Universidade estadual de campinas



Baixar 4.88 Mb.
Página34/101
Encontro29.11.2017
Tamanho4.88 Mb.
1   ...   30   31   32   33   34   35   36   37   ...   101

Faculdade de Odontologia de Piracicaba

B0246

AVALIAÇÃO DA RUGOSIDADE SUPERFICIAL, ENERGIA LIVRE DE SUPERFÍCIE E ADESÃO DE CÂNDIDA SPP EM RESINA ACRÍLICA MODIFICADA COM POLITETRAFLUORETILENO


Renata Alves (Bolsista PIBIC/CNPq), Fabiana Goveia Straioto e Profa. Dra. Altair Antoninha Del Bel Cury (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A resina acrílica a base de polimetilmetacrilato apresenta como um de seus problemas a adesão de Candida spp que pode causar estomatite protética, principalmente em pacientes imunosuprimidos e pacientes idosos. A adição de modificadores tem sido proposta com objetivo de melhorar as características de superfície desses materiais e dentre esses se destaca o politetrafluoretileno (PTFE). Assim, o objetivo deste estudo foi o de avaliar a rugosidade de superfície, a energia livre de superfície e a adesão de Cândida spp em resina acrílica termopolimerizável modificada com PTFE. Os espécimes foram submetidos às avaliações de rugosidade de superfície, energia livre de superfície e adesão de Cândida spp sobre esses materiais. A hipótese testada foi que a adição de politetrafluoretileno à composição das resinas a base de polimetilmetacrilato, pudesse melhorar as características de superfície, evitando-se ou diminuindo a aderência de microrganismos.

Candida spp - Politetrafluoretileno - Resina acrílica


B0247

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DOS ALIMENTOS OFERECIDOS AOS ALUNOS MATRICULADOS EM ESCOLAS MUNICIPAIS


Igor Mello Ferrante (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antonio Carlos Pereira (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A alimentação de uma criança reflete diretamente sobre sua saúde geral e bucal, e como tal deve ser realizada de modo adequado para a instalação e manutenção de hábitos saudáveis que perpetuarão ao longo da vida, sendo a educação, fator primordial para despertar nas pessoas o interesse em manter sua saúde. A escola é um ambiente social propício para o desenvolvimento de programas de saúde e implementação de medidas preventivas, voltadas para hábitos de higiene bucal e dietéticos saudáveis. Desta forma, o objetivo do presente estudo foi avaliar a qualidade cariogênica dos alimentos consumidos por alunos de escolas municipais do município de Piracicaba-SP. A amostra foi constituída por aproximadamente 200 crianças de 1a a 4a série, de ambos os gêneros, matriculadas no ano de 2008 nessas escolas. Participaram da pesquisa 07 escolas municipais, selecionadas aleatoriamente. O instrumento de coleta de dados foi um questionário contendo 11 (onze) questões referentes aos alimentos que os mesmos consomem no ambiente escolar, incluindo o que trazem para a escola. Para verificar a existência de associação entre as variáveis estudadas, será utilizado o teste Chi Quadrado de Pearson e o teste Exato de Fisher utilizando o programa estatístico SPSS. A Estatística descritiva, correlação de Pearson e Spearman e regressão linear e logística serão utilizadas onde apropriadas. A significância estatística será considerada ao nível de 5%.

Nutrição - Qualidade de vida - Cárie dentária


B0248

DETECÇÃO DE CÁRIE DENTÁRIA MEDIANTE O EMPREGO DE DIFERENTES MÉTODOS ADJUNTOS PARA EXAME


Marina Vannucci Mena Romeiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Pereira (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Com o declínio nos níveis de cárie dentária atingindo a dentina, verificado em diversos países, inclusive por países em desenvolvimento, e conseqüente aumento na prevalência de lesões iniciais (LI), também denominadas lesões não-cavitadas ou pré-cavitadas, surge a necessidade de se desenvolver novos métodos e metodologias, com alta confiabilidade e reprodutibilidade, para a detecção desta doença. O presente projeto tem por objetivo verificar a confiabilidade e reprodutibilidade dos examinadores para o exame epidemiológico da cárie dentária com ou sem o uso da luz artificial, verificar a confiabilidade e reprodutibilidade dos examinadores para os métodos adjuntos de diagnóstico (FOTI, Diagnodent e radiografia bitewing) e verificar qual(is) o(s) melhor(es) método(s) e combinação(ões) destes para a detecção da cárie dentária.

Cárie dentária - Diagnóstico - Métodos de exame


B0249

AVALIAÇÃO DO USO DO GEL DE ÁCIDO HIALURÔNICO A 1% SOBRE O REPARO DE DEFEITOS ÓSSEOS EM CALVÁRIA DE RATOS


Mariana Amade Mendes Brazão (Bolsista PIBIC/CNPq), Beatriz Bezerra, Enilson Antônio Sallum e Prof. Dr. Antonio Wilson Sallum (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O ácido hialurônico, componente da matriz extracelular, atua na cicatrização de feridas. O objetivo deste estudo foi realizar avaliação radiográfica do efeito de seu gel a 1% no reparo ósseo em modelo de defeito crítico em calvária de ratos. 30 ratos Wistar foram utilizados. Dois defeitos de 6mm, realizados em 24 ratos e os tratamentos distribuídos aleatoriamente; 6, foram controles positivos. Quatro tratamentos avaliados:1) gel de ácido hialurônico a 1%;2) gel de ácido hialurônico a 1% com esponja colágeno;3) soro fisiológico;4) esponja colágeno. Os sacrifícios deram-se após 4 e 8 semanas; as calotas armazenadas em solução de formalina a 4%. Radiografias foram obtidas por sistema digital direto com protocolo padronizado. Um examinador cego avaliou a densidade destas imagens realizando uma correlação intra-classe (R2=0,99, p<0,001). Teste t foi utilizado em comparações intra-grupo, e ANOVA one-way e teste de Tukey, para comparações inter-grupos (p<0,05). Não houve diferenças significativas entre 4 e 8 semanas (p>0,05). Comparação inter-grupos não mostrou diferença estatística significante (p>0,05), porém o tratamento 2 apresentou a maior das densidade (51,75±13,56/4 semanas, e 50,32±8,65/8 semanas). Dentro dos limites deste estudo concluímos que o gel de ácido hialurônico a 1% só ou associado a carreador não melhorou o reparo ósseo.

Ácido hialurônico - Reparo - Defeito ósseo


B0250

EMPREGO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS AUXILIARES COMO DESINFECTANTES NA PRÁTICA ENDODÔNTICA


Geovania Caldas Almeida (Bolsista IC CNPq) e Profa. Dra. Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo deste trabalho foi avaliar a contaminação dos microscópios clínicos operatórios empregados durante o tratamento endodôntico e o potencial anti-séptico e residual de algumas substâncias químicas tais como clorexidina líquida 2%, solução alcoólica de clorexidina 2% e álcool 70%. Sessenta amostras microbiológicas foram coletadas individualmente das lentes objetivas e oculares dos microscópios em 2 diferentes tempos: após a desinfecção (coleta inicial) e após o procedimento odontológico (coleta final). As amostras foram processadas, incubadas e as colônias identificadas por meio de testes bioquímicos. Os dados obtidos foram submetidos à análise de freqüência. Ausência de crescimento foi observada em todas as coletas iniciais, enquanto que houve crescimento microbiano em 90% das coletas finais. Oitenta por cento dos microrganismos encontrados pertenciam ao gênero Staphylococcus. A substância química mais eficaz foi a solução alcoólica de clorexidina 2%. Concluímos que o profissional deve estar ciente da contaminação das lentes oculares e objetivas do microscópio clínico operatório e tomar medidas para diminuir o risco de contaminação cruzada. Entre as substâncias utilizadas, a solução alcoólica de clorexidina 2% mostrou maior ação antimicrobiana residual.

Desinfecção - Endodontia - Substâncias químicas


B0251

AVALIAÇÃO RADIOGRÁFICA DA INCIDÊNCIA DA OBTURAÇÃO DE CANAIS LATERAIS EM CASOS CLÍNICOS REALIZADOS POR ALUNOS DE GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NA PRESENÇA OU NÃO DA MEDICAÇÃO INTRACANAL


Marina Vieira Silveira Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq), Francisco Montagner (Co-orientador) e Profa. Dra. Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do trabalho foi avaliar aspectos radiográficos relacionados aos tratamentos endodônticos realizados por alunos dos cursos de graduação e extensão em Endodontia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOP-UNICAMP), principalmente em relação à presença de canais laterais e acessórios após a obturação do sistema de canais radiculares em casos onde a medicação intracanal foi empregada ou não. Foram analisadas as fichas clínicas e radiografias pré-, trans- e pós-operatórias do arquivo de pacientes da Área de Endodontia. As informações referentes à qualidade da obturação, presença de acidentes e complicações do tratamento endodôntico e preenchimento do sistema de canais radiculares com material obturador foram armazenadas em um banco de dados. A avaliação foi realizada com o auxílio de um negatoscópio e de uma lupa com aumento de 3 vezes. A maioria dos pacientes foi do gênero feminino com idade entre 31 e 45 anos. Os dentes mais acometidos por tratamento endodôntico foram os inferiores. Os molares foram os dentes que mais receberam tratamento endodôntico. A maior parte dos tratamentos realizados ocorreu em dentes com polpa vital, seguido pelos tratamentos realizados no plantão de emergência. A clorexidina gel como substância auxiliar foi utilizada na maioria dos casos analisados, sendo também utilizada conjuntamente com o hidróxido de cálcio como medicação intracanal. Foi baixa a presença de canais laterais visualizados radiograficamente antes e após o tratamento endodôntico. Concluímos que os molares são os dentes com maior freqüência de ramificações detectadas radiograficamente.

Canal lateral - Radiografias - Endodontia


B0252

AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DOS CIRURGIÕES-DENTISTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO SOBRE A PREVENÇÃO DA ENDOCARDITE BACTERIANA NA CLÍNICA ODONTOLÓGICA


Izabella Patta Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Eduardo Dias de Andrade (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Procedimentos odontológicos que causam bacteremia transitória (invasão de bactérias da microbiota bucal para a circulação sangüínea), podem estar associados à etiopatogenia da endocardite bacteriana (EB). Isto pode levar a um raciocínio simplista de que o uso profilático de antibióticos poderia, por si só, prevenir esta doença. Entretanto, ainda pairam dúvidas quanto à eficácia dos antibióticos na prevenção da EB e aos mecanismos pelos quais exerceriam a ação profilática. Outro tema questionado é se o risco de efeitos adversos por parte destes fármacos não seria maior que o benefício previsto. O cirurgião-dentista, por sua vez, deve saber identificar os pacientes mais suscetíveis a esta patologia, definir o grau de risco de cada procedimento odontológico e adotar protocolos para cada caso específico. Mas qual será o nível atual de conhecimento deste profissional em relação ao assunto? De fato, não existem dados suficientes na literatura para responder esta pergunta. Assim, este trabalho pretende investigar o grau de conhecimento dos cirurgiões-dentistas do Estado de São Paulo sobre os principais aspectos da endocardite bacteriana, discutindo as dúvidas que porventura sejam identificadas.

Odontologia - Endocardite bacteriana - Profilaxia


B0253

AVALIAÇÃO DE IMPRESSOS EDUCATIVOS EM SAÚDE BUCAL


Ligia Maria Sato Carvalho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do presente estudo foi avaliar o nível de legibilidade, bem como o número de jargões profissionais e palavras difíceis contidos em materiais educativos impressos voltados à educação em saúde bucal. A amostra foi constituída de 55 fôlderes, abordando diversos temas em saúde bucal. Para a análise do índice de legibilidade de Flesh para cada material avaliado, utilizou-se o programa Redação Língua Portuguesa, v.11. Os resultados demonstraram que 1,8% dos textos tinham um nível de legibilidade muito fácil; 81,8% fácil e 16,4% difícil. Na média, os materiais continham um número de 2,8 jargões profissionais, com um desvio-padrão de 3,3. Os temas placa bacteriana e cárie dentária foram os mais freqüentemente presentes nos materiais. Conclui-se que a maioria dos materiais educativos avaliados foi considerada adequada para serem compreendidos por grande parte da população.

Educação em saúde - Impressos - Saúde bucal


B0254

EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA ESCOLARES


Rafael Furuse (Bolsista PIBIC/CNPq), Heloisa Wessel de Souza e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do presente estudo foi implementar e avaliar um programa educativo-preventivo para escolares das 3ªs e 4ªs séries do ensino fundamental matriculados em uma escola de tempo integral do município de Piracicaba, SP. Inicialmente submeteu-se o projeto à apreciação do CEP da FOP/Unicamp. Após aprovação do mesmo, e envio de autorização aos pais, iniciou-se o projeto. Na fase diagnóstica, foram realizados exames epidemiológicos bucais e também entrevistas com os crianças, avaliando-se o grau de conhecimento em saúde bucal, seus hábitos e acesso a serviços de saúde. A partir daí, foi elaborado um programa educativo-preventivo, juntamente com o apoio e orientação dos professores, e implementado na escola. As atividades foram desenvolvidas por meio de gincanas, jogos, atividades lúdicas, entre outras, com a temática saúde bucal. Ao final de cada fase do projeto, um instrumento de avaliação foi aplicado para se analisar a eficácia das ações. Os resultados estão sendo promissores, demonstrando a importância de projetos como este na construção do conhecimento pelas crianças, ajudando-as a compreender os determinantes de uma boa saúde bucal.

Educação em saúde - Escolares - Cárie dental


B0255

IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA EDUCATIVO-PREVENTIVO EM SAÚDE BUCAL PARA ESCOLARES DA 1A E 2A SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL


Renato Kimura dos Santos Vale (Bolsista PIBIC/CNPq), Heloísa Wessel de Souza e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A escola é um ambiente social propício para o desenvolvimento de programas de saúde e implementação de medidas preventivas. Desta forma, o objetivo do presente estudo foi aplicar e avaliar um programa educativo-preventivo para escolares do ensino fundamental matriculados em uma escola de tempo integral do município de Piracicaba, na faixa etária dos 7 aos 8 anos. Inicialmente foi realizado um exame epidemiológico bucal e também entrevistas com os alunos avaliando-se o grau de conhecimento em saúde bucal, seus hábitos e acesso a serviços de saúde. Após esta fase diagnóstica, o programa preventivo educativo foi aplicado, por meio de gincanas, atividades lúdicas e outras realizadas pelos alunos em casa, junto com os pais. Ao final de cada atividade e ao final do projeto, um instrumento de avaliação foi aplicado para se analisar a eficácia das ações. Verificou-se uma melhora significativa nos conhecimentos e práticas em saúde bucal das crianças, sendo que o programa foi efetivo em alcançar seus objetivos, mobilizando pais e professores para a melhoria da qualidade de saúde dos escolares.

Escolares - Saúde bucal - Cárie dental


B0256

ESTUDO ELETROMIOGRÁFICO DO MÚSCULO TEMPORAL EM SUJEITOS CLASSE I E ANGLE


Fernanda Yukie Kobayashi (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Fausto Berzin (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A investigação envolvendo os músculos da mastigação na clínica odontológica sempre foi objeto de interesse entre os profissionais, devido a significativa incidência de distúrbios como trismo, dor muscular, fadiga, entre outros. O músculo temporal tem sido alvo de inúmeros questionamentos, por desempenhar uma importante função no sistema estomatognático favorecendo a estabilidade mandibular. Com isso, alterações em sua atividade podem acarretar uma série de comprometimentos. No entanto, existem, poucos estudos que podem ser utilizados como referência de como este músculo atua em relação aos padrões de normalidade. Esta questão tem dificultado estudos comparativos que poderiam deflagrar mais facilmente alterações através da comparação dos sinais eletromiográficos. Assim, o presente estudo tem por finalidade investigar o padrão de atividade elétrica do músculo temporal (parte anterior) durante movimentos de mastigação e contração voluntária máxima (CVM). Serão utilizados 32 sujeitos Classe I de Angle, com faixa etária entre 18 e 31 anos, sem Disfunção Têmporo-Mandibular (DTM). Os sinais eletromiográficos serão registrados utilizando um eletromiógrafo computadorizado, e eletrodos de superfície bipolares diferenciais. Os indivíduos serão posicionados sentados na gaiola de Faraday, a qual exclui sinais eletromagnéticos que possam a vir a influenciar nos sinais eletromiográficos a serem captados. Os eletrodos serão colocados após adstringência da pele, acima da parte anterior do arco zigomático e da borda do processo coronóide, bem próximo à sutura zigomático-temporal e da margem lateral da crista supra-orbital, e estarão dispostos verticalmente. Os indivíduos serão submetidos a três repetições dos movimentos de repouso mandibular, contração voluntária máxima, abaixamento mandibular leve e máximo, propulsão e retropulsão mandibular, protrusão e retrusão mandibular, lateralidade mandibular homolateral direita, lateralidade mandibular contralateral. Para a realização de tais movimentos, serão utilizados ParafilmÒ a fim de se criar uma situação mais próxima da real.

Eletromiografia - Músculos da mastigação - Cinesiologia


B0257

AVALIAÇÃO DA DISTORÇÃO DA IMAGEM RADIOGRÁFICA, EM FUNÇÃO DO PONTO DE INCIDÊNCIA DO FEIXE DE RADIAÇÃO, NA TÉCNICA DA BISSETRIZ


Juliana Dias Dutra (Bolsista PIBIC/CNPq), Ellen Gaby Neves, Maria Paula Caldas, Solange Maria de Almeida e Prof. Dr. Frab Norberto Bóscolo (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Para que ocorra o mínimo de distorção na imagem radiográfica obtida pela técnica da bissetriz, é necessária uma execução perfeita da mesma. O objetivo nesta pesquisa foi avaliar a distorção da imagem radiográfica do dente, estando o feixe central de raios X posicionado em duas diferentes áreas de incidência, podendo ser avaliado qual das duas incidências reproduz melhor o tamanho original do dente. Para isto, foram utilizados oito dentes de phantom, cujas às regiões apicais foram adaptadas um fio metálico de 10mm de comprimento. Foram realizadas duas incidências, uma direcionando o feixe central de raios X ao terço médio do dente e outra direcionando o feixe central de raios X ao terço apical do dente. As imagens radiográficas dos fios metálicos foram mensuradas por um radiologista e esses valores foram submetidos à análise estatística. Não foi possível observar diferença estatística entre as duas medidas em nenhum dos dentes radiografados (p=1). De acordo com os resultado obtidos, foi possível concluir que a técnica da bissetriz pode ser realizada direcionando o feixe central de raios X tanto ao terço médio quanto ao terço apical do dente, sem haver distorção de imagem.

Radiografia dentária - Radiação - Radiologia


B0258

EFICÁCIA DA LIDOCAÍNA E DA ARTICAÍNA NO BLOQUEIO DOS NERVOS INCISIVO E MENTONIANO


Camila Batista da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP), Luciana Aranha Berto, Maria Cristina Volpato e Prof. Dr. Francisco Carlos Groppo (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A anestesia local é a base do controle da dor, sendo indispensável na maioria das intervenções em odontologia. O objetivo deste estudo cruzado e duplo cego é comparar a eficácia clínica da articaína 4% com a da lidocaína 2% (ambas com epinefrina na concentração de 1:100.000) no bloqueio dos nervos incisivo e mentoniano, em 40 voluntários sadios. São avaliadas latência e duração da anestesia pulpar (por estimulação elétrica) nos dentes incisivo lateral (IL), canino (C), e pré-molares inferiores (1PM e 2PM) do lado direito e em tecidos moles (por pressão na mucosa). O experimento é realizado em duas sessões, com intervalo de 15 dias, com ordem aleatória de aplicação das soluções anestésicas. Também está sendo avaliada a sensibilidade dolorosa à injeção logo após a anestesia e após o retorno da anestesia. Os resultados obtidos até o momento não mostraram diferença estatisticamente significante (p>0,05) entre os tempos de latência das duas soluções (denominadas aleatoriamente A e B). O tempo de anestesia pulpar do 1PM foi maior para a solução B do que para a solução A (p<0,05) e não houve diferença entre as duas soluções com relação à sensibilidade dolorosa à injeção logo após a anestesia e após o retorno da anestesia (p>0,05). A taxa de sucesso da anestesia pulpar para os dentes IL, C e 1PM foi maior com a solução B do que com A (p<0,05).

Anestésicos locais - Articaína - Nervo mentoniano


B0259

INFLUÊNCIA DO DIAZEPAM SOBRE PARÂMETROS MORFOLÓGICOS E HISTOQUIMÍCOS EM RATOS COM DISFUNÇÃO TÊMPORO-MANDIBULAR INDUZIDA


Marina Passarella Desjardins (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Fábio André dos Santos, Prof. Dr. Paulo Henrique Ferreira Caria , Ana Carolina Borges de Freitas, Sidney Figueroba Raimundo (Co-orientador) e Prof. Dr. Francisco Carlos Groppo (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
As desordens da articulação temporomandibular (DTM) estão associadas com o processo inflamatório/dor, incluindo os componentes biológico e comportamental. Os objetivos dessa pesquisa são avaliar os aspectos morfológicos e histoquímicos da ação de um benzodiazepínico (Diazepam, 5mg/kg) em animais com alteração oclusal. Foram utilizados 30 ratos distribuídos em 3 grupos: Grupo 1 - sem mau-oclusão (controle); Grupo 2 – com mau-oclusão induzida através do deslocamento retrusivo da cabeça da mandíbula; Grupo 3 - com mau-oclusão induzida através do aumento bilateral da dimensão vertical. Após 7 dias da indução da mau-oclusão, todos os animais foram submetidos à administração por via intramuscular, durante 7 dias, de diazepam 5mg/kg. Após este período, as ATM de ambos os lados foram retiradas em bloco. Uma das ATM foi submetida, após fixação e descalcificação, ao processamento histológico (HE, Alcian Blue e Picrossirius Vermelho-Hematoxilina). A ATM contralateral será submetida à maceração, centrifugação e o sobrenadante submetido ao imunoensaio (ELISA) para avaliação das citocinas pró-inflamatórias (IL1-b, IL-6 e TNF-a).

Diazepam - Disfunção têmporo-mandibular - Terapêutica medicamentosa


B0260

PROPOSTA DE UM MÉTODO PARA AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE ANESTÉSICOS LOCAIS EM RATOS


Raquel Aparecida Pacifico Silva (Bolsista SAE/UNICAMP), Maria Cristina Volpato, Luciana Aranha Berto e Prof. Dr. Francisco Carlos Groppo (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Este estudo tem como objetivo desenvolver um método experimental em animais, voltado para a odontologia, de avaliação pré-clínica da atividade de soluções anestésicas locais. Após anestesia geral (tiopental sódico - 40mg/kg), foram fixados 2 fios de cobre (1 de cada lado) nos molares inferiores de 12 ratos. No retorno da anestesia geral, com os animais sedados (apresentando reação à preensão da cauda), foram aplicados 0,2 ml de solução de lidocaína 2% com epinefrina 1:100.000 em um dos lados, de forma aleatória, próximo ao forame mandibular dos animais para bloqueio do nervo alveolar inferior. O lado que não recebeu anestésico foi utilizado como controle para confirmar o funcionamento do pulp tester e manutenção da resposta do animal. A avaliação da anestesia pulpar foi realizada pela aplicação de estímulo elétrico (pulp tester elétrico) aos fios de cobre fixados aos molares de cada lado da mandíbula. Os tempos de latência e de anestesia pulpar obtidos foram 4,5 (±3) minutos e 57,9 (± 37,7) minutos, respectivamente. A taxa de sucesso da anestesia pulpar (duração maior que 10 minutos) foi de 97%. Os resultados obtidos mostraram-se semelhantes aos obtidos em humanos e concluímos que o método é viável para avaliação da eficácia dos anestésicos locais.

Anestésicos locais - Ratos - Eficácia


B0261

EFEITO DA HOMEOPATIA SOBRE PARÂMETROS MORFOLÓGICOS EM ALVÉOLOS DE RATOS IRRADIADOS


Roberta Galetti (Bolsista PIBIC/CNPq), Solange M de Almeida, Sandro Bíscaro, Paulo César Venâncio, Letícia Neri, Júlio C. L. Silva e Prof. Dr. Francisco Carlos Groppo (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo dessa pesquisa será verificar e comparar o efeito radioprotetor de uma formulação homeopática feita com RX com a vitamina E, um conhecido radioprotetor. Serão observados os efeitos destas substâncias sobre a morfologia de alvéolos pós-extração em ratos irradiados com RX. Para tanto, serão utilizados 48 ratos divididos nos seguintes grupos: G1 que receberá NaCl 0,9% (controle - sham) e não receberá radiação; G2 – receberá solução salina; G3 – receberá suspensão de acetato de dl-alfa-tocoferol (vitamina E) em óleo de soja, 40mg/kg/im; G4 – receberá óleo de soja por via im; G5 – receberá a formulação homeopática de raios X dinamizada a 15 CH. Todos os tratamentos serão mantidos por 7 dias. Ao final deste período, os animais serão anestesiados com uma solução de quetamina/xilasina, posicionados no acelerador linear e receberão, com exceção do G1, 15 Gray de radiação X. Os tratamentos serão mantidos por mais 7 dias após a irradiação. Findo este período, os animais serão submetidos à anestesia e à extração do incisivo central superior esquerdo. A mucosa será suturada e os animais receberão dipirona sódica, via ip. Depois de sete e 21 dias após a extração (n = 4 por grupo), os animais serão novamente anestesiados e a cabeça será removida e dissecada (preservando-se a região de incisivos). A peça será submetida à técnica histológica de rotina (inclusão em parafina). Após processamento, serão feitos cortes (6 mm) que serão submetidos à coloração (HE, Picrossirius). Esperamos que a homeopatia seja capaz de proteger o osso neoformado tanto quanto a vitamina E.

Homeopatia - Radiação - Exodontia


B0262

ÍNDICE DE REPRESENTATIVIDADE DENTÁRIA: UMA NOVA PROPOSTA DE SIMPLIFICAÇÃO DO ÍNDICE CPOD


Amanda de Carvalho Ayub Furlan (Bolsista IC CNPq), Stela Marcia Pereira, Antonio Carlos Pereira, Marcelo de Castro Meneghin, Cristiane de Cássia Bergamaschi Motta e Profa. Dra. Gláucia Maria Bovi Ambrosano (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Como alternativas de avaliação da prevalência de cárie, têm sido propostos índices simplificados, no entanto, muitos deles ainda geram discussões. O presente estudo teve como objetivo desenvolver modelos de regressão e avaliar sua validade na estimação do CPOD em escolares de 12 anos, de acordo com os dentes mais afetados pela cárie dentária. O estudo é composto de duas fases. Na primeira fase foi realizado um levantamento epidemiológico, segundo códigos e critérios da OMS (Organização Mundial de Saúde), para obtenção da prevalência de cárie em 940 escolares, de ambos os sexos, distribuídos aleatoriamente em 20 escolas da rede pública da cidade de Piracicaba/SP. Posteriormente, foram construídos Modelos de Regressão para cálculos das prevalências de cárie em dentes índices/grupo de dentes, buscando identificar as que melhor representam a real prevalência da doença, sendo que o Modelo estimará a média do CPOD, a qual será comparada com a média do CPOD observado. Os dentes que apresentaram maior quantidade de cárie, restaurações ou de dentes perdidos foram os primeiros molares permanentes (46, 36, 26 e 16), sendo que os valores encontrados foram 289, 283, 212 e 205, respectivamente. O maior índice de CPOD foi do dente 46 e que representa 30% do total da amostra.

Índice de CPOD - Escolares - Modelos de regressão


B0263

TAMANHO DE AMOSTRA EM ESTUDOS DE RADIOPROTEÇÃO


Maria Gabriela de Castro Lima (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Gláucia Maria Bovi Ambrosano (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Os estudos de radioproteção são amplamente utilizados para a análise de diferentes possibilidades no comportamento da proteção de indivíduos contra os raios ionizantes. A literatura apresenta grande variabilidade em sua padronização, o que acarreta em um coeficiente de variação experimental discrepante. A definição de um tamanho amostral envolve um planejamento, que deve considerar as características particulares do estudo e de fatores que podem influenciar na variabilidade do mesmo para a obtenção de conclusões adequadas dos resultados obtidos. O número de ratos em estudos de radioproteção, a variabilidade entre eles frente ao mesmo tratamento (variabilidade intra-grupos), variabilidade entre os diferentes tratamentos dos grupos (variabilidade inter-grupos) e o número de grupos são fatores importantes na determinação do poder do teste utilizado (Caplan et al., 1999; Hoening et al., 2001). Desta forma, a obtenção de conclusões adequadas e precisas requer um planejamento adequado, através de um delineamento do estudo cuidadoso (Hoening & Heisey, em 2001). Desta maneira, o objetivo do presente estudo será determinar o tamanho da amostra e indicar os fatores que influenciam neste parâmetro para os estudos de radioproteção.

Tamanho de amostra - Radioproteção - Radiologia


B0264

AVALIAÇÃO DO ERRO AMOSTRAL EM ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS DE CÁRIE DENTÁRIA, PUBLICADOS DE 2000 A 2007


Natália Fontanello Furlan (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Gláucia Maria Bovi Ambrosano (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do presente trabalho será avaliar o dimensionamento de amostras em estudos epidemiológicos de cárie dentária, publicados de 2000 a 2007. Serão selecionados artigos em periódicos indexados nas bases de dados Medline, Lilacs e Scielo relativos ao índice CPOD (numero de dentes permanentes cariados, perdidos e obturados), índice CPOS (numero de superfícies de dentes permanentes cariadas, perdidas e obturadas), ceod (numero de dentes decíduos cariados, perdidos e obturados), índice ceos (numero de superfícies de dentes decíduos cariadas, perdidas e obturadas). Serão calculados os erros amostrais de acordo com o delineamento do estudo.

Cárie dentária - Epidemiologia - Amostragem


B0265

ESTUDO CEFALOMÉTRICO EM RADIOGRAFIAS CEFALOMÉTRICAS LATERAIS OBTIDAS COM O POSICIONADOR MANDIBULAR DE SARMENTO


Leonardo Fogaça Coelho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. João Sarmento Pereira Neto (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Foi realizado um estudo cefalométrico em radiografias da cabeça em normal lateral obtidas com o uso de um posicionador mandibular, utilizando uma amostra de vinte e seis indivíduos independentemente da oclusão dentária, com o objetivo de avaliar as grandezas cefalométricas lineares e angulares, conforme o protocolo de cefalometria da área de ortodontia da Fop/Unicamp.O objetivo da presente pesquisa foi de avaliar em telerradiografias da cabeça em norma lateral, obtidas com o uso de dispositivo de posicionamento mandibular para tomadas radiográficas, denominado de “posicionador mandibular de sarmento” (patente no pi0401211-9).A amostra constou em 52 telerradiografias da cabeça em norma lateral dos arquivos de documentação odontológica da área de ortodontia da fop/unicamp, obtidas de forma convencional e com o uso do posicionador mandibular. A seguir foram confeccionados os cefalogramas correspondentes para cada radiografia.A análise estatística realizada através do “teste t” de Student, constatou que não houve diferença significativa, no entanto algumas variáveis apresentaram grande variabilidade (FMA, FMIA, IMPA, Ang.Z e 1.NA) demonstrado pelo elevado desvio-padrão. Portanto, conclui-se que o dispositivo foi efetivo nas tomadas radiográficas principalmente com relação as medidas verticais.

Cefalometria - Erro de posicionamento - Posicionamento mandibular


B0266

AVALIAÇÃO DA RUGOSIDADE DO ESMALTE DENTÁRIO APÓS A MICROABRASÃO SEGUIDA POR DIFERENTES MÉTODOS DE POLIMENTO


Carlos Eduardo dos Santos Bertoldo (Bolsista SAE/UNICAMP), Larissa S.M. Fragoso, Rodrigo S. Alexandre, Débora A. N. L. Lima, Flávio H.B. Aguiar e Prof. Dr. José Roberto Lovadino (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Este estudo in vitro teve como objetivo avaliar a rugosidade do esmalte após microabrasão, seguida de diferentes tipos de polimento. Foram selecionados 60 incisivos bovinos, divididos em 2 grupos (n=30): G1- ácido fosfórico 37% associado a pedra pomes; G2- ácido clorídrico (6,6%) associado a carbureto de silício (Opalustre). Em seguida os dois grupos foram divididos em três subgrupos (n=10): A- Discos de óxido de alumínio de granulação fina e super fina (Sof-lex); B- Pasta diamantada para acabamento de compósitos associada a discos de feltro; C- Pontas siliconadas (Enhance). Foram realizadas leituras da rugosidade antes e após a microabrasão (L1 e L2) e após o polimento (L3). Os resultados foram submetidos à Análise de Variância, seguido do Teste de Tukey (p<0,05). O G1 apresentou maior rugosidade diferindo estatisticamente do G2. L2 diferiu estatisticamente em relação a L1 apresentando maiores valores de rugosidade. Para o G1, as pontas siliconadas diminuíram a rugosidade do esmalte, sendo que os outros sistemas não apresentaram diferenças estatísticas. Para o G2, somente o Sof-lex levou a uma diminuição da rugosidade. Todos os produtos aumentaram a rugosidade do esmalte. No entanto, o Opalustre foi menos abrasivo. A eficácia do sistema de polimento depende do abrasivo utilizado.

Microabrasão - Rugosidade - Esmalte


B0267

INFLUÊNCIA DO TRATAMENTO DE SUPERFÍCIE NA RESISTÊNCIA À TRAÇÃO DA UNIÃO ENTRE A CERÂMICA IPS EMPRESS ESTHETIC E AGENTE CIMENTANTE


Guilherme Bottene Guarda (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo desse estudo foi avaliar a resistência da união à microtração de diferentes formas de cimentação da cerâmica IPS Empress Esthetic. Trinta incisivos bovinos foram embutidos em resina e submetidos ao acabamento com lixas 600. Foram confeccionadas 30 amostras da cerâmica IPS Empress Esthetic (10mm x 8mm x 2 mm), divididas em 6 grupos (n=5): 1 – Excite DSC + Variolink II; 2 – RelyX UNICEM; e, 3 – Adper Prompt + RelyX UNICEM, condicionadas com ácido fluorídrico 10%, por 20 s e grupos 4, 5 e 6 com o mesmo procedimento de cimentação e jateadas com óxido de alumínio 50 µm. Após aplicação do silano, a cerâmica foi unida ao dente de acordo com os grupos 1 a 6 e irradiada por 40s nos quatro lados com LED-UltraLume 5 (1100 mW/cm2). Após 24 horas, as amostras foram seccionadas na Isomet 1000 obtendo palitos com 1mm2 de área e submetidas ao ensaio de microtração na Instron, com velocidade de 0,5mm/min.. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e ao teste de Tukey (5%). A resistência à microtração (MPa) dos grupos foram: 1 (18,87)a, 2 (15,43)a e 3 (14,50)a foram estatisticamente superiores aos grupos 4 (11,34)b, 5 (10,68)b e 6 (10,13)b. Concluiu-se que a superfície das cerâmicas condicionadas com ácido fluorídrico apresentaram valores de resistência à microtração estatisticamente superiores aos grupos jateados com partículas de óxido de alumínio.

Cerâmica - Tratamento de superfície - Cimentos


B0268

INFLUÊNCIA DA PROPORÇÃO BIS-GMA/TEGDMA/BIS-EMA NA ADAPTAÇÃO MARGINAL E RESISTÊNCIA DE UNIÃO DE RESTAURAÇÕES DE RESINAS COMPOSTAS EXPERIMENTAIS


Marcelo Pereira Abrahão Cheohem (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O estudo avaliou a resistência de união (RU) de cimentos resinosos experimentais onde os monômeros Bis-GMA e/ou TEGDMA foram substituídos por Bis-EMA4. Sete misturas foram preparadas nas razões (% em peso) de Bis-GMA/TEGDMA/Bis-EMA4: 50/50/0 (R1), 50/30/20 (R2), 50/10/40 (R3), 50/0/50 (R4), 30/10/60 (R5), 10/10/80 (R6) e 0/0/100 (R7). Canforoquinona (0,4 t%), N,N-dimetil-p-toluidina (0,8 t%) e hidroquinona (0,1 %) foram adicionadas às misturas, e 60% em peso de partículas de vidro de estrôncio silanizadas. Cavidades cônicas (2mm diâmetro maior x 1,5mm diâmetro menor, 2mm de profundidade) com margens em dentina foram confeccionadas em incisivos bovinos. Após aplicação do sistema adesivo Single Bond 2, as cavidades foram restauradas com os materiais experimentais (n=10), e fotoativado por 40s. A RU foi avaliada após 24h pelo teste de push out, e os valores calculados em MPa. Os dados foram submetidos a ANOVA e ao teste de Student-Newman-Keuls (5%). As médias foram R1 (23,4)c, R2 (28,1)bc, R3 (30,4)abc, R4 (31,6)ab, R5 (37,2)a, R6 (33,2)ab, e R7 (33,0)ab. De maneira geral, a substituição de TEGDMA por Bis-EMA4 aumentou os valores de RU em relação aos grupos R1 e R2. A substituição de Bis-GMA não apresentou influência significativa na RU. A substituição de TEGDMA por Bis-EMA4 aumentou os valores de resistência de união à dentina.

Desadaptação marginal - Resina composta - Polimerização


B0269

INFLUÊNCIA DAS DIMENSÕES DE CORPOS-DE-PROVA NO TESTE DE ADESIVIDADE DE CIMENTO ENDODÔNTICO À DENTINA INTRA-RADICULAR


Natália Izaac Alfredo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo deste estudo foi avaliar a influência de diferentes dimensões de corpos-de-prova nos nos testes de cisalhamento por extrusão do cimento endodôntico Sealer 26 unido à dentina intra-radicular, tratada com EDTA a 17%, laser Er:YAG e água destilada. Raízes de 18 caninos humanos tiveram seus canais preparados com broca cônica com altura de 7mm, diâmetro maior de 2,7mm e menor 2mm, e separadas em 3 grupos (n=6) em função do tratamento nas paredes do canal: EDTA – 17%, Laser Er:YAG e água destilada. As raízes tiveram seus canais preenchidos com cimento Sealer 26 e cada raiz cortada perpendicularmente ao longo eixo, de modo a obter 3 cilindros com espessuras de 1mm, 2mm e 4mm, totalizando 54 corpos-de-prova. Os corpos-de-prova foram submetidos ao teste de push-out em máquina de ensaio Instron a velocidade de 1,0mm/min e os dados de tensão submetidos à ANOVA e ao teste de Tukey (5%). Os valores de resistência de cisalhamento por extrusão (MPa) dos corpos-de-prova com 4mm de espessura (7,93) foram estatisticamente superiores aos de 2mm (5,94) e 1mm (3,77), independente do tratamento da dentina. As dimensões dos corpos-de-prova interferiram nos valores de adesividade do cimento endodôntico à dentina intra-radicular, evidenciando relação direta entre as dimensões e os valores de resistência de união.

Cimentos obturadores de canal - Teste de push-out - Adesividade


B0270

ANÁLISES CLÍNICA E HISTOPATOLÓGICA DOS CEMENTOBLASTOMAS BENIGNOS ATENDIDOS NO OROCENTRO DA FOP-UNICAMP


Francesco Salvatore Mannarino (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Márcio Ajudarte Lopes (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O Cementoblastoma benigno é uma lesão rara de origem ectomesenquimal que ocorre nos maxilares em associação às raízes de um dente acometendo, mais comumente, o primeiro molar inferior. Na maioria das vezes trata-se de um achado em radiografia panorâmica de rotina. Pode ser assintomático ou apresentar dor, tendo ou não aumento de volume palpável. Como alteração radiográfica, tem-se uma massa radiopaca fusionada a raiz dentária circundada por um halo radiolúcido. Neste trabalho foi revisado o arquivo do OROCENTRO da FOP-UNICAMP, fazendo o levantamento de cerca de 12.000 prontuários clínicos. Do total, foram selecionados os prontuários de pacientes que apresentaram o diagnóstico clínico-radiográfico confirmado de cementoblastoma benigno, totalizando 24 pacientes. Na sequência foi iniciada a tabulação dos dados dos prontuários. A distribuição por gênero das pessoas afetadas mostrou que houve predominância no gênero feminino, correspondendo a 18 mulheres (75%). Com relação à idade, afetou principalmente adultos com média de 39 anos. A idade variou de 8 a 74 anos. Os pacientes com cor de pele clara foram os mais comuns (13) seguidos por negros (9) e pardos (2).

Cementoblastoma - Tumores odontogênicos - Cementoma


B0271

AVALIAÇÃO DA SENSIBILIDADE ORAL EM CRIANÇAS COM OCLUSÃO NORMAL E MALOCLUSÃO NA DENTIÇÃO MISTA E INÍCIO DA PERMANENTE


Samantha Veronez Gonçalves (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria Beatriz Duarte Gavião (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo deste trabalho é avaliar a sensibilidade oral através do índice de estereognose oral (HOS) em crianças de ambos os sexos, de 8 a 12 anos de idade que apresentam normoclusão ou maloclusão. Serão selecionadas 50 crianças nas fases de dentição mista e início da dentição permanente. A sensibilidade oral será avaliada através do índice de estereognose oral, no qual utilizaremos peças testes que compreenderão 12 formatos de figuras. Os pacientes também serão avaliados quanto ao peso e altura corpórea, e classificados quanto ao padrão facial através de fotometria. Espera-se encontrar diferentes características morfológicas e fisiológicas da função mastigatória nos diversos tipos de oclusão, com a possibilidade de diagnóstico precoce de possíveis alterações, que possibilitarão intervenções precoces, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento harmonioso do sistema mastigatório.

Estereognose - Saliva - Oclusão


B0272

AVALIAÇÃO DE DOIS SISTEMAS DE INJEÇÃO ANESTÉSICA EM ANESTESIA INTRA-SEPTAL – TÉCNICA CAZOE


Natália Leoni Aialla (Bolsista SAE/UNICAMP), Michelle Franz Montan, Vanessa Marin Amaral, José Ranali, Prof. Dr. Francisco Carlos Groppo (Co-orientador) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Equipamentos com velocidade controlada de injeção têm sido desenvolvidos para reduzir a dor da anestesia. Neste estudo, cruzado e duplo-cego, foram comparados 2 sistemas de injeção controlada com o método tradicional– seringa Carpule. Até o momento, dos 30 voluntários propostos, 21 receberam, em 3 sessões, 1,1mL de lidocaína 2% com epinefrina 1:100.000 pela técnica anestésica intraseptal (CAZOE), entre o 1o (1MI) e o 2o (2MI) molares inferiores do lado direito, com seringa Carpule, e os sistemas Morpheus e the Wand, com ordem aleatória. Foram avaliados sucesso, latência e duração da anestesia (estímulo elétrico) no 1MS e 2MS e na gengiva-GEN (pressão da mucosa). A sensibilidade dolorosa da injeção e pós-retorno da anestesia foram avaliadas pela Escala Analógica Visual (EAV). Os resultados foram avaliados pelo teste de Friedman e Chi-quadrado. Resultados [mediana (1-3 quartis)], respectivamente para os sistemas A, B e C: latência (min) 1MI: 5(2,5-7,5), 4(2-6), 2(2-4); 2MI: 2(2-2), 2(2-2), 2(2-4); duração (min) 1MI: 0(0-20), 0(0-10), 10(0-10); 2MI: 20(10-30), 10(0-20), 20(0-30); GEN: 0(0-0), 0(0-18), 0(0-17); sucesso (%): 1MI: 28,6; 28,6; 52,4; 2MI: 77,2; 57,1; 61,9; GEN: 23,8; 33,3; 33,3; EAV–injeção (mm): 9(2-15); 10(2-15); 9(1-19); EAV-pós-injeção (mm): 0(0-5); 0(0-3); 0(0-3). Foi observada diferença entre os sistemas (p<0,05) apenas para a variável sucesso da anestesia, no 1MI. O sistema C levou a maior taxa de sucesso no 1MI.

Anestesia intra-septal - Sistemas de injeção - Anestesia pulpar


B0273

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE ASPIRAÇÃO DE DOIS SISTEMAS DE INJEÇÃO CONTROLADA PARA ANESTESIA LOCAL ODONTOLÓGICA - ESTUDO IN VITRO


Sylvia de Campos Carvalho do A. Gurgel (Bolsista PIBIC/CNPq), Michelle Franz Montan, Prof. Dr. Francisco Carlos Groppo (Co-orientador) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Este estudo in vitro avaliou a capacidade de aspiração de 4 sistemas injetores para anestesia local em Odontologia: seringa Carpule com aspiração, seringa Carpule auto-aspirante e sistemas de injeção controlada Morpheus e The Wand. Os 3 primeiros sistemas foram avaliados com 2 marcas comerciais de agulha longa e 2 de agulha curta, com distintas espessuras de parede; o The Wand foi avaliado com 1 marca de agulha curta. Também foram avaliados tubetes de plástico e de vidro. A avaliação foi feita em um sistema fechado, contendo sangue de boi com EDTA, com pressão controlada, sendo fixada as pressões de 0, 4 e 80mmHg. Foram feitas aspirações a cada terço do tubete.Todas as avaliações foram feitas em triplicata. Os resultados foram avaliados pelo teste Chi-quadrado e aderência. Resultados: De 2103 aspirações, 109 falharam (5,2%). As falhas de aspiração não foram influenciadas pelo tipo de tubete, terço e número de aspirações (p>0,05). A pressão maior resultou em menor falha de aspiração (p<0,05); agulhas curtas 30G levaram a maior falha de aspiração (p<0,05), especialmente para a marca com maior espessura de parede. Dos 3 sistemas comparados com as mesmas agulhas, a ordem do mais eficaz para o menos eficaz foi: seringa com aspiração, Morpheus e seringa auto-aspirante (p<0,05). Conclui-se que o lúmen interno da agulha, o tipo de sistema injetor e a pressão dentro do vaso sangüíneo podem afetar a aspiração.

Aspiração - Sistema de injeção controlada - Seringa Carpule


B0274

EFICÁCIA ANESTÉSICA DA ARTICAÍNA E LIDOCAÍNA EM ANESTESIA INTRA-SEPTAL- TÉCNICA CAZOE COM O DISPOSITIVO DE INJEÇÃO CONTROLADA MORPHEUS


Vanessa Marin Amaral (Bolsista PIBIC/CNPq), Michelle Franz Montan, Natália Leoni Aialla, José Ranali, Prof. Dr. Francisco Carlos Groppo (Co-orientador) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A articaína tem demonstrado maior duração da anestesia em técnica infiltrativa e de bloqueio. Neste estudo, cruzado e duplo-cego, dos 30 voluntários propostos no projeto, 22 receberam, em 2 sessões (intervalo de 1 semana), pelo mesmo operador, a injeção de 1,1mL de lidocaína 2% e articaína 4% (ambas com epinefrina 1:100.000) entre o primeiro (1MI) e o segundo (2MI) molares inferiores do lado direito pela técnica anestésica intraseptal, CAZOE. Foram avaliados sucesso, latência e duração da anestesia pulpar (estímulo elétrico) no 1MS e 2MS e na gengiva–GEN (pressão da mucosa). A sensibilidade dolorosa da injeção e pós-anestesia foram avaliadas pela Escala Analógica Visual (EAV). Os resultados foram comparados pelo teste de Wicoxon pareado e Chi-quadrado. Resultados [mediana (1-3 quartis)], respectivamente para as soluções A e B: latência (min) 1MI: 0(0-2), 1(0-2); 2MI: 2(2-2), 2(0-2); duração (min) 1MI: 0(0-20), 0(0-27,5); 2MI: 20(10-30), 0(0-27,5); GEN: 0(0-0), 0(0-14,8) sucesso (%): 1MI: 31,8; 40,9; 2MI: 77,3; 45,5; GEN: 22,7; 31,8; EAV–injeção (mm): 9,5(5-31); 9,5(3,5-19); EAV-pós-injeção (mm): 0(0-5); 2(0-9,5). Foi observada diferença entre as soluções (p<0,05) apenas para a variável sucesso da anestesia, no 2MI. Na técnica intraseptal (CAZOE) a solução A mostrou taxa de sucesso maior que a solução B no dente mais distal à injeção, no caso o 2MI.

Articaína - Lidocaína - Anestesia intra-septal


B0275

EFEITO DA DESINFECÇÃO POR MICROONDAS NA RESISTÊNCA AO CISAHAMENTO DA UNIÃO DE DIFERENTES MARCAS CMERCIAIS DE DENTES À RESINA ACRÍLICA


Mariana Ramalho Carmignani (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Rafael Leonardo Xediek Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O trabalho verificou o efeito da desinfecção por microondas na resistência ao cisalhamento da união de diferentes dentes comerciais à resina acrílica Clássico. Matrizes retangulares de cera utilidade foram incluídas em mufla metálica com gesso tipo III. Os moldes deixados no gesso pelas matrizes de cera foram preenchidos com silicone. Em cada molde foi incluído um dente molar das marcas Biotone, Trilux e Heratone com um cilindro de cera fixado na base. O conjunto foi recoberto com silicone e a mufla preenchida com gesso tipo III. Cinco corpos-de-prova foram confeccionados em resina Clássico: 1 e 5 – sem tratamento (controle); 2 e 6 – desgaste com broca; 3 e 7 - retenção; e 4 e 8 – aplicação de monômero. Os corpos-de-prova foram polimerizados em água a 74ºC por 9 horas e desincluídos após esfriamento em água. Os corpos-de-prova dos grupos 5, 6, 7 e 8 foram submetidos à desinfecção imersos em 150 mL de água destilada, em forno de microondas, regulado a 650W por 3 minutos. O teste de resistência ao cisalhamento da união dente-resina será efetuado numa máquina Instron com velocidade de 1,0mm/minuto. Os resultados serão submetidos à análise estatística e ao teste compatível para comparação das médias, em nível de α=5% de significância. A fratura será analisada macroscopicamente e classificada em adesiva, mista ou coesiva (em resina ou dente).

Desinfecção por microondas - Cisalhamento - Resinas acrílicas


B0276

INFLUÊNCIA DO JATEAMENTO COM ÓXIDO DE ALUMÍNIO NA RETENÇÃO ENTRE DENTES E RESINAS ACRÍLICAS


Marina Martorano Richter (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Rafael Leonardo Xediek Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O trabalho verificou a resistência da união ao cisalhamento entre as resinas acrílicas Clássico e Onda-Cryl e o dente BioCler GII, sob a influência do jateamento com óxido de alumínio com tamanhos de partículas de 50 e 100 micrometros. Matrizes retangulares de cera utilidade medindo 25mm de comprimento por 20mm de largura foram incluídas na parte inferior de muflas metálicas ou plásticas, com gesso pedra tipo III Herodent. As matrizes de cera foram removidas do gesso de inclusão e o molde resultante preenchido com silicone laboratorial. Sobre o molde foi fixado um dente unido a um bastão de cera, posteriormente recoberto por uma camada de silicone laboratorial. Após demuflagem o conjunto dente-bastão em cera foi removido do silicone e as bases dos dentes condicionadas com jato de óxido de alumínio e recolocados nos moldes. As resinas foram proporcionadas de acordo com as recomendações dos fabricantes e prensadas em prensa hidráulica de bancada. As resinas foram polimerizadas em água a 74ºC por 9 horas ou em forno de microondas e o esfriamento das muflas em bancada. Após demuflagem, os corpos-de-prova serão submetidos ao teste de resistência ao cisalhamento numa máquina Instron 4400. Os resultados serão submetidos à análise de variância e as médias ao teste de Tukey (α=5%). O modo de fratura da união será analisado num estereomicroscópio, com 40x de aumento.

Óxido de alumínio - Retenção de dentes - Resinas acrílicas


B0277

EFEITO DE REPETIDAS DESINFECÇÕES POR MICRONDAS NA RESISTÊNCIA AO CISALHAMENTO DA UNIÃO DE DIFERENTES MARCAS COMERCIAIS DE DENTES À RESINA ACRÍLICA


Tatiane Soave (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Rafael Leonardo Xediek Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O trabalho verificou o efeito de repetidas desinfecções por microondas na resistência ao cisalhamento da união de diferentes dentes comerciais à resina acrílica Clássico. Matrizes retangulares de cera utilidade foram incluídas em mufla metálica com gesso tipo III. Os moldes deixados no gesso pelas matrizes de cera foram preenchidos com silicone. Em cada molde foi incluído um dente molar das marcas Biotone, Trilux e Heratone com um cilindro de cera fixado na base. O conjunto foi recoberto com silicone e a mufla preenchida com gesso tipo III. Cinco corpos-de-prova foram confeccionados em resina Clássico: 1 e 5 – sem tratamento (controle); 2 e 6 – desgaste com broca; 3 e 7 - retenção; e 4 e 8 – aplicação de monômero. Os corpos-de-prova foram polimerizados em água a 74ºC por 9 horas e desincluídos após esfriamento em água. Os corpos-de-prova dos grupos 5, 6, 7 e 8 foram submetidos à desinfecção imersos em 150 mL de água destilada, em forno de microondas, regulado a 650W por 3 minutos. O teste de resistência ao cisalhamento da união dente-resina será efetuado numa máquina Instron com velocidade de 1,0mm/minuto. Os resultados serão submetidos à análise estatística e ao teste compatível para comparação das médias, em nível de α=5% de significância. A fratura será analisada macroscopicamente e classificada em adesiva, mista ou coesiva (em resina ou dente).

Desinfecção - Resistência ao cisalhamento - Resina acrílica


B0278

SUPER-EXPRESSÃO DE SMAD 7 INIBE A TRANSDIFERENCIAÇÃO DE FIBROBLASTOS GENGIVAIS NORMAIS EM MIOFIBROBLASTOS INDUZIDA POR TGF-B1


Patrick Franz Montan (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Della Coletta (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Miofibroblastos são as principais células envolvidas em desordens fibróticas, incluindo os aumentos gengivais de origem fibrótica. Estudos prévios demonstraram que o fator de crescimento transformante-beta1 (TGF-b1) é encontrado em níveis elevados nestes aumentos gengivais e é a principal molecular relacionada à transdiferenciação dos miofibroblastos. O objetivo deste estudo foi determinar se a super-expressão de Smad 7, um inibidor da cascata de ativação de TGF-b1, preveni a transdiferenciação de fibroblastos de gengiva normal (GN) em miofibroblastos induzida por TGF-b1. Para determinar os efeitos da super-expressão de Smad 7, clones celulares específicos de fibroblastos de GN foram estabelecidos através da transfecção estável de plasmídeos contendo a seqüência completa do cDNA humano de Smad 7 ou plasmídeos expressando o gene bacteriano CAT. Após confirmação da super-expressão de Smad 7 por ensaios de RT-PCR e western blot, os clones específicos foram tratados com 10 ng/ml de TGF-b1 por 3 dias. Seguindo o tratamento, a transdiferenciação foi determinada através da identificação do marcador específico de miofibroblastos, a isoforma a da actina de musculatura lisa (a-SMA). Nossos resultados demonstraram que a super-expressão de Smad 7 em fibroblastos de GN inibe a transdiferenciação de miofibroblastos promovida por TGF-b1, sugerindo que a inibição da cascata de ativação de TGF-b1 via super-expressão de Smad 7 pode ser clinicamente efetivo no tratamento de aumentos gengivais de origem fibrótica.

Fibromatose gengival - TGF-b1 - Smad7


B0279

INVESTIGAÇÃO DO NÍVEL DE ANSIEDADE ENTRE ALUNOS DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA


Audrey Steffannie Fogari Fontana (Bolsista SAE/UNICAMP), Ludmila da Silva Tavares Costa, Graziele Presotto Cordeiro e Profa. Dra. Rosana de Fátima Possobon (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Estudos com universitários têm demonstrado que ansiedade entre os estudantes é um fenômeno cada vez mais freqüente. Algumas situações do ambiente acadêmico, tais como proximidade dos exames, prazos para entrega de trabalhos, realização e apresentação de trabalhos, podem ser fontes geradoras de ansiedade para alguns alunos. Este estudo investigou o nível de ansiedade entre alunos do curso de graduação em Odontologia da FOP-Unicamp. Para tanto, 80 alunos de graduação, sendo 20 de cada turma, do primeiro ao quarto ano, foram acompanhados, ao longo de um semestre, em 2 etapas (início e final do semestre), por meio de avaliação psicológica (Inventário de Ansiedade de Beck). Os resultados mostraram níveis diversos de ansiedade entre os alunos, sendo que a maioria apresentou-se com nível de ansiedade mínimo. Porém há mudanças no nível de ansiedade ao longo do semestre, sendo que 26,25% dos alunos mostraram aumento, o que sugere a necessidade de diagnóstico precoce e acompanhamento dos alunos para evitar a instalação de quadros mais graves, o que poderia prejudicar o desempenho acadêmico do aluno.

Ansiedade - Estresse - Graduação


B0280

ESTUDO DAS BANDAS DE HUNTER-SCHREGER COMO PARÂMETRO MÉTODO BIOMÉTRICO DE DIFERENCIAÇÃO ENTRE RAÇA E SEXO EM HUMANOS


Luciana Souto Mofatto (Bolsista PIBIC/CNPq), Vanessa Firmo Ferreira, Liza Lima Ramenzoni e Prof. Dr. Sérgio Roberto Peres Line (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O esmalte dental é considerado o tecido mais mineralizado do corpo. Sua grande consistência inorgânica o torna extremamente resistente e duro ao contrário dos demais tecidos que não conseguem suportar altas temperaturas e extremas condições ambientais. Devido a isto, os dentes têm sido muito usados como fonte de informação para identificação humana na medicina legal (Arbenz, 1980). Este projeto tomou como base de estudo a análise do padrão das bandas de Hunter-Schreger (HSB) que são tidas como peculiaridades do tecido do esmalte, com isso, teve como objetivo avaliar as variações entre as raças caucasianas e orientais, além disso, verificar se há diferença entre o gênero masculino e feminino, nesse novo método de identificação humana (Ramenzoni et al, 2006). Os resultados obtidos mostraram que não houve diferença estatística significante (p>0.05). A comparação entre as HSB dos dentes de diferentes etnias e gêneros demonstrou que todas são diferentes entre si, havendo um baixo grau de similaridade, não permitindo seu uso para identificação étnica ou de gênero. Por outro lado, nossos resultados corroboram para o fato que as HSB podem ser um bom método na identificação individual, devido às suas características singulares em cada indivíduo.

Identificação dental - Sexo - Raça


B0281

AVALIAÇÃO DA DENSIDADE DE POTÊNCIA E DO ESPECTRO DE LUZ DE FOTOATIVADORES USADOS EM CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS


Ana Paula Piovezan Fugolin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Simonides Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O estudo avaliou a densidade de potência e o espectro de luz em consultórios de Piracicaba. A densidade de potência foi calculada com Ophir 10A-V2-SH, acoplado ao microprocessador. No consultório foi avaliada a luz mensurando a densidade de potência e o espectro usando USB 2000. Conforme a ISO/TS:10650, nas regiões entre 400-515nm os comprimentos de onda não devem ser menores que 300mW/cm2 ou maior que 1.000mW/cm2; entre190-400nm não deve exceder 100mW/cm2; acima de 515nm não deve exceder 50mW/cm2. Por meio de cálculo integral da área, os valores de densidade de potência foram obtidos nas regiões do espectro. Os consultórios foram classificados conforme o preço praticado para uma face de restauração de compósito: mínimo de R$50,00 (nível C); de R$50,00 até R$70,00 (nível B); acima de R$70,00 (nível A); consultório de serviço público; e de planos odontológicos. Na região de 400-515nm, o nivel A apresentou 30% de fotoativadores abaixo do mínimo recomendado; o nivel B e clinícas de convênios apresentaram 50%. O nível C registrou 40%, e serviço público mostrou 20%. Na região 190-400nm não foi observado fotoativadores fora da norma em nenhum nível. Para a região acima de 515nm, o nível A mostrou 20% e os níveis B e C 10% dos fotoativadores acima de 50mW/cm2. Em todos os níveis, a densidade de potência dos fotoativadores não estava conforme a ISO.

Fotoativadores - Densidade - Espectro


B0282

AVALIAÇÃO DA FERRAMENTA INVERTING DO SOFTWARE EFILM, PARA O EXAME DE IMAGENS POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE ARTICULAÇÕES TEMPOROMANDIBULARES


Gabriella Lopes de Rezende Barbosa (Bolsista PIBIC/CNPq), Matheus Lima de Oliveira, Danielle Frota Albuquerque e Profa. Dra. Solange Maria de Almeida (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A Articulação Temporomandibular (ATM) constitui um complexo sistema de estruturas intimamente associadas que, juntamente com outros componentes, compõem o sistema estomatognático. O estudo por imagem do movimento mandibular relacionado à anatomia da fossa, eminência articular e disco articular foi possível apenas através dos recursos fornecidos pelos exames de ressonância magnética e seus softwares correspondentes. No software e-film, a ferramenta “inverting” permite que os pixels de baixo valor (escuros) tornem-se de alto valor (claros). No entanto, não se sabe se essa função traz benefícios de diagnóstico para o profissional. Então, este trabalho avaliou a aplicabilidade da ferramenta “invert” do software eFilm Workstation. Sobre 30 imagens de ressonância magnética do disco articular foi confeccionada uma grade milimetrada. Cinco examinadores desenharam em folha de papel quadriculada a imagem do disco observada com e sem o uso da ferramenta “invert” sendo a imagem do disco quantificada pela quantidade de quadrados preenchidos. Os resultados foram submetidos à análise estatística. Valores dos coeficientes de correlação intra-classe apresentaram r>0,05 o que não demonstrou diferença estatisticamente significante entre os grupos.

Ressonância magnética - Articulação temporomandibular - Disco Articular


B0283

AVALIAÇÃO DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR


Jéssica Sandim Espindola Gomes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Solange Maria de Almeida (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Foram analisadas 60 imagens por Ressonância Magnética, pertencentes ao arquivo do Departamento de Radiologia Odontológica da Faculdade de Odontologia de Piracicaba da Universidade Estadual de Campinas (FOP-UNICAMP), bem como a ficha clínica dos indivíduos, com o objetivo de comparar a articulação temporomandibular entre os diferentes sexos. Foram avaliadas: a presença de sinais e sintomas de disfunções temporomandibulares; a posição e função do disco articular e a estrutura óssea da ATM. A amostra incluiu 46 pacientes do sexo feminino e 14 pacientes do sexo masculino. Os resultados mostraram que 58,69% das mulheres e 21,42% dos homens apresentaram sinais e sintomas de disfunções temporomandibulares; o disco articular na posição central foi encontrado na maioria dos pacientes, sendo em 34,78% no sexo feminino e em 71,42% no sexo masculino; quanto à função o disco articular apresentou-se normal em 50% das mulheres e em 71,42% nos homens; não foi encontrada anormalidade óssea na maioria dos pacientes; o côndilo foi encontrado centralizado em 34,78% das mulheres e 71,42% dos homens. Os resultados obtidos estão de acordo com os dados encontrados na literatura.

Articulação temporomandibular - Sexos - Ressonância magnética


B0284

AÇÃO DA RADIAÇÃO X NA MORFOLOGIA DOS ODONTOBLASTOS E NA TAXA DE ERUPÇÃO DENTÁRIA EM RATOS: ESTUDO COM MARCADOR FLUORESCENTE


Roberta Villas Maia (Bolsista PIBIC/CNPq), Letícia Rodrigues Nery, Pedro Duarte Novaes, Frab Norberto Boscolo e Profa. Dra. Solange Maria de Almeida (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do estudo foi avaliar a ação da radiação X sobre os odontoblastos e sobre a taxa de erupção dentária em ratos. Foram utilizados 40 ratos Wistar machos com idade aproximada de 60 dias, os quais foram divididos aleatoriamente em dois grupos: controle e irradiado. A taxa de erupção dos incisivos inferiores de cada animal foi medida com intervalos de 48 horas até o dia do sacrifício. Transcorridos os tempos de 3, 7, 11 e 15 dias após a irradiação, os animais foram sacrificados e suas mandíbulas removidas. Uma hemimandíbula foi descalcificada e incluída em Paraplasty Plus. As amostras foram cortadas em micrótomo obtendo-se secções transversais com espessura de 5µm ao longo eixo do incisivo sendo coradas com hematoxilina e eosina para análise em microscópio de luz tendo como finalidade a avaliação morfológica dos odontoblastos. Como resultado, foi observado que não houve diferença estatisticamente significante na taxa de erupção dentária entre os ratos do grupo irradiado e do grupo controle que foram sacrificados nos intervalos de 3 e 7 dias. Em contrapartida, os animais sacrificados nos tempos de 11 e 15 dias apresentaram diferenças estatisticamente significantes (p<0,05) na taxa de erupção, sendo que os incisivos irradiados tiveram um crescimento menor que os incisivos do grupo controle.

Radiobiologia - Odontoblastos - Erupção dentária


B0285

CAPACIDADE DE PREVISÃO DA IRRUPÇÃO DOS CANINOS, PRIMEIROS E SEGUNDOS PRÉ-MOLARES PERMANENTES, SEGUINDO OS PRECEITOS DA ANÁLISE DE MOYERS


Alexsandra Shizue Iwamoto (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Vânia Célia Vieira de Siqueira (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O presente trabalho objetiva avaliar a capacidade de previsão da irrupção dos caninos e pré-molares permanentes, utilizando a metodologia de Moyers, em que com a soma das larguras mésiodistais dos incisivos inferiores, pode-se obter a predição do diâmetro mésiodistal de caninos e pré-molares permanentes superiores e inferiores não erupcionados; a análise será realizada em 20 modelos inferiores de jovens leucodermas, do sexo feminino aos 9,15 anos em média. Posteriormente, será realizada a análise do perímetro do arco de 20 modelos de gesso dessas mesmas jovens aos 12 anos, verificando se a previsão da irrupção de caninos e pré-molares ocorreu de forma adequada de acordo com Moyers. A análise de dentição mista auxiliará o profissional num diagnóstico precoce, estimando a quantidade de espaço disponível para o correto alinhamento dentário ou na possibilidade de apinhamento; determinando, assim, a necessidade de procedimentos ortodônticos preventivos e/ou interceptivos benéficos.

Análise de Moyers - Dentição mista - Espaço requerido






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   30   31   32   33   34   35   36   37   ...   101


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal