Universidade estadual de campinas



Baixar 4.13 Mb.
Página22/83
Encontro29.11.2017
Tamanho4.13 Mb.
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   83

Faculdade de Odontologia de Piracicaba

B0196

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DIFERENTES MÉTODOS DE DETECÇÃO DE CÁRIE DENTÁRIA


Marina Vannucci Mena Romeiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Carlos Pereira (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Com o novo padrão epidemiológico da doença cárie (lesões cariosas em estágios iniciais mais prevalentes do que lesões em estágios de franca cavitação), há uma maior necessidade de se detectar a doença de uma maneira confiável e facilmente reprodutível nas diversas regiões do país. O presente estudo tem por objetivo verificar a confiabilidade e reprodutibilidade de examinadores para exames clínicos (com ou sem iluminação), radiográfico (bitewing) e FOTI, em 146 escolares da rede escolar pública de Piracicaba–SP, quantificando-se o adicional de detecção de cárie dentária produzido pelos métodos adjuntos de diagnóstico.Após a fase de calibração, cada examinador realizou todos os tipos de exames propostos em uma mesma sessão, obtendo os dados que foram posteriormente tabulados e inseridos em um programa estatístico. Os resultados obtidos segundo a estatística Kappa (Kappa intra-examinador e Kapaa interexaminador, respectivamente) foram: Exame Clínico I – 0,85/0,90; Exame Clínico II – 087/0,90; Radiografia Bitewing – 0,95/0,93; FOTI 0,92/0,93.Os valores de concordância interexaminador encontrados no estudo foram maiores do que o valor encontrado por Lussi (1991), K = 0,47, e por Moreira et al. (2005), K=0,63.

Diagnóstico - Cárie - FOTI


B0197

AVALIAÇÃO, IN VITRO, DA AÇÃO RESIDUAL DE DIFERRENTES SUBSTANCIAS QUÍMICAS AUXILIARES LIBERADAS PELOS TECIDOS PULPAR E DENTINÁRIO FRENTE À PATÓGENOS ENDODÔNTICOS


Priscila Mayra Fortes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Brenda Paula Figueredo de Almeida Gomes (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Objetivo deste estudo é avaliar in vitro o comportamento antimicrobiano de polpa e dentina bovinas expostas a substâncias químicas auxiliares Fragmentos padronizados destes tecidos foram imersos em soro fisiológico (SF), hipoclorito de sódio 5,25% (NaOCl 5,25%), clorexidina gel 2% (CG 2%) ou líquida 2% (CL 2%) por 5 minutos, e lavados abundantemente com soro fisiológico estéril. As amostras tratadas foram imersas em caldo Brain Heart Infusion inoculado com E. faecalis (ATCC 29212) no padrão 0.5 MacFarland. O conjunto foi incubado em estufa microbiológica a 37°C, e a cada hora, durante 24 horas consecutivas, o grau de turvação, que é indicador de crescimento microbiano, foi verificado em espectrofotômetro. As médias dos resultados para cada hora, em cada grupo, foram tabuladas e construiu-se uma curva de crescimento bacteriano (CCB). Observou-se que as CCB verificadas nos tubos que continham amostras expostas ao NaOCl 5,25% ou SF não demonstraram alteração em relação à curva padrão de crescimento. A CG 2% e CL 2% liberadas das polpas e dentinas expostas foram capazes de impedir o crescimento bacteriano no período de 24 horas. Concluiu-se que clorexidina gel 2% ou líquida 2% liberadas da polpa ou dentina bovina foi capaz de inibir o crescimento bacteriano após 24 horas de contato direto em meio líquido.

Clorexidina - Hipoclorito de sódio - Endodontia


B0198

EMERGÊNCIA EM PACIENTES DE CLÍNICA ODONTOPEDIÁTRICA


Mírian dos Santos Bertoldo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Cecília Gatti Guirado (Orientadora) Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Não faz parte da rotina do brasileiro levar crianças ao dentista nos primeiros anos de vida. Como conseqüência, pacientes pediátricos mutilados são comuns nos serviços emergenciais. O objetivo deste trabalho foi avaliar a freqüência de procura dos pacientes infantis à clínica odontológica para atendimento de urgência e/ou emergências com relação à: sexo, idade, moradia, indicações, tempo decorrido, bem como quais seriam os tipos de tratamentos viabilizados de acordo com o motivo da procura. Foram avaliadas 202 crianças atendidas no serviço emergencial da FOP-Unicamp. Os resultados demonstraram que a faixa etária mais prevalente de pacientes atendidos foi de (05) cinco à (08) oito anos (40%); 56% eram do sexo masculino; 77% da raça branca e que 84,15% residentes em Piracicaba. O dia da semana em que houve maior procura foi sexta-feira, representando 58% do total avaliado. Em 29% foi detectada a necessidade de exodontias, pulpectomias e pulpotomias em dentes decíduos. Em 15% foi realizada a primeira fase do tratamento endodôntico de dentes permanentes jovens. Aproximadamente 85% das crianças já haviam ido ao dentista e dessas, 27% relatou a presença de dor espontânea como sendo o fator motivador. O principal motivo pela procura ao atendimento emergencial no dia do levantamento foi a cárie dentária, percebida através da dor (43%). Verificou-se que os pacientes procuram o serviço de emergência, e mesmo o atendimento odontológico em geral, apenas quando existe sintomatologia dolorosa, e que na maioria das vezes, o quadro já apresenta maior complexidade.

Emergências - Odontopediatria - Crianças


B0199

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO SERVIÇO ODONTOLÓGICO PRESTADO PELA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA: A VISÃO DO USUÁRIO


Ligia Maria Sato Carvalho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do presente estudo foi avaliar as percepções dos pacientes que procuram as clínicas da FOP/Unicamp sobre a qualidade do atendimento prestado. A amostra foi constituída por 150 pacientes, os quais se dispuseram a participar do estudo. O instrumento de coleta de dados foi um questionário semi-estruturado contendo 15 questões, o qual foi aplicado por um único pesquisador. Verificou-se que a maioria dos entrevistados era de Piracicaba-SP e 65,4% apresentam renda familiar entre 2 a 5 salários mínimos. Boa parte (36,4%) procurou a clínica da faculdade por indicação de seus dentistas e 89,2%, afirmaram não sentir dor durante o tratamento. A maioria (69,5) afirmou não ter medo de nada durante o tratamento, sendo que 92,6% disseram que o os alunos explicam os procedimentos que estão realizando em sua cavidade bucal. Sobre o ambiente que é realizado o atendimento odontológico, 62,8% acharam a organização ótima; 57% afirmaram que o conforto também é ótimo; a limpeza foi considerada ótima por 66,9% dos pacientes entrevistados. Conclui-se que a maioria dos pacientes estão satisfeitos com o atendimento prestado pelas Clínicas de Odontologia da FOP-Unicamp.

Satisfação do paciente - Assistência odontológica - Relação dentista-paciente


B0200

Perfil Profissional do Egresso da Faculdade de Odontologia de Piracicaba


Rafael Furuse (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O presente trabalho teve por objetivo avaliar o perfil dos profissionais formados na FOP/Unicamp. Um questionário semi-estruturado foi elaborado e enviado via correio a todos os egressos da FOP que ser graduaram no período entre 1998 e 2004. A amostra do estudo foi constituída por 85 egressos (13,6% do total) que retornaram o questionário. Verificou-se que 87% dos respondentes acharam que receberem formação técnica satisfatoriamente, entretanto, 90% afirmaram que a formação profissional recebida foi somente em parte adequada para prepará-los ao mercado de trabalho e cerca de 85% sugeriram que, para uma melhor preparação dos graduandos da FOP, disciplinas voltadas a organização, planejamento, relacões interpessoais e marketing deveriam ser melhores exploradas durante o curso. Conclui-se que, apesar da formação dos alunos para a realização de procedimentos técnicos ser de boa qualidade, uma abordagem mais ampla das características do mercado de trabalho e dos fatores psicosociais que interferem na relação dentista-paciente deveriam ser mais exploradas na formação do aluno, a fim de garantir-lhes conhecimentos importantes para sua inserção no mercado de trabalho.

Prática profissional - Recursos humanos em Odontologia - Educação em Odontologia


B0201

AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS, PERCEPÇÕES E PRÁTICAS EM SAÚDE BUCAL DAS CRIANÇAS ATENDIDAS NAS CLÍNICAS DE ODONTOPEDIATRIA DA FOP/UNICAMP E DE SEUS FAMILIARES


Rafaela Argento (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo desta pesquisa foi avaliar os conhecimentos e práticas em saúde bucal das crianças atendidas nas clínicas de odontopediatria da FOP-Unicamp e também de seus responsáveis. A amostra constituíu-se de 40 pares crianças-responsáveis e o instrumento de coleta de dados foi um questionário semi-estruturado para ambos. Em relação às mães, 50% afirmaram ter o hábito de comprar guloseimas para os filhos, mas 70% não controlam seu consumo. Cerca de 71,5% afirmaram utilizar fio dental, porém, 28,6% utiliza-o a cada 2-3 dias. Boa parte (64,2%) não costuma ir ao dentista para check-ups pois não têm tempo nem dinheiro para tal. Boa parte (64,3%) acredita que após o tratamento a criança não terá mais cárie e apenas 50% acham possível ter todos os dentes a vida toda. Em relação às crianças, 92,9% afirmaram escovar todos os dias, porém, em relação ao fio dental, 60% o utilizam raramente ou a cada 2-3 dias. Metade das crianças não acha possível ter dentes sem cárie toda a vida e 50% acham que um dentes restaurado é mais resistente que um dente hígido. Entre as refeições principais, 28,6% afirmaram comer guloseimas. Conclue-se que os conhecimentos e hábitos em saúde bucal das mães e crianças entrevistadas precisam ser melhorados através de programas educativos.

Saúde bucal - Conhecimento - Práticas em saúde


B0202

AVALIAÇÃO DO DIAGNÓSTICO DE CÁRIE E DECISÃO DE TRATAMENTO PARA SUPERFÍCIES OCLUSAIS REALIZADOS POR ALUNOS DA FOP/UNICAMP


Willy Fabio Alves (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Fábio Luiz Mialhe (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do presente estudo foi avaliar a concordância interexaminador para o diagnóstico de cárie e decisão de tratamento entre acadêmicos do último ano da graduação da FOP/Unicamp entre os anos de 2006 e 2007. O instrumento de coleta de dados foi um manequim odontológico contendo 20 dentes permanentes. Os mesmos foram radiografados as radiografias montadas em cartelas para observação. Examinaram o manequim 61 graduandos do ano de 2006 e 55 do ano de 2007, correspondendo a 76,3% e 68,8%, respectivamente, da população-alvo de cada ano. A estatística Kappa (k) foi utilizada para se avaliar as variações interexaminadores. Verificou-se que a concordância interexaminador para a detecção de cárie, determinação de sua atividade e tomada de decisão clínica foram de к=0,54, k=0,50 e k=0,52 respectivamente para o ano de 2006 e k=0,52, k=0,40 e k=0,52 respectivamente para o ano de 2007, ou seja, para ambos os anos, esses critérios tiveram concordância moderada entre os alunos. Os resultados evidenciam a necessidade de estratégias de ensino/aprendizagem baseadas em treinamentos/calibrações constantes dos acadêmicos para minimizar estas variações, contribuindo para a formação de um profissional dentro da filosofia de promoção de saúde.

Cárie dentária - Diagnóstico - Planejamento de assistência ao paciente


B0203

ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE DO CENTRO DE PESQUISA E ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO PARA PACIENTES ESPECIAIS (CEPAE – FOP – UNICAMP)


Natália Maria Aparecida Pinto Hernandes (Bolsista PIBIC/CNPq), Rosana de Fátima Possobon, Catia Elvira Ortiz Scarpari, Amanda de Carvalho Ayub Furlan e Profa. Dra. Glaucia Maria Bovi Ambrosano (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O Cepae-FOP-Unicamp oferece atendimento preventivo interdisciplinar a crianças de 0 a 5 anos de idade e desenvolve atividades de pesquisa e ensino. Este estudo investigou a produtividade do Cepae de 1995 a 2003, a fim de avaliar o impacto deste Centro sobre a comunidade. A coleta de dados foi realizada por meio de consulta aos prontuários clínicos dos pacientes, em papel e informatizados, para levantamento do nº de pacientes, nº de sessões, nº de procedimentos curativos e preventivos, índice de prevenção e de cariostase e a prevalência de cárie, além do nº de faltas e abandonos ao programa. Os dados foram lançados em planilhas (Excel) por meio de tabelas e gráficos de distribuição de freqüências. Os resultados mostraram um aumento do nº de pacientes e de práticas clínicas, além do aumento dos índices prevenção e cariostase e da diminuição da prevalência de cárie. Observa-se que o atendimento no Cepae vem se expandindo, mantendo uma rotina de atividades científicas que oferecem embasamento teórico para a prática clínica que, por sua vez, oferece dados para a realização de pesquisas.

Cepae - Pacientes especiais - Atendimento interdisciplinar preventivo.


B0204

AVALIAÇÃO DO POSICIONADOR PARA TUBO TELESCÓPICO EM ALETAS DE ACRÍLICO NA CONFECÇÃO DE APARELHOS ORTODÔNTICOS REMOVÍVEIS


Carlos Henrique de Paula Magagnin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. João Sarmento Pereira Neto (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A presente pesquisa teve por finalidade avaliar a eficácia de um dispositivo com um posicionador de tubos telescópicos inclusos em aletas acrílicas, para confecção de aparelhos ortopédicos removíveis unidos por arcos dorsais. O posicionador é constituído de uma base circular que sustenta uma haste vertical rosqueada, na qual se encontra uma porca com uma segunda haste horizontal menor fixada em sua borda exterior a qual também possui uma rosca e uma porca com a finalidade de fixar o ângulo descrito por um fio de aço de 0,9 mm que envolve a haste e se estende por sete centímetros e acomoda o comprimento de tubo a ser posicionado. O objetivo é conseguir o paralelismo entre os tubos e testar a efetividade do dispositivo na confecção de aparelhos ortopédicos funcionais (AOF). Foram utilizados trinta pares de modelos de trabalho, confeccionados em gesso pedra, obtidos por meio de reprodução em silicone de um mesmo paciente, com o objetivo de padronizar as medições e minimizar o erro de reprodutibilidade e de repetibilidade, de acordo com o método de Dalberg, adaptado para o presente estudo, sendo a seguir confeccionados trinta AOFs do tipo SN1, com o dispositivo proposto, o qual se mostrou efetivo e de uso prático.

Aparelhos ortopédicos - Acrilização de aparelhos; Ortodontia interceptora


B0205

INFLUÊNCIA DE CIMENTOS RESINOSOS NA RESISTÊNCIA À MICROTRAÇÃO DA CERÂMICA IPS EMPRESS ESTHETIC


Guilherme Bottene Guarda (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo desse estudo foi avaliar a resistência da união à microtração de diferentes formas de cimentação da cerâmica IPS Empress Esthetic. Quinze incisivos bovinos foram embutidos em resina, as coroas seccionadas a 7mm da região cervical e submetidas ao acabamento com lixas 120 e 600. Foram confeccionadas 15 amostras da cerâmica IPS Empress Esthetic (10mm x 8mm x 5 mm), divididas em 3 grupos (n=5): 1 – Excite DSC + Variolink II; 2 – RelyX UNICEM; e, 3 – Clearfil SE Bond + RelyX UNICEM. Após tratamento da cerâmica com ácido fluorídrico 10%, por 20 segundos e aplicação do silano, a cerâmica foi unida ao dente de acordo os procedimentos dos 3 grupos acima e irradiada por 40 segundos nos quatros lados com LED-UltraLume 5, a 1100 mW/cm2. Após armazenagem a 37º C por 24 horas, as amostras foram seccionadas na cortadeira Isomet 1000 para obter palitos com 1mm2 de área e submetidas ao ensaio de microtração na Instron, com velocidade de 0,5mm/min.. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e ao teste de Tukey (5%). A resistência à microtração (MPa) do grupo 3 (24,19)a e grupo 1 (18,97)a foram estatisticamente superiores ao grupo 2 (9,14)b. Concluiu-se que os cimentos resinosos associado ao sistema adesivo apresentaram valores de resistência à microtração estatisticamente superiores ao grupo que não empregou o sistema adesivo.

Cerâmica - Microtração - Cimentos resinosos.


B0206

EFEITO DAS FONTES DE LUZ E DA ESPESSURA DA CERÂMICA NA DUREZA KNOOP DE UM CIMENTO RESINOSO


Milena Cristina Berbel Pazin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Lourenço Correr Sobrinho (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo do estudo foi avaliar a influência de duas fontes de luz e da espessura da cerâmica na dureza Knoop de um cimento resinoso. Corpos-de-prova com 5mm de diâmetro e 1mm de espessura do cimento Variolink II foram preparados num molde de teflon, cobertos com uma tira de poliéster e com discos da cerâmica IPS Empress Esthetic nas espessuras de 0,7; 1,4 ou 2,0mm, e irradiados por 40s com os aparelhos LED-UltraLume 5 ou XL2500, com irradiâncias de 1100 e 700mW/cm2. Cinco amostras foram confeccionadas para cada aparelho fotoativador e espessura de cerâmica. A dureza Knoop foi avaliada no aparelho HMV-2 (Shimadzu), com carga de 50g por 15s, após armazenagem a 37ºC por 24h. Dez penetrações foram feitas em cada amostra. Grupos controle para cada fonte de luz foram obtidos sem interposição da cerâmica. Os dados foram submetidos à Análise de Variância e ao teste de Tukey (5%). As médias de dureza do grupo controle, e dos grupos com interposição da cerâmica de 0,7; 1,4 e 2mm, foram: XL 2500=45,0; 38,1; 37,2 e 35,0; LED = 41,1; 42,3; 36,5 e 38,2. As amostras irradiadas sob a cerâmica de 1,4mm e 2mm apresentaram dureza significantemente inferior ao controle e espessura de 0,7mm (p<0,05). A dureza Knoop do cimento resinoso em geral diminuiu com o aumento da espessura da cerâmica. As fontes de luz não influenciaram os valores de dureza para todas as condições estudadas. Apoio FAPESP – Proc.06/53566-8.

Cerâmica - Dureza - Cimentos resinosos


B0207

AVALIAÇÃO DE DUREZA KNOOP DE RESINA COMPOSTA ATIVADO POR DIFERENTES FONTES DE LUZ


Marina Meireles Ganime (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luis Alexandre Maffei Sartini Paulillo (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da fonte ativadora, LED pulsante e luz halógena, na dureza Knoop (KHN) de restaurações classe I em resina composta. Cavidades padronizadas com 3x4x3mm foram confeccionadas com brocas carbide #245 na superfície oclusal de 20 terceiros molares hígidos, que foram separados em 2 grupos (n=10) e as cavidades restauradas com resina composta Z250 em 3 incrementos oblíquos fotoativados no grupo 1 com LED por 10 segundos em modo pulsante e 50 segundos contínuo, e no grupo 2 com lâmpada halógena por 20 segundos. As coroas foram seccionadas no sentido mésio-distal em cortadeira metalográfica e as raízes cortadas perpendicularmente ao seu longo eixo. As hemicoroas foram incluídas em resina de poliestireno e receberam acabamento com lixas de carbeto de silício números 600, 1200 e 2000 sob refrigeração a água e posteriormente polidas com feltros e pasta diamantada em granulações decrescentes 6, 3, 1m em. O ensaio de microdureza Knoop foi realizado com carga de 25g durante 20 segundos sendo realizadas 15 penetrações em cada hemicoroa, 5 em cada profundidade estudada (500μm da parede pulpar, a 500μm e a 1500μm da superfície oclusal). Os dados de dureza Knoop (KHN), foram submetidos à Análise de Variância e comparados pelo teste de Variação Múltipla de Tukey.

Fotoativação - Grau de conversão - Resina composta


B0208

EXCLUSÃO SOCIAL E SUA INFLUÊNCIA SOBRE A PERCEPÇÃO E A SAÚDE BUCAL DOS IDOSOS NÃO INSTITUCIONALIZADOS


Náthali Zamignan Wilde (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo de Castro Meneghim (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O Brasil está passando por um processo de envelhecimento da população. Desta forma, a inclusão social é fator importante na qualidade de vida, pois está ligada ao objetivo de aumentar os anos de vida sem doença. O trabalho tem como objetivo estimar condições básicas de saúde bucal e avaliar a autopercepção de saúde bucal, de idosos não institucionalizados e totalmente independentes, em função do nível de inclusão social. Os idosos foram examinados em reuniões de grupos de terceira idade e responderam a um questionário de autopercepção de saúde bucal. Esta investigação possibilitará conhecer a influência da exclusão social na saúde bucal e percepção de saúde bucal destes idosos. Os resultados ainda não foram totalmente obtidos devido às dificuldades quanto à obtenção destes. Espera-se como resultado uma percepção pior em relação a saúde bucal dos voluntários mais excluídos e, portanto, maior procura por serviços de saúde por problemas de doença quando comparados aos incluídos socialmente e como conclusão, a necessidade de melhorias nas ações de planejamento, execução e monitoramento dos programas de saúde no âmbito público.

Odontogeriatria - Autopercepção de saúde - Políticas de saúde


B0209

AVALIAÇÃO DA RUGOSIDADE SUPERFICIAL DE COMPÓSITOS ODONTOLÓGICOS SUBMETIDOS A DIFERENTES SISTEMAS DE ACABAMENTO E POLIMENTO


Alan Muniz Rodrigues Palialol (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Giannini (Orientador), , UNICAMP
Este estudo avaliou o efeito de métodos de acabamento e polimento na rugosidade de compósitos com diferentes tipos e tamanhos de partículas de carga. Foram testados 3 compósitos: Filtek Z350 (3M ESPE), Esthet X (Dentsply) e Renamel Microfill (Cosmedent). Para o polimento destes foram utilizados discos de acabamento e polimento Sof-Lex (SL–3M ESPE), discos Enhance/PoGo (EP-Dentsply), FlexiDisc/Enamelize (FE-Cosmedent) e um grupo controle preparados com tira de poliéster (TP). Discos dos compósitos foram preparados (3mmx5mm), e divididos aleatoriamente em 12 grupos experimentais (n=8). Após 24 horas, os espécimes foram submetidos aos sistemas de acabamento e polimento e em seguida analisados em aparelho rugosímetro. O parâmetro utilizado foi o Ra. Os dados obtidos foram submetidos à análise estatística ANOVA (2 fatores) e teste de Tukey (p<0,05). Os materiais de acabamento e polimento para cada material restaurador apresentaram diferentes padrões de rugosidade (Ra): Esthet X: FE(0,12±0,01ab), EP(0,09±0,04a), SL(0,12±0,03b), TP(0,09±0,03a); Z350: FE(0,13±0,04a), EP(0,08±0,01b), SL(0,1±0,04ab), TP(0,09±0,03b), Renamel: FE(0,08±0,02a), EP(0,01±0,02a), SL(0,08±0,02a), TP(0,08±0,01a). Quando os compósitos foram polidos com o sistema do mesmo fabricante, eles sempre mostraram menores valores de Ra. O tipo e o tamanho da partícula de carga dos compósitos não influenciaram os valores de Ra.

Resinas compostas  - Acabamento e polimento - Rugosidade


B0210

EFEITO DE AGENTES CLAREADORES ATIVADOS POR LUZ HALÓGENA E LED/LASER DE DIODO NO ESMALTE DENTAL SUBMETIDO A DESAFIO CARIOGÊNICO IN VITRO


Carlos Eduardo Araujo Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Cristiane Franco Pinto (Co-orientadora) e Prof. Dr. Marcelo Giannini (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Este estudo analisou a microdureza longitudinal (ML) e a microscopia de luz polarizada (MLP) na estrutura do esmalte dental com lesões artificiais de cárie (LC), submetido ao tratamento com peróxido de hidrogênio a 35%. As amostras foram divididas em 7 grupos: G1-Whiteness HP Maxx (FGM-WM); G2-W + irradiação com luz halógena (XL 3000, 3M ESPE-LH); G3-WM + irradiação com LED/laser (Ultrablue, DMC-LL); G4-Easy White (Delta Med-EW); G5-EW + LH; G6-EW + LL; G7-sem tratamento. Os resultados da (MIS) foram analisados pelos testes de Kruskal Wallis e Friedman e os da MLP pela ANOVA e teste de Tukey (5%). Os resultados mostraram que o grupo controle (G7) apresentou maiores valores de ML apenas para a profundidade de 10 µm, quando comparados aos tratamentos clareadores e sem diferença nas demais profundidades estudadas. Para a MLP, todos os tratamentos clareadores independente do tipo de ativação promoveram uma maior desmineralização superficial do esmalte dental. Para o agente clareador EW, a irradiação com LL minimizou a desmineralização na presença de lesão de cárie, enquanto, as diferentes técnicas de clareamento com WM resultaram em similares profundidade da extensão de LC.

Esmalte - Cárie - Microscopia de luz polarizada.


B0211

ANÁLISE DO MÓDULO E RESISTÊNCIA FLEXURAL BIAXIAL DE SISTEMAS ADESIVOS COM OU SEM CARGA


Michele S. Liberti (Bolsista FAPESP), C. A. G. Arrais, M. T. Oliveira e Prof. Dr. Marcelo Giannini (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Alguns sistemas adesivos (SA) contém partículas de carga com a finalidade de melhorar a hibridização, mas, os efeitos da adição das partículas de carga nas propriedades mecânicas dos SA não são conhecidas. Este estudo avaliou a adição de partículas de carga (PC) na resistência flexural (RF) e módulo (MO) dos SA Single Bond (SB – 3M ESPE) e Single Bond 2 (SB2 – 3M ESPE), após uma semana e três meses. 80 discos dos adesivos (0,5mm de espessura / 6mm de diâmetro) foram preparados utilizando moldes de silicona de adição (n=10). Os SA foram ativados com luz halógena por 20 seg. Os discos foram armazenados a seco, em álcool, óleo ou água destilada, pelos períodos de 1 semana e 3 meses antes do teste (1,27mm/min – Instron 5844). Os dados foram analisados pela ANOVA (3 fatores) e Teste Tukey (5%). Os resultados mostraram que para o MO e RF houve interação entre os SA e os meios de armazenamento (MA), no entanto, houve diferença entre os períodos testados apenas para a RF. O MO do SB2 apresentou um melhor comportamento para seco e óleo, mostrando-se semelhante ao SB quando armazenado em água. A RF foi reduzida apenas para os discos armazenados em álcool. Com relação aos MA, os discos armazenados a seco e em óleo apresentaram os maiores valores, enquanto o álcool e a água afetaram negativamente tanto o MO quanto a RF. A adição de PC melhorou as propriedades estudadas e os MA influenciaram a RF e MO dos SA.

Adesivos - Módulo - Resistência


B0212

Avaliação epidemiológica dos pacientes de infecção atendidos pelo serviço de Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofaciais da Faculdade de Odontologia de Piracicaba – Unicamp


Felipe Augusto Casseb Hajala, Fábio Ricardo Loureiro Sato e Prof. Dr. Márcio de Moraes (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
As infecções envolvendo os locais de atuação da cirurgia oral e maxilofacial são uma das situações mais freqüentes na prática diária dos profissionais da especialidade. O conhecimento sobre a etiologia e tratamento desses quadros é de fundamental importância, pois independente da origem, elas sempre representam riscos em potencial para os pacientes devido ao fato que se não tratadas de forma precoce e adequada, podem evoluir rapidamente e disseminarem para estruturas anatômicas adjacentes, acarretando riscos à vida, como nos casos de comprometimento de vias aéreas, envolvimento do mediastino e septicemia, entre outros. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi avaliar o perfil dos pacientes atendidos pelo Serviço de Cirurgia e Traumatologia Buco-maxilo-facial da Faculdade de Odontologia de Piracicaba e o tipo de tratamento realizado, assim como os resultados do mesmo. A pesquisa foi submetida e aprovada pelo Comitê de Ética em pesquisa da instituição sob número 05/2007. A metodologia utilizada foi a revisão dos prontuários dos pacientes de infecção atendidos no período de 1999 a 2007 pelo serviço. O total da amostra foram 308 pacientes, com idade média de 30 anos. Os principais sinais e sintomas relatados foram trismo (39%), disfagia (23%), febre (21%) e disfasia (8%). Quanto à origem da infecção, 86% foram de origem dentária, 5% de origem traumática e 9% de outras origens. Quanto aos espaços faciais envolvidos, os principais foram o bucal mandibular (53%), submandibular (22%), bucal maxilar (21%) e canino (14%). Quanto ao tratamento instituído, a drenagem cirúrgica ocorreu em 39% dos casos, sendo que 13% desse total foram realizadas sob anestesia geral. Quanto à terapêutica medicamentosa instituída, 83% foram tratadas com penicilina, e os demais com outros tipos de antibióticos, em especial as cefalosporinas. O índice de complicação no tratamento das infecções foi de apenas 1,3%. Portanto, o número de casos de infecção atendidos pelo serviço estudado é relativamente alto e o protocolo de atendimento preconizado vem apresentando bons resultados de acordo com os resultados obtidos.

Cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial - Infecção odontogênica - Epidemiologia


B0213

Análise microscópica do material adjacente às placas de titânio colhido de pacientes que foram submetidos à cirurgia para remoção de fixação interna rígida pela Área de Cirurgia Bucomaxilofacial da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp


Heloisa Nogueira Duarte, Fábio Ricardo Loureiro Sato e Prof. Dr. Márcio de Moraes (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O uso de placas e parafusos de titânio é o hoje o material de escolha nas fixações dos segmentos ósseos devido a maior estabilidade que é dada às estruturas ósseas, bem como o estímulo à osteogênese associado à função, como reparo primário e ausência de calo ósseo. Entretanto, em raros casos, é necessária a remoção dessa fixação interna rígida devido a presença de infecção, palpabilidade ou exposição da placa e sensibilidade térmica. Apesar da já conhecida biocompatibilidade do titânio, que permanece clinicamente inerte no interior dos tecidos, alguns trabalhos já mostraram que histologicamente existem alterações nos tecidos circunjacentes ao material de fixação rígida de titânio. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi fazer uma análise microscópica da natureza do tecido colhido adjacente às placas de titânio cuja remoção foi indicada. O projeto de pesquisa foi submetido a aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Instituição sob número 04/2007. A metodologia utilizada foi a coleta dos tecidos que envolviam a placa de fixação que foi removida, sendo os mesmo enviados para análise histopatológica na Área de Patologia da FOP-Unicamp. A amostra foi composta por todos os pacientes que necessitaram a remoção do material de fixação no período de Março/2002 a Maio/2007. Nesse período, 34 pacientes foram atendidos pela Área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial para remoção de fixação interna rígida, sendo na maioria dos casos devido à infecção local. Desse total, 47,06% do material submetido à análise histopatológica foi caracterizado como sendo tecido conjuntivo fibroso denso com intensas áreas de infiltrado inflamatório, caracterizando a presença de uma área de fibrose cicatricial na região associada à resposta inflamatória do tecido principalmente decorrente de infecção local. Em 29,41% dos casos foi identificado um tecido conjuntivo fibroso denso, porém sem a presença de infiltrado inflamatório. Já em 11,76% o tecido foi caracterizado como sendo uma neoformação óssea, portanto, sem aquele tecido fibroso comumente encontrado. Entre os casos cujas observações foram atípicas, tivemos um caso de osteomielite, um de degeneração mixomatóide e outro de calcificação distrófica. Sendo assim, é possível afirmar que na grande maioria dos casos, existe um processo de formação de fibrose ao redor do material de fixação interna rígida, com muito infiltrado inflamatório em decorrência de infecção local, sem indícios de alterações teciduais neoplásicas.

Cirurgia e traumatologia buco-maxilo-facial - Patologia bucal - Fixação interna rígida


B0214

INFLUÊNCIA DO USO DE CONTRACEPTIVOS HORMONAIS NA SENSIBILIDADE PULPAR A ESTÍMULO ELÉTRICO


Corinne Mayumi Kakiuchi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O uso de estímulo elétrico para avaliação da eficiência anestésica de soluções anestésicas em Odontologia está bem estabelecido na literatura. A interferência do ciclo menstrual na percepção da sensibilidade dolorosa ainda é controversa. O objetivo deste estudo é avaliar se há variação no limiar de resposta a estímulo elétrico aplicado nos dentes nas diferentes fases do ciclo menstrual de mulheres que fazem uso de contraceptivos. Vinte voluntárias saudáveis, com ciclo menstrual regular e sob medicação com contraceptivos hormonais orais e 20 voluntários, estão sendo submetidos a 15 sessões de avaliação do limiar basal (3 sessões por período do ciclo menstrual ou equivalente a estes) dos dentes canino superior e inferior do lado direito. Cada sessão de avaliação consta de 3 aplicações de estímulo elétrico com “pulp tester” em cada dente, com intervalo de 2 minutos entre as aplicações. As fases do ciclo menstrual consideradas são: menstrual, folicular, periovulatória, lútea e pré-menstrual. Em cada sessão os voluntários respondem a Escala Analógica Visual (EAV) para avaliar a dor sentida pelas estimulações. Os resultados obtidos e analisados (teste de Friedman) até o momento mostram uma tendência de maior limiar basal e de menor percepção dolorosa nos indivíduos do sexo masculino, sem diferença entre sessões.

Sensibilidade pulpar - Ciclo menstrual - Contraceptivos orais


B0215

SENSIBILIDADE PULPAR A ESTÍMULO ELÉTRICO DURANTE O CICLO MENSTRUAL


Juliane Cristina de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Maria Cristina Volpato (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O uso de estímulo elétrico para avaliação da eficiência anestésica de soluções anestésicas em Odontologia está bem estabelecido na literatura. A interferência do ciclo menstrual na percepção da sensibilidade dolorosa ainda é controversa. O objetivo deste estudo é avaliar se há variação no limiar de resposta a estímulo elétrico aplicado nos dentes nas diferentes fases do ciclo menstrual de mulheres que não fazem uso de contraceptivos. Vinte voluntárias saudáveis, com ciclo menstrual regular e sem uso de medicação e vinte voluntários saudáveis, estão sendo submetidos a 15 sessões de avaliação do limiar basal (3 sessões por período do ciclo menstrual para as mulheres e 15 sessões ao longo de 1 mês para os homens) dos dentes canino superior e inferior do lado direito. Cada sessão de avaliação consta de 3 aplicações de estímulo elétrico com “pulp tester” em cada dente, com intervalo de 2 minutos entre as aplicações. As fases do ciclo menstrual consideradas são: menstrual, folicular, periovulatória, lútea e pré-menstrual. Em cada sessão os voluntários respondem a Escala Analógica Visual (EAV) para avaliar a dor sentida pelas estimulações. Os resultados obtidos e analisados (teste de Friedman) até o momento mostram uma tendência de maior limiar pulpar na primeira sessão em comparação às demais para os homens; não tem sido observada diferença de percepção entre as fases do ciclo nas mulheres.

Sensibilidade pulpar - Ciclo menstrual - Estímulo elétrico


B0216

EFEITO DE DIFERENTES PROTOCOLOS DE FOTOATIVAÇÃO SOBRE A DENSIDADE DE LIGAÇÕES CRUZADAS DE COMPÓSITOS ODONTOLÓGICOS


Rafael Pino Vitti (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof Dr. Mário Alexandre Coelho Sinhoreti (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Este estudo verificou o efeito de diferentes protocolos de fotoativação sobre a densidade de ligações cruzadas de dois compósitos restauradores fotoativados por luz de lâmpada halógena ou LED. Foram utilizadas matrizes metálicas (2mm altura X 5mm diâmetro) nas quais os compósitos Supreme e Charisma foram inseridos em incremento único e fotoativados por luz de lâmpada halógena (XL2500/3M) ou luz emitida por diodo (Ultralume5/Ultradent) utilizando a densidade de energia de 12J/cm2, com os seguintes protocolos (n=5): Grupo H1-600mW/cm2 por 20s (controle); Grupo H2–300mW/cm2 por 40s; Grupo H3-150mW/cm2 por 80s; Grupo H4-50mW/cm2 por 240s; Grupo L1-600mW/cm2 por 20s (controle); Grupo L2–300mW/cm2 por 80s; Grupo L3-150mW/cm2 por 80s; Grupo L4-50mW/cm2 por 240s. Para cada grupo foram confeccionados cinco espécimes, que foram armazenados por 24h em estufa a 37ºC em ambiente escuro. Em seguida foram realizadas 3 leituras de dureza Knoop na região de topo e de base da amostra e após, obtida uma média. Após a leitura de dureza inicial os espécimes foram imersos em etanol 100% por 24 horas e posteriormente foram realizadas novas leituras de dureza. Os resultados foram submetidos a ANOVA (3 fatores) e as médias ao teste de Tukey (5%). Os resultados mostraram que houve significância estatística para a interação tripla: tipo de compósito X protocolo de fotoativação X região (p=0,006). Pode-se concluir que o protocolo de fotoativação e o compósito tiveram influência sobre a densidade de ligações cruzadas. Já a superfície de leitura (topo e base) não influenciou a densidade de ligações cruzadas

Resinas compostas - Fotoativação - Ligações cruzadas


B0217

EFEITO DE DIFERENTES FONTES DE LUZ E DA INTERPOSIÇÃO DE UMA CERÂMICA FELDSPÁTICA NA DUREZA KNOOP DE UM CIMENTO RESINOSO DUAL


Vanessa dos Santos Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Mário Alexandre Coelho Sinhoreti (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Este estudo avaliou a influência da interposição de um disco da cerâmica felsdpática HeraCeram, utilizando duas fontes de luz e três tempos de exposição, sobre a dureza Knoop do cimento resinoso dual Rely-X ARC. Foi utilizado um incisivo bovino com a face vestibular planificada, onde uma matriz metálica (1mm altura X 5mm Ø) foi assentada. O cimento foi manipulado segundo o fabricante, inserido na matriz e o excesso removido com tira de poliéster. A fotoativação foi realizada com luz de lâmpada halógena XL2500 (700mW/cm2) ou LED Ultralume 5 (1200mW/cm2) com tempo de 40s diretamente sobre o cimento, ou por 40, 80 ou 120s quando o disco da cerâmica HeraCeram (1mm altura x 7mm Ø) foi posicionado entre o cimento e a fonte de luz. Após armazenagem (24h/37oC), os espécimes (8 grupos-n=5) foram desgastados para a leitura de dureza Knoop no topo, meio e base do espécime (média de 9 leituras). Os dados foram submetidos à análise de variância e teste de Tukey (5%). Não houve diferença entre fotoativação direta ou com interposição de cerâmica (p>0,05). Os espécimes fotoativados por LED foram estatisticamente superiores aos fotoativados por QTH para o tempo de 40s e inferiores para 80 e 120s. Os espécimes fotoativados com LED por 40 e 80s foram estatisticamente superiores aos fotoativados por 120s. Os espécimes fotoativados por QTH 80 e 120s foram superiores aos fotoativados por 40s. A dureza Knoop do cimento Rely X ARC foi influenciada pela fonte de luz e pelo tempo de exposição. A interposição da cerâmica HeraCeram não influenciou a dureza Knoop do cimento.

Resinas compostas - Fotoativação - Cimento resinoso


B0218

INFLUÊNCIA DE REPETIDAS DESINFECÇÕES POR MICROONDAS NA DUREZA E RESISTÊNCIAS À FLEXÃO E AO IMPACTO DE RESINAS ACRÍLICAS


Douglas Duenhas de Azevedo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Rafael Leonardo Xediek Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O trabalho verificou o efeito de repetidas desinfecções por microondas na dureza e resistências à flexão e ao impacto das resinas acrílicas Clássico, Onda-Cryl e QC-20. Amostras com 65x10x3mm foram polimerizadas em água a 74ºC por 9 horas, água em ebulição por 20 minutos e por energia de microondas com 1400W por 3 minutos. As amostras foram submetidas a 5 desinfecções, uma por semana, em microondas com 650W por 5 minutos, imersos em 150mL de água. A dureza e resistências à flexão e ao impacto foram verificadas nos grupos controle e desinfectados: dureza Knoop em microdurômetro com carga de 25g por 10 segundos; flexão três pontos, numa máquina Instron, com velocidade de 1mm/minuto até fratura; e de impacto usando o sistema Charpy, com 40 kpcm de impacto. Os resultados foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%). Dureza Knoop: Clássico (antes=14,59a e depois=12,18b); Onda-Cryl (antes=18,53a e depois=13,61b) e QC-20 (antes=11,53a e depois=11,34a); Flexão MPa: Clássico (antes=5,96a e depois=5,02b); Onda-Cryl (antes=6,12a e depois=4,30b) e QC-20 (antes=5,96a e depois=4,50b) e Impacto kgf/cm2: Clássico (antes=7,85a e depois=9,19b); Onda-Cryl (antes=8,46a e depois=7,86a) e QC-20 (antes=8,19a e depois=4,33b).Repetidas desinfecções causaram diferentes efeitos sobre a dureza e resistências à flexão e ao impacto das resinas acrílicas Clássico, Onda-Cryl e QC-20.

Desinfecções - Microondas - Resina acrílica


B0219

INFLUÊNCIA DE REPETIDAS DESINFECÇÕES POR MICROONDAS NA ADAPTAÇÃO DA BASE DE PRÓTESE TOTAL


Rose Yochimi Iwasaki (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Rafael Leonardo Xediek Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo foi verificar o efeito de repetidas desinfecções por microondas na adaptação da base de prótese total, confeccionada com resina acrílica Clássico. Vinte amostras foram separadas em 4 grupos (n=5): 1- prensagem da resina, fixação da mufla em grampo convencional e polimerização em água a 74ºC por 9 horas; 2- idem grupo 1 e desinfecção por microondas; 3- prensagem da resina, fixação da mufla com RS e polimerização em água a 74ºC por 9 horas; 4- idem grupo 3 e desinfecção por microondas. As bases dos grupos 2 e 4 foram submetidas a 5 desinfecções, uma por semana, imersas individualmente em 150mL de água, em microondas a 650W por 5 minutos e fixadas nos modelos. Foram feitos três cortes: distal de caninos (A), mesial dos primeiros molares (B) e região palatina posterior (C). A adaptação foi verificada com microscópio, em cinco regiões para cada corte: fundo de sulco direito e esquerdo, crista do rebordo alveolar direito e esquerdo e linha palatina mediana. Os resultados foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%). Não houve diferença estatística significativa na adaptação da base nos fatores prensagem convencional (sem desinfecção=0,217mm e com desinfecção=0,227mm) e sistema RS (sem desinfecção=0,165mm e com desinfecção=0,176mm). Repetidas desinfecções por microondas não alteraram o nível de adaptação da base tanto na prensagem convencional como no sistema RS.

Desinfecção - Microondas - Base de prótese


B0220

INTERFERON g INIBE A ATIVIDADE DE MIOFIBROBLASTOS GENGIVAIS DE PACIENTES COM FIBROMATOSE GENGIVAL HEREDITÁRIA (FGH)


Patrick Franz Montan (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Della Coletta (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Miofibroblastos são as principais células envolvidas em doenças fibróticas como a FGH. O objetivo deste estudo foi determinar o efeito de interferon g (IFNg) na atividade de miofibroblastos de pacientes com FGH e determinar se esta citocina previne a indução da transdiferenciação de fibroblastos gengivais normais em miofibroblastos promovida pelo fator de crescimento transformante-b1 (TGF-b1). Para determinar o efeito de IFNg, a expressão do marcador específico de miofibroblastos isoforma a da actina de músculo liso (a-SMA) foi examinada por RT-PCR, western blot e imunofluorescência. O ensaio de ELISA para colágeno tipo I avaliou a atividade metabólica dos miofibroblastos. Nossos resultados demonstraram que IFNg bloqueia a expressão de a-SMA em uma maneira dose e tempo dependente e preveni a transdiferenciação de fibroblastos gengivais tratados com TGF-b1 em miofibroblastos. IFNg alterou o metabolismo dos miofibroblastos derivados de FGH, através da diminuição da expressão de a-SMA e colágeno tipo I. Adicionalmente, IFNg estimulou a expressão de Smad7 e inibiu a expressão do fator de crescimento de tecido conjuntivo (CTGF), que é considerado uma molécula chave na transdiferenciação via TGF-b1. Estes resultados demonstram que IFNg bloqueia a transdiferenciação dos miofibroblastos via estimulação transcricional de Smad7. Interessantemente, este estudo sugere que IFNg pode ser clinicamente efetivo no tratamento de FGH por atenua a excessiva produção de colágeno tipo I por miofibroblastos.

Fibromatose gengival hereditária - Miofibroblastos - Interferon-gama


B0221

EFEITO DA DIFERENCIAÇÃO CELULAR NA EXPRESSÃO DE MEMBROS DA FAMÍLIA HOX DE GENES HOMEOBOX EM CULTURAS CELULARES DE CARCINOMA ESPINOCELULARES BUCAIS


Rafael Araújo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ricardo Della Coletta (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Células neoplásicas são caracterizadas por uma alteração no padrão de diferenciação celular. Inúmeros membros da família HOX de genes homeobox estão envolvidos com a especificidade da diferenciação celular durante a embriogênese e com a manutenção deste padrão em tecidos normais adultos. Interessantemente, estes genes apresentam uma expressão desregulada em cânceres. Este estudo avaliou diferentes métodos de indução da diferenciação celular e determinou o efeito deste processo na expressão dos membros HOXA5, HOXA9, HOXA10, HOXB4 e HOXB7 da família HOX de genes homeobox através da técnica de RT-PCR. Quatro linhagens celulares de CEC bucal (SCC4, SCC9, SCC15 e SCC25) foram submetidas a ensaios de indução da diferenciação celular através da elevação dos íons de cálcio em meio de cultura, exposição ao ácido retinóico all-trans e crescimento em suspensão. A análise morfológica das linhagens celulares coradas pela técnica de papanicolau demonstrou que apenas o método de crescimento em suspensão foi capaz de induzir a diferenciação celular das linhagens de CEC bucal. HOXB7 foi o único gene que apresentou uma modulação na sua expressão, passando de pouco expresso nas células indiferenciadas para uma expressão elevada em células de CEC bucal diferenciadas pelo crescimento em suspensão. Estes resultados sugerem que a expressão alterada de HOXB7 pode estar associada ao desenvolvimento e/ou progressão do CEC bucal.

Carcinoma espino-celular - Diferenciação - Homeobox


B0222

ESTUDO PROSPECTIVO DA EFICÁCIA DO LASER DE BAIXA INTENSIDADE NO TRATAMENTO DE ALTERAÇÕES DE SENSIBILIDADE APÓS REMOÇÃO DE ENXERTO ÓSSEO DA REGIÃO DA SÍNFISE MANDIBULAR


Juliana de Souza Dias Marcassa (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roger William Fernandes Moreira (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O laser de baixa intensidade é aplicado com o objetivo de diminuir o tempo de retorno da função sensorial. O objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito do laser de baixa intensidade (LBI) no tratamento de alterações de sensibilidade após ostectomia em região de sínfise mandibular. Foram avaliados 12 pacientes, divididos em 2 grupos: um que recebeu aplicações de LBI e outro que não recebeu. A deficiência neurosensorial foi determinada com o uso de uma escala visual analógica e através de testes neurosensoriais específicos, ambos realizados no pré-operatório, e nos dias 42 e 56 do pós-operatório. No grupo controle o teste de toque realizado no 42° dia apresentou distinção de toque a partir de 2g para todos os pacientes; e no teste realizado no 56° cinco pacientes apresentaram sensibilidade a partir de 0,2g e um a partir de 2g. No grupo experimental no teste realizado no 42° dia cinco pacientes apresentaram sensibilidade a partir de 0,2 g; e uma sensibilidade positiva em todos os níveis. No teste realizado no 56° dia, todos os pacientes apresentaram sensibilidade semelhante ao pré-operatório. Concluímos que o grupo em que foi aplicado LBI apresentou um retorno maior na percepção de toque em um menor período de tempo.

Laser de baixa intensidade - Parestesia - Enxerto de mento


B0223

RELAÇÃO ENTRE AMAMENTAÇÃO NATURAL E O RETORNO DA MÃE AO TRABALHO


Andréa Milanez (Bolsista PIBIC/CNPq), Aline Alves e Profa. Dra. Rosana de Fátima Possobon (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
A Organização Mundial da Saúde preconiza o aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida do bebê. Entretanto, com a crescente presença da mulher no mercado de trabalho, foi necessária a criação de dispositivos legais de proteção à amamentação da mãe trabalhadora, no intuito de garantir as condições necessárias à manutenção desta prática. Este estudo verificou a manutenção da amamentação no período de retorno da mãe ao trabalho, comparando 30 mães participantes do Grupo de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo (GIAME-Cepae-FOP-Unicamp) (Grupo Experimental-GE), com 30 mães não participantes deste grupo (Grupo Controle-GC). Foram incluídas na amostra somente as mães de bebês com 6 meses completos e que possuíam vínculo empregatício. Os resultados mostraram que as mães do GE mantiveram o aleitamento por mais tempo do que as mães do GC. O retorno ao trabalho apareceu como uma causa importante do desmame precoce, uma vez que os dados mostraram que 63% das mães interromperam o aleitamento justamente na época de retorno ao trabalho. Os dados deste estudo permitem inferir que é de suma importância a assistência à mulher trabalhadora, por profissionais de saúde capacitados para oferecer orientações sobre aleitamento, durante o período de gestação e o pós-parto, a fim de manter o aleitamento exclusivo até o 6º mês de vida do bebê.

Aleitamento materno - Retorno da mãe ao trabalho - Psicologia aplicada à odontologia


B0224

INVESTIGAÇÃO DA VARIAÇÃO DO NÍVEL DE CORTISOL ENTRE PACIENTES ODONTOPEDIÁTRICOS


Leonardo Tribis (Bolsista PIBIC/CNPq), Ludmila da Silva Tavares Costa (Mestranda) e Profa. Dra. Rosana de Fátima Possobon (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O tratamento odontológico pode representar uma fonte geradora de medo ao paciente odontopediátrico. Acredita-se que, mesmo a criança colaboradora, ou seja, aquela que não oferece resistência durante a intervenção odontológica, pode apresentar altas taxas de cortisol, hormônio indicador de estresse, no momento do tratamento. Frente a esta questão, o objetivo deste estudo foi investigar a variação do nível de cortisol entre 10 crianças colaboradoras (faixa etária: 48-60 meses), comparando amostras de saliva coletadas em domicílio num final semana (período da manhã e tarde) com amostras coletadas imediatamente após atendimento odontológico preventivo realizado no período da tarde no Cepae-FOP-Unicamp e na manhã deste mesmo dia. A saliva foi coletada utilizando um rolete de algodão e um tubo do tipo Eppendorf - Salivete®. Os resultados mostraram que o nível de cortisol salivar liberado no período da manhã foi superior ao da tarde, sendo compatível com a variação deste hormônio durante o ciclo circadiano em indivíduos que não apresentam patologias e/ou respostas a fatores estressantes. Pode-se inferir que a queda na taxa de cortisol demonstra que o ambiente odontológico e o tratamento preventivo realizado não foram ansiogênicos para estas crianças colaboradoras.

Cortisol salivar - Estresse - Medo odontológico


B0225

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE PREVENÇÃO ODONTOLÓGICA


Marina Trevelin Souza (Bolsista PIBIC/CNPq), Cátia Elvira Ortiz Scarpari (Co-orientadora) e Profa. Dra. Rosana de Fátima Possobon (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O crescimento é determinado pelo potencial genético e pelo ambiente, sendo fortemente dependente das condições de nutrição e morbidade. A partir das medidas peso/idade, altura/idade, peso/altura obtêm-se índices antropométricos que são sensíveis para avaliação de déficits e estado nutricional de grupos populacionais. O trabalho teve como objetivo a avaliação antropométrica de 200 crianças (06-60 meses de idade), participantes do Programa de Atenção Precoce à Saúde oferecido pelo Centro de Pesquisa e Atendimento Odontológico para Pacientes Especiais – Cepae, da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp, visando identificar o estado nutricional segundo os índices de z-score e IMC. As crianças foram pesadas e medidas durante suas consultas regulares no Cepae, momento em que as mães foram entrevistadas. Esta investigação possibilitou a relação do estado nutricional da criança com um conjunto de variáveis relativas à família e ao domicílio. Os resultados mostraram baixa prevalência de déficits nutricionais e maior prevalência de obesidade na amostra, indicando a necessidade de atenção precoce à criança, com vistas a promoção de saúde e prevenção de morbidades futuras. Os dados permitem concluir que o dentista pode e deve atuar na investigação do paciente de forma integral, disponibilizando informações à família para a instalação de comportamento de saúde.

Avaliação antropométrica - Estado nutricional - Prevenção precoce


B0226

AVALIAÇÃO DE UM PROTOCOLO PARA O TRATAMENTO DE FISSURA MAMILAR


Tatiane Scontre Fontes (Bolsista PIBIC/CNPq), Cristina Gibilini (Mestranda) e Profa. Dra. Rosana de Fátima Possobon (Orientadora), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
Apesar do amplo conhecimento sobre os benefícios do aleitamento materno, ainda observa-se alta incidência de desmame precoce, principalmente devido a problemas de mama. Na tentativa de diminuir esses índices, profissionais de saúde têm trabalhado no sentido de aumentar a adesão da mãe às orientações para manter o aleitamento, por meio do manejo correto da amamentação, em especial, quanto aos cuidados necessários com a mama para mantê-la saudável. Este estudo avaliou a eficácia do emprego de um protocolo para tratamento de fissura mamilar associado ao apoio oferecido à puérpera para manutenção da amamentação. A amostra foi constituída por 34 mães acometidas por fissura mamilar, participantes do Grupo de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo (GIAME–Cepae–FOP–Unicamp). As mães foram entrevistadas em 2 ocasiões (na detecção da fissura e no momento da alta) e orientadas a seguir o protocolo para tratamento da fissura mamilar elaborado pela equipe do GIAME. A pesquisadora acompanhou as mães diariamente, oferecendo apoio instrumental, informativo e emocional visando a manutenção do aleitamento. Os resultados mostraram um alto índice de satisfação das mães quanto ao uso do protocolo, que foi mais eficaz do que os métodos usados anteriormente por elas. Conclui-se que, além da disponibilização de informações sobre um método de cura, o apoio social é um fator indispensável para a manutenção do aleitamento em casos de problemas de mama.

Desmame precoce - Fissura mamilar - Prevenção precoce.


B0227

AVALIAÇÃO DA DENSIDADE DE LIGAÇÕES CRUZADAS, DENSIDADE DE POTÊNCIA E ESPECTROS DE LUZ EM DIFERENTES CORES DE COMPÓSITOS ODONTOLÓGICOS


Aline Simprini de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Simonides Consani (Orientador), Faculdade de Odontologia de Piracicaba - FOP, UNICAMP
O objetivo foi avaliar a densidade de ligações cruzadas, densidade de potência e espectros de luz do compósito Filtek Z250 nas cores A1, A2, A3, A3,5, B1, B2, C2, C3. A potência da luz do fotoativador foi verificada no Ophir 10A-V2-SH e a densidade da potência (irradiância) calculada pela formula potência/área da ponta do fotoativador (910mW/cm2). O espectro da fonte de luz foi registrado com espectrômetro, caracterizando os espectros e aferição da irradiância. Para cada cor foram feitas 10 amostras numa matriz (2mm de espessura e diâmetro de 7mm). Os discos de resina foram acoplados à ponta do fotoativador para verificar a perda de densidade de potência e mudança no espectro de luz. As amostras foram armazenadas em estufa (37oC) por 24 horas, submetidas ao ensaio de dureza Knoop e armazenadas em etanol a 100% protegidas da luz. Após 24 horas, foram submetidas ao ensaio de dureza Knoop para calcular a diminuição de dureza (%). Os dados foram submetidos à análise de variância e ao teste de Tukey (5%). A cor A1 obteve a maior média de passagem de luz (412 mW/cm2) e a C3 (298mW/cm2) a menor, com diferença estatística. As demais cores mostraram resultados intermediários. A cor C2 obteve maior média de diminuição de dureza Knoop (31,46%) e a B1 a menor (21,77%). Outras cores foram intermediárias. A cor mais clara permitiu maior passagem que a mais escura. Não houve correlação entre as cores mais claras do compósito com os valores de diminuição de dureza.

Compósito - Ligação cruzada - Densidade de potência






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   83


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal