Pronunciamento do deputado daniel almeida, na sessão do dia 28 de abril de 2009, de homenagem aos 30 anos do grupo cultural olodum



Baixar 7.54 Kb.
Encontro20.01.2018
Tamanho7.54 Kb.

PRONUNCIAMENTO DO DEPUTADO DANIEL ALMEIDA, NA SESSÃO DO DIA 28 DE ABRIL DE 2009, DE HOMENAGEM AOS 30 ANOS DO GRUPO CULTURAL OLODUM.

Senhor Presidente, senhoras e senhores deputados, quero cumprimentar o Grupo Cultural Olodum que no último sábado, 25 de abril, celebrou 30 anos de existência e resistência, com muitas comemorações e homenagens inclusive, uma Sessão Solene que ocorrerá, hoje, na Câmara Municipal de Salvador, organizada pela Vereadora Olívia Santana, a quem eu parabenizo pela iniciativa.

O Olodum surgiu, em 1979, com o desafio de chamar a atenção para a degradação do centro histórico de Salvador, divulgar a música, a dança e os costumes africanos, e, sobretudo, para levar na maior festa popular do mundo, que é o carnaval, a mensagem de luta pela igualdade racial.

O Bloco foi uma das vozes mais importantes para que o Pelourinho passasse pelas transformações que passou, sendo considerado com o título de patrimônio cultural da humanidade e tendo quase 1.000 dos seus 3.000 casarões restaurados e revitalizados.

O Olodum, ao longo destas três décadas, tem desenvolvido com maestria, não apenas a defesa do Pelourinho e da sua gente.

Através das atividades desenvolvidas, seja pela Escola Criativa ou pelo Bando de Teatro Olodum, tem agregado e formado jovens do Maciel/Pelourinho, ou projetado nomes importantes nas artes cênicas, como o Lázaro Ramos, Érico Brás, Jorge Washington, e na música, Virgínia Rodrigues, Tonho Matéria, Lucas Di Fiori , entre outros.

Mais a maior projeção do Olodum, o que o fez ganhar o mundo, sem sobra de dúvidas foi a sua inconfundível batida, que sempre encantou a todos nós, e chamou a atenção de nomes como Paul Simon e Michael Jackson.

Ao mesmo tempo em que abriu caminho para o mercado internacional, o Olodum conquistou milhares de fãs em todo o Brasil. Seus ensaios todos os domingos, durante o verão, no coração do centro histórico de Salvador, são muito disputados. No Carnaval, o bloco arrasta 3.000 foliões na orla, no centro e nas ladeiras centenárias do Pelourinho.

Nesses 30 anos o Olodum, com seus mais de 200 percussionistas e suas belas canções, tem rompido os paradigmas do Carnaval de Salvador, que tem se tornado cada vez mais mercantilista e comercial, e conseguido ser um importante instrumento, não apenas de entretenimento, mas de luta contra o preconceito e a injustiça social no Brasil e no mundo.

Por tudo que o Olodum representa para nossa cultura e para luta em defesa de uma sociedade igual e fraterna é que quero celebrar esses 30 anos, cumprimentando todos os diretores, músicos, colaborares e admiradores.

“...Veja o afro Olodum

Ao passar na avenida

Todos cantando felizes

De bem com a vida



Caminhando lado a lado..”

Viva o Olodum!

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal