Projeto pedagógico do curso de licenciatura em matemática – 2018 santo andré Julho de 2017



Baixar 1.06 Mb.
Página9/13
Encontro11.07.2018
Tamanho1.06 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   13

13.1 BIBLIOTECA

As Bibliotecas21 da UFABC têm por objetivo o apoio às atividades de ensino, pesquisa e extensão da Universidade. Tratam-se de uma biblioteca central em Santo André e uma biblioteca setorial em São Bernardo do Campo, abertas também à comunidade externa. Ambas as bibliotecas prestam atendimento aos usuários de segunda à sexta feira, das 08h às 22h e aos sábados, das 08h às 13h30.



Acervo

O acervo da Biblioteca atende aos discentes, docentes, pesquisadores e demais pessoas vinculadas à Universidade, para consulta local e empréstimos conforme Sistema de acesso22, e quando possível aos usuários de outras Instituições e Ensino e Pesquisa, através do Empréstimo Entre Bibliotecas – EEB, e ainda atenderá a comunidade externa somente para consultas locais.


A UFABC participa, na qualidade de universidade pública, do Portal de Periódicos da CAPES, que oferece acesso a textos selecionados e publicações periódicas internacionais e nacionais, além das mais renomadas publicações de resumos, abrangendo todas as áreas do conhecimento. O Portal inclui também uma seleção de importantes fontes de informação científica e tecnológica, de acesso gratuito na Web. A Biblioteca conta com pessoal qualificado para auxiliar a comunidade acadêmica no uso dessas ferramentas.

Projetos desenvolvidos pela da Biblioteca:



Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFABC

A Biblioteca possui, desde agosto de 2009, o sistema online TEDE (desenvolvido pelo IBICT / MC&T) para disponibilização de Teses e Dissertações defendidas nos programas de pós-graduação da instituição;




Repositório Digital da UFABC - Memória Acadêmica

Encontra-se, em fase de implantação, o sistema para gerenciamento do Repositório Digital da UFABC. O recurso oferece um espaço onde o professor pode fornecer uma cópia de cada um de seus trabalhos à universidade, de modo a compor a memória unificada da produção científica da instituição;



Ações Culturais

Com o objetivo de promover a reflexão, a crítica e a ação nos espaços universitários, e buscando interagir com seus diferentes usuários, a Biblioteca da UFABC desenvolve o projeto cultural intitulado “Biblioteca Viva”.



Convênios

A Biblioteca desenvolve atividades em cooperação com outras instituições, externas à UFABC, em forma de parcerias, compartilhamentos e cooperação técnica:


IBGE: Com o objetivo de ampliar, para a sociedade, o acesso às informações produzidas pelo IBGE, a Biblioteca firmou, em 26 de agosto de 2007, um convênio de cooperação técnica com o Centro de Documentação e Disseminação de Informações do IBGE. Através desse acordo, a Biblioteca da UFABC passou a ser biblioteca depositária das publicações editadas por esse órgão.
EEB – Empréstimo Entre Bibliotecas: Esse serviço estabelece um convênio de cooperação que potencializa a utilização do acervo das instituições universitárias participantes, favorecendo a disseminação da informação entre universitários e pesquisadores de todo o país.

A Biblioteca da UFABC firmou convênio com as seguintes Bibliotecas das seguintes faculdades / institutos (pertencentes à USP - Universidade de São Paulo):


IB - Instituto de Biociências; CQ - Conjunto das Químicas; POLI - Escola Politécnica;

FEA - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade;
IF – Instituto de Física;
IEE - Instituto de Eletrotécnica e Energia;
IPEN - Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares.

Encontra-se, em fase de negociação, a proposta de convênios para EEB com mais cinco instituições (ITA, FEI, Instituto Mauá de Tecnologia, Fundação Santo André e IMES).


Atualmente, a Biblioteca da UFABC, no campus Santo André, está instalada no Bloco Cultural. Sua estrutura física será distribuída em dois pavimentos, em uma área total construída de 2901,47m². São disponibilizados terminais de consulta, e há espaço para estudo individual e em grupo. Nesse prédio, há uma área para acervo com capacidade para 150 mil volumes, e espaços para estudo individual e em grupo para 185 usuários. Há também terminais de consulta online, para acesso às bases de dados assinadas e demais recursos digitais, além do espaço multimídia.

13.2 LABORATÓRIOS DIDÁTICOS

A Coordenadoria dos Laboratórios Didáticos (CLD), vinculada à PROGRAD, é responsável pela gestão administrativa dos laboratórios didáticos e por realizar a interface entre docentes, discentes e técnicos de laboratório nas diferentes áreas, de forma a garantir o bom andamento dos cursos de graduação, no que se refere às atividades práticas em laboratório. A CLD é composta por um Coordenador dos Laboratórios Úmidos, um Coordenador dos Laboratórios Secos e um Coordenador dos Laboratórios de Informática e Práticas de Ensino, bem como equipe técnico-administrativa. Dentre as atividades da CLD destacam-se o atendimento diário a toda comunidade acadêmica; a elaboração de Política de Uso dos Laboratórios Didáticos23 e a análise e adequação da alocação de turmas nos laboratórios em cada quadrimestre letivo, garantindo a adequação dos espaços às atividades propostas em cada disciplina e melhor utilização de recursos da UFABC.


Os laboratórios são dedicados às atividades didáticas práticas que necessitam de infraestrutura específica e diferenciada, não atendidas por uma sala de aula convencional. São quatro diferentes categorias de laboratórios didáticos disponíveis para os usos dos cursos de graduação da UFABC: secos, úmidos, de informática e de prática de ensino.
Laboratórios Didáticos Secos são espaços destinados às aulas da graduação que necessitem de uma infraestrutura com bancadas e instalação elétrica e/ou instalação hidráulica e/ou gases, uso de kits didáticos e mapas, entre outros.
Laboratórios Didáticos Úmidos são espaços destinados às aulas da graduação que necessitem manipulação de agentes químicos ou biológicos, uma infraestrutura com bancadas de granito, com capelas de exaustão e com instalações hidráulica, elétrica e de gases.
Laboratórios Didáticos Práticas de Ensino são espaços destinados ao suporte dos cursos de licenciatura, desenvolvimento de habilidades e competências para docência da educação básica, podendo ser úteis também para desenvolvimentos das habilidades e competências para docência do ensino superior.
O gerenciamento da infraestrutura dos laboratórios didáticos, materiais, recursos humanos, normas de utilização, de segurança, treinamento, manutenção preventiva e corretiva de todos os equipamentos estão sob a responsabilidade da Coordenação de Laboratórios Didáticos. Cada sala de suporte técnico dos laboratórios didáticos acomoda quatro técnicos com as seguintes funções:
Nos períodos extra aula, auxiliam os alunos de graduação e pós-graduação em suas atividades práticas (projetos de disciplinas, iniciação científica, mestrado e doutorado), bem como cooperam com os professores para testes e elaboração de experimentos e preparação do laboratório para a aula prática.
Nos períodos de aula, oferecem apoio para os professores durante o experimento. Para isso, os técnicos são alocados previamente em determinadas disciplinas, conforme a sua formação (eletrônica, eletrotécnica, materiais, mecânica, químicos, biológicos).
Além dos técnicos, a sala de suporte armazena alguns equipamentos e kits didáticos utilizados nas disciplinas. Os técnicos trabalham em esquema de horários alternados, possibilitando o apoio às atividades práticas ao longo de todo período de funcionamento da UFABC, das 08 às 23h.
A alocação de laboratórios didáticos para as turmas de disciplinas com carga horária prática ou aquelas que necessitem do uso de um laboratório é feita pelo coordenador do curso, a cada quadrimestre, durante o período estipulado pela Pró-Reitoria de Graduação. O docente da disciplina com carga horária alocada nos laboratórios didáticos é responsável pelas aulas práticas da disciplina, não podendo se ausentar do laboratório durante a aula prática.
Atividades como treinamentos, instalação ou manutenção de equipamentos nos laboratórios didáticos são previamente agendadas com a equipe técnica responsável e acompanhadas por um técnico de laboratório.

O Laboratório de Estudos e Práticas em Educação Matemática - LEPEM
Com a finalidade de dar suporte didático à formação do licenciado, bem como oferecer um espaço propício para pesquisas em ensino de matemática. O LEPEM é vinculado ao CMCC, destinado a atividades didáticas e de pesquisa: aulas de disciplinas relativas ao ensino de Matemática; orientação de Estágios Supervisionados, oferecimentos de oficinas pedagógicas que utilizem materiais didáticos para o ensino de Matemática na Educação Básica e realização de pesquisas na área da Educação Matemática. Este laboratório não é classificado como laboratório seco, úmido ou de informática, pois tem utilização mista.
O LEPEM abriga, além do mobiliário específico:

  • Equipamentos de informática avançados, como computadores e lousa digital;

  • Instrumentos artesanais ou lúdicos, que comumente são destinados ao ensino de matemática nas escolas de nível básico;

  • Materiais que permitem a construção e elaboração de novos artefatos, como itens de papelaria e bricolagem;

  • Ferramentas manuais;

  • Livros didáticos, livros paradidáticos ou outras fontes bibliográficas, que se destinam ao uso em atividades de práticas de ensino ou disciplinas correlatas.

Os materiais e equipamentos do LEPEM podem ser utilizados para a realização de pesquisas na área de Educação Matemática em nível de graduação (iniciação científica) ou pós-graduação. A sua utilização deve seguir as normas especificadas em regulamento próprio.


PESQUISA, EXTENSÃO, EVENTOS E PROJETOS RELACIONADOS À LICENCIATURA EM MATEMÁTICA.
Investir na formação do professor também demanda inseri-lo no universo dos processos e produtos da pesquisa. A imersão dos futuros educadores em ambientes de produção científica do conhecimento, cuja responsabilidade fica a cargo dos formadores – que também seriam pesquisadores – contribui para a formação do docente reflexivo em sua prática, o que aumenta sua capacidade de inovação conforme Decreto Nº 7.416, de 30 de dezembro de 201024.
Um breve panorama da Pós-Graduação em Educação, feito pelo professor Jamil Cury (2008)25 pela ocasião dos 30 anos da ANPED (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação), nos apresenta dados que refletem a dimensão alcançada pela pesquisa em educação no Brasil. Para termos uma ideia superficial, em termos quantitativos:


  • O número de cursos e programas credenciados e reconhecidos por agência oficial, nesses anos todos, passou de 27 cursos de mestrado em 1984, para 86 mestrados em 2007. E, de 7 cursos de doutorado, em 1982, para 38 doutorados em 2007.

  • As publicações cresceram exponencialmente com múltiplos periódicos, livros e anais. O número de revistas da área, qualificadas como disseminadoras de nossos estudos e pesquisas, ultrapassa 3 centenas.

  • Na formação de mestres e doutores, observa-se que, entre 1973-2006, a educação titulou 19.410 mestres e 3.369 doutores. Em 2003 passamos a titular, por ano, mais de 1800 mestres e 400 doutores.

Além da pesquisa em Educação, Nardi e Gonçalves26 (2014) procuram resumir e interpretar dados sobre o avanço dos programas de Pós-Graduação na área de ensino de ciências e matemática no triênio 2007-2009, destacando a evolução da área desde sua institucionalização na CAPES, no ano 2000.


Outro importante aspecto é a evolução de sete para sessenta programas de pós-graduação e 78 cursos no final de 2009. E, ainda, que a análise desses dados pode oportunizar importantes reflexões sobre a pesquisa na área, subsidiando tomadas de decisões para as próximas décadas. O avanço que a pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática no país experimentou nesse período parece ter sido importante para que a CAPES, a partir de 2010, tenha ampliado a área 46 de avaliação, que passou a ser chamada de Área de Ensino. A forma com que foi conduzido esse processo, entretanto, suscitou intensos debates entre pesquisadores e associações da área e os reflexos dessa decisão ainda precisam ser analisados com mais profundidade pela comunidade de pesquisadores.

 

Investigações como essas indicam que a área de pesquisa em ensino de ciências vem se consolidando no Brasil e cabe à UFABC também participar deste universo, uma vez que irá atuar como instituição formadora. Para tanto, serão oferecidos projetos de iniciação científica nessa área de conhecimento para que os alunos de licenciatura possam participar e olhar seus espaços de educação como também espaços de produção de conhecimento.


Outra iniciativa importante para a formação inicial do professor é o incentivo à participação dos alunos nos projetos institucionais desenvolvidos com os alunos que pretendem atuar na área de ensino. A licenciatura em Matemática contribui em dois subprojetos do PIBID: matemática e o interdisciplinar. No caso da Matemática conta com a participação de 21 (vinte e um) alunos da área de Licenciatura em Matemática, três professores supervisores (professores de escolas públicas de Santo André, de nível básico) e dois docentes da UFABC (coordenadores de área). E no caso do Interdisciplinar a contribuição se dá por uma docente que coordena o subprojeto.
Quanto à continuidade dos estudos, em nível de pós-graduação, há atualmente, na UFABC, um programa de Mestrado em Ensino e História das Ciências e Matemática, que visa oportunizar a pesquisa, especialmente na área de ensino de Ciências e Matemática.
Não obstante ao grande volume de pesquisas na área de ensino de ciências e matemática, um grande desafio é fazer chegar, na escola, seus resultados. Dessa forma, torna-se importante a participação de professores em serviço nos cursos e grupos de estudos e pesquisas da universidade. No que se refere às atividades de extensão, o projeto pedagógico da UFABC também privilegia a difusão do conhecimento para o público em geral e a promoção da educação continuada como contribuições importantes para a sociedade. Dessa forma, são oferecidos cursos de formação continuada de professores em diversas áreas de conhecimento, sob responsabilidade dos docentes dos cursos de licenciatura, visando proporcionar espaços de aprimoramento dos professores da educação básica e dos egressos dos cursos de licenciatura da instituição.
Com o objetivo de complementar e ampliar as oportunidades de discussão sobre o ensino de Ciências e Matemática são organizados eventos abertos à participação da comunidade, tanto interna quanto externa à UFABC. Tais eventos visam discutir sobre diferentes aspectos a interdisciplinaridade do conhecimento científico e a necessária revisão do ensino de ciências e Matemática na escola básica. Um dos eventos relevantes realizados na UFABC é a Semana das Licenciaturas, que congrega todas as licenciaturas, e em conjunto com os Simpósios do PIBID.
Além dos eventos internos à UFABC, temos o Encontro Nacional de Educação Matemática (ENEM) à nível nacional, realizado de 3 em 3 anos. O evento é organizado pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM), uma sociedade civil, de caráter científico e cultural, fundada em 1988, sem fins lucrativos, e sem qualquer vinculação política, partidária e religiosa, que tem por finalidade congregar profissionais ligados à Educação Matemática ou áreas afins.
O ENEM é o maior evento organizado pela SBEM, tendo como foco o professor que ensina Matemática e representa um importante fator no crescimento da SBEM e na organização da comunidade da Educação Matemática. Constitui-se em um espaço privilegiado para o intercâmbio entre professores e pesquisadores, de modo que os avanços no campo científico se disseminem nas salas de aulas, bem como as experiências dos professores são compartilhadas pela comunidade científica e escolar.
Temos também o Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática (SIPEM) também promovido pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM) que agregam pesquisadores da Educação Matemática e é voltado para a apresentação dos trabalhos desenvolvidos nos Programas de Pós-Graduação em Ensino.
Ainda ligado à SBEM, temos o Encontro Paulista de Educação Matemática (EPEM), regional do Estado de São Paulo (SBEM/SP), que propicia espaço de socialização de estudos, de pesquisas e de reflexões na área de Educação Matemática e também de experiências de ensino da matemática desde a educação infantil ao ensino superior. Estes seriam espaços privilegiados para que os relatos de pesquisa produzidos ao longo do curso de Licenciatura em Matemática possam ser divulgados pelos discentes como parte de sua formação inicial como professor pesquisador, crítico e reflexivo.
Em relação à extensão, a Licenciatura em Matemática tem contribuído com a aproximação com as escolas, por meio da inclusão de professores da Rede Pública em projetos e grupos de pesquisa cadastrados na UFABC como:
1 - GEANM - Grupo de Estudos de Aspectos Neuropsiquiátricos e Motricidade - UFABC: Grupo de Estudos compostos por pesquisadores, alunos, Professores de Educação Básica e estagiários de diferentes instituições de Ensino. O objetivo deste grupo é unificar os trabalhos de pesquisadores de diferentes centros que trabalham com aspectos Neuropsiquiátricos e Motricidade humana. Além dos estudos do impacto da escolaridade no desenvolvimento de habilidades cognitivas em idosos, há também uma frente de trabalho com crianças e avaliação de distúrbios cognitivos que impactam na aprendizagem, bem como realiza estudos com estimulação cognitiva visando facilitar a aprendizagem como: iniciação musical em escolas e suas contribuições para a aprendizagem matemática, estimulação visuo espacial, por meio de atividades motoras e suas relações com aprendizagem de geometria.
2 - GRUPO DE PESQUISAS EM TENDÊNCIAS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA - GPTEMa - UFABC: Grupo interdisciplinar que agrega pesquisadores de diferentes áreas, professores de educação básicas e alunos de pós-graduação e graduação da UFABC, realizando estudos voltados para o ensino e aprendizagem de matemática, formação de professores, bem como, estudos relacionados à prática docente
3 - FORMATE - Formação Matemática para o Ensino: conhecimento profissional docente e desenvolvimento curricular - UFABC: Grupo de pesquisa foi criado em 2011 com a perspectiva de atender a uma crescente demanda de pesquisas na área de Educação Matemática, tanto de professores-pesquisadores, como por parte de alunos em Iniciação Científica e de Pós-Graduação. Acrescenta-se a esta demanda, a necessidade de se criar um espaço de discussão, de estudos, de reflexão e de divulgação dos trabalhos desenvolvidos pelos docentes e discentes do Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMCC), bem como outros estudos que se desenvolvam em parceria com os demais integrantes da comunidade acadêmica da UFABC. Até o presente momento foram titulados cinco mestres, concluídas pesquisas de Iniciação Científica, bem como publicados artigos em revistas científicas e trabalhos em eventos acadêmicos. Atualmente estão vinculados a este grupo de pesquisa, um projeto longitudinal no âmbito do Observatório da Educação, financiado pela Capes.
Além dos aspectos destacados, há também o desenvolvimento de oficinas nas escolas ou na UFABC com a participação de Professores de Educação Básica.
Anualmente, professores da Licenciatura em Matemática participam da recepção de alunos do 3ª ano do ensino médio no Projeto Institucional intitulado “UFABC para Todos”, que tem por objetivo abrir as portas da Instituição de forma que todos possam conhecer um pouco mais sobre a UFABC. O evento conta com estandes que divulgam os cursos da universidade e também que apresentam os projetos pedagógicos da universidade e as Pró-reitorias, além de atividades culturais, oficinas, palestras, visitas monitoradas ao espaço físico e exposições sobre as mais diversas atividades realizadas na Universidade.
Também, há na UFABC o Projeto Escola Preparatória, onde os alunos são incentivados a participar, por meio da contabilização de horas complementares. Este projeto tem por objetivo a aproximação com a comunidade do Grande ABC por meio da realização de um curso preparatório gratuito oferecido na própria Universidade Federal do ABC, que tem por finalidade aumentar as chances de alunos de escolas públicas próximas à UFABC ingressarem na UFABC.

DOCENTES DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   13


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal