Universidade estadual de campinas



Baixar 4.13 Mb.
Página62/83
Encontro29.11.2017
Tamanho4.13 Mb.
1   ...   58   59   60   61   62   63   64   65   ...   83

REMOÇÃO NATURAL DE COLIFORMES TOTAIS E ESCHERICHIA COLI EM FILTRO DE AREIA EMPREGADO NO TRATAMENTO DE ESGOTOS – ETAPA 03 E 04 (ANO 02)


Marcela S. Nakamura (), Adriano Luiz Tonetti e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil Arquitetura e Urbanismo - FEC, UNICAMP
O objetivo deste projeto foi dar continuidade aos estudos de um sistema alternativo para o tratamento de esgoto doméstico de pequenas comunidades, constituído por filtro anaeróbio com recheio de bambu associado a um filtro de areia. Esta combinação é de baixo custo, fácil construção e operação, podendo ser adotada nas localidades onde a instalação dos métodos convencionais possui um custo elevado. Tendo este alvo, Camargo (2000) iniciou os estudos construindo de forma piloto filtros anaeróbios com recheio de bambu, obtendo a remoção de 70% da matéria orgânica do esgoto bruto. Apesar desta significativa eficiência, o sistema ainda não atendia a legislação brasileira para o lançamento de efluente em corpos hídricos (CONAMA 357, 2005). Deste modo, foi ampliado este estudo, dispondo o efluente gerado por este reator sobre a superfície de um filtro de areia. Especificamente para o segundo ano de trabalho, o filtro de areia foi avaliado quanto à aplicação da carga de 50 L/m2 em três e quatro horários em um mesmo dia, totalizando uma aplicação diária de 150 L/m2dia e 200 L/m2dia. Como resultado obteve-se um grande processo de remoção dos organismos indicadores de patogenecidade (coliformes totais e Escherichia coli). No entanto, até o presente momento, tal remoção não era suficiente para garantir que este efluente pudesse ser reutilizado em alguma outra atividade humana.

Tratamento - Esgoto - Baixo custo


T0862

AVALIAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE NUTRIENTES (FÓSFORO E NITROGÊNIO) EM UM FILTRO DE AREIA EMPREGADO NO TRATAMENTO DE ESGOTOS – ETAPA 03 E 04 (ANO 02)


Melina Barbosa (),Adriano Luiz Tonetti (Co-orientador) e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, UNICAMP
O objetivo deste projeto foi continuar os estudos de um sistema alternativo para o tratamento de esgoto doméstico de pequenas comunidades, constituído por filtro anaeróbio com recheio de bambu associado a um filtro de areia. Esta combinação é barata e de fácil construção e operação, podendo ser adotado nas localidades onde a instalação dos métodos convencionais possui alto custo. Tendo este alvo, Camargo (2000) construiu de forma piloto filtros anaeróbios com recheio de bambu, obtendo a remoção de 70% da matéria orgânica e sólidos suspensos. Na presente iniciação científica buscou-se ampliar este estudo, operando o filtro anaeróbio com um tempo de detenção hidráulico de 6 horas, sendo que o efluente gerado neste reator foi disposto sobre a superfície de um filtro de areia. Esta disposição deu-se em duas etapas, cada uma delas com duração de 4 meses. Nesta etapa da pesquisa o efluente dos filtros anaeróbios foram dispostos três e quatro vezes ao dia, em cargas de 50 L/m2. Como resultados preliminares encontrou-se um grande poder de nitrificação do sistema em estudo, sendo convertido praticamente todo o nitrogênio orgânico e amoniacal para nitrato. Destaca-se que a avaliação da capacidade de tratamento deste sistema foi dada pela análise semanal do efluente dos filtros anaeróbios e do filtro de areia.

Tratamento - Esgoto - Baixo custo


T0863

AVALIAÇÃO DOS PARÂMETROS FÍSICO-QUÍMICOS DO EFLUENTE DA ETE CITY PETRÓPOLIS (FRANCA-SP) COM VISTAS AO REÚSO AGRÍCOLA


Paula Regina Coeli Barbosa Senna (), Orlando A. Cintra Fo, Ronaldo Stefanutti e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, UNICAMP
Este projeto visa avaliar as caracteristicas físico-químicas do efluente de uma estação de tratamento de esgotos domésticos localizada na cidade de Franca, Estado de São Paulo, denominada de ETE City Petrópolis. Esta estação é operada pela SABESP, que tem como objetivo a busca do estabelecer de condições para que ocorra um pós-tratamento do efluente gerado tendo em vista sua aplicação em reúso agrícola. Para isso estão sendo avaliados: pH, condutividade elétrica, compostos nitrogenados, demanda bioquímica de oxigênio, demanda química de oxigênio, calcio, magnésio, sódio, fósforo, metais pesados e RAS presente neste efluente. Os resultados serão comparados com as recomendações apresentadas pela Organização Mundial de Saúde (WHO, 2006). As concentrações encontradas para estes compostos indicam que o efluente pode ser utilizado para a irrigação, necessitando de monitoramento no solo e água subterrânea.

Tratamento - Esgoto - Baixo custo


T0864

AVALIAÇÃO DA SÉRIE DE NITROGÊNIO EM EFLUENTES DE LAGOA ANAERÓBIA DESINFETADOS COM HIPOCLORITO DE CÁLCIO VISANDO USO NA AGRICULTURA


Roberto Angelo de Oliveira (), Daniele Tonon, Adriano Luiz Tonetti e Prof. Dr. Bruno Coraucci Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo - FEC, UNICAMP
Este trabalho objetiva avaliar a série de nitrogênio em efluente de lagoa anaeróbia desinfetado com hipoclorito de cálcio visando o uso deste efluente em culturas agrícolas e/ou padrões de lançamento em corpos receptores. Utilizou-se metodologia pré-estabelecida descrita em AWWA/APHA/WEF (2001). Dosagens de 9, 12, 15, 18, 21, 25, 28 e 32 mg L-1 de hipoclorito de cálcio foram aplicados ao efluente da lagoa anaeróbia para a desinfecção e o que se verificou é que a quantidade de nitrato a partir da variação da dosagem de hipoclorito de cálcio, em todos os casos, qualquer que seja a dosagem aplicada os valores alcançados não foram superiores a 10,0 mg L-1, obedecendo assim, a CONAMA 357/05. Isso acontece também com relação à quantidade de nitrito que não ultrapassou o valor máximo permitindo, ficando assim, dentro da norma vigente que estabelece em 1,0 mg L-1. Com relação à quantidade de nitrogênio amoniacal quantidades superiores ao máximo recomendado foram medidas, porém, somente a partir de dosagens superiores a 15 mg L-1 a norma vigente foi obedecida. Para a agricultura o que se verificou é que as concentrações de nitrato e nitrito não foram alteradas com a desinfecção e para o nitrogênio amoniacal diminuiu com o aumento da dosagem de hipoclorito de cálcio.

Tratamento - Lagoa anaeróbia - Reúso


T0865



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   58   59   60   61   62   63   64   65   ...   83


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal