Relatório de estagio



Baixar 71.82 Kb.
Encontro07.05.2018
Tamanho71.82 Kb.

RELATÓRIO DE ESTAGIO EM LABORATORIO

Aula 01: Coleta
Nome: ___________________________

Semestre: _______________________

Período de realização: ____/____/_____

Horário de realização: ______________

Professor Orientador: ______________
Introdução
A coleta de sangue é um procedimento rotineiramente utilizado em laboratórios de análises clinicas e alguns cuidados são essenciais tanto para com o paciente como para com a amostra a ser coletada. A coleta é realizada com agulhas e seringas estéreis e descartáveis ou por meio de tubos com vácuo, adaptados a agulhas estéreis, com ou sem anticoagulantes. O garrote deve permanecer o menor tempo possível no braço do paciente e a amostra deve ser acondicionada no tubo de ensaio de maneira que não ocorra hemólise da amostra. (ZAGO et al., 2001)

Ainda de acordo com o autor, a formação de hematoma é a complicação mais comum da punção venosa. O hematoma origina-se do extravasamento do sangue para o tecido, durante ou após a punção, sendo visualizado na forma de uma protuberância. A dor é o sintoma de maior desconforto ao paciente, e eventualmente, pode ocorrer a compressão de algum ramo nervoso.


Objetivo
Realizar coleta de sangue por punção venosa com seringa descartável.
Materiais e Método
Durante a realização da pratica de PUNÇÃO VENOSA - Veias da Dobra do Cotovelo

( cefálica e basílica) observou-se os seguintes procedimentos:


1- Acomodou-se o paciente adequadamente na cadeira para coleta e o instruiu sobre o procedimento;

2-Após a lavagem de mãos e a paramentação adequada e completa, deu-se início a prática;

3- Sobre uma mesa próxima ao paciente preparou-se o material a ser usado;

4- Colocou-se duas gotas de anticoagulante EDTA no tubo de ensaio- tampa cinza;

5- Identificou-se os tubos com o nome do paciente;

6-Retirou-se a agulha da embalagem estéril e acoplou-se à seringa estéril, (ambas da marca) ...., deixando-a na própria embalagem estéril pronta para ser usada;

7-Colocou-se um garrote ao redor do braço do voluntario, acima da dobra do cotovelo e verificou-se o pulso para garantir que a circulação arterial não foi interrompida;

8-Pediu-se ao voluntario que abrisse e fechasse a mão várias vezes para aumentar a circulação venosa;

9-Pela inspeção e apalpação, determinou-se a veia a ser puncionada, a qual deve ser calibrosa e firme;

10-Com algodão embebido em álcool a 70% realizou-se a assepsia da pele sobre a veia selecionada e aguardou-se que o local secasse antes de se introduzir a agulha;

11-Observou-se que após a desinfecção o local a ser puncionado não deve ser tocado e que o paciente não deve dobrar o braço;

12-Após esse procedimento pediu-se ao voluntario que permanecesse com a mão fechada. Em seguida introduziu-se a agulha na veia do voluntario e o embolo da seringa foi puxado lentamente até o volume de 5 ml;

13- Após a remoção. de sangue, retirou-se a agulha e comprimiu-se o local da punção com algodão, por três minutos, para evitar a formação de hematomas no local da punção,

14- Transferiu-se o material coletado para o tubo de ensaio (pequeno, médio, grande? De vidro...);

15- Descartou-se a seringa utilizada no recipiente próprio para descarte de materiais perfuro cortantes.
Resultados e Discussão
Diante da pratica realizada constatou-se que a punção venosa é um procedimento simples, porém como qualquer outro exige atenção e cuidado. A lavagem de mãos é indispensável em todos os procedimentos relacionados a terapia intravenosa, bem como o uso das luvas que devem ser calçadas antes da punção venosa e mantidas até que o risco de exposição ao sangue tenha sido eliminado

Quanto a escolha do local onde será realizada a punção deve-se levar em conta alguns critérios importantes. Segundo Phillips (2001) ao selecionar o local deve-se evitar as veias lesadas, avermelhadas e inchadas, veias próximas de áreas previamente infectada, região de articulação e veia muito pequena para tamanho do cateter.

Verificou-se que durante o procedimento é necessária uma atenção especial na separação do material a ser utilizado, bem como no momento de sua aplicação, como no caso do garrote que deve ser aplicado com cuidado evitando-se as áreas onde já foram realizadas punções recentes.

Constatou-se que os procedimentos a serem realizados após a punção como a identificação do material e o descarte do material devem ser realizados com critérios e de acordo com os padrões estabelecidos.



Considerações Finais

Considerou-se que a aprendizagem da técnica de punção venosa é fundamental para a atividade das análises clínicas, pois para o profissional de farmácia reconhecer a sequência dos procedimentos a serem tomados muito contribui para sua qualificação profissional o que, consequentemente, resultará na melhoria do atendimento aos pacientes.

Desta forma, é possível afirmar que a realização da técnica contribuiu para uma efetiva aprendizagem, pois a mesma oportunizou a aplicação dos conhecimentos teóricos obtidos em sala de aula, bem como ofereceu condições ao desenvolvimento de habilidades e competências

Considerando-se que a aula transcorreu dentro do previsto e diante dos resultados apresentados conclui-se que o objetivo proposto fora alcançado.



Referências Bibliográficas
PHILLIPS, D. L. Manual de Terapia Intravenosa. Porto Alegre: Artmed, 2001.
ZAGO, M.A; FALCÃO, R.P; PASQUINI, R. Hematologia – Fundamentos e Prática. São Paulo, 2001.   


FACULDADE DE COLIDER - FACIDER
NOME XXXXXXXXXXXXX

TITULO

SUBTITULO SE HOUVER

COLIDER – MT

2010

NOME XXXXXXXXXXXXX

TITULO

SUBTITULO SE HOUVER

Trabalho apresentado ao Curso de XXXXXXXX

bacharelado da Faculdade de Colider -FACIDER

como exigência parcial para aprovação na

disciplina de XXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXX



Profª XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


COLIDER – MT

2010
modelo de revisão teórica) (O QUE JÁ FOI ESCRITO SOBRE O TEMA?)



REVISÃO TEÓRICA
CITAÇÃO DIRETA ( Transcrições)

Informações e ou idéias que pertencem a outro autor.

Transcrevem exatamente a palavra e ou idéia do autor

Podem aparecer no corpo do trabalho ou no rodapé.

Podem ser breves ou longas
Citação direta breve

Não ultrapassa 3 linhas

Fonte e pitch ( tamanho da letra) igual a do texto

Aparece entre aspas Espaço 1,5

Indica-se o autor,ano e página
EXEMPLOS:

Pesquisar é investigar, buscar, procurar constantemente. O tipo de pesquisa mais adequada para o tipo de trabalho que se quer fazer, na visão de Furaste( 2008,p.33) “deve ser feita ainda quando da formulação do problema, pois é através daquela que se chegará à solução deste”


Pesquisar é investigar, procurar constantemente. “O tipo de pesquisa mais adequada para o tipo de trabalho que se quer fazer, deve ser feita ainda quando da formulação do problema, pois é através daquela que se chegará à solução deste”.(FURASTE, 2008, p.33)
Citação direta longa

Mais de 3 linhas.

Recuo de 4cm da margem esquerda
Parágrafo de 1,25 ou 1 TAB para marcar o inicio

Sem aspas

Pitch 10 ( tamanho da fonte)

Espaço simples (entrelinhas)

Entre o texto e a citação 1 espaço em branco ( 2 enter)
EXEMPLOS:
Outro aspecto relevante na coleta do material é:
O estabelecimento do tipo de pesquisa do qual se lançara mão para a busca das informações necessárias para a composição do conhecimento que se deseja. Pesquisar é investigar, buscar, procurar constantemente. O tipo de pesquisa mais adequada para o tipo de trabalho que se quer fazer, deve ser feita ainda quando da formulação do problema, pois é através daquela que se chegará à solução deste.(FURASTÉ, 2008,p.33)
Na visão de Furasté (2008,p.33) outro aspecto relevante na coleta do material é:
O estabelecimento do tipo de pesquisa do qual se lançara mão para a busca das informações necessárias para a composição do conhecimento que se deseja. Pesquisar é investigar, buscar, procurar constantemente. O tipo de pesquisa mais adequada para o tipo de trabalho que se quer deve ser feit ainda quando da formulação do problema, pois através daquela que se chegará à solução deste”
CITAÇÃO INDIRETA (PARÁFRASE)
Expressão de pensamento de outras pessoas com nossas próprias palavras.

Acompanham o corpo do trabalho.

Indica-se o autor e o ano
EXEMPLOS:
De acordo com Furasté (2008) a delimitação do tema é o momento mais complexo e desafiador para o inicio da trabalho de pesquisa.Após separar os elementos que compõe o texto deve-se escolher por aquele no qual temos maiores facilidades de compreensão e gosto pessoal.
A delimitação do tema é o momento mais complexo e desafiador para o inicio da trabalho de pesquisa.Após separar os elementos que compõe o texto deve-se escolher por aquele no qual temos maiores facilidades de compreensão e gosto pessoal.(FURASTÉ, 2008)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Nessa parte são exibidos os livros, sites, revistas, enfim, todo o material que foi consultado para elaboração do trabalho.( Qual o material bibliográfico utilizado?)
Exemplos:

Livros


SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes. Título. Edição. Cidade: Editora, ano.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22.ed. São Paulo: Cortez, 2002. ISBN 85-249-0050-4.


Artigo de Revista

SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Prenomes. Título do artigo. Nome da Revista, Cidade, volume, número, página inicial e final, data (dia, mês, ano).


Dicionário

SOBRENOME DO AUTOR, Prenomes. Título do Dicionário. Edição. Cidade: Editora, ano. Número de páginas.



Manual
ESTADO. Entidade. Título. Cidade, ano, número de páginas.


Mato Grosso (Estado). FACULDADE DE COLIDER- FACIDER – Departamento de Administração. Manual de Elaboração de Trabalhos Cientificos. Colider , .Grafica : Miramar ,2007, 93p

Meio eletrônico) sem autor

Tabagismo passivo. Disponível em :htpp:/www.falandodedrogras.org.br/tabagismo html > Acesso em:10 jan.2005.



(Meio eletrônico) com autor

SILVEIRA, Isadora. Manutenção preventiva. Datavenia, São Paulo, ago. 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2005.

RELATÓRIO DE ESTAGIO EM LABORATÓRIO

Aula 01: Coleta

Nome: ___________________________

Semestre: _______________________

Período de realização: ____/____/_____

Horário de realização: 7h00 às 13h00

Professor Orientador: ______________
1- Itens/ Materiais utilizados


Procedimento 1







1-

4-

7-

2-

5-

8-

3-

6-

9-

Procedimento 2







1-

4-

7-

2-

5-

8-

3-

6-

9-

Procedimento 3







1-

4-

7-

2-

5-

8-

3-

6-

9-

2- Procedimento(s ) realizado(s):



Procedimento 1



Procedimento 2



Procedimento


3-Higienização/ Assepsia:



Procedimento 1



Procedimento 2



Procedimento



4- Descrição do(s) procedimento(s):






























































Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal