Universidade estadual de campinas



Baixar 4.13 Mb.
Página58/83
Encontro29.11.2017
Tamanho4.13 Mb.
1   ...   54   55   56   57   58   59   60   61   ...   83

INSTRUMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO POR COMPRESSÃO DE VAPOR PARA AJUSTE DE CONDIÇÕES OPERACIONAIS COM VELOCIDADE VARIÁVEL NO COMPRESSOR


Ricardo Macedo da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra Bárbara J. Teruel Mederos (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Em sistemas de refrigeração aplicados a câmaras de armazenamento que trabalham com compressão de vapor em compressores alternativos semi-herméticos de mediano e grande porte, ainda prevalece o sistema de controle on-off, o qual não contempla as condições variáveis em que as câmaras de armazenamento funcionam, ligando o compressor a plena capacidade quando apenas é necessário suprir pequenas variações de temperatura. Este sistema tão popularizado além de propiciar um consumo de energia maior, fase à alta demanda de potência elétrica na partida, favorece o desgaste mecânico dos compressores (altos valores de torque, maior vibração, problemas com a lubrificação, etc.), o que aumenta os custos operacionais. Este trabalho propõe um estudo experimental de um sistema de refrigeração por compressão de vapor, para obter subsídios que permitam o estabelecimento de estratégias de controle, em projeto que dará continuidade a esta proposta, visando que o compressor trabalhe com cargas variáveis, atendendo às variações de temperatura dentro da câmara de resfriamento e dos produtos, atuando diretamente na velocidade de rotação dos pistões do compressor, visando a eficiência energética do processo. O trabalho se baseou em estudar a dinâmica de um processo de refrigeração por compressão de vapor (submetido a diferentes condições de rotação, através da variação da freqüência), instrumentar o sistema de refrigeração para mediar temperatura, pressão ( vazão mássica de refrigerante e consumo de energia), obter o coeficiente de desempenho do sistema frigorífico e o consumo de energia do sistema submetido a diferentes condições de operação e set point. Com isso, espera-se chegar a uma faixa de freqüência de menor consumo de energia e oferecer subsídios para um outro trabalho focado no controle desta operação.

Instrumentação - Eficiência energética - Consumo-de-energia


T0804

VARIABILIDADE ESPACIAL DO MICROCLIMA DE UM GALPÃO UTILIZADO PARA CONFINAMENTO DE BOVINO DE LEITE


Flaviane Flor de Faria (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Daniella Jorge Moura (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O conhecimento da variabilidade espacial de variáveis climáticas e a construção de mapas de krigagem podem auxiliar no manejo mais correto de animais confinados em galpões. Portanto, o trabalho teve como objetivo caracterizar a variabilidade espacial do microclima por meio da técnica de geoestatística de um galpão do tipo freestall utilizado para confinamento de bovino leiteiro. Os atributos microclimáticos – temperatura, umidade relativa, velocidade do vento, luminosidade e índice de temperatura e umidade (ITU) foram amostrados em 152 pontos em intervalos regulares de 2 m, na forma de malha. O sistema de ventilação utilizado não garantiu a homogeneidade da ventilação do ambiente. Em todos os ambientes os valores de ITU estão acima da condição normal, portanto a condição de ambiência do galpão não está garantindo conforto aos animais no horário de estudo. O uso da geoestatística possibilitou definir áreas com diferentes variabilidades espaciais para os atributos microclimáticos do galpão.

Geoestatística - Krigagem - Ambiência animal


T0805

EFEITO DA VELOCIDADE DO VENTO NA TEMPERATURA DE BARBELA DE PERUS AOS 61, 96 E 131 DIAS


Gabriela Munhóz Morello (Bolsista PIBIC/CNPq), Angélica Signor Mendes (Co-orientadora) e Profa. Dra. Daniella Jorge de Moura (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
No microambiente de perus, as condições de temperatura ambiente, umidade relativa do ar e velocidade do vento determinam uma temperatura efetiva no animal, ou seja, a real sensação térmica do mesmo, que influencia diretamente seu desempenho zootécnico. Dessa maneira, o presente trabalho relata o efeito da velocidade do vento na Temperatura de Barbela de perus (temperatura efetiva). Para isso, trabalhou-se com sete repetições de perus aos 61, 96 e 131 dias para cada teste, totalizando 30 testes, onde foram combinadas a temperatura ambiente e umidade relativa do ar para duas condições diferentes de velocidade do vento. A influência do vento na temperatura de barbela foi constatada de maneira significativa para todas as idades de perus. Verificou-se, também, as possíveis interações entre as variáveis Umidade Relativa do ar (UR) e Velocidade do Vento (VV), além das interações da Temperatura de Bulbo Seco (Tbs) e Velocidade do Vento. Concluiu-se que as interações entre estas variáveis, tendo a Temperatura de Barbela (TB) como resposta, aconteceram de maneiras distintas, variando com a idade dos perus.

Temperatura de barbela - Velocidade do vento - Microambiente de perus


T0806

ESTUDO DO COMPORTAMENTO DA VENTILAÇÃO NATURAL E ARTIFICIAL EM AVIÁRIOS PARA A PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE FRANGOS DE CORTE, UTILIZANDO A GEOESTATÍSTICA


Thayla M. R. de Carvalho (Bolsista SAE/UNICAMP), Marcos M. Valle (Bolsista CAPES), Karla A. O. Lima, Profa. Dra. Irenilza A. Nääs (Co-orientadora) e Profa. Dra. Daniella Jorge de Moura (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A ventilação auxilia a perda de calor por meios convectivos, sendo utilizada com êxito na climatização para aviários de frangos de corte, possibilitando a redução de perdas e otimização do processo de climatização. O objetivo do projeto foi avaliar as condições da ventilação natural e artificial nos galpões, realizando um mapeamento do microclima. Para isso dividiram-se os galpões em 72 quadrantes onde foram coletados os dados de variáveis climáticas. Para o monitoramento da temperatura, umidade, velocidade do ar e luminosidade foi utilizado um Higrotermoanemômetro portátil da marca Extech® Modelo 45160. Foi utilizado o Software SURFER 6.0, 1995, para construir mapas de distribuição espacial das variáveis climáticas no interior dos aviários. A análise geoestatística das variáveis nos diferentes tratamentos mostrou que a ventilação artificial possibilita uma distribuição mais uniforme das variáveis climáticas em comparação com a ventilação natural, uma vez que a ventilação natural sofre influência direta das condições ambientais externas enquanto a ventilação artificial não.

Avicultura de corte - Ventilação - Geoestatística


T0807



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   54   55   56   57   58   59   60   61   ...   83


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal