Setor eletricitário em desecordo com norma brasileira de calçados e sem amparo legal por falta de informaçÃO



Baixar 17.64 Kb.
Encontro14.02.2018
Tamanho17.64 Kb.

SETOR ELETRICITÁRIO EM DESECORDO COM NORMA BRASILEIRA DE CALÇADOS E SEM AMPARO LEGAL POR FALTA DE INFORMAÇÃO.

  1. Desde 1 de outubro de 2009 o Brasil tem uma nova norma de construção de calçados e também é instrumento e guia de construção para calçados no setor eletricitário.

  2. Como foi dito anteriormente na edição n. 11 de julho de 2009 os calçados anteriormente ditos de segurança tem uma nova denominação .

  1. Calçados de uso profissional : (Estes Calçados precisam ter C.A – Certificado de Aprovação e futuramente o selo Inmetro).

  1. Calçados de Segurança – NBR ISO 20345:2008 – Calçados de Bico de aço , composite ou material que resista até 200 J e 15kN á compressão do Bico. Indicado para áreas em possa ocorrer queda de um peso de 20 Kg a uma Altura máxima de 1,05 m. ( Setor de Construção Civil , Metalurgia e Outros), podendo per área de calcanhar aberta como os modelos crock muito utilizados na Alemanha na área hospitalar.

Campo de uso : SB – Segurança básico , calçado que não atende requisitos adicionais elétricos mas que pode apresentar outros requisitos básicos , como palmilha de aço , protetor de metatarso. Este produtos podem ser constituídos de couro ou inteiros poliméricos.

S1 – Este calçados exigem a área do calcanhar fechado e um requisito adicional básico (A) Antiestético ou (C) Condutivos. E ensaio de absorção de energia na área do calcanhar. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

S2 - Estes calçados exigem tudo que o campo S1 exige + (P) palmilha de aço e ensaio de absorção de água. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

S3 - Estes calçados exigem tudo que o campo S2 exige + solado com ressaltos , que deve superior a 2,5mm, caso contrário será considerado produto sem ressalto. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

S4 - Somente produtos Inteiros Poliméricos , Classe II Propriedades (A) Antiestáticas e (E) Absorção de Energia na área do Salto.

S5 - Somente produtos Inteiros Poliméricos , Classe II , apresenta todas as propriedade de S4 + Solado com ressaltos, que no caso de calçados inteiros poliméricos o ressalto deve ser igual ou maior que 4mm.





  1. Calçados de Proteção – NBR ISO 20346:2008 Calçados de Bico de aço , composite ou material que resista até 100 J e 10kN á compressão do Bico. Indicado para áreas em possa ocorrer queda de um peso de 10 Kg a uma Altura máxima de 1,05 m. ( Industria Leve e Canavieira e outras)

Campo de uso : PB – Segurança básico , calçado que não atende requisitos adicionais elétricos mas que pode apresentar outros requisitos básicos , como palmilha de aço , protetor de metatarso. Este produtos podem ser constituídos de couro ou inteiros poliméricos.

P1 – Este calçados exigem a área do calcanhar fechado e um requisito adicional básico (A) Antiestético ou (C) Condutivos. E ensaio de absorção de energia na área do calcanhar. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

P2 - Estes calçados exigem tudo que o campo S1 exige + (P) palmilha de aço e ensaio de absorção de água. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

P3 - Estes calçados exigem tudo que o campo S2 exige + solado com ressaltos , que deve superior a 2,5mm, caso contrário será considerado produto sem ressalto. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

P4 - Somente produtos Inteiros Poliméricos , Classe II Propriedades (A) Antiestáticas e (E) Absorção de Energia na área do Salto.

P5 - Somente produtos Inteiros Poliméricos , Classe II , apresenta todas as propriedade de S4 + Solado com ressaltos, que no caso de calçados inteiros poliméricos o ressalto deve ser igual ou maior que 4mm.



  1. Calçados Ocupacionais – NBR ISO 20347:2008 Calçado conformado com bicos de PP polipropileno que apresenta melhor durabilidade do formato do bico e permite proteger contra batidas leves no andar. ( Pessoal que fazem grandes percursos como carteiros, frentistas, motoristas e outras classes em que não ocorra possibilidade de queda de peso sobre os artelhos.

Campo de uso : OB – Segurança básico , calçado que não atende requisitos adicionais elétricos mas que pode apresentar outros requisitos básicos , como palmilha de aço , protetor de metatarso. Este produtos podem ser constituídos de couro ou inteiros poliméricos.

O1 – Este calçados exigem a área do calcanhar fechado e um requisito adicional básico (A) Antiestético ou (C) Condutivos. E ensaio de absorção de energia na área do calcanhar. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

O2 - Estes calçados exigem tudo que o campo S1 exige + (P) palmilha de aço e ensaio de absorção de água. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

O3 - Estes calçados exigem tudo que o campo S2 exige + solado com ressaltos , que deve superior a 2,5mm, caso contrário será considerado produto sem ressalto. Construído todo em couro ou sintéticos laminados, no caso de Sintético laminado desde que atinja os itens requisitos de norma ABNT NBR ISO 20344:2008. Classe I.

O4 - Somente produtos Inteiros Poliméricos , Classe II Propriedades (A) Antiestáticas e (E) Absorção de Energia na área do Salto.

O5 - Somente produtos Inteiros Poliméricos , Classe II , apresenta todas as propriedade de S4 + Solado com ressaltos, que no caso de calçados inteiros poliméricos o ressalto deve ser igual ou maior que 4mm.

Assim como nos temos todos estes campos de uso descritos na nova norma, e preciso ter a atenção sobre a classificação do produto quanto a sua classe, que e dividida em Classe I – Calçados constituídos todo em couro e Classe II - Constituído todo Poliméricoa ( Inteiro PVC, Inteiro Borracha ou Inteiro TPU) , este são produtos que quando inteiros poliméricos atendem requisitos de dureza do material associando peso e resistência a corte e principalmente perfuração. Neste ponto venho destacar o título deste artigo. Os calçados Isolantes são definidos quanto a teste por uma outra norma : EM 50321:1999 que e citada no ítem 5.11 da ABNT ISO 20344:2008 , e ela descreve:

Item 4 – Classificação:

- Calçado deverá ser classificado por classe elétrica, de acordo com seu uso , pela voltagem nominal que exposto definida como segue:

Classe 00 - Classe Elétrica para instalações com voltagem nominal acima de 500 V a.c e 750 V d.c, apresentar um triângulo sobreposto em coloração BEGE - Muitas vezes pelo fato do produto isolante ser obrigatoriamente na Classe II inteiro polimérico, não podendo ser construído em couros ou laminado sintético , conforme tabela 14 , ABNT NBR ISO 20345:2008, e suas correlatas (20346-20347). Muitos fazem a marcação no solado injetado na cor BEGE.

Classe 0 - Classe Elétrica para instalações com voltagem nominal acima de 1000 V a.c e 1500 V d.c. apresentar um triângulo sobreposto em coloração vermellho - Muitas vezes pelo fato do produto isolante ser obrigatoriamente na Classe II inteiro polimérico, não podendo ser construído em couros ou laminado sintético , conforme tabela 14 , ABNT NBR ISO 20345:2008, e suas correlatas (20346-20347). Muitos fazem a marcação no solado injetado na cor VERMELHO.

Resumindo : Diante das definições acima podemos dizer que :



  1. O fabricante não tem como se defender diante de uma situação de acidente , por estar o mercado todo produzindo ainda , mesmo depois da publicação da norma , calçados eletricista em couros e sintéticos.

  2. O consumidor , por não estar amparado na sua defesa por norma técnica.

  3. E o pior o usuário que ,como um paraquedista pula de um avião a

A 1000 metros sem estar sabendo que a sua mochila não carrega um paraquedas.

  1. A BOA NOTÍCIA E QUE NO BRASIL JÁ TEM UM FABRICANTE .

O produto deveria ter um resistência mínima de 1 Gohms quando testado com corrente continua e apresentou 1 Tohms.

Segue O modelo do triângulo Exigido pela norma no calcado.



Segue também um dos modelos que devem seguir como

Modelo do produto:

,




Augustus Jaime Massey – Abeniux – EPI Assessorai Técnica.

abeniux@hotmail.com

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal