Projeto pedagógico do curso de licenciatura plena em letras-língua portuguesa manaus 2017



Baixar 0.57 Mb.
Página4/17
Encontro05.12.2017
Tamanho0.57 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   17

2.5 Estrutura organizacional


A Universidade Nilton Lins desenha sua estrutura organizacional na composição de órgãos de natureza deliberativa e executiva.

O Conselho Deliberativo é órgão deliberativo e normativo, com competência para a definição das diretrizes e políticas gerais da Universidade. O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão é órgão superior de deliberação, responsável pela formatação de todas as atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Conforme a estrutura organizacional, a Chancelaria, Reitoria, Vice-Reitoria, Pró-Reitoria de Administração, Orçamento e Finanças, Pró-Reitoria de Extensão, Pró-Reitoria de Planejamento e Avaliação, Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Pró-Reitoria de Ensino de Graduação são órgãos da Administração Superior de natureza deliberativa.

Na gestão acadêmica de cursos e programas, são órgãos deliberativos os Colegiados de Área e Cursos e o Comitê de Ética; as Coordenações de Área e de Cursos são órgãos executivos.

Esta IES dispõe, entre outros, dos serviços de órgãos suplementares, como o de Registro, Convênios, Bibliotecas.

Órgãos Colegiados:

Conselho Deliberativo;

Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão.

Órgãos da Administração Superior:

Chancelaria;

Reitoria;

Vice-Reitoria;

Pró-Reitoria de Administração e Finanças;

Pró-Reitoria de Extensão;

Pró-Reitoria de Planejamento e Avaliação;

Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação;

Pró-Reitoria de Ensino de Graduação.

Órgãos de Assessoria a Direção Superior:

Gabinetes;

Assessorias.

Órgãos Intermediários:

Departamento de Administração;

Departamento de Orçamento e Finanças;

Coordenadoria Geral de Planejamento e Avaliação;

Coordenadoria de Planejamento;

Coordenadoria de Avaliação e Desenvolvimento;

Coordenadoria de Assuntos Comunitários;

Coordenadoria de Capacitação Profissional;

Coordenadoria de Apoio e Desenvolvimento à Pesquisa;

Coordenadoria de Pós-Graduação;

Coordenadorias de Área e de Cursos;

Coordenadoria de Educação a Distância.


O Conselho Deliberativo é composto pelo Chanceler, Reitor, como presidente, Vice-Reitor, representante da Mantenedora, Pró-Reitores, representantes do colegiado de professores, representantes discentes, representante do corpo administrativo, representante da comunidade e representante da Comissão Própria de Avaliação. Compete, de forma primordial, ao Conselho Deliberativo definir a política educacional da IES.

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão é composto pelo Chanceler, Reitor, como presidente, Vice-Reitor, representante da Mantenedora, Pró-Reitores, representantes do Colegiado de Professores, representantes discentes, representante do corpo administrativo, representante da comunidade e representante da CPA. A representação do corpo de professores, os representantes discentes e o representante do corpo administrativo não podem participar concomitantemente do Conselho Deliberativo, assim como seus suplentes.

Compete fundamentalmente, ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão o acompanhamento das ações do ensino, da pesquisa e da extensão, na construção da missão pela via da inserção nas problemáticas regionais.

Os Conselhos são instâncias finais de deliberação e homologação, com máxima independência, representando a construção dos interesses de todo o corpo social da IES.

A instituição preconiza a descentralização, em todos os níveis, quando compreende instâncias de decisão de forma pontual. Das decisões das Coordenadorias cabe recurso, para as Pró-Reitorias; das decisões tomadas nas Pró-Reitorias cabe recurso encaminhado a Reitoria, e, desta, para os Conselhos, não havendo obrigatoriedade no cumprimento da sequência, em razão de situações extraordinárias.

A Gestão Acadêmica está consubstanciada nas práticas do colegiado de Coordenadores e de Cursos, entendendo aqui Colegiado como todo o grupo de Coordenadores de Área e todo o conjunto de docentes engajados em um curso. Não se trata, portanto, de órgãos, e sim de instâncias deliberativas e executivas. É atribuição do Colegiado de Coordenadores o zelo pelo cumprimento das políticas da Instituição, pelo cumprimento do calendário acadêmico, pelo alinhamento das práticas, nos diversos cursos que formam a área, pelo zelo com as instalações físicas onde os cursos funcionam. É composto por todos os Coordenadores de Área, que são indicados pela Reitora. Ao Colegiado de Curso, constituído do corpo docente, gerido por um Coordenador, dentre os pares, indicado pela Reitoria, compete à execução das atividades acadêmicas em todas as suas práticas. Dentre suas funções está a permanente análise da matriz curricular, o estabelecimento das ações externas do curso, o exame de todos os processos de aproveitamento dos estudos solicitados por alunos em processo de transferência, o exame de atos dos docentes que não correspondam à prática da educação preconizada na Instituição.

A Pós-Graduação tem também colegiado próprio composto por representantes do corpo docente e administrativo da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, com as atribuições de elaborar os regulamentos específicos da pós-graduação, de avaliar e aprovar em sua instância os programas de pós-graduação, de estabelecer diretriz quanto ao trabalho de conclusão dos cursos e de analisar todos os processos inerentes aos discentes.

Todos os demais órgãos da instituição são, em sua essência, de apoio às atividades acadêmicas. Em razão do avançado estágio de informatização em todas as rotinas da Instituição, há setores que tem como instrumento de trabalho computadores com configuração adequada, garantindo a guarda dos dados e a agilidade na transmissão. O sistema acadêmico existente contempla a interação em tempo real de professores, técnico-administrativos e discentes com a IES.

Os setores que são componentes da Biblioteca, do Registro dos assentamentos dos discentes e de Arquivo, garantem uma relação mais estreita com as ações diárias da produção do conhecimento.

A Universidade por essência deve permanecer sempre livre de amarras que possam desfigurá-la. A construção de seus objetivos; o conhecer suas características, de regionalismo, quando for o caso, a contemplação de todas as tendências em suas matrizes, conteúdos, linhas de pesquisa, ações de extensão, são as essências da independência pela construção do conhecimento. A Universidade Nilton Lins goza de autonomia administrativa, orçamentário-financeira e didático-pedagógica, em ralação à Mantenedora com quem mantém intensa relação de comunicação e estímulo.

Em todos os Conselhos, há um (1) representante da Mantenedora, com direito a voz e voto, participando, portanto, de forma efetiva das políticas maiores da IES e da constituição das diretrizes, que vão permear a existência da instituição.

ORGANOGRAMA



1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   17


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal