Universidade estadual de campinas



Baixar 4.88 Mb.
Página10/101
Encontro29.11.2017
Tamanho4.88 Mb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   101

O+, ANÁLISE DE UMA DANÇA CONTEMPORÂNEA NO BRASIL


Eloisa Marques Rosa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Cassia Navas Alves de Castro (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Esta iniciação científica tem origem nas aulas ministradas pela docente/orientadora em História da dança no Brasil, Cultura Brasileira e História da Dança II. O objetivo ficou definido com a proposta de se fazer um reconhecimento metodológico do estudo da dança contemporânea do Brasil a partir de tríades embasadas nos livros Matrizes da Linguagem e Pensamento, de Maria L. Santaella e Teatro do Movimento, de Cássia Navas e Lenora Lobo. No projeto foi escolhido como o foco a Quasar Companhia de Danças e o espetáculo "O+" que, desde o primeiro contato, se revelou como um espetáculo de metalinguagem em dança contemporânea. A análise do vídeo partiu da escolha de três cenas que foram descritas e analisadas separadamente e pausadamente (decupação de imagens). Também foi utilizado o estudo da tese de pós-doutorado de Cássia Navas Seis Criadores Brasileiros, a qual foi essencial para se estruturar esta proposta metodológica empregada na iniciação científica. Os resultados da pesquisa ainda estão em andamento. No entanto, foi possível identificar que a percepção da linguagem da dança ultrapassa os limites do estético. Entretanto utiliza-o como caminho a se estabelecer dentro da comunicação entre público e espetáculo.

Dança contemporânea no Brasil - Escritura coreográfica - Quasar Cia de dança


A0011

A REPETIÇÃO COMO BASE NO PROCESSO DE CRIAÇÃO DA AÇÃO PERFORMÁTICA


Bruna Capozoli Biancarelli (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Cassiano Sydow Quilici (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A pesquisa de Iniciação Científica intitulada “A repetição como base no processo de criação da ação performática”, se deu em duas instâncias básicas, sendo elas primeiramente teórica e posteriormente prática. Inicialmente foi desenvolvido um estudo da trajetória do drama moderno até a contemporaneidade, focando as alterações ocorridas na maneira de compreender e executar a ação teatral, que culminou na definição do conceito “ação performática”. Em seguida foram analisadas algumas obras de caráter performático nas quais a repetição configurava-se como cerne da cena. Foram então selecionados movimentos repetitivos contidos na obra literária “A divina comédia” de Dante Alighieri para serem experimentados em exercícios práticos cujo desdobramento originou uma pequena performance. A pesquisa objetivou refletir e vivenciar acontecimentos cênicos performáticos que possuíssem como pano de fundo não uma fábula, mas sim o movimento repetitivo gerando uma compreensão mais sensorial do que racional. Este tipo de processo criativo levou-nos para um campo bastante fértil, onde tanto quem executa a performance, como quem assiste, têm a chance de resignificar inúmeras vezes uma mesma informação, tornando as várias maneiras de se relacionar com um mesmo fenômeno mais relevante que seu conteúdo.

Performance - Repetição - Ação


A0012

UTOPIAS PARA O SÉCULO XXI: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A SÉRIE TRIBUTE 21 DE ROBERT RAUSCHENBERG


Helenira Paulino (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Claudia Valladão de Mattos (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este trabalho analisa a série de impressões Tribute 21 (1994) de Robert Rauschenberg - que faz parte do acervo do MAC-USP - com o objetivo de relacioná-la com a produção do artista e situá-la no contexto da arte contemporânea. Estudando imagens mais recentes, pretende-se enfocar a problemática apontada pelo artista atualmente, já que a maioria das investigações realizadas sobre sua produção insiste nas décadas de 1950, 60 e 70. A observação direta das impressões e sua descrição, assim como a consulta à literatura, foram necessárias para o desenvolvimento da pesquisa, que foi complementada com o material fornecido pelo MAC-USP. Percebeu-se que Rauschenberg trabalha na tentativa de construir um arquivo imagético (aqui foi possível traçar um paralelo com o método desenvolvido pelo historiador da arte Aby Warburg) que desperta a memória e provoca associações entre as figuras apresentadas e o universo do espectador. A obra se completa na reflexão mnemônica de quem a vê. Rauschenberg busca, dessa maneira, a elaboração de uma linguagem quase universal, que possa construir significados nas mais diferentes culturas para, então, atingir os objetivos do projeto Tribute 21.

Robert Rauschenberg - Tribute 21 - MAC-USP


A0013

PROBLEMAS E SOLUÇÕES ALTERNATIVAS DE GRAVAÇÃO NAS DEPENDÊNCIAS DO INSTITUTO DE ARTES


Alexandre Maurício Martins Pereira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Claudiney Rodrigues Carrasco (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O projeto baseia-se na análise das diferentes captações de áudio realizadas em apresentações nas dependências comuns do Instituto de Artes, bem como em locais comuns de apresentações, como o Espaço Cultural Casa do Lago, e demais auditórios da universidade, como o da Faculdade de Ciências Médicas. O estudo de técnicas de captação visa otimizar o uso dos equipamentos disponíveis do Instituto de Artes para gravações de áudio, de acordo com a estética musical e com a sala. Foram realizadas 16 captações em diferentes salas, com técnicas de microfonação adaptadas de modelos tradicionais, como o Stereo A/B, ou a Decca Tree . Diversas formações instrumentais foram gravadas, sendo divididas em música de câmara, orquestras, grupos de música instrumental, grupo de rock, gravação de canções, e gravações de instrumentos separados. Em uma das salas, é mais adequado para gravações de grupos grandes, ou de grupos em que os integrantes não possam ser gravados separadamente, como no caso de música instrumental, ou alguns casos de música de câmara. Outra sala se torna mais adequada para formações que permitam gravações de instrumentos de maneira separada, enquanto uma terceira sala, além de permitir este mesmo tipo de gravação, embora com uma ambiência maior, também comporta gravações de grupos simultâneos de pequeno porte.

Tecnologia musical - Produção - Audio


A0014

A TRILHA MUSICAL DE SCOTT BRADLEY


Caio Fiori Bertazzoli (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Claudiney Rodrigues Carrasco (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este trabalho é focado em trilha para animações, e mais especificamente nas trilhas feitas por Scott Bradley para as animações de Tom e Jerry (MGM) nas décadas de 40 e 50. São analisados os aspectos musicais e os aspectos audiovisuais, ou seja, a relação do movimento musical com o movimento visual e como a música contribui dramaticamente e narrativamente para o desenvolvimento do filme. A linguagem musical de Bradley fixou um gênero de composição em trilhas para cartoons e muito de sua obra é reconhecível nas animações atuais. Bradley não só inovou como experimentou: chegava a produzir trilhas antes mesmo dos desenhos ficarem prontos. Isso demonstra a força de sua linguagem, pois muito do que ele compunha sugeria uma ação. Ademais, colocava suas composições e adaptações em pé de igualdade com a animação gráfica que estava acontecendo na tela, no que diz respeito à importância para a obra como um todo. O resultado final é que em pouco tempo de produção, uma frase musical já era percebida pelo público como uma ação em si. Como as personagens de Tom e Jerry praticamente não falavam, e portanto a sua trilha não era apenas fundo musical, isto pode ter propiciado uma inovação na sua maneira de compor.

Trilha - Scott - Bradley


A0015

NOVAS PERSPECTIVAS DE IMPROVISAÇÃO EM MÚSICA POPULAR: A TÉCNICA DE ARNO ROBERTO VON BUETTNER


Ronalde Monezzi Filho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Claudiney Rodrigues Carrasco (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O presente projeto de pequisa analisou três músicas do CD “Bebeto von Buettner - piano solo”, gravado por Arno Roberto von Buettner, no qual sugerimos uma nova abordagem sobre a improvisação através da prática de Bebeto. Desenvolvemos uma discussão sobre a originalidade do processo criativo musical de Arno Roberto Von Buettner, demonstrando os aspectos estilísticos, a riqueza harmônica e motívica de suas composições e a sonoridade peculiar e espontânea de seus improvisos. Essa análise consistiu principalmente no estudo da harmonia, do improviso e do desenvolvimento motívico presente em sua obra. Este tipo de pesquisa faz parte de um conjunto de trabalhos que busca pesquisar e encontrar características brasileiras de improvisação que possam resultar numa escola brasileira de improvisação.

Improvisação - Arno Roberto Von Buettner - Harmonia


A0016

A MÚSICA DE DANNY ELFMAN NOS FILMES DE TIM BURTON


Samuel Henrique Pedrozo Ferrari (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Claudiney Rodrigues Carrasco (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Neste trabalho, a partir da análise dos filmes, foram desenvolvidas tabelas com o mapeamento da música dos filmes e um artigo sobre a música de Danny Elfman nos filmes de Tim Burton. As fontes de investigação deste trabalho são basicamente os filmes de Tim Burton e os CDs da trilha sonora dos mesmos. As tabelas foram confeccionadas a partir do mapeamento de entradas e saídas de musica, leitmotivs e suas recorrências, instrumentação da música de cada filme, bem como o uso de canções inseridas na narrativa. As mesmas possibilitam a observação tanto de dados qualitativos (procedimentos relacionados ao conceito de contraponto audiovisual) quanto quantitativos (números de recorrências motívicas e proporção música / silêncio).

Trilha Sonora - Danny Elfman - Tim Burton


A0017

ROLF GELEWSKI: DA IMPROVISAÇÃO ESTRUTURADA À DANÇA CRIATIVA E ESPONTÂNEA, UM MÉTODO PARA COMPOSIÇÃO COREOGRÁFICA


Juliana Cunha Passos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Elisabeth Bauch Zimmermann (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Rolf Gelewski (1930-1988) veio para o Brasil em 1960 para lecionar na Escola de Dança da UFBa, onde permaneceu até 1975, sendo responsável pela estruturação do primeiro Curso de Dança de nível superior do país. Em 1972 fundou a Casa Sri Aurobindo, onde publicou diversos trabalhos relacionados à educação, conscientização do corpo, interiorização, estudo do ritmo, entre outros, além de oferecer cursos e recitais de dança pelo Brasil e exterior. Este trabalho de iniciação científica consistiu em uma pesquisa teórico-prática sobre Rolf Gelewski e seu método de composição coreográfica baseado em improvisações. Inicialmente foi realizado um resgate histórico de seu trabalho artístico-criativo, através de leitura de parte de sua bibliografia, entrevistas com alguns de seus ex-alunos, além de visita à Escola de Dança da UFBa (Salvador-BA) e à Casa Sri Aurobindo (Belo Horizonte-MG), com acesso a documentos de imprensa, programas de espetáculos, vídeos e publicações de Rolf. Num segundo momento foram realizados laboratórios de criação e exploração de movimentos, utilizando a improvisação como método de composição coreográfica de três formas distintas (estruturada, dança criativa e espontânea), segundo princípios do próprio Rolf. A partir de reflexões sobre criatividade, processos criativos e as relações entre improvisação e composição, abordou as distintas fases da atuação artístico-criativa de Rolf.

Rolf Gelewski - Improvisação - Composição coreográfica


A0018

DANÇA LABORAL


Patrícia Rosin Lacintra Vechia (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Elisabeth Bauch Zimmermann (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Quando se deu a Industrialização, no século XIX, a mecanização das atividades e a procura por rendimento de trabalho foram valorizadas de modo que o homem se especializou em uma atividade, numa sucessão de uma única movimentação durante longos períodos de tempo. O corpo que tende a essa especialização de movimentos para uma boa produtividade, acaba por mecanizar seus gestos. Neste contexto, surge a necessidade de uma recuperação da percepção da totalidade do corpo, em favor da saúde deste trabalhador que acaba por adquirir disfunções não só músculo-esqueléticas como também de aumento de estresse. No presente trabalho foi desenvolvido um programa de exercícios que trabalham a Consciência Corporal, o Relaxamento e o Alinhamento Postural com duas populações de funcionários de empresas localizadas em Campinas (SP), todos os dias durante 15 minutos. Essas atividades foram desenvolvidas para que o indivíduo praticante zelasse por seu próprio corpo no ambiente de trabalho, trazendo melhoras em sua saúde, bem estar e eficiência dentro da área de trabalho. Após as analises dos questionários e da resposta dos participantes da pesquisa concluiu-se que houve efeitos benéficos em seus corpos assim como se percebeu a possibilidade de trabalho mais aprofundado dos temas da pesquisa devido à resposta dos indivíduos às atividades propostas.

Dança laboral - Consciência corporal - Laban


A0019

A CAPOEIRA COMO TÉCNICA PARA A DANÇA


Camila Bortolozo Cóis (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eusébio Lobo da Silva (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este projeto consistiu na realização de uma pesquisa sobre a Capoeira com o objetivo de dar visibilidade à contribuição que a sua prática oferece para o treinamento de bailarinos. Para isso, foi necessário obter um conhecimento amplo sobre esta arte, estudando, além da sua movimentação corporal, sua história, as condições em que se encontrava o corpo que a criou, a fim de compreender o corpo que hoje ela forma e que a joga. Estudou-se os fundamentos e as regras que regem a Capoeira, as relações interpessoais que acontecem dentro deste universo, a noção de respeito, individualidade e limite pessoal que ela exige. As análises dos movimentos tiveram como principal base teórica a tese “O Corpo na Capoeira”, do professor Eusébio Lôbo, que apresentou o importante conceito da circularidade e trouxe o pensamento sobre a utilização do corpo como um todo, como um elástico, partindo da idéia de uma movimentação espiralada. A pesquisa também contou com a participação e observação de treinos de Capoeira com o Mestre Jahça e de aulas de dança no DACO – Unicamp. A conclusão obtida foi que a Capoeira favorece o desenvolvimento de elementos fundamentais para a dança e para a atuação do bailarino, que são: foco, visão periférica, estar em cena, trabalho em grupo, disciplina, improvisação, criatividade, respiração integrada com o movimento, uso do centro do corpo, musicalidade, ritmo, flexibilidade, força, agilidade, velocidade, equilíbrio e coordenação.

Capoeira - Técnicas de dança - Análise


A0020

CORPO “SENSÍVEL” NA DANÇA:IMPROVISAÇÃO E COMPOSIÇÃO COREOGRÁFICA POR MEIO DA SENSIBILIZAÇÃO CORPORAL


Natália Vasconcellos Alleoni (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eusébio Lobo da Silva (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Na relação entre tempo, espaço, corpo próprio e corpo do outro que se firma o autoconhecimento humano, reconhecendo as próprias necessidades expressivas e facilitando descobertas qualitativas de si e do mundo. É nessa capacidade de se relacionar tanto com o complexo, novo, inusitado, como com o superficial, cotidiano, codificado, que se encontra argumentos para se desenvolver um projeto na área de sensibilização corporal. Buscou-se investigar a percepção do corpo próprio, dos desejos, medos, entre outros aspectos da vida, visando descobrir movimentos mais genuínos e mais criativos em cada criador interprete da dança. Por meio de conceitos de humanistas e metodologias de sensibilização do corpo, aplicadas ao longo dessa pesquisa a um grupo convidado de bailarinos, observou-se como a sensibilização corporal beneficia e qualifica as escolhas de movimento num trabalho de composição, bem como auxilia e influencia na improvisação coreográfica, tão preponderante na dança contemporânea. Concluiu-se que a qualidade expressiva adquirida por meio da sensibilização do dançarino, do respeito e conhecimento do corpo próprio na dança não é uma mera tradução do abstrato da vida, é a própria poética da vida.

Sensibilização corporal - Improvisação - Composição coreográfica


A0021

A EXPERIÊNCIA DO MÉTODO BPI NA CRIAÇÃO EM DANÇA: O CORPO COMO LUGAR DE ENCONTRO


Elisa Massariolli da Costa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Graziela Estela Fonseca Rodrigues (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O projeto que deu origem ao trabalho em questão tem como objetivo desenvolver um processo criativo em dança com base na metodologia da professora Doutora em Artes Graziela Rodrigues, denominada Bailarino-Pesquisador-Intérprete (BPI). Dentre alguns pilares que norteiam este método, são enfocados, nesta pesquisa, o Co-habitar com a Fonte (pesquisa de campo) e a Estruturação do Personagem (síntese corpórea da pesquisa e dos laboratórios corporais). Os objetivos relatados no projeto, basicamente, consistem em aprofundamento no método em questão, realização de pesquisa de campo na aldeia Xavante de Sangradouro, localizada no Mato Grosso, e desenvolvimento de processo criativo fruto desta vivência. Dentro da metodologia mencionada no projeto foram realizadas as seguintes atividades: leituras pertinentes ao enfoque da pesquisa; laboratórios preparatórios para o Co-habitar com a Fonte; preparação para a pesquisa de campo; pesquisa de campo; elaboração de relatório sobre pesquisa de campo; laboratórios corporais com o material do campo, visando a síntese corpórea dos processos envolvidos na pesquisa, culminando na nucleação do personagem ou em uma síntese dos principais conteúdos e corpos levantados no decorrer do processo criativo.

Método BPI - Danças do Brasil - Processo de Criação


A0022

EXPERIENCIANDO O BPI (BAILARINO-PESQUISADOR-INTÉRPRETE) - COLHENDO A DANÇA COM AS MULHERES DO CAFÉ


Nara de Moraes Cálipo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Graziela Estela Fonseca Rodrigues (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este projeto tem como principal proposta estudar os corpos e os movimentos de mulheres colhedoras de café migrantes do Paraná para Minas Gerais, sobre uma abordagem de dança. O estudo está vinculado ao método Bailarino Pesquisador Interprete (B.P.I.), onde o co-habitar com a fonte será a base da pesquisa de campo. O material de estudo será obtido essencialmente em pesquisa de campo, que se dará por todo um ciclo de colheitas (de café), e apreendido corporalmente pela pesquisadora e compreendido através de laboratórios. A experiência corporal neste caso é importante e depara na formação mais completa do profissional da dança. Será também abordada a questão corporal presente na adaptação e sobrevivência das mulheres nas colheitas de café, seus movimentos e suas características culturais.

Método BPI - Danças do Brasil - Processo de Criação


A0023

O PROJETO DO ARQUITETO RINO LEVI PARA RESIDÊNCIA OLIVO GOMES EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS: LEVANTAMENTO HISTÓRICO BIBLIOGRÁFICO E ANÁLISE CRÍTICA


Maikol Yoshie Yabuki (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Haroldo Gallo (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Rino Levi nascido em São Paulo em 1901, estuda em Milão na Escola Preparatória e de Aplicação para Arquitetos Civis e logo depois transfere-se para a Escola Superior de Arquitetura de Roma, onde teve contato com as teorias de vanguarda de Gropius, Neutra, Le Corbusier, Mies van der Rohe e uma relação mais próxima com seu mestre Marcello Piacentini.

Trabalhando no contexto de grandes transformações na vida do homem civilizado, trazidas pela industrialização, ressalta a importância de uma colaboração íntima com determinados especialistas para entender a complexidade que a arquitetura assume de acordo com essas novas condições.

A busca pela renovação das bases culturais e técnicas da arquitetura levou Rino Levi a superar os problemas da industrialização nascente de São Paulo, expandindo os limites de cada projeto. Abre-se um período de intensa atividade ao escritório do arquiteto, possibilitando o desenvolvimento de uma série de residências com um modelo semelhante de partido arquitetônico.

Nesse contexto, Rino Levi é designado para projetar uma série de construções à crescente Companhia de Fiação e Tecelagem Paraíba em São José dos Campos, inclusive uma residência para a família de Olivo Gomes. A residência,objeto de estudo da pesquisa, representa uma síntese de arte com colaboração de Burle Marx no paisagismo e em painéis decorativos e de Rebolo nas aplicações cromáticas.

Preservação patrimonial - Tombamento - Arquitetura moderna

A0024

O TEMPERAMENTO WERCKMEISTER III - EXPOSIÇÃO E ORIENTAÇÃO PRÁTICA


Gustavo Angelo Dias (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Helena Jank (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Os temperamentos desiguais são sistemas de afinação que permitem a execução da música historicamente informada com um padrão de afinação que se adeque a cada repertório abordado. Ao contrário do padrão moderno, nestes sistemas encontram-se disposições desiguais de estreitamento das quintas, de maneira que se feche o ciclo privilegiando-se determinados intervalos em detrimento de outros, de acordo com o uso e as características de cada tonalidade. Utiliza-se os temperamentos em instrumentos de afinação fixa ou qualquer instrumento que se faça acompanhar por um deles. O temperamento Werckmeister III é um sistema utilizado na Alemanha durante o período barroco, que permite o uso de bom número de tonalidades com elevado padrão sonoro e restringe o uso de outras com padrão inferior. Encontra-se equivalência entre a frequência de uso das tonalidades no repertório do período com o grau de qualidade da sonoridade das mesmas.

Afinação histórica - Temperamento - Musicologia


A0025

JOHANN SEBASTIAN BACH “CAPRICCIO SOPRA LA LONTANANZA DEL SUO FRATELLO DILETTISSIMO” BWV 992, EM SIB MAIOR - FIGURAS RETÓRICAS E INTERPRETAÇÃO


Luciana Holland Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Helena Jank (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Estudar a “Arte Retórica”, assim como entender o aporte cultural que sustentava um tipo específico de postura – o predomínio do Logus - e de procedimento com relação ao fazer artístico, faz parte de uma importante etapa quando investigamos as composições musicais do período Barroco. Estruturada na Grécia - pós Sócrates - posteriormente retomadas pelos humanistas italianos e repercutida nas principais Universidades da Europa, os procedimentos da criação do discurso retórico foram, no séc. XVI, associados aos da composição musical. As composições de Johann Sebastian Bach apresentam essa analogia entre a retórica do discurso e a retórica musical em um elevado grau de engenho. Ao analisarmos o “Capriccio sopra la lontananza del suo fratello dilettissimo”, BWV 992, procuramos apresentar um estudo interpretativo utilizando os elementos retóricos como ferramenta principal de abordagem, proporcionando aos intérpretes interessados informações e propostas a respeito de como interpretar as figuras retóricas identificadas na peça. Essa abordagem interpretativa, realizada durante a pesquisa principalmente por meio de estudo bibliográfico referente ao assunto, levantamento das figuras retóricas e estudo do repertório ao instrumento, tem-se mostrado enriquecedora tanto em termos de fantasia quanto de maturidade na interpretação da obra em questão.

Retórica - Interpretação - Johann Sebastian Bach


A0026

ESTUDO DE METODOLOGIAS DE ROTEIRIZAÇÃO PARA HIPERMÍDIA


Enric Granzotto Llagostera (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Hermes Renato Hildebrand (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A roteirização de hipermídia é um processo que ainda não conta com uma única convenção metodológica bem estabelecida. Por sua natureza híbrida, convergente e interativa, a hipermídia possui muitos aspectos particulares a serem considerados em sua roteirização que diferenciam esse processo dos que o precedem historicamente. Neste estudo, baseado na literatura, discute-se as especificidades do meio aplicadas à pré-produção de obras, mais especificamente apresentando e definindo diferentes metodologias de roteirização. Nos diferentes processos de roteirização encontrados na literatura percebem-se abordagens baseadas em teorias variadas, desde a teoria da crítica genética associada a semiótica, à de desenvolvimento de software, passando por teorias da narrativa digital. Comparam-se as metodologias tomando por critério sua relação com as características específicas da hipermídia, procedendo assim a uma categorização dessas metodologias. Estudos de caso com um conjunto variado de obras hipermídia foram feitos para embasar a categorização e ampliar a discussão de pontos limítrofes entre essas categorias.

Hipermídia - Roteiro - Metodologias


A0027

HUMOR E PARÓDIA NA OBRA DO GRUPO MUSICAL MAMONAS ASSASSINAS


Gustavo Forti Leitão (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Eduardo Ribeiro de Paiva (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O grupo musical Mamonas Assassinas conheceu os dois lados opostos da indústria fonográfica. Sob o nome de Utopia, o fracasso. Já rebatizados e com um estilo totalmente diferente do inicial, o sucesso foi estrondoso e meteórico. Marcados pelo humor escrachado, suas letras e músicas incitavam artistas nacionais e internacionais. O público, notadamente adolescentes e crianças, aprovou rapidamente a chegada da banda no cenário do rock n' roll, assim como a indústria fonográfica brasileira, que ainda não havia visto tamanho êxito de vendagens em um álbum de estréia. Superexpostos pela mídia, os Mamonas Assasinas foram capas de revistas, tiveram presença maciça nas emissoras de rádio e nos mais variados programas televisivos. Dessa forma, o grupo Mamonas Assassinas se tornou um dos maiores fenômenos da indústria fonográfica brasileira. Cabe a esse projeto, discutir a forma como o grupo se utilizou do humor e paródia, calcada pela hibridização de estilos, ritmos e influências musicais.

Mamonas assassinas - Humor - Paródia


A0028

BANDA BLACK RIO: UMA ANÁLISE MUSICAL


Eloá Gabriele Gonçalves (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. José Roberto Zan (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Com este trabalho pretende-se analisar os aspectos musicais da Banda Black Rio (formada no ano de 1976, no Rio de Janeiro, por iniciativa da gravadora WEA) – através das análises harmônica, rítmica e de instrumentação – juntamente com a análise do contexto social e cultural do período em que surgiu e se desenvolveu a banda. Com a análise de uma parte do repertório gravado pelo grupo, busca-se verificar até que ponto sua música resulta da hibridação de diversos gêneros musicais populares tais como funk, soul, jazz, samba e choro.

Hibridismo cultural - Música popular - Samba-funk


A0029

ESTILO INTERPRETATIVO E COMPOSICIONAL DE GAROTO


Rodrigo Aparecido Vicente (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Roberto Zan (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Ao realizar pesquisas sobre música, todo estudante se depara com informações oriundas de depoimentos, jornais, trabalhos históricos e sociológicos, e poucos dos dados encontrados são realmente exemplificados e confirmados com elementos musicais, com exceção das obras didáticas. E é isso o que se encontra quando se fala em Garoto - Aníbal Augusto Sardinha - (1915-1955), pois existem poucos trabalhos de cunho analítico musical sobre o artista, e muitas informações que dizem respeito a sua originalidade e das inovações que realizara na música brasileira. Este trabalho teve como objetivo a realização da transcrição e análise musical das canções “Maria” e “Risque”, ambas de Ari Barroso, em versões arranjadas e interpretadas ao violão pelo multiinstrumentista, e da composição “O Relógio da Vovó” (choro), feita pelo músico em parceria com Chiquinho do Acordeom (Romeu Seibel) e Fafá Lemos (Rafael Lemos Júnior). A partir das análises do material transcrito, foi possível observar a presença de elementos advindos da música erudita e do jazz que, ao serem articulados com aspectos típicos de gêneros populares brasileiros - como o choro e o samba, por exemplo –, constituem o seu estilo interpretativo e composicional.

Música popular - Arranjo e composição - Análise


A0030

OS MÉTODOS SOMÁTICOS E A REEDUCAÇÃO POSTURAL


Cleonice de Paula Pereira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Júlia Ziviani Vitiello (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A educação somática, quando aplicada à dança, contribui na prevenção de lesões, otimiza a assimilação dos aspectos técnicos e amplia as capacidades expressivas do dançarino. A proposta desta pesquisa foi a de investigar os meios empreendidos pelos métodos Ideokinesis, Lian-gong em 18 Terapias e Eutonia, no que se refere à busca de uma melhor organização e alinhamento postural para o indivíduo na dança. Utilizamos como instrumentos, a pesquisa teórica pelas consultas bibliográficas, videográficas assim como entrevistas com professores dos métodos em questão, e a prática pela participação em aulas, seminários e observação de sessões individuais de aplicação destes métodos. Contudo, observamos que os caminhos empreendidos por cada método no que se refere à reeducação postural de fato são distintos. A Eutonia se vale de procedimentos que promovem a regulação do tônus muscular visando o equilíbrio do corpo como um todo. A Ideokinesis emprega imagens específicas visando a menor utilização da musculatura voluntária, em função de contribuir para o surgimento de novos esquemas corporais. Enquanto que no Lian Gong em 18 terapias vale-se da repetição de séries de movimentos com determinadas qualidades, com o intuito de movimentar e regularizar o fluxo energia vital, o que resulta no aprimoramento ao nível da organização postural.

Dança - Reeducação postural - Educação somática


A0031

O PALCO COMO MEDIADOR ENTRE O UNIVERSO ARTÍSTICO DA DANÇA E O UNIVERSO CRIATIVO DA CRIANÇA


Maria Fernanda Costa Miranda (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Júlia Ziviani Vitiello (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Ter na criança o espectador de um trabalho cênico construído especialmente para ela é deparar com reflexões tão exigentes quanto ao destinado aos adultos: Por que a arte, principalmente a dança como arte do movimento, é importante para a criança? Como esta arte pode captar a atenção e dialogar com esse grupo? Para que haja a interação com o público infantil existem métodos, maneiras diferenciadas de condução do processo criativo visando o espetáculo final? Partindo da consideração do palco cênico como uma das mediações possíveis entre o universo artístico da dança e o universo da criança, essa pesquisa traz reflexões sobre processos criativos de espetáculos cênicos direcionados ao público infantil de 06 a 10 anos, a partir do acompanhamento dos trabalhos desenvolvidos pelo Grupo Dançaberta, que busca, dentro da universidade, produzir espetáculos de dança para o público infantil respaldado principalmente pela pesquisa em Educação Somática aplicada às técnicas de dança e processos de criação; pela Balangandança Cia, que propõe a investigação e criação de uma linguagem de dança interativa destinada às crianças; e nos trabalhos da Palavra Cantada, onde os músicos-compositores Paulo Tatit e Sandra Peres buscam criar músicas infantis dentro do contexto atual vivido pelas crianças, mesclando o lúdico e o poético no do jogo entre as palavras e seus sons, na diversidade instrumental e de estilos musicais, e no jogo entre a música e a performance cênica em seus shows.

Dança - Criança - Criação artistica


A0032

O FAZER E A EXPERIMENTAÇÃO: A OBRA DE ALBERTO GIACOMETTI EM PARALELO COM UM PROCESSO ARTÍSTICO PESSOAL


Maria Izabel Abicalaf Magnani (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lúcia Eustachio Fonseca Ribeiro (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Esta pesquisa teve como estímulo discussões realizadas com a orientadora sobre a produção artística pessoal desenvolvida em anos anteriores. O levantamento de questões aproximou minha criação à obra de Alberto Giacometti, visto que o artista se concentra no estudo da luz e do espaço traduzidos em todos os meios por ele trabalhados. A investigação possui duas frentes sendo ambas realizadas simultaneamente e ao final se propôs uma análise de comparação. A frente teórica se baseou na compreensão das questões de expressão e estrutura e os procedimentos artísticos de Giacometti. A outra frente, prática, consistiu na produção pessoal de séries de desenhos, pinturas e gravuras, que investigou diversos suportes e técnicas, e no registro escrito desse processo. A análise final destacou as possibilidades de interface entre as frentes, ressaltando a interação de pesquisa. Além de evidenciar a geração de sentido e construção de pensamento visual a partir do processo criativo que compreende o aprimoramento técnico bem como a intervenção de outros materiais – como leituras e análise de textos verbais e visuais não pertencentes à bibliografia original e a revisão de trabalhos anteriores. A metodologia se baseou em Crítica Genética e Semiótica: uma interface possível, de Cecília A. Salles, que traz reflexão do movimento criativo do artista.

Alberto Giacometti - Artes visuais - Processo criativo


A0033

O DESENHO E A COR NA CONSTRUÇÃO DO ESPAÇO PICTÓRICO


Natália Fernandes Brescancini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lygia Arcuri Eluf (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Explorou-se a relação entre as linguagens visuais pesquisadas (gráfica e pictórica) e a linguagem verbal. Para tanto, apresentaram-se textos de diversos gêneros, sendo essa pesquisa entendida como parte do processo de construção das imagens. No presente trabalho associam-se diário e imagens para a investigação do processo criativo e a finalização de uma forma de investigação e aproximação com os resultados. A pesquisa e produção visual não se interrompem, o que se transforma com desenvolvimento do estudo são as formas de registro e investigação: a metodologia. Ao longo dos dois anos e meio de pesquisa esta foi questionada e reinventada, sugerindo sempre a continuidade do processo.

Linguagem - Cor - Construção


A0034

A MONTANHA COMO PROCESSO CONSTRUTIVO: UM ESTUDO DA PRÁTICA ARTÍSTICA A PARTIR DA OBRA DE FRIEDRICH E BEUYS


Rachel de Castro Venturini (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Lygia Arcuri Eluf (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Trata-se de uma investigação a partir do conceito de processo criativo, tendo como eixo principal a iconografia da montanha. Ambos - conceito e iconografia - presentes em minha produção artística, sobre a qual se dará o foco reflexivo da pesquisa, terão como base referencial e teórica uma investigação iconográfica e bibliográfica de dois artistas alemães: Caspar David Friedrich e Joseph Beuys. O objetivo é relacioná-los diretamente às questões de linguagem, técnica e de significado presentes no meu trabalho artístico, assim como alcançar um aperfeiçoamento prático e conceitual do mesmo. Ao estabelecer as duas frentes de pesquisa relacionadas: teórica (em historia da arte) e prática (produção artística), pretendo fundamentar o estudo, considerando a história da arte e o pensamento estruturado a partir dela, como norteadores para o desenvolvimento de minha poética. A identificação pela montanha, entendida como processo construtivo - o registro de uma infinidade de ações no tempo e o lastro referencial mantido com os artistas escolhidos almeja a um mapeamento da estrutura do meu pensamento e querer artísticos.

Paisagem - Produção artistica - Arte alemã


A0035

MODELAGEM ELETRÔNICA EM SOFTWARE 3D STUDIO MAX DAS OBRAS “PENETRÁVEL” E “RELEVO ESPACIAL 3” DE HÉLIO OITICICA


André dos Santos Gomes Soares (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marco Antonio Alves do Valle (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este projeto propõe a pesquisa, obtenção de informações bibliográficas, e a realização de modelagem eletrônica em software 3D Studio Max, de duas obras notáveis do artista plástico Hélio Oiticica (1937-1980) – artista performático, pintor, escultor – executadas na tipologia de maquete física: “Relevo Espacial 3” – 1960 e “Penetrável” -1969, exposta à época no MAM – Rio. Através de levantamento e análise do conjunto da obra de Hélio Oiticica e da modelagem eletrônica virtual das obras mencionadas tem por objetivo ser parte integrante da exposição artística de Marco do Valle, convidando o público a um percurso ao interior das maquetes por meio de animações digitais, oferecendo uma nova escala de observação da obra ao público, possibilitando novas perspectivas e diferentes interpretações de um mesmo projeto.

Oiticica - Maquete - 3D Studio


A0036

PIONEIROS DA ARTE DE INTERVENÇÃO NO ESPAÇO PÚBLICO NO BRASIL: SÃO PAULO/ RIO DE JANEIRO


Marina Mayumi Bartalini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marco Antonio Alves do Valle (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A primeiras manifestações artísticas em espaço público no Brasil se iniciaram na década de 1950 e foram elaboradas por Flávio de Carvalho, Hélio Oiticica e Artur Barrio. O estudo visou compreender de que maneira estes artistas, mesmo vinculados à instituição, passam a realizar seus trabalhos no ambiente externo às galerias de arte e museus. Para tanto, foi feito um levantamento bibliográfico acerca da trajetória e processo desses artistas e uma entrevista com Artur Barrio, o único artista vivo dentre os três estudados. Foi feito um levantamento das obras realizadas em espaço urbano e todas elas têm em comum o experimentalismo e a relação entre ação e efemeridade, portanto, o que nos resta desses trabalhos é apenas o registro fotográfico ou o registro em forma de relato. O experimentalismo no Brasil das décadas de 1960 e 1970 significou o afastamento dos códigos e expectativas formais até então ditadas pelo circuito museológico. Os artistas estudados tem interesse por uma arte de cunho urbano, sendo conduzida por elementos de banalização e liberdade, para a configuração de um estado de arte que idealizava sua independência.

Escultura contemporânea - Arte pública - F.Carvalho/Oiticica/Barrio


A0037

ANITA MALFATTI : UMA EXPRESSIONISTA?


Bruna Cavalheiro Gomes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este projeto teve por objetivo problematizar a filiação da obra de Anita Malfatti ao expressionismo alemão. Pretendeu também investigar as possíveis influências de Lovis Corinth sobre seu trabalho. Para tanto, foram estudados textos críticos sobre sua produção, assim como analisadas algumas de suas obras. A pesquisa acabou estendendo-se além dos objetivos inicialmente propostos, pois, após a análise dos textos, foi possível perceber que a questão esbarrava em outros pontos. Ao estudar com mais vagar a recepção de sua obra no país pude ver o quanto o meio artístico brasileiro, em especial o paulista, não estava preparado para sua produção. Anita que é incontestavelmente um dos maiores nomes da arte brasileira teve, muitas vezes, sua pessoa e sua obra condicionados às suas experiências vanguardistas. Por conseqüência de sua exposição individual de 1917, que fermentou o ambiente paulistano e impulsionou a Semana de 22, as referências ao ideário vanguardista de sua obra de juventude se repetem, negligenciando o restante de sua produção. Ficou explícito que Anita não tinha filiação clara ao expressionismo alemão apesar dos elementos expressivos contidos na obra de sua primeira fase. Tais reminiscências de seus estudos no exterior indicavam muito mais uma experimentação, uma articulação que se adequou à necessidade da jovem pintora no momento, do que uma filiação a uma escola determinada e a seu discurso.

Anita Malfatti - Expressionismo - Modernismo brasileiro


A0038

ANÁLISE DAS OBRAS DE BARBARA KRUGER


Lina Alves Arruda (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Apropriando-se de imagens difundidas pelos meios de comunicação (em especial revistas, comerciais e filmes produzidos nos anos 1950) e justapondo-lhes um texto lacônico, a artista norte-americana Barbara Kruger transforma e desloca o conteúdo das imagens a uma esfera crítica e constrói composições que questionam, com uma abordagem não moralista, os valores e funções sociais como as relações de sexualidade, de poder, de inclusão e exclusão, de violência e de consumo. A série analisada, composta por 16 obras realizadas entre os anos de 1981-1997 centra-se principalmente nas questões relativas ao gênero feminino: obras elaboradas a partir de um discurso feminista sobre o aborto, repressão e subordinação feminina a um espaço privado e sua conseqüente exclusão da cultura, estereótipo e simulacro estético, relações afetivas e de consumo. As obras selecionadas permitem a elaboração de uma análise com duas vertentes: uma centrada no campo social, fundamentada em textos de historiadores e feministas e na imagética dos meios de comunicação que representa a mulher ocidental, e outra que abrange o domínio das artes visuais e visa identificar características gerais da obra de Barbara Kruger como, por exemplo, seus componentes formais urgidos pelo design gráfico, a abordagem direta ao espectador e aspectos que conferem às obras características de arte pública e engajada, que são fontes fecundas de pesquisa no âmbito da arte contemporânea.

Barbara - Kruger - Fotografia


A0039

BERNARDO CARO E A VANGUARDA CAMPINEIRA


Nara Vieira Duarte (Bolsista IC CNPq) e Profa. Dra. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Esta pesquisa aborda a carreira artística de Bernardo Caro, (1931-2007) em especial suas obras do período dos anos 1960 e 70, como também seu vínculo com o Grupo Vanguarda de Campinas. Caro foi professor da PUC-Campinas e da Unicamp, tendo sido diretor do Instituto de Artes da Unicamp entre 1988 e 91. Como artista sempre se considerou autodidata. Visando introduzir-se na "arte moderna", Caro integrou-se ao Grupo Vanguarda de Campinas, o qual foi responsável pela difusão da arte abstrata na cidade. Participou das reuniões do grupo nas quais se refletia sobre a função da arte e sobre a mudança da postura do artista frente à sociedade moderna. Passou a expor em salões de arte contemporânea e em importantes mostras coletivas no Brasil e no exterior, como as Bienais Nacionais e Internacionais de São Paulo, e Bienal Biella Itália (1967 e 1971). Alcançou destaque em várias dessas mostras, ora causando polêmicas pelo caráter sócio-político de suas obras, ora conquistando diferentes prêmios. Dentre as questões abordadas pelo trabalho de Bernardo Caro no período em questão destaco: o questionamento da ortodoxia dos gêneros artísticos tradicionais e dos suportes; a efemeridade da obra; a aproximação entre a arte e a vida e uma nova relação entre público e obra.

Arte de vanguarda - Bernardo Caro - Anos de 1960 a 1970


A0040

DOS TIPOS BRASILEIROS DE ALBERT ECKHOUT AOS CIVILIZADOS DE DEBRET: A CONSTRUÇÃO DE UMA IMAGEM DO BRASIL


Richard Santiago Costa (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O presente projeto tem como objetivo analisar algumas obras de dois renomados pintores estrangeiros que estiveram no Brasil em épocas distintas e que por meio de suas obras retrataram os habitantes daqui bem como seus modus vivendi. São eles: Albert Eckhout (século XVI e XVII) e Jean-Baptiste Debret (século XIX). Selecionamos oito pinturas a óleo de Eckhout e nove aquarelas de Debret retratando não só o homem brasileiro àquelas épocas como também a sua inserção no cotidiano do país dentro de tais contextos específicos, com o objetivo de analisá-las detalhadamente e de discutir sua importância para a iconografia brasileira seja naquela época (séculos XVII e XIX), seja nos dias de hoje; apontar as semelhanças e diferenças no modo de representação dos habitantes brasileiros em épocas diferentes; os contextos históricos em que foram produzidas e para que foram produzidas; e por fim, suas contribuições para a formação de um imaginário europeu a respeito do Novo Mundo.

Etnografia - Imaginário - Representação


A0041

PICASSO E AS MENINAS DE VELÁSQUEZ


Talita Mendes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria de Fátima Morethy Couto (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A proposta desta pesquisa é analisar nove pinturas da série de releituras de Picasso baseada na obra As Meninas de Diego Velásquez, integralmente produzida no ano de 1957, e com a qual Picasso reafirmou, a partir do legado de outro mestre espanhol, sua incessante busca por alinhar a arte espanhola à arte européia de seu tempo. Buscamos destacar a influência marcante da referida obra de Velásquez na trajetória produtiva e programa artístico de Picasso, visando a uma maior compreensão da intenção e posição deste artista em relação à história da arte,  a qual ele concebe como um processo vivo e não subordinado a preceitos imutáveis. O confronto destas releituras de Picasso entre si e com as obras Les Demoiselles d’Avignon e Guernica, ambas também de sua autoria, bem como com releituras realizadas por outros artistas, nos permite discutir questões estruturais, formais e simbólicas de seu processo criativo. Tomando por base o processo artístico deste que é um dos maiores artistas do século XX, assim como a importância do procedimento de interpretações/apropriações no universo contemporâneo e na cultura ocidental, mostra-se relevante esse enfoque analítico às obras da referida série para a formação de um aluno de graduação em artes visuais.

Picasso - Velásquez - Releitura


A0042

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO PORTO DO RIO DE JANEIRO - UMA ANÁLISE DO DISCURSO CONTEMPORÂNEO


Maria Beatriz Andreotti (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria José de Azevedo Marcondes (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Esta pesquisa tem como objeto de estudo o atual plano de intervenção para a área portuária do Rio de Janeiro, proposto pela municipalidade em conjunto com o Instituto Pereira Passos, em 2003. Instrumentos de intervenção neste território, estes planos tornam-se importantes objetos de estudo uma vez que explicitam a compreensão deste espaço urbano e do contexto de obsoletização das estruturas industriais e portuárias, como é o caso. O objetivo desta pesquisa é identificar as matrizes teóricas e ideológicas que compõe as diretrizes de intervenção na área, bem como mapear os projetos propostos que integram as relações entre cultura e cidade como justificativa de intervenção neste território. Para tal, contou-se com um levantamento bibliográfico de formação de repertório crítico e teórico, além do levantamento de dados nas instituições pertinentes. Como pode ser percebido na coleta de dados e na reflexão, procurou-se implementar projetos com grande influência de modelos exteriores (principalmente o modelo adotado para Barcelona), com propostas usadas como estratégias políticas, colocando s cidade como uma mercadoria (estratégica e política) e conferindo-os de um novo sentido no contexto mundial, mas que contudo, podem intervir em áreas degradadas e sem utilização dentro do perímetro urbano da cidade, conferindo-lhes uma nova dinâmica e urbanidade.

Projeto - Revitalização - Porto


A0043

A PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ARTÍSTICO: MAPEAMENTO DOS BENS MÓVEIS TOMBADOS DO MODERNISMO BRASILEIRO


Vivian Palma Braga dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria José de Azevedo Marcondes (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A pesquisa foi realizada com o objetivo de enriquecer a formação do acervo documental da área de Preservação e Restauro do Instituto de Artes da UNICAMP - no âmbito do projeto de pesquisa Território e Patrimônio: Critérios de Seleção e Valoração do Patrimônio Cultural -, a fim de catalogar o patrimônio móvel artístico tombado relativo ao Modernismo Brasileiro, discutir os fatores históricos e estéticos relevantes à produção artística do Movimento e os critérios básicos para o tombamento dessa, analisando em qual subperíodo e região se localizam a produção hegemônica desses bens. Por meio de uma bibliografia específica foi possível traçar um panorama do Patrimônio e do Modernismo no Brasil, considerando os diálogos que podem ser estabelecidos entre o Movimento Modernista e a formação do IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). O mapeamento dos bens móveis preservados abrangeu as obras tombadas, ainda, por outras instituições preservacionistas no Brasil - CONDEPHAAT (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), DPH (Departamento do Patrimônio Histórico) e o CONDEPACC (Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural de Campinas). Tendo como resultado um número extenso de obras, na dissertação final da pesquisa optou-se por elencar os bens tombados da região paulista, hegemônica na produção Modernista.

Patrimônio - Preservação - Modernismo


A0044

A PERSONAGEM SECUNDÁRIA EM EURÍPIDES: UM ESTUDO SOBRE TALTÍBIO, EM "AS TROIANAS"


Carlos Junior Gontijo Rosa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marília Vieira Soares (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Embora a sociedade atual não consiga compreender completamente a força que possuía a Tragédia Grega quando de sua representação, as peças que chegaram até nós ainda nos fascinam e intrigam com suas personagens arquetípicas. Sendo o mais novo e desiludido dos três grandes tragediógrafos gregos, Eurípides faz a tragédia se aproximar ao que, séculos depois, seria o drama. Nesta pesquisa, trataremos da personagem euripideana Taltíbio, arauto do rei-general grego Agamêmnon e sua função na tragédia As Troianas (415 a.C.). Em sua primeira parte, nosso trabalho trata de uma leitura contemporânea da tragédia em linguagem de teatro-dança, feita entre os anos de 2003 e 2005 pelo Grupo de Pesquisa Ar Cênico através da Técnica Energética e do Método Energético de Direção Teatral, na qual Taltíbio é visto como um personagem dramático, ou seja, reconhecível com um homem vivo. Contrapomos visões teóricas díspares sobre a personagem e buscamos o ponto de vista do Grupo para a construção do espetáculo. Em sua segunda parte, discutimos as características do Mensageiro, tomando por base outras tragédias de Eurípides, a fim de reconhecer Taltíbio como um ser diferenciado, que vai além da função deste. Também o contrapomos com outras personagens secundárias de tragédias, para evidenciar uma tentativa frustrada de individualização do sujeito não-heróico na polis grega.

Análise de personagem - Clássicos gregos - Téc. energética-interpretação


A0045

DA LITERATURA À DANÇA: UM PROCESSO CRIATIVO BASEADO NA TRANSPOSIÇÃO DE LINGUAGENS


Érica Barcelos Tessarolo (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marisa Martins Lambert (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Por se tratar de uma pesquisa interdisciplinar nas artes, que objetivou a transposição do livro Tu não te moves de ti, da escritora Hilda Hilst, para um trabalho coreográfico, foi assumido como metodologia de desenvolvimento o estudo das duas linguagens colocadas em diálogo: da linguagem literária de Tu não te moves de ti, através de leituras de artigos, entrevistas e visitas ao acervo da escritora, e da linguagem corporal apresentada pelas técnicas Laban/Bartenieff e Body-Mind Centering, através da investigação de qualidades expressivas e dinâmicas de movimento, utilização e formas de relação com o espaço, além de caminhar em direção à descoberta de um corpo pleno no momento da performance. Este texto-dança foi apresentado, na íntegra, no auditório do Instituto de Artes da Unicamp, em agosto de 2007; no evento Celebração Global Laban 2008, realizado pelo Centro Coreográfico do Rio de Janeiro, em abril de 2008; em teatros do estado de São Paulo, com o apoio do PAC, dentro do espetáculo Três Olhares sobre à Dança, do grupo in vitro, durante o primeiro semestre de 2008; e apresentado, parcialmente, sob o título Quimera, no feminino na dança, realizado pelo Centro Cultural São Paulo, em fevereiro de 2008. A pesquisa possibilitou o desenvolvimento de um conhecimento ímpar sobre a expressividade corporal, a criação em arte e a propagação de um trabalho artístico em um âmbito profissional.

Literatura - Dança - Tranposição de linguagens


A0046

O INANIMADO NA DANÇA: UM DIÁLOGO ENTRE A DANÇA E O TEATRO DE ANIMAÇÃO


Roberta de Mello Casa Nova (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marisa Martins Lambert (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este projeto de pesquisa que está em andamento, propõe o entrelaçamento entre elementos constitutivos da dança e do teatro de animação. Para efetivar esta integração de princípios práticos e conceituais, estão sendo delineados pontos chaves pertencentes às linguagens em questão, pontos que mesclem fundamentos, que dialoguem entre si ou se complementem. A partir desta pesquisa (desenvolvida em laboratório individual prático e teórico) será organizado um material híbrido para aplicação tanto como preparação corporal para atores/bailarinos, como ferramenta para a criação cênica. Utilizo como base da pesquisa os ensinamentos propostos pelos Fundamentos de Irmgard Bartenieff na área da dança, aliados aos exercícios de teatro de animação descritos na obra de Ana Maria Amaral. O intuito de associar essas duas linguagens num único material é propiciar ao ator/bailarino o reconhecimento de uma gama de conceitos como: consciência da estrutura corporal, das relações do corpo no espaço, da expressividade do movimento, apresentados pelas artes corporais, através de um outro prisma, tecendo assim, um caminho para a ampliação do seu vocabulário expressivo.

Teatro de animação - Educação somática - Dança contemporânea


A0047

MORTE,VIOLÊNCIA E EROTISMO NA FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA: UM ESTUDO DE CASOS


Cyra Maria de Araújo Souza (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Mauricius Martins Farina (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A pesquisa apresenta os corpos torturados, desfigurados, artificializados como objetos de fixação suprema tanto no campo da produção, com um trabalho fotográfico próprio, como na análise plástica e icônica das fotografias de Nan Goldin(1953-...), Nobuyoshi Araki(1940-...) e Joel Peter Witkin(1939-...). Essa preocupação formal pode ser pensada em proximidade com o conceito de Vitor Hugo (1802-1885) sobre o grotesco: o caminho tortuoso para se atingir a sensação do sublime, em seu contraste absoluto e terreno em relação ao belo transcendente. O dualismo como príncipio estético, tão próximo das falas da mitopoética arcaica, e da melancolia cristã, no começo do séc. XIX permitiu a crítica a um neoclassicismo calcado na unicidade do belo, desenhando o caminho a ser traçado pela modernidade nas artes. No contemporâneo essa retórica se mostra agora como signo de uma humanidade regida por aparências tornadas o fato em si. Vidas e intimidades simuladas, ecoando um vazio existential que sucumbe ao desespero a à misantropia. E esse grotesco não é indiferenciado: assim como no romance gótico do final do séc. XVIII e no decadentismo do séc. XIX, sua preferência está nos corpos femininos, uma ligação entre morte, violência e erotismo que ecoa as imagens míticas sobre o feminilidade, sua ligação com o natural de maneira extrema, a impureza e o escatológico como signos máximos do natural falho, simultânea ao fascínio e repúdio asceta sobre sobre o corpo e o orgânico.

Fotografia - Morte - Retórica da imagem


A0048

A INFLUÊNCIA DO CINEMA FICCIONAL NA FOTOGRAFIA CONTEMPORÂNEA: A AUTO-DESTRUIÇÃO DA FORMA FOTOGRÁFICA INSTITUCIONALIZADA NA CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA ORDEM NA REPRESENTAÇÃO


Milena Barbosa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mauricius Martins Farina (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A fotografia possibilitou uma nova ordem de representação, diferente da ordem representativa da pintura. Tal fato propiciou a criação de uma linguagem fotográfica própria que resultou, portanto, na instituição da forma fotografia. Contudo, a partir da década de 1990, o cinema, herdeiro direto da fotografia, tem influenciado a produção fotográfica, de modo que, esta tem sofrido modificações no âmbito do procedimento e no âmbito da linguagem, em virtude disso está ocorrendo uma auto-destruição da sua forma institucionalizada na construção de uma nova ordem na representação. Este projeto visa descrever e analisar esse novo aspecto de linguagem fotográfica introduzido pela influência do cinema na fotografia contemporânea. Sendo assim, para a realização deste será realizada uma definição das características dessa nova linguagem fotográfica influenciada pelo cinema a partir do levantamento das características das linguagens cinematográfica e fotográfica, bem como da comparação e entrecruzamento das mesmas, utilizando, para isso, acervos, bibliotecas e fotografias. Todos os dados coletados serão analisados e registrados para que se possa ter um painel de como ocorre essa nova ordem na representação.

Cinema - Fotografia - Influência


A0049

A TÉCNICA PIANÍSTICA DE ISABELLE VENGEROVA


Ana Carolina Barbim Taricio (Bolsista SAE/UNICAMP), Fernanda Peres Gilberti e Prof. Dr. Mauricy Matos Martin (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O objetivo deste estudo é realizar um trabalho de análise e pesquisa sobre a técnica pianística desenvolvida por Isabelle Vengerova, pianista e educadora russa que atuou na Rússia e nos Estados Unidos entre 1890 e 1956. A metodologia partiu do levantamento biográfico de Isabelle Vengerova e da contextualização histórica de sua técnica. Em seguida foram analisados os princípios e os exercícios propostos para o estudo desta técnica pianística e o processo de aprendizagem dos alunos, a partir de fontes bibliográficas e de entrevistas com pianistas que estudaram esta técnica, procurando estabelecer possíveis similaridades e diferenças quanto aos processos de aprendizagem de cada um. O trabalho conclui que nesta técnica pianística os resultados técnicos e musicais desejados são obtidos através de um refinado controle do pulso. A partir dos relatos presentes na bibliografia e nas entrevistas observou-se que poucos alunos puderam compreender e aplicar esta técnica rapidamente, sendo o repertório não muito extenso e estudado por longos períodos. Este trabalho poderá servir posteriormente como base para estudos maiores e mais profundos, tanto no campo de práticas interpretativas e técnica pianística como na área de história da música, auxiliando os alunos que iniciam o estudo desta técnica.

Técnica pianística - Vengerova - Piano


A0050

A TÉCNICA PIANÍSTICA DE ISABELLE VENGEROVA


Fernanda Peres Gilberti (Bolsista PIBIC/CNPq), Ana Carolina Barbim Taricio e Prof. Dr. Mauricy Matos Martin (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
O objetivo deste estudo é realizar um trabalho de análise e pesquisa sobre a técnica pianística desenvolvida por Isabelle Vengerova, pianista e educadora russa que atuou na Rússia e nos Estados Unidos entre 1890 e 1956. A metodologia partiu do levantamento biográfico de Isabelle Vengerova e da contextualização histórica de sua técnica. Em seguida foram analisados os princípios e os exercícios propostos para o estudo desta técnica pianística e o processo de aprendizagem dos alunos, a partir de fontes bibliográficas e de entrevistas com pianistas que estudaram esta técnica, procurando estabelecer possíveis similaridades e diferenças quanto aos processos de aprendizagem de cada um. O trabalho conclui que nesta técnica pianística os resultados técnicos e musicais desejados são obtidos através de um refinado controle do pulso. A partir dos relatos presentes na bibliografia e nas entrevistas observou-se que poucos alunos puderam compreender e aplicar esta técnica rapidamente, sendo o repertório não muito extenso e estudado por longos períodos. Este trabalho poderá servir posteriormente como base para estudos maiores e mais profundos, tanto no campo de práticas interpretativas e técnica pianística como na área de história da música, auxiliando os alunos que iniciam o estudo desta técnica.

Técnica pianística - Vengerova - Piano


A0051

AS INFLUÊNCIAS DAS REGRAS DE COMPORTAMENTO SÓCIO-CULTURAIS NO CORPO DO ATOR


Flora Gussonato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Sara Pereira Lopes (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Esse estudo propõe uma reflexão sobre algo anterior às questões básicas da técnica direcionada à interpretação teatral. Busca, através de pesquisa teórica sobre estudos anteriores relacionados à questão, junto ao questionamento individual da pesquisadora, uma relação de compreensão do próprio corpo e de suas capacidades e limitações expressivas, algo que precede a situação, a dramaturgia, o jogo, a partitura física. Os impactos físicos ocasionados pelas fugas do indivíduo na relação afetiva, política e social, são características comuns a qualquer corpo humano. É inerente à profissão do ator o contato com a origem das próprias tensões e a busca por aliviá-las para, idealmente, possuir um corpo “amaciado”, disposto e com possibilidades de modificação, consciente de sua estrutura. Referir-se à expressão “corpo do ator” pode limitar a compreensão dos aspectos analisados. Podemos então afirmar uma proposta de reflexão sobre o “individuo” ator, a busca de uma relação de compreensão do próprio corpo e de suas capacidades e limitações expressivas.

Sociedade - Corpo - Ator


A0052

OUVIR VENDO...PRATICANDO O POEMA COMO RECURSO DE CRIAÇÃO CÊNICA


Liana Ferraz Diniz (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sara Pereira Lopes (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Este trabalho teve como objetivo pôr em prática uma idéia estudada em meu trabalho anterior de iniciação científica, “O poema no trabalho de criação vocal/cênica do ator”, onde realizei uma investigação teórica da relação entre poema e trabalho vocal do ator e a possibilidade de uma transcriação cênica partindo desta relação. Para as práticas, selecionei, dentre as inúmeras possibilidades de poemas, alguns que pudessem servir de material para os encontros e reuni um grupo formado por alunos de Artes Cênicas. Iniciamos, então, uma pesquisa prática desenvolvida em encontros periódicos onde trabalhávamos os poemas a partir das primeiras impressões da leitura, das imagens contidas neles, sua sonoridade e conteúdo temático. Estes elementos foram utilizados como estímulos para os atores desenvolverem cenas e personagens partindo de suas relações pessoais com o material não dramático escolhido, inicialmente o poema, mas abrindo a possibilidade de utilização de objetos e músicas. Neste trabalho prático, devido à liberdade com que foi realizado, o que prevaleceu foi o espaço da experiência, um jogo de tentativa, erros e acertos, onde investigamos praticamente os elementos que compõe o signo teatral e o diferencia enquanto arte.

Experimentação - Poema - Vocalidade


A0053

CRISE DA PALAVRA: FISICALIDADE VOCAL NO TEATRO DO SÉCULO XX


Wallyson Piedade Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Sara Pereira Lopes (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
A pesquisa Crise da palavra: fisicalidade vocal no teatro do século XX pretendeu investigar o período em que tornou-se deflagrada a noção de que a linguagem oral-codificada não bastava e que a materialidade do som vocal deveria ganhar maior relevância nas encenações teatrais. Teve como objetivos ressaltar a importância da materialidade e da concretude da voz em um espetáculo; entender seus possíveis sentidos e valores desligados das palavras; e apontar a ruptura existente entre as coisas e a representação (codificação) dessas coisas. Foi realizado um breve estudo sobre o pensamento e as razões que envolveram o homem do início do século XX. Em seguida, a decadência do uso da palavra no teatro e a necessidade de valorização da fisicalidade (sonora e táctil) humana nos palcos tornaram-se os focos do trabalho. A figura do encenador francês Antonin Artaud tornou-se então fundamental para o desenvolvimento deste estudo: por pertencer à época estudada, e principalmente por ser o grande contestador do uso raso e puramente semântico da palavra pelo ator. Também auxiliaram este projeto as obras do filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein e os dramas do chamado Teatro do Absurdo, em especial os de Samuel Beckett e Eugène Ionesco.

Fisicalidade - Voz - Antonin Artaud


A0054

A COMPOSIÇÃO MUSICAL COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA


Rossely Spejo Ferreira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Silvio Ferraz Mello Filho (Orientador), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Atualmente a educação musical tem ganhado um espaço significativo na escola, sendo administrada por leis, assim como todas as outras disciplinas que são oferecidas pelas instituições educacionais, mas infelizmente, o processo criativo é muito pouco ou quase não explorado na educação musical escolar. A idéia desse projeto é evidenciar a importância da criação musical na sala de aula e também reunir o material necessário para viabilizar esse trabalho com a composição no ensino fundamental. Através de entrevistas com educadores musicais, pesquisas sobre repertório e material bibliográfico, salientaram-se as maiores dificuldades metodológicas para trabalhar com a criação e a partir daqui foi possível estabelecer novas trajetórias para o trabalho do educador. Portanto, mesmo diagnosticando a dificuldade dos educadores em utilizar a criação, não lhes faltou interesse em realizar as atividades propostas por esse trabalho.

Música - Educação - Criação


A0055

O GESTUS NAS PERSONAGENS FEMININAS DE “O SENHOR PUNTILA E SEU CRIADO MATTI”: ESTUDO SOBRE O GESTO (UMA PERSPECTIVA BRASILEIRA)


Ana Luiza Junqueira Tavares Corrêa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Verônica Fabrini Machado de Almeida (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Esta pesquisa tem como objetivo a investigação, de caráter prático-teórico, das relações de poder que definem o uso do corpo e da construção do gesto nas personagens femininas do texto O Senhor Puntila e seu criado Matti (1940), de Bertold Brecht. Como estudo de caso, nos debruçamos na encenação realizada pela Boa Companhia, em 1998. Esta encenação propõe um diálogo entre os sambas de Noel Rosa, quadros de Candido Portinari e o pensamento estético-ideológico brechtiano, assim como manifestados no texto escolhido. A partir do estudo teórico e prático obtivemos os seguintes resultados: de Portinari o gesto na sua forma estática e a visão crítica de personagens campestres e suas relações com o meio; de Brecht a base teórica e a análise da peça, sobre a qual pudemos fazer os experimentos práticos; da Boa Cia. uma proposta pronta e uma posição ante as tantas possibilidades possíveis, o que nos possibilitou o questionamento e a proposta de jogo entre público e atores. A busca prática foi compreender gestualmente como é possível revelar a luta de gênero dialéticamente à luta de classes. A partir da análise das cenas compreendemos quais as principais ações que podem ser reveladoras do conflito.

Encenação - Teatro épico - Gestus


A0056

ATOR E ESPAÇO NA ESCRITA CÊNICA


Fernando José Ferreira Dourado (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Verônica Fabrini Machado de Almeida (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
É significativo o enfoque dado, sobretudo a partir do século XX, às questões ligadas ao Corpo do intérprete no teatro ocidental, transferindo o foco dado anteriormente à palavra/texto como principal meio de expressão dramática para a fisicalidade do ator. O mapeamento e localização, na interface da cena, dos diálogos entre o Corpo do intérprete e sua Cinesfera e o Corpo com o Espaço que vai além de seu limite espacial natural possibilitou um substancial aproveitamento poético a partir dessa relação, onde o Corpo, através da ação física com seus elementos, pode deixar de ser simplesmente um elemento que está contido no Espaço, mas interfere e constrói o Espaço alterando sua percepção e a percepção do espectador, através de uma alteração na qualidade de presença e atenção por parte do atuante. No experimentalismo da cena, o ator/pesquisador processa a relação com seu Espaço pessoal e o Espaço que o abarca, desdobrando a noção cartesiana de Espaço em projeções dilatadas dessa interação, construindo uma cena que se legitima frente ao espectador, mas que é fruto de uma techné aliada ao desejo, da capacidade de despertar o imaginário como um bem comum do legado espiritual do homem.

Corpo - Dramaturgia corporal - Escrita cênica


A0057

O GESTUS NAS PERSONAGENS FEMININAS DE “O SENHOR PUNTILA E SEU CRIADO MATTI”: BRECHT DÁ SAMBA? (UMA PERSPECTIVA BRASILEIRA)


Sara Mello Neiva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Verônica Fabrini Machado de Almeida (Orientadora), Instituto de Artes - IA, UNICAMP
Esta pesquisa tem como objetivo a investigação” de caráter prático-teórico das relações de poder que definem o uso da palavra e do Song nas personagens femininas do texto “O Senhor Puntila e seu criado Matti (1940), de Bertold Brecht. A pesquisa tomou a forma de estudo de caso da encenação da referida peça, realizada pela Boa Companhia, em 1998. A encenação propõe um diálogo entre os sambas de Noel Rosa, quadros de Candido Portinari e o pensamento estético-ideológico brechtiano, como manifestados no texto escolhido. Trabalhamos esses elementos na montagem de cenas exemplares com base no estudo de caso e demais estudos pertinentes ao tema. A partir do estudo teórico e prático obtivemos os seguintes resultados: de Noel uma visão crítica da sociedade, dando voz a personagens proletários com muita consciência de sua classe; de Brecht, toda a base teórica e a análise da peça, sobre a qual pudemos fazer os experimentos práticos; da Boa Cia. uma proposta pronta e uma posição ante as tantas possibilidades possíveis, o que nos possibilitou o questionamento e a proposta de jogo entre público e atores. A busca prática foi compreender gestualmente como é possível revelar a luta de gênero dialéticamente à luta de classes. A partir da análise das cenas compreendemos quais as principais ações que podem ser reveladoras do conflito.

Gestus - Encenação - Teatro épico






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   101


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal