Relações das Ações Acadêmicas – administrativas em função do resultados das avaliações da auto-avaliação



Baixar 37.25 Kb.
Encontro03.08.2018
Tamanho37.25 Kb.

Relação das Ações Acadêmicas – administrativas em função dos resultados das avaliações da auto-avaliação.
Em Agosto de 2005, a partir da remessa do Relatório Final de Auto-Avaliação Institucional da Fatea, a C.P.A. deu início à Análise dos Resultados e divulgação a toda comunidade universitária.

Novas propostas e ações de melhoria foram colocadas para a Instituição sempre tendo como parâmetro as dimensões avaliadas e os resultados da Avaliação Interna.

Algumas ações de divulgação podem ser citadas:


  • ­Reuniões com toda comunidade universitária – Conselho Geral – Coordenação Pedagógica

  • Inclusão do Relatório Final no site da Fatea, criação do site da C.P.A.

  • Boletim Informativo da C.P.A. com apresentação das novas propostas e melhorias previstas para 2005 e 2006.

  • Continuidade das ações em 2007.

O Planejamento para 2006 e 2007 foi elaborado de acordo com as dimensões avaliadas.

Assim, em relação à Dimensão I – Missão e P.D.I.



  • Programação de Reuniões para Reflexão

  • Inclusão da Missão no Site da C.P.A.

  • Distribuição de Folders explicativos.

  • Boletim Informativo da C.P.A.

  • Reunião Geral com os alunos ingressantes dos primeiros anos em 2006, com a Coordenação Pedagógica

  • Reunião com a comunidade externa

  • Colocação de faixas e cartazes

  • Articulação entre o PDI e os P.P.C. – explicitação da missão e princípios.


Dimensão 2 – Ensino, Pesquisa e Extensão.
Objetivando consolidar a pesquisa, fomentar as atividades do Instituto Superior de Pesquisa e Iniciação Científica (ISPIC), promover a Iniciação Científica, estimular os grupos de pesquisas instituídos e encaminhar projetos aos órgãos oficiais de apoio à pesquisa, foi realizado a partir de 2006 um rigoroso e criterioso cadastro dos projetos de pesquisa, com vistas à adequação do Instituto aos Objetivos gerais e específicos da Instituição.

A pesquisa, como veículo ideal para o desenvolvimento do ensino (graduação e pós-graduação) e das atividades de extensão (cursos e serviços) é privilegiada na Instituição.

As Coordenações dos Cursos e o ISPIC orientam e incrementam a pesquisa dos cursos e programas estabelecendo Políticas Institucionais, as quais serão intensamente trabalhadas a partir da Análise dos resultados da Avaliação Interna e Diretrizes Gerais do Sinaes.

Eventos técnicos e científicos realizaram-se em 2005, 2006 e 1º semestre de 2007 os quais geraram estudos e debates, células de novos projetos de pesquisa. Parcerias com diferentes Instituições ampliaram nestes 3 últimos anos, as atividades culturais, tecnológicas e científicas: Prefeitura, Associações comerciais, Empresas regionais, Ministério da Ciência e Tecnologia, Faenquil (Faculdade de Engenharia Química de Lorena), INMETRO, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá – FEG – UNESP.

Projetos de pesquisa propostos pelos docentes, envolvendo alunos pesquisadores escolhidos por meio de processo seletivo, recebem incentivos, na forma de bolsa, de órgãos de fomento como FAPESP, Prefeituras da região.

No 2º semestre de 2005, foi organizado pelo ISPIC, em parceria com os núcleos e os cursos de graduação vários eventos de Iniciação Científica envolvendo outros instituições de ensino superior, outras entidades como o INPE e o Ministério da Ciência e Tecnologia.

A partir de 2006 a FATEA tem diversificado as atitudes quanto à promoção de pesquisa, buscando cooperação e o desenvolvimento de novas parcerias que apresentam características sólidas em tecnologia.

Tivemos a premiação pelo Comitê Científico de dois trabalhos nas categorias de Iniciação Científica e Pós-Graduação e a inserção de trabalho desenvolvido pelo Colégio de Aplicação em Congresso da Universidade Federal do Paraná e premiação na UNESP-FEB.

A política de pesquisa da Instituição ampliou-se. Convênios e contratos foram realizados com instituições patrocinadoras de pesquisas, com o setor produtivo, principalmente o industrial e o setor de serviços, com universidades nacionais e internacionais e entidades representativas, como o CAPES, CNPq, a FAPESP e o INEP, para a implantação de programa permanente de avaliação de pesquisa e da produção científica da Instituição.

Em outubro de 2006, iniciou-se o processo de indexação junto à CAPES e também em 2006 a publicação do Regimento Geral do Programa de Iniciação Científica e o III Encontro de Iniciação Científica e a I Mostra de Pós-Graduação. Houve um crescimento de 60% em relação ao II Encontro em 2005> 161 artigos – 145 trabalhos. Em 2005 – o ISPIC cadastrou-se na FAPESP, por meio do SAGE.

Em 2007, existem projetos em andamento e uma adesão cada vez maior à pesquisa dos cursos e programas e grupos de pesquisa.

Também no que se refere aos programas de extensão, os registros foram atualizados e cadastrados e as atividades de todos os cursos, cadastradas.

O processo de Auto-Avaliação foi muito importante para que a Instituição adquirisse um novo olhar para si mesma, uma nova consciência coletiva da sua importância na comunidade da sua atuação nas atividades histórico-culturais, técnico-científicos, de lazer e desportivas.

Houve também uma expansão e fortalecimento dos cursos de pós-graduação Lato Sensu e inclusive a designação de professor para coordenar programas de mestrado acadêmico stricto-sensu junto ao núcleo de pós-graduação e extensão.

Em 2006, foi instituído na Instituição o Programa de Nivelamento de Aprendizado para os alunos da 1ª série dos cursos de graduação o qual tem como meta preparar o aluno ingressante para o pleno desenvolvimento e aproveitamento das disciplinas de formação.

No início do ano letivo foi feita uma avaliação diagnóstica do nível de desenvolvimento escolar e cultural dos estudantes calouros, idealizada, preparada e aplicada pelo colegiado de cada curso.

Além disso, foi também realizada uma pesquisa com os alunos ingressantes na oportunidade da matrícula, por iniciativa da C.P.A.

O programa de nivelamento passou agora de 1 mês para 3 meses.

Quanto ao acompanhamento dos egressos em setembro e outubro de 2005 foi lançado um Projeto para Política de Egressos, o qual é encontrado no site da FATEA, bem como um questionário de pesquisa a ser preenchido online pelos ex-alunos e um cadastro geral. Divulgação de atividades e ampliação de contatos, por meio de mala direta às comunidades de ex-alunos, também é nosso objetivo.

Continuação do banco de dados dos egressos, promoção de eventos, confraternização de turmas, pesquisa e processo de escuta pra contribuição nos cursos também são objetivos constantes deste projeto.


Dimensão 3 – Responsabilidade Social
A Responsabilidade Social na FATEA se amplia cada vez mais no contexto da contínua transformação científica, tecnológica, econômica, social, psicológica e ética, em face da consciência do seu compromisso em formar pessoas, profissionais e cidadãos capazes de entender e enfrentar, com discernimento lúdico e atitude reflexiva, a dinâmica cultural e a globalização.

A responsabilidade social está intimamente ligada à missão da Instituição, revela-se na sua contribuição à inclusão social por exemplo.

A FATEA tem um programa de bolsas para possibilitar o acesso a alunos carentes e a instituições com as quais a Instituição mantém convênio: PROUNI, Escola da Família, Educafro e bolsas próprias da Instituição. Nos 3 últimos anos aumentou o número de atendimentos. Houve também ampliação dos programas de extensão em relação à Clínica Escola Fonoaudiológica e Ambulatório de Enfermagem, o Espaço Saúde Irene Augusto.

O desenvolvimento de parcerias com Instituições e empresas do poder público concorre para o crescimento econômico e social da região do Vale do Paraíba para atitudes de defesa e preservação do meio ambiente, da memória cultural, de produção artística e patrimônio cultural.

As parcerias favorecem o Programa de Estagiários nos diversos cursos os eventos e atividades culturais técnico-científicas desenvolvidas na Instituição com participação em palestras, seminários, grupos de estudo:

Depois da análise de resultados da Avaliação Interna foi planejada uma adequação física no CEMARI a qual se concretizou.

Uma adequação física foi também realizada em relação à colocação de plataformas de elevação no prédio antigo, os banheiros foram reformados para melhor acolhimento aos deficientes e em consonância com as normas legais pertinentes.

Programou-se e se efetivou a criação de uma Equipe de Documentação, em 2006 para organização das ações de responsabilidade social e balanço social.


Dimensão 4 – Comunicação com a sociedade
Em 2006 intensificaram-se as ações de melhoria da comunicação na Instituição e com a comunidade. Uma equipe de comunicação articula entre os diversos meios, uma comunicação mais efetiva.

Existe um Projeto de Divulgação Externa que estabelece diretrizes para a divulgação constante da Instituição para a sociedade. Um informativo mensal unificado é outra proposta de melhoria.




Dimensão 5 – Políticas de Pessoal
Em 2006 e 2007 – realizadas reuniões para divulgação de benefícios a funcionários e professores. Estabelecimento de parcerias para facilitação financeira a professor e funcionários, por exemplo, a aquisição de computadores.

O Instituto Santa Teresa – Mantenedor da FATEA pretende adequar suas políticas de pessoal bem como institucionalizar os programas já existentes.

Existe na Instituição especialmente incrementada a partir da Avaliação Interna, uma preocupação constante com o estimulo e apoio à produção cientifica, capacitação docente ou técnico profissional. Existe um Programa de Incentivo a Qualidade Docente o qual foi ampliado.

O estimulo à criatividade e a participação dos docentes e não docentes em todas as atividades da Instituição, em eventos culturais os mais diversos: cursos, congressos, seminários, excursões, publicação de artigos é uma constante na Instituição. Por meio de site disponível e revistas Ângulo e Janus editam ensaios, artigos e os resultados de suas pesquisas e estudos. Especialistas das mais variadas áreas do conhecimento humano estiveram na Instituição visando o aperfeiçoamento da prática docente e apoio pedagógico por meio de palestras, conferencias, cursos, oficinas e debates. Inclusive em agosto de 2007 será realizado o 1° Congresso do Conhecimento nas áreas de Tecnologia, Saúde e Educação.


Dimensão 6 – Gestão
A todos os integrantes dos órgãos técnico – administrativos e suplementares são oferecidos cursos de capacitações e reuniões mensais com coordenadores de setores para tornar a gestão mais participativa e melhorar a comunicação interna.

Existe um Programa de Formação Profissional realizado oito dias no ano. Os membros do corpo Técnico-Administrativo e suplementar e Docente são representados nas reuniões colegiadas, com direito a voz e voto.

Participaram de todos os processos eletivos como: CIPA, eleição de Coordenador, conselho geral.

Os órgãos representativos têm divulgação sistemática.



Dimensão 7 - Estrutura Física
Atendendo à demanda crescente nos últimos três anos aconteceram muitas melhorias na estrutura física:

  • Estabelecimento de um Programa de Definição de verbas por setor e curso para melhoria da estrutura física e aquisição de equipamentos.

  • Os laboratórios de Biologia tiveram manutenção constante e compra de equipamentos. Em 2006 foi inaugurado mais um laboratório de Biologia e mais uma sala de aula.

  • No espaço Saúde Irene Augusto houve uma reforma no prédio, criação de novos ambientes com adequação às normas de saúde e higienização.

  • Cinco novos ambientes.

  • Compra de equipamentos específicos para o atendimento ambulatorial e aquisição por doação de material e equipamentos da entidade Pró Vida.

  • Melhor gerenciamento hídrico com troca do sistema de bomba hídrica para um sistema mais moderno e de filtragem da caixa geral.

  • Disponibilização de uma sala para central de links.

  • Recursos e Equipamentos para os Estúdios de Radio e T.V. adquiridos em 2006.

  • Projeto de Paisagismo – manutenção e reestruturação dos jardins, reformulação de canteiros e caminhos de acesso aos outros prédios.

  • Atualização constante do acervo de Biblioteca – divulgação de novas aquisição publicação mensal de informação mais de 1.300 livros foram acrescentados posteriormente a julho de 2005, cobrindo diversas áreas do conhecimento.

  • Foi inaugurado em 2006 o auditório Clarice Lispector, no prédio Santa Teresa onde funciona também o Cine Clube da Fatea.

  • Adequação da rede de informática internet, telefonia e central de links – aquisição de aquisição de equipamentos especificos.

  • Instalação de ventiladores em todas as salas de aula.

  • Reforma, adequação e aquisição de novos equipamentos das Oficinas de Metal, madeira e Cerâmica de Desenho Industrial e Educação Artística, o que possibilitou a criação de um Centro Tecnológico.

  • Instalação de sistema de ar condicionado na biblioteca e colocação de divisórias para composição de salas de estudo individuais.

  • Ampliação dos laboratórios de informáticas e sala de internet.

  • Em outubro de 2005, com o objetivo de melhorar a qualidade do atendimento a comunidade acadêmica e administrativa foi implantada a Central de Cópias a qual inclusive oportuniza a contratação de pessoas portadoras de necessidades especiais, cumprindo o compromisso que a Instituição tem com a Legislação vigente e a responsabilidade social.

  • Adequação da infra-estrutura para o atendimento aos portadores de necessidades especiais.

Em 2005 e 2006 foram efetivadas adequações as normas de acessibilidade e aquisição de materiais:

Citamos a colocação de corrimão no acesso ao Bloco Imaculada, instalação de 3 plataformas elevatórias nos Blocos Dom Bosco e São José para atendimento às pessoas portadoras de necessidade de necessidades individuais:


  • Construção de novo prédio, em 2007, o qual abrigará 8 salas de aula, um auditório, 1 laboratório de informática, sala de professores, sanitários.

  • Ampliação do Estúdio de Rádio e TV e da Rádio Cultura.

  • Reforma e ampliação da Agência Experimenta.



Dimensão 8 – Planejamento e Avaliação

O projeto de Avaliação Institucional apóia-se nas diretrizes delineadas pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) e pelo novo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituídas pela Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004.

Na FATEA, o Processo de Avaliação Interna resultou, em sua nova formatação, de um Plano de Trabalho, o qual inclui:


  • cronograma

  • distribuição de tarefas

  • disponibilização de recursos humanos, materiais e operacionais.

À entrega do Relatório final de Auto-avaliação Interna, encaminhado à CONAES, em 31 de agosto de 2005, nos termos do artigo 1º da Resolução CONAES nº 1 de 11 de janeiro de 2005, sucedeu-se o trabalho de divulgação dos resultados, por meio de reuniões, documentos informativos impressos e eletrônicos e um balanço crítico do processo avaliativo e estabelecimento de metas e ações futuras.

Foi elaborado e divulgado um cronograma de ações em função dos resultados do Processo de Avaliação Interna, e em consonância com as dimensões avaliadas.

O compromisso da Instituição em relação ao incremento de uma cultura avaliativa fortaleceu-se e todos as coordenações promoveram reformulações em seus cursos.

Cabe ressaltar que em duas ocasiões de visitas de Avaliadores do MEC, o Projeto, Relatório Final e Resultados dos trabalhos do Processo Auto-Avaliação foram disponibilizados e examinados.

Em 2006, a coordenação pedagógica, envolvendo os coordenadores e professores fez uma análise e reestruturação do sistema de avaliação por curso.

Desde o início do ano letivo foram realizadas ações de avaliação interna, visando ao diagnóstico mais preciso e construtivo do corpo docente, do corpo discente e do projeto pedagógico, com aplicação de questionários aos alunos e docentes, para maior conhecimento das dificuldades e propostas de ação.

Na verdade, houve um replanejamento e definição da metodologia de trabalho de avaliação nos cursos.

Os PPCs foram analisados e reformulados de acordo com a nova Política de Avaliação, com a articulação e coerência entre os documentos oficiais da Instituição.

Dimensão 9 – Atendimento ao Estudante
Existem na Instituição programas de apoio pedagógico, financeiros (bolsas) psicológico e espiritual.

- O serviço social e uma comissão especialmente criada anualmente estabelecem critérios ou formas de financiar o estudo de centenas de alunos carentes.

Novos projetos foram criados a partir de 2006:


  • Programa “QUERO SER FATEA” para os estagiários.

  • Projeto da Pastoral Universitária – para atendimento a alunos carentes

  • Programa de estímulos à permanência: programa de nivelamento e atendimento psico-pedagógico.

  • Infra-estrutura tecnológica – o qual oferece serviços aos alunos: visualização de seu boletim com notas e faltas, recebimento do conteúdo das disciplinas que foram publicadas no site pelo professores por meio do sistema de publicação de disciplinas, cadastramento no Banco de Estágios.


Dimensão 10 – Sustentabilidade Financeira
Existe na Instituição um acompanhamento sistemático e contínuo na área financeira. Todos s dados são partilhados e refletidos pelos líderes e coordenação de setores, mensalmente.

Planilhas gerenciais sobre planos de investimentos e previsão orçamentária e cronograma de execução encontram-se disponíveis no setor específico. A instituição pretende priorizar a utilização de recursos próprios no desenvolvimento de suas atividades e contar, parcialmente, com recursos de terceiros, principalmente no que se refere à expansão do financiamento estudantil.



Sempre que necessário, haverá repasses financeiros da Entidade mantenedora para a Instituição de Ensino.





Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal