Superintendência de projeto e construçÃo da transmissãO



Baixar 59.01 Kb.
Encontro31.12.2017
Tamanho59.01 Kb.





SUPERINTENDÊNCIA DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DA TRANSMISSÃO




DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DE SUBESTAÇÕES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
TRANSFORMADOR DE POTENCIAL INDUTIVO 13,8 kV
MEDIÇÃO FATURAMENTO

ET / DSE – 445 ( NOV / 2007 )

SE IBICOARA / BRUMADO II

I N D I C E

SEÇÃO I - CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS E ENSAIOS

( I - 01 a I - 07 )

SEÇÃO I I - ASPECTOS TÉCNICO-NORMATIVOS DO FORNECIMENTO

( II - 01 a II – 06)

SEÇÃO I
CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS E ENSAIOS



1. CARACTERÍSTICAS GERAIS
Os Transformadores de Potencial Indutivos (TPI) deverão ser projetados para uso externo, com isolação a óleo ou a seco, com todos os seus acessórios, e, no mínimo, ser fornecidos com os seguintes componentes, se aplicável:


    1. VÁLVULA/BUJÃO PARA ENCHIMENTO DO ÓLEO




    1. VÁLVULA/BUJÃO PARA DRENAGEM DO ÓLEO




    1. INDICADOR DE NÍVEL DE ÓLEO




    1. ÓLEO PARA O PRIMEIRO ENCHIMENTO




    1. TERMINAL PRIMÁRIO

Os TPI deverão ser fornecidos com os terminais primários em cobre estanhado, tipo chapa, com dimensões e furações de acordo com a Publicação NEMA CC-1-1975 (2 furos).




    1. CONECTOR DE ATERRAMENTO

O conector de aterramento deverá ser em liga de cobre de alta condutividade, próprio para fixação de 02 (dois) cabos de cobre nu, com bitola variando de 50 a 150 mm2.


1.7. PLACA DE IDENTIFICAÇÃO E DIAGRAMÁTICA
A placa de identificação e diagramática do TPI, poderá ser fornecida em aço inoxidável, em baixo relevo, gravada em português, e conter no mínimo, o seguinte:


  • A expressão: “ TRANSFORMADOR DE POTENCIAL INDUTIVO “

  • Nome do fabricante e local de fabricação

  • Tipo, modelo ou equivalente

  • Número de série

  • Ano de fabricação

  • A expressão: “ USO EXTERNO “

  • Tensão nominal (kV)

  • Tensão máxima operativa (kV)

  • Nível básico de impulso (kV)

  • Freqüência (Hz)

  • Potência térmica (VA)

  • Relação nominal de transformação

  • Classe de exatidão

  • Grupo de ligação

  • Número do manual de instruções

  • Número da ordem de compra

  • Diagrama de ligações

  • Volume de óleo (l), se aplicável, ou tipo de isolação

  • Peso da unidade completa (kgf)

A placa deverá ser afixada em uma posição onde possa facilmente ser vista pelo operador, mesmo estando energizado o TPI.



1.8. CAIXA DE TERMINAIS SECUNDÁRIOS
O TPI deverá ser provido de uma caixa de terminais secundários à prova de tempo e poeira, para a qual convergirão todas as ligações externas.
Sendo que a caixa de terminais secundários, deverá ser exclusiva para abrigar os terminais do enrolamento secundário de medição de faturamento, de modo que atenda aos requisitos técnicos desta especificação.
A porta da caixa e eventuais chapas aparafusadas, deverão ser munidas em seu contorno de gaxetas de neoprene ou borracha, com o fim de evitar absorção e penetração de água. O Nível de Proteção da Caixa de Terminais Secundários deverá ser IP-54.
A construção e as dimensões da caixa de terminais secundários deverão permitir fácil manutenção e acesso aos seus componentes, bem como conexão com a cabeação externa.
Os cabos terão acesso a caixa de terminais pela sua parte inferior, devendo o fornecedor provê-la com uma chapa cega removível em alumínio, de modo a permitir a execução, na obra dos furos necessários a passagem dos cabos.
Os terminais secundários deverão ser do tipo parafuso passante, adequados a conectores do tipo olhal, e devem ser identificados, cada um deles por plaquetas em alumínio ou aço inoxidável.

2. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS NOMINAIS
Os valores a seguir relacionados deverão ser garantidos pelo fabricante e serão considerados como fator relevante na análise e julgamento técnico de sua proposta.

2.1. TRANSFORMADOR DE POTENCAIL INDUTIVO para 13,8 kV

Medição Faturamento





  • Tensão 13,8 kV (eficaz)

  • Tensão máxima operativa 15 kV (eficaz)

  • Tensão secundária 113,82 V

  • Freqüência 60 Hz

  • Nível de impulso, onda plena (1,2 x50 s) 110 kV

  • Nível de impulso, onda cortada (2 s) 121 kV

  • Nível de isolamento a freqüência industrial:

  • a seco e sob chuva (1 min) 34 kV

  • a seco (1 min) no enrolamento secundário 2,5 kV

  • Nível máximo de descargas parciais a 18 kV (eficaz), para TPI isolados a óleo/seco 10/50 pC

  • Comprimento mínimo da linha de fuga 345 mm

  • Potência térmica não inferior a 108 VA

  • Relação de transformação 120:1

  • Exatidão 0,3 P75

  • Grupo de ligação 1

  • Fator de tensão (em regime contínuo) 1,2

  • Número de Enrolamentos Secundários

  • Para Medição de Faturamento .............................................. 01

  • Sobrelevação de temperatura a temperatura ambiente de 40 oC:

  • No enrolamento (medida por resistência) 55 oC

  • No enrolamento (no ponto mais quente) 65 oC

  • No óleo isolante (perto do topo do óleo), se aplicável 55 oC



3. CONDIÇÕES PARA OS ENSAIOS
Nesta Seção estão indicados e descritos os Ensaios que a CHESF exige como requisitos mínimos e obrigatórios, necessários a avaliação de desempenho e qualidade dos Transformadores de Potencial Indutivos.

Os ensaios de Rotina e de Tipo deverão ser realizados nos Transformadores de Potencial Indutivos completos, conforme prescritos nestas Especificações Técnicas, que prevalecem sobre quaisquer normas aplicáveis.

A unidade considerada protótipo do fornecimento deverá ser submetida aos Ensaios de Tipo e Rotina numa mesma ocasião.

A CHESF poderá, a seu único critério, dispensar a realização do conjunto de ensaios na unidade protótipo do fornecimento (ensaios de tipo, rotina e especiais), realizados anteriormente pelo fabricante do Transformador de Potencial, se os relatórios apresentados, atenderem integralmente as condições descritas a seguir:

- Que o conjunto de ensaios na unidade considerada protótipo do fornecimento constantes dos referidos relatórios atendam aos procedimentos estabelecidos nestas Especificações Técnicas;


  • Que o conjunto de ensaios realizados na unidade considerada protótipo do fornecimento tenham sido realizados em uma única unidade ou objeto de ensaio;

- Que a unidade considerada protótipo do fornecimento dos ensaios realizados sejam exatamente igual ao tipo do Equipamento a ser fornecido e

- Que o conjunto de ensaios realizados na unidade considerada protótipo do fornecimento tenham sido realizados nos últimos 8 (oito) anos.

A recusa por parte da Chesf, de qualquer um dos relatórios, implica na realização do conjunto de ensaios que compõem os ensaios da unidade protótipo do fornecimento, sem ônus para a CHESF.



3.1. ENSAIOS DE ROTINA
Os ensaios a seguir relacionados devem ser realizados em todos os Transformadores de Potencial Indutivos, exceto onde de outro modo indicado, sem ônus para a CHESF.



      1. Visual e Dimensional

De acordo com os desenhos aprovado.


3.1.2. Polaridade
Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820
3.1.3. Exatidão
Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820


      1. Tensão Induzida

Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820


3.1.5. Tensão Aplicada
Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820
3.1.6. Descargas Parciais
Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820
3.1.7. Estanqueidade à frio
Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820
3.1.8. Resistência do Isolamento
Deverá ser realizado com um megaohmímetro motorizado, com uma tensão de saída de no mínimo 1.000 Vcc e um tempo de leitura mínimo de 05 (cinco) minutos. As medições deverão ser feitas entre enrolamentos, e entre enrolamentos e carcaça. Deverá ser registrada a temperatura ambiente.

3.2. ENSAIOS DE TIPO


Os ensaios a seguir relacionados devem ser realizados em apenas uma unidade, exceto onde indicado de outro modo, que será considerada como protótipo do fornecimento.
3.2.1. Corrente de Excitação e Perdas em Vazio

Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820




      1. Impedância de Curto-circuito

Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820




      1. Impulso Atmosférico

Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820




      1. Elevação de Temperatura

Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820




      1. Curto circuito

Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820




      1. Tensão Aplicada sob Chuva

Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820


3.2.7. Resistência Ôhmica dos Enrolamentos
Deverá ser realizado de acordo com a NBR 6820



SEÇÃO II



ASPECTOS TÉCNICO-NORMATIVOS DO FORNECIMENTO
1. DESENHOS
O Fabricante deverá enviar, à CHESF, para aprovação em até 20 (vinte) dias após o aceite do documento contratual, 03 (três) cópias heliográficas dos desenhos citados no item 1.2 abaixo.
1.1. APRESENTAÇÃO
Cada desenho deve ser apresentado conforme os seguintes critérios:


  1. Conter legenda com os seguintes termos:




  • Companhia Hidro Elétrica do São Francisco – CHESF;

  • Número do documento de compra / plano de aquisição;

  • Nomes das subestações e respectivos quantitativos de unidades a serem instaladas.




  1. Conter a indicação das modificações processadas informando a origem das mesmas, data e assinatura;




  1. Conter o número e o título de cada desenho com ele relacionado




  1. Ter todas as dimensões indicadas em “ mm “;




  1. Conter um carimbo para diagnóstico da CHESF, no tamanho de 5 x 3 cm, no canto inferior direito, acima do quadro de identificação do desenho, conforme figura abaixo:



  APROVADO

  DEVOLVIDO COM RESSALVAS

  NÃO APROVADO

  CANCELADO
CONFORME _______________________
de _____ / _____ / ____
__________________________________

ENGo. Chefe da DEPS






1.2. BÁSICOS


  1. Desenhos dimensionais dos TPI completos, contendo as medidas externas, pesos, carga da fundação, carga nos terminais de alta tensão, conectores de aterramento, bem como, detalhes de furação e fixação dos TPI às estruturas suporte correspondente.




  1. Desenhos da caixa de terminais secundários, contendo as vistas frontal e lateral, cortes com detalhes, bitola dos bornes terminais, furo para passagem dos cabos de controle/proteção, etc.




  1. Desenhos da Placa de Identificação e Diagramática.

1.3. PARA TRANSPORTE


Desenhos de embalagem, com medidas externas, pesos, detalhes de apoio e içamento, localização do centro de gravidade, etc.

2. DEFINITIVOS


O Fabricante deverá enviar à CHESF os desenhos definitivos até 30 (trinta) dias, após ter recebido cada desenho heliográfico “APROVADO“ pela CHESF, meio digital, 02 (dois) CDs.
Consideramos como desenhos definitivos aqueles que contenham todas as alterações finais feitas em decorrência das observações da CHESF, ou de modificações que possam ocorrer posteriormente a aprovação da CHESF até o momento da conclusão dos ensaios.

3. APROVAÇÃO DOS DESENHOS


Uma cópia de cada um dos desenhos heliográficos será devolvida ao fornecedor, até 15 (quinze) dias após ter sido protocolado pela CHESF. Cada desenho devolvido estará enquadrado em uma das 03 (três) hipóteses seguintes:


    1. APROVADO

Após o recebimento do desenho heliográfico “aprovado”, o Fornecedor deverá atender ao citado no item 2.


3.2. DEVOLVIDO COM RESSALVAS
Após o recebimento do desenho heliográfico “devolvido com ressalvas”, o Fornecedor terá o prazo de 20 (vinte) dias para proceder as modificações indicadas. De cada desenho modificado, a CHESF deverá receber para aprovação, 04 (quatro) vias heliográficas.
Se o desenho modificado não puder ser “aprovado” por não ter atendido as alterações indicadas pela CHESF, qualquer conseqüência em termos de atraso na entrega dos TRANSFORMADORES DE POTENCIAL INDUTIVOS, com as multas correspondentes, será de responsabilidade do Fornecedor.
Se o desenho modificado não for “aprovado” por ter recebido novas alterações, o procedimento de desenho “devolvido com ressalvas” será seguido até a aprovação final por parte da CHESF.
NOTAS: 1 - Qualquer alteração feita pelo Fabricante, além das indicadas pela CHESF, deverá ser comunicada e justificada por escrito, sendo que qualquer conseqüência em termos de atraso dos TRANSFORMADORES DE POTENCIAL INDUTIVOS, será de responsabilidade do Fornecedor.
2 - Qualquer alteração introduzida nos desenhos pelo Fabricante, inclusive aquelas solicitadas pela CHESF, deverá ser anotada, datada e rubricada nos correspondentes desenhos.
3.3. NÃO APROVADO
Após o recebimento do desenho heliográfico “não aprovado”, o Fornecedor terá o prazo de 20 (vinte) dias para reapresentar novo desenho, devendo ser enviadas 04 (quatro) vias heliográficas, para aprovação.

Se o novo desenho não puder ser “aprovado” por não ter atendido as solicitações da CHESF, os procedimentos anteriores serão seguidos até aprovação final.

Qualquer conseqüência em termos de atraso da entrega dos TRANSFORMADORES DE POTENCIAL INDUTIVOS, com as multas correspondentes, será de exclusiva responsabilidade do Fornecedor.
3.4. CANCELADO
O desenho CANCELADO dispensa apresentação de substitutivo.



  1. MANUAL DE INSTRUÇÕES

O Manual de Instruções deverá ser fornecido, redigido obrigatoriamente na língua portuguesa e encadernado conforme as seguintes exigências e instruções:





    1. APROVAÇÃO

O Fabricante deverá enviar, a CHESF, para aprovação em até 30 (trinta) dias após o aceite do documento contratual, 04 (quatro) vias do Manual de Instruções contendo no mínimo, o seguinte:




  1. FOLHA DE ROSTO:




  • Fabricante e endereço para contato após venda (inclusive telefone, fax, etc.);

  • Número do Manual de Instruções e indicação da última revisão processada;

  • Cliente: COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO – CHESF;

  • Identificação do Equipamento;

  • Número do documento de compra e data de emissão,

  • Número das Especificações Técnicas do Equipamento;

  • Ano de Fabricação do Equipamento e

  • Nomes das subestações e quantitativos de unidades a serem instaladas em cada uma delas.




  1. Conter índice com paginação de todos os assuntos abordados.




  1. Abordar, ilustrando com gráficos, desenhos e/ou fotografias, os seguintes assuntos:




  • Dados e características técnicas completas do Equipamento e todos os seus acessórios;

  • Instruções completas para operação e manutenção, inclusive corretiva;

  • Lista completa, descrição detalhada e desenhos dimensionais dos componentes, acessórios e peças de reserva, com vistas explodidas do equipamento mostrando as localizações;

  • Instruções para manuseio, montagem e desmontagem do Equipamento, onde aplicável;

  • Instruções para o transporte;

  • Instruções para armazenamento por períodos curtos, médios e longos do Equipamento, dos seus componentes e das peças de reserva;




  1. Conter os protocolos ou os formulários com os dados em todos os ensaios realizados na unidade protótipo do fornecimento.




  1. Conter uma cópia da última revisão aprovada de cada desenho relativo ao Equipamento.




  1. Conter catálogos com instruções completas dos acessórios e componentes auxiliares, se aplicável.

Após 30 (trinta) dias do recebimento do Manual de Instruções pela CHESF, o Fornecedor será informado de sua aprovação, ou receberá a solicitação para a inclusão e/ou modificação de dados. Neste caso, o Manual revisado deverá ser novamente submetido ao processo de análise e aprovação da CHESF.


4.2. DEFINITIVOS
Consideramos como Manual de Instruções definitivos, àquele que contenha todas as modificações finais feitas em decorrência das observações da CHESF ou de modificações que possam ocorrer posteriormente a aprovação da CHESF, até o momento da conclusão dos Ensaios da unidade protótipo do fornecimento.
O Fornecedor deverá enviar a CHESF, até 10 (dez) dia da entrega do primeiro lote de unidades, o Manual de Instruções definitivo em 02 (duas) vias encadernadas em capas plásticas e também por meio digital, em 05 (cinco) CDs.

  1. GARANTIA DA QUALIDADE

A garantia da qualidade do Equipamento deve abranger um período mínimo de 18 meses contados da entrada em operação de cada unidade ou 30 meses contados do seu recebimento, o que ocorrer primeiro.

O fornecedor responderá também pela qualidade do equipamento e pelos reparos necessários, devidos a defeitos manifestados após o período definido no parágrafo anterior, desde que se constate tratar-se de defeito oculto; entendido como tal, qualquer defeito que não se possa atribuir a desgaste normal, falha de operação ou de manutenção.

Em caso de defeito sistemático, deverão ser reparadas todas as unidades que compõem o fornecimento, inclusive aquelas em que o mesmo não se tenha ainda manifestado, mesmo estando a unidade fora de operação.

A garantia como definida nos parágrafos anteriores, abrangerá qualquer defeito que restrinja ou inviabilize a perfeita operação ou o desempenho esperado do equipamento, de acordo com as especificações técnicas.

Sempre que for realizado qualquer reparo no equipamento em garantia, esta será automaticamente renovada por um período de 18 (dezoito) meses, para as peças ou conjuntos reparados.

A responsabilidade do fornecedor pela qualidade do equipamento se estenderá a todos os custos associados ao defeito e reparo, quais sejam: materiais e componentes necessários, mão de obra utilizada, inclusive a da CHESF, embalagens e transporte de qualquer natureza, carga, descarga, seguros, laboratórios e testes, equipamentos utilizados ou postos à disposição e quaisquer outros, desde que associados ao defeito ou ao seu reparo.

Se, após decorridos 30 dias da comunicação do defeito, o fornecedor não der início ao reparo solicitado, a CHESF poderá, a seu critério, providenciá-lo, podendo inclusive para tal contratar pessoal ou empresa especializada, sendo todos os custos daí decorrentes, conforme citados no parágrafo anterior, imputados ao fornecedor.

Ocorrendo falha do equipamento em garantia, com perdas ou danos conseqüentes para as instalações da CHESF, o fornecedor deverá indenizá-la por tais perdas e danos, sendo esta indenização limitada a 10 % do valor do fornecimento.

Para liquidação de valores correspondentes ao tratado nos parágrafos anteriores, a CHESF poderá fazer deduções de saldos a receber do fornecedor ou, na inexistência ou insuficiência destes, o fornecedor deverá liquidar os valores, decorridos até 30 dias da sua cobrança, sob pena de cobrança judicial.

O fornecedor deverá garantir a venda à CHESF, de serviços de assistência técnica aos equipamentos fornecidos, para defeitos ou falhas de qualquer natureza, durante toda a vida útil prevista para os mesmos.

Os serviços de que trata o parágrafo anterior deverão ser necessariamente disponibilizados em oficina localizada no Brasil.






Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal