London Ballet.

- Entramos na Coventry Cathedral Igreja de São Michel. Construída em 1500 e destruída em 194 pela guerra. O interessante é que fizeram uma nova catedral junto das ruínas, mas a nova é bastante bonita com vitrais e tendo sido construída com pedras rasas similares a antiga. Bem a cidade industrial é bem maior do que eu pensava com enormes parques belíssimos (é outra maravilha que Regina nos fez ver, obrigada!!!).

- Cidade Kenworsth também belíssima com casas em estilos um pouco diferente.

- Outra cidade Warwick também muito bonita, sempre bem cuidadas com casas belíssimas praças. Passamos pelo Warwick Casttle belíssima mesmo. Rua bela com casinhas brancas. Menos estreita e no final da rua a visão daquele castelo maravilhoso. Warwick tem as casinhas mais lindas ainda.

- Entramos agora na cidade Stratford-opon-Avon onde Shakespeare nasceu (1554/1616) é belíssima. Conhecemos a casa onde ele nasceu e viveu com um belíssimo jardim. É medieval o que eu vi. Parece uma casinha de brinquedo.

- Almoçamos num hotel perto da casa de Shakespeare chamado The White Swan Hotel. Comemos uma comida bem inglesa: roast ribs of beef with yorkshire pudding and hover-fish sauce e o da Nena grilled fillet of cool é um peixe genial.

- Passamos depois do almoço para um salão lindo para tomarmos café e nos aconteceu outra coisa engraçada. Um fotógrafo da Air Lines nos pediu se podia bater fotos e tirou quatro fotografias e nos filmou. Assinamos uma autorização para ser publicada.

- Depois fomos visitar a casa onde viveu a mulher de Shakespeare Anne (1551/1625). Belíssima com telhado todo de sapé e um jardim maravilhoso com flores de toda espécie e cores variadas. Depois fomos a Holy Trinity Church, igreja onde Shakespeare foi batizado e está enterrado.

- Passamos pelo teatro feito em homenagem a Shakespeare e é feito na beira do Rio Arton onde o pessoal faz piquenique e andam de barco.

- Passamos por outra vila linda cheia de casas de sapé.

- Passamos agora pela Village Chipping é maior e as casas são quase todas de pedra (não tem palavra no vocabulário português para descrevê-las. Há uma igreja St. Catherine toda de pedra, mas toda vila bem diferente das outras.

- Passamos agora por Chipping Norton outra belíssima cidade enorme sem comentários de tão linda.

- Agora acabamos de entrar em Cleveleys (não sei se é o nome)

- Passamos agora e acabamos de entrar em Woodstock (sacanagem de Klauss) vila belíssima onde teve o festival de canção popular.

- Visitamos o “Blenheim Palace” onde nasceu Churchill e foi fundado de 1705 a 1722 por John Duke Cara do 11º Duque de Marlborough (a primeira mulher de Oriasis foi casada com um dos Duque de Marlborough)

- Castelo é todo cercado de um belíssimo parque com um lago artificial cheio de patinhos brancos.

- Depois chegamos em Oxford. Enorme e belíssima sendo as casas com tijolos e algumas de pedras. As árvores são cor de vinho. A universidade de Oxford, isto é, os colégios são belíssimos com construção bem antigas.

- Passamos pelo colégio onde estudou o Duque de Widsor é belíssimo.

- Oxford tem o melhor hospital de coração e tem o Christ Church College, o único que tem uma catedral dentro. Os colégios parecem palácios.

- Depois passamos por Marlow com um hotel na beira do Rio Thomas, belíssimo, com casinhas de telhados de sapé.

- Depois subimos uma pequena floresta, isto é, a primeira montanha e chegamos a Vila de Cookham.

- Depois passamos por Maidenhead outra vila linda onde tinha uma porção de iates parados bem juntos, conforme a maré subia para eles passarem a ponte.

- Depois paramos na vila Bray onde paramos num Pub para tomarmos um lanche.

- Depois fomos para o hotel e jantamos no quarto vendo televisão.


19o dia, 24-6-74, segunda-feira.

- Passamos a manhã toda no quarto do hotel, mas houve confusão com o café (não trouxeram).



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal