Ufv / XV sic / marçO-2006 / Engenharia Civil / 875



Baixar 4.71 Kb.
Encontro14.03.2018
Tamanho4.71 Kb.

UFV / XV SIC / MARÇO-2006 / Engenharia Civil / 877 
___________________________________________________________________

APLICAÇÃO DA ELETROSMOSE NA DESCONTAMINAÇÃO DE SOLOS IMPREGNADOS COM ZINCO

VELTEN, Rodrigo Zorzal (Bolsista); LIMA, Dario Cardoso de (Orientador); REIS, Efraim Lázaro (Professor); FONTES, Maurício Paulo Ferreira (Professor); CARVALHO, Carlos Alexandre Braz (Professor); SILVA, Claudio Henrique de Carvalho (Professor)



Nas últimas décadas, tem crescido o interesse pelo emprego dos fenômenos eletrocinéticos, em especial a eletrosmose, no melhoramento das características geotécnicas dos solos ou na descontaminação destes quando impregnados com metais pesados e/ou poluentes orgânicos. O emprego da técnica de eletrosmose na descontaminação de um solo requer a aplicação de uma corrente elétrica de baixo nível e em uma direção, entre dois eletrodos introduzidos na sua massa, que funcionam como catodo e anodo. O presente trabalho teve como objetivo analisar a eficiência da técnica de eletrosmose na descontaminação de dois solos de comportamentos geotécnicos laterítico e não laterítico da Zona da Mata Norte de Minas Gerais, quando impregnados com zinco, determinando-se, também, as suas condutividades eletrosmóticas. O programa de estudo abrangeu: (i) ensaios de compactação realizados nos solos na energia de compactação do ensaio Proctor Normal, para determinação dos parâmetros ótimos de compactação; (ii) preparação de corpos-de-prova cilíndricos nesses parâmetros; (iii) determinação das condutividades eletrosmóticas dos solos, empregando-se as células eletrocinéticas UFV1 e UFV2 desenvolvidas no DEC/UFV por DAMASCENO (2003), para fins de comparação de resultados; e (iv)realização de ensaios de descontaminação via eletrosmose seguidos de ensaios químicos para verificação das quantidades de zinco retiradas e retidas nos solos. Os resultados obtidos mostraram que: (i) os valores de condutividade eletrosmótica encontrados para os solos em estudo variaram na faixa de 10-6 a 10-7 cm2/s*V, não se observando diferenças significativas entre os resultados obtidos com ambas as células eletrocinéticas empregadas; (ii) os percentuais de contaminante retirados dos solos foram de, aproximadamente, 23 % para o solo laterítico e de 83 % para o solo não laterítico; e, (iii) em termos práticos, para o solo de comportamento laterítico, a corrente elétrica empregada apresentou variações significativas com o tempo, fato este que não se verificou para o solo de comportamento não-laterítico. (CNPq)

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal