Prova de língua portugues



Baixar 169.23 Kb.
Encontro28.01.2018
Tamanho169.23 Kb.











Prova de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira - Redação

29/nov/2009






INSTRUÇÕES

  1. Verifique se este caderno contém 20 questões.

  2. Ao constatar qualquer irregularidade com relação ao total de questões, solicite ao fiscal da sala a substituição do caderno.

  3. Cada questão tem apenas uma alternativa correta ou incorreta.

  4. As respostas deverão ser transcritas no GABARITO ou folha de respostas, com caneta esferográfica azul ou preta.

  5. Não rasure o gabarito, sob pena de ter a questão anulada.

  6. Não haverá substituição do gabarito ou folha de respostas.

  7. Verifique os dados relativos ao nome do(a) candidato(a), número da cédula de identidade, número de inscrição e curso. Após, assine o gabarito no local apropriado.

  8. O tempo mínimo de duração desta prova é de 1 hora (uma hora). Somente após decorrido esse tempo, o(a) candidato(a) poderá ausentar-se da sala, porém sem levar o caderno de questões.

  9. O tempo máximo de duração desta prova (inclusive preenchimento do gabarito ou folha de resposta) é de 3 horas (três horas). Após as 16h00 o(a) candidato(a) poderá ausentar-se levando o caderno de questões.




Nº de Inscrição




Nome do(a) Candidato(a)



























































































































































































































































PROVA DE LÍNGUA

PORTUGUESA

Texto para as questões de 1 a 3.


TRANSPLANTE DE AMOR
Gastrite é uma inflamação do estômago. Apendicite é uma inflamação do apêndice. Otite é uma inflamação dos ouvidos. Paixonite é uma inflamação do quê? Do coração.

Cada órgão do nosso corpo tem uma função vital e precisa estar 100% em condições. Ao coração, coube a função de bombear sangue para o resto do corpo, mas é nele que se depositam também nossos mais nobres sentimentos. Qual é o órgão responsável pela saudade, pela adoração? Quem palpita, quem sofre, quem dispara? O próprio.

Foi pensando nisso que me ocorreu o seguinte: se alguém está com o coração dilacerado nos dois sentidos, biológico e emocional, e por ordens médicas precisa de um novo, o paciente irá se curar da dor de amor ao receber o órgão transplantado?

Façamos de conta que sim. Você entrou no hospital com o coração em frangalhos, literalmente. Além de apaixonado por alguém que não lhe dá a mínima, você está com as artérias obstruídas e os batimentos devagar quase parando. A vida se esvai, mas localizaram um doador compatível: já para a mesa de cirurgia.


MEDEIROS, Martha. Non-Stop. Porto Alegre: L & PM, 2001. p. 43


Questão

1



No primeiro parágrafo do texto, as palavras: gastrite, apendicite, otite e paixonite são formadas pelo mesmo processo de derivação.


Assinale a alternativa CORRETA.


  1. Prefixal.

  2. Parassintética.

  3. Regressiva.

  4. Sufixal.

  5. Derivação imprópria.



Questão

2



A autora conclui que a paixonite é uma inflamação do coração. Baseada em que ela tira essa conclusão?




  1. É no coração que estão nossos sentimentos mais nobres: a saudade, a adoração.

  2. É ele que sofre, que palpita e que dispara quando estamos tomados pela paixão.

  3. A autora refere-se ao coração apenas como o órgão responsável pelo bombeamento do sangue para o resto do corpo.

Assinale a alternativa CORRETA.




  1. Apenas na afirmativa I.

  2. Apenas na afirmativa II.

  3. Nas afirmativas I e II.

  4. Apenas na afirmativa III.

  5. Nas afirmativas I, II e III.

Questão

3



Na frase: ”Qual é o órgão responsável pela saudade, pela adoração?”


Qual é a função sintática de “pela saudade”?
Assinale a alternativa CORRETA.


  1. Objeto indireto.

  2. Adjunto adnominal.

  3. Predicativo do sujeito.

  4. Adjunto adverbial.

  5. Complemento nominal.




Questão

4



Leia o texto a seguir. Geração Y (a partir de l978)

Com o mundo relativamente estável, eles cresceram em uma década de valorização intensa da infância, com internet, computador e educação mais sofisticada que as gerações anteriores. Ganharam autoestima e não se sujeitam a atividades que não fazem sentido a longo prazo. Sabem trabalhar em rede e lidam com autoridades como se eles fossem um colega de turma.

As orações:


“...educação mais sofisticada que as gerações anteriores.”
“...como se eles fossem um colega de turma.”
Indicam circunstância de:


  1. Conclusão.

  2. Consequência.

  3. Causa.

  4. Comparação.

  5. Tempo.




Questão

5



Assinale a alternativa onde o uso da crase é indevido.




  1. Criamos um fundo de investimento que contribui para o combate às mudanças climáticas.

  2. Eles se prendem às leis quando lhes interessa, mas rasgam a Constituição por meio de golpes de Estado.

  3. As provas do ENEM ficaram sujeitas à furtos e extravios por qualquer pessoa que tivesse acesso ao local.

  4. Um grupo de parlamentares brasileiros desembarcou em Tegucigalpa. À tarde foram recebidos por Zelaya. À noite, jantaram com Micheletti.

  5. Com sete anos para organizar a Copa do Mundo e a Olimpíada, o país tem diante de si um desafio que pode revelar se está à altura de seu papel global.




Questão

6



As frases a seguir são típicas da linguagem coloquial, exceto uma.


Assinale-a.


  1. Desde que lhe vi, ando muito satisfeita.

  2. Se Deus lhe ajudar, tudo vai dar certo.

  3. Só queria lhe abraçar.

  4. Respondi o bilhete que você me mandou.

  5. Prefiro ficar aqui a ir com você.

Questão

7



Leia atentamente o texto a seguir:

“O assassino era o escriba”
Meu professor de análise sintática era o tipo do sujeito inexistente.

Um pleonasmo, o principal predicado de sua vida.

Regular como um paradigma da primeira conjugação.

[...] Casou-se com uma regência. Foi infeliz.

Era possessivo como um pronome. E ela era bitransitiva.

[...] Um dia, matei-o com um objeto direto na cabeça.


(Paulo Leminski)

De acordo com o autor, assinale a alternativa CORRETA que caracteriza o professor e sua esposa, respectivamente.




  1. Professor autoritário – esposa valorosa.

  2. Professor inescrupuloso – esposa que valia por duas.

  3. Professor indelicado – esposa tipo “mandona”.

  4. Professor inexpressivo – esposa infiel, adúltera.

  5. Professor inexperiente – esposa que não parava de transitar.




Questão

8



Dentre os 5 parágrafos abaixo, apenas um se enquadra nos padrões que regem a norma culta escrita.


Assinale a alternativa CORRETA.


  1. Disseram-me que em geral se falam duas línguas nas lojas da zona sul do Rio de Janeiro, em virtude de o número de turistas crescer ano após ano. Na realidade, há poucos lugares em que isso ocorre: via de regra, o carioca recorre à sua criatividade, fazendo-se entender por meio de muita mímica e boa vontade.

  2. Disseram-me que em geral se fala duas línguas nas lojas da zona sul do Rio de Janeiro, em virtude do número de turistas crescer ano após ano. Na realidade, há poucos lugares que isso ocorre: via de regra, o carioca recorre à sua criatividade, fazendo-se entender por meio de muita mímica e boa vontade.

  3. Me disseram que em geral se falam duas línguas nas lojas da zona sul do Rio de Janeiro, em virtude do número de turistas crescer ano após ano. Na realidade, tem poucos lugares em que isso ocorre: via de regra, o carioca recorre à sua criatividade, fazendo-se entender por meio de muita mímica e boa vontade.

  4. Me disseram que em geral se fala duas línguas nas lojas da zona sul do Rio de Janeiro, em virtude do número de turistas crescer ano após ano. Na realidade, tem poucos lugares que isso ocorre: via de regra, o carioca recorre à sua criatividade, fazendo-se entender por meio de muita mímica.

  5. Disseram-me que em geral se fala duas línguas nas lojas da zona sul do Rio de Janeiro, em virtude de o número de turistas crescer ano após ano. Na realidade, tem poucos lugares que isso ocorre: via de regra, o carioca recorre à sua criatividade, fazendo-se entender por meio de muita mímica e boa vontade.

Questão

9



Este excerto está num artigo do jornalista Zuenir Ventura:

De um país em crise e cheio de mazelas, onde, segundo o IBGE, quase um quarto da população ganha R$ 4 por dia, o que se esperaria?

Que fosse a morada de um povo infeliz, cético e pessimista, não?

Não. Por incrível que pareça, não. Os brasileiros não só consideram seu país um lugar bom e ótimo para viver, como estão otimistas em relação a seu futuro e acreditam que ele se transformará numa superpotência econômica em cinco anos. Pelo menos essa é a conclusão de um levantamento sobre a “utopia brasileira” realizada pelo Datafolha.

No texto, o autor afirma que:




  1. A situação no país é de um povo infeliz, cético e pessimista.

  2. Segundo a pesquisa do Datafolha, o povo brasileiro acredita em concepções imaginárias e fantasias.

  3. Os brasileiros são otimistas e acreditam que o Brasil, em breve, será uma superpotência.

  4. De acordo com o IBGE, o povo brasileiro vive em crise e cheio de problemas.

Assinale a alternativa CORRETA.




  1. Apenas a afirmativa I está correta.

  2. Estão corretas as afirmativas I e II.

  3. Estão corretas as afirmativas II e III.

  4. Apenas a afirmativa IV está correta.

  5. Estão corretas as afirmativas I e IV.



Questão

10



No texto de propaganda da Natura, observe a palavra “que” repetida inúmeras vezes.

“Gente igual. Gente diferente. Gente que aceita a diferença. Gente que olha no olho. Gente que acredita. Gente que sonha. Gente que se emociona [...]”

Analise a palavra “que” morfológica e sintaticamente, assinalando a alternativa CORRETA.




  1. Pronome demonstrativo – não tem função sintática.

  2. Pronome relativo – sujeito.

  3. Conjunção causal – adjunto adverbial.

  4. Conjunção integrante – sem função sintática.

  5. Conjunção integrante – objeto direto.



PROVA DE LITERATURA BRASILEIRA
Leia a narrativa de Domingos Pellegrini e resolva as questões de 11 a 15.

De pai para filho
––Pai, por que a gente existe?

––Pra melhorar. Aliás, perguntaram ao Dalai Lama qual é a melhor religião, ele respondeu que a melhor religião é toda a religião que te melhora.

––Isso porque você é otimista, né pai. Mas um amigo meu, que é pessimista, diz que toda religião é enganação e que a existência não tem finalidade nem sentido.

––Então não é teu amigo.

––Ele diz que gente não melhora, não, pai, tanto que, por exemplo, sempre existiu e sempre vai existir guerra...

–– ...enquanto existir gente que pensa como teu amigo. Mas Nelson Mandela foi preso porque pregava a luta armada e até o terrorismo contra o racismo, e saiu da prisão, quase trinta anos depois, falando em perdão e convivência, e com isso acabou com a guerra civil na África do Sul.

––Meu amigo também diz que sempre vai existir corrupção, e que o ser humano é corrupto por natureza.

––Também é o único ser, neste planeta, que cuida dos feridos, e também o único que faz arte, cultiva a beleza e pratica a solidariedade.

––Mas meu amigo diz que essa história de responsabilidade social das empresas, por exemplo, é só disfarce pra ganhar simpatia do público e continuar tendo o máximo lucro possível.

––Só que as empresas solidárias sobrevivem, e as outras, mesmo com muito lucro, morrem. Solidariedade não é tática, filho, é espírito, e o espírito sempre vence. Na Segunda Guerra, os nazistas conquistaram vários países, até a França, e aí, entre eles e a Inglaterra, havia apenas o Canal da Mancha e a aviação da Inglaterra, com muito menos aviões e armas. Mas os pilotos ingleses foram para o céu com espírito de luta e sacrifício, não com o espírito de conquista como os nazistas, e muitos morreram mas causaram tanto estrago que Hitler adiou a invasão para sempre.

––E no fim a vitória foi das democracias, mas meu amigo diz que a democracia é só disfarce para a ditadura do capital, os ricos mandando no governo e na Justiça.

––Não enquanto houver gente que acredita na justiça e luta por ela. Aqui no Brasil um advogado católico, Sobral Pinto, defendeu o líder comunista Luiz Carlos Prestes, usando para isso os direitos dos animais, pois até isso negavam ao prisioneiro e ele acabou solto. E agora mesmo tem gente lutando no Brasil para melhorar a Justiça, para ser menos lenta e para os promotores continuarem a investigar corrupção.

––Mas meu amigo diz que não adianta lutar porque os corruptos ganham sempre.

––Já eu vejo que perdem sempre. Começam perdendo respeito, depois perdem o sono, perdem a saúde, perdem o poder, tudo porque começaram perdendo a alma. Corrupção é, antes de tudo, carência de inteligência.

––Mas meu amigo diz que não tem jeito porque cai um corrupto, cresce outro que estava na sombra daquele.

––Os homens honestos, ao contrário, não se reproduzem nas sombras, mas na claridade, através dos bons exemplos. Você não vê que o povo mais pobre é quem mais paga as contas em dia?

––Não será por bobeira, pai?

––É por crença, filho. Acreditam em ser bons, fazer o certo e viver bem consigo e com os outros. Mas você não tinha hora no dentista? Então vai pensando que, na Idade Média, gente enlouquecia de dor de dente, e mesmo os ricos não podiam pagar um dentista porque nem existia dentista. Hoje, temos serviço odontológico de graça pela saúde pública. Alguma coisa melhorou, não?

–– Pai, você devia dar aulas no meu colégio.

–– Aulas do quê?

––De esperança.
PELLEGRINI, Domingos. “De pai para filho”. In.: Lendo & Relendo. São Paulo: Moderna, 2005.



Questão

11





De pai para filho é uma narrativa sintética, movimentada, estruturada em diálogos diretos, linguagem coloquial, tema do cotidiano. Estas são características do gênero textual denominado:


  1. Conto.

  2. Teatro.

  3. Crônica.

  4. Romance.

  5. Prosa poética.




Questão

12



Os diálogos entre pai e filho, durante toda a narrativa são estruturados em ponto e contraponto, nos levando a perceber:




  1. Que o filho não tem noção alguma da realidade.

  2. Que o pai tem visão desencantada da realidade.

  3. Que pai e filho levam em conta argumentos alheios.

  4. Pontos de vista opostos diante dos mesmos problemas da existência.

  5. Pontos de vistas idênticos diante dos mesmos problemas da existência.




Questão

13



Pelo tom que perpassa o texto todo e, principalmente, pelo desfecho, nos últimos três parágrafos, chega-se a conclusão:




  1. Que a esperança e o otimismo prevalecem nos jovens apesar de tudo.

  2. Que os jovens em geral estão desesperançados mas acreditam no ser humano.

  3. Que adultos e jovens são otimistas diante da realidade do mundo moderno.

  4. Que o mundo melhorou muito desde a Idade Média, quando não existiam dentistas e se enlouquecia de dor de dente.

  5. Que as novas gerações desacreditam do ser humano e estão sem esperança.

Questão

14



Leia o fragmento abaixo:

“––Meu amigo também diz que sempre vai existir corrupção, e que o ser humano é corrupto por natureza.

––Também é o único ser, neste planeta, que cuida dos feridos, e também o único que faz arte, cultiva a beleza e pratica a solidariedade.”

Com base neste fragmento retirado do texto De pai para filho, pode-se afirmar:


  1. Que o filho tem visão crítica, mas não tem opinião formada sobre o ser humano.

  2. Que o pai tem uma visão otimista do ser humano e da vida.

  3. Que o pai tem uma visão ingênua da vida moderna.

  4. Que apenas o filho e o amigo são realistas e críticos.

  5. Que o pai tem visão escapista sobre a realidade.



Questão

15



A respeito da narrativa, escreva (V) para Verdadeiro e (F) para Falso.


1. ( ) Ao citar Dalai Lama, Nelson Mandela, Sobral Pinto, o pai quis mostrar ao filho exemplos de seres humanos que abriram caminho para um mundo melhor.

2. ( ) As afirmativas, os comentários do amigo do filho nos dão a certeza de que esse amigo é realista, é pessimista, mas também acredita que o mundo pode melhorar.

3. ( ) Pelo que se observa durante os diálogos e pelo desfecho da narrativa, pode-se concluir que o autor paranaense Domingos Pellegrini tem uma visão otimista da vida e do mundo.

4. ( ) No decorrer da narrativa, as opiniões do pai e do amigo do filho sobre a existência do ser humano, nos remetem à reflexão de questões do mundo moderno, entre elas, questões de religião, racismo, opressão, liberdade, ética, solidariedade, democracia, política e justiça.


Assinale a alternativa CORRETA.


  1. 1–V; 2–F; 3–V; 4–V.

  2. 1–V; 2–V; 3–F; 4–F.

  3. 1–F; 2–F; 3–V; 4–V.

  4. 1–V; 2–F; 3–V; 4–F.

  5. 1–F; 2–V; 3–V; 4–V.




Questão

16



Assinale o texto que, pela linguagem e pelas ideias, pode ser considerado como representante do Arcadismo:




  1. “Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,

Depois da Luz se segue a noite escura,

Em tristes sombras morre a formosura,

Em contínuas tristezas a alegria.”


  1. “Num sítio ameno,

cheio de rosas,

de brancos lírios

murtas viçosas,

dos seus amores

na companhia

Dirceu passava

alegre o dia.”


  1. “Para as estrelas de cristais gelados

as ânsias e os desejos vão subindo,

galgando azuis e siderais noivados

de nuvens brancas a amplidão vestindo.”


  1. “Enfunando os papos,

saem da penumbra,

aos pulos, os sapos,

a luz os deslumbra.”


  1. “A mulher do fim do mundo,

Dá de comer às roseiras,

Dá de beber às estátuas,

Dá de sonhar aos poetas.”



Questão

17



Sobre Machado de Assis e sua obra, assinale a opção INCORRETA:




  1. O escritor busca inspiração nas ações rotineiras do homem, penetrando na consciência das personagens para sondar-lhes o funcionamento. Machado mostra-nos, de maneira impiedosa e aguda, a vaidade, a futilidade, a hipocrisia, a ambição, a inveja, a inclinação ao adultério.

  2. O humor machadiano tem duas funções: ora visa a criticar o ser humano e suas fraquezas, ora demonstra compaixão pelo homem, fazendo o leitor refletir sobre a condição humana.

  3. Alem de Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba e Dom Casmurro, obras da chamada fase realista de Machado, outros romances, como Esaú e Jacó e Memorial de Aires fazem parte dessa galeria da maturidade literária do escritor.

  4. Os contos de Machado de Assis constituem verdadeiras obras-primas da literatura brasileira, como Missa do Galo, A Causa Secreta, O Alienista, A Cartomante, O Espelho, O Enfermeiro, entre outros.

  5. Memórias Póstumas de Brás Cubas, faz voltar o estilo das memórias, quase póstumas: “O meu fim evidente era atar as duas pontas da vida e restaurar na velhice a adolescência ...” É assim que começa a história.



Questão

18



Assinale a alternativa INCORRETA.




  1. O romance As Meninas, de Lygia Fagundes Telles, retrata a vida de três universitárias, que se revezam sucessivamente como narradoras. São elas: Lorena, Lião e Ana Clara.

  2. O curitibano Paulo Leminski ganhou repercussão nacional a partir de 1959, com a publicação das Novelas nada exemplares. É um autor que registra um cotidiano embrutecido, situado na metrópole curitibana.

  3. Nas Primeiras Estórias, de João Guimarães Rosa é patente o fascínio do alógico; são contos povoados de crianças, loucos e seres rústicos que cedem ao encanto de uma iluminação.

  4. Para o crítico Alfredo Bosi, ”Os Sertões, de Euclides da Cunha, são um livro de ciência e de paixão, de análise e de protesto: eis o paradoxo que assistiu à gênese daquelas páginas em que alternam a certeza do fim das raças retrógradas e a denúncia do crime que a carnificina de Canudos representou.”

  5. O romance Quarup, publicado em 1967, abre o ciclo da nova narrativa no Brasil. Traz a história do padre Nando, que vive em Pernambuco e acalenta o sonho de construir um paraíso terrestre na Amazônia.




Questão

19



Leia atentamente o texto.


“Levanto-me, procuro uma vela, que a luz vai apagar-se. Não tenho sono.

Deitar-me, rolar no colchão até a madrugada, é uma tortura. Prefiro ficar sentado, concluindo isto. Amanhã não terei com que me entreter.

Ponho a vela no castiçal, risco um fósforo e acendo-a. Sinto um arrepio. A lembrança de Madalena persegue-me. Diligencio afastá-la e caminho em redor da mesa. Aperto as mãos de tal forma que me firo com as unhas, e quando caio em mim estou mordendo os beiços a ponto de tirar sangue”.
RAMOS, Graciliano. São Bernardo. 81 ed. Rio de Janeiro: Record, 2005. p. 100-101 (Fragmento)
Assinale a alternativa INCORRETA.


  1. O texto retrata Paulo Honório e apresenta os traços marcantes de uma personalidade “moldada” pelo contexto socioeconômico do que fazia parte.

  2. Por meio da linguagem, Graciliano Ramos constrói seus protagonistas: homens atormentados, solitários, cheios de conflitos, como Paulo Honório, narrador do texto em destaque.

  3. No centro da narrativa e do processo de auto-análise do protagonista, está seu casamento com Madalena, mulher educada, que se preocupa com o bem-estar dos trabalhadores. As brigas constantes tornam insuportável a vida em comum. Paulo Honório trata o casamento como uma negociação qualquer, a ser decidida com base na possibilidade de lucro.

  4. O protagonista e narrador do romance São Bernardo, é um homem solitário, luta para vencer na vida e conquistar a mulher amada, que o abandona depois que descobre que ele está pobre.

  5. Por trás da história desse sertanejo rude, surge uma representação da luta de classes, característica inovadora do romance de 1930.

Questão

20






Psicologia de um vencido

Augusto dos Anjos

Eu, filho do carbono e do amoníaco,

Monstro de escuridão e rutilância,

Sofro, desde a epigênesis da infância,

A influência má dos signos do zodíaco.


Profundamente hipocondríaco,

Este ambiente me causa repugnância...

Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia

Que se escapa da boca de um cardíaco.


Já o verme – este operário das ruínas –

Que o sangue podre das carnificinas

Como, e à vida em geral declara guerra,
Anda a espreitar meus olhos para roê-los,

E há de deixar-me apenas os cabelos,

Na frialdade inorgânica da terra!

Considere as seguintes afirmações sobre o poema em destaque.




  1. O tema da morte é abordado por muitos poetas, que tratam de sua condição espiritual ou sentimental. Essa tendência será o traço fundamental da poesia Ultra-Romântica de Augusto dos Anjos.

  2. Obcecado com a ideia das forças da matéria, que pulsam em todos os seres e conduzem ao “nada” absoluto, o poeta usa o verme como símbolo desse processo de decomposição.

  3. Segundo o eu lírico, após a ação do verme, restará “apenas os cabelos, / Na frialdade inorgânica da terra.”




  1. Apenas a I está correta.

  2. Apenas a II está correta.

  3. Apenas a III está correta.

  4. Estão corretas as afirmações II e III.

  5. Estão corretas as afirmações I e II.

REDAÇÃO
Instruções para a REDAÇÃO:


  1. A redação vale 10 (dez) pontos, sendo 6 (seis) pontos para o conteúdo e 4 (quatro) pontos para a forma.




  1. Escolha apenas um dos temas: 1, 2 ou 3 e escreva o respectivo número no espaço próprio.




  1. Redija em forma DISSERTATIVA, no mínimo 20 linhas e, no máximo, 30.




  1. Faça primeiro no RASCUNHO (que se encontra na página 11), antes de passar para a FOLHA DEFINITIVA releia a redação fazendo a devida autocorreção.

  2. A redação que tiver menos de 20 linhas e, mais de 30, será desclassificada.




  1. Coloque TÍTULO na redação e não fuja do tema escolhido.




  1. Em hipótese alguma haverá substituição da folha definitiva da PROVA DE REDAÇÃO.




  1. Não coloque qualquer tipo de identificação na prova.




  1. Na versão definitiva, use caneta esferográfica azul ou preta.




  1. Não destaque nenhum dos gabaritos anexados à folha definitiva.




  1. Devolva a Prova de Redação juntamente com os dois gabaritos anexados.


TEMA 1

BARACK OBAMA LEVA NOBEL DA PAZ DE 2009.
VOCÊ É CONTRA OU A FAVOR DESSA ESCOLHA?


COMENTÁRIOS:

TEXTO 1
CONTRA: Precoce, prêmio só contribui para endeusar Obama.
Não deixa de ser irônico que no dia em que recebeu o inesperado Prêmio Nobel da Paz, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama esteja debruçado sobre o dilema de quantos soldados a mais enviar para uma guerra que não iniciou, mas que passa a ser chamada de sua – a do Afeganistão, em contraste com o Iraque, a guerra de Bush.

Para o bem do mundo, seria até bom que ao fim do seu mandato, o presidente dos EUA fizesse jus ao galardão que lhe foi dado ontem. Mas por ora, ele é precoce e não tem, por si, o condão de transformar as boas intenções em realidade.

O Nobel só contribui para um endeusamento de Obama que não lhe é nada benéfico – o homem, por melhor que seja, nunca estará à altura do mito.

TEXTO 2
A FAVOR: Nobel é reconhecido a multilateralismo.
Mais do que um prêmio a Barack Obama pessoa física ou à gestão de ainda poucos meses do presidente democrata, o Nobel da Paz reconhece a importância do multilateralismo no mundo depois de oito anos da dupla Bush/Cheney, da mentalidade “nós contra eles”, das “guerras preventivas”, da “guerra ao terror”. E nesse quesito – o multilateralismo, a iniciativa de privilegiar a diplomacia em vez da força, o diálogo com inimigos no lugar do isolamento e a participação em fóruns mundiais como um sinal positivo, não de enfraquecimento dos EUA –, Obama tem um trabalho de alguns anos para mostrar. Na verdade, o democrata fez sua campanha e se destacou dos concorrentes baseado nele.

Seja como for, o Nobel premiou a ideia de paz de Barack Obama. Foi por ela também que o político foi eleito.


FOLHA DE SÃO PAULO – 10 OUTUBRO DE 2009
INSTRUÇÃO:
Disserte sobre o tema demonstrando seu ponto de vista que deve ser sustentado por argumentos lógicos e convincentes.

TEMA 2

O RIO RUMO AO OLIMPO
É BOM OU É RUIM PARA O BRASIL?


COMENTÁRIOS:


TEXTO 1
O Rio de Janeiro conquistou o direito de sediar os Jogos Olímpicos de 2016, às 13h50 da última sexta-feira, 2/10/2009. O placar foi folgado. A vitória, arrasadora. O poder econômico de Chicago, a eficiência de Tóquio e a história de Madri ficaram a comer poeira. Na terceira e última rodada de votação, sobraram Rio e Madri. Vitória carioca por 66 votos a 32. O anúncio feito pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Jacques Rogge, foi o reconhecimento de uma candidatura madura e realista – resultado da força de uma economia estável e de uma nação politicamente pacificada. A tocha do ideal olímpico já ilumina o Rio de Janeiro com sua mensagem de superação individual com respeito às regras: “Citius, altius, fortius!” (Mais rápido, mais alto, mais forte)
| 7 DE OUTUBRO, 2009 | VEJA | ESPECIAL RIO OLIMPÍADA 2016


TEXTO 2
“Hoje nós quebramos a última coisa de preconceito que tinha contra o país”, disse o presidente Lula, ainda enxugando com um grande lenço branco os olhos vermelhos. “O Brasil saiu do patamar de um país de segunda classe para o de um país de primeira classe.” Lula pode estar exagerando, mas a hipérbole não é totalmente descabida. Sediar os Jogos Olímpicos adquiriu um aspecto simbólico. A edição de 1988, em Seul, marcou o surgimento da Coréia do Sul como uma das maiores economias do mundo. Os Jogos de Barcelona, quatro anos depois, transformaram a Espanha de país recém-saído de uma ditadura em grande destino turístico mundial. Em 2008, a Olimpíada na China coincidiu com a ascensão do país ao grau de superpotência planetária. Talvez a dupla conquista da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016 represente algo semelhante para o Brasil.


TEXTO 3
Passada a festa em Copenhague e na Praia de Copacabana, Lula garantiu que o trabalho para organizar Jogos bem-sucedidos começaria “no dia seguinte”. A comemoração certamente dará lugar a muito trabalho e a inevitáveis controvérsias. A questão do legado social para a cidade-sede tem um peso grande na avaliação do COI, mas as promessas de transformação do Rio de Janeiro devem ser encaradas com algum ceticismo. Afinal, muito foi prometido para os Jogos Pan-Americanos de 2007 e quase nada foi feito. Desta vez preveem-se gastos de US$ 2,8 bilhões com a organização dos Jogos e mais US$ 11,1 bilhões com obras de infraestrutura, como a reforma do aeroporto do Galeão, melhorias de estradas, hospedagem e telecomunicações.

É bom lembrar que os Jogos Olímpicos, na essência, são apenas um evento esportivo de duas semanas, (de 5 a 21 de agosto de 2016). Um grande evento, certo, mas que não pode, por si, resolver todos os problemas de uma cidade ou de um país. Criar expectativas excessivas em torno dos Jogos é o primeiro passo para uma decepção igual ou pior que a do Pan.

5 DE 0UTUBRO, 2009. ÉPOCA> 111


INSTRUÇÃO:
Com base nos comentários acima, produza um texto DISSERTATIVO deixando bem claro o seu ponto de vista, que deve ser sustentado por argumentos coerentes.

TEMA 3

O SABOR DA VINGANÇA VALE A PENA?


COMENTÁRIOS:

A vingança tem várias faces. Veja como esse sentimento explica comportamentos, no mundo do crime, no mundo da música, no contexto social...




TEXTO 1
NO MUNDO DO CRIME temos a revanche no tráfico de drogas onde Fernandinho Beira-Mar, em 2002, num presídio de segurança máxima no Rio de Janeiro, liderou uma rebelião onde as autoridades, a princípio, acharam que os bandidos queriam fugir, mas depois do motim descobriram o cadáver de Uê, um rival de Beira-Mar e mais três comparsas. Beira-Mar esperou muito tempo até que a oportunidade se apresentou e assim ele pode concretizar seu plano de vingança.


TEXTO 2
NO MUNDO DA MÚSICA temos a vingança do cantor Michael Jackson que, em 1993, foi acusado de abuso sexual de crianças pelo promotor de Justiça Thomas Sneddon e, em 2003, o promotor entrou novamente com uma segunda acusação. Em ambas, o cantor foi inocentado por falta de provas. Mas Michael Jackson, em represália, fez uma música intitulada “D.S.” (em inglês, a sonoridade é igual a de um xingamento), com versos como: “Tom Sneddon é um homem frio, aposto que não tem vida social, aposto que gosta da ku klux klan (seita racista)”...


TEXTO 3:
NO CONTEXTO SOCIAL temos o filme “Bastardos inglórios”, de Quentin Tarantino, que estreará em breve no Brasil. Obra de ficção, explora um dos mais primitivos sentimentos da espécie humana.

O grupo de nove soldados está em volta de um sargento nazista, ajoelhado e algemado. “Acho que você sabe quem somos, não?”, diz Brad Pitt. “Aldo, o Apache”, responde o prisioneiro. O grupo ri. “Bem, se você já ouviu falar de nós, sabe que não estamos no negócio de fazer prisioneiros. Estamos no negócio de matar nazistas”, retruca Pitt (ou Aldo Raine, um de seus papéis mais agressivos e menos sensuais). Aldo exige que o sargento aponte num mapa onde estão os demais soldados nazistas. O sargento se recusa. Aldo chama o Urso Judeu, cuja especialidade é arrebentar o crânio dos inimigos com um taco de beisebol. Em seguida, a câmera mostra o sorriso sádico do Urso e uma sequência de golpes de bastão. Trata-se de um exercício explícito, minucioso, persistente, de um dos sentimentos mais primitivos da humanidade: a vingança – que neste caso, é contra nazistas que dizimaram judeus durante a 2ª Guerra e que torturou Aldo Raine, (Brad Pitt) quando este foi capturado na Sicília. Nesse caso, a violência é justificada?

5 DE OUTUBRO DE 2009, ÉPOCA > 95

INSTRUÇÃO:

Com base nos comentários acima, produza um texto DISSERTATIVO deixando bem claro o seu ponto de vista, que deve ser sustentado por argumentos coerentes.






TEMA :





Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal