Área do conhecimento: Ciências Humanas Palavras-chave



Baixar 11.91 Kb.
Encontro10.07.2018
Tamanho11.91 Kb.




.

Rio Grande/RS, Brasil, 23 a 25 de outubro de 2013.



DIFERENCIAIS DE DEMANDAS EM UM PROJETO ESPORTIVO NA CIDADE DO RIO GRANDE (RS)

CRUZ, Jéssica Mendes

HECKTHEUER, Luiz Felipe Alcantara

jessicamendescruz@live.com
Evento: Congresso de Iniciação Científica

Área do conhecimento: Ciências Humanas
Palavras-chave

Projeto esportivo; Demandas; Voleibol




  1. INTRODUÇÃO

Esta pesquisa parte de uma inquietação acerca das demandas que tem se estabelecido em torno dos projetos sociais esportivos que cada vez mais são propostos em nossa cidade. Suspeitamos que entre o que os projetos propõem em termos de objetivos e meios para alcançá-los e aquilo que os participantes de tais projetos esperam de tais propostas, existam diferenças de diversas ordens que podem estar implicadas, de uma parte, com o sucesso ou não de tais projetos e, de outra, com a manutenção ou não do interesse em permanecer participando de suas atividades, por parte do que é definido como público alvo. Sendo assim, o objetivo central desta pesquisa é identificar diferenciais de demandas e se de fato esses diferenciais poderão ser existentes dentro do projeto já atuante no município.

Nos dedicaremos, especificamente, àquelas demandas que se estabelecem na proposição e funcionamento do projeto social esportivo Centro de Referência de Esporte Educacional – Núcleo Rio Grande/RS – delimitando a pesquisa naqueles que participam do projeto inscritos na modalidade voleibol.


  1. MATERIAIS E MÉTODOS (ou PROCEDIMENTO METODOLÓGICO)

O CREEP utiliza espaços público/privados das instituições e clubes de diversos municípios brasileiros para implementar os respectivos Centros de Referência de Esporte Educacional, baseados na metodologia de ensino do Instituto Esporte e Educação (IEE). O CREEP foi instalado recentemente na cidade de Rio Grande através de uma parceria com o Sport Clube Rio Grande (SCRG) e a Fundação Sócio Cultural Esportivo do Rio Grande/RS (FUNSERG).

Considerando o objetivo da pesquisa anunciado anteriormente, trazemos como perguntas norteadoras da pesquisa: Será que as demandas estabelecidas pelos proponentes do projeto, logo pelo projeto em si, atendem as necessidades e expectativas daquele que se caracteriza como seu público alvo? Poder-se-á de fato constatar a existência desse diferencial?

Portanto, utilizo procedimentos metodológicos de pesquisa qualitativa, observando e registrando os aspectos funcionais do projeto, através de entrevistas semiestruturadas, anotações em diário de campo, além da constante busca por referenciais teóricos que enriqueçam as problemáticas acima destacadas.

Estão sendo realizadas observações sistemáticas no local de funcionamento do projeto, principalmente, quando os participantes estão desenvolvendo as atividades propostas (treinos, aulas). A escolha dos indivíduos que serão entrevistados se dará a partir destas observações, do critério de antiguidade de participação no projeto e de consultas realizadas nos cadastros e listas de chamada das atividades.


  1. RESULTADOS e DISCUSSÃO

Em Rio Grande-RS, o número de projetos sociais esportivos propostos tem caracterizado o que Hecktheuer (2012) denomina por uma “proliferação” destes pela cidade. Mas este não é um privilégio desta cidade. Em estudo em um bairro de Porto Alegre/RS, Thomassim e Stigger (2009), tratam do que denominam por “super-oferta” de projetos sociais em uma mesma região daquela cidade.

Junto a essa proliferação de projetos na cidade, manifesta-se certa uniformidade na proposição dos mesmos. Em sua maioria, visam atingir um público de baixa renda, moradores de bairros afastados do centro da cidade e no caso das crianças e jovens, que estejam matriculados na rede pública de ensino. Essa característica dos projetos sociais de oferecerem práticas esportivas para amenizar os riscos e a vulnerabilidade social, vem sendo um problema de pesquisa para diversos autores da área e desta forma podemos afirmar que ao propor um projeto a um determinado público, sem antes buscar saber quais são as necessidades daquela população alvo, poder-se-á então, gerar o que nessa pesquisa trato como diferencial de demanda.


  1. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ainda que esta pesquisa esteja em andamento algumas informações podem ser registradas desde que não sejam consideradas finais. A partir das observações realizadas até o momento e registradas em um diário de campo, podemos tecer as seguintes considerações:

Pode-se constatar uma rotatividade entre os alunos que freqüentam as aulas, isso ocorre principalmente com os alunos de faixa etária entre 12 e 15 anos, aos quais podemos perceber também que recebem aulas com caráter de treinamento e não somente educacional.

Destacamos que esses são apenas alguns aspectos a serem investigados e contextualizados, assim como outros fatores também são importantes e envolvem o campo de pesquisa, no que se refere aos diferenciais de demandas.


REFERÊNCIAS
HECKTHEUER, L. F. A. Projetos sociais esportivos: ensaios sobre uma proliferação na cidade do Rio Grande-RS. Tese (doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande/FURG, Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e saúde, 2012.
THOMASSIM, Luis Eduardo Cunha, STIGGER, Marcos Paulo. SUPER OFERTA DE

PROJETOS SOCIAIS ESPORTIVOS: Superando as imagens públicas idealizadas sobre essas ações. I Seminário Nacional Sociologia e Política UFPR, 2009.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal