Universidade de brasília



Baixar 1.71 Mb.
Página1/24
Encontro16.03.2018
Tamanho1.71 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   24

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE

E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO (FACE)

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

INFORMAÇÃO, LEITURA E INCLUSÃO EDUCACIONAL E SOCIAL NAS

BIBLIOTECAS BRAILLE DE CAMPO GRANDE-MS: um estudo de caso

Maria Rosa Pimentel Faria de Miranda

Brasília, 2006.

Universidade de Brasília - UnB

Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e

Documentação – FACE

Departamento da Ciência da Informação – CID

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Mestrado Interinstitucional em Ciência da Informação

UnB/Uniderp – Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do

Pantanal


INFORMAÇÃO, LEITURA E INCLUSÃO EDUCACIONAL E SOCIAL NAS

BIBLIOTECAS BRAILLE DE CAMPO GRANDE/MS: um estudo de caso

Maria Rosa Pimentel Faria de Miranda

BRASÍLIA


Fevereiro/2006

Universidade de Brasília - UnB

Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e

Documentação – FACE

Departamento da Ciência da Informação – CID

Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Mestrado Interinstitucional em Ciência da Informação

UnB/Uniderp – Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal

INFORMAÇÃO, LEITURA E INCLUSÃO EDUCACIONAL E SOCIAL NAS

BIBLIOTECAS BRAILLE DE CAMPO GRANDE/MS: um estudo de caso

Maria Rosa Pimentel Faria de Miranda

Dissertação apresentada ao Departamento de Ciência

da Informação e Documentação da Universidade de

Brasília como parte dos requisitos para obtenção do

grau de Mestre em Ciência da Informação.

Orientadora: Profª. Dra. Walda de Andrade Antunes

BRASÍLIA

Fevereiro/2006

M672 Miranda, Maria Rosa Pimentel Faria de

Informação, leitura e inclusão educacional e social nas

Bibliotecas Braille de Campo Grande/MS: um estudo de

caso/ Maria Rosa Pimentel Faria de Miranda. Campo

Grande: UNB/UNIDERP, 2005 .

216p.: 30 cm.

Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação)

Universidade de Brasília/UNIDERP, Campo Grande, 2005.

1.Biblioteca Braille 2. Bibliotecário. 3. Educação. I.T.

CDU 023:37

INFORMAÇÃO, LEITURA E INCLUSÃO EDUCACIONAL E SOCIAL NAS

BIBLIOTECAS BRAILLE DE CAMPO GRANDE/MS: um estudo de caso

Linha de Pesquisa: Gestão de Informação e Ciência do Conhecimento

Autora: Maria Rosa Pimentel Faria de Miranda

Dissertação submetida à Comissão

Examinadora designada pelo Colegiado do

Programa de Pós-graduação em Ciência da

Informação do Departamento de Ciência da

Informação e Documentação da Universidade

de Brasília, como requisito parcial para

obtenção do Titulo de Mestre em Ciência da

Informação

Dissertação aprovada em 14 de fevereiro de 2006.

Profa. Dra. Walda de Andrade Antunes

Presidente-Orientadora (UnB/BPGCINF)

Prof. Dr Antonio Lisboa de Carvalho Miranda

Membro Interno (UnB/BPGCINF)

Profa. Dra.Maria de Fátima Guerra de Souza

Membro Externo UnB/Departamento de Educação

Profa. Dra Sely Maria. de Souza Costa.- Suplente

Membro Interno (UnB/BPGCINF)

DEDICATÓRIA:

Dedico essa dissertação a todos os que lutam e sonham

com a Inclusão Educacional e Social, aos meus futuros

netos que sirva de exemplo e inspiração. À Deus, meu

Pai e Criador, Onipotente e presente em todos os dias

de minha vida. Sem Sua presença seria impossível

buscar o meu lugar ao sol, voar com o vento do novo dia

ou ir até o mais alto das montanhas, para reencontrar

minha esperança o meu triunfo e a minha sabedoria.

Para a UNIDERP e UNB, sinônimos de conhecimento e

reconhecimento acadêmico.

“Tudo posso Naquele que me fortalece”. (S.Paulo Filipenses 4 (13)

i

AGRADECIMENTOS:



Quero expressar minha gratidão a todas as pessoas e instituições do Brasil e

internacionais que colaboraram para a realização desta pesquisa, seria impossível aqui

nomeá-las.

Agradeço a Deus por dar-me a oportunidade de chegar onde estou, completar mais

uma etapa das várias que ainda virão na minha vida. E às pessoas tão especiais, colocadas em

meu caminho como: meu marido Carlos pelo seu carinho e apoio, minhas filhas Fernanda e

Flavia, pela ajuda e compreensão, ao meu genro Gregory e familiares, que possibilitaram a

minha visita à Biblioteca Pública de Boston, para realização de parte desta pesquisa. Aos

meus irmãos: Magno e Marco Antonio, às minhas irmãs: Mirza e Maria Augusta, pela nobre

torcida devotada à distância, aos meus pais, aos meus sobrinhos e sobrinhas, à minha sogra,

aos meus cunhados, cunhadas e familiares. Às minhas comadres: Cida e Clau, ao Vinícius e

Larissa, ao Adelino, Dona Lurdes, Nilair, aos verdadeiros amigos que vibraram comigo desde

o início. Agradeço ainda pelos Anjos que Deus colocou em meu caminho para me levantar

nas horas em que estive abatida. Nestes incluem-se a professora Dra. Walda Antunes, minha

orientadora, o professor Dr. Antônio Miranda, a professora Dra. Sely Costa, a professora Dra.

Maria de Fátima Guerra de Souza, que mesmo sem me conhecer, com seu carisma, muito me

ajudou, os quais reservaram parte de seu escasso tempo livre para opinar e aperfeiçoar este

trabalho, aceitando fazer parte da banca orientadora. À todos os professores do Mestrado, ao

Professor Dr. Eron Brun , Professora Dra. Sueli Amaral, Professora Dra. Alexandra Anache,

Professora e cunhada Dra. Marília de Miranda: pela motivação e confiança e outros mais, que

tanto apoio me concederam na realização deste trabalho. Aos meus colegas de mestrado,

especialmente a Mara e a Márcia, à professora, amiga e bibliotecária Célia Fátima, que com

um enorme carinho me animava nos momentos de dúvida e sempre com o material

bibliográfico disponível para pesquisas. Aos funcionários da Biblioteca Isaías Paim. Da

UNIDERP: ao pessoal do Mestrado, à Malu, Sueli, Lídia e Bartira. Às bibliotecárias: Claudia

da UNIDERP, Orlinda da UFMS, Rosa Hirata da UNAES, Maria Joana de Souza e tantas

outras mais. Às mestras: Rosimeri Pereira, e Jasônia com quem troquei idéias e sugestões. À

minha sobrinha Carla Cristina, que tornando-se recentemente deficiente visual com baixa

visão, pela sua força de vontade de vencer, foi motivo de luta e inspiração para eu continuar

esta dissertação. Ao pessoal do ISMAC, representados pela sua Diretora Telma e, do

CAP.DV/MS, representados pela sua Coordenadora. Claunice. Ao grupo de Intercessão e da

Renovação Carismática Católica, pelas orações que foram o meu sustentáculo nas horas

difíceis. Ao Marcel e familiares. Aos professores e alunos do Curso de Biblioteconomia do

IESF e a todos os deficientes visuais parceiros desta jornada o meu mais sincero obrigada !

ii

Epígrafe


“A perda da visão, não significa a perda da vida.

Há belezas e encantos em todos nós, que não nos

chegam pelos nervos óticos e, temos outros meios

valiosos de conviver”.

(Joana de Souza - Bibliotecária)

iii


RESUMO

Este trabalho apresenta um estudo de caso, utilizando a metodologia da Pesquisa

Participante, realizada nas Bibliotecas Braille do CAP.DV/MS e do ISMAC, ambas em

Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Teve como objetivo investigar se os Deficientes

Visuais encontram-se ou não incluídos social e educacionalmente nestas Bibliotecas. Os

principais dados encontrados foram: Os usuários buscam informações sobre legislação,

escrita e leitura em Braille, mas poucas informações são encontradas e nem sempre estão

disponíveis. Neste trabalho o bibliotecário é descrito como Arquiteto da Informação e

mediador da Inclusão Educacional e Social através de habilidades de leitura e da

Biblioterapia. O estudo relaciona as principais leis para os deficientes visuais, o impacto

tecnológico da informática e dos sintetizadores de voz, abrangendo a área da Educação

Especial. Neste contexto, cada profissional faz progredir sua especificidade, ao instruir e

permutar experiências com outros profissionais, visando o benefício comum no

atendimento dos usuários especiais.

Palavras-Chave: Bibliotecas Braille, Pesquisa Participante, Ciência da Informação,

Deficientes Visuais, Políticas Públicas, Arquiteto da Informação, Educação Especial,

Leitura, Inclusão Educacional e Social, Biblioterapia, Informática.

iv

ABSTRACT



This work concerns to a case study using the methodology of Participant Research. It was

carried out at Braille Libraries: CAP.DV/MS and ISMAC, both in Campo Grande, Mato

Grosso do Sul State, in Brazil. It’s brings a principal objective to investigation if the special

users are include or not social and educationally in this libraries. The principals dates founded

was: the blinds needs information about legislation, writing and Braille lecture. They found

few informations neither always available. In this work, the librarian is considered as an

Information Architect and a mediator of educational and social inclusion using reading skills

and bibliotherapy. The research relates the main laws for blinds, the impact of informatics

technologies and voice synthesizer within the special education area. In this contest each

professional may improve their work specialties by teaching and sharing experiences with

others professionals to better attend the special users.

Keywords: Braille Library, Participant Research, Information Science, Blinds,

Informatics, Public Police, Information Architect, Special Education, Reading, Educational

and Social Inclusion, Bibliotherapy.

v

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS:



ABEDEV Associação Brasileira de Educadores de Deficientes Visuais

ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas

APAE Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais

ÁUDIO-BOOKS Livros sonoros

BV Baixa visão ( ou visão subnormal, ou reduzida)

BRAILLE Sistema de escrita e leitura para cegos. Combinação de 6 pontos em relevo.

BRAILLE HABLADO Sintetizador de Voz para computador

CAP.DV.MS Centro de Apoio Pedagógico ao Deficiente Visual de Campo Grande - MS

CD Compact Disc

CD- ROM Compact disc Read Only Memory

CNEC Campanha Nacional de Educação de Cegos

CONSEP Conselho Estadual da Pessoa portadora de Deficiência

CONADE Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência

CORDE Coordenadoria de Integração da pessoa portadora de Deficiência

E-MAIL Eletronic mail (correio eletrônico)

DB Decibéis (medida para audição)

DOS-VOX Software que permite sons e falas inclusive pela Internet (Sintetiz. de Voz)

DSI Disseminação Seletiva da Informação

DV Deficiente Visual

DV`s Deficientes Visuais

FEBEC Federação Brasileira das Entidades de Cegos

IBC Instituto Benjamim Constant

vi

IBICT Instituto Brasileiro de Informações em Ciência e Tecnologia



INES Instituto Nacional de Educação de Surdos

ICMS Imposto Sobre Circulação de Mercadorias

IPI Imposto sobre Produtos Industrializados

IPVA Imposto para Veículos Automotivos

ISMAC Instituto Sul-Mato-Grossense para Cegos “Floriano Vargas”

JAWS Sintetizador de Voz, permitindo som e falas, interativo com o usuário

KWIC Key Word in context (palavra chave no contexto)

KWOCK Key Word out of context ( palavra-chave fora do contexto)

LAYOUT Planta, Projeto, Diagramação, Organização, Disposição

LIBRAS Linguagem Brasileira de Sinais (considerada 1ª língua para os surdos)

LDB Lei de Diretrizes e Bases para Educação Nacional

MAM Museu de Arte Moderna

MASP Museu de Arte de São Paulo

MEC Ministério da Educação

MORHAN Movimento de Reintegração dos Hansenianos

MS Mato Grosso do Sul

OGs Organizações Governamentais

OIT Organização Internacional do Trabalho

ONDEF Organização Nacional de Entidades de Deficientes Físicos

ONG´s Organizações Não-Governamentais

OMS Organização Mundial da Saúde

ONU Organização das Nações Unidas

vii

PAMPD Programa de Ação Mundial para pessoas Deficientes



PCN Parâmetros Curriculares Nacionais

PD Pessoa com deficiência

PD’s Pessoas com deficiências

PDV Pessoa com deficiência Visual

PPDV´s Pessoas Portadoras de Deficiências Visuais

SENAC Serviço Nacional do Comércio

SENABRAILLE Seminário Nacional de Bibliotecas Braille

SERASA Centralização de Serviços de Bancos S/A

SIBI –USP Sistema Integrados de Bibliotecas da USP ( Universidade. de São Paulo)

UEL Universidade Estadual de Londrina

UI´s Unidades de informação

ULAC União Latino-Americana de Cegos

UMC União Mundial de Cegos

UNB Universidade de Brasília

UNESCO Organização das Nações Unidas para a Educação e a Ciência

UNICEF Fundo das Nações Unidas para a Infância

UNIDERP Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal

UFMS Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

WWW World WideWeb ( rede ampla de teias, sinônimo para a Internet)

viii


SUMÁRIO

DEDICATÓRIA.......................................................................................................................i

AGRADECIMENTOS ............................................................................................................ii

EPÍGRAFE .............................................................................................................................iii

RESUMO...........................................................................................................................................iv

ABSTRACT.......................................................................................................................................v

1. INTRODUÇÃO........................................................................................................................ l -4

2 . J USTIFICATIVA......................................................................................................................................................................5-8

3. PROBLEMA.............................................................................................................................................................................8-10

4 . OBJETIVO GERAL............................................................................................................................................................. 11

4 .1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS....................................................................................................................................... 11

5.CONTEXTO DE REALIZAÇÃO DA PESQUISA ........................................................... 12-13

5.1.AUDIOTECA - INSTITUTO DOS CEGOS DE LONDRINA – PR..........................12

5.2 BIBLIOTECA BRAILLE DO CENTRO CULTURAL DE SÃO PAULO.................12

5. 3 BOSTON PUBLIC LIBRAY..........................................................................................12

5.4.LARAMARA...............................................................................................................12

5.5. DORINA DOWIL.......................................................................................................13

5.6. MIAMI DADE PUBLIC LIBRARY..........................................................................13

5.7 BIBLIOTECA ELMO LUZ – BRASÍLIA-DF…………...................................…….......13

ix

6. REVISÃO DE LITERATURA ....................................................................................... l4 -15



6.1 INCLUSÃO SOCIAL: DEFINIÇÕES, LEGISLAÇÕES E ABRANGÊNCIAS PARA

OS DEFICIENTES VISUAIS .....................................................................................16-33

6.2 EDUCAÇÃO ESPECIAL E A INCLUSÃO DAS PESSOAS DEFICIENTES

VISUAIS NO CONTEXTO BRASILEIRO ...............................................................34-65

6. 3.POLÍTICAS PÚBLICAS E SOCIAIS EXISTENTES NO BRASIL E EM ALGUNS ESTADOS

COMO: SÃO PAULO, MATO GROSSO DO SUL, E RESPECTIVAS LEGISLAÇÕES E

BENEFÍCIOS PARA OS DEFICIENTES VISUAIS.................................................................................... 66-83

6.4. A BIBLIOTERAPIA, O BIBLIOTECÁRIO COMO CONSULTOR DE

INFORMAÇÕES, BIBLIOTERAPEUTA E INCENTIVADOR DO HÁBITO DE LER,

NAS BIBLIOTECAS ESPECIAIS EM BRAILLE............................................................84-103

6.5. ECOLOGIA DO CONHECIMENTO: UM NOVO OLHAR EXERCIDO PELO

PROFISSIONAL DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO..............................................104-24

6.6. ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO: APLICAÇÃO DA INDEXAÇÃO DE

RECORTES DE JORNAIS E ARTIGOS DE PERIÓDICOS NA BIBLIOTECA

BRAILLE..............................................................................................................................126-39

6.7. O GRANDE SONHO DA INCLUSÃO DOS DEFICIENTES VISUAIS NAS

BIBLIOTECAS PÚBLICAS E ESPECIAIS EM BRAILLE ............................................140-60

7. METODOLOGIA........................................................................................................................161

7.1 PROCESSO METODOLÓGICO- PESQUISA PARTICIPANTE – DEFINIÇÃO .......162

7.2. CARACTERIZAÇÃO DA AMOSTRA: PRÉ-TRESTE E QUESTIONÁRIOS.......162-3

7.3 COLETA DE DADOS........................................................................................................163

8. QUESTIONÁRIO DA DISSERTAÇÃO PARA OS ALUNOS DVS DO ISMAC.....163-71

8.1 . QUESTIONÁRIO PARA OS PROFESSORES DOS DV`s DO ISMAC..................171-3

8.2. QUESTIONÁRIO PARA FUNCIONÁRIOS DA BIBLIOTECA DO ISMAC.........173-7

8.3. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O ISMAC............................................................177-8

x

8.4 INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A COLETA DE DADOS FEITA NO CAP.DV./MS......179



8.5 QUESTIONÁRIO PARA OS PROFESSORES DO CAP.DV/.M..............................179-82

8.6 QUESTIONÁRIO PARA OS FUNCIONÁRIOS DO CAP.DV/.MS ....................... .183-6

8.7.QUESTIONÁRIO PARA FUNCIONÁRIO DA BIBLIOTECA DO CAP/.MS.......186-90

8.7.1 QUESTIONÁRIO PARA FUNCIONÁRIO DA BIBLIOTECA DO CAP/MS..........190-195

8.7.2. INFORMAÇÕES ADICIONAIS SOBRE O CAP.DV/MS.......................................195-6

8.8 COMENTÁRIOS GERAIS SOBRE A EXECUÇÃO DA PESQUISA ANÁLISE,

DISCUSSÃO DOS RESULTADOS....................................................................................... 196

9. RECOMENDAÇÕES...........................................................................................................198

9.1 OS PONTOS FORTES............................................................................................198-9

10. SUGESTÕES COLOCADAS PELOS RESPONDENTES DO ISMAC....................200

10.1 SUGESTÕES FEITAS PELOS RESPONDENTES DO CAP.DV/MS ...................200

10.2 OUTRAS SUGESTÕES COMPLEMENTARES ................................................200-1

10.3. SUGESTÕES PARA FUTURAS PESQUISAS ............................................201-202

10.4. SUGESTÕES E CONTRIBUIÇÃO PARA A ÁREA DA BIBLIOTECONOMIA E

....CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO.......................................................................................202-3

11. DECÁLOGO PARA REFLEXÕES E AÇÕES...................................................................204

12. CONCLUSÃO.....................................................................................................................205-9

REFERÊNCIAS .......................................................................................................................210-223

ANEXOS

xi

LISTA DE GRAFICOS



GRAFICO BRASIL COMPARATIVO POR REGIÃO GEOGRAFICA ....................................... 15

GRAFICO BRASIL COMPARATIVO BRASIL – REGIAO CENTRO OESTE ......................... 22

GRAFICO DE ESCOLARIDADE DOS ALUNOS COM DEFICIENCIA VISUAL

PESQUISADOS NO ISMAC ............................................................................................................. 164

GRAFICO DE ESCOLARIDADE DOS ALUNOS COM BAIXA VISAO PESQUISADOS

NO ISMAC ......................................................................................................................................... 164

GRAFICO DOS PARTICIPANTES DA PESQUISA NO CAP.DV/MS ...................................... 179

xii


LISTA DE QUADROS

QUADRO SOBRE SIGNIFICADOS DE INCLUSAO OU INTEGRAÇÃO ............................ 17-8

QUADRO SOBRE A INCLUSAO FORMAL-LEGAL .............................................................. 26-26

QUADRO TRAZENDO OS OITO MITOS SOBRE OS DEFICIENTES FISICOS.................. 50-1

QUADRO TRAZENDO ALGUMAS LEIS DE SÃO PAULO QUE DAO SUPORTE AO

DEFICIENTE .................................................................................................................................... 73-4

QUADRO TRAZENDO LEIS DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL .......................... 75-8

xiii


INFORMAÇÃO, LEITURA E INCLUSÃO EDUCACIONAL E SOCIAL EM

BIBLIOTECAS BRAILLE DE CAMPO GRANDE/MS: um estudo de caso.

1. INTRODUÇÃO:

Esta pesquisa iniciou-se com o trabalho voluntário da autoria no ISMAC. A partir da sua

constatação e viabilidade como tema de pesquisa cientifica, buscou embasamento nas ciência da

informação e na educação especial e, para sedimentar os resultados, enfocamos que:

No seu preâmbulo, a carta Magna Brasileira, preconiza a instituição de um Estado

Democrático de Direito, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais. Visa

promover a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e

sem preconceitos tanto na redução das desigualdades sociais (inciso III) e regionais como a

erradicação da pobreza, da marginalização e a promoção do bem-estar de todos, sem preconceito

de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer formas de discriminação (Inciso IV)

Também no art. 170 a nossa Constituição, reforça o objetivo da erradicação da

desigualdade já manifestado nos objetivos da República no seu inciso VII, não deixando dúvidas

sobre a forma de tratamento diferenciado a grupos desfavorecidos. (BRASIL. Constituição, 1988).

O interesse por este assunto, sobre a inclusão dos deficientes visuais, presente desde longa

data na vida da autora, intensificou-se desde que a mesma matriculou-se como aluna ouvinte na

disciplina “Educação Especial e a Pessoa Com Necessidades Educativas Especiais,

ministrada pela professora, doutora Alexandra Anache, no Curso de Mestrado em Educação,

na UFMS, em 2001.

Naquela ocasião estudamos que convivendo com pessoas heterogêneas, os deficientes

visuais (DV’s), aprendem a expressar seus desejos sentimentos, emoções, trabalhar as diversidades

de talentos, a fim de usufruírem uma educação mais realizadora e, quais as atitudes cabíveis para



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   24


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal