Universidade estadual de campinas



Baixar 4.88 Mb.
Página45/101
Encontro29.11.2017
Tamanho4.88 Mb.
1   ...   41   42   43   44   45   46   47   48   ...   101

Instituto de Química

B0362

PURIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO FRAGMENTO C-TERMINAL DA CHAPERONE HSP90 HUMANA


Danieli Cristina Gonçalves (Bolsista PIBIC/CNPq), Lisandra Marques Gava e Prof. Dr. Carlos Henrique Inácio Ramos (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
As chaperonas são proteínas envolvidas em importantes processos celulares como degradação, transporte, enovelamento e desagregação protéica. A chaperona Hsp90, em conjunto com suas co-chaperonas, exerce importante papel na viabilidade dos organismos. Apresentamos a purificação e caracterização físico-química do fragmento C-terminal da chaperona Hsp90 humana (Ct-Hsp90). Para os ensaios de caracterização foram empregadas técnicas de eletroforese em gel de poliacrilamida, gel filtração analítica, espectropolarimetria de dicroísmo circular (CD), emissão de fluorescência e espalhamento dinâmico de luz (DLS). As metodologias de purificação foram estabelecidas e os ensaios de caracterização estão em fase final, mostrando que a Ct-Hsp90 apresenta estrutura rica em hélice alfa (cerca de 54%) e é termicamente estável até 60 ± 2 °C. Apresenta máximo de fluorescência em 345 ± 1 nm, o que indica a localização do resíduo de triptofano em meio parcialmente exposto ao solvente, raio de Stokes de 3,4 ± 2 nm, e coeficiente de difusão de 6,0 ± 0,5 .10-7 cm2/s. Os resultados obtidos fornecem informações importantes sobre a Hsp90 e podem contribuir para o entendimento da função da proteína.

Enovelamento de proteina - Chaperones moleculares - Interacao proteina-proteina


B0363

SÍNTESE TOTAL DA NOCAÍNA UTILIZANDO COMO ETAPA CHAVE ARILAÇÃO DE HECK


Rafael de Matos Leite (Bolsista FAPESP), Júlio César Pastre e Prof. Dr. Carlos Roque Duarte Correia (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A cocaína é uma droga alcalóide estimulante com alto poder de causar dependência, sendo que o seu uso crônico leva a grande aceleração do envelhecimento e a profundos danos cerebrais irreversíveis, entre outros problemas de saúde. Além das despesas do governo com tratamentos, deve-se levar em consideração o fato de que cerca de 80 % dos crimes e assassinatos tem como origem o mercado de compra e venda dos entorpecentes, assim como outros problemas sociais causados pela dependência de drogas. No organismo, a cocaína age inibindo com potência similar o transporte dos neurotransmissores serotonina (SERT), noraepinefrina (NET) e dopamina (DAT), a qual é largamente conhecido por ser responsável pelos efeitos de reinforço e euforia da cocaína. Inibidores de recaptação monoamínicos vêm sendo estudados por seus efeitos intrínsecos no mecanismo de recompensa cerebral, assim como pelo seu potencial em reduzir o mecanismo de recompensa induzido pela cocaína. Dentre as substâncias desenvolvidas com essa finalidade destaca-se a nocaína. A síntese total da nocaína foi realizada em nosso grupo de pesquisa tendo como etapa chave arilação de Heck da arecolina com sal p-clorofenildiazônio catalisada por paládio. A vantagem dessa proposta é o emprego de sais de diazônio que são mais reativos e baratos, quando comparados aos haletos correspondentes. Visando a síntese das moléculas alvo, fez-se necessário um estudo metodológico das reações envolvidas variando as condições reacionais como temperatura, tempo de reação e equivalentes.

Arilação Heck - Nocaina - Cocaína


B0364

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE NANOPARTÍCULAS POLIMÉRICAS E LIPÍDICAS SÓLIDAS NO ENCAPSULAMENTO DE PEPTIDEO


Leonardo Francisconi Adami (Bolsista FAPESP), Priscyla D. Marcato (Co-orientadora) e Prof. Dr. Nelson Eduardo Durán Caballero (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Este trabalho teve como objetivo preparar e caracterizar nanopartículas poliméricas de alginato/quitosana e lipídicas sólidas de miristato de miristila contendo glutationa (GSH), um tripeptídeo modelo responsável por inibir processos oxidativos, transporte e catalise. As nanopartículas poliméricas foram preparadas por gelificação iônica e as lipídicas sólidas por homogeneização à alta pressão. As nanopartículas foram preparadas com e sem ativo e caracterizadas quanto ao diâmetro e a polidispersidade por espectroscopia de correlação de fótons e quanto à carga superficial por potencial Zeta. A medida de eficiência de encapsulamento foi realizada por espectroscopia no ultravioleta-visível. As partículas poliméricas variaram a carga superficial de -16 a 31 mV e diâmetro de 210 a 422 conforme variação da razão alginato/quitosana. A eficiência máxima de encapsulamento de GSH nas nanopartículas de alginato/quitosana foi de 27%. As nanopartículas lipídicas sólidas apresentaram diâmetro médio de 228 nm, carga superficial de -20 mV. As duas nanopartículas apresentaram estabilidade e reprodutibilidade, demonstrando importância na veiculação de ativos farmacológicos e cosméticos.

Nanoparticulas - Glutationa - Polímeros/lipídios


B0365

SINTESE DE INIBIDORES INOS (“INDUCED NITRIC OXIDE SINTHASE” ) NA SENSIBILIDADE E SINALIZAÇÃO DA INSULINA


Carolina Campos Maloper da Silva (Bolsista IC CNPq), Francisco Paulo dos Santos e Prof. Dr. Roberto Rittner Neto (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A Óxido Nítrico Sintase induzível (iNOS) é uma proteína da via inflamatória relacionada à resistência à insulina, produzindo NO a partir da L-arginina. A inibição farmacológica da iNOS pode ter efeito benéfico nos casos inflamatórios, choque séptico e de Diabetes Mellitus 2(DM2) . Este trabalho descreve a síntese de alguns hidrogenossulfatos de S-X-isotiouréias que serão testados quanto à sua atividade biológica em processos inflamatórios relacionados à DM2. Já foram obtidas e purificadas a S-metilisotiouréia e a S-fenil-etil-isotiouréia, através da reação da tiouréia com o haleto (ou o álcool) correspondente, de procedência comercial, com rendimentos satisfatórios. Após purificação e recristalização, foram identificadas através dos seus espectros de RMN de 1H e de 13C. Os testes de atividade estão em andamento. As tentativas de obtenção do terceiro composto, a L-mentil-isotiouréia, a partir do L-mentol, não deram resultados satisfatórios. Assim, esta foi obtida pela reação geração, in situ, do cloreto de L-mentila, pela reação do álcool com cloreto de tionila, seguida da adição da tiouréia, que está em fase de purificação. Novos compostos estão também sendo preparados. É importante ressaltar que em cada uma das reações, as condições precisaram ser testadas, devido às diferenças de reatividade dos diversos haletos com a tiouréia.

Tiouréia - Diabetes Mellitus - INOS






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   41   42   43   44   45   46   47   48   ...   101


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal