Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí ceavi



Baixar 54.99 Kb.
Encontro09.05.2018
Tamanho54.99 Kb.



Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí – CEAVI

Departamento de Engenharia Sanitária - DESA

PLANO DE ENSINO



DEPARTAMENTO: ENGENHARIA SANITÁRIA
DISCIPLINA: Materiais e Métodos de Construção I SIGLA: MMC
PROFESSOR: HELENNE JUNGBLUT GEISSLER E-MAIL: helenne.geissler@udesc.br
CARGA HORÁRIA TOTAL: 54 horas TEORIA: 54 PRÁTICA: 0
CURSO(S): Bacharelado em Engenharia Sanitária
SEMESTRE/ANO: I/2016 PRÉ-REQUISITOS: -

OBJETIVO GERAL DO CURSO:

O Curso de Engenharia Sanitária objetiva formar profissionais da engenharia habilitados à preservação, ao controle, à avaliação, à medida e à limitação das influências negativas das atividades humanas sobre o meio ambiente, de modo a atender as necessidades de proteção e utilização dos recursos naturais de forma sustentável, aliando novas metodologias e tecnologias na exploração, uso e tratamento da água, nos projetos de obras de saneamento, que envolvem sistemas de abastecimento de água, sistemas de esgotamento sanitário, sistemas de limpeza urbana, bem como no desenvolvimento de políticas e ações no meio ambiente que busquem o monitoramento, o controle, a recuperação e a preservação da qualidade ambiental e da saúde pública.


EMENTA:

Madeiras. Rochas. Pedras Naturais. Tintas e Vernizes. Vidros. Plásticos. Materiais Betuminosos. Materiais Cerâmicos. Argamassas de Assentamento e Revestimento. Metais e Produtos Siderúrgicos. Aços para Concreto Armado e Protendidos. Aglomerantes Minerais: Gesso, Cal e Cimento Portland. Agregados para Argamassas e Concretos. Propriedades do Concreto Fresco. Propriedades do Concreto Endurecido. Dosagem. Preparo, Transporte, Lançamento, Adensamento e Cura do Concreto. Aditivos. Normatização. Controle Tecnológico. Ensaios Não Destrutivos.


OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA:

Dotar o acadêmico de noções gerais de materiais aplicáveis na construção civil, principalmente, às obras relacionadas ao campo da Engenharia Sanitária, através de tecnologias e metodologias próprias e adequadas a cada tipo de insumo.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA DISCIPLINA:

Dotar o acadêmico dos conteúdos e características básicas, propriedades e aplicações de materiais betuminosos, madeiras, aços, metais e produtos siderúrgicos, rochas, pedras naturais e agregados para argamassas e concretos e aglomerantes minerais: gesso, cal e cimento portland;

Dotar o acadêmico de noções gerais relativas às características e empregos de vidros, plásticos, tintas e vernizes;

Dotar o acadêmico de conceitos ligados às características, propriedades e aplicações de materiais cerâmicos, argamassas de assentamento e revestimento;

Dotar o acadêmico de conhecimentos gerais e específicos relativos à dosagem, preparo, transporte, lançamento, adensamento e cura do concreto e propriedades do concreto fresco e endurecido;

Informar o acadêmico sobre normatização, ensaios destrutivos e não destrutivos, controle tecnológico e emprego de aditivos.



CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES:

No

Data

Horário

H.A

Conteúdo

01

04/08

13:30 – 16:10

03

Apresentação da disciplina – cronograma das atividades e avaliação

Madeiras e Vidros

Tintas, Vernizes e Plásticos

Exercícios



02

04/08

18:30 – 21:30

03

REPOSIÇÃO:Materiais Cerâmicos: Conceito, Características, Produção e Aplicação

03

05/08

18:30 – 21:30

03

REPOSIÇÃO:Rochas, Agregados para Argamassas e Concretos

04

11/08

13:30 – 16:10

03

Aglomerantes: Definição, Características, Produção e Aplicação e Materiais Betuminosos. Exercícios

05

18/08

13:30 – 16:10

03

Concreto Armado: Conceito, Classificações, Propriedades, Aplicação. Exercícios

06

19/08

18:30 - 21:30

03

REPOSIÇÃO: Concreto Armado: Preparação, Transporte, Lançamento

Adensamento e Cura. Exercícios



07

25/08

13:30 – 16:10

03

PROVA 01

08

01/09

13:30 – 16:10

03

Concreto Armado: Propriedades do Concreto Fresco e Endurecido, Dosagem e Aditivos

Controle Tecnológico. Ensaios do Concreto. Concretos especiais. Exercícios



09

08/09

13:30 – 16:10

03

PROVA 02

10

15/09

13:30 – 16:10

03

Aços para concreto armado e protendido

-

22/09

13:30 – 16:10

03

Reunião do CONCEAVI - não haverá aula

-

29/09

13:30 – 16:10

03

SEPEX

11

06/10

13:30 – 16:10

06

Aços para concreto armado e protendido

12

13/10

13:30 – 16:10



03

PROVA 03

Exercícios



13

20/10

13:30 – 16:10

03

Polímeros

Exercícios



14

27/10

13:30 – 16:10




Polímeros

15

03/11

13:30 – 16:10

03

Polímeros

16

10/11

13:30 – 16:10

03

Entrega do Trabalho e Apresentação do Seminário

17

17/11

13:30 – 16:10

03

Apresentação do Seminário

18

24/11

13:30 – 16:10

03

Exercícios

Somatório das horas-aula

54







01/07

13:30 – 16:10




Exame Final


METODOLOGIA PROPOSTA:

O programa será desenvolvido através de aulas expositivas dialogadas, estudos dirigidos, visita a obras de construção civil, discussão e interpretação, práticas em laboratório, levantamentos, trabalhos, seminários, resumos, estudos de caso, dinâmicas de grupo.


AVALIAÇÃO:

Será realizada através de 03 (três) provas escritas individuais e de 02 (dois) trabalhos, além do desempenho no desenvolvimento e discussões em sala de aula.

A Média Final será calculada por MF=(P1.15 + P2.15 + P3.15 + T.15 + SEM.20 + DSA.20) / 100

P = Prova, T = trabalho, SEM = Seminário


DSA denomina o desenvolvimento em sala de aula. A nota integra participação contínua e ativa nas aulas ao longo do semestre.
A nota DSA será obtida através da média aritmética das três notas atribuídas pelo desempenho periódico, compreendido no período do semestre letivo 2016-1.
A participação na visita técnica é obrigatória.

A entrega do relatório tem como pré-requisito a participação na visita técnica.

* Relatórios de alunos que não foram na visita técnica ou entregues fora do prazo não serão aceitos
* Trabalhos com atraso não serão aceitos.
Os critérios para a avaliação dos trabalhos consistem em explanação do tema e organização, cujos pesos são 80 e 20, respectivamente.








HORÁRIO DE ATENDIMENTO:

O horário de atendimento será na quarta-feira pela manhã das 10:10 às 11:50 hs e na quinta-feira pela manhã das 10:10 às 11:50 hs. Contato para atendimento de alunos agendados antecipadamente através de e-mail: helenne.geissler@udesc.br




BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

FALCÃO BAUER, L.A. Materiais de Construção. 5. Ed. 2 vol., Livro Técnico, 2000. [Número de Chamada: 691 M425 5.ed.]

BERTOLINI, Luca. Materiais de construção: patologia, reabilitação, prevenção. São Paulo: Oficina de Textos, 2010. 414 p. [Número de Chamada: 691 B546m]

CALLISTER, William D. Ciência e engenharia de materiais: uma introdução. 7. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008. 705 p. [Número de Chamada: 620.11 C162c 7.ed]
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ASHBY, M. F; JONES, David R. H. Engenharia de materiais. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. 2 v.



[Número de Chamada: 620.11 A823e]

CALLISTER, William D. Fundamentos da ciência e engenharia de materiais: uma abordagem integrada. 2.ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006. 702p. [Número de Chamada: 620.1 C162f 2.ed]

MEHTA, P. K.; MONTEIRO, Paulo J. M. Concreto: microestrutura, propriedades e materiais. São Paulo: Ibracon, 2008. 674 p. [Número de Chamada: 620.136 M498c]

PADILHA, Angelo Fernando. Materiais de engenharia: microestrutura e propriedades. São Paulo: Hemus, 1997. 349 p. [Número de Chamada: 620.11 P123m]



VAN VLACK, Lawrence H. Princípios de ciência dos materiais. São Paulo: E. Blucher, c1970. 427 p. [Número de Chamada: 620.11 V284p]
INFORMAÇÕES SOBRE PROVAS EM SEGUNDA CHAMADA:

frame1

Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal