Ufv / III sen / outubro de 2009 / administraçÃO



Baixar 367.82 Kb.
Página1/9
Encontro16.12.2017
Tamanho367.82 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9

UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

DA TEORIA À PRÁTICA: O ENSINO ATIVO COMO ALTERNATIVA AO APRENDIZADO ADMINISTRATIVO

ALINE RODRIGUES FERNANDES (Bolsista-PET/UFV), AGLAENNE FLÁVIA DA ROSA (Bolsista-PET/UFV), ADRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA (Orientador/UFV)

A dificuldade de absorção do conhecimento por parte dos estudantes, através de métodos convencionais de ensino, impulsiona estudiosos na busca de metodologias diferenciadas que facilitem o processo de aprendizagem. Nesse sentido, o presente estudo objetiva apresentar uma metodologia de ensino aplicável à abordagem de temáticas na área da Ciência Administrativa. A metodologia trata-se de uma abordagem do ensino ativo, método em que o professor atua como incentivador e orientador da atividade, favorecendo a participação dos alunos (Pinheiro; Gonçalves, 2001). A operacionalização da metodologia acontece através do desenvolvimento de oficinas pedagógicas relacionadas a temas pouco abordados no curso ou demandados pelos estudantes, a fim de complementar sua formação. A atividade possui caráter pontual e compreende, em um primeiro momento, exposição do assunto em questão por um professor (parte teórica) com ajuda de equipamentos audiovisuais. Em seguida, através de práticas – atividades lúdicas, manuais, teatrais, simulações, dentre outras – exercita-se o aprendizado adquirido sob orientação do professor. O público-alvo do estudo são alunos de Administração e Ciências Contábeis, o que não exclui a participação dos demais acadêmicos interessados na temática trabalhada. Os resultados obtidos com a metodologia mostram-se bastante positivos, já que a associação entre teoria e prática facilita a compreensão e a apropriação do conhecimento.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA DO COMÉRCIO DE FERNANDO PESSOA PARA O ENSINO DE MARKETING

DJALMA ADÃO BARBOSA JUNIOR (Outros/UFV), MAGNUS LUIZ EMMENDOERFER (Orientador/UFV), ANA MARCELINA DE OLIVEIRA (Outros/UFV), EUGÊNIA MARIA DA SILVA MORAES DE QUEIROZ (Outros/UFV)


Este trabalho parte da premissa que estudos pluridisciplinares envolvendo Administração e Literatura podem revelar como uma significativa fonte de pesquisa e reflexão crítica para a prática das organizações contemporâneas. Neste sentido, optou-se em escolher a disciplina de marketing para ilustrar tais interlocuções. Assim, o objetivo deste tabalho foi analisar a teoria do comércio discutida pelo escritor português Fernando Pessoa buscando identificar contribuições para o estudo do marketing. Desta forma, a análise dos dados possibilitou evidenciar discussões sobre temas como: estrutura organizacional, relações de poder/consumo, planejamento e estratégia de marketing. Assim, como princpais contribuições deste trabalho tem-se: (1) a refexão estratégica a respeito do panejamento de marketing nas organizão: (2) a importância das questões socais, psicológicas e culturais a serem consideradas no desenvolvimento estratégico de um plano de marketing (3)  as mudanças estratégicas de marketing que devem ser efetuadas ao longo do desenvolvimento da dinâmica comercial de um país. Por fim, este trabalho revela a potencialidade do uso da Teoria e Prática do Comércio de Fernando Pessoa como um recurso pedagógico para auxiliar construção do conhecimento pluridisciplinar em marketing.

(DAD-UFV )


UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

A DISCUSSÃO INTERATIVA EM GRUPOS COMO SUPORTE AO ENSINO DE ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FERNANDA DA VITORIA LEBARCKY (Bolsista-PET/UFV), ELLEN CRISTINA BARADEL (Bolsista-PET/UFV), LAIANA GONÇALVES SABIONI (Bolsista-PET/UFV), ADRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA (Orientador/UFV)

O Programa de Educação Tutorial (PET) Administração da UFV desenvolve atividades a fim de complementar o Ensino compreendido na grade curricular dos cursos de Administração e Ciências Contábeis. Com tal propósito, foram realizadas atividades que tiveram como característica central a discussão e participação ativa de todos os participantes. A abordagem temática interativa ocorreu aliada às atividades de: (1) reuniões temáticas – auto-gestão, crise mundial, eleições norte-americanas e grade curricular -, (2) debates de livros – “A Meta” e “O Príncipe” -, (3) vídeo-debate – “Apollo 13” e “Zeitgeist”. Nas atividades os alunos passaram por um momento de preparação para as atividades, em que possuíam contato com o material selecionado, oportunidade de buscarem outras fontes e refletirem sobre os temas. Durante a realização das atividades, na primeira parte, cada participante expõe o conteúdo revisado e sua visão crítica sobre o mesmo. A segunda etapa é iniciada com a síntese do assunto realizada por um docente, que esclarece possíveis enganos ocorridos no processo de aprendizagem anterior à atividade e complementa as visões expostas durante a primeira etapa. Essa fase funciona como uma base compartilhada pelo grupo, que subsidia as posteriores discussões sobre a temática e suas relações com a experiência individual, conteúdos anteriormente trabalhados nas salas de aula, além da relação com fatos econômicos, culturais e sociais que se apresentam em nossa ou outras sociedades. O processo de aprendizagem se aproxima da abordagem sócio-cultural, inspirada por Paulo Freire (MIZUKAMI, 1986). Como resultados, destacam-se o conhecimento aprofundado adquirido sobre determinado tema e construído pelos participantes da atividade, além de senso crítico, visão sistêmica e habilidades de expressão oral desenvolvidos, atributos requeridos em profissionais nas organizações. Ressalta-se que a intensa interação é possibilitada pelo número reduzido de alunos, cerca de quinze por atividade e pela presença do docente mediador. 

UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

O PILAR DO ENSINO COMO COMPLEMENTAÇÃO DAS ATIVIDADES CURRICULARES UNIVERSITÁRIAS

GIANA ASSI (Bolsista-PET/UFV), TAINAN MARCOS SILVA (Bolsista-PET/UFV), MARCELO DE OLIVEIRA GARCIA (Bolsista-PET/UFV), ADRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA (Orientador/UFV)

A tríade regente das diretrizes seguidas no meio acadêmico – Ensino, Pesquisa e Extensão – também é parte integrante do corpo de atividades principais desenvolvidas pelos grupos PET (Programa de Educação Tutorial). O pilar do Ensino, atividade que comumente recebe maior destaque nas Universidades brasileiras, tem fundamental importância também para a complementação dos cursos oferecidos por essas Universidades. Com tais atividades podemos abordar assuntos emergentes nas diversas áreas do conhecimento e ainda proporcionar aos alunos dos cursos envolvidos a chance de ter contato com mecanismos que auxiliam seus trabalhos cotidianos. Como são exigidas dos estudantes muitas pesquisas no decorrer de sua graduação, softwares que facilitem ações como a tabulação dos dados são de grande valia. Os softwares SPSS (Statistical Package for the Social Sciences) e Sphinx foram os escolhidos para contribuir com esta questão, o primeiro com foco quantitativo e o segundo com ênfase qualitativa, ambos com metodologia de ensino do tipo “oficinas pedagógicas”, nas quais os professores instigam os alunos a resolverem os problemas propostos, interação esta que, segundo Demo (1997), permite que os alunos construam conhecimento. O mercado de trabalho atual também exige daqueles que pleiteiam uma boa colocação habilidades em mais de um idioma, além de sua língua oficial. Para tanto, a metodologia caracterizada como “ensino ativo”, método em que o professor atua como incentivador e orientador da atividade, favorecendo a participação dos alunos (PINHEIRO; GONÇALVES, 2001) foi proposta a fim de que os envolvidos nas atividades realizadas pelo grupo PET em questão estejam aptos a concorrer pelas melhores vagas. Com esta metodologia desenvolvemos o curso de Espanhol, que também é aberto aos demais alunos da instituição à qual o grupo promotor está vinculado. Assim podemos atingir satisfatoriamente o objetivo de instruir e melhor preparar os estudantes para o mercado.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

EVENTOS ACADÊMICOS: MODELOS DE APRENDIZAGEM E ATUALIZAÇÃO PROFISSIONAL.

KAIO CÉSAR ALMEIDA DE OLIVEIRA (Bolsista-PET/UFV), RANIELY DA SILVA PINTO (Bolsista-PET/UFV), FERNANDA SOUZA TIBÚRCIO (Bolsista-PET/UFV), ADRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA (Orientador/UFV)

Como parte de suas atividades de ensino, o Programa de Educação Tutorial de Administração (PET/ADM) da UFV realiza eventos acadêmicos como o Congresso Profissional de Administração e Ciências Contábeis e o Congresso de Gestão de Pessoas, cujo público consiste em alunos de graduação, pós-graduação e profissionais. Com a crescente transformação nas Ciências, em especial as Humanas, há uma contínua agregação de conhecimentos a esta área, fato que justifica a necessidade de eventos acadêmicos que venham proporcionar aos discentes e profissionais um contato com essas novas tendências, de forma a promover uma atualização em suas áreas de interesse. Nesse sentido, o objetivo desses eventos é ampliar o conhecimento dos participantes, abordando temas novos e relevantes para a sua carreira, de forma a complementar o conteúdo visto na graduação e pós-graduação. Desta forma, visa-se contribuir para uma melhor formação acadêmica dos participantes, a partir das necessidades identificadas. O método de ensino utilizado foi o Socializado, cujo principal objetivo é o trabalho de grupo, com uma interação entre os participantes e a troca de experiências com os profissionais respeitados área. As técnicas utilizadas para operacionalização das atividades foram Palestras, onde ocorrem exposições sobre as idéias relevantes acerca do tema abordado, sistematização do conteúdo e uma comunicação direta entre o palestrante e o grupo; e Mini-cursos, onde ocorre um maior aprofundamento de um tema específico e mais oportunidades de interação entre os participantes. Os Congressos possuem grande participação de seu público, e proporcionam a todos um ambiente favorável ao aprendizado, troca de experiências e ricas discussões acerca dos temas abordados.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

AMPLIAÇÃO DA FORMAÇÃO ACADÊMICA POR MEIO DE ATIVIDADES COM RECURSOS AUDIOVISUAIS

LUCAS PARAVIZO CLAUDINO (Bolsista-PET/UFV), ALEXANDRE LIMA BAIÃO (Bolsista-PET/UFV), LUCAS DURSO NEVES CAETANO (Bolsista-PET/UFV), ADRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA (Orientador/UFV)

Os seminários são uma importante ferramenta para a fundamentação da aprendizagem uma vez que quando um indivíduo expressa um conteúdo ele está reforçando-o na mente. Além disso, a possibilidade de se aprender conteúdos muitas vezes complexos em um curto período de tempo, só é possível por meio de palestras e apresentações com conteúdo sintetizado didaticamente.  Dentro desta perspectiva, o Programa de Educação Tutorial de Administração visa promover atividades desse caráter, como palestras, mostras e seminários de pesquisa, dando abertura para o enriquecimento da graduação com atividades extracurriculares que ampliam o conhecimento dos estudantes. Selecionados a partir da identificação de sua importância e da deficiência do mesmo na graduação, no primeiro semestre foram escolhidos como temas para palestras: redação, dinâmica de grupo, SPED, políticas públicas, marketing para pequenas empresas, fairtrade, balanço social e mercado de derivativos. As palestras são organizadas com a metodologia de oficina pedagógica, onde são utilizados recursos audiovisuais e os participantes são estimulados constantemente a formar opinião e debater sobre o tema proposto. O público-alvo das palestras foi composto principalmente por estudantes dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e, de acordo com o tema, também foram abertas vagas para os estudantes de Economia, Cooperativismo e Agronegócio. O principal resultado obtido com essas atividades foi a abordagem de temas pouco tratados na graduação, mas que estão em destaque no mercado de trabalho e na economia do país. As palestras também foram uma oportunidade para a formação de opinião, pois a integração ocorrida nas palestras entre os estudantes possibilitou a formação de conceitos e identificação de problemas, etapas fundamentais para a construção do conhecimento. Espera-se dar continuidade a atividades com a metodologia descrita acima para que os alunos possam ter uma formação ampliada e para que haja a constante troca de experiência entre profissionais e estudantes de graduação.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

ESTUDO DA IMPLANTAÇÃO DO BALANCED SCORECARD EM UMA FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA

MARINA LOUZA PALMEIRA (Outros/UFV), RICARDO CORRÊA GOMES (Orientador/), PEDRO HENRIQUE FREITAS ALMEIDA (Outros/UFV)

O Balanced Scorecard tem sido implantado com sucesso em organizações do setor privado, auxiliando-as no desenvolvimento de estratégias, objetivos, metas, indicadores de desempenho e ações mais adequadas às suas missões e visões de futuro. Considerando que a literatura apresenta poucas experiências com evidências empíricas que dêem sustentação a idéias de que esta ferramenta pode ser também implantada com sucesso em organizações do primeiro e terceiro setor, o presente artigo tem como objetivo descrever a experiência da Fundação Arthur Bernardes, que vem utilizando esta ferramenta como modelo de planejamento estratégico desde o ano de 2006. Foi realizado um estudo de caso como estratégia de pesquisa, sendo os dados coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas com cinco gerentes da Fundação. Ao longo do estudo foi evidenciado que apesar da fundação elaborar planejamentos estratégicos antes da implantação do Balanced Scoredcard, os gerentes perdiam o esforço dispensado pela ausência de um instrumento de implantação e controle das metas. Por fim, pode-se concluir que o Balanced Scorecard teve um impacto bastante positivo na fundação estudada, auxiliando-a em sua comunicação interna; associação dos objetivos e medidas estratégicas; além da melhoria da qualidade do planejamento com um melhor alinhamento entre as metas e sua visão de futuro da instituição.

(UFV )



UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ADMINISTRAÇÃO

O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM POR MEIO DA INDISSOCIABILIDADE ENTRE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

MURILO BARBOSA NUNES (Bolsista-PET/UFV), AMANDA PRADO FERNANDES (Bolsista-PET/UFV), LÍVIA RIBOLI DE OLIVEIRA ALVES (Bolsista-PET/UFV), ADRIEL RODRIGUES DE OLIVEIRA (Orientador/UFV)

Diversos estudos realizados e debates promovidos pela comunidade acadêmica do país, principalmente nas últimas décadas do século XX, procuraram construir o processo de ensino e aprendizagem com os universitários por meio da aliança entre ensino-pesquisa-extensão. Através do conceito de sinergia, a Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão procura produzir novos conhecimentos juntamente com a preparação de profissionais. Diante disso, a formação do estudante é proposta através de relações com impacto técnico-científico e sociopessoal, fruto da existência de projeto pedagógico com atribuição de créditos acadêmicos, sob orientação e avaliação de docente-tutor, que facilite a flexibilização da formação e a integração curricular estabelecendo uma relação transformadora entre a universidade e outros setores da universidade. Para tanto, delineou-se, por meio de seminários temáticos, um diálogo entre o que vem sendo estudado nos meios acadêmicos e como se tem construído, de forma prática, o conhecimento nas organizações do mercado, para um melhor desempenho na comunidade. Em linhas gerais, o Programa de Educação Tutorial de Administração (PET/ADM) da Universidade Federal de Viçosa (UFV), concentrou o esforço desse tipo de atividade no desmembramento de seus estudos nas seguintes áreas: Terceiro Setor, Microfinanças e Administração de Pequenas e Médias Empresas. Portanto, destacam-se três principais contribuições no processo de ensino e aprendizagem: (1) A aplicabilidade prática de estudos em prol da comunidade gestora, potencial ou efetiva; (2) aos universitários, por meio da oportunidade de desenvolver e apresentar conhecimentos cognitivos e críticos concomitantemente; (3) e à comunidade, principalmente os gestores envolvidos nas organizações estudadas e apresentadas, pois obtém na prática novas idéias de melhoria de processos estudados, facilitando ações em prol da organização.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

RADIODOCUMENTÁRIO ESPECIAL JORGE AMADO

FERNANDA MENDES VIEGAS (Outros/UFV), KATIA DE LOURDES FRAGA (Orientador/UFV), FERNANDA REIS (Outros/UFV), FERNANDO HENRIQUE NARDY COSTA (Outros/UFV), JÉSSICA MARÇAL DA SILVA (Outros/UFV), DANIEL DOS SANTOS LEITE (Outros/UFV), MATEUS ELIAS DOS SANTOS (Outros/UFV)

O Radiodocumentário “Especial Jorge Amado” é um trabalho de conclusão da disciplina Atividades Programadas em Jornalismo Radiofônico, ministrada pela professora do curso de Comunicação Social/Jornalismo, Kátia Fraga. O objetivo da atividade era que a turma – dividida em grupos - produzisse peças radiofônicas abordando os aspectos relevantes da vida e da obra de escritores brasileiros. Nosso grupo estudou a obra do escritor baiano, pertencente ao período do modernismo regionalista da literatura nacional. Na produção e edição do produto, os alunos envolvidos puderam colocar em prática técnicas do jornalismo radiofônico apreendidas em outros momentos do Curso, além de terem a oportunidade de trabalhar em equipe, desenvolver a criatividade e conhecer mais a história e o trabalho de um dos maiores escritores brasileiros. Com essa atividade transdiciplinar, ao envolver os estudos da comunicação e da literatura, os alunos puderam compreender e transmitir a importância da leitura de obras literárias nacionais. O rádio foi utilizado como canal atuante no processo de ensino e aprendizagem, e o resultado foi tão satisfatório que os documentários foram veiculados pela Rádio Universitária FM (100,7), no Espaço Universitário, na série intitulada “Grandes Escritores da Literatura Brasileira”, o que reforça a função educativa da emissora. Neste documentário há músicas, análises de especialistas sobre os livros de Jorge Amado, leituras dramatizadas e áudios retirados de novelas baseadas em produções do escritor. Estão presentes também depoimentos de pessoas que assistiram a essas obras, bem como declarações de amigos ilustres e pessoas íntimas de Jorge, como a escritora Zélia Gattai, sua esposa, e o cantor Caetano Veloso. Por meio dessa riqueza de conteúdo, o “Especial Jorge Amado” apresenta um interessante panorama ao público ouvinte que aprecia não só a produção literária, mas também a trajetória percorrida pelo literato baiano Jorge Amado. O documentário está disponível, também, no portal “Dzaí” em http://www.dzai.com.br/fernandaviegas/podcast/playpodcast?tv_aud_id=20359
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

ÚLTIMA PARADA – SANTA HELENA

FERNANDA REIS (Outros/UFV), KATIA DE LOURDES FRAGA (Orientador/UFV), FERNANDA MENDES VIEGAS (Outros/UFV), JÉSSICA MARÇAL DA SILVA (Outros/UFV), FERNANDO HENRIQUE NARDY COSTA (Outros/UFV), DANIEL DOS SANTOS LEITE (Outros/UFV), MATEUS ELIAS DOS SANTOS (Outros/UFV)

O Última Parada – Santa Helena é um produto da disciplina de Atividades Programadas em Jornalismo Radiofônico, do curso de Comunicação Social/ Jornalismo. Essa disciplina foi ministrada pela professora Kátia Fraga, no primeiro semestre de 2009. O trabalho em questão tem por finalidade trazer conteúdos de História, sobretudo biografias de personagens de destaque mundial, utilizando uma linguagem dinâmica, facilitando assim, o acesso e entendimento do ouvinte, além de garantir uma maneira educativa de entretenimento. O programa tem também o intuito de abordar e integrar diferentes áreas do conhecimento, como a História, a Comunicação e o Jornalismo. Para que exista dinamicidade, o programa é composto por entrevistas, reportagens e encenações sobre o tema central que se constitui nas possíveis causas de morte de Napoleão Bonaparte. Abordar a biografia do personagem em questão partindo das dúvidas existentes sobre o verdadeiro motivo de seu falecimento é o que torna o Última Parada, um programa curioso e interessante de ser ouvido. A montagem dessa peça radiofônica se baseou nos conceitos tratados ao longo da disciplina. Foram discutidas, por exemplo, questões relativas à comunicação no rádio (o que é o gênero radiofônico, quais formatos jornalísticos utilizados neste meio de comunicação) e em um posterior momento, essas discussões foram levadas à prática. O Última Parada é o resultado de uma construção de conhecimento teórico e prático da disciplina em que estava inserido. Para sua elaboração, foi feita, primeiramente, uma pesquisa sobre o tema. Buscou-se informações sobre o personagem consultando livros, revistas, documentos e profissionais da área de História, seguida por elaboração de pautas e roteiro, gravação em estúdio e edição final da peça radiofônica, sendo todo o processo orientado pela professora Kátia Fraga. O Última Parada – Santa Helena foi veiculado na Rádio Universitária, no Espaço Universitário e está também disponível na internet, no seguinte endereço: http://www.dzai.com.br//fernandaviegas/podcast/playpodcast?tv_aud_id=19753
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

COISIFICAÇÃO E EROTISMO FEMININO NAS PUBLICIDADES DE CERVEJA

LARA CARLETTE THIENGO (Outros/UFV), DANIELA PINHEIRO FONSECA E SILVA (Outros/UFV), ERNANE CORREA RABELO (Orientador/UFV)

Mulher – erotização – cerveja. A tríade, predominante na mídia publicitária, transformou a mulher virgem impoluta e submissa dos lares, na mulher erótica e sensual estampada nas publicidades do produto. A transformação faz parte de um processo de “bundalização midiática”, conceito utilizado por Patrícia Lessa Santos (2002) para explicar a incessante exposição de corpos e alusão ao sexo que regem o mercado publicitário.A partir do pressuposto que gênero feminino é uma construção sócio-cultural, este estudo traz uma análise da aceitação da figura erótica da mulher nas propagandas de cerveja, especificamente os banners, pelo imaginário coletivo e, sobretudo, sua influência sobre o consumo do produto, a fim de explicar a persistência na promoção desta ideologia publicitária.Para tal análise, o marco teórico foi construído com contribuições de alguns artigos científicos e das obras de Bourdier (2005), Morin (1977) e Wolf (2005). O estudo é pautado nesta modificação do status feminino durante a contemporaneidade e a adesão da conotação erótica e banalizada ao que concerne à forma como essas construções do gênero feminino são veiculadas através dos meios de comunicação de massa, de acordo com as proposições da “indústria cultural”. A análise das propagandas permitiu considerar algumas estratégias utilizadas na construção deste estereótipo feminino. São elas: criação de fotografias que explorem os corpos, baseado nos sonhos e fantasias do consumidor; a coisificação da mulher por meio da utilização de imagens de partes de seus corpos, “os seios”, “o bumbum”; associação da imagem à textos publicitários com linguagem curta e imperativa; e a reafirmação de inferioridade feminina permitindo a inserção das mesmas em uma relação de dependência simbólica. Por fim, pode-se entender a comercialização erótica da figura feminina como resultado de um processo de idealização construída através dos séculos, sendo delimitada pela sociedade, objeto e promotora de consumo
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

RADIODOCUMENTÁRIO CLARICE LISPECTOR: SOU BRASILEIRA, PRONTO E PONTO

MICHELLY AKEMI ODA (Outros/UFV), THIAGO OLIVEIRA DE ARAUJO (Outros/UFV), MARISTELA GUEDES LEÃO COUTINHO (Outros/UFV), LUIZ NEMER NETO (Outros/UFV), FERNANDA DO CARMO PÔNZIO (Outros/UFV), SAMANTA MARTINS NOGUEIRA (Outros/UFV), KATIA DE LOURDES FRAGA (Orientador/UFV)

O radiodocumentário “Clarice Lispector: Sou brasileira ponto e pronto” foi desenvolvido como parte da disciplina Atividades Programadas em Jornalismo Radiofônico. A disciplina é norteada no princípio de que o rádio, como influente veículo de comunicação, tem uma importante missão além da de divertir ou entreter: educar. Através de informações gerais ou temas específicos, o rádio leva ao ouvinte conhecimentos novos e o desperta para diferentes aprendizados e conteúdos. Por isso, os preceitos e práticas aprendidos em sala de aula foram fundamentais para o desenvolvimento deste documentário sobre literatura brasileira, que fez parte de uma série. Quando se fala em escritores nacionais, o nome de Clarice Lispector é fundamental. Dona de uma escrita profunda e intimista, ela se consolidou como a maior voz feminina da literatura brasileira. A inovação na formatação do programa, em fragmentos, só foi possível graças ao debate e as reflexões desenvolvidas durante as atividades de ensino em sala de aula. O roteiro do programa é construído através de três vozes principais. A primeira é “O biógrafo”, responsável por falar da vida da escritora. A segunda é “A Voz”, com aspectos marcantes dos trabalhos de Clarice. E, por fim, “O leitor”, que fará uma leitura dramatizada do conto clariceano “A quinta história”. O radiodocumentário “Clarice Lispector: Sou brasileira ponto e pronto” proporciona aos ouvintes conhecerem um pouco sobre a vida profissional e pessoal da autora. A estruturação inovadora e simples do radiodocumentário possibilita “levar Clarice” aos alunos de ensino fundamental, médio e superior, despertando o interesse e o gosto por suas obras.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

A ESTREITA RELAÇÃO ENTRE AS EMISSORAS DE RÁDIO E OS DETENTORES DO PODER

NÍZEA ANDRADE COELHO (Outros/UFV), LARA CARLETTE THIENGO (Outros/UFV), LUCIANA CHRYSTINA DE CASTRO PEREIRA (Outros/UFV), PÂMERA TADEU MACIEL MATTOS (Outros/UFV), DANIELA PINHEIRO FONSECA E SILVA (Outros/UFV), MAÍSA MARYELLI DE OLIVEIRA (Outros/UFV), KATIA DE LOURDES FRAGA (Orientador/UFV)

O rádio surgiu como uma arma de guerra e, utilizado para facilitar operações militares, teve como marco de sua relevância a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Já nesta época podia-se notar uma ligeira associação entre rádio e política. No entanto, esta ligação se concretizou logo após o conflito, com a transmissão das eleições presidenciais dos Estados Unidos, em 1920, quando o rádio assumiu caráter de meio de comunicação de massa. O objetivo deste trabalho é analisar a relação entre o rádio e a política, com enfoque nos governos brasileiros. A pesquisa se baseou, principalmente, em dois autores: NUNES, M.V. e ORTRIWANO, G. S. Após a década de 1920, o aparelho foi descoberto pelos Governos como o mais eficiente meio comunicativo para difundir as idéias do partido. Seja na Itália de Mussolini, na Alemanha de Hitler, ou no populismo de Getúlio Vargas, a propaganda política radiofônica possibilitou a formação de um cenário imaginário, correspondente aos anseios do povo, conquistando e persuadindo o ouvinte. No Brasil, a ditadura militar proporcionou uma mudança no perfil do rádio. O autoritarismo e a grande censura impostos fizeram com que os programas informativos perdessem espaço para os musicais. A partir de então, o domínio das concessões concentrou-se nas mãos daqueles que tinham interesses semelhantes aos do governo. No decorrer desse processo surgiu uma tendência pela formação de grupos de comunicação, o que também implica politicamente na dominação das emissoras pelos políticos. A estreita relação entre estes pode ser entendida no sentido do radialista que se torna político ou do político que adquire emissoras de rádio. Conclui-se, portanto, que as emissoras estão subordinadas, em muitos casos, ao poder publico e a influência política, dificultando a transmissão imparcial da informação. Uma alternativa que vem sido adotada é a admissão do ombudsman, que se apresenta como interlocutor entre os ouvintes e as emissoras.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

A CONSTRUÇÃO DA SUBPARTITURA DENTRO DO PROCESSO COREOGRÁFICO: “AS CONTRADIÇÕES DOS CORPOS”.

PAULO CEZAR DA SILVA (Monitor/UFV), SOLANGE PIMENTEL CALDEIRA (Orientador/UFV)

O poema “As Contradições do Corpo”, de Carlos Drummond de Andrade inspirou coreógrafo e bailarinos para uma criação artística que, através de laboratórios coreográficos, acionaram uma bagagem anterior, somada a experiências e as reflexões atuais dos bailarinos: a subpartitura. Esta vem antes da ‘partitura final’, um exercício onde os bailarinos, com auxílio do encenador ou coreógrafo, buscam em suas próprias memórias e experiências instrumental para elaborar as projeções solicitadas pelo encenador ou coreógrafo. A subpartitura, embora elemento bastante utilizado no teatro, ainda é relativamente novo na dança. A pesquisa, que tem como fundamentação teórica principal Patrice Pavis e sua obra ‘A Análise dos Espetáculos’ (1996), propôs um estudo sobre a análise dos componentes de um espetáculo com ênfase na ‘subpartitura’. Assim, foi desenvolvido um projeto coreográfico com o Grupo de Dança Experimental do Curso de Dança - UFV sob coordenação da professora Solange Caldeira, baseado no poema “As Contradições do Corpo”, com o objetivo de pesquisar através do trabalho coreográfico a construção da ‘subpartitura’. Buscou-se estruturar uma composição coreográfica em que os bailarinos não atuassem apenas como intérpretes, reproduzindo movimentos e gestos, mas os incorporassem em cena, vivenciando cada movimento, cada sensação e sentimento como único e real. O resultado alcançado de forma parcial pelos bailarinos e pelo coreógrafo, devido pequeno tempo disponível para pesquisa e trabalho em grupo, viabilizou algumas cenas em que são estabelecidas relações entre os corpos, os movimentos e os elementos da dança: tempo, espaço, peso, tema, música e intenções, permitindo uma modificação da matéria - movimento humano – dentro da construção da ‘subpartitura’ que, em diálogo com a literatura, possibilitou maior expressividade, permeada pela transmigração de linguagens: literatura e dança / poesia e dança.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

UAI, TREM! - UMA EXPERIMENTAÇÃO RADIOFÔNICA PARA O PÚBLICO INFANTIL

SAMANTA MARTINS NOGUEIRA (Outros/UFV), THIAGO OLIVEIRA DE ARAUJO (Outros/UFV), LUIZ NEMER NETO (Outros/UFV), MARISTELA GUEDES LEÃO COUTINHO (Outros/UFV), MICHELLY AKEMI ODA (Outros/UFV), FERNANDA DO CARMO PÔNZIO (Outros/UFV), KATIA DE LOURDES FRAGA (Orientador/UFV)

O programa “Uai, Trem!” é um produto radiofônico experimental do gênero especial infantil, que procura respeitar o intelecto e a capacidade cognitiva das crianças por meio de uma história ficcional que aborda temas reais. Esses servem como complemento à educação e escolarização fornecidas pela família, escola e demais redes de relações interpessoais nas quais a criança está inserida. O “Uai, Trem!” é destinado à faixa etária de oito a doze anos, pois nessa etapa as crianças já passaram por uma socialização suficiente para entender a narrativa e conteúdo do programa. Apesar dessa delimitação, ele também tem grande valor educativo para pessoas de demais idades, uma vez que as informações transmitidas podem ser desconhecidas e curiosas a elas. O desenvolvimento desse projeto se deu pelo fato de haver uma insuficiência do gênero infantil nas rádios, principalmente nas emissoras comerciais. Porém, as possibilidades que o rádio propicia para se trabalhar com esse gênero não justificam essa escassez. A principal delas é poder despertar o imaginário através de uma história contada sem imagens, mas com muitos efeitos ficcionais. Sons, vozes e músicas podem ser uma forma eficiente para cativar um público acostumado a produtos audiovisuais de grande apelo imagético. Os ouvintes são transportados para a atmosfera lúdica do ambiente, como o trem voador e os países, por meio de músicas, efeitos sonoros e interpretação dos locutores. Por trás do “Uai, Trem!”, encontra-se a finalidade de inserir as funções do rádio de informar, prestar serviços e entreter, ao cotidiano do público infantil. Os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula puderam ser desenvolvidos na prática para a elaboração do programa. O exercício das técnicas primordiais para um jornalista que atua na área radiofônica, como apuração, locução, respiração, entonação, interpretação e edição, facilitaram o processo de aprendizagem dos alunos envolvidos. Sem contar no caráter educativo do rádio e em outras potencialidades que o rádio oferece e que pudemos apreender nas dinâmicas viabilizadas pelo processo ensino e aprendizagem.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARTES E HUMANIDADES

TERRITÓRIO LIVRE: EXPERIMENTAÇÃO RADIOFÔNICA HIPERTEXTUAL

THIAGO OLIVEIRA DE ARAUJO (Outros/UFV), FERNANDA DO CARMO PÔNZIO (Outros/UFV), MARISTELA GUEDES LEÃO COUTINHO (Outros/UFV), MICHELLY AKEMI ODA (Outros/UFV), LUIZ NEMER NETO (Outros/UFV), SAMANTA MARTINS NOGUEIRA (Outros/UFV), KATIA DE LOURDES FRAGA (Orientador/UFV)

O "Território Livre" é um programa experimental jornalístico de áudio que trabalha com conexões improváveis. O programa é fruto de um intenso processo de pesquisa e reflexão com base nas atividades de ensino realizadas nas disciplinas de Radiojornalismo (2008/2) e Atividades Programadas em Jornalismo Radiofônico (2009/1). Elaborou-se a partir das aulas uma série de trabalhos acadêmicos, permitindo que fosse desenvolvido um panorama do cenário atual do Rádio a partir das influências que as novas mídias têm na mudança de paradigmas nas técnicas de produção, na formatação e na recepção de programas radiofônicos. Os conceitos apreendidos durante as práticas de ensino foram então aplicados na elaboração de dois programas pilotos: "Acreditar" e "Quaresma", transmitidos na programação da Rádio Universitária – 100,7 FM. Desconstruindo os limites de um radiojornal temático padrão, concebeu-se uma linguagem radiofônica hipertextual ao se interligar reportagens e entrevistas em torno de uma única palavra. Dessa forma, foi realizado um programa com duas possibilidades de transmissão. A primeira, em uma narrativa linear, por meio da tecnologia disponível atualmente nas emissoras de rádios analógicas. A segunda é uma proposta de recepção sob demanda, somente possível devido à multilinearidade dos conteúdos abordados, bem como de uma possibilidade real de transmissão, atrelada diretamente a digitalização do Rádio, emulada aqui a partir do uso da internet. A experiência agora extrapola a sala de aula e contribui para a irradiação de edições semanais do Território Livre, toda terça-feira, às 13 horas, na Universitária FM, que são agora exibidas simultaneamente em um blog (www.programaterrritoriolivre.blogspot.com) do programa, proporcionando espaço de debate e de complementaridade das temáticas apresentadas.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

A REDEFINIÇÃO DO ESPAÇO FÍSICO DA CIDADE DE LONDRES NO SÉCULO XVII: A PROPOSTA DE CHRISTOPHER WREN

CAIO GUIMARÃES ZAIDAN (Outros/UFV), JOSELIA GODOY PORTUGAL (Orientador/UFV)

A Londres do século XVII viveu grandes catástrofes, culminando no Grande Incêndio de 1666, que destruiu cerca de 70% de toda área central, conhecida como city, deixando 100 mil desabrigados. Foi então o momento propício para reconstruir a cidade e reorganizar o espaço. Como trabalho final, foi expresso na construção de um texto e numa apresentação oral, para a disciplina ARQ 111, História e Teoria da Arquitetura II, que aborda a temática sobre a arquitetura e o urbanismo dos séculos XIV ao XVIII. O objetivo do trabalho foi entender a redefinição e reorganização da city considerando o plano proposto pelo arquiteto Christopher Wren. A metodologia utilizada baseou-se em estudos teóricos de Leonardo Benevolo, consultas a sites históricos para aquisição de imagens, além de análises gráficas de croquis esquemáticos. Como resultado, pode-se perceber que a nova malha urbana de Wren procurou evidenciar a abertura de vias largas, com tendências de distribuição do fluxo para Westminster, na região oeste da cidade, ao mesmo tempo em que deu importância a lugares simbólicos, como a Igreja de São Paulo, evidenciando uma perspectiva barroca no plano. Ainda, identificou-se a preocupação do arquiteto em estabelecer normas para o parcelamento e uso do solo, adotando medidas de hierarquização das vias em relação ao gabarito das edificações e novas técnicas de construção que evitariam incêndios dessa magnitude. De fato, o plano inicial não foi realizado em sua totalidade devido a interesses de uma monarquia absolutista que, pós-incêndio confiscou os lotes sem indenização dos antigos proprietários, o que acarretou muitos protestos. Concluiu-se que o processo de planejamento urbano de Londres pós 1666 sofreu influências teóricas como do urbanismo barroco, que se materializaram na resolução do espaço físico da cidade para organizar o caos vigente na época. É importante ressaltar que o plano propunha construir uma cidade moderna e desenvolvida.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

A EVOLUÇÃO DOS ESPAÇOS DOMÉSTICOS INGLESES NO SÉCULO XIX

LÍVIA MAÍRA COSTA RODRIGUES (Outros/UFV), RIANE RICCELI DO CARMO (Outros/UFV), JOSELIA GODOY PORTUGAL (Orientador/UFV)

Este é o resumo de uma reflexão crítica apresentada como trabalho final da disciplina ARQ 112 - História e Teoria da Arquitetura III, que aborda a arquitetura e o urbanismo europeu do século XIX. Esse contexto foi marcado, sobretudo, por diversas mudanças no âmbito científico, tecnológico e cultural advindas do desenvolvimento industrial que transformou os padrões de vida no campo e cidade. Isso gerou a proliferação de novas obras, como estações de trens, arranha-céus, edifícios públicos, unidades residenciais, que passaram a utilizar um repertório arquitetônico de épocas passadas, momento conhecido com revivalismo. Acentuando o conflito entre tradição e modernidade e transformando as relações de tempo e espaço, essas mudanças atingiram a concepção arquitetônica dos espaços domésticos. Nosso objetivo foi identificar as conseqüências dessas mudanças na arquitetura dos espaços domésticos ingleses, fazendo uma abordagem da transformação dos mesmos através da investigação da evolução das prioridades dadas pelos arquitetos da época aos ambientes domésticos. Através da análise de publicações referenciais e do estudo gráfico de projetos do período, percebeu-se as seguintes transformações na concepção projetual: ampliação dos espaços pela possibilidade de conjugação de ambientes e inclusão de outros que até então permaneciam externos à edificação, como os banheiros e as áreas de serviços. Essas modificações refletiam os avanços estruturais, com o uso de novos materiais como o ferro, e os avanços nas instalações hidrosanitárias.  Nossas análises de projeto foram feitas sobre as obras do arquiteto inglês Voysey, pelo fato de ter aplicado a tradição inglesa às novas ousadias permitidas pelo desenvolvimento moderno, promovendo mudanças funcionais e conceituais, consequentemente, tornando o ambiente doméstico fluido e confortável. Assim, entendemos que nas produções arquitetônicas do século XIX se encontram referências capazes de romper com a visão tida por algum tempo pela historiografia oficial de que o século XIX teria sido uma época de revivalismo banal.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

O PROCESSO DE CRIAÇÃO ARQUITETÔNICA DE MICHELANGELO BUONARROTI: CONSIDERAÇÕES SOBRE UM ARTISTA MANEIRISTA.

MARESSA FONSECA E SOUZA (Outros/UFV), JOSELIA GODOY PORTUGAL (Orientador/UFV), ERIKA CRISTÓVÃO NOVAIS (Outros/UFV)

Este trabalho foi desenvolvido como atividade final para disciplina ARQ 111 – Teoria e História da Arquitetura II, que aborda a arquitetura e urbanismo europeu dos séculos XIV-XVIII. Os alunos escolhem um contexto/obra pertinente à temática e realizam pesquisas, cujos resultados se expressam em texto e apresentações orais. Optamos pela análise da produção arquitetônica de Michelangelo Buonarroti (1475–1564), objetivando mostrar como seu processo criativo pode nos auxiliar na concepção de projetos arquitetônicos. Michelangelo é considerado um dos grandes nomes do Renascimento Cultural, momento a partir do século XIV onde os modelos clássicos da composição arquitetônica voltaram a integrar o repertório das construções. Sua produção pode ser compreendida dentro do contexto do Maneirismo, última fase do Renascimento, quando as regras clássicas começaram a ser questionadas no sentido de se ter uma produção mais envolvida com a realidade humana, ou seja, subjetiva. Para nossa análise escolhemos duas de suas obras: a Biblioteca Laurenciana (início 1525) e a Capela Medici (início 1520), ambas em Florença, Itália. Metodologicamente, realizamos pesquisas em livros de autores como Argan e Wölfflin, além da análise gráfica das obras com subsídio ilustrativo também em páginas da web. Na Biblioteca Laurenciana, os pares de colunas empregados nas paredes dão a sensação de compressão do espaço, criando uma atmosfera dominadora. O efeito subjetivo da escadaria de acesso à sala de leitura enfatiza essa sensação, através dos degraus que diminuem de tamanho ao se aproximarem da sala. Na Capela Medici, as escalas grandiosas das esculturas e dos ornamentos das portas tendem a fazer o visitante se sentir frágil diante do mistério da morte e de Deus, refletindo o pensamento religioso cristão desse período. Constatamos assim que Michelangelo diferiu de seus contemporâneos não somente pela liberdade interpretativa com que articulava os elementos clássicos, mas por criar efeitos arquitetônicos instigantes em suas obras.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

A ORIGEM MODERNA DA IDÉIA DE CONFORTO NOS ESPAÇOS ARQUITETÔNICOS

NATALIA FERNANDES PIERONI (Outros/UFV), ADELAIDE LUIZA NOVAES DIAS (Outros/UFV), JOSELIA GODOY PORTUGAL (Orientador/UFV)

Esse trabalho foi desenvolvido como conclusão da disciplina ARQ 111, História e Teoria da Arquitetura II, cuja temática aborda a arquitetura e urbanismo dos séculos XIV – XVIII. Como tema para uma revisão bibliográfica, optamos por um estudo sobre o desenvolvimento da idéia de conforto nos espaços arquitetônicos do final do século XVIII, que se fundamentava no modo de vida burguês, em ascensão na Europa. O objetivo foi identificar, através da arquitetura desse período, como essa idéia consolidou noções de privacidade e domesticidade fortalecidas através dos princípios da composição de espaços internos, preocupação típica do estilo arquitetônico Rococó. Para isso analisamos a configuração espacial interna de duas edificações: o Palácio de Versalhes, na França; e a Paxton House, na Inglaterra. Metodologicamente usamos obras referenciais desse contexto, como do polonês Witold Rybczynski, a partir das quais desenvolvemos o conceito de conforto presente no final do século XVIII e suas aplicações arquitetônicas. Os estudos gráficos baseiam-se em ilustrações de projetos e edificações desse momento, obtidas em livros e páginas da web. Identificamos a França, como grande precursora de inovações que trouxeram conforto aos ambientes internos, e que são evidentes no Palácio de Versalhes, cujo mobiliário além de compor esteticamente os ambientes atendia às necessidades físicas dos usuários. No entanto, percebemos que na Inglaterra o conceito de conforto, atrelado à concepção de espaço doméstico, floresceu de fato. A Paxton House configura-se na idéia da intimidade em pequena escala, do ambiente agradável que pudesse proporcionar bem-estar físico à família e suas visitas. A partir desse estudo identificamos a origem moderna de nossa idéia de conforto. Sob uma perspectiva evolutiva, podemos dizer que França e Inglaterra foram precursoras de uma sociedade burguesa predominantemente urbana, sedimentada ao longo dos séculos XIX e XX, que estabeleceu o conceito de casa como um ambiente doméstico familiar, privado e confortável.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

O ESPAÇO DA PRODUÇÃO ARQUITETÔNICA COM USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS DIGITAIS

PEDRO DE ALMEIDA SACRAMENTO (Bolsista-PET/UFV), TULIO MARCIO DE SALLES TIBURCIO (Orientador/UFV)

As crescentes exigências e a instabilidade dos mercados demandam da indústria da construção civil novas competências. Porém, muitas deficiências ligadas à comunicação entre os projetistas tem comprometido os resultados dessa indústria. A deficiência na comunicação dificulta o estabelecimento da colaboração entre vários agentes deste processo, uma relação indispensável para a obtenção de resultados efetivos em trabalhos conjuntos. Acredita-se que um espaço físico adequado pode contribuir muito para o estabelecimento da colaboração. Mas como seria esse com foco em escritórios de arquitetura que utilizam tecnologias de custo acessível para pequenas e médias empresas (computadores comum, datashow, mouse comum, webcam), este trabalho, desenvolvido no âmbito da disciplina ARQ 398 - Trabalho de Curso: Fundamentação, usa questionários para investigar as relações de colaboração estabelecidas em 6 escritórios de arquitetura na cidade de Viçosa. Os resultados mostram que as empresas podem ser enriquecidas com a aplicação alternativa de equipamentos e tecnologias de custo acessível. O estudo aponta como fator essencial a utilização de ambientes flexíveis e que promovam compartilhamento de informações no projeto de novos escritórios. Percebeu-se que o mercado local enfrenta o desafio de encontrar profissionais que detenham o conhecimento técnico necessário para aplicação efetiva desses recursos. Esta pesquisa mostra que a utilização de recursos para colaboração, como a realidade virtual, podem dar suporte a novas abordagens do trabalho coletivo através de recursos simples, inclusive em ambientes que possuem equipamentos comuns. O estudo evidencia para a elaboração de projetos o potencial de utilização da colaboração mediada por computadores. Uma colaboração, inclusive, que já tem sido aplicada com sucesso na criação de softwares, músicas, textos na internet. No mercado de Viçosa, o trabalho contribui ao apresentar a necessidade de foco na capacitação técnica dentro dos novos escritórios de arquitetura, o que pode minorar a necessidade de aquisição de equipamentos de alta tecnologia.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

TENDÊNCIAS NA ARQUITETURA AEROPORTUÁRIA

RAFAEL SILVA COUTINHO (Outros/UFV), TULIO MARCIO DE SALLES TIBURCIO (Orientador/UFV)

Atualmente, as discussões sobre a crise aérea no Brasil têm se intensificado, questionando a qualidade do controle aéreo do país. Desde 1996, com o acidente da TAM, que deixou mais de 180 mortos no Aeroporto de Congonhas em São Paulo, as autoridades tentam conciliar a capacidade do transporte aéreo com segurança no desenvolvimento econômico, o que mostra a importância do planejamento e de um bom projeto para os aeroportos. Este trabalho , desenvolvido no âmbito da disciplina ARQ 398 - Trabalho de Curso: Fundamentação, investigou  a arquitetura dos aeroportos frente às constantes mudanças no tráfego aéreo  mundial e no contexto da aviação civil brasileira; e os impactos na arquitetura. Teve como objetivo o levantamento de informações para a implantação de um novo terminal de passageiros para o aeroporto de São José dos Campos no estado de São Paulo. Considerando sua importância nos setores tanto industrial quanto turístico algumas questões foram investigadas: como essas demandas são consideradas? Como a arquitetura pode ser usada para aprimorar a segurança nos aeroportos? Quais as tedências na arquitetura de aeroportos? Com levantamentos sobre a região em questão e seu tráfego aéreo, revisão de literatura, estudos de casos e entrevistas com profissionais da área de aviação foram os métodos utilizados para estudar história dos aeroportos, levantar a legislação pertinente e dimensionamentos necessários. Observou-se que a funcionalidade é palavra chave neste tipo de arquitetura, onde os fluxos devem ser bem planejados. Verificou-se também que as aeronaves  não só influenciam a configuração dos espaços, como também influenciam o uso das tecnologias de um aeroporto. Além disso, flexibilidade é apontado como outro fator essencial nos aeroportos para atender as demandas previstas a prazos mínimos de 20 anos é um dos fatores principais no projeto.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

PROPOSTA DE MORADIA DIGNA E SUSTENTÁVEL EM TIMÓTEO,MG.

RAQUEL ANÍCIO BERNARDO (Outros/UFV), ALINE WERNECK BARBOSA DE CARVALHO (Orientador/UFV)

Este trabalho foi desenvolvido no âmbito da disciplina ARQ 398-Trabalho de Conclusão-Fundamentação, no qual cabe ao aluno estudar um tema de seu interesse, visando ao seu trabalho de conclusão de curso. Elegeu-se como temática a habitação de interesse social e tomou-se como objeto de estudo o município de Timóteo-MG. O objetivo da pesquisa consistiu em caracterizar o problema habitacional no município e identificar as Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS), onde as condições de habitabilidade são mais graves, visando à proposição de intervenções arquitetônicas e urbanísticas de baixo custo e sustentáveis, para atender às necessidades da comunidade local. Além da revisão bibliográfica e de estudos de casos sobre habitação de interesse social e estratégias sustentáveis, foi realizada pesquisa de campo que constou de levantamento fotográfico e urbanístico em sete ZEIS, e de levantamento documental (mapas, Plano Diretor Municipal, legislação urbanística etc.) na Prefeitura Municipal.  Feita a caracterização socioespacial de cada ZEIS, escolheu-se como objeto de intervenção a ZEIS Nova Esperança, onde existem sérios problemas decorrentes da ocupação ilegal do solo e das situações de risco por desmoronamento ou alagamento, devido à ocupação de encostas íngremes e à proximidade ao Rio Piracicaba. Nesta ZEIS residem 150 famílias com renda média entre um e dois salários mínimos. A população, de aproximadamente 600 habitantes, é predominantemente jovem, porém a minoria possui acesso à educação. A partir da análise das condições existentes, foi proposta a remoção das famílias em situação de risco para novos edifícios residenciais a serem construídos em área livre próxima ao assentamento, além de soluções urbanísticas, como implantação de duas praças, construção de creche e salão comunitário; construção de ponte sobre o Rio Piracicaba, para ligação da comunidade ao município vizinho; construção de trevo e passarela, visando à integração com o bairro adjacente e, finalmente, melhoria das condições das vias existentes.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

TENDÊNCIAS NA ARQUITETURA HOTELEIRA: UM HOTEL DE NEGÓCIOS PARA A CIDADE DE IPATINGA – MG

SABRINA ANDRADE BARBOSA (Outros/UFV), TULIO MARCIO DE SALLES TIBURCIO (Orientador/UFV)

O trabalho desenvolvido na disciplina ARQ 398 – Trabalho de Curso: Fundamentação, teve o enfoque na arquitetura hoteleira, abordando os principais aspectos do planejamento do setor. A expansão da USIMINAS trará conseqüências para todo o Vale Do Aço e o crescimento populacional previsto na região levanta a questão sobre demanda de hospedagem para os novos visitantes executivos, o que torna importante a busca de novas soluções para abrigá-los. O objetivo da pesquisa foi estudar o tema arquitetura hoteleira com foco em hotel de negócios para a região da cidade de Ipatinga – MG e região. A pesquisa abordou também conceitos de edifícios inteligentes com a incorporação das inovações tecnológicas para o projeto. Para o desenvolvimento da pesquisa foram utilizados métodos qualitativos. A revisão bibliográfica mostrou conceitos, classificações e tendências na arquitetura hoteleira. Entrevistas com profissionais da área imobiliária, com órgãos de planejamento da prefeitura local e com funcionários da USIMINAS foram utilizadas para investigar a demanda e identificar aspectos do contexto local. Estudos de casos desta tipologia hoteleira foram utilizados para uma investigação do programa de necessidades, dimensionamentos usuais nestes hotéis, entendimento dos fluxos de pessoal (clientes, funcionários, prestadores de serviços). Resultados mostram a demanda real para a implantação desta tipologia hoteleira na cidade de Ipatinga e identifica os fatores que causam influência no empreendimento hoteleiro e na arquitetura de hotéis. Foi elaborado um programa de necessidades, um pré-dimensionamento e fluxograma para o projeto de um hotel  desta natureza para a cidade.

 
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO



A RED HOUSE COMO REFLEXO DO MOVIMENTO ARTS AND CRAFTS NA ARQUITETURA A PARTIR DO FINAL DO SÉCULO XIX

SARAH ALINE MACHADO CAMPOS (Outros/UFV), PALOMA FABÍULA RODRIGUES SILVA (Outros/UFV), JOSELIA GODOY PORTUGAL (Orientador/UFV)

Este trabalho foi desenvolvido como avaliação final na disciplina ARQ 112 – História e Teoria da Arquitetura III, que aborda a arquitetura e urbanismo europeu no século XIX. Nesse contexto, escolhemos um tema/obra para desenvolver uma revisão bibliográfica através de apresentações escrita/gráfica e oral, optando por estudar o Movimento inglês Arts and Crafts. Com os avanços tecnológicos no final do século XIX a sociedade presenciou a desvalorização artesanal do artista pela produção industrial. A relação homem/máquina foi questionada para revalorizar o trabalho manual e sua originalidade. O arquiteto inglês William Morris (1834/1896) criou o movimento Arts and Crafts, entendido como uma tentativa de recuperar a dimensão estética dos objetos produzidos industrialmente. Arquitetonicamente sua maior expressão é a Red House, localizada em Kent, Inglaterra, projetada por Philip Webb em 1859 para residência de Morris. Nosso objetivo foi identificar como o Arts and Crafts promoveu uma nova forma de projetação arquitetônica possibilitando a ligação do processo industrial com a produção artesanal. Realizamos uma revisão bibliográfica de autores como Benevolo e Frampton e uma análise do projeto arquitetônico da Red House, cujas ilustrações foram obtidas também em páginas da web. Os principais pontos que refletem os conceitos do movimento foram:a funcionalidade, onde o partido arquitetônico foi consequência da setorização dos ambientes; a implantação que respeitava e valorizava o entorno; o método construtivo utilizando alvenaria estrutural com tijolos feitos com a terra local; os acabamentos como janelas, vidros, revestimentos, mobiliários, entre outros, foram todos confeccionados artesanalmente. Esse estudo tornou-se interessante, pois ilustra como decisões arquitetônicas baseadas em princípios críticos, amparados por posições teóricas bem definidas, como foi o caso da Red House, podem produzir uma arquitetura engajada e comprometida com o bem-estar do usuário. A atualidade dos conceitos trabalhados por Morris pode ser identificada em arquitetos e obras que resistem às pressões especulativas do mercado.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / ARQUITETURA E URBANISMO

A INFLUÊNCIA DO INTERNATIONAL STYLE NOS PAÍSES MODERNOS

TATIANA PAIVA XAVIER (Outros/UFV), MARIA MARTA DOS SANTOS CAMISASSA (Orientador/UFV)

O termo International Style corresponde à defesa do funcionalismo arquitetônico da primeira metade do século XX e à negação da ornamentação excessiva difundida até então. Esse termo tornou-se conhecido a partir da realização da Exposição homônima organizada por Hitchcock e Johnson, no Museum of Modern Art (MoMA) em New York, em 1932. A partir das discussões desenvolvidas na disciplina de ARQ 113 - História e Teoria da Arquitetura IV, teve-se como objetivo analisar as características e o caráter universal da arquitetura funcionalista surgida das várias vertentes do Movimento Moderno na Europa e nos Estados Unidos. Essa análise foi baseada em uma revisão bibliográfica com consulta em dicionários de arquitetura e autores referenciais como Lampugnani e Frampton. A padronização da forma encarada de maneira concreta, racional e simplificada surge eliminando qualquer tipo de interferência visual, ou seja, da camuflagem da estrutura construtiva provocada pelos ornamentos. Por outro lado, a padronização se submetia às condições climáticas, econômicas e sociais de cada lugar onde era utilizada, possibilitando a difusão e adequação do Estilo Internacional em todo o mundo. Sua facilidade de emprego ocorria devido ao uso comum da técnica leve (estrutura), dos materiais sintéticos modernos e das partes modulares padronizadas, podendo ser citada como exemplo a Casa Domino de Le Corbusier, um protótipo básico pensado para ser construído em série. Esta concepção de casa estandardizada explorava um sistema estrutural completamente independente que consistia em lajes e escadaria, pré-fabricados em concreto armado, com elementos-padrão combináveis. Como conseqüência, a universalização levou ao uso de formas elementares, austeras, nítidas e de superfícies puras, condizente com uma nova era mecanizada. Dessa maneira pode-se perceber que o International Style significou a união das diversas representações regionais da arquitetura moderna e de suas características, sendo considerado um referencial importante na produção arquitetônica contemporânea.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / BIOLOGIA ANIMAL

ENTOMOFAUNA DE JATOBÁ E DE ACÁCIA-MANGIUM EM RORAIMA

ANDRÉ LUÍS PETEAN SANCHES (Outros/UFV), NORIVALDO DOS ANJOS SILVA (Orientador/UFV)

O Estado de Roraima possui intensa atividade florestal, principalmente no setor extrativista, devido à grande área de florestas nativas ainda conservadas, explorando espécies como a Hymenaea coubaril L. (Jatobá), mas que também apresenta boa expansão dos plantios de essências florestais exóticas como no caso da Acacia mangium Willd, que é empregada para produção de papel e serraria. O presente trabalho teve como objetivo realizar uma revisão sobre duas das principais espécies de insetos que danificam estas essências florestais no Estado de Roraima e fazer um levantamento, em nível de campo, de seus possíveis insetos pragas. A pesquisa fora realizada por meio de revisão bibliográfica através de consulta à literatura indicada no Quarto Catalogo dos Insetos que Vivem nas Plantas do Brasil, órgãos oficiais do governo (EMBRAPA, IBGE, IBAMA e INPA) e literatura disponível na internet. Já os levantamentos de campo foram feitos em Viçosa-MG, com 15 indivíduos de Jatobá e 20 indivíduos de Acácia-mangiun, sendo estes acompanhados periodicamente na tentativa de descobrir algum tipo de inseto que estivesse causando danos. Para o jatobá, foram encontrados na literatura e em campo os insetos Rhinochenus stigma (Linne, 1764) e Lophopoeum timbouvae (Lancere, 1884), ambos Coleoptera e broqueadores de frutos e sementes. Já para a Acácia-mangium foram encontrados Oncideres saga e Costalimaita ferruginea (Fabricius, 1801), ambos Coleoptera. Os insetos encontrados no jatobá podem causar problemas se houver interesse no uso dos frutos, entretanto tudo dependerá do nível de infestação que venha ocorrer nas árvores. Já no caso dos insetos encontrados na Acácia-mangium, a principal praga pode ser Oncideres saga, o qual roleta as árvores, podendo levá-las à morte. No campo, não foram encontrados insetos diferentes dos encontrados na revisão bibliográfica. Concluí-se que a não tomada das medidas apropriadas, pode resultar no fracasso da produção de Jatobá e de Acácia-mangium no Brasil, por causa da possível ocorrência de insetos daninhos muito importantes.

(Departamento de Biologia Animal )




UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR

CARACTERIZAÇAO E PURIFICAÇÃO PARCIAL DE AMILASE DE TRIGO DA ESPÉCIE Triticum aestivum.

LUCAS MIRANDA FONSECA (Outros/UFV), LARISSA GOULART ZANARDO (Outros/UFV), NAYARA GUSMÃO TESSAROLLO (Outros/UFV), PAOLA DE AVELAR CARPINETTI (Outros/UFV), LUCAS BOENO OLIVEIRA (Outros/UFV), LUCIANO GOMES FIETTO (Coordenador/UFV)

Amilases são enzimas que catalisam hidrólise de amido. Importantes na biotecnologia de alimentos, fermentação, produção de combustíveis e detergentes. Grãos de trigo expressam β-Amilases e isoformas de α-amilases: α-AMY-1, α-AMY-2 e α-AMY-3. O trabalho propõe-se purificar parcialmente e caracterizar amilases obtidas de sementes de trigo Triticum aestivum. Sementes foram sanitizadas e imersas em água destilada por 16horas-quebra de dormência. O crescimento foi feito por 9 dias em duplicata em placas de petri. O dia com maior produção de amilases foi determinado pelo teste de D.N.S. com o extrato bruto 1 (EB1). Cerca de 44g de sementes, foram crescidas por 3 dias no escuro. O extrato bruto 2(EB2) foi obtido por trituração com tampão acetato de sódio 0,5M pH 5,6 (proporção de 1:4) e, o homogenato centrifugado (10000xg,10min, 4°C). A atividade amilolítica de EB2 foi determinada por teste de Fuwa e o teor de proteínas - método de Bradford, após cada etapa de purificação. O EB2 foi fracionado com sulfato de amônio (20%-60% sat). Submeteu-se a fração insolúvel 60% à cromatografia de exclusão molecular - Sephadex-G25 e posterior Cromatografia de Troca iônica (DEAE-Sepharose). Para caracterização enzimática determinou-se pH (Tampão Macvaine) e temperatura ótimos, interferência  de íons Metálicos e de Inibidor de Protease, e Parâmetros cinéticos (Vmáx e Km), do Pool com maior atividade. Etapas de purificação foram eficientes, exceto Cromatografia de exclusão molecular. O pH  e temperatura ótimos foram respectivamente: 5,0 e 50°C. As amilases tiveram atividade aumentada com a adição de Ca2+ e Mg2+ e reduzida pela adição de Cu2+, PO42- e EDTA. Pelo gráfico de duplo-recíproco KM vale 6 g/L e VMáx 26,315mgamido consumido∙mL-1∙min-1. Conclui-se que grãos de trigo apresentam atividade elevada durante 9 dias. Com procedimentos simples de extração e purificação, aumenta-se a atividade específica do extrato. Este trabalho foi realizado durante a Disciplina  Métodos Enzimáticos do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / BIOLOGIA GERAL

UTILIZAÇÃO DE VÍDEOS E RECURSOS ÁUDIO-VISUAIS PARA O ENSINO DE BIOLOGIA

ANA CECILIA ROMANO DE MELLO (Bolsista-PIBID/UFV), Cléia Maria de Oliveira (Supervisor/EEM), MÁRIO JOSÉ DE OLIVEIRA NETO (Bolsista-PIBID/UFV), Rita de Cássia Moreira (Supervisor/EEM), MARA GARCIA TAVARES (Orientador/UFV)

O PIBID propõe o desenvolvimento de atividades que coloquem o futuro professor de Biologia em contato direto e contínuo com o ambiente escolar, desde o início de sua formação acadêmica, visando também uma contribuição do mesmo para uma melhor formação dos estudantes das escolas públicas do Ensino Médio. Essas atividades têm a proposta de envolver os estudantes das escolas com a Biologia, em aulas de reforço escolar, extra-turno. Desta forma, a utilização de recursos áudios-visuais se torna um interessante instrumento no ensino de Biologia. As atividades foram realizadas com estudantes do primeiro e do terceiro ano das Escolas Estaduais José Lourenço de Freitas e Raul de Leoni, respectivamente. No primeiro ano, o assunto trabalhado foi “Célula”. Utilizou-se o laboratório de informática da escola e os recursos de multimídia da mesma, além de filmagens microscópicas, para a projeção de pequenos vídeos sobre as estruturas das células. Após a projeção dos filmes, foram construídas maquetes sobre os tipos celulares vistos, com o uso de massa de modelar, isopor, tintas e outros materiais. No terceiro ano, os vídeos utilizados relacionavam-se às “Leis Básicas da Genética” e a atualidades e demonstrações de processos bioquímicos. Observou-se que após as exposições dos vídeos, houve grande interesse em debater os conteúdos apresentados e uma interação mais intensa e dinâmica dos estudantes com o conteúdo. A eficácia da metodologia empregada pode ser comprovada quando se comparou as médias bimestrais dos alunos participantes e não participantes do projeto. No primeiro ano, as médias foram de 18,1 e 12,6, respectivamente, enquanto no terceiro ano, elas foram de 14,25 e 13, respectivamente, num total de 20 pontos. Conclui-se, portanto, que o uso de recursos áudios-visuais contribuiu com o processo de ensino-aprendizagem dos estudantes, amenizando a falta de laboratório das escolas e possibilitando melhor visualização espacial dos conteúdos.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / BIOLOGIA GERAL

ATIVIDADES LÚDICAS: FERRAMENTAS ESTRATÉGICAS NO ENSINO DE GENÉTICA

FRANCISCO SINGULANI CASTANON (Bolsista-PET/UFV), FERNANDA SILVA MARTINELLI (Outros), FELIPE VIGATO PRADO (Outros), JOSE LINO NETO (Orientador/UFV), RAFAEL GUSTAVO RIGOLON DA SILVA (Colaborador)

O ensino de genética é considerado um desafio, devido à dificuldade de visualização e a abordagem de conceitos apenas por meio de explicações orais. Essa abstração costuma desestimular o aluno, já que a compreensão do conteúdo fica incompleta. O Projeto de Extensão Bioenlace objetivou despertar o interesse do aluno, aguçar sua curiosidade e fixar o conteúdo de Genética por meio de práticas prazerosas aos participantes. Essas práticas foram realizadas com alunos do terceiro ano da Escola Municipal Santa Rita de Cássia e da Escola Estadual Alice Loureiro, em Viçosa/MG, durante o primeiro semestre de 2009. Sob a orientação de duplas de graduandos em Biologia, formou-se um grupo de cada escola de alunos pré-selecionados, contendo cada grupo no máximo oito participantes. As atividades práticas foram desenvolvidas usando materiais de baixo custo e de fácil obtenção e montagem, como EVA, isopor, cartolinas, copos plásticos, massa de modelar e canudos coloridos. Também foram utilizadas lâminas histológicas, projetor de slides, filmes, jogos e vídeos da internet. Os alunos acompanharam as atividades por roteiros que continham um resumo do assunto, procedimento da prática e exercícios de fixação para serem feitos ao fim de cada aula. Esse conjunto de atividades resultou no aumento do interesse e da facilidade de entendimento na maioria dos participantes, os quais atribuíram média de 9,7 (de 0 a 10) às atividades. Tais fatos foram registrados em questionário aplicado aos alunos após quatro meses de atividades, tempo no qual as práticas abrangeram a maioria do conteúdo de genética. Com este trabalho, pôde-se observar que os alunos tornam-se estimulados quando são utilizadas propostas de aprendizagem mais interativas, diversificadas e divertidas. Essa forma contribui para tornar a genética mais interessante e próxima dos mesmos, diminuindo a difusão de conceitos equivocados.

(MEC )



UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / BIOLOGIA GERAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA (PIBID) E O USO DE RECURSOS MULTIMÍDIA NO ENSINO MÉDIO

HELIOMAR CAZELLI DE OLIVEIRA FILHO (Bolsista-PIBID/UFV), ANDRÉA CRISTINA PIMENTEL DE CARVALHO (Supervisor/EEM), MARA GARCIA TAVARES (Orientador/UFV)

Os alunos, em seu dia-a-dia, têm acesso a muitos meios e formas de informação. Os professores, por sua vez,se esforçam em lecionar de forma interessante e envolvente, o que, muitas vezes, não é possível. Por isso, se faz necessária uma reformulação no modo geral de dar aula, tornando-as mais interessantes e contemporâneas aos alunos. Assim, alunos selecionados em uma escola pública do município de Viçosa participaram de aulas de reforço escolar do PIBID nas quais se utilizou um data-show para apresentar esquemas, jogos, figuras, vídeos, animações e informações complementares relacionadas com os temas que estavam sendo abordados pelo professor da turma. Na opinião dos alunos participantes do projeto, as metodologias utilizadas facilitaram o aprendizado, além de despertar mais o interesse e a atenção dos mesmos. Em termos quantitativos, observou-se que a metodologia utilizada realmente contribuiu para o aprendizado dos alunos participantes das aulas de reforço, pois a média dos mesmos, no 1º bimestre foi de 17,4, enquanto a dos não participantes foi de 15,3. Para os professores, além de uma ferramenta útil à atividade docente, os recursos multimídias se tornam uma forma de otimizar o tempo de aula, além de motivar a participação do aluno. Portanto, considerando-se a Teoria do Código Duplo, onde a combinação de exposição verbal e imagens é mais efetiva no aprendizado do que apenas a exposição verbal, percebeu-se a validade de utilização de recursos multimídia em sala de aula.
UFV / III SEn / OUTUBRO DE 2009 / BIOLOGIA GERAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO A DOCÊNCIA (PIBID) E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM EM ESCOLAS DE VIÇOSA/MG

ISABELA DE CASTRO SANT´ANNA (Bolsista-PIBID/UFV), ANDREIA CRISTINA PIMENTEL CARVALHO (Supervisor/EEM), MARA GARCIA TAVARES (Orientador/UFV)




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal