Universidade estadual de campinas



Baixar 4.13 Mb.
Página57/83
Encontro29.11.2017
Tamanho4.13 Mb.
1   ...   53   54   55   56   57   58   59   60   ...   83

Faculdade de Engenharia Agrícola

T0799

PROJETO, DIMENSIONAMENTO E CONSTRUÇÃO DE UM MEDIDOR DE CONSUMO DE COMBUSTÍVEL


Renan Damir Tunussi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio José da Silva Maciel (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A medição do consumo de combustível é fundamental para ensaios de motores, na avaliação do desempenho operacional de motores ou tratores agrícolas. O trabalho desenvolvido possibilitou uma análise de dois sistemas de consumo de combustível e a construção do mais adequado. A partir de um estudo comparativo da viabilidade técnica e econômica entre um medidor de consumo de combustível volumétrico e um medidor de consumo de combustível gravimétrico, pôde-se determinar qual é o melhor modelo. No estudo comparativo foram levados em consideração dois aspectos, sendo o primeiro financeiro, fazendo uma análise de custo de fabricação, e o segundo técnico, analisando a precisão e a versatilidade dos sistemas nas diversas situações de trabalho. Construiu-se um medidor de consumo de combustível gravimétrico, que possibilita uma medição mais precisa, além de ser o sistema mais econômico financeiramente, possibilitando complementar o freio dinamométrico e disponibilizá-lo, tanto para pesquisa quanto para o ensino a possibilidade de ensaios de motores e tratores agrícolas.

Consumo de combustível - Medidor ponderal - Ensaios de motores


T0800

BLOCOS VAZADOS DE ARGAMASSA DE CIMENTO PORTLAND, AREIA E PARTÍCULAS DE BAMBU


Lucas Eric da Silva (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Antonio Ludovico Beraldo (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A maioria dos materiais utilizados na construção gera problemas durante a exploração das matérias-primas, ou devido ao descarte das mesmas no meio ambiente. Por outro lado, o bambu é uma matéria-prima renovável e que pode substituir o uso da madeira, por exemplo, em construções rurais e artesanato, minimizando, dessa forma, o corte indevido de árvores que são essenciais ao ambiente natural. O objetivo deste trabalho consistiu em estudar as características de compósitos à base de argamassa de cimento Portland (CP V ARI e CP II-E-32) e areia, modificada pela adição de partículas de bambu, com a finalidade de confeccionar blocos vazados. Numa primeira etapa foram realizados experimentos para a caracterização das fibras de bambu. Para minimizar a incompatibilidade química entre os cimentos e as fibras, foram realizados três pré-tratamentos, a saber: em água quente, com hidróxido de sódio e hidróxido de cálcio. Foram adotados dois traços: o primeiro com adição de 5% de partículas - 1: 3: 0,05: 0,34 (cimento: areia: partículas de bambu: água) e o segundo com adição de 8% - 1: 3: 0,08: 0,38 . Foram moldados corpos-de-prova conforme a NBR 7215. Os corpos-de-prova foram submetidos a ensaios normatizados de compressão simples, tração na compressão diametral, absorção de água e END (ultra-som). Os ensaios foram realizados aos 7, 14 e 28 dias, com exceção da absorção de água realizada somente aos 28 dias. Os resultados dos ensaios estão sendo analisados estatisticamente para selecionar o melhor traço e o melhor pré-tratamento aplicado às partículas de bambu, para, em uma etapa final, confeccionar os blocos vazados com a referida seleção.

Compósitos - Bambu - Blocos


T0801

BAMBU LAMINADO COLADO (BLC)


Luis Eduardo Rebolo Lapo (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antonio Ludovico Beraldo (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O bambu é uma das matérias-primas mais versáteis existentes na natureza. Combinando leveza e resistência mecânica o bambu se presta a uma infinidade de aplicações nos mais diversos campos, desde artesanato até a fabricação de componentes estruturais. Umas das possibilidades de aplicação é a utilização de ripas de bambu na confecção de laminados colados. Porém, o elevado custo do adesivo ainda é um impedimento ao uso do bambu para essa finalidade. Os objetivos deste estudo foram os de determinar as características físicas e mecânicas do bambu laminado colado (BLC) e propor aplicações práticas para o uso desse material. O laminado foi confeccionado a partir de ripas obtidas da espécie de bambu Dendrocalamus giganteus combinadas com uma resina poliuretana derivada do óleo de mamona (Ricinus comunis). Os corpos-de-prova de BLC foram submetidos a ensaios de cisalhamento da ligação adesiva bambu-bambu, ensaios de compressão simples, de flexão estática, de resistência ao impacto e ensaios não destrutivos (END – ultra-som). Também se verificou a estabilidade dimensional do BLC após a imersão dos corpos-de-prova em água durante períodos variáveis de tempo. A resina poliuretana à base de óleo de mamona apresentou resultados satisfatórios como adesivo. Os resultados dos ensaios não destrutivos foram comparados com as características mecânicas do laminado.

Laminado - Bambu - Mamona


T0802

PROBLEMAS E LIMITAÇÕES NA COMERCIALIZAÇÃO DE MADEIRAS NA REGIÃO DE CAMPINAS


Raphael Tiago Franco Cagini (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Antonio Ludovico Beraldo (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O trabalho foi realizado entrevistando madeireiras nas cidades de Leme, Campinas, Paulínia e Salto, coletando amostras de madeiras por elas comercializadas e também fazendo um questionário para um maior conhecimento das atividades desenvolvidas. Após a coleta dos corpos-de-prova, os mesmos foram trazidos à Faculdade de Engenharia Agrícola da Universidade Estadual de Campinas, para verificação do teor de umidade e da massa específica aparente da madeira. Depois de obtidos esses valores, os corpos-de-prova foram polidos para que fosse possível efetuar-se a identificação macroscópica da madeira. Nos corpos-de-prova foram observadas as propriedades organolépticas (cor, cheiro, gosto, brilho), o próprio “desenho” da madeira, e juntando todos esses elementos foi realizada a análise dicotômica da madeira. Tornou-se possível identificar a madeira comercializada e assim descobrir se o madeireiro estava comercializando a madeira com o nome correto. Para a análise macroscópica foi utilizada uma chave dicotômica e uma lupa de 10x observando-se, principalmente, o tipo de parênquima e da disposição dos vasos da espécie estudada, para com isso efetuar-se a correta identificação da espécie. Além da análise dicotômica, os corpos-de-prova foram digitalizados e as imagens obtidas foram comparadas com aquelas relativas às espécies comerciais existentes em um banco de dados de imagens digitais padronizadas. Dessa foram, pôde-se verificar se a denominação fornecida pelo madeireiro enquadrava-se nos os resultados obtidos em laboratório.

Identificação anatômica - Madeiras - Propriedades


T0803



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   53   54   55   56   57   58   59   60   ...   83


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal