Termo de Referência para Aquisição de Bancada para Verificação Metrológica e Teste de Desgaste Acelerado de Hidrômetros do Lab



Baixar 33.86 Kb.
Encontro08.02.2018
Tamanho33.86 Kb.

Especificação para Aquisição de Bancada para realização de Ensaios em Hidrômetros do Laboratório de Medidores da SAE de Ituiutaba.



  1. Introdução:

O presente Termo de Referência informa o escopo para execução de projeto, fabricação, montagem e instalação de uma bancada utilizada em Ensaios de Determinação dos Erros de Indicação e Estanqueidade em Verificação Metrológica de hidrômetros até 10 m3/h e Teste de Desgaste Acelerado (Fadiga) do Setor de Hidrometria do SAE Ituiutaba.



O fornecimento deve atender aos requisitos abaixo descritos.


  1. Especificação Técnica:

Fornecimento de 01 Bancada de Ensaio de Hidrômetros, utilizando padrões de referência do tipo medida materializada de volume, para uso em Ensaios de Determinação dos Erros de Indicação e Estanqueidade em Verificação Metrológica de Hidrômetros novos e/ou recuperados, permitindo a elaboração de laudos para consumidores e realização de pesquisa sobre perdas na micromedição e Ensaios de Desgaste Acelerado (Fadiga) em Vazão Máxima Contínua e Vazão Mínima Cíclica, Escorregamento, Blindagem Magnética, Faixa de Regulagem e Início de Funcionamento para realização das inspeções de recebimento e ensaios de conformidade de modelos de hidrômetros, considerando que o equipamento deverá atender as seguintes características:

  • a bancada deverá ser equipada com três linhas independentes, sendo a primeira linha para realização do Ensaio de determinação dos erros de indicação em até 10 pontos (IDM), escorregamento, blindagem magnética, faixa de regulagem e início de funcionamento em hidrômetros, com 14 posições de ensaio para medidores de Qn 0,6-0,75-1,5 m3/h x ½” x 115 mm ou 12 posições de ensaio para medidores de Qn 0,6-0,75-1,5 m3/h x ½” x 165 mm - ¾” x 115 mm ou 10 posições de ensaio para medidores de Qn 1,5-2,5 m3/h x ¾” x 190 mm. O Regulamento de Referência para os Ensaios de Verificação Metrológica e Conformidade de Modelos a serem realizados nesta bancada é o RTM da Portaria Inmetro 246/2.000. A segunda linha para realização do Ensaio de determinação dos erros de indicação em até 4 pontos (Qmax/Qn/Qt/Qmin) em hidrômetros, com 14 posições de ensaio para medidores de Qn 0,6-0,75-1,5 m3/h x ½” x 115 mm ou 12 posições de ensaio para medidores de Qn 0,6-0,75-1,5 m3/h x ½” x 165 mm - ¾” x 115 mm ou 10 posições de ensaio para medidores de Qn 1,5-2,5 m3/h x ¾” x 190 mm ou 06 posições de ensaio para medidores de Qn 3,5-5,0 m3/h x 1” x 260 mm. O Regulamento de Referência para os Ensaios de Verificação Metrológica a serem realizados nesta bancada é o RTM da Portaria Inmetro 246/2.000. A terceira linha é para realização de Ensaios de Desgaste Acelerado (Fadiga) em Vazão Máxima Contínua, Vazão Mínima Cíclica e estanqueidade em hidrômetros, com 10 posições de ensaio para medidores de Qn 0,6-0,75-1,5-2,5 m3/h x ½”- ¾” x 115-165-190 mm ou 06 posições de ensaio para medidores de Qn 3,5-5,0 m3/h x 1” x 260 mm. O regulamento de referência para os Ensaios de Desgaste Acelerado em Vazão Máxima Contínua a serem realizados nesta bancada é o RTM da Portaria Inmetro 246/2.000. A norma de referência para Ensaios de Desgaste Acelerado em Vazão Máxima Contínua e Vazão Mínima Cíclica, para posterior calculo do IDM – Índice de Desempenho Metrológico é a Norma ABNT NBR 15.538 – primeira edição 03/12/2007 e a edição de 2011.

  • A estrutura da bancada deverá ser fabricada em perfis e chapas de aço carbono, protegida contra corrosão através de pintura em tinta epoxi. As partes do equipamento que recebem a pintura deverão ser previamente jateadas ao metal branco e aplicada proteção de fundo a base de epoxi zinco alumínio ou tratamento equivalente, com espessura maior que 0,050 mm. A cor predominante na estrutura da bancada deverá ser azul 5.000 da tabela RAL.

  • A bandeja para coleta de água e a régua de apoio deverão ser fabricados em aço inoxidável AISI 304 ou alumínio. As buchas espaçadores deverão ser fabricadas com comprimento mínimo de 150 mm para hidrômetros de ½”, 200 mm para hidrômetros de ¾” e 250 mm para hidrômetros de 1”. Todos os componentes em contato com a água, tais como mancais, torpedo, buchas espaçadores, suportes, adaptadores, parafusos deverão ser fabricados em materiais que não apresentem corrosão. O sistema de vedação das buchas espaçadores deverá utilizar anel de vedação tipo o´ring, para evitar deformação quando a linha estiver fechada.

  • As Medidas Materializadas de Volume das linhas 1 e 2 deverão atender as seguintes características: Linha 1 - um recipiente de 100 litros de capacidade, com resolução de 25 mL na escala do gargalo superior, utilizada para vazões maiores que 1.500 L/h até 3.000 L/h, com subdivisão em 50 litros, com resolução de 20 mL na escala do gargalo inferior, utilizada para ensaios em vazões acima de 450 L/h até 1.500 L/h; um recipiente de 10 litros de capacidade, com resolução de 5 mL na escala do gargalo superior, com subdivisão em 5 litros, com resolução de 2 mL na escala do gargalo inferior, utilizada para ensaios em vazões abaixo de 450 L/h; um recipiente de 2 litros de capacidade, com resolução de 0,5 mL na escala do gargalo, utilizada para vazões abaixo de 60 L/h. Linha 2 - um recipiente de 200 litros de capacidade, com resolução de 100 mL na escala do gargalo superior, utilizada para vazões maiores que 1.500 L/h até 5.000 L/h, com subdivisão em 50 litros, com resolução de 20 mL na escala do gargalo inferior, utilizada para ensaios em vazões acima de 450 L/h até 1.500 L/h; um recipiente de 10 litros de capacidade, com resolução de 5 mL na escala do gargalo superior, com subdivisão em 5 litros, com resolução de 2 mL na escala do gargalo inferior, utilizada para ensaios em vazões abaixo de 450 L/h; um recipiente de 2 litros de capacidade, com resolução de 0,5 mL na escala do gargalo, utilizada para vazões abaixo de 60 L/h. Deverão atender a OIML R120, material de fabricação aço inoxidável AISI 304, com espessura mínima de 1,6 mm. Deverão possuir escalas fabricadas em chapa de aço inoxidável, posicionadas nos gargalos das medidas, com amplitude mínima de ±1% do valor nominal da capacidade da medida. A escala deverá possuir dispositivo para ajuste de posição e ponto para colocação de lacre. A distância mínima entre os traços da escala de leitura deverá ser de 2,5 mm e a espessura do traço deverá ser de no máximo 0,5 mm. As medidas deverão possuir tubo visor de nível fabricado com tubo de vidro, com diâmetro adequado para permitir a fácil visualização do menisco. O tubo visor de nível deverá permitir a visualização do nível ao longo do comprimento da medida, a partir do enchimento do cone inferior. As medidas materializadas de volume deverão possuir na sua saída para esgotamento válvula tipo esfera tripartida em aço inoxidável, com acionamento pneumático. Para que seja interrompido o escoamento automaticamente, as medidas materializadas de volume deverão possuir dispositivo eletrônico ou sensor, sem contato com a água e com posição fixa, sem necessidade de ajuste pelo operador. Cada medida materializada de volume deverá possuir um sensor de temperatura, inserido na região de maior volume da medida, com faixa de indicação e exatidão compatíveis com o ítem 6.3.2 da Portaria Inmetro 246/2.000. O acabamento da superfície externa das medidas materializadas de volume deverá ser polido.

Os padrões de referência de volume da Linha 3 de fadiga são os medidores de vazão/volume, utilizados para indicar a vazão instantânea e vazão média, bem como o volume escoado durante o ensaio. As medidas materializadas de volume da linha 2 deverão ser utilizadas para determinação dos erros de indicação ou para verificação intermediária dos padrões de vazão/volume da linha do ensaio de fadiga, desta forma a bancada deverá dispor dos recursos necessários para executar os ensaios com esta condição, com a simples manipulação de válvulas, sem a necessidade de montagem ou desmontagem de parte da tubulação.

  • A bancada deverá possuir padrão(ões) de vazão estático, do tipo ultrassônico tempo de trânsito ou eletromagnético, com saída de sinal que permita realizar o monitoramento da vazão, bem como a indicação remota da vazão instantânea e do volume escoado, abrangendo a faixa de vazão de 2,5 a 5.000 L/h para as Linhas de Ensaio de Determinação dos Erros de Indicação e de 10 a 10.000 L/h para a Linha de Ensaio de Fadiga, com precisão típica de  1,0% do valor medido e repetibilidade de  0,5%. A montagem do padrão deverá ser preferencialmente integral, para indicação do volume totalizado e vazão instantânea, através de display local, sendo também aceito a indicação através da interface gráfica da bancada, em tela de cristal líquido, juntamente com as demais grandezas medidas no processo. O(s) padrão(ões) de vazão deverá(rão) ser fornecido(s) com certificado de calibração em pelo menos 5 pontos da sua faixa de trabalho. A bancada deverá indicar a vazão média de cada ensaio, bem como alarme visual quando a vazão estiver fora dos limites estabelecidos no Regulamento Técnico Metrológico da Portaria INMETRO 246/2.000 ou da Norma ABNT NBR 15.538.

  • Deverá possuir à jusante das linhas de ensaio termômetro eletrônico de contato direto tipo PT-100, faixa de 0 a 60 C, com certificado de calibração da Rede Brasileira de Calibração. A temperatura deverá ser indicada em uma tela de cristal líquido, em local de fácil visualização, juntamente com as demais grandezas medidas no processo.

  • Deverá possuir manômetros do tipo tubo de Bourbon, com caixa em aço inoxidável e componentes internos em latão, instalados à jusante e à montante das linhas, com escala compatível com a pressão de trabalho de cada linha, classe de exatidão A-1, fornecidos com laudo de calibração da Rede Brasileira de Calibração. Para monitoramento automático da pressão de alimentação, a bancada deverá possuir sensores eletrônicos de pressão, instalados no recalque dos conjuntos motobomba de pressurização das linhas. A pressão instantânea e média deverá ser indicada através da interface gráfica da bancada, bem como os alarmes por excesso ou falta de pressão.

  • O sistema de alimentação da bancada deverá contar com dois reservatórios, sendo o inferior, instalado ao nível do piso, com capacidade nominal de 1.500 litros, montado na estrutura da bancada, com distância mínima de 10 cm em relação ao piso, dotados de saída inferior para esgotamento e limpeza. O reservatório elevado, para escoamento por gravidade, deverá ter 100 litros de capacidade. Todos os reservatórios deverão ser fabricados em chapa de aço inoxidável AISI 304, com espessura mínima de 1,6 mm. O reservatório inferior e o reservatório elevado deverão ser interligados por uma tubulação, formando um circuito fechado, sendo que o reservatório elevado deverá possuir nível de água constante. Sua instalação deverá ser feita em estrutura fabricada em perfis de aço carbono, protegida contra a corrosão através de pintura, fixado em parede ou em estrutura metálica independente, com altura mínima de 7,5 metros em relação ao nível do piso de instalação da bancada. Para abastecimento do reservatório elevado deverá ser previsto uma bomba de reposição, que deverá ser instalada junto ao reservatório inferior. Os reservatórios deverão possuir controle de nível para evitar transbordamento e permitir reposição automática do nível, para evitar que as bombas de alimentação e reposição operem sem nível de água suficiente para a correta operação da bancada. Deverá ser previsto na entrada de reposição do nível do reservatório inferior um filtro para retenção de partículas sólidas, com malha de 0,2 mm ou menor. Na entrada e na saída das linhas deverá ser previsto filtros para retenção de partículas, com malha de filtração de 0,25 mm em aço inoxidável, com sistema de fácil remoção do elemento filtrante para limpeza periódica.

  • Para escoamento em vazões inferiores a 450 L/h deverá ser utilizado o reservatório elevado de nível constante, com escoamento por gravidade, sendo o ajuste da vazão realizado através de válvulas agulha, nas vazões compreendidas no campo inferior de medição. Para escoamento em vazões acima de 450 L/h deverão ser utilizadas as bombas de alimentação, independente em cada linha, comandadas por inversor de freqüência, para ajuste da pressão de entrada das linhas. Os conjuntos motobomba deverão ser dimensionados para fornecer a pressão necessária para atingir a vazão de até 5.000 L/h nas Linhas 1 e 2 e até 10.000 L/h na Linha 3, com as quantidades de hidrômetros definidos nesta especificação, de acordo com seus respectivos diâmetros nominais e vazão máxima. Os inversores de freqüência, disjuntores e demais componentes elétricos de potência deverão ser montados em painel independente, com sistema de ventilação forçada, atendendo aos requisitos das Normas ABNT.

  • A Linha 1 deverá possuir 10 ramais de ajuste de vazão, a Linha 2 deverá possuir quatro ramais de ajuste de vazão e a Linha 3 deverá possuir 5 ramais de ajuste de vazão. Cada ramal de ajuste de vazão deverá ser equipado com uma válvula de bloqueio pneumática e uma válvula de agulha manual, fabricada em aço inoxidável. As válvulas de agulha devem ter diâmetro compatível com as vazões a serem escoadas em cada ramal.

  • As válvulas de bloqueio devem possuir acionamento pneumático, podendo ser de esfera tripartida ou globo com haste, fabricada em aço inoxidável ou material não ferroso.

  • Durante o procedimento de ajuste da vazão a bancada deverá indicar a vazão instantânea, para permitir ao operador realizar o ajuste na vazão desejada. Durante a realização dos ensaios para Determinação dos Erros de Indicação a bancada deverá indicar a vazão instantânea e a vazão média. Ao final de cada escoamento de vazão a bancada deverá apresentar, em sua interface gráfica, o erro da vazão em relação às medidas de volume da bancada. Os limites de monitoramento e ajuste da vazão deverão atender aos requisitos de ensaio da Portaria do Inmetro n 246/00, conforme item 6.3.5..

  • Para manter a temperatura da água dentro dos limites estipulados no item 6.3.2 do Regulamento Técnico Metrológico da Portaria 246/00 do Inmetro a bancada deverá ser fornecida com uma torre de resfriamento, interligada ao reservatório inferior. O funcionamento da torre de resfriamento deverá ser automático, controlado pelo Sistema de Acionamento da Bancada, em função da temperatura da água, com possibilidade de configuração do valor da temperatura de acionamento do sistema de resfriamento.

  • A Bancada deverá possuir Sistema de Acionamento Eletrônico, realizado através de software instalado em controlador lógico programável e/ou micro computador, com telas de fácil interpretação e manipulação, além de boa qualidade visual. O Sistema Operacional utilizado no micro computador deverá estar devidamente licenciado. O sistema de acionamento deverá executar todas as operações de abertura e fechamento das válvulas de bloqueio pneumáticas, acionar os conjuntos motobomba ou o escoamento por gravidade, controlar a reposição e manutenção do nível dos reservatórios, executar a interrupção automática do escoamento, bem como o esgotamento automático nas medidas materializadas de volume, apresentar os valores das grandezas físicas medidas no processo, realizar contagem de ciclos e executar o intertravamento e rotinas de segurança do sistema. No programa de acionamento deverá ser possível executar a rotina de purga do ar das linhas, previamente à etapa de ensaios, realizar a configuração de ensaios, podendo selecionar e definir a vazão e volume escoado dos mesmos, de acordo com os volumes das medidas materializadas, bem como a opção de selecionar ensaios que atendam aos requisitos da Portaria INMETRO 246/2000, de acordo com a capacidade nominal e classe metrológica do hidrômetro. A bancada deverá ter uma função que faça o diagnostico de falhas e permita a identificação das mesmas, através de mensagens na tela.

  • O painel de interface deverá ser montado em caixa de aço com porta de fechamento com ângulo de abertura de 120, protegida contra corrosão com pintura epoxi e deverá possuir grau de proteção IP 55 ou superior. A sua localização deverá ser de fácil acesso ao operador e seus comandos deverão possuir clara identificação e boa visualização. Deverá ser montada neste painel a(s) interface(s) gráfica(s), os botões de acionamento dos ensaios, a chave liga/desliga, o botão de emergência, os botões de seleção de operações e as sinaleiras de indicação e alarme.

  • A Incerteza de Medição Expandida do Sistema deverá ser compatível com o requisito citado no ítem 6.4.4.7 do RTM, “Na apresentação dos resultados de determinação de erros, deve ser expressa a incerteza expandida do sistema utilizado nos ensaios, estando seu método de cálculo de acordo, sempre, com a versão mais recente editada pelo INMETRO do Guia para a Expressão da Incerteza de Medição”. A bancada deverá ser fornecida com a planilha de cálculo do valor de incerteza de medição do resultado dos erros de indicação em vazão nominal, transição e mínima, para um modelo de hidrômetro a ser definido pelo SAE Ituiutaba.

  • Deverá ser fornecido com a bancada um carrinho de manutenção com as seguintes características: quatro gavetas, um compartimento de armazenamento de materiais, tampo de madeira com proteção de borracha, torno de bancada em ferro fundido, dois rodízios fixos e dois rodízios giratórios de 6” para movimentação, jogo de ferramentas para manutenção da bancada, jogo de vedação reserva para as buchas espaçadores, 20 pares de ímãs calibrados para ensaio de blindagem magnética e dois cronômetros eletrônicos manuais com certificado de calibração RBC. O carrinho deverá ser fabricado em chapas de aço carbono e com acabamento em pintura epoxi. As dimensões aproximadas são 850 mm de comprimento, 530 mm de largura e 880 mm de altura.

  • Para coleta e manipulação dos dados, em consonância com as Normas ABNT e a Portaria do Inmetro deverá ser fornecido um teclado numérico portátil ou PDA, que permita realizar a entrada das leituras inicial e final dos hidrômetros e do volume registrado nas medidas materializadas. No momento da entrada da leitura do hidrômetro, através de teclado portátil, a bancada deverá colocar em destaque na tela do computador a posição que está sendo lida, para permitir a visualização da informação em uma distância de até 4 metros. Para leitura do código de barras deverá ser previsto um leitor portátil.

  • Para que o SAE Ituiutaba possa avaliar se o produto ofertado atende integralmente a esta Especificação, deverá ser apresentada na documentação técnica da proposta, para análise técnica do projeto da bancada, os desenhos e fluxogramas, com o detalhamento mecânico e elétrico, bem como descritivo técnico, preferencialmente com fotos e/ou imagens, inclusive das telas do software de acionamento. O descritivo deverá informar as condições de instalação do equipamento, com o dimensionamento dos pontos de utilidades, tais como ponto de energia elétrica, ar comprimido e água.

  • A referida bancada deverá atender as normas exigidas pela ABNT, INMETRO (Regulamento Técnico Metrológico da Portaria 246/00), OIML entre outras de referência. Havendo conflito entre especificações e normas, o SAE deverá ser consultado para definir a opção mais adequada.

  • Deverão ser apresentados pelo menos três atestados de fornecimento em nome da Licitante, emitidos por pessoa de direito público ou privado, devendo conter a identificação do emitente, bem como o nome e o cargo do signatário, comprovando o fornecimento de bancada de ensaios de determinação de erros de indicação e desgaste acelerado em hidrômetros de capacidade e valor substancialmente equivalente ao objeto ora licitado. Os atestados deverão conter a descrição, valor do contrato e local de instalação do equipamento. Deverá constar também o endereço completo, inclusive eletrônico se houver, do órgão/pessoa emitente, para eventuais esclarecimentos, que o SAE julgar necessário.

  • A empresa licitante deverá apresentar, juntamente com a documentação técnica da bancada, registro cadastral atualizado do Órgão de Classe, Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia – CREA, do estado de origem, indicando o(s) responsável(eis) técnico(s) pelo projeto e fabricação da bancada.

  • O treinamento operacional deverá ser realizado nas instalações do SAE, na cidade de Ituiutaba/MG, para até cinco operadores, com carga horária mínima de 32 horas, incluindo as informações sobre a bancada e as normas e regulamentos de referência.

  • A bancada deverá ser fornecida com manual de operação e manutenção, escrito em português.

  • A instalação deverá ser executada pela empresa fornecedora da bancada, sem ônus para o SAE.

  • A Bancada deverá ser fornecida com a Inspeção do IPEM/MG, de acordo com o Regulamento Técnico Metrológico da Portaria INMETRO 246/2.000 e da Norma de Procedimento NIE DIMEL 016-r02, com custo incluído no fornecimento.



  1. Termos de Garantia:

  • Garantia deverá cobrir defeitos de fábrica por um ano a partir da entrega e instalação e, em caso de defeito dentro do prazo de garantia, a empresa fornecedora deverá tomar as devidas providências dentro do prazo máximo de cinco dias úteis, a contar a partir da notificação, evitando com isso a paralisação do equipamento por período prolongado.

  • O fabricante deverá aceitar inspeção da SAE ou empresa por ela contratada, durante as fases de fabricação, ensaios, aferição e/ou verificação inicial do INMETRO para análise de qualidade;

  • Somente serão aceitos a bancada de hidrômetros, incluindo aqui todos os seus componentes, que possuam assistência técnica comprovada em território brasileiro (podendo ser na própria fábrica do fornecedor), visando o interesse público caracterizado por questões de acessibilidade, celeridade, praticidade e economia.


  1. Cronograma de Execução:




  • O prazo máximo de execução do contrato é de 120 dias, incluindo o período de instalação e treinamento.


  1. Dimensões Máximas:

    - As dimensões deverão ter valores máximos de 6,5 metros de comprimento; 3,5 metros de largura e de 3,2 metros de altura.


Eng. Ezriel da Silveira Barros Cardoso

Assessor de Projetos e Obras




Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal