Universidade estadual de campinas



Baixar 4.88 Mb.
Página56/101
Encontro29.11.2017
Tamanho4.88 Mb.
1   ...   52   53   54   55   56   57   58   59   ...   101

O USO DE MICROONDAS EM REAÇÕES DE ACOPLAMENTO DE HECK EMPREGANDO SAIS DE ARENODIAZÔNIO


Luís Eduardo Roberto (Bolsista IC CNPq), Marla Narciso Godoi e Prof. Dr. Carlos Roque Duarte Correia (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Ativação por microondas tem emergido como uma poderosa ferramenta em síntese orgânica acelerando a preparação de uma série de compostos com interesse farmacológico. Reações de Heck tradicional assistidas por microondas têm sido relatadas demonstrando redução significativa nos tempos de reação. Não há relatos na literatura para o emprego de microondas em reações de Heck utilizando arenodiazônios. Sendo assim, neste trabalho, demonstramos pela primeira vez a utilização de microondas em reações de acoplamento de Heck com sais de arenodiazônio, empregando a 3,4-L-desidroprolina como olefina não ativada. A reação de arilação da 3,4-L-desidroprolina com sais de diazônio utilizando aquecimento convencional é um processo eficiente, e permite a funcionalização da posição C-2 do anel da prolina com total régio e estereosseletividade. Porém, em virtude da natureza eletrônica da olefina tais reações apresentam tempos reacionais longos (4-18h), e isto muitas vezes favorece a formação de subprodutos indesejados. As reações de arilação da 3,4-L-desidroprolina assistidas por microondas foram realizadas em sistema fechado com tempos reacionais bem curtos (12min-25min) e em rendimentos que se equiparam aos do método convencional de aquecimento. Observamos que essa diminuição nos tempos reacionais de certa forma inibe a formação de produtos laterais, facilitando a purificação e permitindo uma nova abordagem desta metodologia.

Reação de Heck - Sais de Arenodiazônio - Microondas


E0520

DEGRADAÇÃO DE ESTRADIOL POR FOTOCATÁLISE HETEROGÊNEA UTILIZANDO ELETRODO DE FILME POROSO DE TIO2/WO3 NANOCRISTALINO


Érika Domingos Silva (Bolsista FAPESP), Barbara S. Miranda, Haroldo Gregório de Oliveira, Alana Gonçalves Fernades, Reginaldo da Silva Santos e Profa. Dra. Claudia Longo (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A contaminação da água por hormônios, principalmente estradióis presentes nos contraceptivos orais, tem causado grande preocupação à sociedade. Os hormônios apresentam estabilidade química e resistência à biodegradação, permanecendo no ambiente por longo período e, mesmo em pequena quantidade, apresentam alta toxicidade ao meio ambiente e ao homem. Visando contribuir para solucionar esta questão, este projeto de Iniciação Científica tem como objetivos investigar a degradação de estradiol por fotocatálise heterogênea utilizando eletrodos de filme poroso de TiO2/WO3. O mecanismo de degradação do poluente envolve radicais hidroxila (•OH), espécies com alto poder oxidante, que são formados na superfície do eletrodo sob exposição à irradiação proveniente da luz solar ou artificial. O plano de trabalho inclui investigar a preparação e caracterização do eletrodo de filme poroso de TiO2/WO3 e a oxidação eletroquímica do fármaco em solução aquosa na ausência de irradiação (processo eletroquímico) e sob irradiação luminosa, em condições de fotocatálise heterogênea.

Fotocatálise heterogênea - Eletrodo de TiO2/WO3 - Estradiol


E0521

MODIFICAÇÃO DA SUPERFÍCIE DE SÍLICA GEL COM EPÓXIDO CLORADO SEM A UTILIZAÇÃO DE SOLVENTE: ADSORÇÃO DE ÍONS COBRE (II) E ENERGÉTICA DA INTERAÇÃO METAL-CENTROS BÁSICOS


Adalberto Rodrigues de Brito Piacentini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Claudio Airoldi (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O presente trabalho descreve a modificação da superfície da sílica gel com epicloridrina, cuja estrutura apresenta duas extremidades reativas, através de dois diferentes processos: o homogêneo, com a utilização de um silano comercial nitrogenado e somente a sílica gel suspensa em excesso de epicloridrina. Na etapa subseqüente, ambos os materiais reagiram com etilenodiamina no intuito de obter maior potencial dos sítios básicos de Lewis (átomos de nitrogênio) ancorados na superfície. Os compostos foram caracterizados por infravermelho, RMN de 13C e 29Si, análise elementar e termogravimetria. Os resultados espectroscópicos e análises térmicas revelaram que os compostos foram sintetizados com sucesso e sugerem mecanismo de reação para a abertura do anel epóxido da epicloridrina. Os sólidos foram aplicados na adsorção de íons Cu(II) em meio aquoso e a interação dos átomos de nitrogênio com os íons metálicos Cu(II) foi investigada através da calorimetria. Assim, são obtidos os parâmetros termodinâmicos DH, DG e DS, que fornecem características energéticas dos sistemas em estudo.

Sílica - Epóxido - Calorimetria


E0522

ESTUDO DO EQUILÍBRIO CONFORMACIONAL DO CLORO-SILACICLOEXANO ATRAVÉS DA RMN E CÁLCULOS TEÓRICOS


Amanda Rossetti (Bolsista FAPESP), Francisco P. dos Santos e Prof. Dr. Claudio Francisco Tormena (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A Análise Conformacional abrange dois aspectos: determinação da estrutura molecular e energia relativa de cada confôrmero e encontrar quais forças controlam a estabilidade de uma conformação frente outra, ou seja, por que uma conformação é estável e outra não. O objetivo deste trabalho é estudar o equilíbrio conformacional para o Cloro-Silacicloexano através de RMN e cálculos teóricos. Para isto, o composto foi sintetizado e os espectros de RMN foram obtidos. Todos os cálculos teóricos foram realizados utilizando o programa GAUSSIAN03. Os cálculos de otimização mostraram que o confôrmero axial é 0,8 kcal mol-1 mais estável que o confôrmero equatorial, fornecendo uma população de 79,3% do confôrmero axial. Para tentar explicar esse comportamento conformacional foram feitos cálculos de NBO (Natural Bond Orbital). A análise desses cálculos mostrou que as interações hiperconjugativas exercem um pequeno efeito na estabilidade do confôrmero axial, pois as energias das interações dos dois confôrmeros são semelhantes. Conclui-se que o Cloro-Silacicloexano tem comportamento conformacional inverso ao do Clorocicloexano e que as interações hiperconjugativas não são a principal regra na estabilidade conformacional observada.

Análise conformacional - RMN - Silício


E0523



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   52   53   54   55   56   57   58   59   ...   101


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal