Universidade estadual de campinas



Baixar 4.88 Mb.
Página65/101
Encontro29.11.2017
Tamanho4.88 Mb.
1   ...   61   62   63   64   65   66   67   68   ...   101

Faculdade de Educação

H0600

A RELAÇÃO DIALÓGICA ENTRE PRÁTICA DOCENTE E PESQUISA: A REFLEXÃO DO PROFESSOR SOBRE A TRANSFORMAÇÃO DE SUA PRÁTICA


Elaine Cristina de Andrade Barbosa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Ana Maria Falcão de Aragão Sadalla (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A prática reflexiva inicia-se na análise do cotidiano, a partir de inquietações e questionamentos sobre o processo de ensino-aprendizagem que o professor toma como relevantes para a busca de interpretação de sua prática. O professor-pesquisador é, portanto, aquele que assume uma postura reflexiva diante de sua prática, e que busca fundamentação teórica a fim de interpretá-la e modificá-la. É aquele que vê no diálogo entre pesquisa e prática a possibilidade de transformar ambas, em vista de melhorar tanto a prática docente quanto sua própria prática de pesquisa. Tendo em vista as concepções de professor-pesquisador comprometido com sua práxis na direção de transformar a ação educativa em ação emancipatória e autônoma dentro da perspectiva de uma pesquisa-ação também comprometida com a melhora da prática educativa proposta por seus próprios agentes, definiu-se como objetivo do trabalho apresentado compreender se e como a pesquisa realizada pelo professor, na escola, transforma sua prática cotidiana. Para a satisfação deste objetivo, foram entrevistados professores de ensino fundamental de uma escola pública municipal que participam de um projeto em parceria com a universidade. Em seguida, serão realizadas entrevistas recorrentes e, ao final, os dados serão analisados a partir da Análise de Conteúdo.

Professor-pesquisador - Prática docente - Pesquisa


H0601

PARCERIA UNIVERSIDADE-ESCOLA E PSICOLOGIA: O QUE PENSAM OS PROFESSORES-PESQUISADORES


Patrícia Fernandes da Cruz (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Ana Maria Falcão de Aragão Sadalla (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Em 2003, iniciou-se um trabalho de parceria entre universidade e escola públicas de Campinas. Esta parceria insere-se num modelo alternativo de pesquisa educacional nomeado de pesquisa-ação, que contribui para desfazer a barreira existente entre pesquisadores acadêmicos e professores relativa à produção de conhecimentos na escola, proporcionando a participação ativa dos profissionais de ensino em todos os passos da pesquisa.Entende-se que, neste contexto, a Psicologia pode ser uma ciência que ajude a promover melhor entendimento sobre o fenômeno educativo por parte dos agentes escolares e contribuir para sua atuação mais intencional. O estudo ora apresentado tem como objetivo analisar e descrever a parceria entre universidade e escola públicas, bem como a contribuição da Psicologia para a constituição desta, na visão dos professores-pesquisadores participantes. A coleta de dados será realizada em 3 etapas: entrevistas semi-estruturadas; análise da produção escrita de 10 professores participantes de tal parceria, nos anos de 2005, 2006 e 2007; e entrevistas recorrentes, buscando construir conhecimento sobre o fenômeno pesquisado, ocorrendo a interação entre pesquisador e participante até as possibilidades de contribuição a este fenômeno sejam diminuídas. Para análise dos dados, será empregado o paradigma indiciário, modelo que possibilita remontar informações significativas que possibilitem construir uma realidade complexa, formulando assim, hipóteses explicativas desta.

Parceria universidade-escola - Reflexividade docente - Psicologia e educação


H0602

ESCOLA PÚBLICA E PRIVADA: COMO SE ENSINA MATEMÁTICA?


Carolina Nozella Gama (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Ana Maria Fonseca de Almeida (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Esta pesquisa, desenvolvida numa escola pública, que atende alunos oriundos de famílias com poucas credenciais escolares e poucos recursos econômicos, e numa escola privada, que atende alunos oriundos de famílias com altas credenciais escolares e médios recursos econômicos, teve por objetivo (i) examinar os processos de ensino de matemática desenvolvidos nesses dois ambientes; (ii) identificar as características sociais dos alunos, suas famílias e seus professores; (iii) relacionar (i) e (ii) com o objetivo de contribuir para a compreensão das desigualdades de desempenho escolar entre essas duas escolas. Foram realizadas observações in loco das práticas pedagógicas desenvolvidas em uma classe de quarto ano de cada escola e entrevistas com as professoras responsáveis por elas. Além disto, foi estudado o projeto pedagógico das escolas, os planos de curso elaborados pelas professoras e uma seleção de produções dos alunos. A pesquisa mostrou uma diferença de modos de ensinar nas duas escolas que parece estar relacionada principalmente às diferenças nas condições de trabalho de cada professor. É possível também que uma parte desta diferença possa ser atribuída às variações na maneira como o destino social dos grupos de alunos é percebido em cada ambiente escolar.

Ensino de matemática - Educação e desigualdade - Escola pública e privada


H0603

DIFERENÇAS SOCIAIS E PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA ESCOLA


Marília Bárbara Fernandes G. Moschkovich (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Ana Maria Fonseca de Almeida (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Esta pesquisa foi desenvolvida sobre duas escolas, uma que atende famílias de classe trabalhadora e uma que atende famílias de classe média, buscando aprofundar o debate sobre a “segmentação” do sistema de ensino no Brasil, ou seja, como um determinado conteúdo normatizado por leis gerais é tratado em diferentes escolas, de acordo com o público das mesmas. Embora o currículo seja o mesmo, há diferenças na forma prática de trabalhá-lo. O ensino da leitura e da escrita é um bom objeto para se estudar essas diferenças, já que essas competências têm sido ao longo da história divisores fundamentais no acesso de indivíduos a oportunidades (um exemplo disso são os concursos vestibulares). Foram realizadas observações das práticas pedagógicas desenvolvidas em uma classe de quarta série de cada escola e entrevistas com as professoras responsáveis por elas, além de estudo dos respectivos projetos pedagógicos, planos de curso e uma seleção de produções dos alunos. As diferenças encontradas entre o trabalho nas diferentes escolas parece estar relacionada principalmente às diferenças nas condições de trabalho de cada professor e às variações na maneira como o destino social dos alunos é percebido em cada ambiente escolar. Em cada uma das escolas, também se observou variação entre os diferentes gêneros (masculino/feminino) dos alunos. Pôde-se ver que as diferenças são fundamentais na geração de uma desigualdade no processo de internalização e domínio das competências em língua portuguesa e, como conseqüência, no acesso a oportunidades.

Letramento - Segmentação do sistema ensino - Diferenças sociais


H0604

UM ESTUDO SOBRE A FORMAÇÃO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA NOS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE PEDAGOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO


Fabio Dieusis Batista (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Anna Regina Lanner de Moura (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Esta pesquisa pretendeu descrever e analisar as características, fundamentos e tendências da formação para o ensino de matemática nos cursos oficiais de pedagogia do Estado de São Paulo. Para tanto, fez um levantamento da totalidade dos cursos de pedagogia do estado e das finalidades e características de suas instituições; descreveu a ocorrência, nos currículos, das disciplinas que indicam a formação para o ensino de matemática; analisou os objetivos e abordagens desta formação expressas nas ementas, de 10 cursos. Usou-se como fonte dos dados o site do MEC-Ministério de Educação. A análise dos dados obtidos teve por referência as diretrizes curriculares para os cursos de pedagogia, as propostas curriculares nacionais para o ensino fundamental de matemática e a literatura sobre a formação inicial do professor de matemática. Como resultados, caracterizou-se os aspectos administrativos e finalidades de 250 instituições que administram 382 cursos de pedagogia, todos registrados no MEC; foram encontrados 198 currículos que indicam disciplinas de formação para o ensino de matemática; verificou-se que a maioria das ementas analisadas, incluindo nestas as referentes à Estatística, descrevem uma lista de conteúdos a serem tratados na disciplina, sendo que algumas delas tratam, também, de aspectos teórico-metodológicos de ensino. Os resultados desta pesquisa poderão contribuir para estudos sobre a inserção das disciplinas específicas, no caso, a matemática, nos currículos de pedagogia.

Formação inicial - Ensino de Matemática - Currículo de Pedagogia


H0605

A CULTURA E A PERCEPÇÃO PÚBLICA DA CIÊNCIA


Bryan Felix da Silva de Moraes (Bolsista SAE/UNICAMP), João Calis Neto e Prof. Dr. Antonio Carlos Rodrigues de Amorim (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O projeto “Biotecnologias de Rua”, iniciativa desenvolvida pelo Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo da Unicamp (Labjor) busca, por meio de exposições publicas e páginas  na Internet, divulgar e ao mesmo tempo abrir espaço para o debate publico acerca da ciência e desenvolvimento tecnológico. Tais divulgações e apresentações são permeadas por uma maneira peculiar de expor o tema, utilizando-se, sobretudo, de intervenções artísticas. Tais intervenções sociais tem um foco real: quais as percepções publicas da ciência na sociedade contemporânea? Como os diferentes sujeitos sociais percebem a ciência e, em especial, as chamadas biotecnologias? Nosso trabalho segue no sentido de apontar como a ciência é percebida sob o prisma dos valores morais da sociedade contemporânea, mediante às exposições feitas pelo projeto “Biotecnologias de rua” . Trata-se de entender o que o público pensa acerca da ciência no que diz respeito ás suas intenções, seus avanços e suas relações com tais valores sócio-culturais a partir de dados escritos de visitantes das exposições feitas pelo projeto “Biotecnologias de rua”. Pretende-se, portanto, com este trabalho demonstrar como as exposições publicas acerca da ciência são importantes para captar a maneira como esta mesma ciência é vista socialmente.

Percepção pública - Biotecnologias - Cultura


H0606

A CONSTRUÇÃO DA RELAÇÃO SUJEITO-IMAGEM DENTRO DO DISCURSO DAS BIOTECNOLOGIAS


Harley Fabiano das Neves Toniette (Bolsista ITI/PCI/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Rodrigues de Amorim (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A contemporaneidade e as novas concepções da participação no espaço-mundo mudam, a cada instante, o modo como os sujeitos interagem com aquilo que recebem do meio. A todo o momento, novas informações surgem e transformam em passado o que a pouco mais de alguns dias ou horas era a revelação que mudaria os destinos da humanidade. O fluxo veloz da produção de novas tecnologias e conceitos torna cada vez mais instável a possibilidade de se formular opiniões embasadas nos moldes da imagem de “mundo real“ e “mundo imaginário” presentes na vida dos sujeitos já que, no romper do antigo paradigma e na institucionalização do novo, uma nova forma de ver, ler e sentir o mundo surge em meio aos escombros do velho. E como nasce então essa nova forma? De que maneira ela emerge? Como os sujeitos constroem suas relações sujeito-imagem a partir desse mosaico tecnológico? Através da análise dos dados colhidos na exposição “bem me quer, mal me quer. Ciência e contemporaneidade”, realizada entre os meses de dezembro de 2007 e março de 2008 no Museu da Imagem e do Som/MIS Campinas, buscou-se avaliar e identificar em que moldes se estruturam essas percepções, além do caráter que assumem no meio em que se concretizam.

Bioteconlogias - Ciência - Percepção pública


H0607

PROGRAMA BIOTA/FAPESP: NOVAS ABORDAGENS PARA O CURRÍCULO/ENSINO DE BIOLOGIA


Marcelo Ananias (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Rodrigues de Amorim (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Alguns projetos do Programa Biota/Fapesp, que compõem o conjunto de produções discursivas da pesquisa à qual este texto se associa, ao produzir sentidos para natureza, homem, cultura e ciência, são um campo de forte interesse para pensar a educação em Biologia, também porque produzem pensamentos que, com grande rapidez, se adequam às lógicas de estabilidade, seleção de conteúdos e relações de poder que são históricas no currículo do ensino de Biologia no Brasil. Neste trabalho, com a finalidade de romper com esta estabilidade, procuram-se relações entre currículo e imagens de natureza produzidas por pesquisadores de diferentes projetos do Programa Biota/Fapesp e/ou divulgados em materiais impressos, áudio-visuais e publicados na Internet, em que se abordam relações entre biodiversidade e políticas públicas; sustentabilidade e conservação; bioprospecção e mercadoria. Como passo inicial desta pesquisa, a Exposição Fotográfica – Biota – Biodiversidade do Estado de São Paulo – Cores e Sombras foi trabalhada com estudantes do ensino médio de rede pública estadual com o intuito de analisar as representações culturais que participam de jogos de significação de natureza em situações de aula.

Biota - Ensino - Biologia


H0608

ANÁLISE DAS REPRESENTAÇÕES CULTURAIS E DOS SIGNIFICADOS DA BIODIVERIDADE A PARTIR DE IMAGENS DO PROGRAMA BIOTA-FAPESP


Mário Ferreira Neto (Bolsista FAPESP), Marcelo Ananias e Prof. Dr. Antonio Carlos Rodrigues de Amorim (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O conjunto de produções discursivas provenientes da pesquisa de alguns projetos do Programa BIOTA-FAPESP permitem criar sentidos e ressignificações para natureza, homem, cultura e ciência, formando um campo de forte interesse para pensar a educação em biologia. Esses discursos originam, reforçam ou refutam pensamentos e rapidamente se adequam e se inserem, às vezes sem dispor de acúmulo de discussão, às lógicas de estabilidade, seleção de conteúdos e relações de poder que são históricas no currículo do ensino de biologia no Brasil. Neste trabalho, com a finalidade de romper com esta estabilidade, procuram-se relações entre currículo e imagens de natureza produzidas por pesquisadores de diferentes projetos do Programa BIOTA-FAPESP e/ou divulgados em materiais impressos, áudio-visuais e publicados na Internet, em que se abordam relações entre biodiversidade e políticas públicas; sustentabilidade e conservação; bioprospecção e mercadoria. A pesquisa desenvolve-se com estudantes do ensino médio e visa analisar as representações culturais que participam de jogos de significação de natureza em situações de aula.

Biodiversidade - Educação - Políticas públicas


H0609

PROFESSORES NA FEBEM: CONDIÇÕES E RELAÇÕES DE TRABALHO


Andréa Souza Marzochi (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Aparecida Neri de Souza (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A Fundação Estadual do Bem Estar do Menor (FEBEM), atual Fundação CASA, desenvolve programa sócio - educativo para crianças e adolescentes com privação de liberdade. Aos internos que cumprem penas e internação provisória as aulas são ministradas dentro da instituição por professores das escolas estaduais transferidos para trabalhar na FEBEM. O trabalho destes professores, as trajetórias de formação, as trajetórias profissionais, as representações que constroem, as relações e condições de seu trabalho são questões estudadas pela pesquisa com o objetivo de compreender por que e o que significa trabalhar nesta instituição. Tendo como referencial teórico o campo da sociologia do trabalho e da educação, a pesquisa trabalha com documentação e depoimentos orais de professores de uma unidade educacional da atual Fundação CASA. A coleta de dados na unidade selecionada ainda encontra-se em avaliação pela direção da instituição. O pôster apresentará resultados parciais obtidos a partir da análise de documentos. A pesquisa não tem a pretensão de encerrar em si todas as possibilidades que o tema coloca e entende que há ainda muito por fazer e percebe a falta na literatura sobre esta temática.

Relações de trabalho - Condições de trabalho - FEBEM


H0610

PROFESSORES DA ESCOLA ESTADUAL CULTO À CIÊNCIA: PROFISSÃO E TRABALHO


Susana Doro Rizzato (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Aparecida Neri de Souza (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A pesquisa analisa as condições e relações de trabalho, e formação de professores em uma escola pública na cidade de Campinas, a partir dos relatos orais sobre suas trajetórias de escolarização e na profissão. O poster apresenta a análise parcial dos depoimentos orais de três professores e duas professoras que lecionam diferentes disciplinas na Escola Estadual, com diferentes contratos de trabalho (efetivo, temporário e eventual) e tempo de magistério. A análise das entrevistas mostra que os professores tiveram uma origem social nas camadas populares, entretanto, realizaram um movimento de mobilidade social ascendente. As entrevistas sugerem que tais professores não reproduzem a situação social dos pais, as estratégias que constroem para melhorar sua posição social, sua disposição em relação ao futuro depende do sistema escolar, do mercado de trabalho e das condições nas quais o capital social, cultural ou econômico são reproduzidos. As entrevistas fornecem pistas de que há uma relação hierárquica entre professores efetivos com aqueles que têm contratos de trabalho diferenciados (ACT/OFA e eventuais) ou são mais novos na escola. Os depoimentos orais dos mais novos também revelam que o ingresso do docente no mercado de trabalho no campo do ensino, mesmo em escolas públicas, pode ser competitivo.

Educação e trabalho - Professores - Relações de trabalho


H0611

ATIVIDADES MULTIDISCIPLINARES: HISTÓRICO E IMPACTO SOBRE A FORMAÇÃO DOS ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO


Thaissa Helena Fattori (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Elizabeth Nogueira Gomes da Silva Mercuri (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O presente projeto tem origem no trabalho de iniciação científica, intitulado “Integração do Estudante Ingressante ao Ensino Superior: análise de propostas curriculares”. A atual proposta de trabalho constitui-se no aprofundamento de um dos aspectos que emergiram dos resultados do estudo anterior: as Atividades Multidisciplinares. Os objetivos do trabalho são: analisar o histórico de oferecimento das Atividades Multidisciplinares, ao longo do período de sua existência na Unicamp e analisar o impacto das Atividades Multidisciplinares na formação dos estudantes de graduação a partir da perspectiva dos mesmos. O estudo engloba tanto a análise documental, para o levantamento de dados a respeito da criação e freqüência dos alunos nessas disciplinas, quanto com a análise de entrevistas dos alunos a fim de delinear o impacto das Atividades Multidisciplinares nos estudantes. Pode-se observar que tais disciplinas começaram a serem oferecidas em 1998 como uma medida a fim de amenizar uma defasagem na formação dos estudantes, que voltava-se apenas para a formação profissional. Além disso notamos a matrícula dos alunos das diversas áreas do conhecimento, dando praticamente o mesmo privilegio, com a exceção da área de Artes, que concentra menor índice de matrículas.

Formação universitária - Atividades multidisciplinares - Integração


H0612

PRODUZINDO A CRIANÇA HIGIENIZADA: UM ESTUDO SOBRE MANUAIS ESCOLARES


Carolina Toshie Kinoshita (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Heloísa Helena Pimenta Rocha (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Buscando entender como se deu a circulação da mensagem e as práticas de higiene no interior da escola primária, este projeto prevê o levantamento e catalogação de livros, cartilhas de higiene e de manuais destinados à formação dos professores paulistas, todos publicados entre a última década do século XIX e a década de 1930. Acompanhado da consulta aos periódicos educacionais, que estavam em circulação no período, bem como à legislação, procurando identificar propagandas, resenhas e listas de livros recomendados pelas autoridades. Tal levantamento está sendo realizado nas bibliotecas da UNICAMP, USP e no Centro do Professorado Paulista. As cartilhas e livros analisados começaram a ser produzido a partir do final do século XIX e faziam parte das diversas ações empreendidas pelos órgãos voltados para as questões da saúde, no Estado de São Paulo, os quais tinham como principal objetivo o combate às doenças, entre o final do século XIX e início do XX. Para auxiliar os professores no ensino dos hábitos higiênicos, médicos-higienistas renomados do período, como Dr. Renato Kehl e o Dr. Almeida Júnior, publicaram diversos livros e cartilhas de higiene, muitos dos quais contaram com a aprovação da Diretoria Geral da Instrução Pública do Estado de São Paulo.

História da educação - História do livro - Higienismo


H0613

MÉTODOS E RECURSOS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NAS SÉRIES INICIAIS: UM ESTUDO DE TESES E DISSERTAÇÕES ENTRE 1997 E 2006


Adriana Katsuno (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Jorge Megid Neto (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O projeto tem por objetivo principal identificar e descrever as teses e dissertações na área de Ensino de Ciências produzidas no Brasil nos últimos 10 anos e que apresentam métodos e recursos didáticos para o ensino nas séries iniciais do ensino fundamental. Foi realizado, desde janeiro deste ano, um levantamento bibliográfico da produção acadêmica na área a partir do Banco de Teses da CAPES e selecionadas as pesquisas que abordaram métodos e recursos didáticos nas séries iniciais do ensino fundamental. Para isto, foram analisados os tipos de recursos, técnicas e métodos utilizados, tipos de materiais, as formas de interação professor-alunos e aluno-aluno, a eventual participação da comunidade, procurando inserir os trabalhos nos modelos Tradicional, Redescoberta, Tecnicista, Construtivista e/ou Ciência-Tecnologia-Sociedade. O projeto insere-se no conjunto de pesquisas do tipo “estado da arte” que têm sido realizadas pelo grupo FORMAR-Ciências da FE-Unicamp, buscando identificar, classificar e descrever a produção científica no campo do Ensino de Ciências no Brasil, contribuindo para sua divulgação ampla e adequada. Desde o início da pesquisa foram encontradas aproximadamente 1400 teses e dissertações sobre o Ensino de Ciências. Desse conjunto, serão selecionados os trabalhos relativos a métodos e recursos didáticos nas séries iniciais do ensino fundamental e posterior classificação e descrição de tendências.

Métodos e recursos didáticos - Ensino de Ciências - Séries iniciais


H0614

A HISTÓRIA DO MARXISMO NO PENSAMENTO EDUCACIONAL BRASILEIRO


Ricardo Pereira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Mara Regina Martins Jacomeli (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A partir da década de 1970 observa-se uma incidência mais sistematizada do pensamento marxista na educação. Este presença se dá no contexto da retomada do debate marxista, no espaço acadêmico, sob forte influência das chamadas teorias reprodutivistas: desde teóricos mais claramente identificados com as teses marxistas – como Althusser, Baudelot e Establet – até aqueles que incorporam perspectivas teóricas diversificadas – como Bourdieu e Passeron. A questão colocada para os educadores, naquele período, era a interpretação e a crítica da política educacional do regime militar. Na passagem da década de 1970, observa-se que a produção educacional de inspiração marxista muda de interlocução, motivada pela perspectiva já iminente de redemocratização. Do combate aos governos militares e suas políticas para a educação, passa-se a criticar determinadas tendências teórico-políticas situadas no interior do campo educacional, seja as antigas concepções tecnicistas, seja as concepções reprodutivistas. O núcleo dessa transformação será o programa de Pós-Graduação da PUC-SP, em especial o programa de doutorado centralizado na figura de Dermeval Saviani.

Marxismo - Pensamento educacional - História da educação


H0615

O ARQUIVO ESCOLAR COMO LUGAR DE MEMÓRIA E DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINAS: ORGANIZAÇÃO DO ARQUIVO HISTÓRICO DA EE ARTUR SEGURADO


Elizabeth Carmonario (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Menezes (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Buscar conhecer a história da educação pública brasileira no âmbito do regime republicano, a partir da história das instituições escolares e da cultura material escolar vem se constituindo em via emergente no âmbito das pesquisas na área. As investigações contemplam os acervos escolares, sobretudo aqueles de antigas instituições, como fonte potencial para esse entendimento. O encontro com os arquivos das escolas tem permitido perceber a condição de vulnerabilidade a que estão expostos, revelando a carência de políticas de manutenção e salvaguarda desse patrimônio público e histórico. A proposta de nossa pesquisa foi a organização do arquivo histórico do 3º Grupo Escolar criado em Campinas no ano de 1910, hoje Escola Estadual Artur Segurado. A partir do cotejo de informações referentes à história da escola, obtidas em diversas instituições de pesquisa, com os dados extraídos de fontes primárias do acervo escolar buscamos compreender as relações orgânicas e hierárquicas estabelecidas entre os documentos que compõem o fundo arquivístico, propondo uma nova organização. O trabalho conjunto de composição de um quadro de arranjo e de descrição arquivística do fundo, efetuado segundo os padrões da ISAD-G, buscou refletir o modelo de organização e de funcionamento adotado pela escola. A construção futura de instrumentos de busca subsidiará as pesquisas, sobretudo aquelas cujos métodos contemplem uma análise indiciária das fontes materializadas do arquivo.

Arquivo escolar - Memória - História cultural


H0616

A IMPORTÂNCIA DA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO ESCOLAR ARTICULADA À HISTÓRIA DO PRIMEIRO GRUPO ESCOLAR DE CAMPINAS


Lisiara do Amaral Ramires Relvas (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Maria Cristina Menezes (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A presente pesquisa tem a sua relevância nos trabalhos de preservação do acervo documental do primeiro Grupo Escolar de Campinas, fundado em 1897, assim como para a história, que não atinge somente essa instituição, mas também a educação republicana campineira. Esse trabalho objetiva a disponibilidade das fontes primárias da instituição para a pesquisa pública e científica. Visa, portanto, a recuperação e a organização das fontes documentais e iconográficas do arquivo histórico da escola, com efetiva ação de preservação documental, conforme normas da arquivística. Para tal, foram efetuadas ações de desinfestação, higienização, acondicionamento, identificação e plano de arranjo para a posterior descrição das fontes, segundo a ISAD-G, norma internacional de descrição arquivística. A documentação já foi higienizada, identificada, embalada em TNT, para o acondicionamento final nas caixas apropriadas, e armazenada em espaço ainda provisório, enquanto desenvolve-se o plano de arranjo. Outrossim, as fontes iconográficas foram identificadas e digitalizadas, dentre o material encontrado existem fotografias de professores, de alunos, de festividades, do prédio, além de documentos como livros de matrículas, atas de reuniões, livros ponto, livros de despesas, mapas do movimento, fichas de exercício, entre outros datados desde 1897 até 1971.

Arquivo escolar - História da educação - Grupo escolar


H0617

A FOTOGRAFIA E A ARQUITETURA ESCOLAR DA EE CARLOS GOMES DE CAMPINAS


Marcela Rodrigues Borba (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Menezes (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Nesta pesquisa, as fotografias estão sendo consideradas como fontes documentais, iconográficas, de consulta, constituindo-se também em ponto de partida para a compreensão da arquitetura do edifício da Escola Estadual Carlos Gomes de Campinas. O prédio atual da instituição teve sua construção terminada em 1924, tendo o arquiteto César Marchisio como responsável pela modificação da fachada, uma vez que a escola tem o mesmo projeto-tipo da Escola Normal de Guaratinguetá. A utilização do estilo neoclássico transmite valores sólidos, nobreza e ideais racionais, com preocupação na elaboração das fachadas, além de ser uma forma de propagar a ação de governos pela educação democrática. Os variados elementos arquitetônicos expressam e refletem, através da sua materialidade, discursos e valores vigentes na época. O objetivo do presente trabalho é trazer a lume elementos históricos e culturais que influenciaram as formas arquitetônicas encontradas. O trabalho apóia-se, sobretudo, em três pressupostos, o primeiro trata-se de podermos fazer uso de nossas representações sobre o espaço, em nossa compreensão do social; o segundo encara o prédio como tecnologia de poder, estrategicamente pensado pelo sistema; o terceiro vê a organização do espaço como conseqüência das propostas pedagógicas de uma época.

Historia da educação - Arquitetura - Fontes iconográficas


H0618

MEMÓRIAS DA ESCOLA: O 4º GRUPO ESCOLAR DA CIDADE DE CAMPINAS


Bianca Juriollo Caetano (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria do Carmo Martins (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Articulando-se ao Centro de Memória da Educação, da Faculdade de Educação da UNICAMP, o projeto tem dentre seus objetivos a premissa de organizar, preservar e disponibilizar fontes que permitam estudos históricos da Escola Estadual Orosimbo Maia, entre os anos de 1923-1939, quando era então denominado “4O Grupo Escolar de Campinas”. Em continuidade ao projeto Memórias da escola campineira: cultura material e organização de arquivos escolares (PIBIC-SAE, 2006-2007) essa etapa do trabalho visa, além de organizar o arquivo histórico escolar, construir as bases da monografia histórica da escola, contribuindo para a história da educação brasileira, com ênfase na abordagem sobre as culturas escolares. Para isso, foi desenvolvido em etapas: localização/separação da documentação; descrição/ordenação das informações obtidas; interação do projeto com a comunidade escolar e escrita da monografia (em andamento). O contato com as informações obtidas nos documentos históricos, vêm permitindo que esta instituição seja redescoberta no cenário urbano de Campinas, mostrando sua importância para a cidade na época em questão e possibilitando a compreensão do sistema educacional paulista, no período de grande desenvolvimento dos grupos escolares.

Grupos escolares - História da escola - Memória da educação


H0619

O SEU NOME VIBRANTE É UMA GLÓRIA: MEMÓRIA E HISTÓRIA DO GRUPO ESCOLAR OROSIMBO MAIA


Carla Carolina Tortorelli Bizarro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Maria do Carmo Martins (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O projeto refere-se à primeira etapa de sistematização dos documentos e do banco de dados do arquivo histórico da Escola Estadual Orosimbo Maia, bem como a versão inicial da história dessa escola, no período de 1939-1971. Devido à grande massa documental, optamos por apresentar, nesse momento, os resultados alcançados com a documentação até o ano de 1961, quando foi promulgada a LDB 4024/61. Foram utilizados na análise os Livros de Requerimentos, os Livros de Nomeações e Licenças e os Mapas de Movimento Escolar, considerando o caráter complementar dessas fontes e a possibilidade de leitura de cada livro, em função de sua proveniência, da tipologia documental e do volume de informações que eles apresentam, sobre as dinâmicas das relações intra-escolares, bem como das relações entre a escola e administração pública do sistema de ensino. A finalidade do projeto é contribuir para a melhor compreensão da profissão de professor no período analisado, enfatizando as relações entre professores e diretores, as formas de registros dessas relações e a caracterização de tais fontes documentais, visando contribuir com a historiografia da educação.

História da escola - Memória da educação - Currículo


H0620

O CURRÍCULO DA ESCOLA BÁSICA NA ÁREA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA – PRÁTICAS CONSTITUÍDAS PELO IMAGINÁRIO PRESENTE NOS LIVROS DIDÁTICOS


João Henrique Candido de Moura (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Inês de Freitas Petrucci Rosa (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
No Brasil, a partir da década de 90, políticas educacionais curriculares produziram programas e documentos que de certa forma, produziram reconfigurações na noção de disciplina escolar, especialmente em nível de ensino médio. Nesse sentido, a disciplina escolar vem sendo entendida como um hibridismo de discursos oriundos de diferentes contextos, entre os quais, aqueles advindos dos livros didáticos. Dentre os programas recém criados pelas políticas públicas, destaca-se o Programa Nacional do Livro do Ensino Médio (PNLEM), que de certa forma, valida obras portadoras de determinados discursos a respeito das disciplinas escolares. Nesse projeto, investigamos, práticas discursivas que evidenciam processos de (des)estabilização na noção de disciplina escolar, na área de Ciências da Natureza (Química, Física e Biologia). Para isso, foram entrevistados professores da rede pública de ensino da região de Campinas, abordando o imaginário docente expresso a partir dos livros didáticos aprovados pelo PNLEM. Apesar de constatarmos uma defesa clara a favor da interdisciplinaridade nas políticas curriculares mais recentes, o imaginário docente revela que a demarcação disciplinar é ainda muito forte no currículo da escola básica.

Currículo - Cultura escolar - Imaginário


H0621

APOIO AO PROJETO: ASPECTOS DO IMAGINÁRIO DE LICENCIANDOS EM FÍSICA - FOCO NA FÍSICA MODERNA E CONTEMPORÃNEA E NA PESQUISA EM ENSINO DE FÍSICA


André Coelho da Silva (Bolsista IC CNPq) e Profa. Dra. Maria José Pereira Monteiro de Almeida (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Serão apresentadas sínteses de entrevistas feitas junto a licenciandos de física nas quais é solicitado a eles que leiam um trecho retirado do capítulo IV (A teoria quântica e as raízes da ciência atômica) do livro Física e Filosofia, escrito por Werner Heisenberg, e que respondam a questões que visam analisar a produção de significados desses estudantes para o referido trecho, isto é, a partir da leitura, será verificada a forma pela qual esses licenciandos interpretam e significam as idéias presentes no texto.

Física moderna - Licenciandos em física - Leitura


H0622

AS ILUSÕES DO ARTIGO 68 ATO DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS TRANSITÓRIAS: COMO AS COMUNIDADES REMANESCENTES DE QUILOMBO CONTINUAM SEM - TERRA


Rosana Beatriz Meneses Vieira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Neusa Maria Mendes de Gusmão (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O estudo teve como temática o processo de regularização fundiária das terras ocupadas pelas comunidades de quilombo desencadeado pelo Artigo 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias – ADCT da Constituição Federal de 1988 que estabelecia “aos remanescentes das comunidades dos quilombos que estejam ocupando suas terras é reconhecida a propriedade definitiva, devendo o Estado emitir-lhes os títulos respectivos”. A partir do levantamento e análise de documentos oficiais junto aos órgãos governamentais e entrevistas foi possível trabalhar o quadro de indefinições vivenciado pelas comunidades quilombolas no Brasil e especificamente, no estado de São Paulo. O processo de regularização das terras quilombolas pode ser dividido em quatro etapas: Identificação e Demarcação dos Limites, Reconhecimento Oficial, Outorga do Título e Registro no Cartório de Imóveis. Em maio de 2008, a Fundação Cultural Palmares havia certificado 1209 comunidades e segundo o “Programa Comunidades Quilombolas e Direitos Territoriais” desenvolvido pela Comissão Pró-Índio de São Paulo somente 81 quilombos tinham suas terras tituladas. Valendo-se de uma ênfase nos aspectos simbólicos do artigo 68 ADCT, o estudo busca compreender os significados que orientam os atores envolvidos na regularização das terras quilombolas.

Regularização fudiária de quil - Artigo 68 ADCT - Comunidades quilombolas


H0623

A CRECHE, AS CRIANÇAS, O EDUCADOR-REFERÊNCIA E SUAS RELAÇÕES


Isabella Piran Buscher (Bolsista PIBIC/CNPq), Roberta Rocha Borges e Profa. Dra. Orly Zucatto Mantovani de Assis (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Resumo: A criança pequena necessita de cuidados especiais quando se encontra fora do ambiente familiar, no caso desta pesquisa, na instituição creche. Conforme mostram os estudos de Goldschmied (2006) e Hohmann (2004), a presença de um educador-referência é de extrema importância para garantir o desenvolvimento global da criança. Objetivos: Constatar se há um educador referência para cada grupo de crianças pequenas; Observar as rotinas diárias para constatar como se dão as relações afetivas entre o educador e as crianças pequenas; Observar os espaços físicos da creche e se estes são propícios para que ocorram as relações afetivas entre crianças e adultos. Metodologia: Por meio do roteiro Avaliação da Qualidade do Programa (Programm Quality Assessment – PQA) – Versão creche (0-3) e formulário de avaliação, observaremos se a creche realmente pode proporcionar a relação entre a criança pequena e um educador referência e se os espaços físicos e a rotina da creche são apropriados para promover as relações afetivas entre a criança pequena e o educador referência. Os resultados e conclusões ainda não foram obtidos, já que a bolsa foi apenas de seis meses, o trabalho ainda não chegou ao final, as creches estão sendo avaliadas.

Creche - Criança - Educador-referência


H0624

COMO AS CRIANÇAS QUE APRESENTAM DIFICULDADES NA LEITURA E ESCRITA, QUANDO É REALIZADO UM TRABALHO DE CONSTRUÇÃO DE LETRAMENTO, ENTENDEM OS CONTEÚDOS ESCOLARES PROPOSTOS PELA ESCOLA?


Lígia Bruna Sbrana Alves de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Orly Zucatto Mantovani de Assis (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Este projeto faz parte de uma série de investigações que vêm sendo realizadas no Laboratório de Psicologia Genética da Unicamp, através do Serviço de avaliação e Intervenção Psicopedagógica – SAIP – que atende as crianças com dificuldades de aprendizagem. As dificuldades de aprendizagem costumam aparecer para dizer que algo não está bem com a pessoa. Nesse sentido, mostram-se através de questões no contexto da escrita, da leitura e do raciocínio lógico-matemático. É como um pedido de ajuda, que muitas vezes vem acompanhado de comportamentos e sentimentos aparentemente sem explicação, tais como: desinteresse, desatenção, irresponsabilidade, baixa auto-estima, agressividade, entre outros. Primeiramente, foi realizado um trabalho de construção de letramento com tais crianças, pois, no início da pesquisa, elas apresentaram um atraso no desenvolvimento da leitura e escrita. Foi preciso planejar atividades para a construção do sistema de letramento para dar continuidade, neste momento, ao referido trabalho que diz respeito aos conteúdos escolares.

Letramento - Dificuldades de aprendizagem - Conteúdos escolares


H0625

MEMÓRIAS DO ENSINO DE CIÊNCIAS


Helena Iwamoto Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Pedro da Cunha Pinto Neto (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O trabalho articula-se aos objetivos e às linhas de investigação do Centro de Memórias da Educação (CME) da Faculdade de Educação da UNICAMP, na medida em que busca contribuir com a reconstituição da história das instituições escolares da Região Metropolitana de Campinas. Neste caso em particular, o estudo voltou-se para o conjunto de materiais equipamentos para uso didático presentes no Colégio Progresso Campineiro (fundado em 1900), muitos dos quais fazem parte dos primórdios do colégio. Através da catalogação e identificação dos materiais e equipamentos destinados ao ensino de ciências, procuramos identificar as práticas instituídas nas aulas de ciências, o uso dos materiais e equipamentos, assim como a que unidades disciplinares estavam associados. O projeto de iniciação científica estava vinculado a um projeto mais amplo, intitulado "Memórias da Educação Escolar: cultura material e organização de arquivos escolares", financiado pelo CNPq.

História-educação - Ciências-ensino - Ciências-história


H0626

EDUCAÇÃO DE SURDOS: DA ESCOLA QUE TÊM PARA A ESCOLA QUE QUEREM


Fernanda Mazutti Papini (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Regina Maria de Souza (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Visto que o principal objetivo da pesquisa foi refletir a (re)construção de uma escola adequada às pessoas surdas, foram observadas tais conclusões: Em relação à família, todos os sujeitos têm pais ouvintes que desconhecem a singularidade lingüístico-cultural dos sujeitos surdos. Em conseqüência, muitos surdos não tiveram contato com a língua de sinais desde pequenos, afetando assim, o desenvolvimento social, lingüístico, cognitivo; Quanto à experiência escolar, foi relatado o despreparo dos professores, a dificuldade com o ensino do português e a falta da Libras na aprendizagem, o sentimento de solidão e exclusão; Sobre a inclusão, a maioria dos surdos são contra a maneira incorreta e descompromissada que ela tem sido implantada nas escolas regulares; Os surdos buscam, a partir de suas próprias culturas, uma forma para a auto-representação e desenvolvimento na luta pelas suas identidades; Buscam uma escola bilíngüe, onde a Libras possa ser valorizada. O desafio dos educadores é pensar em espaços educacionais onde a diferença do outro provoque transformações estruturais e dinâmicas na escola: isto implica em um novo modo de entender e se aproximar de sujeitos brasileiros que se valem de outra língua que não o português.

Surdez - Inclusão - Bilingüismo


H0627

EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: AS DIMENSÕES AFETIVAS NA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA


Daniela Gobbo Donadon (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Sérgio Antônio da Silva Leite (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
A pesquisa tem por objetivo analisar as relações afetivas nas práticas pedagógicas envolvendo jovens e adultos, com foco nas relações que se estabelecem entre professor e aluno. Enfatizam-se os aspectos afetivos positivos nas práticas pedagógicas observadas. Participam como sujeitos alunos em processo de escolarização na FUMEC de Campinas (Fundação Municipal para a Educação Comunitária). As bases teóricas fixam-se na área da Psicologia, principalmente em VYGOTSKY (1998, 2005) e WALLON (1968, 1979). A coleta de dados toma por base a metodologia qualitativa utilizando o procedimento de autoscopia. Foram realizadas filmagens da sala de aula, edição dos vídeos e exibição para os sujeitos durante as sessões de autoscopia onde os mesmos dotavam de significação, através de verbalizações, as práticas observadas, gerando os dados da pesquisa, que ainda encontra-se em desenvolvimento. Na continuidade, os dados obtidos serão agrupados em núcleos de significação para realização da análise, a qual acontecerá com base na abordagem teórica assumida, sem deixar de dar a devida importância ao caráter social ao qual a modalidade EJA nos remete. Sua pertinência se firma na relevância social do tema, na atualidade e importância da questão da Afetividade e nas possibilidades de contribuir para o maior conhecimento da temática ainda pouco pesquisada.

Educação de jovens e adultos - Afetividade - Autoscopia


H0628

ENSINO DE FILOSOFIA PARA CRIANÇAS SURDAS: NOVAS POSSIBILIDADES OU RESPEITO ÀS DIFERENÇAS?


Alessandra do Carmo Fonseca, Andréa da Silva Rosa (Co-orientadora) e Prof. Dr. Silvio Donizetti de Oliveira Gallo (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Este trabalho se propõe a discutir aspectos teóricos do ensino de filosofia para crianças surdas usuárias da língua de sinais, com o objetivo de proporcionar a elas o pensar por si mesmas. Segundo Cunha (2002), é na educação infantil que as crianças se nutrem dos primeiros conhecimentos de vida e tomam parte de um universo simbólico, composto por significados, opiniões e valores. A comunidade surda teve a regulamentação da sua língua em âmbito nacional por meio do projeto de Lei n.10.436/2005, entretanto a regulamentação da LIBRAS por si só não garante uma educação de qualidade e nem alterações no processo de ensino/aprendizagem considerando a sua diferença lingüística. Nesse sentido, a proposta de educação bilíngüe para surdos (língua de sinais e português escrito e/ou oral) pode permitir o acesso efetivo da criança surda aos conteúdos escolares, inclusive ao ensino de filosofia. Para Guattari e Deleuze (1992), a filosofia é uma atividade do pensamento que consiste em criar conceitos e, neste sentido, é um ato de pensamento. O ensino de filosofia, tendo em vista possibilitar o desenvolvimento das competências crítico-reflexivas nas crianças surdas, contribui dessa forma para que ela possa por si mesma elaborar uma visão de sociedade/mundo a partir da sua língua.

Filosofia - Língua de sinais - Educação infantil


H0629

INTEGRAÇÃO AO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE RELAÇÕES


Mariana Coralina do Carmo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Soely Aparecida Jorge Polydoro (Orientadora), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Esta pesquisa teve como objetivo analisar a integração ao ensino superior de universitários de cursos de formação de professores. Desenvolveu-se um estudo de natureza documental, cuja fonte constituiu em um banco de dados com as respostas de 242 estudantes de uma instituição pública de ensino superior que responderam ao Questionário de Vivências Acadêmicas, versão nacional e reduzida. A média geral obtida foi de 3,68, com desvio padrão de 0,46 em uma escala de 5 pontos. Ao analisar as dimensões da integração, foram observadas as seguintes médias: Institucional (4,06), Carreira (3,95), Interpessoal (3,78), Estudo (3,42) e Pessoal (3,33). Foram identificadas diferenças significativas entre as médias quanto ao gênero na dimensão Interpessoal; à intenção de continuar o curso em Carreira, Pessoal e Total; ao exercício de atividade remunerada em Institucional; ao período desta atividade em Carreira; e à área de conhecimento em todas as dimensões e no Total. As diferenças indicam que, ao definir propostas de intervenção voltadas para a integração ao ensino superior, a instituição deve considerar a especificidade deste processo nos diferentes grupos de estudantes, especialmente quanto à área de conhecimento.

Integração - Estudante - Ensino superior


H0630

COCANHA & SWISS PARK: A UTOPIA COMO UMA PROPOSTA DE CONVENCIMENTO


Diego Carvalho de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Wenceslao Machado de Oliveira Junior (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
O trabalho tem, como intuito, discorrer acerca da ressurgência/permanência no imaginário humano de alguns anseios que perpassam épocas e que, ao nos depararmos com as construções imagéticas contemporâneas, percebemos que está presente no ser humano as inquietações e imaginações de outros tempos e lugares. Consideramos, então, que permanece a vontade do homem de divagar acerca do amanhã, buscá-lo e torná-lo possível, ainda que impossível de ser construído em efetividade: a utopia. Em torno dessa discussão, tomamos como base de nosso argumento Cocanha, que vem a ser um país imaginário onde a abundância, em todos os sentidos, torna-se realidade. Vimos, que as vontades e pressões de uma época são representadas de diversas formas, principalmente na forma do impossível narrativo e que vem a confortar aqueles a que a realidade presente é insuportável. Diante disso e, principalmente, das alegorias lançadas pela propaganda imobiliária contemporânea, escolhemos um lugar que se faz em narrativa para se fazer vender. Esse lugar, foco de nossos estudos, denomina-se Swiss Park Campinas, um condomínio fechado que, para se fazer melhor e mais rentável, criou em suas imagens propagandísticas um u-topos. São essas questões que fazem parte do trabalho construído, nos revelando a ressurgência de Cocanha no homem contemporâneo e da utilização de uma linguagem em direção ao futuro para tocar os homens de hoje: simples consumidores.

Utopia - Educação visual - Geografia


H0631

O NACIONAL NAS IMAGENS ANDRADEANAS - GEOGRAFIAS, NARRATIVAS E IMAGENS DO BRASIL


Fred Teixeira Trivelatto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Wenceslao Machado de Oliveira Junior (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Nesse trabalho pretendeu-se estudar o discurso geográfico que se faz pela linguagem imagética, construindo, no imaginário das pessoas, idéias sobre lugares, seja de existência concreta em coordenadas geográficas ou então de existência narrativa. De alguma forma, atentos a essa possibilidade, ao longo do século XIX a família real incentivou a vinda para o Brasil de homens europeus que eram ao mesmo tempo viajantes, cientistas e artistas e que realizaram pinturas dos lugares por onde passaram. Sem a mesma pretensão, porém com o mesmo intuito daqueles viajantes que aqui estiveram, de desvendar um país que ainda carecia de identidade, Mario de Andrade, um Turista Aprendiz, homem sagaz, profundo estudioso sobre seu país, viaja para o Norte e Nordeste entre 1927 e 1929, sedento por conhecer de perto um país que se mostrava somente pelos livros. Ele realiza uma série de imagens dessa viagem, desvendando um olhar sobre o Brasil, de lugares pouco conhecidos para os brasileiros do sul-sudeste. Assim, investigamos as pinturas dos viajantes do século XIX e as fotografias de Mario de Andrade, a fim de interpretar a idéia de Brasil contida nessas imagens, as permanências e rupturas entre os viajantes do século XIX e o Turista Aprendiz.

Pensamento geográfico - Mário de Andrade - Construção do Nacional


H0632

PESQUISA E IMAGINAÇÃO DE BLOGS DO PROJETO BIOTECNOLOGIAS DE RUA


Glauco Roberto da Silva (Bolsista CAPES - FIPSE) e Prof. Dr. Wenceslao Machado de Oliveira Junior (Orientador), Faculdade de Educação - FE, UNICAMP
Este trabalho está vinculado ao Projeto Biotecnologias de Rua, realizado no Labjor/Unicamp em conjunto com o Laboratório OLHO da FE/Unicamp. O objetivo do projeto é explorar diferentes linguagens para criar artefatos de divulgação pública e científica das biotecnologias. Dentro deste Projeto há o desenvolvimento de uma homepage composta de um portal ao qual se vinculam blogs temáticos: ambientes sociais onde os temas da biotecnologia aparecem com mais intensidade. Estes blogs buscam divulgar imagens e textos que tratam das biotecnologias e suas respectivas ressonância na sociedade, bem como problematizá-los junto ao público. As pesquisas realizadas se deram para o suporte e a elaboração dos blogs pet-shop e igreja. Textos e imagens foram selecionados, recortados e editados e, a partir desses fragmentos e edições, elaboradas questões que os problematizam, tendo como intuito provocar discussões nos possíveis visitantes destes blogs. Também foram feitas pesquisas de campo, nas quais realizou-se fotografias e captação de sons nestes ambientes socias. A partir destes materiais diversos, foi desenvolvida a diagramação e a proposição de conteúdos dos referidos blogs, tendo como embasamento os estudos da educação visual da memória.

Blogs - Biotecnologias - Imagens






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   61   62   63   64   65   66   67   68   ...   101


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal