Universidade estadual de campinas



Baixar 4.88 Mb.
Página63/101
Encontro29.11.2017
Tamanho4.88 Mb.
1   ...   59   60   61   62   63   64   65   66   ...   101

CATÁLISE POR TRANSFERÊNCIA DE HIDROGÊNIO EM REDUÇÕES ASSIMÉTRICAS DE CETIMINAS N-SULFONILAS


Cintia Hansen Volpato (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Augusto Rosário Rodrigues (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
As condensações de sulfinilamidas com cetonas são reações de essencial importância em síntese orgânica, pois as cetiminas N-sulfonilas produzidas são versáteis precursores de N-sulfonilaminas quirais, compostos amplamente utilizados na preparação de moléculas biológicas, como aminoácidos. Vários métodos para a preparação de iminas N-sulfonilas têm aparecido na literatura e, recentemente, foi introduzida uma metodologia baseada na condensação de sulfinilamidas com aldeídos e cetonas e posterior oxidação a sulfonas com m-CPBA. Outra fundamental transformação em química biológica é a redução assimétrica de C=O e C=N, responsável pela criação de centros estéreo-específicos em moléculas. Embora significativo progresso tenha sido alcançado na redução catalítica assimétrica de cetonas e olefinas em anos recentes, a redução assimétrica de iminas permanece como um desafio. O projeto propõe a síntese cetiminas N-sulfonilas e suas subseqüentes reduções assimétricas, através da transferência de hidrogênio catalisada por complexos quirais de rutênio, visando a obtenção de aminas quirais. Preparou-se a p-tolilsulfinilamida e estudaram-se diversas alternativas para sua condensação com acetofenona (cetona teste). Segue-se a oxidação com m-CPBA e o estudo de sua redução assimétrica da C=N utilizando os catalizadores organometálicos citados.

Transferencia de hidrogênio - Cetiminas - Catalisador de Noyori


E0550

ESTUDO MECANÍSTICO SOBRE A RESOLUÇÃO CINÉTICA DINÂNICA DA (+-) 3-HIDROXI-4-TIOCROMANONA MEDIADA PELA LEVEDURA TRICHOSPORON CUTANEUM


Livia Martinez Mikhail (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Augusto Rosário Rodrigues (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Foi descrito o preparo do cis-(3S,4S)-tiocromanodiol em elevados excessos enantioméricos (99%) e moderados rendimentos (21-66%), através da desracemização da (±)-3-hidroxi-4-tiocromanona mediada por células em repouso da levedura Trichosporon cutaneum CCT 1903. Com o objetivo de investigar se o mecanismo da reação ocorreu por um processo de resolução cinética dinâmica (rendimento >50% e >99% ee) experimentos nos pHs 6 e 7 com os respectivos enantiômeros puros (R)- e (S)-foram realizados. Os resultados demonstraram que ambos os cis-dióis formados devem ser oxidados para seus respectivos produtos (R)- e (S). Uma vez presentes no meio reacional os enantiômeros (R)- e (S) são novamente reduzidos aos dióis e, como a redução do enantiômero (S) é mais rápida do que a do enantiômero (R), durante as primeiras horas de reação o enantiômero (R) foi observado como produto majoritário. Desta forma, no final da reação, o produto cis-(3S,4S)-diol foi obtido com >99% ee e rendimento moderado. A biorredução é feita colocando-se 50 mg do substrato, 3,0 g de células úmidas, previamente crescidas em meio SDB, e 50 mL de tampão fosfato de potássio nos pHs 6 e 7. A reação é monitorada retirando-se alíquotas analisadas por CG/EM.

(+-) 3-hidroxi4-tiocromanona - Mecanístico - Levedura


E0551

ESTUDO FITOQUÍMICO DAS FOLHAS DE ARRABIDAEA CHICA E AVALIAÇÃO DOS EXTRATOS COMO ANTIMICROBIANO


Nathália Cristina Becker (Bolsista PIBIC/CNPq), Adriana Lopes Schiozer (Co-orientadora) e Prof. Dr. Lauro Euclides Soares Barata (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A Arrabideae chica, ou carajiru, é um arbusto encontrado largamente em toda a América do Sul, especialmente na Amazônia. É utilizada tradicionalmente por tribos indígenas locais para tratamento de doenças da pele, inflamações, leucorréia e também para pinturas faciais e no corpo, devido ao pigmento vermelho existente nas folhas. Tal pigmento é creditado à presença de desoxiantocianidinas, flavonóides responsáveis por colorações vivas em plantas. O projeto visa dar extensão ao estudo fitoquímico das folhas da A. chica dando foco aos extratos já identificados como ativos em atividades antifúngicas e antibacterianas em outro estudo patenteado pelo laboratório. Os mesmos extratos serão enviados para a realização de testes de atividade cicatrizante e anti-câncer. Para a realização da purificação dos extratos serão utilizados métodos cromatográficos como CCD, CCD/P e CLAE.. A caracterização dos extratos será realizada através de métodos físicos de análise CCD, Espectroscopia no Ultravioleta Visível (UV-Vis) e no Infravermelho (IV). Para identificação e análise de pureza serão utilizados métodos de Espectroscopia de Massas (EM), CLAE-DAD (detecção por arranjo de diodos) e a confirmação estrutural será feita por técnica de Ressonência Magnética Nuclear (RMN).

Arrabidaea chica - Antifúngico - Antimicrobiano


E0552

FITOQUÍMICA E AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIINFLAMATÓRIA, CICATRIZANTE E ANTITUMORAL DAS FOLHAS DE ANDIROBA


Rafaela Fernanda Camargo (Bolsista SAE/UNICAMP), Júlio César Teixeira da Silva (Co-orientador) e Prof. Dr. Lauro Euclides Soares Barata (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A andiroba, Carapa guianensis Aublet., é uma planta nativa da região Amazônica e apresenta ampla aplicação na medicina popular, devido à suas ações antiinflamatória, analgésica, cicatrizante, antitumoral, inseticida e microbiana. Essas propriedades farmacológicas foram atribuídas aos tetranortriterpenóides (limonóides), encontrados nas sementes, casca e no óleo extraído das sementes. Nossos estudos mostraram que as folhas de andiroba contêm limonóides, o que até o momento não é registrado pela literatura. Nesse trabalho é feita a comprovação das propriedades antineoplásica e antiinflamatória tópica, além da extração dos componentes das folhas por diferentes métodos e análise dos extratos por CLAE-DAD com auxílio de padrões. O perfil cromatográfico dos extratos indicou a existência de três limonóides nas folhas: 7-desacetoxi-7-oxogedunina, gedunina e 6α-acetoxigedunina em baixas concentrações, o que dificultou o isolamento. Os extratos testados revelaram atividades antiinflamatória tópica e antitumoral in vitro promissoras. A comparação dos cromatogramas com os resultados dos testes indicou que as atividades podem estar relacionadas à existência de outros compostos, como flavonóides, os quais estão sendo isolados e terão suas atividades testadas.

Andiroba - Carapa guianensis - Antitumoral


E0553

DESENVOLVIMENTO DE UM SENSOR AMPEROMÉTRICO PARA NADH A BASE DE NANOTUBOS DE CARBONO


Caio Nakavaki de Oliveira (Bolsista IC CNPq), Phabyanno Rodrigues Lima, Flavio Santos Damos e Prof. Dr. Lauro Tatsuo Kubota (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O interesse na oxidação eletroquímica de b-nicotinamida adenina dinucleotídeo (bNADH) tem crescido acentuadamente como resultado da importância deste processo no desenvolvimento de biosensores amperométricos e, sobretudo na investigação de NADPH oxidase em células. Contudo, a oxidação de bNADH sobre inúmeros materiais eletródicos ocorre em elevados sobrepotenciais de oxidação. Os nanotubos de carbono (NTC) se mostraram importantes neste contexto como material de suporte, reduzindo o sobrepotencial de oxidação do NADH. No presente trabalho as propriedades eletroquímicas da 1,2-naftoquinona (1,2-NQ) adsorvidas em NTC são exploradas com o propósito de se construir um eletrodo modificado para a detecção catalítica do NADH. O eletrodo modificado reduziu significativamente o potencial necessário para a oxidação do mesmo, quando comparado ao eletrodo limpo e modificado apenas com NTC. Foram comparadas as constantes cinéticas obtidas experimentalmente no presente trabalho com valores reportados na literatura para diversos materiais eletródicos aplicados à oxidação catalítica de NADH. Os resultados obtidos mostraram uma boa eficiência do sistema em questão, evidenciando o caráter promissor do filme de NTC/1,2-NQ para oxidação de NADH.

NADH - Biosensor - Nanotubos de carbono


E0554

DESENVOLVIMENTO DE UM BIOSSENSOR DESCARTÁVEL PARA SALICILATO


Daiana Suelen Machado (Bolsista PIBIC/CNPq), Rafaela Fernanda Carvalhal (Co-orientadora) e Prof. Dr. Lauro Tatsuo Kubota (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O desenvolvimento de biossensores comerciais que venham suprir a alta demanda clínica por dispositivos analíticos confiáveis, sensíveis e rápidos resume um dos principais objetivos ainda não alcançados da indústria brasileira voltada a bioeletroanalítica. Neste contexto, busca-se criar um biossensor descartável para salicilato empregando-se eletrodos impressos de ouro. Os dispositivos são impressos no Laboratório de Microfabricação do Laboratório Nacional de Luz Síncroton e preparados no Laboratório LEEDS. Várias configurações foram testadas e, a que forneceu melhores resultado foi à impressão do eletrodo de ouro sobre o polímero a base de poliestireno, com área do eletrodo de trabalho sendo menor que a do eletrodo auxiliar. Avaliaram-se também diferentes composições de impressão, sendo que a de ouro apresentou melhor desempenho. A imobilização da enzima e do cofator no eletrodo impresso possibilita o desenvolvimento do biosssensor para diagnóstico de intoxicação por aspirina de forma rápida e eficiente. Testes preliminares mostraram a manutenção da atividade catalítica da enzima salicilato hidroxilase após a sua imobilização na superfície do eletrodo impresso. Testes subseqüentes irão otimizar e validar o emprego deste biossensor para a análise de salicilato em amostras de interesse clínico.

Biossensor - Eletrodos impressos - Salicilato


E0555

APLICAÇÃO DA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NUCLEAR (RMN) EM ESTUDOS DE ASFALTENOS


Fábio Henrique dos Santos Rodrigues (Bolsista CEPETRO), Prof. Dr. Peter Rudolf Seidl (Co-orientador) e Profa. Dra. Ljubica Tasic (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O advento do petróleo permitiu que inúmeros produtos e substâncias fossem descobertos e sintetizados. Porém, é crescente a necessidade de se otimizar sua exploração, diminuindo perdas.Um dos principais causadores de perdas no processo de refinamento do petróleo são os asfaltenos. Asfaltenos são os principais constituintes do resíduo do processo de destilação do petróleo, e por este motivo, são alvos de estudos para determinação de suas propriedades, e a partir delas, buscar formas de funcionalizá-los ou transformá-los em espécies de maior interesse e aplicabilidade. Têm por característica serem moléculas complexas, pesadas, polares e aromáticas, sólidas, insolúveis em solventes alifáticos e solúveis em solventes aromáticos. Não possuem ponto de fusão, massa molar e estrutura bem definidos, e são constituídos fundamentalmente por carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, enxofre e metais. Nossos estudos visam realizar a caracterização química e estrutural dos asfaltenos dos petróleos brasileiros, utilizando as técnicas de Ressonância Magnética Nuclear(RMN), principalmente técnicas de 1H, 13C (sem NOE), DEPT, além de análise elementar (CHNSO). Esperamos determinar as características e propriedades dos asfaltenos, a fim de permitir um melhor entendimento das suas estruturas.

Asfaltenos - Ressonãncia magnética nuclear - Petróleo


E0556

PURIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO ESPECTROSCÓPICA DA PROTEÍNA XAC0419(15020.1) DA BACTÉRIA XANTHOMONAS AXONOPODIS PV. CITRI


Leandro Henrique de Paula Assis (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Ljubica Tasic (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Xanthomonas axonopodis pv. citri (Xac) é o agente bacteriano causador do cancro cítrico, doença caracterizada por lesões ocasionadas no hospedeiro, sendo patogênica a todas as variedades de citros, gerando prejuízos para a citricultura brasileira. Apesar de se ter pouca informação a respeito dos mecanismos de virulência desta bactéria, acredita-se que chaperones secretórias participem no processo de translocação das proteínas de patogenicidade e virulência pelos sistemas de secreção (tipo III e IV) para a célula hospedeira. Nossos estudos visam confirmar o exposto acima e, para tanto, a proteína XAC0419 (15020.1) - possível chaperone secretória do tipo III - de aproximadamente 10,9 kDa deste fitopatógeno foi estudada. Após a clonagem em pET23a e transformação em cepa de E. coli BL21(DE3)pLysS, a expressão desta foi executada em meio rico (LB) utilizando-se ampicilina e cloranfenicol e indução com isopropil-β-d-tiogalactopiranosida. A XAC0419 foi purificada utilizando-se cromatografia de troca catiônica seguida por cromatografia de exclusão. A sua concentração foi obtida pelo método de Bradford. O Dicroísmo Circular será aplicado na determinação da estrutura secundária e de sua estabilidade. Esperamos determinar melhores condições para análises da estrutura terciária desta proteína, que dependendo de suas características, será conduzida por Ressonância Magnética Nuclear ou Cristalografia de Raios-X.

Chaperone secretória - Purificação de proteínas - Dicroísmo Circular


E0557

ANÁLISE DE CHAPERONES HIPOTÉTICAS DA XANTHOMONAS AXONOPODIS PV.CITRI


Priscila Suemi Aoki (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Ljubica Tasic (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O fitopatógeno Xanthomonas axonopodis pv.citri (Xac) é a bactéria responsável pelo cancro cítrico, uma doença de grande impacto para a citricultura brasileira. O objetivo do nosso estudo é confirmar a expressão de possíveis chaperones envolvidas no processo de translocação de proteínas de patogenicidade pelos sistemas de secreção III e IV da Xac. Para isso, o fitopatógeno foi cultivado em meio enriquecido com extrato diclorometânico de casca de laranja e a expressão das proteínas-alvo, após a lise da Xac, foi acompanhada pela eletroforese (SDS-PAGE em 1D e 2 D) e comparada com o controle (meio LB). As proteínas-alvo com características de chaperones de sistemas secretórios do tipo III e IV, i.e., de 8-23 kDa e pI de 4,5-12,10, foram analisadas por espectrometria de massas (MALDI-Q-Tof) comprovando suas massas e seqüências primárias, aplicando prévia digestão enzimática com tripsina. A análise de extrato de casca por GC-MS antes e após inoculação revelou dados sobre o consumo das moléculas nutrientes durante o crescimento da Xac. A expressão de chaperones na Xac na presença de extrato de casca confirmará seu envolvimento no processo de infecção da planta, o que auxiliará a definir as bases moleculares da doença.

Chaperones - Eletroforese - Espectrometria de massas


E0558

ESTUDOS PARA A PREPARAÇÃO DE AMINAS RAMIFICADAS A PARTIR DE ÁCIDO QUÍMICO


Mariana Fonseca Marinho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O uso de reações ativadas por microondas em síntese orgânica pode apresentar muitas vantagens, sendo que a possibilidade de menor tempo reacional é uma das mais evidentes. Esta metodologia normalmente leva a reações com melhores rendimentos e, uma das causas, é a minimização de processos laterais. O ácido quínico, um ácido carboxílico com esqueleto cicloexânico poliidroxilado, foi transformado em um derivado lactônico, cuja preparação envolvendo catálise ácida está descrita na literatura. A proteção das hidroxilas presentes em C3 e C4 é proposta para diminuir a reatividade do sistema nas primeiras etapas do trabalho, o que, segundo experiência prévia, é mais adequado para os objetivos do projeto. Esta lactona, ao ser tratada com uma amina sob energia de microondas, permitiu a formação de uma amida, o que consolidou a entrada do grupo nitrogenado na estrutura. A partir dessa amida estão sendo efetuadas reações para proteger as hidroxilas em C1 e C5, tornando assim possível a aplicação de reações de Wittig sobre a carbonila da amida.

Ácido quínico - Amidas ramificadas - Reação em microondas


E0559

COMPOSTOS COM ESQUELETOS FURANOFURONAS A PARTIR DE DISSACARÍDIOS: ESTUDO DE METODOLOGIAS SINTÉTICAS


Miguel Tayar Galante (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Compostos com esqueleto furanofurona são estruturas com enorme potencial de atividade biológica. Sabe-se também que substâncias deste tipo que apresentam uma ligação dupla conjugada à carbonila lactônica (furanofurenonas) possuem atividade biológica potencializada. Neste trabalho prevê-se a utilização da lactose, um dissacarídeo de baixo custo e grande abundância natural, assim como de outros carboidratos, como materiais de partida para a síntese de furanofurenonas. As etapas iniciais envolvem a conversão desses carboidratos em gama-lactonas contendo pelo menos um grupo hidroxílico alfa à carbonila, sendo que, usualmente, isto é conseguido por tratamentos em meio básico. Para a preparação da isossacarinolactona, uma das gama-lactonas de interesse em nosso trabalho, a lactose foi submetida à ação de solução aquosa de hidróxido de cálcio. Esta metodologia, já descrita na literatura, se mostrou bastante sensível à qualidade dos reagentes e indicou resultados não reprodutíveis. O isolamento de pequena quantidade do material desejado foi possível após sucessivas etapas de derivatizações. Métodos alternativos foram também aplicados.

Furanofurona - Lactose - Reações em microondas


E0560

ESTUDO DA EVOLUÇÃO PALEOAMBIENTAL DO EXTRATO ORGÂNICO DE FOLHELHOS APTIANO- ALBIANOS DA BACIA DE ARARIPE (CEARÁ)


Nestor Bruno de Avila Soares (Bolsista PIBIC/CNPq), Nestor B. Ávila, Dra. Luzia Koike, Dr. Mario Assine, Ms. Rosane Alves Fontes e Profa. Dra. Luzia Koike (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Os biomarcadores são de grande importância na Geoquímica Orgânica. A sua utilização na exploração do petróleo tem aumentado em importância e aplicabilidade. A composição química, o conteúdo relativo e as variações na estereoquímica de determinados compostos servem como uma espécie de impressão digital, fornecendo informações acerca de sua origem, estágio de evolução térmica e nível de biodegradação. Neste trabalho, 3 amostras de folhelhos, provenientes da Bacia do Araripe, CE, foram estudados a fim de se caracterizar seus marcadores biológicos e sua composição carbônica. As amostras dos extratos orgânicos foram fracionadas através de cromatografia em coluna de sílica-gel em hidrocarbonetos, compostos aromáticos e resinas e asfaltenos. As diferentes frações foram purificadas e caracterizadas via GC/MS e GC/MS/MS, utilizando-se as técnicas TIC-RIC, SIM e MS/MS. Os estudos são feitos através da correlação da análise dos marcadores biológicos da fração neutra com a fração ácida, na qual se considera que a caracterização na abundância da matéria orgânica reflete diretamente nos processos de migração dos hidrocarbonetos, partindo das rochas geradoras. Concluindo, parâmetros obtidos até o presente momento indicam que os extratos orgânicos apresentam um baixo percentual de matéria orgânica e seu querogênio é tido como imaturo.

Geoquímica orgânica - Bacia do Araripe - Folhelhos aptiano-albianos


E0561

ESTUDO DA ESTABILIDADE DE S-NITROSOTIÓIS COM PROPRIEDADES BIOLÓGICAS RELEVANTES


Jaqueline Priscilla Denadai (Bolsista FAPESP), Gabriela Freitas Pereira de Souza (Co-orientadora) e Prof. Dr. Marcelo Ganzarolli de Oliveira (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Neste projeto, analisou-se a estabilidade química da S-nitroso-N-acetilcisteína (SNAC) e S-nitrosoglutationa (GSNO), S-nitrosotiós (RSNOs) caracterizados pela presença da ligação S-NO, doadores de óxido nítrico e que possuem ações biológicas relevantes, promovendo, por exemplo, a aceleração do processo de cicatrização de úlceras crônicas. Uma vez que a relação entre as variáveis que determinam a estabilidade destes RSNOs ainda não está totalmente esclarecida, estudou-se, com base em uma técnica espectrofotométrica, o comportamento dos mesmos em diferentes condições experimentais, investigando-se o efeito do pH e do meio tamponante, dos adjuvantes farmacotécnicos EDTA e cloretos de benzalcônio e benzetônio e a influência de diferentes condições de estocagem, sobre a estabilidade de soluções aquosas dos RSNOs, acondicionadas em temperaturas de 15, 25, 30, 35 e 40ºC, expostas ou não à ação da luz ambiente. Verificou-se que as formulações são fotossensíveis em luz ambiente e que a decomposição térmica no escuro é dependente da concentração das soluções e do pH. Os mecanismos de decomposição térmica, fotoquímica bem como os operantes em condições extremas de pH foram propostos com base nos resultados experimentais.

Óxido Nítrico - S-nitrosotióis - Estabilidade


E0562

ESTUDO IN VITRO DA ELUIÇÃO DE S-NITROSOTIÓIS A PARTIR DE MATRIZES POLIMÉRICAS E CORRELAÇÃO COM SEU EFEITO VASODILATADOR IN VIVO


Marcela Gennari (Bolsista FAPESP), Regiane da Silva (Co-orientadora) e Prof. Dr. Marcelo Ganzarolli de Oliveira (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Este estudo teve por objetivo a caracterização de diferentes formulações de S-nitrosotióis (RSNOs) em matrizes de hidrogel e de filmes poliméricos de PVA em relação à eluição de RSNOs in vitro e ao efeito vasodilatador destas formulações em aplicações tópicas in vivo. Os RSNOs, S-nitrosoglutationa (GSNO) e S-nitroso-N-acetilcisteína (SNAC), são moléculas doadoras de óxido nítrico (NO), e aplicações tópicas levam à vasodilatação local, uma das ações do NO. Para os estudos in vitro utilizaram-se celas de difusão de Franz. Observou-se um maior coeficiente de difusão para a SNAC, que possui menor volume molecular em relação à GSNO. Esses dados foram correlacionados com o efeito vasodilatador de formulações com diferentes concentrações de RSNOs. O estudo foi realizado com voluntários sadios e o projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética do HC/Unicamp. A aplicação dos hidrogéis carregados com RSNO (concentrações de 50-75 mM) e do controle, feita no antebraço dos voluntários em áreas de 0,5 cm2, levou a grandes aumentos dose-dependentes no fluxo sangüíneo local (de 3 a 20 vezes), correlacionados negativamente com os coeficientes de difusão dos RSNOs. A menor duração do efeito da SNAC em relação à GSNO indica que este RSNO é removido do tecido mais rapidamente.

Óxido nítrico - Vasodilatação - Laser Doppler


E0563

COMPÓSITOS DE PHB E ARGILAS


Gustavo Vandromel Rodrigues (Bolsista IC CNPq), Álvaro L. Gomes e Prof. Dr. Maria do Carmo Gonçalves (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O PHB (poli(3-hidróxibutirato)) é um polímero produzido pela bactéria Burkholderia Sacchari, encontrada em solo de plantação de cana. Por ser um polímero sintetizado biologicamente, é bastante cristalino e apresenta características de biodegradação bastante atraentes. Entretanto, sua aplicabilidade é bastante reduzida devido às suas características mecânicas não adequadas, relacionadas à sua alta cristalinidade. Este problema motivou o estudo de compósitos deste polímero com argilas sódica e organofílica (Cloisite sódica e Cloisite 30B), com o objetivo de avaliar o efeito das argilas na cristalização do PHB. Uma série de compósitos contendo 5% (em massa) de argila foi preparada por dois métodos: “casting” e fusão/prensagem. Os materiais obtidos foram analisados por difratometria de raios-x, calorimentria diferencial de varredura e microscopia óptica com luz polarizada. Os resultados das análises mostraram que em compósitos PHB/argila sódica houve intercalação ou total delaminação da argila nos polímero. As análises também indicaram a redução da temperatura de fusão do PHB na presença dos dois tipos de argilas. Entretanto, a argila sódica mostrou maior efeito na cristalização do polímero, o que demonstra que a mesma apresenta interações favoráveis com as cadeias de PHB.

PHB - Argila - Compósitos


E0564

UTILIZAÇÃO DO PET MICRONIZADO COMO AGENTE DE NUCLEAÇÃO PARA POLI[(R)-3-HIDROXIBUTIRATO]


Ariane Cagliari Sarzi e Profa. Dra. Maria Isabel Felisberti (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O objetivo deste projeto é a avaliação do potencial do poli(tereftalato de etileno) micronizado (PETm) como agente de nucleação para o poli[(R)-3-hidroxibutirato], PHB. O PHB é um termoplástico biodegradável, biocompatível, de origem microbiana, produzido a partir de fontes renováveis, com grande potencial de aplicação na área médica. No entanto, suas aplicações podem ser restringidas devido à dureza e à fragilidade, conseqüências da cristalização progressiva. Estudos mostraram que as características mecânicas do PHB melhoraram com a adição de agentes de nucleação. O poli(tereftalato de etileno) (PET) é um polímero que preenche todos os requisitos necessários para atuar como agente de nucleação para o PHB e não afeta a biodegradabilidade do PHB. Neste projeto dispersões de PET micronizado em PHB são preparadas por casting e o material resultante é caracterizado por calorimetria diferencial de varreduras (DSC) e por microscopia ótica. Os resultados mostram que o PETm atua como agente nucleante, diminuindo a temperatura de cristalização do PHB. Entretanto, a temperatura de fusão do PHB não é afetada, indicando que as características dos cristais não são alteradas pela adição do PETm. As dimensões dos esferurilitos de PHB também são afetadas, observando-se uma diminuição expressiva no diâmetro dos esferulitos com a adição do PETm.

Polímeros - Cristalização - Agente de nucleação


E0565

PROPRIEDADES TÉRMICAS, MECÂNICAS E MORFOLÓGICAS DE BLENDAS DE PA6 COM ELASTÔMEROS DE EPICLORIDRINA


Caio Augusto Pinotti (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria Isabel Felisberti (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Através da mistura de polímeros já existentes pode-se criar uma ampla variedade de novos materiais, as blendas poliméricas, com novas propriedades desejáveis, tais como as térmicas, ópticas, mecânicas, de processabilidade e estabilidade à degradação, diferentes das propriedades dos polímeros precursores. Este trabalho visa a preparação e a caracterização térmica e mecânica de blendas de Poliamida 6, PA6, e elastômeros de epicloridrina (Homopolímero - PEPi, copolímero com óxido de etileno - ECO e terpolímero com óxido de etileno e alilglicil éter - GECO) utilizando mistura mecânica em uma extrusora dupla-rosca co-rotacional. A análise do comportamento do módulo de perda, E´´ revela que as blendas apresentam transição vítrea na mesma faixa de temperatura de transição para os materiais precursores, indício de imiscibilidade. A análise do módulo de armazenamento, E`, sugere que as blendas apresentam morfologia típica de domínios elastoméricos dispersos em uma matriz de PA6, o que foi confirmado por microscopia eletrônica de varredura. O módulo de flexão e a resistência à tração para as blendas apresentam uma redução em comparação com a PA6. Por outro lado, a resistência ao impacto aumentou com a incorporação dos elastômeros, tenacificando a PA6.

Blendas poliméricas - Tenacificação de polímeros - Poliamida 6


E0566

BLENDAS DE POLI(METACRILATO DE METILA) E O ELASTÔMERO POLI(ACRILATO-CO-ESTIRENO-CO-ACRILONITRILA) OBTIDOS POR POLIMERIZAÇÃO IN SITU


Daniel Rotella Cocco (Bolsista IC CNPq), Fabiana Pires de Carvalho e Profa. Dra. Maria Isabel Felisberti (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O poli(metacrilato de metila), PMMA, é um termoplástico amplamente utilizado em várias aplicações devido a suas excelentes propriedades, tais como alta transparência e boa resistência a intempéries. No entanto ele é um material rígido e pouco tenaz. Uma forma comumente utilizada para promover a tenacificação de um polímero é através da mistura com um material com alta tenacidade, por exemplo um elastômero, formando assim uma blenda polimérica. Neste trabalho foram preparadas e caracterizadas blendas de PMMA com o elastômero ASA, uma mistura complexa de borracha acrílica com o copolímero poli(acrilonitrila-co-estireno). As blendas foram obtidas por polimerização in situ do metacrilato de metila na presença do ASA, tendo como iniciador o peróxido de benzoíla. A polimerização acorreu a 60 °C por 192 horas. Resultados de análise termogravimétrica mostra que as blendas são termicamente menos estáveis que os componentes isolados e imiscíveis, entretanto, nas imagens obtidas por microscopia eletrônica de varredura não foi possível observar domínios das diferentes fases. Através de ressonância magnética nuclear de 13C pode-se concluir que a fase PMMA da blenda é predominantemente sindiotática.

Blendas - PMMA - ASA


E0567

BLENDAS DE POLI(ETILENO-CO-ÁLCOOL VINÍLICO) E POLIMETACRILATOS: ESTUDO DO COMPORTAMENTO DE FASES


Débora Nisiyama (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Isabel Felisberti (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O objetivo deste trabalho é o estudo do comportamento de fases de blendas de poli(etileno-co-álcool vinílico), EVOH, e polimetacrilatos. Nestas blendas a miscibilidade pode ser induzida pela formação de ligações de hidrogênio entre os polímeros. Como polimetacrilatos foram escolhidos o poli(metacrilato de metila), PMMA, de massa molar média numérica de 115.000 e 15.000 g Mol-1 e o poli(metacrilato de metila-co-vinilfenol), PMMAPh. As blendas de EVOH com foram preparadas por dois caminhos: 1. casting, utilizando dimetilformamida como solvente; 2. co-precipitação utilizando dimetilformamida como solvente e etanol como não-solvente. As blendas foram caracterizadas por calorimetria diferencial de varredura. Os resultados mostraram que as blendas EVOH/PMMA apresentam miscibilidade dependente da massa molar do PMMA, sendo observada somente uma transição vítrea, a temperaturas intermediárias às transições dos componentes puros, para blendas constituídas de PMMA 15.000 g Mol-1. A substituição do PMMA pelo copolímero PMMAPh resultou em blendas miscíveis, que apresentaram somente uma transição vítrea e depressão do ponto de fusão do EVOH.

Blendas - Comportamento de fases - Ligações de hidrogênio


E0568

MEMBRANAS POLIMÉRICAS POROSAS OBTIDAS A PARTIR DE SOLUÇÕES TERNÁRIAS PHB/PDS/CLOROFÓRMIO


Ricardo Neves de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Isabel Felisberti (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O poli(3-hidroxibutirato), PHB, é um poliéster termoplástico de origem microbiana, de baixo custo, produzido a partir de fontes renováveis. Apresenta-se como um forte candidato a substituir os plásticos de origem de petróleo, em aplicações na área médica. Entretanto, a sua alta cristalinidade limita muitas de suas aplicações. Na tentativa de se obter um material com melhores propriedades que o PHB, estudou-se as blendas do polímero com o poli(p-dioxanano), PDS, um poliéster sintético com excelente biodegrabilidade, biocompatibilidade e flexibilidade, porém de custo elevado. Estas blendas apresentaram-se imiscíveis. Entretanto, também apresentaram uma característica interessante e importante para aplicação na área médica, que é a estrutura porosa. Esta estrutura é formada durante a etapa de secagem de soluções ternárias PHB/PDS/CHCl3 para a obtenção das blendas. Neste projeto investigou-se a influência da taxa de secagem das blendas, assim como da composição destas sobre a morfologia (tamanho e distribuição de poros) por microscopia eletrônica de varredura. Os resultados mostraram que a morfologia destas estruturas porosas varia com a composição e com a taxa de secagem das soluções terciárias. Através da colorimetria diferencial de varredura constatou-se que a taxa de secagem das blendas também influencia o grau de cristalinidade e a temperatura de fusão das fases PHB e PDS.

Blendas - Estruturas porosas - Propriedades


E0569

ANÁLISE ESPECTROFOTOMÉTRICA "SPOT TEST" QUANTITATIVA DE DIPIRONA


Adriane Cristina Biondo (Bolsista PIBIC/CNPq), Marta M.D. C. Vila, Leonardo Pezza, Helena Pezza e Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A dipirona (ácido 1-fenil-2,3-dimetil-5-pirazolona-4-metilaminometanossulfônico) é uma substância usada em medicamentos por suas atividades analgésicas e antipiréticas para casos de tratamento de dores agudas e crônicas. A dipirona é considerada o principal analgésico da terapêutica brasileira em função da sua eficiência, custo baixo e fácil acessibilidade por não necessitar de receituário médico para sua aquisição. Entretanto, existe a necessidade de metodologias analíticas mais rápidas e simples, que facilitem a fiscalização da qualidade de medicamentos. Deste modo, o método desenvolvido nesse trabalho tem como principal característica ser simples e de baixo custo para determinação de dipirona. O método consiste na reação entre dipirona e ácido cromotrópico em presença de ácido sulfúrico, catalisada por Fe+3, resultando na formação de uma espécie de coloração violeta. De início é feito um teste qualitativo para observação visual da formação da coloração violeta e, em seqüência, medida espectrofotométrica. Os resultados foram comparados com os obtidos utilizando o método oficial descrito na Farmacopéia Brasileira.

Dipirona - Análise - Spot-test


E0570

DETERMINAÇÃO ESPECTROFOTOMÉTRICA DE METFORMINA


Danilo Mendes Dolazza, Marta M. D. C. Vila e Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O diabetes é uma doença metabólica, caracterizada pela hiperglicemia acarretando doenças cardiovasculares e cérebro-vasculares, cegueira, insuficiência renal e amputações de membros inferiores. O diabetes mellitos tipo 2 (DM2) é o tipo mais comum, correspondendo a 80 - 90% dos casos. A metformina (1,1-dimetil biguanidina) é uma substância empregada no tratamento do DM2, capaz de melhor a ação da insulina no fígado, diminuir a produção hepática da glicose em 10 a 30% e aumentar a captação de glicose no músculo em 15 a 40%. O método oficial de análise da metformina é titulação potenciométrica em meio não aquoso (USP). Visando desenvolvimento de um método simples, de baixo custo e sem emprego de solventes foi proposto um método espectrofotométrico baseado na reação entre metformina e íons cobre II. Inicialmente foram determinadas as melhores condições reacionais obtendo-se: uso de acetato de cobre, comprimento de onda de 705 nm, pH 5,75 com emprego de tampão ácido acético / acetato de sódio e relação molar 1:1 metformina:cobre. A linearidade do método foi observada numa faixa de concentração de 3,0 x 10-4 mol L-1 a 6,0 x 10-4 mol L-1 com limite de detecção 1,3 x 10-5 mol L-1 e limite de quantificação de 3,9 x 10-5 mol L-1. Pelos resultados obtidos, até o momento, o método parece ser promissor na análise de metformina.

Metformina - Espectrofotometria - Determinação


E0571

SISTEMA DE INJEÇÃO EM FLUXO PARA DETERMINAÇÃO DE CETOCONAZOL EM MEDICAMENTOS


Felipe Scatolin (Bolsista IC CNPq), Marta M. D. C. Villa e Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O cetoconazol uma substância com atividade antimicrobiana, podendo ser empregado oralmente ou topicamente, é um derivado imidazólico de fórmula química C26H28Cl2Na4O4 e peso molecular de 531,4 Daltons. A determinação do cetoconazol pode ser realizada empregando-se diversos métodos analíticos como métodos titulométricos, espectrofotométricos e cromatográficos. Entretanto, os métodos espectrofotométricos podem apresentar boa sensibilidade somando, ainda, vantagens como o emprego de aparelhos simples e de baixo custo além de procedimentos de fácil execução. O uso de sistemas de injeção em fluxo (FIA - flow injection analysis) em associação a métodos espectrofotométricos, permite, além disto, a automação dos procedimentos. Deste modo, o objetivo deste trabalho foi o desenvolvimento de um método de análise espectrofotométrica em sistema de injeção em fluxo na determinação de cetoconazol em medicamentos. O método proposto foi fundamentado na formação de um complexo estável entre cetoconazol e ferro (III). Depois de estabelecidas as condições reacionais ideais, o método foi adaptado para sistema de injeção em fluxo.

Cetoconazol - Espectrofotometria - FIA


E0572

DETERMINAÇÃO DE PANTOPRAZOL EM PREPARAÇÕES FARMACÊUTICAS


Rafael Barba Alves dos Santos, Marta M. D. C. Vila e Prof. Dr. Matthieu Tubino (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O pantoprazol (C16H15F2N3O4S) é um derivado benzimidazólico que se enquadra na categoria terapêutica dos supressores de secreção de ácido clorídrico gástrico. É utilizado em tratamento de distúrbios ácido-pépticos como úlcera e refluxo gastroesofágico, sendo a dose terapêutica recomendada entre 20 e 40 mg/dia. O início de sua atividade se dá logo após a administração da primeira dose com efeito máximo cumulativo dentro de 3 dias. Após 3 dias de interrupção da medicação a produção ácida total é restabelecida. Este projeto tem a finalidade de desenvolver um método simples, rápido e de baixo custo como os spot tests. Então foram realizados alguns testes preliminares com o objetivo de observar a complexação envolvendo pantoprazol e os íons Fe(III), Co(II) e Cr(III). Concluiu-se que a reação entre pantoprazol e Fe(III) é a melhor devido à coloração e estabilidade do complexo formado. Portanto tais testes iniciais tornaram perceptível a possibilidade de empregar técnicas espectroscópicas como a reflectância difusa na análise de pantoprazol em preparações farmacêuticas, sendo esta uma etapa que será realizada futuramente.

Pantoprazol - Determinação - Preparações


E0573

INTRODUÇÃO À DINÂMICA MOLECULAR DE ZEÓLITOS


Tatiana Mello da Costa Faro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Munir Salomão Skaf (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Simulação de dinâmica molecular (MD) é uma técnica utilizada para se determinar propriedades termodinâmicas, estruturais e dinâmicas de um sistema mecânico-estatístico atômico-molecular. A técnica consiste em resolver as equações newtonianas de movimento das partículas para gerar sucessivas configurações de um sistema (ensemble) no estado termodinâmico desejado a partir de potenciais de interação entre os átomos (conhecidos como “campos de força”). Neste projeto pretendemos estudar a dinâmica de cátions trocáveis em zeólitos. Nesta primeira etapa, foi realizado um estudo preliminar de íons Al3+ em solução aquosa como parte do processo de familiarização com as técnicas de simulação. Embora o comportamento de íons Al3+ em solução aquosa seja importante em vários contextos (síntese sol-gel, por exemplo), não se encontra na literatura um potencial de interação entre Al3+ e água que seja suficientemente simples para uso efetivo em simulações atomísticas clássicas por MD. Neste trabalho, apresenta-se um estudo por MD um sistema com um íon Al3+ em 500 moléculas de água SPC com o intuito de testar um potencial simples (termo de Lennard-Jones mais potencial de Coulomb) para descrever as interações íon-água. Através das trajetórias obtidas, estudaram-se diversas propriedades dessa solução, como a estrutura das camadas de solvatação do íon Al3+, a difusão e a dinâmica reorientacional do complexo íon-solvente. Obtiveram-se resultados consistentes com medidas experimentais e com métodos computacionais mais sofisticados.

Dinâmica molecular - Zeólitos - Química teórica


E0574

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE NANOPARTÍCULAS POLIMÉRICAS NO ENCAPSULAMENTO DA CATEQUINA COM APLICAÇÕES COSMECÊUTICAS


Márcia Carvalho Marques (Bolsista PIBIC/CNPq), Zaine Teixeira e Prof. Dr. Nelson Eduardo Durán Caballero (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Nanopartículas configuram um sistema carreador de fármacos que apresenta como vantagens a proteção do ativo contra degradação e liberação em seus sítios específicos de ação. Além disso, têm mostrado capacidade de aumentar a biodisponibilidade e permitir uma liberação sustentada do fármaco carreado. As catequinas, principais polifenóis do Chá Verde, apresentam ação antioxidante e, portanto, possuem potenciais aplicações anti-envelhecimento. O objetivo geral deste projeto foi a obtenção e caracterização de nanopartículas de (+)-catequina que apresentassem características adequadas para uso tópico no tratamento e prevenção do fotoenvelhecimento. As nanopartículas foram preparadas pelo método da nanoprecipitação. O conteúdo total de ativo encapsulado foi determinado através de espectroscopia de fluorescência. Os diâmetros médios através de espectroscopia de correlação de fótons e a morfologia através de microscopia de eletrônica de varredura (SEM). Foi determinada a cinética de liberação do ativo (+)-catequina a fim de se observar a efetividade do sistema carreador em proporcionar uma liberação sustentada. Foram obtidas nanopartículas de (+)-catequina com características adequadas quanto à eficiência de encapsulamento, tamanho, homogeneidade, morfologia e cinética de liberação.

Nanopartículas - Catequina - Antioxidante


E0575

NANOTUBOS DE TITANATO: CONTROLE DA COMPOSIÇÃO E MODIFICAÇÃO QUÍMICA VISANDO A OBTENÇÃO DE NANOESTRUTURAS COM ABSORÇÕES ÓPTICAS NA REGIÃO DO ESPECTRO VISÍVEL


Felipe Nascimento (Bolsista PIBIC/CNPq), Odair Pastor Ferreira e Prof. Dr. Oswaldo Luiz Alves (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Nanotubos de óxido de titânio obtidos através de tratamento hidrotérmico de TiO2 e NaOH apresentam paredes múltiplas, do tipo scroll, e possuem estrutura similar àquela encontrada no titanato lamelar bulk (Na2Ti3O7). É bem estabelecido que as propriedades de compostos multicamadas podem ser modificadas através de reação de troca iônica ou de intercalação. Neste trabalho, nanotubos de óxido de titânio foram sintetizados e modificados quimicamente por duas maneiras: através de sucessivas lavagens pós-síntese com água deionizada e soluções de HCl e NaOH; e através de reações de troca iônica com íons H+, Fe3+, Co2+, Ni2+, Ce3+ e Ce4+. Além disso, foi verificada a espontaneidade da formação dos nanotubos à temperatura e pressão ambientes, como também, a realização de testes de síntese em ultra-som e em sistema de refluxo. Os resultados obtidos mostraram que, de acordo com o número e com a natureza das lavagens pós-síntese, a concentração de íons Na+ na região interparedes dos nanotubos é modificada reversivelmente. A estabilidade térmica dos nanotubos mostrou dependência da razão Na+/H+. Além disso, a incorporação de íons metálicos nas nanoestruturas deslocou a forte absorção na região do UV dos nanotubos para a região do espectro visível, o que pode viabilizar a utilização da luz solar como fonte energética de excitação, o que é interessante do ponto de vista de sua aplicação como fotocatalisadores.

Nanotubo de titanato - Troca iônica - Fotocatalisador


E0576

DETERMINAÇÃO DE SOLUBILIDADE DE SURFATANTES ETOXILADOS EM DIÓXIDO DE CARBONO SUPERCRÍTICO


Eduardo Martin Del Campo B. de Almeida (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo de Tarso Vieira e Rosa (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O dióxido de carbono supercrítico tem sido utilizado em diversas aplicações por ser tecnicamente viável para a substituição de solventes orgânicos menos polares. Este fluido é ecologicamente compatível, apresenta boas capacidades de solubilização de compostos apolares e tem boas propriedades de transporte. Porém, grande parte de suas aplicações fica restrita para sistemas hidrofóbicos. O aumento da faixa de aplicação deste solvente pode ser obtido pela utilização de surfatantes. Neste trabalho foram realizadas medidas de solubilidade de polímeros etoxilados em CO2 supercrítico bem como de blocos copolímeros que tenham atividade superficial. Inicialmente utilizou-se poli (óxidos de etileno) e poli (óxidos de propileno) e em seguida blocos copolímeros formados pelos dois polímeros anteriores. Para a realização do projeto foi utilizada uma unidade de medida de solubilidade com uma célula resistente a altas pressões com duas janelas, onde eram visualizadas as solubilizações. Os polímeros eram colocados na célula e em seguida está era pressurizada com CO2 até total solubilização, a pressão era reduzida até a observação de uma névoa, anotando as condições do sistema. Os resultados demonstram que há facilidade na solubilização dos poli (óxidos de propileno) de menor massa molar e dificuldade na solubilização dos poli (óxidos de etileno).

CO2 supercrítico - Surfatante - Solubilidade


E0577

SÍNTESE ESTEREOSSELETIVA DO 2-BENZIL-4-CLORO-3-HIDROXIBUTANOATO DE ETILA


Bruno Ricardo Silva de Paula (Bolsista SAE/UNICAMP), Dávila de Souza Zampieri (Co-orientadora) e Prof. Dr. Paulo José Samenho Moran (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Uma abordagem terapêutica de grande importância no tratamento de pacientes portadores do vírus HIV é a inibição da enzima HIV protease (HIVPR). O objetivo deste trabalho é a síntese enantiosseletiva de intermediários usados na síntese de inibidores de HIVPR, tendo como etapa chave da rota sintética a biorredução de compostos carbonílicos pró-quirais para que se obtenham álcoois com grande excesso enantiomérico. A síntese do composto submetido à biorredução foi feita através de uma condensação entre 4-cloro-3-oxo-butanoato de etila e benzaldeído, obtendo-se o 2-benzilideno-4-cloro-3-oxo-butanoato de etila, com 97% de rendimento. Em seguida, este β-cetoéster foi submetido à biorredução com Saccharomyces cerevisiae, obtendo somente um dos diastereoisômeros da haloidrina 2-benzil-4-cloro-3-hidroxibutanoato de etila, [a]D = -14.

Inibidor de HIV protease - Biotransformação - 4-cloroacetoacetato de etila


E0578

DESENVOLVIMENTO DE MICROCALORÍMETRO ISOTÉRMICO DIFERENCIAL DE CONDUÇÃO DE CALOR DE CELA DE BATELADA E APLICAÇÃO NA DETERMINAÇÃO DA ENTALPIA DE EXCESSO DE MISTURAS BINÁRIAS


Rafael Bergamo Trinca (Bolsista FAPESP), Carlos Eduardo Perles e Prof. Dr. Pedro Luiz Onófrio Volpe (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A calorimetria é uma técnica físico-química capaz de medir o efeito térmico, decorrente de variações de energia e conseqüentemente a variação de entalpia associada a processos químicos, físicos ou bioquímicos que ocorrem no sistema de interesse. O calor não é uma entidade diretamente mensurável, mas pode ser relacionado com propriedades facilmente mensuráveis, como a variação de temperatura do sistema ou trabalho exercido sobre o sistema ou arredores deste. Muitos dos estudos termodinâmicos tem, recentemente, se concentrado em obter dados de equilíbrio de fases, incluindo o comportamento de fases a altas pressões e propriedades críticas de sistemas de interesse industrial. Entretanto, descrições de propriedades termodinâmicas de excesso, tais como volume molar de excesso (VmE), a entalpia de excesso (HE), e a energia livre de Gibbs de excesso (GE), são menos comuns. O calorímetro desenvolvido no projeto apresentou grande sensibilidade sendo possível se trabalhar com volumes da ordem de 100 microlitros, sua eficácia foi comprovada mediante calibração química e aplicação em sistemas binários água+solvente orgânicos como DMSO, dioxano e formamida. Embora ainda sujeito a melhorias, o calorímetro apresenta ótimo desempenho e possui o atrativo de ter um custo de montagem dezenas de vezes inferior as opções disponíveis atualmente para venda.

Calorimetria - Mistura binária - Entalpia


E0579

REAÇÕES DE ACOPLAMENTO C-C UTILIZANDO COMPLEXOS DE PALÁDIO EM FASE HOMOGÊNEA E HETEROGÊNEA


Ítalo Rogério de Jesus (Bolsista PIBIC/CNPq), Sabrina Gracia dos Santos, Cintia Akemi Sato, Vanderlei Inácio De Paula e Profa. Dra. Regina Buffon (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
As reações químicas envolvendo acoplamento entre carbonos são muito importantes para a química orgânica atual, em particular os acoplamentos de Stille, Suzuki, Sonogashira e Heck. Estas reações utilizam alcenos e/ou alcinos halogenados e um organometálico, (no caso de Heck, um alceno) e são catalisadas por complexos de paládio. Os catalisadores de paládio utilizados nestas reações são caros, e sua imobilização é muito importante do ponto de vista econômico. Resultados obtidos para a reação de Sonogashira mostram que um catalisador homogêneo de Pd(OAc)2 e PPh3 à temperatura de 140ºC em 20h apresenta TON de 442. Para um catalisador análogo, em fase heterogênea (obtido por imobilização em sílica Aerosil), obteve-se para a primeira reação, nas mesmas condições, um TON de 375. Na reciclagem do catalisador, o TON diminuiu para 264. Utilizando um catalisador homogêneo de paládio coordenado a um grupo ciclofosfazeno substituído com fosfinas, para a mesma reação o TON foi 600. Estudos análogos estão sendo efetuados para a reação de Stille, Suzuki e Heck.

Paládio - Acoplamento C-C - Catálise


E0580

ESTUDOS POR SAXS DA EFHC1 HUMANA, PROTEÍNA RELACIONADA À EPILEPSIA MIOCLÔNICA JUVENIL


Aline da Costa Lima (Bolsista SAE/UNICAMP e FAPESP), Marcelo J. Murai, André H. Zamboni, Iscia Lopes-Cendes e Prof. Dr. Ricardo Aparicio (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A Epilepsia Mioclônica Juvenil (EMJ), provavelmente a forma mais comum de epilepsia idiopática generalizada, representa entre 7% e 9% de todas as formas de epilepsia. A EMJ é uma síndrome bastante conhecida que se inicia mais freqüentemente entre os 12 e 18 anos de idade e é caracterizada clinicamente por abalos mioclônicos, especialmente durante o despertar, acompanhados de crises tônico-clônicas e/ou crises clônico-tônico-clônicas generalizadas e crises de ausência. O gene EFHC1 (cromossomo 6p12-p11) foi recentemente associado à EMJ, embora os mecanismos pelos quais as mutações neste gene causam esta síndrome permaneçam obscuros. O gene EFHC1 codifica uma proteína cuja função é desconhecida, composta por 640 aminoácidos, sendo três domínios DM10 e um motivo EF-hand de ligação a Ca2+. Neste trabalho, apresentamos uma caracterização estrutural preliminar de uma construção da proteína EFHC1 que contém o terminal carboxi, o último domínio DM10 e o motivo EF-hand. Dados de Espalhamento de Raios X a Baixos Ângulos (SAXS) foram coletados utilizando radiação síncrotron e os principais parâmetros estruturais são apresentados. Estes estudos representam as primeiras informações estruturais obtidas experimentalmente sobre a proteína. Agradecimentos: FAPESP, SAE/Unicamp e LNLS pelo acesso à linha SAXS2

Epilepsia - Proteína EFHC1 - SAXS


E0581

SÍNTESE DE COMPOSTOS COM ATIVIDADE BIOLÓGICA: N-FENILCICLOEXENILSULFONAMIDA E DERIVADOS


Gustavo Rafaini Lloret (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Alvaro Cunha Neto (Co-orientador) e Prof. Dr. Roberto Rittner Neto (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O TNF-a é uma citocina pró-inflamatória, capaz de ativar diversas cascatas de sinalizações, incluindo certos mediadores que atuam como inibidores da insulina, podendo levar a manifestação da diabete do tipo II. Essa citocina é liberada, em grande parte, pela estimulação de receptores do tipo TLR4 presente em células do sistema imunológico. Um novo composto com atividade antiinflamatória foi descoberto recentemente, o (6R)-6-[N-(2-cloro-4-fluorfenil)sulfamoil]cicloex-1-ene-1-carboxilato de etila (TAK-242). Seu mecanismo de ação ainda não é muito claro, porém, sabe-se que sua seletividade é capaz de suprimir a produção de citocina mediada por TLR4. Nosso projeto propôs a síntese do TAK-242 e de compostos com estrutura semelhante, a partir da adaptação de um método já descrito e o estudo de suas atividades biológicas nos processos inflamatórios de diabetes. A síntese do TAK-242, assim como de alguns derivados, foi realizada com sucesso. Os resultados iniciais mostraram que a administração do TAK-242 foi capaz de diminuir a glicemia em camundongos, dando um indicativo de sua atividade inibitória sobre os TLR4 e o aumento da atividade da insulina. Estudos complementares sobre a ação do TAK-242, assim como os estudos referentes aos derivados, vêem sendo realizados no presente período.

Sulfonamidas - Atividade biológica - Síntese


E0582

APLICAÇÕES DO MÉTODO MONTE CARLO QUÂNTICO NO CÁLCULO DE ENERGI|AS E PROPRIEDADES ELETRÔNICAS PARA ESTADOS FUNDAMENTAL E EXCITADOS DE MOLÉCULAS DIATÔMICAS SIMPLES


Gabriel Paiva Sousa (Bolsista PIBIC/CNPq), Leandro de Abreu e Prof. Dr. Rogério Custodio (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Este projeto corresponde a uma avaliação do uso do método Monte Carlo Quântico no estudo da energia de moléculas simples em geometrias fora do equilíbrio, no estado fundamental e em estados excitados de baixa energia. A partir dos resultados obtidos e comparações com resultados da literatura, observa-se uma excelente concordância nos resultados obtidos para a molécula de H2 e LiH no estado fundamental, principalmente levando-se em conta que foram utilizados apenas as função de onda guia da respectiva geometria de equilíbrio para a obtenção de todos os pontos da curva de potencial. A dissociação é correta e o nível de precisão é considerável em relação a métodos tradicionais e mais elaborados de estrutura eletrônica. Os resultados para os estados excitados singlete e triplete sugerem a necessidade de um estudo mais profundo com alternativas de funções de onda. Esta declaração é em caráter mais geral, uma vez que novas funções de onda podem estar associadas a melhores conjuntos de base ou maior número de determinantes ou ao uso de um determinante sem a separação de spins através da teoria de matriz densidade. (CNPq, FAPESP)

Monte Carlo Quântico de Difusã - Estrutura Eletrônica - Curvas de potencial


E0583

DETERMINAÇÃO DE MINERAIS EM SORO DE LEITE COM ESPECTROMETRIA DE EMISSÃO ÓPTICA EM PLASMA DE ARGÔNIO COM ACOPLAMENTO INDUTIVO (ICP OES)


Glauci Atauri (Bolsista SAE/UNICAMP), Greice Trevisan Macarovscha e Profa. Dra. Solange Cadore (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O soro do leite é um subproduto da produção de queijo, que representa 85-95% do volume do leite e retém 55% dos nutrientes. Durante algum tempo esse resíduo era descartado como efluente pelas indústrias de queijo, mas devido ao seu reconhecido valor nutritivo, ele tem sido aplicado em diversas áreas, principalmente na indústria alimentícia. O objetivo deste trabalho é desenvolver um método de análise para determinar a composição de minerais (como Na, K, Mg, Ca, Mn, Fe, Cu, Co, Ni, Cd, Pb e Zn) no soro de leite obtido pelo método de coagulação ácida. Além de se investigar a introdução direta do soro de leite a amostra foi tratada em forno de microondas e em chapa de aquecimento a fim de eliminar a matriz orgânica e, posteriormente, as concentrações dos elementos foram determinadas a partir de duas técnicas analíticas: Emissão Óptica com Plasma Acoplado Indutivamente Espectrometria de Absorção Atômica em Chama. Foram utilizadas amostras certificadas e a técnica de adição e recuperação dos elementos de interesse para validar o método empregado. A introdução direta e a digestão da amostra em forno de microondas mostraram ser os melhores procedimentos para a análise de soro de leite.

Soro de leite - ICP OES - Metais


E0584

DETERMINAÇÃO DE ESPÉCIES METÁLICAS EM NUTRIÇÃO ENTERAL POR ICP OES


Lucila Kimie Motoda (Bolsista PIBIC/CNPq), Greice Trevisan Macarovscha e Profa. Dra. Solange Cadore (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
É importante a avaliação e a determinação da concentração dos elementos considerados essenciais e também os contaminantes nas nutrições enterais, já que alguns pacientes são submetidos a esses tipos de alimentação quase que com exclusividade. Este estudo visa o desenvolvimento de um método para a determinação de espécies metálicas em amostras de nutrições enterais industrializadas, as quais devem estar dentro de um limite estabelecido pela legislação. As amostras de nutrições enterais foram submetidas a uma etapa de preparo (forno de microondas ou chapa de aquecimento) a fim de eliminar a matriz orgânica e, posteriormente, as concentrações dos elementos metálicos foram determinadas a partir de duas técnicas analíticas: ICP-OES (Emissão Óptica com Plasma Acoplado Indutivamente) e FAAS (Espectrometria de Absorção Atômica em Chama), utilizando amostras certificadas e a técnica de adição e recuperação dos elementos de interesse para validar o método empregado. O procedimento que se apresentou mais apropriado para a determinação dessas espécies metálicas foi a digestão da amostra em forno de microondas seguida da análise em ICP-OES, obtendo-se valores mais coerentes com os declarados pelo fabricante.

Nutrição enteral - ICP OES - Metais


E0585

PRÉ-CONCENTRAÇÃO E DETERMINAÇÃO ON-LINE DE ZINCO COM ZINCON USANDO ESPECTROMETRIA DE ABSORÇÃO ATÔMICA


Rafaella Regina Alves Peixoto (Bolsista IC CNPq), Mirian Cristina dos Santos e Profa. Dra. Solange Cadore (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O zinco é um nutriente essencial para o organismo humano, daí a necessidade de sua determinação em amostras de alimentos e bebidas, que representam a maior fonte de zinco da dieta humana. A combinação das técnicas de injeção em fluxo (FI) e espectrometria de absorção atômica com chama (FAAS) com uma etapa de pré-concentração permite a determinação on-line do analito em baixos níveis de concentração. O objetivo deste trabalho é propor um método analítico para a separação de íons zinco em amostras de sucos em baixos níveis de concentração utilizando-se FI-FAAS. Para a pré-concentração do íon zinco utilizou-se uma mini-coluna de vidro preenchida com resina Dowex 1X8 impregnada com o reagente orgânico Zincon, que foi acoplada ao sistema de FI. Foram avaliados a melhor disposição do sistema de FI para a pré-concentração do zinco e os seguintes parâmetros de pré-concentração: solução tampão e pH, tempos de pré-concentração e de eluição, tipo e concentração do eluente, grau de impregnação da resina com Zincon, comprimento da bobina de mistura, entre outros. Utilizando-se o método proposto de FI-FAAS obteve-se significativo aumento nos sinais analíticos do íon zinco quando comparado ao método de FAAS convencional. O método é simples, rápido e possui alta freqüência analítica.

Zinco - Pre-concentração - FAAS


E0586

DETERMINAÇÃO DE MINERAIS EM MEL POR ICP OES APÓS TRATAMENTO DA AMOSTRA


Taise Suéllen de Castro (Bolsista PIBIC/CNPq), Thiago Marcelo Ribeiro Gianeti, Greice Trevisan Macarovascha e Profa. Dra. Solange Cadore (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A composição química do mel de abelhas é, essencialmente, uma mistura complexa de carboidratos, água e minerais. Os constituintes considerados essenciais à dieta humana podem estar presentes no mel em concentrações tais que podem classificá-lo como uma fonte rica ou boa de determinados minerais e a quantificação dos elementos – muitos indesejáveis em determinadas concentrações, por sua suposta toxicidade – além de estarem relacionados à origem geográfica, podem assinalar possíveis contaminações ou poluição ambiental. A determinação das espécies metálicas (Mn, Se, Zn, Cu, Co, Fe, Al, Mo, Mg e Ca, entre outros) constituintes do mel pode ser feita por ICP OES. Porém, devido à complexidade da matriz, é necessário seu tratamento prévio, a fim de decompor a matéria orgânica. A proposta deste trabalho foi tratar as amostras de mel com fotólise oxidativa, empregando um reator construído no próprio laboratório, com a possibilidade de trabalho em diferentes potências, utilizando radiação ultravioleta – lâmpada de mercúrio – cujos parâmetros de potência da lâmpada e tempo de irradiação foram otimizados com base no teor de carbono orgânico remanescente após o tratamento.

Fotolise oxidativa - Mel - ICP OES


E0587

DETERMINAÇÃO DE CONSERVANTES EM COSMÉTICOS, USANDO A CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA


Natalia Cristina Ianni (Bolsista PIBIC/CNPq), Larissa S. Canaes e Profa. Dra. Susanne Rath (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Em uma formulação, cosmética ou não, uma das maiores preocupações é a manutenção da estabilidade física, química e microbiológica do produto, sendo a estabilidade microbiológica garantida pelo uso de diferentes conservantes. Cosméticos como xampus que possuem grande volume de água em sua formulação são mais susceptíveis a contaminação microbiológica e por essa razão faz-se uso de conservantes como ésteres do ácido p–hidróxibenzóico (parabenos) e o Bronopol®. Porém, estudos recentes têm evidenciado que parabenos apresentam propriedades estrogênicas, e dessa forma a segurança do uso dos mesmos tem sido questionada. Além disso, estudos realizados em diferentes países indicam que os teores dos conservantes em cosméticos muitas vezes são superiores aos valores máximos estabelecidos pelos órgãos regulatórios e/ou diferem das informações contidas no rótulo do produto em questão. O objetivo deste trabalho foi desenvolver e validar um método, utilizando a cromatografia líquida de alta eficiência associada a um detetor de arranjo de diodos para a determinação de conservantes como Bronopol® e parabenos em xampus de uso adulto e infantil e verificar se a concentração desses conservantes está em conformidade com a legislação vigente e com o informado no rótulo.

Cosméticos - Cromatografia - Conservantes


E0588

DETERMINAÇÃO DE TETRACICLINAS EM FORMULAÇÕES FARMACÊUTICAS POR CROMATOGRAFIA LÍQUIDA DE ALTA EFICIÊNCIA


Patrícia Ferri da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP), Jonas Augusto Rizzato Paschoal e Profa. Dra. Susanne Rath (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
As tetraciclinas são agentes antimicrobianos de amplo espectro de ação, empregadas tanto na medicina humana como na veterinária, disponíveis sob diferentes formulações. Neste trabalho o objetivo foi desenvolver e a validar um método analítico para a determinação de tetraciclina em medicamentos, empregando, para tanto, a cromatografia líquida de alta eficiência associada a detector de arranjos de diodos (DAD) e a oxitetraciclina como padrão interno. A separação cromatográfica foi realizada mediante uso de fase estacionária híbrida XTerra® RP8 (250 x 4,6 mm, 5 mm) e fase móvel composta por solução de ácido oxálico 0,010 mol L-1, pH 4: metanol 70:30 v/v, com eluição isocrática. As condições cromatográficas foram otimizadas para atender os parâmetros de conformidade do sistema. Para a validação do método desenvolvido, foram avaliados os parâmetros: seletividade, faixa linear de trabalho, linearidade, sensibilidade, precisão, exatidão, detectabilidade e limite de quantificação. O método foi aplicado na análise de três amostras de formulações farmacêuticas comerciais à base de tetraciclina. Os resultados evidenciaram que as amostras analisadas estão em conformidade com o teor do princípio ativo especificado no rótulo.

Fármacos - Validação - Cromatografia


E0589

PREPARAÇÃO E PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS DE UM SURFATANTE CATANIÔNICO CONTENDO DODECILSULFATO E ÓXIDO DE DODECILAMINÔNIO


Márcio Henrique Nogueira Navega (Bolsista PIBIC/CNPq), André L. C. da Silva e Prof. Dr. Watson Loh (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
As soluções aquosas de óxidos de amina e tensoativos aniônicos apresentam forte interação, que é explorada em suas aplicações, em especial para produtos de limpeza. Estas misturas apresentam forte desvio do modelo ideal com valores bastante negativos de parâmetros b. Estes valores negativos indicam redução das atividades de ambos os surfatantes na solução aquosa, porém sem redução significativa das propriedades de superfície da mistura. Do ponto de vista prático estas sinergias são aproveitadas para obtenção de formulações com destacadas propriedades tensoativas (espuma, detergência, etc), e redução significativa do potencial de irritação da pele, relacionado à atividade de tensoativos monoméricos em solução.Em soluções aquosas as espécies protonadas do óxidos de aminas alifáticas podem ser geradas pela sua hidrolise ou pela adição de compostos ácidos. Os compostos catiônicos gerados associam-se com os tensoativos aniônicos e podem gerar compostos de associação do tipo cataniônicos de alta estabilidade. A motivação para este trabalho decorre em isolar o composto cataniônico do óxido de dodecildimetilamina e dodecilsulfato de sódio, e estudar suas propriedades visando correlacionar com as observações de aplicação.

Surfatante cataniônico - Dodecilsulfato - Óxido de dodecilamina


E0590

SILICA ORGANOFUNCIONALIZADA COM O GRUPO N-PROPILMERCAPTANA. PREPARAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E APLICAÇÕES


Viva Rocha Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq), Leliz Ticona Arenas e Prof. Dr. Yoshitaka Gushikem (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O processo sol-gel consiste na transição de um sistema líquido que contém dispersa uma fase sólida finamente dividida, “sol” para uma fase reticulada que retém as moléculas de solvente “gel”. O (3-mercaptopropil)trimetoxisilano (3-MPTS) é uma molécula orgânica composta por um grupo tiólico (-SH), concebido para reagir com metais pesados, e pelo grupo -Si(OCH3)3 conhecido por sua habilidade de enxertia sobre superfícies contendo os grupos silanois Si-OH. Assim, através do método sol-gel, espera-se que os grupos organofuncionais do 3-MPTS se liguem covalentemente à superfície da sílica, obtida pela pré hidrólise do tetraetillortosilicato. Devido à capacidade do material obtido de reagir com metais(presença de grupos S-H nas extremidades da matriz) foi estudada sua capacidade de adsorção de cobre e cádmio, visando à remoção destes do meio ambiente. Para isso, 100mg da matriz foi dispersa em soluções de diferentes concentrações de cádmio e cobre, mantidas por agitação durante 3 horas. Após o equilibrio, as soluçãões sobrenadantes foram analisadas através da titulação com solução de EDTA padrão. Após este processo construiu-se as respectivas isotermas de adsorção para determinar o limite de detecção do material para ambos os metais.

Silica - N-propilmercaptana - Adorção de metais











Compartilhe com seus amigos:
1   ...   59   60   61   62   63   64   65   66   ...   101


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal