Universidade estadual de campinas



Baixar 4.13 Mb.
Página61/83
Encontro29.11.2017
Tamanho4.13 Mb.
1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   83

AVALIAÇÃO EXPERIMENTAL DO LASCAMENTO EXPLOSIVO EM CONCRETOS COM RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE 75 MPA, COM ADIÇÃO DE FIBRAS DE POLIPROPILENO, EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO


Cristiano de Oliveira Siqueira  (), André Torayoshi Yamashiro, Mariana Silva Gigliotti e Prof. Dr. Armando Lopes Moreno Junior (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - UNICAMP
Em situações especiais como incêndios, o concreto tem a sua heterogeneidade evidenciada, com redução de resistência a níveis que podem levar à ruína estrutural. Quando exposto a temperaturas na faixa de 600°C, por exemplo, o concreto tem a sua resistência reduzida em até 70%. Outro fenômeno que ocorre também em altas temperaturas é a desagregação do concreto, traduzido na forma de delaminação gradual, na forma de separação parcial de pequenas camadas superficiais do material ao longo do incêndio e, também, na forma de lascamentos explosivos ("spalling"). O lascamento explosivo (“spalling”) é a perda do material de forma parcial, instantânea e violenta que ocorre com grande liberação de energia, formando grandes cavidades nos primeiros 30 minutos de incêndio. Estudos mostram que a incorporação de fibras de polipropileno reduz ou elimina a ocorrencia do spalling. Dentre as variáveis envolvidas no fenômeno, certamente, a resistência à compressão do concreto é das mais importantes. O objeto deste trabalho foi a avaliação, em laboratório, do fenômeno do "spalling" em concretos com resistência à compressão de 75 MPa, em situação de incêndio. A incorporação de fibras de polipropileno, o grau de umidade e a geometria das amostras de concreto (cilíndros ou placas), também foram avaliados em relação à interferência no fenômeno do lascamento explosivo no concreto em situação de incêndio.

Spalling - Fibras Polipropileno - Incêndio


T0858

AVALIAÇÃO EXPERIMENTAL DO LASCAMENTO EXPLOSIVO EM CONCRETOS COM RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE 25 MPA, COM ADIÇÃO DE FIBRAS DE POLIPROPILENO, EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO


 Mariana Silva Gigliotti (), André Torayoshi Yamashiro e Cristiano de Oliveira Siqueira e Prof. Dr. Armando Lopes Moreno Junior (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, UNICAMP
Em situações especiais como incêndios, o concreto tem a sua heterogeneidade evidenciada, com redução de resistência a níveis que podem levar à ruína estrutural. Quando exposto a temperaturas na faixa de 600°C, por exemplo, o concreto tem a sua resistência reduzida em até 70%. Outro fenômeno que ocorre também em altas temperaturas é a desagregação do concreto, traduzido na forma de delaminação gradual, na forma de separação parcial de pequenas camadas superficiais do material ao longo do incêndio e, também, na forma de lascamentos explosivos ("spalling"). O lascamento explosivo (“spalling”) é a perda do material de forma parcial, instantânea e violenta que ocorre com grande liberação de energia, formando grandes cavidades nos primeiros 30 minutos de incêndio. Estudos mostram que a incorporação de fibras de polipropileno reduz ou elimina a ocorrencia do spalling. Dentre as variáveis envolvidas no fenômeno, certamente, a resistência à compressão do concreto é das mais importantes. O objeto deste trabalho foi a avaliação, em laboratório, do fenômeno do "spalling" em concretos com resistência à compressão de 25 MPa, em situação de incêndio. A incorporação de fibras de polipropileno, o grau de umidade e a geometria das amostras de concreto (cilíndros ou placas), também foram avaliados em relação à interferência no fenômeno do lascamento explosivo no concreto em situação de incêndio.

Spalling - Fibras polipropileno - Incêndio


T0859

AVALIAÇÃO DO FÓSFORO TOTAL EM EFLUENTE DE LAGOA ANAERÓBIA DESINFETADO COM HIPOCLORITO DE CÁLCIO VISANDO USO NA AGRICULTURA


Cintia Elena Nicolau (Bolsista SAE/UNICAMP), Daniele Tonon (Doutoranda) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, UNICAMP
O fósforo é um nutriente para as plantas que pode ser um fator limitante para seu crescimento, dependendo da quantidade presente. Este trabalho tem como objetivo a avaliação do fósforo total em efluente de lagoa anaeróbia desinfetado com hipoclorito de cálcio visando o uso desse efluente em culturas agrícolas e enquadramento nos padrões de lançamento em corpos receptores. O parâmetro para lançamento em corpos receptores foi obtido na legislação, a CONAMA 357/05, que também classifica o ambiente em que o efluente será lançado após o tratamento. Utilizou-se metodologia preconizada - método do ácido ascórbico - em AWWA/APHA/WEF (2001) e dosagens de 9, 12, 15, 18, 21, 25, 28 e 32 mg L-1 de hipoclorito de cálcio, que foram aplicados no efluente de uma lagoa anaeróbia para a desinfecção e o que se verificou é que com o aumento da dosagem de hipoclorito de cálcio, houve uma diminuição da quantidade de fósforo total. Acredita-se que isso deva ter acontecido porque os íons cálcio presentes no desinfetante precipitaram os íons fosfatos, formando o fosfato de cálcio. Para a agricultura, a remoção de fósforo não é interessante, mas caso esse efluente tenha outro destino, os resultados obtidos não atendem à norma vigente.

Desinfecção - Fósforo total - CONAMA 357/05


T0860

AVALIAÇÃO DE UM FILTRO ANAERÓBIO COM RECHEIO DE BAMBU – A PARTIDA E A OPERAÇÃO


Lucas E. Bagnasco (Bolsista PIBIC/CNPq), Luana Mattos de Oliveira Cruz, Adriano Luiz Tonetti e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, UNICAMP
Neste trabalho de iniciação científica buscou-se aperfeiçoar um sistema de tratamento de esgotos composto por filtro anaeróbio com recheio de bambu objetivando sua adoção em localidades isoladas onde há a necessidade de aplicarem-se métodos de baixo custo e viáveis. Para este estudo empregou-se um cilindro de 0,75 m de diâmetro e altura de 1,68 m. O fundo era cônico e separado da região ocupada pelo meio suporte por uma grade feita de bambu, cujos espaços livres impediam a passagem das unidades constituintes do recheio. Este fundo funcionou como um compartimento para a distribuição do esgoto. O meio suporte que preenchia seu interior foi constituído de anéis de bambu da espécie Bambusa tuldoides, tendo diâmetro de 4 cm e cortados em tamanho de aproximadamente 5 cm (CAMARGO, 2000). Como resultado, após a passagem do esgoto pelo interior deste reator, obteve-se uma eficiência na remoção de DQO (Demanda Química de Oxigênio) de 71%, sendo que este valor é equivalente àqueles obtidos em estação de tratamento de grande porte. Quanto às concentrações de fósforo e nitrogênio não houve significativas transformações, indicando a necessidade de um pós-tratamento. Tais resultados demonstram a viabilidade deste tipo de tratamento, sendo uma importante contribuição para diminuir-se a degradação do ambiente e também para evitar-se a proliferação das doenças de veiculação hídrica.

Tratamento - Esgoto - Baixo custo


T0861



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   83


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal