Relatório Prêmio Mário Covas 2006 Sabesp mp



Baixar 106.1 Kb.
Encontro06.05.2018
Tamanho106.1 Kb.

[214]

Prêmio Mario Covas 2006

Título:
CEQ - Centro de Exames de Qualificação


Instituição:
Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp

Superintendência de Planejamento e Desenvolvimento da Metropolitana - MP


Responsável:
Superintendente Regina Aparecida de Almeida Siqueira
Equipe:
Jairo Tardelli Filho

Paulo Sergio Padilha

Osvaldo Ioshio Niida

Ana Cristina Ignácio

Categoria:
Eficiência no Uso dos Recursos Públicos e Desburocratização


Problema enfrentado ou oportunidade percebida e solução adotada

A redução de perdas de água é um objetivo estratégico da Sabesp e da sua Diretoria Metropolitana-M.

As perdas por vazamentos são um dos principais fatores que contribuem para as perdas reais de água nos sistemas de distribuição. Estudos de 2003 indicam que as perdas reais por vazamentos na Diretoria Metropolitana representam cerca de 16,6% do volume de água disponibilizado para distribuição. Vazamentos não visíveis detectáveis respondem por cerca de 30% desse valor ou seja são responsáveis por perdas de 5 % do volume total da água disponibilizada para distribuição.

A detecção dos vazamentos não-visíveis por meio de equipamentos de pesquisa acústica permite a identificação precoce e precisa dos mesmos (antes que eles aflorem à superfície) com redução das perdas de água, dos custos e prazos para reparo, além de diminuição da área afetada pela abertura de valas em ruas e calçadas.

Tecnologias para detecção de vazamentos não visíveis têm sido implementadas desde o final da década de 70, quando a Sabesp foi escolhida pelo BNH para receber financiamentos e desenvolver projetos piloto para desenvolvimento de tecnologias a serem disseminadas para o setor de saneamento.

Em 1993 com base em um amplo estudo realizado pela consultoria LYSA - Lyonnaise des Eaux Services Associés a Diretoria Metropolitana passou a estabelecer e implementar programas estruturados e sistematizados para prevenção e redução de perdas de água. Em 1995 foram assinados contratos de compromisso com as cinco Unidades de Negócio de Distribuição de Água e Coleta de Esgotos que integram a Diretoria e, a partir de 1999, passaram a ser estabelecidos Planos Plurianuais para Redução de Perdas.

Estes Programas e Planos incluem e são apoiados por sistemas de informações geográficas, setorização de redes de distribuição, instalação de válvulas redutoras de pressão, macromedição, otimização da troca de hidrômetros, redução nos prazos para reparo de vazamentos, combate a ligações irregulares e pesquisa sistemática de vazamentos não visíveis, dentre outras ações.

A figura abaixo apresenta a evolução das extensões pesquisadas na Diretoria Metropolitana para detecção de vazamentos não visíveis. A redução verificada a partir de 1998 está associada a restrições nos investimentos e na admissão de novas pessoas para a força de trabalho.



Para superar esses obstáculos a Diretoria Metropolitana optou por incrementar a contratação de empresas para conduzir as atividades de pesquisa de vazamentos não visíveis.

Por outro lado, restrições legais (Lei 8666) desaconselhavam a contratação por licitações na modalidade "técnica e preço". Para viabilizar contratações pelo "menor preço" e, ao mesmo prevenir problemas quanto à qualidade e eficácia dos serviços, o grupo de trabalho de perdas da Diretoria Metropolitana sugeriu o desenvolvimento de um sistema de qualificação e certificação de profissionais.

Assim, em meados de 1999 um grupo de trabalho da Superintendência de Planejamento e Desenvolvimento -MP da diretoria elaborou um estudo preliminar com premissas básicas para estruturação deste sistema de qualificação e certificação e iniciou, em nome da empresa, gestões junto a Abende - Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção, organismo de certificação credenciado, acreditada pelo INMETRO.

O objetivo da Superintendência era caracterizar a atividade de detecção de vazamentos não-visíveis por meio de métodos de detecção acústica como um END - Ensaio Não-Destrutivo e, a partir daí viabilizar a implementação do processo de certificação.

Em Julho de 1999 a Abende criou o Comitê Técnico Setorial de Saneamento Básico (CS-SB), integrado por representantes da Sabesp (Superintendência MP), AESBE, outras duas empresas de saneamento estaduais e empresas prestadoras de serviços.

O CS-SB conduziu a implementação do processo de certificação de profissionais de pesquisa de vazamentos não visíveis em redes de água subterrânea, elaborando todos os documentos requeridos (procedimentos, instruções, apostilas, questões de prova etc.).

Esse processo de certificação de profissionais é coordenado pela Abende e desenvolvido em três etapas seqüenciais:


  1. Atendimento a Pré Requisitos de escolaridade, experiência profissional, treinamento e aptidão física (acuidade visual e audiometria)

  2. Qualificação: exames teóricos (gerais e específicos) e práticos

  3. Emissão dos certificados e controle da certificação

A certificação dos profissionais se dá em três níveis:




  • Nível 1 - Operador (exames teórico e prático)

  • Nível 2 - Técnico (exames teórico e prático com critérios mais rigorosos)

  • Nível 3 - Supervisor/Instrutor: (exames teóricos e estudos de caso)

Conforme a estrutura de certificação que foi montada, entidades externas a Abende, devem ser responsáveis respectivamente pelas atividades de treinamento e de aplicação dos exames de qualificação.

Considerando a necessidade de implementar o processo no menor prazo possível o CS-SB estabeleceu critérios provisórios para reconhecimento de Profissionais Nível 3 que atuariam como instrutores (com base em requisitos de escolaridade e experiência profissional) em centros de treinamento reconhecidos.

Ao mesmo tempo a Diretoria Metropolitana da Sabesp assumiu a responsabilidade pela criação de uma estrutura para aplicar os exames Teóricos e Práticos de Qualificação e, em Janeiro de 2000, esses exames de qualificação começaram a ser realizados em situações reais de campo, aproveitando trechos da rede de distribuição da empresa.

Posteriormente foi iniciado o projeto e a construção de um campo de provas, inaugurado em junho de 2001. Finalmente, em Setembro de 2001, após auditoria da Abende a estrutura montada pela Sabesp foi reconhecida oficialmente como Centro de Exames de Qualificação – CEQ.

O CEQ conta atualmente com profissionais da Superintendência MP e cedidos por outras Unidades de Negócio da Diretoria. Estes profissionais que atuam em tempo parcial na gestão e operação CEQ são: um gerente técnico, dois examinadores Nível 3 certificados pela Abende; dois examinadores em certificação e uma secretária.

O CEQ integra o Sistema Nacional de Qualificação e Certificação de Pessoal em Ensaios Não Destrutivos (SNQC-END) e qualifica profissionais da Diretoria Metropolitana e de prestadores de serviços de todo o Brasil estando aberto também para profissionais de outras empresas de saneamento.

Desde meados de 2000 os editais para a contratação dos serviços de detecção de vazamentos não visíveis pelas Unidades de Negócio da Diretoria Metropolitana passaram a exigir profissionais certificados nos quadros das empresas licitantes. No início era requerido no mínimo uma equipe com profissionais certificados. Atualmente a exigência é que todos profissionais de todas equipes sejam certificados.

O CEQ apóia de maneira efetiva o alcance de Objetivos Estratégicos da Empresa e da sua Diretoria Metropolitana, relativos aos Clientes ("Garantia da Qualidade e Disponibilidade dos Serviços e Produtos"), aos Processos Internos ("Aperfeiçoamento da Gestão dos Processos de Água") e ao Aprendizado e Crescimento ("Responsabilidade Social" e "Desenvolvimento, Valorização e Manutenção do Capital Humano").
Concepção e Execução do Projeto do CEQ
Em 1998-1999 o grupo de trabalho de perdas da Diretoria Metropolitana identificou que, apesar da eficiência com que vinha sendo conduzido o programa de detecção de vazamentos não visíveis, existiam dois grandes problemas potenciais decorrentes da necessidade de intensificar a terceirização das atividades de campo.


  • Necessidade de assegurar que as equipes terceirizadas atuassem com a mesma eficácia das equipes próprias;

  • Possibilidade de questionamentos quanto à legalidade das licitações que viessem a ser feitas na modalidade "técnica e preço";

As análises realizadas pelo grupo, utilizando técnicas de brainstorming, indicaram que as principais causas destes problemas potenciais decorriam da:




  • Falta de padronização das práticas operacionais;

  • De lacunas na qualificação dos funcionários de terceiros, considerando que a detecção de vazamentos não visíveis, mesmo quando apoiada por equipamentos sofisticados como geofones eletrônicos e correlacionadores de ruídos, é muito dependente dos conhecimentos e habilidades pessoais dos profissionais que conduzem o processo;

Como já comentado, a solução priorizada foi o estabelecimento de um sistema de certificação em Pesquisas de Vazamentos não Visíveis.

Para detalhar e viabilizar esta solução a Superintendência MP criou em 1999 um grupo de trabalho que analisou outros processos de certificação em END, em especial a experiência da Petrobrás operava desde 1978 um centro para qualificação de profissionais em outros tipos de ensaios não destrutivos.

Nesta etapa inicial também foi identificado que o processo de certificação poderia ter um efeito benéfico adicional com relação a:




  • Produtividade das equipes: na época em torno de 180 km varridos (pesquisados) por funcionário por ano;

  • Eficácia: o índice de acerto (nº de vazamentos confirmados / nº de vazamentos locados) estava em torno de 85 a 90 %;

  • Eficiência: o número de vazamentos detectados por quilômetro estava em torno de 0,40 vazamentos / km varrido.

O grupo de trabalho da Sabesp e o CS-SB estabeleceram um cronograma e conduziram o projeto para implementação do CEQ de acordo com as seguintes etapas:




  1. Dados de entrada

Foram identificados os principais requisitos do projeto:




  • O campo de prova deveria permitir a simulação dos ruídos dos vazamentos em condições ambientais próximas das reais;

  • Não deveria haver perdas de água;

  • A área cedida pela Empresa deveria ter suas características originais preservadas (utilização como estacionamento).


2. Dados de saída e definição das características do projeto
O maior problema tecnológico do projeto era a construção de um dispositivo que simulasse os quatro tipos de sons que compõem o som de um vazamento real em rede subterrânea (ver esquema abaixo):

Foram coletadas todas as informações disponíveis, inclusive benchmarking a partir de dados de visita de membro do CS-SB a campo de prova (utilizado para fins de treinamento) localizado no Japão e mantido por um fabricante de equipamentos para detecção de vazamentos não visíveis. Alguns meses depois o Superintendente da MP visitou na Inglaterra um campo de prova para treinamento mantido pela Palmer, outro fabricante desses equipamentos.

Porém, as informações obtidas não eram suficientes para possibilitar a construção de dispositivos confiáveis. Isto levou a equipe do CEQ a desenvolver um dispositivo, a partir de técnicas de brainstorming para identificar alternativas e, a seguir, construindo modelos por meio de aproximações sucessivas e realizando testes práticos.

O dispositivo inovador que foi desenvolvido também possibilita a recirculação da água dos vazamentos, atendendo ao segundo requisito estabelecido ("evitar perdas").

As condições ambientais para os exames também são próximas das condições reais encontradas em campo (exposição ao vento, tráfego leve de veículos, ruídos externos etc.).

Finalmente o conceito de campo de provas enterrado possibilitou a recuperação das características originais da área de estacionamento.


3. Análises críticas e controle de alterações
O cronograma de atividades e soluções propostas pela equipe de projeto eram acompanhadas e validadas durante as reuniões periódicas do CS-SB e os problemas, alterações e demais decisões registradas em atas.



  1. Execução e Verificação

Após elaborar e detalhar o projeto, a Diretoria Metropolitana contratou uma empresa para executar a obra do CEQ e passou a acompanhar o cronograma de obras. Após abertura de valas, construção das redes elétrica, pluvial etc. foi instalada a rede de água principal e realizado teste hidrostático do conjunto.

O primeiro dispositivo de vazamento simulado foi instalado e aterrado para possibilitar que um profissional do CEQ verificasse o seu funcionamento por meio de haste de escuta, geofone eletrônico e correlacionador de ruídos. Após aprovação, todos demais pontos de vazamento instalados, testados e aterrados de maneira a garantir o sigilo quanto à sua localização e, finalmente toda área foi compactada e pavimentada.


  1. Validação Final

Concluídas as obras do Campo de Provas foi executada uma série de Testes de Detecção de Vazamentos, com a finalidade de mapear e validar o grau de dificuldade do exame prático em todos os pontos de vazamentos simulados. Após três meses de funcionamento a Abende realizou uma validação final e reconheceu o campo de prova como CEQ.

A Superintendência MP mantém registros físicos e eletrônicos de todo projeto, inclusive com documentação fotográfica das obras.
Características do CEQ
O CEQ SABESP conta com uma sala para a aplicação dos exames teóricos (sala de reuniões dos departamentos da Superintendência MP) e com um Campo de Prova para a aplicação dos exames práticos (ver planta abaixo)


O Campo de Prova é constituído por uma rede pressurizada e compartilhada com a área de estacionamento de 1.200 m2, onde foram instaladas 110m de tubulações de ferro fundido e PVC, ambas com derivações em tubos de polietileno que simulam os vazamentos.

Também conta com uma edificação, com 36 m2 de área construída, denominada “Centro de Controle dos Vazamentos”, contendo um subsolo de operação do CEQ e um pavimento térreo administrativo.

O subsolo tem um tanque com capacidade de 1.000 litros d’água, uma calha de recebimento do volume dos vazamentos simulados, uma bomba de recalque que pressuriza e recircula toda água do sistema, conjunto de registros que permite o acionamento de cada vazamento a ser aplicado ao candidato e demais acessórios de operação.
Documentação e registros
As atividades e responsabilidades do CEQ estão documentadas no seu Manual de Operação (MO), emitido originalmente em junho/2001.

O MO inclui os procedimentos operacionais e as instruções necessárias para assegurar a conformidade do sistema com os critérios estabelecidos pelos Procedimentos, Normas e Documentos complementares da Abende, relativos à certificação em END.

O MO é aprovado pelo Bureau de Certificação e é mantido atualizado e disponível para verificação pelos auditores externos da Abende. Revisões periódicas asseguram a contínua eficácia deste documento.

Os métodos de ensaio seguem o procedimento Abende PR-051 ("Ensaio de estanqueidade - detecção de vazamentos não visíveis") e as NBRs nº15.182 e 15.183 ("Ensaios não destrutivos para estanqueidade de tubulações para saneamento básico")

A operação do CEQ e os exames de qualificação seguem procedimentos padronizados e aprovados pelo Bureau de Certificação (por exemplo, NA-001, DC-008, ITs 087 a 091 e LVs135 a 138)

O MO inclui rotinas para controle de toda a documentação técnica interna ou recebida pelo CEQ e para manutenção de registros de maneira a propiciar evidências objetivas de conformidade, com relação aos critérios estabelecidos pelo Bureau de Certificação.

Todas as normas, manuais, especificações ou outros documentos técnicos em uso pelo CEQ são mantidos à disposição do seu corpo técnico e existem sistemáticas para assegurar que sejam utilizadas apenas cópias atualizadas dos documentos internos ou externos.

Também estão implementados programas e procedimentos para manutenção preventiva e para calibração periódica dos equipamentos. Os vazamentos simulados são verificados mensalmente por meio do relatório de manutenção RE-003.


Gestão, controle e aprendizado
Logo após a construção do campo de provas a equipe do CEQ desenvolveu um software para gerar, corrigir e registrar os exames práticos de qualificação (com definição aleatória da combinação de quatro pontos de vazamentos que serão designados para cada um dos candidatos). O sistema assegura que não haja repetição de pontos de vazamento para candidatos que venham a prestar novos exames, em caso de reprovação, recertificação (que ocorre após 60 meses) ou exames para mudança de Nível.

Os gestores do CEQ avaliam o cumprimento dos padrões de trabalho e o desempenho do CEQ por meio de reuniões bimestrais de Acompanhamento e de reuniões trimestrais de Análise Crítica.

Nestas reuniões são avaliados:


  • Resultados de indicadores operacionais;

  • Resultados de avaliações pós-exame feitas pelos candidatos;

  • Relatórios de auditorias internas da Qualidade que são realizadas anualmente por auditores independentes, da PA - Superintendência de Auditoria, ligada diretamente à Presidência da empresa.

  • Relatórios de auditorias externas conduzidas pela Abende

  • Relatórios de não conformidades que, conforme procedimento PR-OP-005, são tratadas por meio de Ações Corretivas ou Preventivas para identificar as causas dos problemas e implementar ações que efetivamente evitem a re-ocorrência das não conformidades.

Também são analisadas novas diretrizes e orientações do Bureau de Certificação da Abende e da Diretoria Metropolitana e é avaliada a implementação e eficácia das ações estabelecidas nas reuniões anteriores.

A partir da análise crítica deste conjunto abrangente de informações são definidos planos de ação para melhoria ou, se necessário, propostas para melhoria encaminhada à Abende por meio dos representantes da Sabesp no CS-SB.

Exemplos de ações para melhoria identificadas e implementadas a partir deste sistema de aprendizado:




  • Em 2001: implementação do software para gerar, corrigir e registrar os exames práticos de qualificação (descrito no item B.2);

  • Em 2002: revisão das questões das provas teóricas, a partir de análise das curvas de acerto e de redundâncias apontadas pelos examinadores e candidatos;

  • Em 2004: implementação de rotinas para tratamento e controle químico da água que recircula na rede pressurizada do campo de provas, a partir de estudos desenvolvidos com o objetivo de prevenir a evolução de processos de corrosão ou incrustações que começavam a afetar as características dos vazamentos padronizados.

  • Em 2005: elaboração de estudo estatístico dos resultados de 139 provas práticas (556 vazamentos locados) para identificar a viabilidade de redução nas tolerâncias estabelecidas para aprovação dos vazamentos locados pelos candidatos.

  • Em 2006: desenvolvimento de novas Listas de Verificação que devem ser implementadas até o final do ano para avaliar o desempenho do candidato em cada ponto de vazamento. Atualmente é utilizada uma única lista para os quatro pontos, o que dificulta o registro de lacuna pontual no atendimento a requisito do procedimento (por exemplo, um desvio grave em apenas um dos quatro pontos).


Caráter inovador
O sistema de certificação que foi desenvolvido em parceria com a Abende e o projeto do CEQ tem diversos aspectos inovadores. Dentre eles:


  • A certificação para realização de END embora bastante disseminada nos setores petroquímico e eletromecânico, representou uma inovação no setor de saneamento mundial e até hoje não existem processos similares conduzidos por entidades oficiais das Américas ou Europa.

  • O campo de prova do CEQ foi projetado especificamente para simulação e detecção de vazamentos em redes pressurizadas de distribuição de água e com inovações técnicas como rede enterrada, que também não são encontradas em nenhum outro Centro ou empresa do mundo.

  • Também deve ser destacada a criatividade do grupo de projeto que desenvolveu o dispositivo inovador que simula os sons que compõem o ruído de um vazamento real em rede subterrânea, e possibilita a recirculação de água dos vazamentos simulados.

  • Durante o detalhamento do projeto também foi necessário projetar e desenvolver alguns componentes especiais (luvas de redução e peças fundidas).

Custo

O investimento na construção do CEQ foi da ordem de R$ 120 mil.

Para viabilizar a aplicação dos exames de qualificação dois examinadores do CEQ foram treinados e certificados no Nível 3 pela Abende.

Além disso, a Sabesp disponibiliza uma equipe de seis pessoas, em tempo parcial para gerenciar o CEQ e conduzir os exames teóricos e práticos de qualificação.


Efetividade de resultados
A gestão eficaz do CEQ tem impactos (diretos ou indiretos) nos resultados de diversos indicadores da Diretoria Metropolitana e de suas Unidades de Negócio de Distribuição, dentre eles indicadores quantitativos ou qualitativos relativos:


  • Aos processos: melhoria na qualidade dos serviços, na produtividade e no índice de acerto da detecção de vazamentos não visíveis; redução das perdas reais de água na distribuição; redução nos riscos de contaminação quando da despressurização da rede e dos riscos de sinistros devidos a infiltrações de água;

  • A fornecedores: qualificação e desenvolvimento dos fornecedores e redução de custos associados ao fornecimento de serviços de detecção de vazamentos não visíveis;

  • À responsabilidade social e ambiental:

  • Ao desempenho econômico-financeiro: melhoria nos resultados empresariais devido à redução das perdas reais e aparentes;

  • Aos clientes:

  • Aos processos organizacionais: identificação, manutenção e proteção dos ativos intangíveis relativos a conhecimentos críticos e seu compartilhamento com as diversas áreas da empresa e com setores da sociedade.

As atividades de qualificação conduzidas pelo CEQ tem reflexos positivos sobre diversas partes interessadas. Dentre elas:


Pessoas
Entre 2001 e 2005 70 funcionários da M receberam treinamento reconhecido pela Abende e 42 deles foram efetivamente certificados. Ao patrocinar a qualificação de pessoas de sua força de trabalho a empresa aplica na prática o fundamento de excelência "Valorização das Pessoas" estimulando o desenvolvimento pessoal e profissional e a empregabilidade, com reflexos positivos na retenção do capital intelectual e na satisfação dessas pessoas.
Fornecedores:
Até 2005 126 profissionais de contratadas prestaram exames de qualificação no CEQ sendo que 97 deles foram certificados ou recertificados nos níveis N1 ou N2. Ao promover o desenvolvimento da força de trabalho das contratadas a OC estimula o comprometimento com seus valores e princípios organizacionais, estabelece parcerias mais sólidas e, acaba por se beneficiar com a melhoria da qualidade dos serviços, aumento da produtividade e redução dos custos.
Sociedade
Os valores da Sabesp, relativos à responsabilidade social são colocados em prática pelos profissionais da Diretoria Metropolitana que apóiam as atividades da Abende (participando das reuniões do Bureau de Certificação, do CS-SB e do Comitê de Normalização Técnica)

A qualificação de profissionais do setor realizada com apoio do CEQ conduz a maior eficácia na detecção de vazamentos e, em conseqüência, à redução nas perdas, contribuindo para a conservação do recurso natural "água".

Embora outras empresas do setor de saneamento ainda não estejam investindo na certificação de seus profissionais elas também já se beneficiam indiretamente com:


  • A melhoria do desempenho das equipes certificadas de terceiros que prestam serviços de detecção de vazamentos não visíveis.

  • A adoção dos procedimentos Abende e Normas ABNT desenvolvidas com apoio da Sabesp.

  • O treinamento de pessoas de sua força de trabalho por profissionais certificados no Nível 3.


Clientes e Mercado:
Além da qualificação técnica o processo de certificação contempla diversos aspectos do relacionamento dos profissionais com os clientes e sociedade. Por exemplo, o Procedimento PR-051 da Abende estabelece, aspectos comportamentais que devem ser seguidos pelas pessoas durante as pesquisas de vazamentos não visíveis, tais como: utilização de uniformes, identificação dos veículos, informação aos moradores, comunicação com antecedência de serviços noturnos e sinalização do local de trabalho.

Assim a qualificação das pessoas das equipes de campo previne ou minimiza problemas de relacionamento com os clientes contribuindo para melhoria da satisfação e imagem da empresa.

Também deve ser destacado o impacto positivo na imagem decorrente da redução nos riscos de contaminação quando da despressurização da rede e dos riscos de sinistros devidos a infiltrações de água.
Acionistas e governo do estado
O impacto do CEQ na redução de perdas reais de água na distribuição e na redução de custos de contratação também contribui para a melhoria observada entre 2000 e 2005 nos resultados empresariais dos indicadores de Receita operacional (aumento de 47,6%) e de Rentabilidade (aumento de 66,2% no lucro líquido).

Além disso, as equipes contratadas também contribuem para a redução nas perdas aparentes de água (água não faturada) ao indicar nas folhas de campo Hidrômetros com problemas, (cerca de 3,6% das ligações nas áreas varridas) e Suspeita de ligações irregulares (cerca de 0,2 % das ligações nas áreas varridas)

Para ilustrar o impacto positivo das atividades de qualificação e certificação dos profissionais que conduzem os ensaios não destrutivos para detecção de vazamentos não visíveis, apresentamos abaixo os resultados de um conjunto de indicadores de desempenho da Diretoria da Região Metropolitana - M e de sua Unidade de Negócio Sul - MS:
O Índice de Acerto é o principal indicador da eficácia das equipes de pesquisa de vazamentos não visíveis. Antes da implementação do CEQ e da Certificação Abende este indicador se mantinha na faixa de 85 a 90%. Hoje a M busca atingir um limite mínimo de 95 % de acerto:

Índice de Acerto MS - Mão de Obra Própria (% vazamentos confirmados/total de vazamentos locados)


2002

2003

2004

2005

97,9

96,8

98,5

97,5


Índice de Acerto MS - Contratadas (% vazamentos confirmados/total de vazamentos locados)

2002

2003

2004

2005

97,0

97,7

97,0

96,7


Índice de Acerto MS - Total (% vazamentos confirmados / total de vazamentos locados)

2002

2003

2004

2005

97,6

97,4

97,5

97,0

O Indicador de nº de vazamentos locados por km varrido pelas equipes é acompanhado por todas Unidades da M. O sistema de simulação utilizado pela M para planejar suas ações para redução de perdas considera um valor padrão de 1,00 Vazamento/Km, porém não foram estabelecidas metas pois existe uma tendência de aumento nos resultados obtidos ao se iniciar a implementação de melhorias no programa (capacitação das equipes, uso de dados mais sofisticados para subsidiar o planejamento, melhorias nos procedimentos e equipamentos etc.). Já para programas mais maduros é esperada uma estabilização dos resultados em patamar inferior:



nº de Vazamentos localizados por km varrido - MS

2002

2003

2004

2005

0,76

1,09

1,03

0,66


nº de Vazamentos localizados por km varrido - M

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

0,5

0,6

1,2

1,3

1,2

1,3

1,1

A Diretoria M estabeleceu como prioridade a certificação dos profissionais das prestadoras de serviços. A partir dos contratos negociados em 2002, foi exigida a certificação de 100% desses profissionais. Ainda em 2002 os profissionais da MS foram treinados e nos anos seguintes foi iniciada a sua certificação, conforme tabela abaixo.



% de pessoas certificadas MS-MOP

2002

2003

2004

2005

22,2%

44,4%

66,7%

88,9%

Os requisitos contratuais relativos à utilização dos procedimentos padronizados pela Abende e a qualificação dos profissionais das equipes dos prestadores de serviços, têm impacto positivo na produtividade. O repasse de parte desses ganhos para a Empresa possivelmente contribuiu para redução nos custos reais (deflacionados) de contratação:



Preço Médio das Contratadas R$/km - MS (Correção IPC FIPE base junho 2002)

2003

2004

2005

2006

401,03

401,03

331,74

331,34

O sistema de simulação utilizado pela M considera que cerca de 30% da recuperação de perdas reais decorre dos programas de detecção de vazamentos não visíveis. A tabela abaixo apresenta a evolução deste indicador para a região metropolitana.



Perdas Reais (Físicas) - M (L/ligação.dia)

1999

2000

2001

2002

2003

2004

2005

Londres 2004/2005

Média Mundial

301

246

241

240

295

294

266

261

276

Fonte dos Referenciais: Anais da Conferência Leakage 2005 - Halifax, Canadá

Nota: A partir de 2003 a M passou a utilizar no cálculo o número de ligações ativas, em substituição ao número de ligações totais (ligações ativas mais ligações suprimidas etc.) utilizado até então. Isso permite comparações e gestão mais adequadas e explica o aparente aumento no patamar de perdas reais.
Resultado de Pesquisa de Satisfação Pós Exame de Qualificação (para cada um dos seis fatores avaliados o candidato pode atribuir os conceitos: Ruim, Médio ou Bom):

Satisfação dos Candidatos (% do Conceito "Bom")

2001

2002

2003

2004

2005

75,0

88,3

86,7

85,7

94,4


Possibilidade de multiplicação


  • A certificação está em crescimento na Sabesp, pois a Diretoria de Sistemas Regionais – R que abrange o interior da capital paulista está na etapa inicial do processo de certificação através da realização do treinamento nos profissionais de detecção de vazamentos não-visíveis.



Desenvolvimento de parcerias com outras entidades do setor público, social ou privado

Em maio de 2001 foi firmado o convênio entre a Sabesp e a Abende para concessão de reconhecimento de Centros de Exames de qualificação de pessoal em ensaios não destrutivos, no setor saneamento. Através deste instrumento a SABESP, representada pelo CEQ, constituiu-se como empresa capacitada e interessada no seu reconhecimento como Centro de Exames de Qualificação de Pessoal em Ensaios Não Destrutivos – Detecção de Vazamentos Não-Visíveis de Líquidos sob Pressão em Tubulações Enterradas.



Outra forma de atuação em parceria foi a composição técnica do Comitê Técnico Setorial de Saneamento Básico (CS-SB), criado desde 1999, sendo integrado por representantes da Sabesp (Superintendência MP), empresas de saneamento estaduais e empresas prestadoras de serviços.





Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal