Seleção de isolados de Trichoderma spp



Baixar 8.05 Kb.
Encontro15.05.2018
Tamanho8.05 Kb.

Formato dos resumos

Papel: A-4; Espaçamento: 1

Margens: Esquerda e direita - 2.5 cm, margem superior – 3.0 cm; margem inferior – 2.5 cm. Área de impressão de 16,0x23,7 cm.

Fonte: “Times New Roman” Título 15 pt negrito, autores (Sublinhar nome do apresentador) 12 pt negrito; endereço (s) com E-mail 12 pt itálico, texto 12 pt]. Alinhamento justificado. O resumo poderá conter até 2.500 caracteres.


O resumo expandido deverá seguir a mesma formatação do simples e poderá conter até quatro páginas.

Seleção de isolados de Trichoderma spp. para o controle de Sclerotinia sclerotiorum, agente causal do mofo-branco do feijoeiro
Marcelo A. B. Morandi; Alan W. V. Pomella2, Elen R. Santos1
1EMBRAPA Meio Ambiente, Rod. SP 340, Km 127, 5 – Caixa Postal 69, 13820-000, Jaguariúna (SP), E-mail: mmorandi@cnpma.embrapa.br; 2Sementes Farroupilha, Rua Major Gote, 585 - 8º andar Centro; Caixa Postal 90, 38702-054, Patos de Minas (MG), E-mail: sfarroupilha39@terra.com.br
O mofo-branco (Sclerotinia sclerotiorum) é uma das doenças mais destrutiva do feijoeiro nos plantios de outono-inverno, quando os dias são mais curtos e as temperaturas amenas (15-25oC). O controle químico é caro e, como medida isolada, pode ter eficiência baixa. Várias espécies de Trichoderma são antagonistas ou parasitas de escleródios do patógeno no solo. Porém, os isolados mais utilizados como agentes de biocontrole são favorecido por temperaturas acima de 25oC. O uso desses agentes em áreas e/ou épocas de temperaturas amenas pode ser pouco eficiente. Objetivou-se selecionar isolados de Trichoderma spp. eficientes em inibir a germinação e parasitar escleródios do patógeno em temperaturas amenas. Vinte isolados do antagonista foram avaliados. Escleródios foram enterrados no solo em vasos e foram aplicados os tratamentos: testemunha; isolados de Trichoderma spp. (107 conídios/mL e volume de calda de 300 L/ha) e Cerconil (dose recomendada). Após cinco dias a 222ºC, os escleródios foram recuperados e transferidos para discos de cenoura sobre ágar-água. Avaliaram-se o número de escleródios germinados e o número de escleródios parasitados após 10 dias. O ensaio foi conduzido duas vezes em delineamento inteiramente ao acaso com sete repetições. Os isolados 111 e 409 consistentemente inibiram a germinação e parasitaram mais de 80% dos escleródios. Além destes, os isolados 02, 57, 324 e 402 se destacaram. O isolado 172H inibiu a germinação, porém não foi capaz de parasitar os escleródios, o que sugere a ocorrência de outros mecanismos de ação, como antibiose. Concluiu-se que os isolados selecionados são candidatos potenciais para o controle do mofo-branco em cultivos de outono-inverno.

Palavras-chave: Phaseolus vulgaris L., mofo-branco, controle biológico.

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal