Universidade estadual de campinas



Baixar 4.13 Mb.
Página39/83
Encontro29.11.2017
Tamanho4.13 Mb.
1   ...   35   36   37   38   39   40   41   42   ...   83

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE FASES ESTACIONÁRIAS MONOLÍTICAS A PARTIR DE BUTILMETACRILATO PARA USO EM ELETROCROMATOGRAFIA CAPILAR


Mayra M. Roganti (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Carla Beatriz Grespan Bottoli (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O desenvolvimento da Eletrocromatografia Capilar (CEC) está relacionado principalmente com as fases estacionárias contidas nas colunas capilares. Um tipo de fase estacionária que tem se mostrado muito promissora em CEC são os monolitos, que podem ser de sílica ou de polímeros orgânicos. Neste trabalho, lotes de monolitos foram preparados preenchendo os capilares com uma mistura de butilmetacrilato (monômero precursor), etilenodimetacrilato (agente de entrecruzamento) e ácido 2-acriloilamido-2-metilpropanosulfóxido (monômero carregado) em solvente composto de água deionizada, 1-propanol e 1,4-butanodiol. À essa mistura adicionou-se azobisisobutironitrila, um agente iniciador do processo de entrecruzamento feito por aquecimento. A uniformidade do preenchimento do monolito ao longo do capilar foi avaliada com o auxílio do microscópio ótico e a morfologia do monolito foi avaliada pela técnica de microscopia eletrônica de varredura e eletroforese capilar. Este estudo mostrou que é possível preparar colunas monolíticas a partir de butilmetacrilato com tamanhos de poros controlados e úteis para serem usadas em CEC.

Monolito - Butilmetacrilato - Eletrocromatografia capilar


E0421

ESTUDO DAS MODIFICAÇÕES DA SUPERFÍCIE DE FASE ÓSSEA INORGÂNICA IMERSA EM FLUIDO BIOLÓGICO SIMULADO


Luana Pereira Faria (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Celso Aparecido Bertran (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
As mudanças que ocorrem na superfície dos fosfatos de cálcio, formadores da fase óssea inorgânica, em equilíbrio com SBF (fluido biológico simulado), não estão completamente compreendidas e caracterizadas até o momento, apesar de serem fundamentais para os vertebrados. Neste trabalho, a dissolução de Hidroxiapatita (modelo mais aceito para fase óssea inorgânica) e de fase óssea inorgânica em SBF foi acompanhada através da medida da concentração de Ca2+ por eletrodo de íon seletivo. Além do estudo da cinética de dissolução, os fosfatos de cálcio foram caracterizados antes e após a imersão no SBF por FTIR, EDS, DRX, TGA e BET. O sistema estudado simula as condições fisiológicas ao manter o SBF a temperatura em 37ºC e o pH 7,4, controlado pelo borbulhamento de CO2 na solução através do tampão HCO3-/H2CO3. Os resultados obtidos nas leituras do eletrodo mostraram que até o quinto dia de imersão uma significativa quantidade de íons Ca+2 dissolve no SBF, e após essa dissolução há uma adsorção desses íons no material. Os resultados obtidos pelos métodos de caracterização dos sólidos não mostraram nenhuma diferença significativa entre o material antes e após a imersão, indicando que as modificações ocorrem em uma camada muito fina da superfície desses materiais.

Fase óssea inorgânica - Hidroxiapatita - Superfície


E0422

INVESTIGAÇÃO DE ELETRÓLITOS ALTERNATIVOS PARA APLICAÇÃO EM CÉLULAS SOLARES DE TiO2/CORANTE


Ana Carolina Fadel Dalsin (Bolsista PIBIC/CNPq), L. M. Peron, M. A. De Paoli, W. A. Henderson, S. Passerini e Profa. Dra. Cláudia Longo (Orientadora), Instituto de Química – IQ, UNICAMP
A eficiência de conversão de energia das células solares de TiO2/corante depende diretamente do eletrólito utilizado em sua montagem. Motivados em investigar eletrólitos alternativos para essa aplicação, investigou-se a preparação e caracterização de eletrólitos contendo o par redox I-/I3-, o líquido iônico bis(trifluorometano-sulfonil)imida de N-metil-Npropilpirrolidínio, PYR13TFSI, e os copolímeros poli(óxido de etileno-co-dietilenoglicoldimetilglicidilmetiléter), P(EO-DGME), e poli(óxido de etileno-co-epicloridrina), P(EO-EPI). Análises de Termogravimetria e Calorimetria Diferencial de Varredura revelaram que todos os eletrólitos se apresentaram estáveis até temperaturas próximas a 300 °C, valor muito superior à temperatura usual para as células solares. Através de medidas eletroquímicas, verificou-se que os eletrólitos híbridos, i.e., constituídos de misturas do líquido iônico e copolímero, apresentaram menor impedância geral e maior reversibilidade do par redox do que os eletrólitos preparados apenas com os copolímeros. A aplicação dos eletrólitos em células solares revelou que a maior eficiência de conversão foi obtida para a célula solar preparada com o eletrólito contendo o par redox e a combinação dos dois copolímeros e do líquido iônico em proporções iguais (eficiência de 1,0 %, independente da intensidade de radiação).

Líquidos iônicos - Eletrólitos poliméricos - Células solares


E0423

DINÂMICA DE IMPACTO DE GOTAS EM SUPERFÍCIES ESTRUTURADAS


Thaís Cristina Destefani (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edvaldo Sabadini (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A molhabilidade de uma superfície pode ser completamente alterada se a mesma for recoberta com uma única camada de moléculas que possuam natureza química diferente. Inúmeras aplicações corriqueiras baseiam-se na molhabilidade dinâmica de uma superfície. Neste contexto, desenvolveram-se estudos de impacto de gotas de água contra substratos sobre os quais a foram depositadas camadas de moléculas hidrofóbicas organizadas do ponto de vista molecular. Para isto foram depositados filmes monomoleculares de fosfolipídios nas superfícies de lâminas de vidro, cuja monocamada foi previamente compactada em uma balança de Langmuir-Blodgett (LB). Os estudos da dinâmica de impacto de gotas sobre essas superfícies foram desenvolvidos usando imagens obtidas por uma câmera digital de alta velocidade. Os parâmetros morfológicos obtidos em cada instante foram analisados considerando os modelos de molhabilidade de superfícies. Observou-se que nos impactos das gotas, essas superfícies mostram uma dependência com os módulos de elasticidade das monocamadas depositadas e que a deposição de mais de 3 monocamadas apresenta maior resistência a destruição. As monocamadas de fosfolipídios de cadeia simples (estearato) são mais resistentes a "erosão" provocada pelo impacto da gota de água que as monocamadas formadas por fosfolipídios de cadeia dupla (dihexadecilfosfato). Isto se deve a maior compactação, e portanto maior interação das cadeias do fosfolipídio presentes na monocamada.

Impacto de gotas - Filmes Langmuir-Blodgett - Escoamento


E0424

ADIÇÃO DE MICHAEL EM ADUTOS DE MORITA-BAYLIS-HILLMAN. SÍNTESE DE DERIVADOS IMIDAZÓLICOS


Jorge A. Siqueira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fernando Antonio Santos Coelho (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O núcleo imidazólico está presente em diversos fármacos e produtos naturais com atividade biológica, que vão desde agentes anti-ulcerogênicos e anti-fúngicos até moléculas passíveis de serem utilizadas no tratamento de infecções, como a Nagstatina. Neste estudo visamos sintetizar, a partir de adutos de Morita-Baylis-Hillman (MBH), diversos desses derivados imidazólicos partindo de aldeídos variados, através de uma reaçção de adição conjugada de imidazol à dupla ligação concomitante com uma reação de proteção da hidroxila secundária dos adutos. Alguns parâmetros dessa reação foram estudados, tais como, tempo e solventes. Os resultados obtidos são muito promissores e levaram a preparação dos produtos desejados em bons rendimentos e uma boa diastereosseletividade na maioria dos casos.Os dados obtidos até o presente indicam que o grau de diastereosseletividade aparentemente está a alguns parâmetros eletrônicos dos adutos. Os derivados imidazólicos fora caracterizados e podem ser utilizados como substrato para reações de ciclização intramolecular, levando à obtenção de moléculas mais complexas e com considerável potencial farmacêutico.

Morita-Baylis-Hillman - Imidazol - Adição diastereosseletiva


E0425

SÍNTESE PARA INTERMEDIÁRIOS-CHAVE PARA A PREPARAÇÃO DO (+)-SITOFILATE E DO SITOFILURE, A PARTIR DE UM ADUTO DE MORITA-BAYLIS-HILLMAN


Mariana C. Manzini (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Fernando Antonio Santos Coelho (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Feromônios de agregação são importantes ferramentas no controle de populações de insetos e essa estratégia é muito utilizada como forma de administração racional de inseticidas. O sitofilate e o sitofilure são hormônios de agregação de coleópteros, insetos responsáveis por perda de 20% de cerais estocados. Nossa síntese assimétrica se baseia na reação de Morita-Baylis-Hillman, testado inicialmente com um acrilato quiral preparado com o auxliar de Greene numa reação com o propionaldeído. O resultado foi uma baixa diastereosseletividade. Mudamos, então, a estratégia incorporando uma estapa de resolução do aduto de MBH de acordo com a metodologia descrita por Nascimento e cols, e nossos resultados foram idênticos ao dos autores (syn 90:10). Separados os enantiômeros, foram reduzidos na presença de Pd/C 10% e H2. A diastereosseletividade do processo foi semelhante ao encontrado em trabalhos do grupo ( inversão da diastereosseletividade com prevalência do anti 3:1. Atualmente nossos estudos visam uma hidrólise adequada a partir do intermediário-chave obtido pós hidrogenação.

Morita-Baylis-Hillman - Sitofilate - Sitofilure


E0426

USO DA REAÇÃO DE BAYLIS-HILLMAN: ESTUDOS VISANDO A SÍNTESE DE INTERMEDIÁRIOS AVANÇADOS PARA A PREPARAÇÃO DA VIDALENOLONA


Marília Simão dos Santos (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Fernando Antonio Santos Coelho (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A Vidalenolona é um metabólito fenólico isolado de algas vermelhas da espécie Vidalia sp. Essa substância exibe um padrão estrutural incomum e a presença de um sistema 1,2-dicetona em sua estrutura, o que a transforma em uma candidata para testes de atividade antiproliferativa. Nesse trabalho descrevemos os resultados de uma nova abordagem sintética que nos permitiu preparar, numa versão racêmica um intermediário avançado para a síntese total do produto natural marinho. No nosso entender, a Vidalenolona pode ser preparada através de algumas reações de interconversão de grupos funcionais de um aduto de Baylis-Hillman obtido pela reação da 2-ciclopentenona e o 4-pivaloil-benzaldeído. Esse aduto contém todo esqueleto de carbonos do produto natural. Dando continuidade a sequência, o aduto foi acetilado e tratado com um NaBH4 para fornecer um álcool alílico que foi utilizado como substrato para uma reação de epoxidação na presença de ácido m-cloroperbenzóico. O epóxido obtido teve a sua hidroxila oxidada com TPAP e em seguida foi aberto regiosseletivamente em atmosfera de hidrogênio, na presença de Pd/C. O álcool terciário foi metilado fornecendo um intermediário avançado na seqüência proposta. Formalmente faltam duas etapas para finalizarmos a primeira síntese total da Vidalenolon.

Vidalenolona - Baylis-Hillman - Epoxidação


E0427

SÍNTESE DE β-AMINOÉSTERES POTENCIALMENTE REVERSORES DA RESISTÊNCIA A MÚLTIPLAS DROGAS, MEDIADA PELA GLICOPROTEÍNA P


Paula Cristina Huber (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Fernando Antonio Santos Coelho (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A resistência a múltiplas drogas (MDR) é um dos obstáculos para o sucesso da quimioterapia no tratamento de alguns tipos de neoplasias. A glicoproteína P (Pgp) é uma bomba de efluxo capaz de impedir a ação do quimioterápico, não permitindo que este atinja a concentração terapêutica no interior da célula, sendo um alvo importante para a ação de inibidores. Estudos SAR/QSAR indicaram que a presença de grupos aceptores em ligações de hidrogênio, nitrogênio básico e dois grupos hidrofóbicos planares são características estruturais importantes para esta inibição. Em nossos estudos identificamos alguns aminoésteres como potenciais inibidores, cuja síntese é descrita neste trabalho. Á preparação do aduto de Baylis-Hillman do 3,4-dimetoxibenzaldeído, seguiu-se a adição de HBr, porém com rendimento químico muito baixo, acontecendo o mesmo na reação de acetilação do aduto. Já com o aduto de Baylis-Hillman derivado do 4-nitrobenzaldeído, as reações procederam satisfatoriamente. Ao brometo obtido adicionou-se a 3,4-dimetoxifenetilamina com bons rendimentos. Os resultados obtidos indicam a importância da natureza eletrônica do substituinte ligado ao anel aromático para a reatividade da dupla. O nitro derivado também será avaliado quanto a sua atividade moduladora da MDR.

Resistência a múltiplas drogas - Glicoproteína P - Baylis-Hillman


E0428

cinética de intumescimento de nanocompósitos de silicato lamelar e látex


Fabio Fernandes Pinto (Bolsista PIBIC/CNPq), Leonardo Fonseca Valadares e Prof. Dr. Fernando Galembeck (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Nanocompósitos (NCP’s) poliméricos são materiais de grande interesse científico e tecnológico, pois podem apresentar melhorias em diversas propriedades quando comparadas às de polímeros puros. Neste trabalho, avaliou-se o intumescimento de NCP’s de silicato lamelar e borracha natural, nos solventes: água, clorofórmio, isoparafina e xileno. Os NCP’s estudados foram obtidos por esfoliação da argila montmorilonita sódica em água, seguida da adição e dispersão de látex, obtendo-se filmes nos quais as lamelas da argila estão dispostas preferencialmente paralelas ao plano de secagem. Os ensaios de sorção foram realizados com o polímero puro e com o NCP, medindo-se a massa da amostra durante intervalos regulares de imersão no solvente, à temperatura constante. Em solventes orgânicos, os NCP’s atingem o equilíbrio com um menor ganho de massa que a borracha natural, evidenciando sua maior resistência a solventes. O aumento da polaridade do solvente leva a um maior ganho de massa no NCP. A água intumesce apenas o NCP, sugerindo que o intumescimento ocorre pela hidratação dos cátions interlamelares. No intumescimento de NCP’s, o ganho de massa segue uma equação cinética de segunda ordem. Os NCP’s apresentam anisotropia de intumescimento, que é mais pronunciada para os solventes orgânicos menos polares e é atribuída à orientação das lamelas de silicato.

Nanocompósito - Intumescimento - Polímero


E0429

LAMINADOS POLIMÉRICOS NANOESTRUTURADOS


Sergio Augusto Venturinelli Jannuzzi (Bolsista PIBIC/CNPq), Fábio Bragança e Prof. Dr. Fernando Galembeck (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A pesquisa para desenvolver laminados de filmes altamente compatíveis, mas com propriedades mecânicas diferentes, é um desafio na área de polímeros. Incorporação de cargas com dimensões nanométricas às matrizes poliméricas permite que um mesmo polímero apresente propriedades diferentes em função da quantidade e do tipo de carga nanométrica utilizada. Neste trabalho, foram investigadas propriedades mecânicas, morfológicas e de resistência à sorção em sistemas obtidos através da união de filmes nanocompósitos. Filmes com 5% (A) e 30% (B) de montmorilonita em massa foram produzidos pela mistura da dispersão aquosa da argila ao polímero na forma de látex, e secagem em estufa. Dois tipos de laminados foram montados intercalando-se os filmes (ABA e BAB) e submetendo-os a prensagem ou aquecimento. As propriedades mecânicas dos laminados apresentaram-se como uma combinação das dos filmes não laminados. Elas não diferiram significativamente segundo as condições de pressão e temperatura usadas no processo de formação. Microtomografias de raios X mostram sucesso na união dos filmes na estrutura laminada. Interfaces são bem definidas e não apresentam defeitos, mostrando alta compatibilidade entre os filmes usados. Foram realizados ensaios de sorção determinando o ganho de massa do laminado em função do tempo e o mecanismo de difusão do solvente obedece à lei de Fick.

Nanocompósito - Látex - Laminado


E0430

NANOFIOS NO SISTEMA SI-C-O EM COMPÓSITOS DE MATRIZ CERÂMICA


Evandro M. Alexandrino (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Inez Valeria Pagotto Yoshida (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Compósitos de matriz cerâmica (CMC) foram obtidos a partir da mistura de poli(metilsilsesquioxano-co-fenilsilsesquioxano) com fibras curtas de sílica, modificadas ou não com acetato de níquel, pirolisada a 1000, 1300 e 1500ºC. Os CMC obtidos com as fibras sem a presença de Ni produziram o compósito SiO2/SiCxOy amorfo, a 1000ºC e c-SiO2 (cristobalita)/ SiCxOy a 1300 e 1500ºC. Os compósitos contendo as fibras modificadas com Ni deram origem a SiO2/SiCxOy a 1000ºC. A 1300ºC foram obtidos compósitos cerâmicos que apresentaram nanofios na superfície dos corpos, nos poros e na interface matriz cerâmica-fibras curtas de sílica, além da presença das fases de c-SiO2 e -SiC. Os resultados obtidos evidenciaram o efeito catalítico do Ni na formação das nanoestruturas fibrilares. Análise estrutural efetuada por espectro infravermelho e Raman evidenciaram que os nanofios são constituídos por SiO2, SiCxOy e também foram detectadas as bandas D e G, típicas de grafeno. Nos compósitos obtidos a 1500ºC foram observados aglomerados globulares formados pelo amolecimento dos nanofios e a presença das fase de c-SiO2 e -SiC .

Cerâmica - Nanofios - Compósitos


E0431

SÍNTESE DE PRECURSORES TIPO SINGLE-SOURCE PARA A PREPARAÇÃO DE NANOPARTÍCULAS HÍBRIDAS TIPO CAROÇO-CASCA DO SISTEMA NIO@MNXOY


Nathália Medeiros Carneiro e Prof. Dr. Ítalo Odone Mazali (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O projeto tem como foco principal de estudo o desenvolvimento de metodologia de síntese e caracterização de nanopartículas binárias (híbridas) tipo caroço-casca envolvendo os óxidos semicondutores NiO e MnxOy no interior do vidro poroso Vycor, via sucessivos ciclos de impregnação-decomposição de precursores metalorgânicos tipo single-source, visando à obtenção de novas propriedades magnéticas associadas ao efeito de tamanho. Nesta etapa foi desenvolvida a rota de síntese dos precursores de Ni e Mn. Os precursores foram caracterizados por FTIR, CHN, gravimetria e TGA/DTA. Os produtos da decomposição dos precursores, em diferentes temperaturas e atmosferas, foram caracterizados por XRD (natureza das fases e tamanho de cristalito), espectroscopia Raman e SEM (análise da morfologia). Resultados preliminares mostraram que os precursores sintetizados são adequados para a técnica MOD, visto que apresentam pureza elevada, composições definidas, são estáveis em atmosfera ambiente e a decomposição conduz as fases desejadas.

Nanopartícula - Semicondutor - Síntese


E0432

UM ANALISADOR PORTÁTIL PARA A DETERMINAÇÃO DE SULFITO EM VINHOS


Pedro Emiliano Paro Filho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ivo Milton Raimundo Junior. (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O dióxido de enxofre (SO2), adicionado normalmente a vinhos na forma de sulfito de sódio, possui propriedades anti-oxidantes e anti-sépticas. Uma vez que em altas concentrações o composto apresenta certo grau de toxicidade, podendo até causar asma e outras reações alérgicas, a sua concentração deve ser rigorosamente controlada. Sendo assim, o objetivo deste projeto é o desenvolvimento de um analisador portátil, capaz de determinar a concentração de sulfito livre e total em vinhos, podendo ser empregado em medidas on-site. Aplicando-se um método fotométrico desenvolvido no próprio laboratório, o analisador é composto por um microcontrolador responsável pelo armazenamento da curva analítica, controle, aquisição e tratamento dos dados obtidos através de um par LED/fotodiodo. Duas válvulas são utilizadas no controle de fluxo na cela de detecção e um display LCD, em conjunto com dois botões tipo “push-button”, realizam a interface com o usuário. Os resultados obtidos em avaliações de estabilidade e precisão foram bastante satisfatórios. Adicionalmente, o instrumento apresenta boa autonomia, uma vez que o mesmo apresenta um baixo consumo de energia durante sua operação.

Instrumentação - Sulfito - LED


E0433

DESENVOLVIMENTO DE MICROSSISTEMA FLUÍDICO COM DETECÇÃO POTENCIOMÉTRICO MULTICANAL


Daniel de S. Alcobia (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jarbas J. R. Rohwedder (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A necessidade de se utilizar técnicas de análise que requeiram pouca amostra, que possibilitem a determinação de diversos analitos, que tenham uma ampla faixa de detecção e que possam ser utilizadas em campo tem se tornado cada vez mais eminente. Os sensores eletroquímicos, além de apresentarem boa seletividade, podem ser facilmente miniaturizados e o seu acoplamento a um microssistema fluídico diminui a necessidade de grandes quantidades de amostra. Neste trabalho, foram desenvolvidos um potenciômetro multicanal e um microssistema fluídico utilizando resina fotopolimerizável. Para a avaliação do sistema potenciométrico construídos no laboratório foram empregados eletrodos de segunda classe para cloreto devido a sua facilidade de construção e de adaptação a sistema de fluxo Os eletrodos íon-seletivos foram confeccionados a partir de fios de prata eletrodepositados com cloreto de prata. A seleção do eletrodo que efetivamente irá participar da medida foi feita através de um computador conectado a uma interface USB empregando uma programa desenvolvido em Visual Basic.NET.

Determinação potenciométrica - Microssistema - Multipotenciostato


E0434

DETERMINAÇÃO DE PARÂMETROS DE QUALIDADE DE GASOLINA UTILIZANDO ESPECTROS NO INFRAVERMELHO PRÓXIMO DA FASE VAPOR DO COMBUSTÍVEL


Michele Mendes Vieira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jarbas J. R. Rohwedder (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A gasolina é um combustível constituído basicamente por hidrocarbonetos aromáticos, olefínicos e saturados, devendo obedecer a uma série de especificações para que seja considerada dentro dos padrões de qualidade exigidos para sua comercialização. A pressão de vapor é uma importante propriedade física da gasolina, já que é responsável pela definição de sua volatilidade, e, uma vez monitorada, pode assegurar maior segurança no armazenamento e transporte da gasolina, além do bom funcionamento dos motores. Neste trabalho, foram obtidos espectros NIR da fase vapor de gasolina tipo C comercializada em postos da região de Campinas através de uma célula espectrofotométrica desenvolvida no laboratório. O sistema é totalmente controlado por computador através de uma interface paralela e de um programa escrito em Visual Basic 3.0. Assim é possível obter espectros de uma mesma amostra em diferentes temperaturas sem a necessidade de intervenção do analista. Através dos espectros NIR foram desenvolvidos modelos de calibração multivariados de primeira e segunda ordem para a determinação da pressão de vapor Reid. Os resultados obtidos foram comparados com o procedimento padrão.

Gasolina - Pressão de vapor Reid - NIR


E0435

Modificação das propriedades e Aplicações do Poli(dimetilsiloxano) como Substrato em MicroSsistemas de Análise


Ariane Deblire (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José Alberto Fracassi da Silva (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Microssistemas de análise (TAS) têm recebido crescente atenção desde sua introdução no início da década de 90. Inúmeros exemplos podem ser encontrados na literatura e recentemente alguns microdispositivos comerciais podem ser encontrados. Nesta fase do projeto é proposta a utilização de um microssistema contendo vários canais paralelos, microfabricados em poli(dimetilsiloxano) (PDMS). Os canais foram selados sobre substrato de vidro onde eletrodos de ouro ou cobre foram depositados por sputtering. Deste modo, os eletrodos para um detector amperométrico puderam ser integrados ao microdispositivo. A utilização de vários canais permite a introdução de soluções padrão do analito de interesse em um ou mais canais e as amostras nos canais subseqüentes, permitindo a rápida construção da curva analítica e determinação. A potencialidade de aplicação deste método foi verificada através da construção das curvas analíticas para hidroquinona (HQ) e tiocianato, utilizando eletrodos de ouro e cobre, respectivamente.

Microssistemas de análise - Detecção eletroquímica - Poli dimetilsiloxano


E0436

INTERAÇÃO DO ALGINATO DE SÓDIO COM METAIS INVESTIGADA POR ELETROFORESE CAPILAR COM DETECÇÃO CONDUTOMÉTRICA SEM CONTATO


Maíra Martins Líbero (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Alberto Fracassi da Silva (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Este trabalho descreve o uso do alginato de sódio como aditivo em eletroforese capilar de zona e sua interação com alguns cátions metálicos selecionados. Quando usada uma mistura equimolar de ácido 2-N-morfolinoetanossulfônico (MES) e histidina (HIS) 20 mmol L-1 como eletrólito de separação e alginato como aditivo, forte interação com Ca2+, Mg2+, Pb2+ e Cd2+ foi observada. As mobilidades efetivas dos cátions Co2+, Cu2+ e Zn2+ não variaram significativamente até uma concentração de alginato de 50 mg L-1. O uso de eletrólito composto apenas por alginato de sódio na concentração até 5,0 g L-1 proporcionou baixa corrente eletroforética, o que favorece a manutenção da baixa temperatura no capilar. Além disso, não foi observado sinal relativo à movimentação do solvente (fluxo eletrosmótico) quando alginato de sódio foi utilizado como eletrólito. Para altas concentrações a viscosidade da solução passa a desempenhar um papel importante no processo. Interessante notar que, de maneira controversa, nenhum pico foi obtido para a análise ânions quando alginato de sódio foi utilizado como eletrólito.

Eletroforese capilar - Fluxo eletrosmótico - Alginato


E0437

Síntese estereosseletiva de ferrocenil-amido-álcoois análogos da denopamina, tembamida e aegelina


Marcus Vinícius Fávaro dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Augusto Rosário Rodrigues (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Muitos b-amino aril etanóis são potenciais precursores sintéticos de moléculas com propriedades medicinais. A (R)-denopamina atua como um b-antagonista seletivo para o tratamento de infarto. A (R)-tembamida e (R)-aegelina são usadas na medicina tradicional indiana por apresentarem características semelhantes à adrenalina e atividade hipoglicêmica. Nosso objetivo foi efetuar a síntese estereosseletiva de ferrocenil-amido(no)-álcoois análogos às tais drogas. A obtenção destes compostos foi realizada a partir do a-azidoacetilferroceno, reduzido estereosseletivamente ao respectivo álcool utilizando a transferência de hidrogênio catalisada por complexos de rutênio quirais. Sua hidrogenação forneceu o 2-ferrocenil-2-etanolamina quiral que, submetido às reações de acilação, resultou nos complexos de ferroceno análogos aos remédios citados. As reações de redução se mostraram excelentes visto que resultaram em bons excessos enantioméricos, altas conversões e rendimentos satisfatórios. As acilações demonstraram a possibilidade de uma rota simples e rápida para a síntese dos produtos finais. Pretende-se futuramente testar-se a atividade biológica dos mesmos, pois eles podem vir a se tornar fármacos mais interessantes visto que são potenciais fontes de ferro e, portanto, podem combater anemia.

Transferência de hidrogênio - Ferroceno - Rutênio


E0438

ESTUDO COMPARATIVO DA ATIVIDADE MICROBIANA DE UM SOLO EUTRUDOX RHODIC UTILIZADO SOB TRÊS DIFERENTES CONDIÇÕES, UTILIZANDO-SE A CALORIMETRIA


Amanda Carolina Covizzi Bertelli (Bolsista PIBIC/CNPq), Cláudio Airoldi e Prof. Dr. José de Alencar Simoni (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O presente projeto consiste no estudo da atividade microbiana de um solo Rhodic Eutrudox, da região nordeste do estado de São Paulo sob três diferentes condições de uso: cultivado com cana-de-açúcar, cultivado com cítricos e de uma mata virgem (não cultivada). Resultados de algumas propriedades desses solos revelaram que, em alguns aspectos eles são muito diferentes. A compactação, umidade residual, granulometria, capacidade de retenção de água e matéria orgânica total, são algumas das características avaliadas. O estudo micro-calorimétrico da quantidade de energia liberada e da cinética de degradação, via energética, de fonte de carbono (glicose) e de nitrogênio (sulfato de amônio), ambos em meio aquoso estão sendo realizados, mostram diferenças significativas da atividade metabólica dos micro-organismos presentes nas diferentes amostras. De maneira resumida, os dados calorimétricos permitem concluir sobre aspectos fundamentais da absorção de carbono, permitindo estabelecer relações quantitativas entre os processos anabólicos e metabólicos da matéria adicionada, com o intuito de mostrar o estado de conservação (deterioração) dos referidos solos, em função do seu uso agrícola.

Solo - Microcalorimetria - Atividade microbiana


E0439

Identificação de possíveis chaperones na bactéria Xanthomonas axonopodis pv. Citri


Ana Maria Marques Orellana e Profa. Dra. Ljubica Tasic (Orientadora), Instituto de Quimica - IQ, UNICAMP
A bactéria Xanthomonas axonopodis pv. citri (Xac) é o agente causador do cancro cítrico .Para adentrar na folha a Xac utiliza sistemas secretórios em especial III e IV que diferem entre si pela injeção de proteínas e de DNA. Esses sistemas secretórios requerem o contato entre células e a presença de chaperones, proteínas de baixo peso molecular e baixo pI. Essas chaperones têm capacidade de reconhecer proteínas alvo, interagir e dar a elas uma conformação competente à secreção. Através do genoma localizou-se um total de 40 genes potenciais. Com o objetivo de evidenciar a presença destas 40 chaperones, foram utilizadas folhas jovens de laranja lima para preparo de extrato por Soxhlet, o qual foi aplicado na concentração 100 µg/mL no meio LB sólido, no qual a Xac foi cultivada por 24 horas à 37º C. Após a lise da Xac, por SDS-page foi feita a procura de proteínas alvo de peso molecular até 23 kDa, e a sua separação foi conduzida por eletroforese 2D (pI = 4-7). As bandas de interesse serão lisadas (tripsina) e analisadas por espectrometria de massas. Os extratos de folha foram analisados por CG-EM (cromatografia gasosa acoplada espectrômetro de massa) antes de indução de Xac e depois, e notou se grande consumo de vários terpenos pela Xac.

Xanthomonas - Folha de laranja lima - Chaperones


E0440

Identificação de possíveis chaperones na bactéria Xanthomonas axonopodis pv. citri por espectrometria de massas


Daiene C. Sereno e Profa. Dra. Ljubica Tasic (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A bactéria Xanthomonas axonopodis pv. citri (Xac) é o agente causador do cancro cítrico, uma das mais graves doenças da citricultura brasileira. Entretanto, pouco se sabe sobre os mecanismos de virulência desta bactéria. Acredita-se que Xac, pelos sistemas de secreção (tipo III e IV), invade a célula hospedeira e que esses sistemas requerem uma estrutura 3D específica das proteínas de virulência, proporcionada pelas chaperones secretórias. Neste trabalho, com intuito de identificar a presença de 40 possíveis chaperones secretórias, a Xac foi cultivada em meio Luria Broth (LB, controle) e em suco de laranja. O consumo dos açúcares nos sucos pala Xac foi acompanhado por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência (CLAE). As proteínas induzidas da Xac foram analisadas por eletroforese unidimensional (SDS-PAGE), separadas por gel bidimensional (2D) e as bandas do tamanho adequado (8-23 kDa) e pI de 4-7 foram recortadas dos géis-2D. Após a lise triptíca, a espectrometria de massas será aplicada na identificação de proteínas de interesse. O papel das chaperones é fundamental nos sistemas secretórios III e IV e o entendimento da sua expressão ajudará enormemente em desvendar a patogenicidade de Xac.

Xanthomonas axonopodis pv.citri - Chaperones - Espectrometria de massas

E0441

OBTENÇÃO DO LINALOL A PARTIR DO ÓLEO DE MANJERICÃO E ESTUDOS PARA A SÍNTESE DA TUBERINA


Cintia Hansen Volpato (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Lúcia Helena Brito Baptistella (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Pesquisas revelam uma nova fonte natural de linalol, um monoterpeno de ocorrência natural: o óleo extraído do manjericão (Ocimum basilicum). O esqueleto carbônico desse composto apresenta interessantes características para exploração sintética. Assim, o projeto trabalha com a utilização do linalol proveniente desta fonte sustentável como material de partida no preparo de um sistema tetraidrofurânico, que contém requisitos estruturais adequados para a síntese da tuberina, um alcalóide terpênico de interessante atividade antibiótica. Inicia-se pela purificação do óleo de manjericão por cromatografia em coluna, sendo que o linalol isolado pode chegar a 34% do óleo bruto. Segue-se então a ciclização, em busca da formação do sistema tetraidrofurânico. Após testes, os melhores resultados foram obtidos por reação com perácido, com obtenção do produto desejado em cerca de 81%. Passa-se então à acetilação da hidroxila terminal, feita por reação ativada por micro-ondas, método desenvolvido e estudado pelo grupo (rendimento de 94%). Prosseguem-se os estudos com a manipulação da olefina terminal do produto acetilado. O projeto como um todo se apresenta como uma alternativa viável de obtenção do linalol e interessante no que se refere a seu uso na síntese orgânica.

Linalol - Reação em microondas - Tuberina


E0442

SÍNTESE DA ROUTIENOCINA: FRAGMENTO C13-C20


Valquírio Graia Correia (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Luiz Carlos Dias (Orientador). Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Antibióticos ionofóricos são importantes ferramentas na determinação do papel de íons em muitos processos biológicos. Propusemos uma rota sintética convergente para o antibiótico ionofórico routienocina, dividindo-o em dois fragmentos. Neste trabalho nos envolvemos com a preparação de um dos fragmentos: o fragmento C13-C20. Partindo do hidroxi-estér de Roche, comercialmente disponível, protegemos sua hidroxila com o grupo protetor PMB, reduzimos o grupo éster com hidreto de lítio e alumínio e oxidamos o álcool primário utilizando o método de Swern (90%, 3 etapas).O aldeído resultante foi utilizando em uma reação aldólica assimétrica com o enolato de boro derivado de um auxiliar quiral, fornecendo o produto aldólico syn (70%, >95:5 ds). A transamidação nas condições de Weinreb seguida da proteção da hidroxila secundária com o grupo protetor TBS, e redução com DIBAL-H forneceu o aldeído correspondente, que a seguir sofreu homologação de Horner-Wadsworth-Emmons produzindo uma amida de Weinreb a,b-insaturada (61%, 4 etapas). A rota sintética teve sequência com hidrogenação catalítica (99%), seguida da adição de metil-fosfonato fornecendo o b-cetofosfonato (60%), correspondente ao fragmento C13-C20. Assim, obtivemos o fragmento C13-C20 de maneira eficiente e estereocontrolada. Continuaremos nossos estudos construindo o outro fragmento, para que possamos uni-los e finalizar a síntese da routienocina.

Síntese assimétrica - Antibióticos - Espirocetais


E0443

REAÇÕES ÍON-MOLÉCULA EM CONDIÇÕES AMBIENTAIS: TRANSFERINDO O CONHECIMENTO ADQUIRIDO SOB VÁCUO PARA UM NOVO AMBIENTE REACIONAL


Lívia Schiavinato Eberlin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcos Nogueira Eberlin (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Uma das mais recentes técnicas de ionização desenvolvida em Espectrometria de Massas, chamada de APTDI (Atmospheric Pressure Thermal Desorption Ionization), é um método de dessorção no qual íons orgânicos são gerados de maneira eficiente pelo aquecimento de sais orgânicos puros em seu estado sólido à pressão atmosférica, podendo-se então estudar reações íon-molécula em condições ambientais, sendo os produtos iônicos detectados no espectrômetro de massas. Reações de metilação e desmetilação são importantes processos em química e em ciências biológicas, principalmente no metabolismo de aminoácidos e na modificação de DNA, que é estritamente relacionada ao mecanismo da carcinogênesis. Neste projeto foram estudadas reações de metilação entre reagentes metilantes e bases nitrogenadas constituintes dos ácidos nucléicos. Para isto, foi construída uma fonte de APTDI, na qual foram gerados íons metil piridínios pelo aquecimento do sal orgânico cloreto de metil piridina, simultaneamente reagidos com as bases neutras adenina, guanina, citosina e histidina. As reações foram realizadas com sucesso sendo verificada a transferência de múltiplos grupos metilas aos sítios básicos das bases nucleotídicas.

Espectrometria-de-massas - Reações-íon-molécula - Bases-nitrogenadas


E0444

Análise de Propriedades Dinâmicas e Conformacionais de Homopeptídeos em Água através de Simulação Computacional


Érica T. Prates (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Munir Salomão Skaf (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Este trabalho consiste no estudo, através do método de Dinâmica Molecular, dos efeitos das interações intra e intermoleculares de soluções aquosas de oligoalaninas (A, AA e AAAA) em suas propriedades estruturais e dinâmicas observáveis experimentalmente. Exemplo da relevância deste assunto é a conexão entre o processo de desnaturação e os segmentos protéicos formados por uma seqüência de aminoácidos repetidos. Ainda, peptídeos têm sido um constante recurso adotado no estudo do enovelamento protéico para substituir a simulação de proteínas, de alto custo computacional. Foram, então, construídos sistemas de soluções aquosas de A, AA e AAAA, alterando e fixando fatores como concentração molar, massa total e propriedade anfotérica do soluto. Análises conformacionais e de estatística de ligações de hidrogênio (LH) foram úteis para explicar detalhes das curvas de função de correlação reorientacional e os respectivos valores de tempo de reorientação, análogo aproximado do tempo de relaxação dielétrica. Uma das conclusões é a de que massa molecular, volume, momento de dipolo do soluto e, principalmente, número de LH com moléculas de água devem ser considerados em conjunto para interpretar as propriedades dinâmicas destas soluções.

Peptídeo - Solução aquosa - Simulação computacional


E0445

SIMULAÇÕES DE Dinâmica Molecular APONTAM ALTERAÇÕES NA mobilidade de MUTANTES DE receptores DO HORMÔnio TIREOIDEANO ASSOCIADOs A síndrome


Paulo Cesar Telles de Souza (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Munir Salomão Skaf (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Neste projeto foram realizados estudos de dinâmica molecular, visando à elucidação de mudanças estruturais e dinâmicas decorrentes de mutações nos receptores nucleares do hormônio tireoideano. A maioria das mutações estudadas está envolvida na Síndrome de Resistência ao Hormônio Tireoideano, visando contribuir para a compreensão das bases moleculares dessa doença. Também foram estudados mutantes que têm sido investigados em estudos funcionais da literatura, importantes para estender o conhecimento atual dessa classe de proteínas, que desempenha importantes funções regulatórias em todos os órgãos e vias metabólicas. Partindo da estrutura cristalográfica do holo-receptor do hormônio, foi construído um modelo contendo proteína e ligante (T3) em solução e, através de potenciais bem estabelecidos para as interações intra e intermoleculares, foram realizadas longas séries de simulações, gerando um extenso conjunto de diferentes conformações da proteína correspondentes às condições termodinâmicas normais. Os resultados indicam que as mobilidades do ligante e de regiões distantes do resíduo mutado podem sofrer alterações substanciais relativas à estrutura nativa, fornecendo assim indícios importantes sobre como as mutações podem afetar a afinidade ao ligante e a funcionalidade da proteína.

Dinâmica molecular - Proteínas - Receptores nucleares


E0446

SISTEMAS POLIMÉRICOS NANOESTRUTURADOS DE LIBERAÇÃO SUSTENTADA DE CATEQUINA COM APLICAÇÕES COSMECÊUTICAS


Márcia Carvalho Marques (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Nelson Eduardo Durán Caballero (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O projeto visa a preparação de nanopartículas poliméricas contendo catequina, um flavonóide presente no chá verde, que possui propriedades antioxidantes e que pode ser, portanto, utilizado na obtenção de produtos de uso tópico para tratamento anti-idade e para a proteção da pele contra os efeitos da radiação solar. As nanopartículas são preparadas através do método de nanoprecipitação e caracterizadas quanto à percentagem de encapsulamento, tamanho de partículas e potencial zeta, cinética de liberação in vitro e morfologia por microscopia eletrônica de varredura (SEM). De acordo com os resultados obtidos, o conteúdo total de ativo encapsulado se mostrou em torno de 70% e, portanto, o processo de encapsulamento tem se mostrado eficiente. As nanopartículas obtidas apresentaram diâmetro de 252,7 nm e polidispersidade de 0,046. De acordo com essas informações as partículas obtidas apresentam tamanho adequado e são homogêneas. O potencial zeta obtido foi de -18,12 + 3,3 mV para as nanopartículas sem o ativo e de -14,55 + 3,55 mV para as nanopartículas de catequina. Os valores de potencial zeta encontrados configuram o esperado para este tipo de sistema polimérico e demonstram que o ativo não influenciou significativamente na carga superficial das nanopartículas.

Nanopartículas - Catequina - Antioxidante


E0447

Obtenção dos nanocompósitos: h1-xfex/3tawo6/polianilina,polipirrrol e h1-xcux/2tawo6/polianilina,polipirrol


Cauê Ferreira Esmi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Oswaldo Luiz Alves (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O objeto de estudo deste projeto, é a intercalação de um polímero condutor na região interlamelar de um óxido inorgânico, obtendo-se assim o nanocompósito polímero/óxido. O polímero poderá atuar como um carregador de elétrons, conduzindo-os por toda a camada do material hospedeiro, possibilitando assim uma condução eletrônica anisotrópica. Nos últimos anos, uma grande variedade de polímeros tem sido intercalados em diferentes estruturas lamelares utilizando-se diversos métodos de intercalação e polimerização. Neste trabalho, a relativamente alta acidez de Brönsted do composto HTaWO6 é utilizada para a incorporação dos cátions Fe3+ e Cu2+ e estes cátions por sua vez, são utilizados como agentes oxidantes na polimerização da anilina e do pirrol. A analise dos resultados obtidos revela duas situações diferentes dependendo do polímero utilizado.Quando a anilina é utilizada, não ocorre a polimerização do monômero. Este fato é independentemente do cátion utilizado. Quando o pirrol é utilizado, observa-se a ocorrência da formação do polímero, independentemente do cátion utilizado. Apesar de ambos os monômeros serem facilmente intercalados, somente o pirrol sofre o processo de intercalação interlamelar nas condições empregadas (temperatura ambiente e agitação).

Nanocompósitos - Polianilina - Polipirrol


E0448

AVALIAÇÃO DAS INTERAÇÕES ENTRE SEPIOLITAS E NITRILAS


Ramón Carollo Sarabia Neto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Oswaldo Luiz Alves (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Sepiolita é um silicato natural de magnésio hidratado tipo estrutural bastante similar às argilas. Sua estrutura cristalina consiste de duas camadas tetraédricas e uma octaédrica que fica “ensanduichada” entre os tetraedros. Tipicamente, a sepiolita tem uma morfologia fibrosa com micro-canais que contém água livre (água zeolítica) ligadas nos vértices da lamela octaédrica. Tal situação estrutural faz com que a sepiolita apresente propriedades de peneira molecular uma vez que somente moléculas de um tamanho determinado podem passar ou mesmo serem retidas em seus canais. No setor industrial, a sepiolita e seus derivados têm sido efetivamente utilizados para aplicações em adsorção e como peneira molecular em várias indústrias químicas. Neste trabalho, foram acompanhadas as interações entre as sepiolitas e nitrilas em reações do tipo sólido-líquido e sólido-vapor. Os resultados foram acompanhados por meio das técnicas de FT-IR e XDR com o objetivo de se avaliar a estabilidade estrutural do mineral e força da interação sepiolita-nitrila. Os resultados experimentais apontam que estrutura da sepiolita é estável após reação com as nitrilas e que esta interação pode ser considerada forte dado que mesmo nas amostras secas a vácuo as nitrilas permanecem no interior da estrutura da sepiolita.

Sepiolita - Nitrilas - Interação


E0449

ESTUDO FITOQUÍMICO DA DRIMYS BRASILIENSIS. PARTE II


Ana Maria Percebom (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Mitsuo Imamura (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Muitos trabalhos na literatura têm relatado um grande número de substâncias bioativas encontradas em plantas do gênero Drymis, sendo várias delas pertencentes à classe de sesquiterpenos. Como a espécie Drymis brasiliensis, em particular, apresenta 9 variedades diferentes e, devido às alterações nos princípios ativos causadas por variações em fatores fenotípicos, existe uma grande possibilidade de se encontrar cada vez mais substâncias diferentes ao se realizar um estudo fitoquímico desta planta. Neste trabalho, foram preparados extratos hexânicos de lascas de tronco pulverizadas de uma Drimys brasiliensis das imediações de Monte Verde (MG), e estes extratos foram submetidos a métodos cromatográficos de separação a fim de isolar e purificar seus compostos químicos. As substâncias encontradas tiveram suas estruturas elucidadas através de análises de seus dados físicos, espectroscópicos e espectrométricos. Foram isolados quatro compostos de maior importância, sendo que, três deles eram sesquiterpenos e foram identificados como: 9-deoximuzigadial, (+)-espatulenol e polygodial. Até o momento apenas o último havia sido isolado em plantas do gênero Drimys. O 9-deoximuzigadial está sendo submetido, no momento, a uma série de transformações químicas para obtenção de novos derivados.

Fitoquímica - Drimys - Produtos naturais


E0450

SÍNTESE DE ABIETAMIDAS E OBTENÇÃO DOS RESPECTIVOS OZONÍDEOS PARA AVALIAÇÃO DE ATIVIDADE COMO ANTIMALÁRICO – PARTE II


Lu Tzu Chieh (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Mitsuo Imamura (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O ácido abiético utilizado neste projeto foi obtido da resina de Pinus elliottii. A esterificação deste ácido com diazometando, seguido da reação de ozonólise, forneceu o ozonídeo que foi submetido para teste como antimalárico. Paralelamente o sal, abietato de diisopropilamonio, também foi convertido em seu respectivo ozonídeo. Observou-se, no entanto, durante o processo de purificação por cromatografia em coluna de sílica gel, a obtenção do ozonídeo na forma ácida. Uma amostra foi encaminhada para o laboratório da FIOCRUZ para realizar teste da sua atividade como antimalárico. Os ensaios realizados com os ozonídeos mostraram resultados muito próximos comparados com o da artemisinina (que é o controle), na concentração de IC90 e dobro para IC50. Entretanto ambos os compostos apresentavam elevado grau de toxicidade e dessa forma foi proposta a síntese de abietamidas e preparar o ozonídeo correspondente para verificar a sua toxicidade e ação como antimalárico. Após várias tentativas, o método escolhido para sua preparação foi por via cloreto de ácido em que diversos métodos e reagentes estão descritos na literatura.

Ácido abiético - Ozonídeo - Antimalárico


E0451

HIDROGENAÇÃO ASSIMÉTRICA UTILIZANDO COMPLEXOS DE RÓDIO COMO CATALISADORES


Guilherme L. Alexandrino (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Regina Buffon (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A reação de hidrogenação assimétrica consiste na hidrogenação de compostos pró-quirais, visando a obtenção de um dos produtos em grande excesso enantiomérico. Sua aplicação na indústria farmacêutica vem possibilitando a produção de drogas cada vez mais específicas e de melhor qualidade. O objetivo deste trabalho foi o estudo desta reação em olefinas utilizando complexos catiônicos de ródio como catalisadores. É sabido que parâmetros de reação como pressão de gás hidrogênio, temperatura, solvente, razão molar substrato/catalisador e presença de espécies ácidas ou básicas interferem no rendimento da reação. Esses parâmetros foram investigados em catálise homogênea. As reações foram feitas em reator Parr e os produtos foram analisados por Cromatografia Gasosa, Espectrometria de Massas e Espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear de 1H. Complexos de ródio com os ligantes BINAP e DIPHOS não mostraram seletividade para o sítio C=C em reações de hidrogenação de olefinas α-β insaturadas, tendo sido produzido os respectivos compostos totalmente reduzidos. Após a conversão atingir um máximo, o produto passa a ser consumido em uma segunda reação que foi investigada. O comportamento das reações com este catalisador se mostrou dependente da estrutura do substrato e alterações nas condições reacionais podem favorecer um produto específico.

Catálise - Hidrogenação assimétrica - Aldeídos α-β insaturadas


E0452

UTILIZAÇÃO DE COMPLEXOS DE PALÁDIO EM REAÇÕES CATALÍTICAS DE ACOPLAMENTO C-C


Ítalo Rogerio de Jesus (Bolsista PIBIC/CNPq), Ramon M. Rios e Profa. Dra. Regina Buffon (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
As reações de acoplamento C-C são importantes devido ao fato de que a formação de ligação entre dois carbonos ainda é muito complicada, logo seu estudo é muito útil para a síntese de novos compostos. Reações como a de Suzuki e Stille são tipos de acoplamento C-C que utilizam complexos de paládio como catalisador. Em ambas, parte-se de um alceno halogenado e de um organometálico, de boro em Sukuki e de estanho em Stille, obtendo-se um composto com dois grupos C=C ligados entre si. Estas reações são muito semelhantes cataliticamente, tornando seu estudo conjunto muito interessante. Os catalisadores de paládio utilizados nestas reações são caros, e conseqüentemente sua imobilização é importante do ponto de vista econômico. Uma alternativa para o estudo de heterogeneização é o processo sol-gel. Resultados obtidos para a reação de Suzuki mostram que um catalisador de Pd(OAc)2 e PPh3 à temperatura de 70ºC em 24h apresenta TON de 97,4. Em fase heterogênea, nas mesmas condições, um TON de 26,5. Foram feitas 3 reciclagens, apresentando TONs próximos de 50. Para um catalisador de Pd(OAc)2 e (bifenil)PBu2, à temperatura ambiente em 5h, obteve-se TON de 97,7. Em fase heterogênea, nas mesmas condições, obteve-se TON de 24,7. Estudos análogos estão sendo feitos para a reação de Stille.

Catálise - Acoplamento C-C - Paládio


E0453

ESTUDOS ESTRUTURAIS DA UGPase DE CANA-DE-AÇÚCAR


Aline da Costa Lima (Bolsista SAE/UNICAMP), Marcelo L. dos Santos (Bolsista CNPq), Juliana M. Felix, Prof. Dr. Marcelo Menossi (Co-orientador) e Prof. Dr. Ricardo Aparício (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A cana-de-açúcar é um dos produtos agrícolas brasileiros de maior relevância econômica, sendo o Brasil o maior produtor mundial de açúcar de cana (sacarose). Além de açúcar, outros produtos podem ser obtidos a partir desse vegetal, tais como álcool, biodiesel e plásticos biodegradáveis. É de grande interesse econômico e social que os diversos recursos oferecidos pela cana-de-açúcar sejam explorados e por isso faz-se necessário um melhor entendimento das vias bioquímicas dessa planta. A enzima estudada neste trabalho é a UTP:α-D-glicose-1-fosfato uridililtransferase (UGPase, EC 2.7.7.9), que está envolvida na síntese de sacarose, catalisando a produção reversível de UDP-glicose e difosfato a partir de glicose-1-fosfato e UTP .Foram determinados os protocolos de clonagem, expressão e purificação da UGPase e estudos para a resolução de sua estrutura terciária estão sendo desenvolvidos em nosso grupo. Nesse trabalho serão apresentados os resultados preliminares obtidos.

Cristalografia de proteínas - Cana-de-açúcar - UGPase


E0454

ANÁLISE CONFORMACIONAL DO ÉSTER METÍLICO DO ÁCIDO ASPÁRTICO POR ESPECTROSCOPIA DE RMN, INFRAVERMELHO E CÁLCULOS TEÓRICOS


Aline A. Macedo (Bolsista PIBIC/CNPq), Carina R. Martins e Prof. Dr. Roberto Rittner Neto (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O estudo do comportamento conformacional de aminoácidos naturais é de grande interesse, pois sua estrutura e mobilidade determinam a variedade e a especificidade funcional das proteínas e polipeptídios. Aminoácidos exibem estrutura zuiteriônica no estado sólido e em meio polar e, por isso, estudos da sua estabilidade conformacional em solventes orgânicos são pouco explorados. Para contornar este problema foi proposto o estudo do éster metílico do ácido aspártico, por meio de cálculos teóricos em conjunto com dados experimentais. A partir da curva de PES, em nível B3LYP/cc-pVDZ foram obtidas as conformações mais estáveis no vácuo e feitos cálculos de energia e freqüência com a correção do ZPE em nível B3LYP/aug-cc-pVDZ. O composto, obtido a partir da esterificação do aminoácido pela reação com cloreto de tionila e metanol, apresentou variação no 1JCH com o aumento da polaridade do solvente, indicando mudança na população conformacional. A partir destes dados, utilizando o programa Bestfit, foi possível determinar a população de cada confôrmero em determinado solvente. Este comportamento também foi observado em seu espectro de IV, onde duas bandas na região fundamental do estiramento C=O mostram a variação de 47% do confôrmero asp1 em CCl4 para 56% em CH3CN.

Análise conformacional - Aminoácidos - Cálculos teóricos


E0455

ATRIBUIÇÕES DOS DADOS DE RMN DE 1H E 13C PARA BENZOYLECGONINE, UM METABOLITE DA COCAÍNA


Lara Lombardi (Bolsista PIBIC/CNPq), Dra. Susimaire Pedersoli (Co-orientadora) e Prof. Dr. Roberto Rittner Neto (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Benzoilecgonina (BEG) é o metabólito predominante da cocaína, e tem sido utilizado como um valioso marcador do uso de cocaína e crack. Em nosso laboratório foi iniciado um estudo que envolve a determinação de BEG em mecônio (primeira defecação) de recém-nascidos, cujas mães são suspeitas uso de drogas. O método de análise proposto envolve o uso de espectroscopia de RMN de 1H; entretanto os dados de RMN para BEG na literatura ainda não estão completos ou estão em discordância entre eles. Em vista disto, os dados de espectroscopia de RMN de 1H e de 13C foram determinados. A determinação de todos os sinais de hidrogênio e carbono foi obtida bem como as medidas de todas as constantes de acoplamento 1H/1H. A maioria dos sinais de 13C puderam ser determinadas através de gHSQC. Para carbonos quaternários, análise de dados de gHMBC foram suficientes para completar a determinação.

Benzoilecgonina - 1H RMN - 13C RMN


E0456

A ESPECTROSCOPIA DE RMN DE 1H APLICADA NA MODELAGEM DO SISTEMA DE ISÔMEROS ROTACIONAIS PARA 3-X-2-METILPROPANOATOS DE METILA (X = Br, Cl, I)


Paula Gimenes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto Rittner Neto (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Compostos halogenados são importantes intermediários na indústria química e farmacêutica. Neste trabalho investiga-se o comportamento conformacional de três compostos 3-X-2-metil-propanoatos de metila (X = Cl, Br, I), buscando avaliar os efeitos dos substituintes e da variação dos solventes na estabilidade dos isômeros rotacionais. Os compostos foram obtidos através da reação de adição antimarkovnikov do ácido de halogênio anidro ao metacrilato de metila. Os parâmetros obtidos em experimentos de RMN, em especial a constante de acoplamento, associados a cálculos de energia na fase vapor e líquida e J teóricos são variáveis importantes para estimar a proporção relativa entre os isômeros em solução. Foram observadas variações das constantes de acoplamento 3JHH, atribuídas a mudanças na relação populacional entre confôrmeros derivados principalmente da rotação na ligação entre o carbono β-carbonila ligado ao halogênio e o carbono α-carbonila. No infravermelho, a leve assimetria observada para as bandas de vibração da carbonila nos vários solventes sugere que esteja ocorrendo equilíbrio conformacional também entre isômeros resultantes da rotação entre o carbono α-carbonila e a carbonila.

RMN - Isomerismo rotacional - Compostos carbonílicos


E0457

ESTUDOS VISANDO A SÍNTESE DA ANTIMICINA A3


Vanessa Gonçalves dos Santos (Bolsista PIBIC/CNPq), Ilton Barros Daltro de Castro (Co-orientador) e Prof. Dr. Ronaldo Aloise Pilli (Orientador), Instituto de Química - IQ,UNICAMP
Apoptose pode ser definida como um mecanismo de morte celular geneticamente programado. Compostos capazes de regular a apoptose em células em que este mecanismo encontra-se desregulado, como nas células de câncer, encontram grande relevância na área médica. Dentre os compostos capazes de induzir a apoptose encontra-se a antimicina A3. A família das antimicinas atualmente inclui 26 membros. Todos estes compostos apresentam uma estrutura geral comum composta de um anel dilactônico de nove membros. Considerando-se o interesse de nosso grupo em preparar e avaliar a atividade biológica de compostos tendo como protótipo produtos naturais, propomos neste trabalho desenvolver uma rota de síntese para a bislactona, intermediário-chave na preparação da antimicina A3 e de análogos modificados em sua porção aminossalicílica. A síntese teve início com a proteção do (S)–lactato de etila, seguida de redução para o respectivo álcool e posterior oxidação de Swern, gerando o aldeído de interesse. Paralelamente uma reação de N-acilação promoveu a adição da oxazolidinona de Evans ao cloreto de hexanoíla. O produto desta reação e o aldeído previamente formado foram utilizados em uma reação aldólica diasterosseletiva utilizando enolatos de boro ou titânio, formando como produto o aduto aldol Evans syn. Este produto chave na síntese pode ser utilizado na preparação de análogos da antimicina, bem como da blastimicinona.

Síntese diasterosseletiva - Antimicina - Atividade biológica


E0458

EMPREGO DE ESPECTROSCOPIA DE FLUORESCÊNCIA MOLECULAR E CALIBRAÇÃO MULTIVARIADA NA ANALISE DE FÁRMACOS


Bruno Allan da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq), Marcelo Garcia Trevisan (Co-orientador) e Prof. Dr. Ronei Jesus Poppi (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Nos últimos 20 anos, têm crescido o numero de metodologias que empregam métodos de calibração multivariada na resolução de misturas com multicomponentes, seja em matrizes simples ou complexas. Métodos de primeira ordem como o PLS, PCA e CLS empregam dados vetoriais (com todos os comprimentos de onda de um espectro), com as vantagens de produzir robustez à análise, identificar a presença de interferentes e amostras com erros elevados ou ainda, os desvios de um processo. Nesses casos, a quantificação é possível, mesmo na presença de interferentes, desde que esses sejam levados em consideração na construção do modelo de calibração. A fluorimetria é uma técnica analítica consagrada que fornece uma grande sensibilidade e seletividade analítica, muitas vezes empregada na analise de sistemas em que os analíticos estão presentes em concentrações nano ou picomolares. Em contrapartida quando se trabalha com fluorescência molecular (FM), um grande problema é a sobreposição espectral. Neste trabalho foram empregadas técnicas de fluorescência molecular em amostras de fármacos contendo mistura ternária de cafeína (CAF), paracetamol (PAR) e ácido acetilsalicílico (AAS) e calibração multivariada como forma de tratamento dos dados, com intuito de criar nova metodologia de analise, que seja rápida, barata e que gere o mínimo possível de resíduo, em contrapartida com o método oficial que é a cromatografia liquida de alta eficiência (HPLC).

Quimiometria - Fármaco - Espectroscopia de fluorescência molecular


E0459

DETERMINAÇÃO ELETROANALÍTICA DE CLORANFENICOL (CAP), UTILIZANDO ELETRODO DE OURO MODIFICADO COM CAMADAS AUTO-ORGANIZADAS (SAM), EM FORMULAÇÕES FARMACEUTICAS


Gabriel Bezzan Monteiro (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Susanne Rath (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
A modificação de superfícies de eletrodos com a formação de SAM’s, apresenta vantagens como: redução de correntes capacitivas, maior sensibilidade e seletividade, repetibilidade e menor passivação da superfície. O objetivo do trabalho foi a construção e caracterização de um eletrodo de ouro com SAM’s de 2-mercapto-5-metil-benzimidazol (Au-MMB) e o desenvolvimento de metodologia para a determinação de CAP em fármacos. Os eletrodos de Au-MMB foram caracterizados por voltametria cíclica, usando o par redox [Fe(CN)6]3-/4-e impedância eletroquímica. O CAP apresenta um pico catódico em -0,62 V e um anódico em 0,24 V em tampão acetato pH 4,5 e o processo é controlado por difusão. O eletrodo AuMMB foi utilizado como detector eletroquímico em um sistema de análise em injeção em fluxo (FIA) para a determinação do CAP.O sistema FIA foi otimizado com o auxílio de um planejamento experimental estrela 22 variando-se a vazão e o volume da alça de amostragem. O método apresentou uma faixa linear de 0,70 a 10 10-4 mol L-1, linearidade de 0,999 e sensibilidade de 0,032 A / mol L-1. Com o eletrodo de Au-MMB foi feita a determinação do CAP na presença de tiomersal que é um interferente no eletrodo de Au. Os resultados obtidos indicam a possibilidade da determinação de CAP em associação a outros compostos em formulações farmacêuticas, sem que ocorra o envenenamento do eletrodo.

Cloranfenicol l - Voltametria cíclica - Monocamadas auto organizáveis (SAM)


E0460

ESTUDO DO COMPORTAMENTO ELETROQUIMICO DO DIAZEPAM SOBRE ELETRODO DE DIAMANTE


Juliana Costa Bento (Bolsista FAPESP), Profa. Dra. Lúcia Codognoto (Co-orientadora) e Profa. Dra. Susanne Rath (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
O objetivo deste trabalho foi avaliar o comportamento eletroquímico do diazepam sobre o eletrodo de diamante dopado com boro (DDB) e desenvolver uma metodologia, usando a voltametria de onda quadrada (SWV), para a sua determinação em formulações farmacêuticas. Foi observado a presença de dois picos catódicos em -0,75 V e -0,85 V vs Ag/AgCl, sendo que o pico em -0,75 V não é bem definido e não apresenta repetibilidade entre medidas sucessivas. O processo apresentou características irreversíveis, controlado principalmente por adsorção da espécie na superfície eletródica. Utilizando voltametria cíclica, parâmetros como pH, composição e concentração do eletrólito, e velocidade de varredura, foram avaliados. Um mecanismo eletroquímico do diazepam sobre o eletrodo de DDB foi proposto e comparado com o previamente obtido no eletrodo de mercúrio. Após otimização dos parâmetros, a voltametria de onda quadrada, empregando o eletrodo de DDB, foi utilizada para o desenvolvimento e validação de uma metodologia para a determinação do diazepam em formulações farmacêuticas (injetáveis e comprimidos). Para a quantificação do diazepam foram avaliados os métodos de adição de padrão, padronização externa e interna. O método foi comparado com a cromatografia líquida de alta eficiência.

Diazepam - Eletrodo de diamante - Voltametria


E0461

ESTUDO CALORIMÉTRICO DA INTERAÇÃO ENTRE SURFATANTE ZWITTERIÔNICO COM POLÍMEROS HIDROSSOLÚVEIS


Thiago Heiji Ito (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Watson Loh (Orientador), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
Sistemas contendo surfatantes e polímeros são muito interessantes do ponto de vista técnico-científico, tendo em vista suas diversas aplicações em formulações tecnológicas e os diversos parâmetros físico-químicos que envolvem tal sistema, por exemplo, entalpia, entropia e energia livre de Gibbs que descrevem a termodinâmica da interação entre polímeros e surfatantes. Este projeto busca determinar todos estes parâmetros através de medidas calorimétricas, utilizando para isso duas técnicas: a titulação calorimétrica isotérmica (ITC) e a calorimetria diferencial de varredura de alta sensibilidade (HSDSC). O sistema em questão é formado por um surfatante zwitteriônico, o n-dodecil-N,N-dimetil-3-amônio-1-propanosulfonato, conhecido comercialmente como Anzergent 3-12, e os polímeros poli(N-isopropilacrilamida) (PNIPAM) e o polióxido de etileno (PEO). Primeiramente são feitas medidas utilizando somente água sem o polímero, para que se verifique, por ambas as técnicas, a concentração micelar crítica (CMC), e a entalpia de micelização. Com estes dados, é possível então, derivar a energia livre de Gibbs e o parâmetro T.∆S (T é a temperatura e ∆S é a entropia), de forma que evidencia-se quais dos fatores, entálpico ou entrópico, governa termodinamicamente o processo. A seguir, substitui-se a água por uma solução do polímero, e desta vez, verifica-se a concentração de agregação critica (CAC), devido à interação entre surfatante e polímero, e a entalpia referente a este processo.

Calorimetria - Surfatantes - Polímeros


E0462

PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO CLORETO DE N-PROPIL-4-PICOLÍNIO SILSESQUIOXANO. ESTUDO DAS ISOTERMAS DE ADSORÇÃO DE CU(II) E ZN(II) EM SOLUÇÃO ETANÓLICA


Natalia Fattori  (), Hérica A. Magosso e Profa. Dra. Yoshitaka Gushikem (Orientadora), Instituto de Química - IQ, UNICAMP
No presente trabalho, o objetivo foi sintetizar e caracterizar, através de análises físicas e químicas (espectroscopia de infravermelho, RMN 13C, CHN, analise termogravimétrica e titulação potenciométrica de íons cloreto), o polímero ânion-trocador cloreto de n-propil-4-picolínio)silsesquioxano e posteriormente estudar o processo de adsorção dos íons Cu (II) e Zn (II) em solução etanólica. O polímero ânion-trocador foi preparado, segunda a literatura, na proporção de tetraetilortosilicato e cloropropiltrimetoxissilano TEOS:CPTS = 1,0:1,9. A principal característica deste polímero é a insolubilidade em água, que possibilita a sua utilização na forma em que foi obtido, sem a necessidade de ser suportado sobre um substrato para ser utilizado. A capacidade de troca iônica obtida para o material foi de 0,89 mmol g-1. A capacidade de troca iônica efetiva do material foi determinada através de isotermas de adsorção.

Polímero ânion-trocador - Troca iônica - Adsorção






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   35   36   37   38   39   40   41   42   ...   83


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal