Secretaria de estado da educaçÃO



Baixar 2.18 Mb.
Página6/27
Encontro27.01.2018
Tamanho2.18 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   27

OBJETIVOS


  • Estimular no educando o conhecimento de suas potencialidades;

  • Participar das atividades corporais, estabelecendo relações equilibradas e construtivas com os outros, reconhecendo e respeitando características físicas e de desempenho de si próprio e de outros, sem discriminação;

  • Analisar, compreender e manipular os elementos que compõem as regras como instrumento de criação e transformação;

  • Buscar informações para seu aprofundamento teórico de forma a construir e adaptar alguns sistemas de melhoria de aptidão física.

CONTEÚDOS

Na nova proposta pedagógica do ensino-aprendizagem em Educação Física devemos destacar como fins às competências e habilidades a serem desenvolvidas através das seguintes atividades educativas:

Esporte - coletivos

- individuais

- radicais

Jogos e brincadeiras - jogos e brincadeiras populares

- brincadeiras e cantigas de roda

- jogos de tabuleiro

- jogos dramáticos

- jogos cooperativos

Dança – danças folclóricas

- danças de salão

- danças de rua

- danças criativas

- danças circulares

Ginástica – ginástica artística / olímpica

- ginástica rítmica

- ginástica de condicionamento físico

- ginástica circense

- ginástica geral

Lutas – lutas de aproximação

- lutas que mantém distância

- lutas com instrumento mediador

- capoeira


METODOLOGIA


As transformações da sociedade determinam condições para uma nova atitude de educação corporal em movimento. Educar esteticamente o corpo em movimento é ensinar a ver, a ouvir criticamente, a interpretar a realidade do movimento, a fim de ampliar as possibilidades de sua fruição para o aluno individualmente e em grupos.

A metodologia do ensino aprendizagem em Educação Física abrange a teoria e a prática sobre a cultura do corpo em movimento:

Sua origem:


  • O que se produziu historicamente nas relações sociais de sociedade que criaram e adotaram como formas culturais de movimento;

  • O desenvolvimento da criança inserida num contexto social;

  • A valorização da criança inserida num contexto social;

  • Evitar exercícios repetitivos, extraídos de rol de receitas, evitando o reprodutivismo, sem o entendimento;

Sua história:

  • Que o desenvolvimento do corpo se de através da ginástica, dança, jogos, esporte, numa perspectiva histórico-crítica através da dinâmica própria de cada sociedade;

  • Que os alunos tenham a possibilidade de conhecer e mudar as regras a partir da análise da realidade, contribuindo na criação de novos jogos.

Sua finalidade:

  • Modelo de sociedade que os produziram;

  • Incorporação pela sociedade brasileira;

  • Influencia dos esportes nos diferentes modelos de sociedade;

  • O esporte enquanto fenômeno cultural;

  • O esporte na sociedade capitalista;

  • As regras do esporte;

  • Análise crítica do esporte e suas regras;

  • Produção de novos conhecimentos.

AVALIAÇÃO

A avaliação será diagnóstica, contínua e somatória, que analise o grau de compreensão do aluno, que se dará pela observação individual e em grupo, participação e desenvolvimento, onde o mesmo estará ciente de como será avaliado, pois os instrumentos de avaliação poderão ser variados em relação aos conteúdos e seus objetivos levando em consideração a faixa etária, o grau de autonomia e o discernimento que possui.



REFERENCIAS

OLIVEIRA, José G. Mariz de. Educação Física e o Ensino de 1º Grau. São Paulo: EPU, 1998.

CURRÍCULO BÁSICO PARA O ENSINO DE 1º GRAU.Secretaria de Estado da Eduacação do Paraná. Curitiba , 1990.

Diretrizes curriculares da Educação Básica, Paraná 2008.

FARINATTI, Paulo T. V. Criança e a Atividade Física, Rio de Janeiro: Sprint,1996.



PICCOLO,Vilma N. Educação Física Escolar: Ser ou não ser.Campinas:Papirus, 1995.

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE
ENSINO RELIGIOSO


I – APRESENTAÇÃO
Uma mudança de paradigma não é algo suave, tranqüilo. A nova LDB provoca uma mudança nos paradigmas tradicionais que regiam a educação nacional, afetando, também, o Ensino Religioso. Desta forma pode-se destacar alguns enfoques fundamentais para a construção de uma nova compreensão do Ensino Religioso.

- O Ensino Religioso é parte da formação básica do cidadão.

- No Ensino Religioso deve ser assegurado o respeito à diversidade cultural e religiosa da formação nacional brasileira.

- no ensino religioso ficam vedadas quaisquer formas de proselitismo.

O Ensino Religioso distancia-se claramente das ‘aulas de religião’, referindo-se mais propriamente, à educação da dimensão religiosa do ser humano. A religião enquanto credo (ou confissão de uma crença determinada) pertence à esfera do privado, não podendo a escola, enquanto instituição educativa, negligenciar o sentido do transcendente presente no homem.

O Ensino Religioso se justifica a partir da compreensão de uma educação de raízes humanistas, aberta ao valor religioso como ‘realidade e problema existente de fato na sociedade, na história e na vida dos homens’.

Pelo ângulo do diálogo, o ensino religioso deve desenvolver, em grau máximo, o respeito à alteridade.
OBJETIVOS


  1. Auxiliar na superação das contradições de respostas isoladas, que apenas contribuem para a fragmentação da visão crítica do cidadão;

  2. Questionar a existência para dar sua resposta devidamente informada;

  3. Facilitar a compreensão do significado das afirmações e verdades de fé das tradições religiosas;

  4. Reconhecer o direito à diferença na construção de estruturas religiosas que tem na liberdade o seu valor inalienável;

  5. Ensinar e aperfeiçoar nos alunos o conjunto de normas que empregam para desenvolver as faculdades éticas e morais do educando;

  6. Transmitir aos alunos maneiras do indivíduo se comportar através dos bons hábitos, com responsabilidades que lhe cabem para que sejam cidadãos conscientes no futuro promovendo a compreensão, a tolerância, a amizade e paz entre todos;

  7. Propiciar o conhecimento da evolução da estrutura religiosa no decorrer dos tempos, assim como as ideologias religiosas que perpassam as redações dos textos sagrados e dos textos orais e aquilo que determina a verdade sobre o Transcendente para o grupo;

  8. Buscar valores novos e buscar interesse pêlos problemas da vida;

  9. Analisar o conhecimento dos elementos básicos que compõem o fenômeno religioso, a partir das experiências religiosas percebidas no cotidiano;

  10. Analisar o papel das tradições religiosas na estrutura e manutenção das diferentes culturas e manifestações socioculturais;

  11. Refletir o sentido da atitude moral como conseqüência do fenômeno religioso e expressão da consciência e da resposta pessoal e comunitária do ser humano.


II -CONTEÚDOS POR SÉRIE/ANO:

6º Ensino Fundamental:

Idéia do Transcendente:



  • Os significados transcendentes na vida;

  • A construção da idéia do transcendente no tempo e no espaço;

Função política das ideologias religiosas:

  • A construção da verdade dos discursos religiosos;

  • O sistema de valores determinando atitudes e comportamentos em vista de objetivos específicos;

  • As práticas religiosas e os mistérios;

Revelação:

  • As verdades sagradas como referencias da vontade do Transcendente;

  • A autoridade do discurso religioso fundamentado.



7º Ensino Fundamental:

Evolução da estrutura religiosa nas organizações humanas; das tradições religiosas no decorrer dos tempos;

A sistematização da idéia do transcendente pelas tradições religiosas;

A estruturação do mundo pessoal a partir da experiência do transcendente e da tradição religiosa;

Contexto cultural dos textos sagrados orais e escritos;

A construção cultural da palavra sagrada no tempo e no espaço pela tradições religiosas.


III -METODOLOGIA:
Observação – reflexão – informação;

Propiciar o intercâmbio de idéias e opiniões entre os alunos;

Elaboração de projetos pessoais, participação cooperativa em projetos coletivos com clara noção daquilo que quer, isto é, autonomia;

Atmosfera de diálogo, trabalhos grupais, com regras e normas de funcionamento, isto é, interação e cooperação;

Dinâmica que facilita a interiorizarão, pela forma de observar e interpretar o fenômeno religioso;

Aplicação de uma prática interdisciplinar para facilitar o transitar dos alunos em diversas áreas do conhecimento;

Desenvolver o trabalho de captação e interpretação de textos e documentos
IV - AVALIAÇÃO
Avaliar significa basicamente acompanhar a aprendizagem. No ensino religioso, atingir as expectativas não se constitui em critérios para a aprovação ou reprovação, mas fontes para cada educando e a continuidade do processo de aprendizagem.

Na educação, e principalmente no Ensino religioso, a avaliação tem um sentido amplo, além de alimentar, sustentar e orientar a intervenção pedagógica como parte integrante e intrínseca ao processo educativo, envolve outros aspectos: sociabilidade, afetividade, postura, compromisso, integração, participação e expectativa da aprendizagem do aluno e de sua transformação.


V - REFERENCIAS
Referencial Curricular para a proposta pedagógica da Escola. Fórum Nacional Permanente do Ensino Religioso.

Apontando novos caminhos para o Ensino Religioso. SEED/DEF/ASSINTEC – 2003.

JUNQUEIRA, Sérgio Rogério Azevedo. (orgs.). Conhecimento local e conhecimento universal: Pesquisa, didática e ação docente. Curitiba, Champagnat, 2004.

COSTELLA, Domênico. O fundamento epistemológico do Ensino Religioso. In: JUNQUEIRA, Sérgio; WAGNER, Raul (orgs.). O Ensino Religioso no Brasil. Curitiba, Champagnat, 2004.

Aprendendo a ser e a conviver (Margarida Serrão e Maria Clarice Baleeiro) Editora – FTD.


  1. Educação Moral e Cívica – Volume 1

Avelino Antonio Correia

Educação Moral e Cívica – Volume 2

Avelino Antonio Correia


PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE GEOGRAFIA
OBJETIVOS

Proporcionar ao educando o conhecimento cientifico através dos saberes adquiridos em sala de aula, buscando meios que levem a responsabilidade para construir o espaço sem destruir a natureza.

Tornar o aluno apto a compreender a importância de sua participação como ser social no processo de organização do espaço, relacionando-se com as transformações que ele vem promovendo de acordo com a sua necessidade e seu estágio sócio-cultural.

Despertar no aluno o interesse pelo conhecimento científico, ativando o senso critico a partir do meio e do conhecimento já adquirido incorporando vocábulos e procedimentos novos, assumindo uma postura analítica diante do conjunto da natureza e da sociedade, sempre dinâmica, formando cidadãos, isto é, pessoas lúcidas, criticas e responsáveis, capaz de analisar e interpretar fatos e fenômenos geográficos num contexto atual.


CONTEÚDOS

  • GEOPOLITICA

A idéia de Geopolítica envolve as relações de poder, econômicas e sociais. Por isto o conceito de território é o mais importante, é o conceito chave deste conteúdo estruturaste.

  • A QUESTÃO SOCIO-AMBIENTAL

2.1-A Relação Sociedade-Natureza (como e por que os fenômenos naturais afetam a sociedade)

2.2- Os problemas sócio-ambiental (como e porque o modo capitalista de produção criou desequilíbrios naturais e desigualdades sociais)

A questão sócio-ambiental não pode excluir a sociedade, mas deve, sim, compreender que a sociedade, economia, política e cultura fazem parte de processos relativos à problemática ambiental contemporânea: sociedade como componente e como sujeito.
DINÂMICA DO ESPAÇO SOCIO-CULTURAL

O objetivo deste tema é à busca de um amadurecimento metodológico para o tratamento daquilo que habitualmente chamamos de Geografia física. A abordagem deste tema deve considerar sua própria dinâmica, mas também, e cada vez mais, as modificações sofridas por essa dinâmicas original, em função das ações datadas e localizadas, movidas por interesses sociais, políticos e econômicos, de determinados grupos para fins produtivos, de lucro, consumo e desperdício.


O PROCESSO DE PRODUÇÃO NA ORGANIZAÇÃO ESPACIAL

Deste enfoque percebe-se que há um modelo hegemônico que quer organizar o espaço das cidades e impor uma forma de vida para todas as pessoas. Da mesma maneira os avanços tecnológicos modificam algumas paisagens rurais, padronizando-as segundo os interesses capitalismo. Essa imposição de uma cultura de massa quer ocupar um espaço-tempo cada vez maior, mas não se estabelece sem alguma resistência. Esta tensão, real e característica deste momento histórico garante a importância deste campo de estudo da Geografia.


CONTEÚDO: 6º ANO

1. O homem e o Espaço:

- Paisagem Natural;

- Paisagem Cultural;

- Trabalho e Tecnologia na transformação da paisagem e suas constantes modificações.

2. Orientação e Localização:

- Orientação pelo Sol, Rosa dos Ventos, Lua, Estrelas, Bússola e G.P.S.

- Os círculos da Terra ou linhas imaginárias;

- As coordenadas geográficas;

- Movimentos da Terra (Rotação e Translação);

- Fusos Horários;

- Representação do Espaço e a linguagem dos mapas;

- O globo terrestre e os mapas;

- Projeções, escalas, plantas, convenções.

3. Divisão em Continentes.

4. Características da População Mundial (Étnica e Cultural).

5. Formação do Planeta Terra (Agentes formadores e transformadores):

- A Atmosfera;

- Clima;

- Formações Vegetais;

- Hidrosfera (oceanos e mares);

- Águas Continentais;

- Bacias Hidrográficas;

- O Relevo da Terra.

6. Recursos Renováveis e não-renováveis.

7. Atividades Econômicas e seus relativos espaços.


CONTEÚDO: 7º ANO

  • Poder Político, Estado e Organização do Espaço Brasileiro.

  • A formação do território brasileiro;

  • A paisagem natural brasileira e a ação humana;

  • A sociedade e a economia no Brasil:

- O espaço geográfico e o nível de desenvolvimento econômico e social;

- A economia brasileira e as desigualdades sociais.

5- O Brasil de país agrário a industrial;

6- As desigualdades sociais no Brasil;

7- A urbanização brasileira;

8- A população brasileira;

9-A regionalização brasileira;

10- O Nordeste

11- O espaço socioeconômico do Nordeste;

12- O Centro Sul;

13- O espaço socioeconômico do Centro Sul;

14-A Amazônia;

15- O espaço socioeconômico da Amazônia.
CONTEÚDO : 8º ANO

1- A natureza como critério de Regionalização:

- Os diferentes Biomas;

2- Os diferentes sistemas sócio-econômicos: características, os países, condições sociais da população;

3- As recentes transformações dos sistemas sócio-econômicos:

- As recentes transformações desde o mundo bipolar a nova ordem estabelecida: Economias Emergentes;

4- A produção do espaço geográfico americano:

- Espaço natural e espaço geográfico;

- O trabalho do homem como modificador do espaço e distribuidor da natureza;

- A produção do espaço em diferentes etapas históricas;

- A natureza e a organização do espaço americano;

- Os meios de produção e a força do trabalho;

5- As organizações econômicas e as possibilidades de ascensão econômica do mundo;

6- As transformações no espaço e na economia agrária e industrial;

7- A divisão social do trabalho, exploração da força de trabalho e classe operária em diferentes partes do mundo;

8- Características do Continente Americano:

- Imperialismo e a América desenvolvida. EUA e Canadá;

- A América Subdesenvolvida: América Latina;

- Potencialidades, localização: aspectos naturais e aproveitamento econômico, intervenção estratégica e suas conseqüências;

- Povoamento da América Latina: ocupação e povoamento, exploração econômica dos colonizadores, condições de vida, integração dos países;

9- Mercosul:

- Localização;

- Importância dos blocos regionais;

- O mercosul e o mercado internacional;

- Novas adesões.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   27


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal