Universidade federal da bahia



Baixar 24.65 Kb.
Encontro27.12.2018
Tamanho24.65 Kb.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO - DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO

DISCIPLINA: COM 115 - COMUNICAÇÃO E ÉTICA

PROFESSOR: RENATO DA SILVEIRA

Ementa

Ética: definições e controvérsias. A ética em uma perspectiva histórica. A perspectiva jurídica ou contratual. A perspectiva antropológica: universalidade x relativismo cultural. A ética na vida do profissional da comunicação. O sentimento moral.



Programa máximo

I - Metodologia: o caráter multidisciplinar do estudo da ética. A ascensão do tema na atual conjuntura mundial.


II - Principais elaborações teóricas na história da filosofia ocidental; a ética nas civilizações tradicionais. A concepção de pessoa nas diversas civilizações. A segmentação moral e as correntes da ética contemporânea.
III - O surgimento de uma ética da acumulação na cultura urbana européia. Problemas éticos na sociedade colonial: a montagem do projeto Brasil; influência da ideologia escravista na elaboração dos valores que regem nossa vida cotidiana. A ética e o espírito do capitalismo. O clientelismo e a corrupção na história do Ocidente
IV - Montagem das ideologias de dominação no Ocidente: do “espelho dos príncipes” e o Príncipe de Machiavelli ao Breviário dos políticos do Cardeal Mazarino. A “força moral” como elemento importante da estratégia militar. O advento da ideologia cientista e a crise do Cristianismo como referência moral para as grandes massas. A desestabilização das instituições tradicionais de formação de valores, Igreja, Família e Escola. A mídia de massa como (de)formadora de opinião e “poder moderador” nas democracias ocidentais. O totalitarismo comunista. O Darwinismo social, o racismo científico e o Fascismo. Papel da agência de propaganda na contemporaneidade.
V - O fundamento jurídico da humanidade. A Declaração Universal dos Direitos Humanos. Os códigos de leis particulares. Os costumes e o direto consuetudinário. A constituição brasileira. A regulamentação sobre a comunicação e as trocas. O Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária - Conar. A habitual decalagem entre o texto legal e a vida real.
VI - A ética no exercício profissional do agente da comunicação. Análise dos diversos códigos existentes. Comparação com códigos de outras profissões. A deontologia e o estudo de casos. O problema da objetividade jornalística. Depoimentos de profissionais experientes. Acompanhamento de tópicos éticos na atualidade midiática.
VII - A abordagem da ética como realidade subjetiva. Refinamento da sensibilidade no processo civilizatório. A ética como sentimento moral. A disciplina interior, a responsabilidade, a justiça, a amizade, a lealdade, o trabalho, o espírito comunitário, a coragem, a compaixão, a perseverança e a honestidade enquanto valores.
VIII - As fronteiras éticas da civilização ocidental e a contestação da ordem instituída: contracultura, corrupção, drogas ilícitas, desobediência civil e crime organizado. O Marquês de Sade e o questionamento da ordem sexual. A ética feiticeira: o Dom Juan de Carlos Castaneda. O marxismo, o fundamentalismo islâmico e os deveres do revolucionário.

Procedimentos de ensino

Aulas expositivas, debates, pesquisas, projeção de filmes e vídeos, participação orientada dos estudantes, acompanhamento do programa televisivo Observatório da Imprensa durante todo o semestre.



Avaliação

São levadas em consideração não só a qualificação intelectual do (da) estudante (trabalhos de pesquisa, preparação de seminários e prova escrita com temas de reflexão), como sua conduta ao longo do semestre (assiduidade, pontualidade, responsabilidade no encaminhamento das tarefas). Na prova escrita os critérios de avaliação são: postura humanitária, clareza de raciocínio, qualidade da redação, da argumentação, pertinência da exemplificação, complexidade da problemática apresentada.



Bibliografia

ABRAMO, Cláudio. A regra do jogo: o jornalismo e a ética do marceneiro. S. Paulo: Companhia das Letras, 1989.

ACCETO, Torquato. Da dissimulação honesta. S. Paulo: Martins Fontes, 2001.

ALTAVILA, Jayme. Origem dos direitos dos povos. S.Paulo: Ícone, 1989.

ARENDT, Hannah. Le système totalitaire. Paris: Éditions du Seuil, 1972.

ARISTÓTELES. A política. S. Paulo: Martins Fontes, 2000.



Ética a Nicômacos. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1985.

AUGÉ, Marc. Não-lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994.



Por uma antropologia dos mundos contemporâneos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.

O sentido dos outros: atualidade da antropologia. Petrópolis: Vozes, 1999.

BALANDIER, Georges. Anthropologie politique. Paris: PUF, 1967.

BENNETT, William. O livro das virtudes: uma antologia. Rio de Janeiro:

Nova Fronteira, 1995.

BETTO, Frei, BARBA, Eugênio, COSTA, Jurandir Freire. Ética. Brasília: Editora Garamond, 1997.

BOBBIO, Norberto. Direito e Estado no pensamento de Emanuel Kant. S. Paulo: Mandarim, 2000.

BOFF, Leonardo. Ética e moral: a busca dos fundamentos. Petrópolis: Editora Vozes, 2003.

BORNHEIM, Gerd A. (org). Os filósofos pré-socráticos. S. Paulo: Editora Cultrix, 1997.

BOUDON, Raymond. La place du désordre. Paris: PUF, 1985.

BOUTROUX, Émile. Aristóteles. Rio/S. Paulo: Editora Record, 2000.

BUCCI, Eugênio. Sobre ética e imprensa. S. Paulo: Companhia das Letras, 2000.

CASTANEDA, Carlos. Porta para o infinito. Rio de Janeiro/S.Paulo: Record, s/data.



O poder do silêncio. Rio de Janeiro/S.Paulo: Record, 1988.

CÍCERO, Marco Túlio. Dos deveres. S. Paulo: Martins Fontes, 1999.

CONFÚCIO. Os analectos. S. Paulo: Martins Fontes, 2000.

COIMBRA, José de Ávila Aguiar (org). Fronteiras da ética. S. Paulo: Editora Senac, 2002.

COLLOQUES INTERNATIONAUX DU CENTRE NATIONAL DE LA RECHERCHE SCIENTIFIQUE. La notion de personne en Afrique noire. Paris: Éditions du CNRS, 1981.

COMTE-SPONVILLE, André, FERRY, Luc. A sabedoria dos modernos. S. Paulo:

Martins Fontes, 1999.

CORNU, Daniel. Ética da informação. Bauru: Edusc, 1998.

DILTHEY,Wilhelm. Sistema da ética. S. Paulo: Ícone Editora, 1994.

DONZELOT, Jacques. A polícia das famílias. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

DUSSEL, Enrique. Ética da libertação na idade da globalização e da exclusão. Petrópolis: Vozes, 2001.

EWEN, Stuart. Consciences sous influence: publicité et genèse de la société de consommation. Paris: Aubier Montaigne, 1983.

FELDMAN-BIANCO, Bela (org.). Antropologia das sociedades contemporâneas - métodos. S. Paulo: Global, 1987.

FICO, Carlos. Reinventando o otimismo: ditadura, propaganda e imaginário social no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

GRACIÁN, Baltasar. A arte da sabedoria mundana: um oráculo de bolso. S. Paulo: Editora Best Seller, s/ data.

GRANET, Marcel. La pensée chinoise. Paris: Albin Michel, 1968.

HIMANEN, Pekka. A ética dos hackers e o espírito da era da informação. Rio de Janeiro: Editora Campus, 2001.

HULTENG, John L. Os desafios da comunicação: problemas éticos. Florianópolis: Editora da UFSC, 1990.

JANKELEVITCH, Vladimir. L’ambiguïté morale en son for intérieur. In DELACAMPAGNE, Christian; MAGGIORI, Robert (orgs.). Philosopher. Paris: Fayard, 1980, pp. 303-321.

KANT, Emanuel. Crítica da razão prática. Rio de Janeiro: Ediouro, s/data.

Fundamentação da metafísica dos costumes. In Crítica da razão pura e outros textos filosóficos. Rio de Janeiro: Editora Abril/Coleção Os Pensadores, vol. XXV, 1974.


KARAN, Francisco José. Jornalismo, ética e liberdade. S. Paulo: Summus Editorial, 1997.

LAFER, Celso. Desafios: ética e política. S. Paulo: Editora Siciliano, 1995.

LAGE, Nilson. Controle da opinião pública: um ensaio sobre a verdade conveniente. Petrópolis: Vozes, 1998.

LANTERNARI, Vittorio. Occidente e Terzo Mondo. Bari: Dedalo Libri, 1972.

MACHIAVELLI, Niccolò. O príncipe. S. Paulo: Livraria Exposição do Livro, s/data.

MATTELART, Armand. A comunicação mundo: história das idéias e das estratégias. Petrópolis: Vozes, 1994.

MAZARIN, Cardinal Jules. Bréviaire des politiciens. Paris: Arléa, 1998.

MELLO, Luiz Gonzaga de. Antropologia cultural: iniciação, teoria e temas. Petrópolis: Vozes, 1987.

NALINI, José Renato. Ética geral e profissional. S.Paulo: Editora da Revista dos Tribunais, 1997.

NIETZSCHE, Friedrich. Obras incompletas. Coleção Os Pensadores. S. Paulo: Abril Cultural, 1983.



Genealogia da moral. S. Paulo: Brasiliense, 1988.

Além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro. S. Paulo: Companhia das Letras, 2000.

OLIVEIRA, Manfredo A. de (org). Correntes fundamentais da ética contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2000.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de, OLIVEIRA, Luís R. Cardoso de. Ensaios antropológicos sobre moral e ética. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996.

PAIVA, Raquel (org). Ética, cidadania e imprensa. Rio de Janeiro: Mauad, 2000.

PESSANHA, José Américo Motta (org). Sócrates. Coleção Os Pensadores. S. Paulo: Nova Cultural, 1991.

PLATÃO. Diálogos III: A República. Rio/P. Alegre/S. Paulo: Editora Globo, 1964.

POLANYI, Karl. A grande transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro: Editora Campus, 2000.

REGA, Lourenço Stelio. Dando um jeito no jeitinho: como ser ético sem deixar de ser brasileiro. S. Paulo: Editora Mundo Cristão, 2000.

RIDLEY, Matt. As origens da virtude: um estudo biológico da solidariedade. Rio de Janeiro/S. Paulo: Record, 2000.

ROSENFIELD, Denis L. (org). Ética e estética. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. In Sartre-Heidegger. Rio de Janeiro: Editora Abril/Coleção Os Pensadores, vol. XLV, 1973.

SCHOPENHAUER, Arthur. Sobre o fundamento da moral. S. Paulo: Martins Fontes, 1995.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: conseqüências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro/S. Paulo: Record, 1999.

SMITH, Adam. Teoria dos sentimentos morais. S. Paulo: Martins Fontes, 1999.

SPENCER, Herbert. La morale des différents peuples et la morale personnelle. Paris: Librairie Guillaumin et Cie., 1896.

SPINOZA, Baruch. Ética. Rio de Janeiro: Ediouro, s/data.

SUN TZU. A arte da guerra. S. Paulo: Cultura Editores Associados, 1994.

TCHAKHOTINE, Serge. A mistificação das massas pela propaganda política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

THOREAU, Henry David. Civil disobedience and other essays. New York: Dover Publications, 1993.

TODOROV, Tzvetan. A vida em comum: ensaio de antropologia geral. Campinas: Papirus, 1996.

TOURAINE, Alain. Poderemos viver juntos? Iguais e diferentes. Petrópolis: Vozes, 1998.

TUGENDHAT, Ernst. Lições sobre ética. Petrópolis: Vozes, 1996.

VALLS, Álvaro L. M. O que é ética. S. Paulo: Brasiliense/Coleção Primeiros Passos, 1986.

VASCONCELLOS, Maura Maria Morita. Avaliação e ética. Londrina: Editora UEL, 2002.

VAZQUEZ, Adolfo Sánchez. Ética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996.

VOLTAIRE. Tratado sobre a tolerância. S. Paulo: Martins Fontes, 1993.

VON CLAUSEWITZ, Carl. Da guerra. Lisboa: Publicações Europa-América, s/data.

VIDAL, Marciano (org). Ética teológica: conceitos fundamentais. Petrópolis: Vozes, 1999.

ZAJDSZNAJDER, Luciano. Ética, estratégia e comunicação na passagem da modernidade à pós-modernidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1999.

ZOJA, Luigi. História da arrogância: psicologia e limites do desenvolvimento humano.

S. Paulo: Axis Mundi, 2000.

WALZER, Michael. Da tolerância. S. Paulo: Martins Fontes, 1999.

WEBER, Max. L’etica protestante e lo spirito del capitalismo. Firenze: Sansone Editori, 1977.

WILHELM, Richard (org). I Ching, o livro das mutações. S. Paulo: Pensamento, s/data.







Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal