Universidade estadual de campinas



Baixar 4.13 Mb.
Página15/83
Encontro29.11.2017
Tamanho4.13 Mb.
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   83

PERDA AUDITIVA NO LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO


Bruna Borghese Augustini (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Lílian Tereza Lavras Costallat (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença inflamatória auto-imune crônica do tecido conjuntivo que pode atingir diversos órgãos, sendo mais incidente em mulheres na idade fértil. A etiopatologia desta doença não é totalmente esclarecida, estando fatores genéticos, hormonais, ambientais e imunológicos certamente envolvidos. Apesar de raros, já foram diagnosticados casos de perda auditiva relacionada ao LES, porém tanto a freqüência quanto o mecanismo desse tipo de envolvimento não foram, até o momento, bem documentados e estuda-se uma possível ligação com a Síndrome dos Anticorpos Antifosfolípides. Dessa forma, esse estudo propôs-se a investigar perda auditiva em pacientes lúpicos e a possível associação com a SAF, através da aplicação de questionários, exames auditivos e laboratoriais (teste de anticardiolipina e anticoagulante lúpico) em pacientes lúpicas ambulatoriais do HC-Unicamp. Até o momento foram realizadas as entrevistas, com obtenção do consentimento dos pacientes, os questionários e os testes laboratoriais e algumas audiometrias em pacientes e controles, mas o número ainda é insuficiente para conclusões. Dentre as dificuldades apresentadas ressalte-se realização dos exames audiométricos,mas espera-se realizá-las em breve, fazendo com que o número de pacientes-casos controles seja conclusivo.

LES - SAF - Perda auditiva


B0121

AGREGAÇÃO FAMILIAL DO LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO (LES), ARTRITE REUMATÓIDE E OUTRAS DOENÇAS AUTO-IMUNES EM UMA COORTE DE 620 PACIENTES COM LES. ESTUDO DE ATIVIDADE E DANOS PERMANENTES


Diogo Alexandre Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq), Dra. Simone Appenzeller (Co-Orientadora) e Profa. Dra. Lílian Tereza Lavras Costallat (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Trata-se de um estudo retrospectivo das manifestações clínico-laboratoriais de pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), do ambulatório de Reumatologia do HC-Unicamp. Compararam-se as variáveis clinicas e laboratoriais que apresentam doenças auto-imunes (Grupo A) com as variáveis dos pacientes cujos familiares não apresentam doenças auto – imunes, sendo este o grupo controle (Grupo B). . Além disso foi realizado um estudo comparativo, quanto à atividade da doença e os danos permanentes, entre os dois grupos, utilizando o SLEDAI e o SLLIC. Os pacientes foram selecionados de um banco de dados que contém todos os pacientes acompanhados em nosso serviço. A média do SLEDAI no início da doença no grupo A foi de 15,95 e do grupo B de 9,94 . Na evolução da doença não observamos diferença estatisticamente significante quanto ao SLEDAI. Em relação ao SLLIC, observamos significativamente mais dano no início da doença no grupo controle. A média no início da doença do grupo A foi de 0,85 e no grupo B de 1,5. Na evolução não observamos diferença quanto ao indice de dano, aqui , a média do grupo A foi de 1,47 e do grupo B de 1,7.

LES - Familiaç - Lúpus


B0122

ESTUDO DAS ALTERAÇÕES NA DEGLUTIÇÃO NA DOENÇA DE PARKINSON


Patrícia Rocha Santos de Almeida e Profa. Dra. Lúcia Figueiredo Mourão (Orientadora), Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
A doença de Parkinson (DP) é um distúrbio neurológico progressivo, caracterizado pela tétrade de sintomas e sinais: tremor em repouso, bradicinesia, rigidez muscular e alterações posturais. A disfagia está presente na DP, sendo considerada responsável por complicações clínicas e pela principal causa de morte, a pneumonia aspirativa. O presente trabalho tem por objetivo caracterizar a disfagia orofaríngea na DP observada por meio da videoendoscopia da deglutição (VED). Participaram do estudo 11 sujeitos com diagnóstico de DP, com idade média de 63,4 anos, e tempo médio de doença de 8,7 anos. Para a realização do exame, no setor de Otorrinolaringologia do HC-UNICAMP, foram oferecidas quatro diferentes consistências alimentares: líquida, líquido-engrossada e pastosa, preparadas com água filtrada e espessante, e sólida (¼ de biscoito). Os alimentos foram oferecidos levando-se em consideração a possibilidade de alimentação segura. A severidade da disfagia foi classificada de acordo com Macedo et al (2000). Em todas as consistências testadas encontrou-se algum tipo de alteração: escape (45,5% a 63,3%); estase (9,1% a 27,2%); penetração (9,1% a 36,4%) e aspiração em 18,8% observada apenas na consistência líquida. 72,7% dos pacientes apresentaram disfagia variando do grau 1 para o grau 3 e somente 27,3% dos sujeitos apresentaram deglutição normal. Os dados observados ressaltam a necessidade de um acompanhamento fonoaudiológico longitudinal.

Doença de Parkinson - Disfagia - Fonoaudiologia


B0123

ESTUDO CRÍTICO DOS PICTOGRAMAS DA LÍNGUA DE SINAIS EM PCS NO SOFTWARE “BOARDMAKER”


Muriel Andressa Lessi Magiri (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Lucia Helena Reily (Orientadora), CEPRE, Faculdade de Ciências Médicas - FCM, UNICAMP
Esta pesquisa promoveu uma análise viso-lexical em comunicação suplementar e alternativa (CSA), prevendo a correção de estrangeirismos no PCS (Picture Communication Symbols), sistema pictográfico disponível no Brasil para uso com pessoas não falantes. Sendo o objetivo, propor a melhoria do programa de informática Boardmaker, o qual, auxilia na promoção e constituição da linguagem de pessoas sem possibilidade de emissão oral. O Boardmaker precisou ser traduzido e adaptado para uso em contextos brasileiros, tendo seus pictogramas categorizados. Sendo uma delas a “linguagem de sinais”. Este estudo verificou que os pictogramas em português desta categoria contêm sinais em American Sign Language (ASL) que precisam ser corrigidos para se adequarem aos sinais da língua brasileira de sinais (Libras). Dois instrutores surdos e duas educadoras bilíngües avaliaram os 51 pictogramas sem legenda dessa categoria, escrevendo comentários para cada um, também interpretaram as marcas gráficas representativas do movimento, relatando que o sinal poderia significar outra coisa se as marcas fossem grafadas de outra forma. Esses resultados foram analisados e serviram de base para o levantamento das alterações necessárias, que serão enviadas à distribuidora do Boardmaker, no Brasil. Este estudo demonstra a importância de analisar tanto a imagem que compõe o pictograma quanto a legenda, com a ampliação do número de profissionais utilizando o PCS, consideramos essencial que sejam criteriosamente revistos o léxico (legendas) e os pictogramas dos sistemas de CSA traduzidos para o português, daí a relevância deste projeto.

Linguagem não verbal - Comunicação suplementar e alternativa - Língua de sinais


B0124



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   83


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal