Thomas J. Sergiovanni o mundo-da-vida da Liderança



Baixar 0.8 Mb.
Página15/15
Encontro16.05.2018
Tamanho0.8 Mb.
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15
Parte 1: Ensino e Aprendizagem
A principal missão das escolas gira em torno de temas como o ensino e a aprendizagem. Esta ênfase, por conseguinte, sustenta todos os outros elementos do processo de avaliação. Na categoria do ensino e aprendizagem serão considerados os seguintes elementos: (1) o ambiente de ensino e aprendizagem, (2) processos de aprendizagem, (3) estratégias pedagógicas e didácticas e (4) respostas dos alunos.

A afirmação de princípios da Lexington Learning Academy refere, “A nossa missão é oferecer um programa académico de excepção inserido nas artes de comunicação como parte integrante de um currículo enriquecido que desenvolve as capacidades dos alunos para comunicar de forma eficaz, argumentar de forma crítica e analisar e resolver os problemas recorrendo à lógica.” A Lexington assumiu o compromisso de promover um ambiente acolhedor e afectivo capaz de estimular o amor pela aprendizagem e uma atmosfera de confiança e respeito mútuos. A Lexington utiliza as artes da comunicação simultaneamente como um meio e um tema para a aprendizagem das competências básicas, explorando as disciplinas e fazendo com que os alunos demonstrem aquilo que sabem. Os alunos elaboram diários, publicam jornais, brochuras e outro tipo de material impresso e utilizam o cinema e outros meios audiovisuais como formas de organizar o estudo e apresentar o currículo. Por exemplo, os alunos do sexto ano integraram recentemente o currículo através do estudo de temas ambientais relacionados com o rio Mason e prepararam um documentário de uma hora intitulado “A Vida do Rio: Hoje e Amanhã”. Lexington está empenhada em fornecer aos alunos oportunidades criativas para aumentar e realçar as potencialidades do sistema de ensino. As nossas observações foram resumidas da seguinte forma:


Ensino e Aprendizagem


  • Os alunos da Lexington Learning Academy são entusiásticos, motivados e estão profundamente envolvidos no processo de aprendizagem.

  • Alunos, pais e professores têm orgulho na escola.

  • A vasta utilização de actividades que envolvem os alunos na aprendizagem acompanhada por um feedback positivo, promove a auto-estima dos alunos.

  • É atribuída uma variedade de trabalhos, consoante as idades de cada um, que são exibidos nas salas de aula e nos corredores da escola.

  • Os professores da Lexington têm conhecimentos profundos das disciplinas que leccionam e são sensíveis às necessidades de desenvolvimento dos seus alunos e estão empenhados no êxito dos seus alunos.

  • O ambiente de ensino na Lexington é simpático, acolhedor e colaborante.

  • A diversidade cultural é uma prioridade elevada e este facto tornou-se evidente nas actividades da sala de aula, projectos de alunos e corroborado através de entrevistas.

  • Professores e alunos estão preocupados com a falta de espaço da escola.

  • Algumas aulas são ministradas nos corredores e noutras áreas não escolares.

  • Os alunos almoçam nas salas de aula. Muitos alunos e professores mostraram vontade de ter um bar dentro da escola. No entanto, uma minoria veemente sente que a situação actual ajuda a criar um sentido mais restrito de comunidade dentro da sala de aula.

  • O tamanho grande das salas de aula é uma preocupação. O pessoal docente e discente parece ter plena consciência dos resultados da pesquisa que ligam o tamanho pequeno das salas de aula com a performance dos alunos. Este facto aumenta a preocupação.

  • A gestão da sala de aula foi considerada inconsistente nalguns anos lectivos e este facto acabou por afectar o tempo dos alunos para realizarem tarefas.


Processos de Aprendizagem


  • Foram observadas muitas aulas dirigidas por professores. Foram observadas actividades práticas e reais sobretudo nas aulas de ciências e ciências sociais.

  • As frequentes visitas de estudo enriqueceram o currículo e aumentaram as hipóteses de realizar uma aprendizagem autêntica.

  • Foram desenvolvidos hábitos de estudo e competências positivas através da utilização de uma linha telefónica de auxílio aos trabalhos de casa, bem como um centro de estudos no bairro vizinho, estabelecido em dois apartamentos diferentes.

  • Foi observada a utilização de competências de pensamento mais elevadas em certas salas de aula, mas não noutras.


Estratégias Pedagógicas


  • As situações reais foram enfatizadas através de actividades interessantes e significativas.

  • Na maioria das salas de aula foram observadas indicações para a construção e activação de conhecimentos prévios.

  • O tema das artes da comunicação não foi utilizado de forma tão consistente como esperado pelos professores

  • O currículo de matemática saxónico dá oportunidades para um raciocínio bastante prático e mais elaborado, mas há inconsistências na sua utilização. Alguns professores afirmaram não gostar do sistema, pois este “impõe guiões” que estipulam o que eles devem ensinar e de que forma.

  • A escola combina uma abordagem à aprendizagem da leitura com base na fonética e na literatura. Os alunos gostam de ler e foram ouvidos a discutir as histórias que leram.

  • Os professores mostraram-se entusiasmados com a possibilidade de “escrever transversalmente o currículo”. Esta abordagem apoia a integração dos temas e promove o desenvolvimento de competências dentro de uma variedade de contextos de aprendizagem.


Respostas dos Alunos


  • Os alunos parecem entusiasmados em dar respostas.

  • Os alunos contribuem sistematicamente para a aprendizagem mútua e partilha do trabalho uns dos outros.

  • Os alunos foram frequentemente observados a ajudar e a encorajar os colegas.

  • O programa de assessoria fornece um modelo positivo para a aprendizagem do aluno.

  • Os alunos parecem querer aprender, cooperar com os seus professores e demonstram vontade de assumir responsabilidades.


Questões para Reflexão


  • Será que o espaço existente pode ser utilizado de forma eficaz para acomodar as exigências dos programas existentes?

  • Como é que a escola pode expandir a sua utilização da tecnologia como parte integrante do currículo e realçar a tecnologia como uma ferramenta para a aprendizagem e produtividade?

  • De que forma é que a ênfase na pedagogia directa pode distrair ou complementar os métodos mais experimentais de ensino encontrados à margem do currículo?

  • A gestão da sala de aula é uma preocupação suficientemente importante para justificar uma maior preocupação e auto-aprendizagem por parte da comunidade escolar de Lexington?

  • Como é que a escola pode aumentar as oportunidades de os alunos utilizarem as suas competências de pensamento crítico a todos os níveis, anos lectivos e curricula?

  • Será que o tema das artes de comunicação teria um maior destaque se os professores trabalhassem juntos no desenvolvimento de unidades pedagógicas e se essas unidades pedagógicas fossem catalogadas por anos lectivos e postas ao dispor de todos os professores?

Apesar deste excerto ser fictício, tem por base relatórios escolares reais o que nos dá uma ideia geral do que poderá estar presente num relatório de avaliação externa. Este excerto aborda unicamente o ensino e a aprendizagem. Os tópicos que poderiam ser discutidos num eventual relatório completo encontram-se resumidos no Capítulo Seis.



Anexo B

Excertos de uma Avaliação Externa
Seguidamente transcrevemos alguns excertos de uma avaliação externa realizada numa escola do estado de Nova Iorque. As secções apresentadas subdividem-se em (1) ensino e desenvolvimento profissional e (2) currículo e avaliação.
Reflexões sobre o Ensino e o Desenvolvimento Profissional

(Práticas observadas; Ensino) A equipa de avaliação percebeu, desde o primeiro momento, que os professores de Highland investiam totalmente no seu ensino. O professor preocupa-se sobre o que os seus alunos aprendem e como o fazem. Quer que eles obtenham êxito. Todos os membros mostravam um grande empenho pelos alunos, muito para além do horário escolar. Como parte deste seu empenhamento, o pessoal docente desempenha uma variedade de tarefas – professor, mentor e facilitador de aprendizagem. Observámos os professores envolvendo-se no desempenho de muitas actividades curriculares e extra-curriculares centralizadas nos alunos. Estas incluíram muitas actividades onde o pessoal docente desempenhou a função de facilitadores de aprendizagem e não apenas meros transmissores de informação. Também observámos o trabalho do pessoal docente realizado junto dos alunos numa variedade de actividades extra-curriculares como angariação de fundos, aulas de aeróbica e um clube de filatelia. Actividades como a estação de correios, a loja escolar, o acampamento do quinto ano, a escavação arqueológica, Energia S.A. e reciclagem dão oportunidade aos professores de fomentar e aprofundar as experiências de aprendizagem para os alunos.



Estratégias de Aprendizagem Cooperativa

Alguns professores estão actualmente a implementar estratégias de aprendizagem cooperativa nas salas de aula. Estas actividades estimulam e fomentam o envolvimento activo entre os alunos e entre estas e as tarefas que desempenham.




  • Durante uma actividade complementar de leitura, os alunos trabalharam em grupos cooperativos com a finalidade de comparar a vida em Tonawanda e em São Francisco.

  • Durante uma aula de língua, os alunos criaram um poster com base em antónimos.

  • Numa aula de leitura, os alunos criaram um conjunto de passos executados diariamente na execução de uma sanduíche de manteiga de amendoim.

  • Na aula de ciências do sexto ano, os alunos estudavam balões de ar quente. Desenharam as capas para os seus projectos e partilharam-nas com os outros. Mais tarde, trabalharam em grupos cooperativos para fazer balões de ar quente em miniatura a partir de lenços de papel. As instruções foram colocadas no retroprojector para que todos os alunos as pudessem ler enquanto construíam os seus balões.


Ensino Interdisciplinar
Outros professores estão a tentar implementar actividades interdisciplinares.


  • Os professores do sexto ano, que está dividido em semi-departamentos, estão a tentar começar a trabalhar juntos para criar unidades interdisciplinares. Dois dos professores que leccionam este nível disponibilizaram meio-dia de folga para planear uma unidade que culminou com o lançamento de balões de ar quente. Foi igualmente desenvolvida uma lista de palavras para soletrar incorporando vocabulário oriundo de outras áreas de conteúdo.

  • Um professor de outro ano deu a ler aos seus alunos uma história sobre uma criança que tinha mudado para um novo bairro e explicou como esta história estava ligada à unidade de estudos sociais sobre a imigração.

  • Na aula de música, os grupos escolheram um poema e determinados instrumentos musicais para fazer os sons das palavras-chave.

  • Na área da educação tecnológica os alunos estão a utilizar um programa de processamento de texto para produzir textos originais. Estão a ser introduzidos gráficos no produto final.

Há uma abundância de práticas pedagógicas de qualidade. Os exemplos incluem:


Estratégias de Ensino Responsivas?
As estratégias de ensino que respondem rápida e eficazmente às necessidades, interesses e actividades dos alunos aumentam as oportunidades para uma aprendizagem e compreensão aprofundadas.


  • Numa aula de actualidades do quarto ano, a atenção activa e responsiva dispensada pelo professor às respostas dos alunos despoletou outras questões complementares que acabaram por dar uma oportunidade aos alunos de partilharem as suas reacções acerca de acontecimentos da actualidade. O professor perguntou: “Porque achas que isso se passa assim?” “O que poderíamos fazer para ajudar?”

  • Numa aula de matemática do quinto ano, muitos alunos tiveram oportunidade de dar respostas. Os alunos partilharam a sua percepção conceptual dos números decimais e responderam aos conceitos uns dos outros.

  • Numa aula do quinto ano dois numa sala de recursos alunos elaboravam diários de leitura acerca de um livro. Previam o que poderia acontecer a seguir na história. Liam em voz alta parágrafos à vez e eram encorajados a descodificar e pronunciar palavras desconhecidas. À medida que os alunos eram motivados a arriscar num ambiente seguro, iam analisando os seus erros e assumindo a responsabilidade de os corrigir: “Eu tinha razão.” “Estou a esquecer-me que “Eu”...” eram as respostas dos alunos. Estes alunos reconheciam e estavam orgulhosos do seu próprio trabalho – sabiam a razão pela qual tinham feito progressos.

  • Numa aula de leitura do quinto ano, o professor começou a aula com aquilo que os alunos sabiam e prosseguiu de uma forma que fosse suficientemente significativa para os alunos. Os alunos partilharam as suas experiências pessoais relacionadas com o tema. Os alunos colocaram questões para debate.

  • Numa aula de leitura/língua do quinto ano, um professor explicou como se escrevia uma rima. O professor começou por ler uma rima escrita no quadro. Os alunos entoaram a rima e estabeleceram o ritmo com palmas.

Os alunos disseram à equipa de avaliação que aprendiam melhor quando os professores utilizavam estratégias como modelagem, quando forneciam múltiplos exemplos para esquematizar e esclarecer os passos necessários para executar a tarefa, e ainda quando os alunos têm poder de escolha ou quando os seus interesses e as suas várias capacidades são estimulados e incorporados no ensino.


Estratégias de Ensino Centralizadas no Aluno
Tal como foi comprovado pelos exemplos anteriores, o ensino vocacionado para o aluno encontra-se altamente desenvolvido em Highland. Quando a instrução é vocacionada para os alunos estes assumem a responsabilidade da sua própria aprendizagem. A aula de auxílio à leitura é um dos muitos exemplos. Outro exemplo é a forma como um professor ajudou os alunos a planearem e conduzirem as reuniões que o professor tem com os pais. Outro exemplo é o projecto Hometown USA.

A equipa de avaliação gostaria de propor a expansão do reportório de ensino aos professores de forma a desenvolver uma variedade de estratégias de ensino centradas nos alunos, susceptíveis de lhes fornecer uma vasta panóplia de oportunidades para projectos e actividade individuais e cooperantes. Desta forma, os alunos poderão recorrer a projectos e actividades que envolvam colaboração, criatividade, resolução de problemas, competências de pensamento crítico e que possam desafiar as suas capacidades e interesses e, em simultâneo, perdurar durante um longo período de tempo (exemplo, uma semana, duas semanas ou um mês). Este tipo de projectos pode fazer com que os alunos apliquem as suas competências e conhecimentos nas áreas da leitura e matemática, bem como na resolução de problemas.


(Desenvolvimento Profissional; Oportunidades de Desenvolvimento Profissional) Os professores estão profundamente envolvidos no desenvolvimento profissional, algo que definimos em termos gerais como a participação em actividades e eventos que possam fazer avançar o trabalho da escola. Alguns dos projectos são iniciados pelos professores, como as reuniões de Professor Para Professor e a utilização de um consultor de apoio para que os professores possam integrar competências de pensamento mais eficazes e superiores no ensino dentro da sala de aula. Outros são iniciados pelo distrito ou pela escola, como a Equipa de Construção de Liderança (Building Leadership Team) e a Equipa de Auxílio à Educação (Education Support Team). Uma das actividades de desenvolvimento profissional específico apontada como importante pela equipa de avaliação é o desenvolvimento de um espírito de colaboração entre o pessoal da escola susceptível de criar e desenvolver um conjunto de declarações de intenção sobre a escola.

No entanto, a maior parte do desenvolvimento profissional disponível para a classe docente é determinado pelo distrito escolar. Enquanto grande parte do pessoal da Highland participa assiduamente neste tipo de actividades, pode, no entanto, a maior parte pode não preencher as necessidades de desenvolvimento profissional identificadas pelo pessoal de Highland.



Por exemplo, foi identificada a necessidade de disponibilizar tempo de planificação para desenvolver uma unidade temática comum para o sexto ano. Seria útil desenvolver o planeamento para as restantes iniciativas de desenvolvimento profissional. A equipa de avaliação sugere que os oito meios-dias utilizados para reuniões de pais na Highland sejam utilizados também para o desenvolvimento profissional. Talvez o corpo docente deva avaliar esta alteração no final de cada ano e avaliar regularmente a utilização destes dias e o respectivo impacto nos resultados obtidos pelos alunos. Complementarmente, o tempo de planeamento pode ser organizado para o trabalho me questão.
Redefinir o Papel dos Professores
A equipa de revisão identificou a utilização dos recursos pedagógicos como uma preocupação por parte do pessoal docente. Recomendamos uma avaliação do papel dos professores, especialmente da forma como os professores de ensino especial são utilizados. O BLT (Building Leadership Team) pode querer avaliar o grau de eficácia dos talentos e competências destes professores do seu ponto de vista, do ponto de vista dos professores dentro das salas de aula, bem como do ponto de vista do crescimento e êxito dos alunos. O BLT pode querer considerar igualmente os papéis alternativos aos que são actualmente desempenhados por professores do ensino especial, de forma a determinar quais os mais eficazes relativamente à aprendizagem dos alunos. Um dos exemplos pode ser o do modelo consultor, em oposição ao modelo articulado, ou ensino em equipa, ou planificação conjunta entre os professores de ensino especial e os professores tradicionais.
Questões a Considerar
Dado o elevado grau segundo o qual a prática docente assume-se como maioritariamente centrada no professor, a equipa de avaliação gostaria de colocar algumas questões ao corpo docente de Highland:


  • De que forma irá a Highland dar os passos necessários para desenvolver uma psicologia pedagógica explícita e consistente capaz de continue o trabalho efectuado (exemplo, “A finalidade da Highland School é desenvolver a capacidade de pensamento e raciocínio do aluno?”)?

  • Como podem encontrar novas estratégias centradas na aprendizagem e, ao mesmo tempo, reconhecer e utilizar a experiência actualmente disponível do pessoal docente?


Reflexões sobre o Currículo e a Avaliação

(Práticas Observadas; Currículo):


  • O corpo docente da Highland School está orgulhoso da sua rica oferta curricular. É dada aos alunos uma ampla variedade de oportunidades de aprendizagem em aulas agrupadas de forma heterogenia durante o habitual e extenso dia escolar. Estas oportunidades reflectem um conjunto de projectos multi-disciplinares, como a viagem de bicicleta pela Guerra Civil; a escavação arqueológica; os poemas, histórias e trabalhos de arte em torno da antologia do aluno e o jantar do Dia de Acção de Graças servido pelos alunos da quarta classe, vestidos a rigor, aos seus pais.

  • O pessoal docente criou em cooperação um logótipo escolar que reflecte o tema da aprendizagem, respeito e responsabilidade identificado no Plano de Melhoramento da Escola.

  • O ambiente e currículo escolar comprovam a preocupação em promover o respeito mútuo entre os alunos e o corpo docente. Este respeito pela comunidade global mais ampla foi fomentado através do currículo graças à música de várias culturas mundiais. Numa aula de leitura do sexto ano foi discutida uma história que abordava a multiplicidade étnica inserida no contexto de uma palestra dada no ano anterior por um Afro-americano.

  • Os professores desenvolveram um currículo que estimula activamente os alunos. Entre os exemplos inclui-se: uma turma do quinto ano que testou e registou as propriedades dos minerais; uma turma do sexto ano criou uma micro-empresa onde os alunos tomavam decisões sobre economia, negócios e questões sociais, e as turmas da quarta classe onde os alunos encarnaram personagens históricas para os projectos intitulados Americanos Famosos.

  • O currículo interdisciplinar ficou bem patente nas aulas de arte, onde os alunos utilizaram livros de ciências para desenhar a vida subaquática. Os alunos do quinto ano ligaram o romance que estavam a ler sobre uma família que deixa a sua terra a uma unidade de estudos sociais sobre a imigração. Os alunos do sexto ano integraram conhecimentos e competências de várias disciplinas no seu projecto Hometown USA.

  • As actividades curriculares tais como a visita de autores, dias de orgulho nacional e feiras do livro são exemplos de como utilizar o currículo para atingir os objectivos relacionados com a melhoria e desenvolvimento do gosto pela leitura.


Questões a Considerar


  • Como é que a Highland pode expandir as oportunidades dos alunos de desenvolverem o respeito e valorizarem os contributos das várias culturas?

  • Como é que a Highland pode utilizar a diversidade como contexto para aumentar e reforçar os conteúdos curriculares?

  • Como é que a Highland pode desenvolver, a longo prazo, actividades de resolução de problemas que integrem a aprendizagem da matemática, ciências, linguagem, estudos sociais e as artes em oposição às aulas curtas, individuais e centradas em áreas de conteúdos isoladas?


Avaliações

(Múltiplas Formas de Avaliação dos Alunos)


  • A Highland School celebra o sucesso escolar de variadas formas como o Quadro de Honra e assembleias de prémios que reconhecem os alunos que demonstraram uma aprendizagem de qualidade.

  • Os professores utilizam gráficos, autocolantes e prémios como formas de motivar o sucesso dos alunos.

  • A Highland School mostra interesse por uma avaliação autêntica e genuína. As práticas incluem: a oportunidade de os alunos do sexto ano mostrarem os seus conhecimentos servindo de guias aos alunos do quarto ano na visita a escavações arqueológicas; a oportunidade de ajudar a preparar as reuniões de pais e professores e criticar construtivamente os trabalhos uns dos outros na sala de aula; a oportunidade de avaliar e analisar a sua própria performance relativamente a alunos inseridos em programas instrumentais e rotineiros. Em dois dos casos os alunos geraram e exibiram critérios de avaliação para um ensino e aprendizagem de qualidade.


Avaliação do Programa


  • A escola compilou os resultados dos testes padronizados para posterior utilização na avaliação dos resultados do programa de ensino.


Questões a Considerar


  • De que forma é que os testes padronizados desenvolvem estratégias curriculares e pedagógicas?

  • De que forma a Highland School irá utilizar as múltiplas fontes de informação para avaliar o progresso das crianças?

  • Como é que a Highland School irá avaliar a eficácia das diferentes estratégias de ensino para atingir os resultados descritos nos objectivos do distrito e da escola?

  • Como irá a Highland School avaliar a eficácia e adequação do currículo para atingir os resultados descritos nos objectivos do distrito e da escola?

1 Nota do tradutor: Escolas públicas alternativas geridas por professores, pais e alunos.

2 Cardinal Principles of Secondary Education (Commission on the Reorganization of Secondary Education, 1918)

3 Traduzido em Portugal como Na Senda da Excelência, Publicações D. Quixote, 1987.

4 Nota do tradutor: Escolas com programas especiais para objectivos sociais específicos.

5 Romper Fileiras: Mudar uma Instituição Americana.

6 Associação Nacional dos Presidentes dos Conselhos Executivos de Escolas Secundárias

7 O objectivo da Coalition of Essential Schools (CES) é transformar o ensino público americano de forma a que cada criança em cada bairro, independentemente da sua raça ou classe social, possa frequentar uma escola pequena, vibrante, intelectualmente motivante, desafiadora e personalizada.


8 Divisão Administrativa das Escolas Independentes do Nordeste.

9 International Reading Association.

10 Comissão para a Educação dos Estados.

11 Comissão Nacional para o Ensino e Futuro da América.

12 Comissão Nacional para a Excelência na Educação.

13 Quality Assurance and Planning.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal