Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed



Baixar 44.86 Kb.
Encontro23.03.2018
Tamanho44.86 Kb.

Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Centro de Ciências Humanas e da Educação – FAED



PLANO DE ENSINO




DEPARTAMENTO:


Geografia

ANO/SEMESTRE:

2012/I

CURSO:


Geografia

FASE:



DISCIPLINA:

Planejamento Regional e Urbano

TURNO:

Noturno

CARGA HORÁRIA:

72

CRÉDITOS:

04

PROFESSOR(A):

Isa de Oliveira Rocha



1 EMENTA

Planejamento e plano. Os níveis do planejamento e os estágios do processo. A história do planejamento urbano e regional no Brasil e em Santa Catarina. A geografia no processo de planejamento urbano e regional.






2 HORÁRIO DAS AULAS

DIA DA SEMANA

HORÁRIO

CRÉDITOS

Sexta-feira

19h00 – 22h30

04

3 OBJETIVOS


3.1 OBJETIVO GERAL

Compreender que o planejamento regional e urbano parte da perspectiva de totalidade espacial, como síntese inter-relacionada entre os elementos da sociedade e da natureza (base natural, histórica, econonômica etc).





3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Analisar aspectos conceituais do planejamento regional e urbano, seus níveis e estágios do processo.

- Compreender a evolução e o processo de planejamento regional e urbano no Brasil e Santa Catarina.

- Trabalhar de forma experimental com planejamento regional ou urbano, a partir da contribuição da Geografia.





4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Revisão teórico-conceitual.

- Geografia e Planejamento

Datas: 17/fev, 24/fev.


2. O planejamento territorial como instrumento.

- O que é planejamento regional e urbano

- Evolução do planejamento territorial no Brasil e Santa Catarina.

- Níveis do planejamento e bases legais.

Datas: 09/mar, 16/mar, 23/mar, 30/mar.
3. As políticas e metodologias de intervenção territorial regional e urbana recentes no Brasil e Santa Catarina.

- Planejamento regional: Gerenciamento Costeiro, Zoneamento Ecológico -Econômico, Bacias Hidrográficas, PNOT, PPA.

- Planejamento urbano: Estatuto da Cidade

Datas: 13/abr, 20/abr, 27/abr e 04/mai, 11/mai (Prova).


4. Exercício prático de planejamento regional ou urbano: estágios do processo

- Trabalho em grupo (3 a 4 integrantes).

Datas:18/mai, 25/mai, 01/jun, 02/jun (saída de campo),15/jun, 22/jun (Entrega do Relatório de Pesquisa).


5 METODOLOGIA

Aulas expositivas dialogadas, leitura, apresentação e debate de textos, seminários com especialistas da área, trabalho em grupo.



6 CRONOGRAMA DAS AULAS (Previsão)

MÊS

DIAS

Fevereiro

17, 24

Março

09, 16, 23, 30

Abril

13, 20, 27,

Maio

04, 11 (Prova), 18, 25,

Junho

01, 02 (saída de campo), 15, 22 (Entrega do Relatório de Pesquisa)

Saída de campo

Município de Anitápolis – 02/jun

7 AVALIAÇÃO


ATIVIDADE

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

PESO

Uma (01) Prova Escrita.

Data: 11/mai.



a) respostas corretas conforme bibliografia recomendada; b) capacidade de problematizar (refletir, analisar e efetuar relações); c) ortografia correta.

45%

Um (01) relatório de trabalho de planejamento urbano ou regional elaborado em grupo de três/quatro integrantes, com a indicação do conteúdo elaborado por cada integrante.

Data de Entrega: 22/junho.



a) criatividade e originalidade; b) capacidade de problematizar (refletir, analisar e efetuar relações); c) organização e apresentação conforme a metodologia científica; d) ortografia correta.

45%

Participação: frequência nas aulas, entrega de atividades, fichamentos/resumos dos textos indicados para leitura.

a) presença em 56 aulas, ou mais; b) entrega dos fichamentos/resumos de todos os textos indicados para leitura e de atividades.

10%



8 BIBLIOGRAFIA



1. BÁSICA

AGUIAR, T. C. et al.. Uma proposta metodológica de análise socioeconômica para estudos ambientais e de reordenamento territorial. Rio de Janeiro: IBGE, 1997.

ASCELRAD, H. Eixos de articulação territorial e sustentabilidade do desenvolvimento no Brasil. Rio de Janeiro: Fase, 2001.

BECKER, B.; EGLER, C.A.G.. Detalhamento da metodologia para execução do zoneamento ecológico e econômico para estados da Amazônica Legal. Rio de Janeiro: LAGET/UFRJ – SAE/MMA, 1995.

BRASIL. Estatuto da Cidade. Lei Federal 10.257. Diário Oficial da União, 10 de julho de 2001.

BRASIL, Ministério da Integração Nacional. Documento base para a definição da Política Nacional de Ordenação do Território – PNOT (Versão Preliminar). Brasília, 2006.

BRASIL, Ministério das Cidades. Plano Diretor Participativo: guia para elaboração pelos municípios e cidadãos. Brasília: Ministério das Cidades, 2005.

CARVALHO, Horácio Martins de. Introdução à Teoria do Planejamento. São Paulo: Editora Brasiliense, 1978.

CAVALCANTI, A.P.B.(Org.). Desenvolvimento sustentável e planejamento. Bases teóricas e conceituais. Fortaleza: UFC, 1997.

CHRISTOFOLETTI, A. (Org.). Geografia e Meio Ambiente no Brasil. São Paulo: Hucitec, 1995.

FERREIRA, F.W.. Condições de vida e planejamento físico. Rio de Janeiro: FGV, 1966.

GRINOVER, Lúcio. O Planejamento Físico-territorial e a Dimensão Ambiental. Caderno FUNDAP, nº 16, jun. 1989.

MAMIGONIAN, Armen. Brusque: estudo de geografia urbana e econômica. Boletim Carioca de Geografia. Rio de Janeiro, n. 13, 1960.

_____. Vida regional em Santa Catarina. Orientação. São Paulo: USP/IG, 1966.

_____. GAPLAN. Indústria. Atlas de Santa Catarina. Rio de Janeiro: Aerofoto Cruzeiro, 1986.

_____. As conquistas marítimas portuguesas e a incorporação do litoral de Santa Catarina. In: ANDRADE, M. C.; FERNANDES, E. M.; CAVALCANTI, S. M. (Orgs.). O mundo que o português criou: Brasil: século XVI. Recife: CNPq/FJN, 1998.

_____. Teorias sobre a industrialização brasileira. Cadernos Geográficos. Florianópolis: Imprensa Universitária, UFSC/CFH/GCN, n. 2, 2000.

MONTEIRO, C. A. F. A questão ambiental no Brasil: 1960-1980. São Paulo: USP, 1981.

PELUSO JÚNIOR., Victor A. Estudos de Geografia Urbana de Santa Catarina. Florianópolis: FCC/EDUFSC, 1991.

OLIVEIRA, S.M.F. Evolução de formas de planejamento urbano. Revista de Administração Municipal. Rio de Janeiro, abr/jun, 1985

_____. Reflexões...Para uma prática mais democrática de planejamento municipal. Revista de Administração Municipal. Rio de Janeiro,abr/jun, 1986

RANGEL, Ignácio. Obras Reunidas. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005.

SANTOS, Milton. Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como método. Boletim Paulista de Geografia. n. 54. São Paulo: AGB/FFLCH-USP, 1977.

_____. Espaço e sociedade. Petrópolis: Vozes, 1979.

_____. Por uma geografia nova. São Paulo: HUCITEC, 1980.

_____. Técnica, espaço, tempo – globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hucitec, 1994.

_____. A natureza do espaço: espaço e tempo: razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1999.

_____. Por uma outra globalização. Do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2004.

SANTOS, M.; SOUZA, M.A.A.;SILVEIRA,M.L.(Org.). Território. Globalização e Fragmentação. São Paulo: Hucitec/ANPUR, 2002.

SOUZA, M. A. A. de (Org.). Território brasileiro: usos e abusos. Campinas: Edições Territorial, 2003.

VIEIRA, Maria Graciana. E. D.; PEREIRA, Raquel Maria F. A. Formações socioespaciais catarinenses: notas preliminares. In.: Anais do congresso de História e Geografia de Santa Catarina. Florianópolis: CAPES/MEC, 1997.



2. COMPLEMENTAR

ABREU, Maurício de Almeida. A Cidade, a Montanha e a Floresta. In: ABREU, M. A. (org.). Natureza e Sociedade no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, 1992.

BORJA, J.; CASTELLS, M. Local y global. La gestión de las ciudades en la era de la información. Madrid: Taurus, 2000.

BURSZTIYN, Marcelo (org.). Para pensar o Desenvolvimento Sustentável. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1993.

CARLOS, A.F.A.. A (re)produção do Espaço Urbano. São Paulo: EDUSP,1994.

CHOAY, Françoise. O Urbanismo. Utopias e realidades: uma antologia. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1992.

CHOLLEY, A.. Observações sobre alguns pontos de vista geográficos. Boletim Geográfico. N. 179 e 180. Rio de Janeiro, 1964.

ENGELS, F.. A dialética da natureza. São Paulo: Paz e Terra, 1976.

FLORIANÓPOLIS (Prefeitura). Plano Diretor do Distrito Sede. Florianópolis: IPUF, 1998.

GOULARTI FILHO, A. O planejamento estadual em Santa Catarina de 1955 a 2002. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 26, n.1, p.627-660, jun. 2005. Disponível em < http://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/article/view/2096>, Acesso em: fev de 2011.

LAVINAS, l; CARLEIAL, L.M.F.; NABUCO, M.R. (Org.) Reestruturação do espaço urbano e regional no Brasil. São Paulo: Hucitec/ANPUR, 1993.

LE CORBUSIER. Urbanismo. 2a ed.São Paulo: Martins Fontes, 2000.

LEFEBVRE, Henri. O Direito a Cidade. São Paulo: Difel, 1969.

MAMIGONIAN, A. Indústria de Santa Catarina. Relatório do projeto Integrado de Pesquisa Santa Catarina: Sociedade Natureza (CNPq), 2000c. [mimeo]

MARCON, Maria Terezinha de Resenes; MARQUES, Valesca Menezes. As Associações de Municípios e o Planejamento Regional em Santa Catarina. In: SIEBERT, Claudia (org). Desenvolvimento Regional em Santa Catarina: reflexões, tendências e perspectivas. Blumenau, SC: Edifurb, 2001.

MONTEIRO, C. A. F. et. al. O Brasil Meridional. In: IBGE. Panorama regional do Brasil. Rio de Janeiro, 1967.

PELUSO JÚNIOR., Victor A. Aspectos geográficos de Santa Catarina. Florianópolis: FCC/EDUFSC, 1991.

SANTOS, Milton. O Espaço Dividido. Os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1979.

_____. Ensaios sobre a urbanização latino-americana. São Paulo: Hucitec, 1982.

_____. Território e Sociedade. Entrevista com Milton Santos. 2 ed. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2000.

SOUTO MAIOR, Ariadne S. Povoamento. In: IBGE. Geografia do Brasil: Grande Região Sul. Rio de Janeiro: IBGE/DIGEO, v. IV, t. II, 1968.

SOUZA, M.A.A.. A identidade da metrópole. A verticalização em São Paulo. São Paulo: Ed. da USP, 1994.

SPOSITO, M.E.B. (org.). Urbanização e Cidades Médias. Perspectivas Geográficas: UNESP/GAsPERR, 2001.

VALLADARES, l.; PRETECEILLE, E.(Coord.). Reestruturação urbana: tendências e desafios. São Paulo/Rio de Janeiro: Nobel/IUPERJ, 1990.




Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal