Traduzido por Maria João Fonseca



Baixar 9.31 Kb.
Encontro26.02.2018
Tamanho9.31 Kb.

Science in School  Issue 26: Spring 2013  www.scienceinschool.org

Actividade para os alunos: Extraindo o teu próprio DNA

Traduzido por Maria João Fonseca

Materiais


  • Micropipetas ou pipetas graduadas

Se não tiver micropipetas, pode usar pipetas calibradas/ graduadas descartáveis. Nestas pipetas, o ‘tubo’ é graduado, permitindo a transferência de volumes inferiores a 1 ml com rigor suficiente para esta experiência.

Os tubos Falcon são tubos calibrados com tampas de enroscar. Se não estiverem disponíveis, poderá utilizar tubos de ensaio normais.

  • Banho-maria a 40°C (opcional)

  • Solução desinfectante

  • Solução de lise

  • Solução de proteinase K

  • Solução de acetate de sódio

  • Etanol frio ou álcool isopropílico (manter no frigorífico até ser necessário)

Método


  1. Transferir 1 ml de solução de lise para o tubo Falcon ou tubo de ensaio.

  2. Com uma ansa ou zaragatoa, raspar vigorosamente o interior das bochechas e a superfície da língua.

  3. Introduzir a ansa ou a zaragatoa no tampão de lise, agitando-a de forma a libertar as células recolhidas.

  4. Colocar a ansa ou a zaragatoa no desinfectante Colocar a ansa ou a zaragatoa no desinfectante.

  5. Repetir os passos mais 2-4 duas vezes, para assegurar a recolha muitas células. Utilizar uma ansa ou zaragatoa nova de cada vez.

  6. Adicionar 20 µl (ou uma gota, se se estiver a utilizar pipetas) de proteinase K ao tubo.

  7. Fechar o tubo e inverter algumas vezes para homogeneizar o conteúdo.

  8. Incubar a mistura em água-maria ou à temperatura ambiente durante 10 min.

  9. Adicionar 100 µl de acetato de sódio.

  10. Fechar o tubo e agitar bem, para homogeneizar.

  11. Adicionar 3 ml de etanol frio.

  12. Fechar o tubo e inverter muito lentamente para homogeneizar.

  13. O DNA deve aparecer sob a forma de um precipitado filamentoso esbranquiçado.

Nota de segurança:

As soluções podem ser irritantes para os olhos e para a pele, por isso deve ser usada uma bata, óculos de protecção e luvas. Algumas doenças podem ser transmitidas através da saliva; cada um deve manipular apenas as suas próprias ansas ou zaragatoas e colocar os materiais utilizados no desinfectante.

Eliminação: os líquidos podem ser despejados na banca com bastante água. As ansas ou zaragatoas usadas podem ser colocadas no lixo comum após desinfecção durante 15 minutos.

Questões para discussão


  • O que significa ‘lise’? Como é que isto ajuda a extrair o DNA?

  • O tampão de lise contém um detergente designado por SDS. Com base no teu conhecimento sobre a estrutura celular, o que achas que o detergente faz?

  • No interior das células, o DNA encontra-se fortemente enrolado e ligado a uma variedade de proteínas. Que passo ajuda a libertar o DNA das proteínas?

  • O que é que o último passo te diz acerca da solubilidade do DNA quer em água salgada, quer em etanol?

  • Como podes confirmar que o precipitado branco é mesmo DNA?

Actividades de extensão


  • Compara este método de extracção de DNA com métodos mais simples, usando ervilhas congeladas (Madden, 2006) ou kiwisw2. De que forma diferem? Qual funciona melhor? Consegues explicar porquê? Consegues identificar o método mais semelhante ao utilizado pelos geneticistas profissionais?

  • Extrair simplesmente DNA de um indivíduo não é suficiente para saber se este tem uma predisposição para a obesidade. Que outros testes teriam que ser feitos? Fica a saber mais sobre as técnicas utilizadas em investigação em genética.

  • Em muitos países, pais portadores de condições genéticas graves, como a fibrose cística ou a hemofilia, podem optar por diagnósticos genéticos pré-implantação, de modo a evitar o nascimento de crianças portadoras da doença. Achas que este procedimento deveria estar disponível para pais com uma predisposição genética para a obesidade? Os teus colegas concordam contigo?

Material de apoio a:

McLusky S, Malagrida R, Valverde L (2013) A genética da obesidade: uma actividade laboratorial. Science in School 26. www.scienceinschool.org/2013/issue26/obesity/portuguese




Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal