Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico



Baixar 47.47 Kb.
Encontro26.01.2018
Tamanho47.47 Kb.







Universidade Federal de Santa Catarina

Centro Tecnológico

Departamento de Engenharia Mecânica

Coordenadoria de Estágio do Curso de Engenharia Mecânica

CEP 88040-970 - Florianópolis - SC - BRASIL

www.emc.ufsc.br/estagiomecanica

estagio@emc.ufsc.br






RELATÓRIO DE ESTÁGIO – 1/3 (primeiro de três)

Período: de 03/03/2008 a 22/04/2008


Paris Telas Ind. E Comércio Ltda.

Aluno: Marcos Stange Rohden

Supervisor: Adriano Petrone

Orientador: Sérgio Gargioni

Gravatal, 22 de Abril de 2008

SUMÁRIO


1 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 3

1.1 Caracterização da Empresa 3

1.2 Histórico 3

1.3 Objetivos da Empresa 4

1.4 Mercados Atendidos 4

1.5 Produtos 5

2 ESTRUTURA DA EMPRESA 5

3 ATIVIDADES DE ESTÁGIO NA PARIS TINTAS 5

3.1 Introdução 6

3.2 O Mercado de Tintas 6

3.3 Cronograma 7

3.4 O produto Tinta 7

3.4.1 Os componentes da tinta 8

3.4.2 Resina e Agentes Reológicos 8

3.4.3 Pigmentos 9

3.4.4 Propriedades a controlar 9

4 DISCUSSÕES E CONCLUSÕES 9

ANEXO A – Latas, Cartela e Sistema Tintométrico 11





1 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA



1.1 Caracterização da Empresa
Razão Social: Paris Telas Indústria e Comércio Ltda.

Nome Fantasia: Paris.



Endereço: Rod SC 438 Km 197, Gravatal-SC

Forma Jurídica: Sociedade por Quotas de Responsabilidade Ltda.

Ramo de atividade: Indústria e Comércio de tintas e vernizes, artefatos diversos de madeira, impermeabilizantes e produtos afins.

Número de funcionários: 20

Principais produtos comercializados: Telas artísticas para pintura, madeira para chassi de telas, tecido preparado para telas, cavaletes para pintura, paletas, selador e tintas imobiliárias.
1.2 Histórico
A empresa Paris Tintas teve seu projeto iniciado em março de 2006. A idéia partiu da possibilidade de se expandir uma atividade já realizada dentro da empresa familiar Paris Telas. A Paris Telas, também situada em Gravatal-SC, fabricante de telas artísticas para pintura há 10 anos, é líder de qualidade no seu segmento, líder de vendas na região sul e atua em todo o Brasil. A busca por melhorias levou a empresa a desenvolver, em 2002, sua própria cobertura (textura) química que é aplicada sobre o tecido de algodão, com isso foi possível obter um produto exclusivo de altíssima qualidade. Surgiu aí, por acaso, a atividade que mais tarde daria início a empresa de tintas imobiliárias Paris Tintas.

Com o trabalho de produção da textura para telas, criou-se uma relação bastante íntima com fornecedores de produtos químicos e também com químicos ligados à área. Essa proximidade, aliada ao grande momento econômico vivido pelo Brasil, por conseqüência o setor de construção civil, e também ao desejo de diversificação das atividades fez com que o projeto Paris Tintas fosse iniciado.

O setor de tintas imobiliárias é altamente competitivo no Brasil, isso trouxe um grande desafio para quem estava acostumado com uma empresa de capital e gestão familiar. A necessidade de uma nova postura frente aos negócios era muito clara, e com o objetivo de atender a essas necessidades é que o projeto está sendo desenvolvido.

O período compreendido entre março de 2006 e setembro de 2007 foi de muita luta para conseguir parcerias de colocassem o projeto da empresa em um nível competitivo. A busca por um parceiro que disponibilizasse alta tecnologia e um sistema completo de pigmentação foi o primeiro passo, e também o mais penoso. Afinal de contas, qual gigante européia se abre facilmente a quem está disposto a se tornar empresário do mesmo setor que Suvinil, Renner, Coral e Sherwinn Willians? Felizmente foi possível, após inúmeras tentativas, convencer a mesma empresa que fornece tecnologia e pigmentos para a Renner e Coral, de que o maior patrimônio das empresas hoje não está no capital tangível, mas sim que o grande patrimônio é a gestão que a empresa adota, a sua relação com a qualidade, com o desejo de atender às necessidades do mercado e de evoluir junto a seus clientes e fornecedores. Com essa postura declarada o projeto da empresa Paris Tintas passou a contar com um sistema tintométrico completo e 1050 cores a disposição de seus futuros clientes. Foi um grande passo, agora se podia realmente enxergar uma empresa de tintas tomando corpo.

Após o acordo sobre a tecnologia de pigmentação ter sido estabelecido, o próximo passo foi o de desenvolver os produtos e estabelecer os padrões de qualidade. O atual momento que a empresa vive consiste em desenvolver um criterioso controle de qualidade para seus produtos e desenvolver toda a relação com o mercado.

Na seqüência deste relatório irei tratar somente dos assuntos referentes a empresa de tintas imobiliárias, que em breve estará totalmente desvinculada da empresa de telas artísticas.



1.3 Objetivos da Empresa
Produzir tintas e complementos para pintura de alta qualidade, atuar de forma ética e responsável e ser reconhecida por sua transparência, dinamismo e pela qualidade de seus produtos.
1.4 Mercados Atendidos
Estado de Santa Catarina, com atenção especial para a região sul.

1.5 Produtos

De início a empresa dispõe de selador acrílico e tinta acrílica fosca e semi-brilho. As tintas podem ser brancas ou pigmentadas nos sistema tintométrico, que possibilita a produção de mil e cinqüenta cores diferentes. O planejamento da empresa visa a possuir uma linha de complementos para pintura, que abrangerá Massa Acrílica, Massa PVA, Textura Acrílica, Tinta para Telhas, Tinta para Piso e Fundo preparador de paredes.

2 ESTRUTURA DA EMPRESA

A estrutura da empresa é bastante simples, pode ser dividida em área de compras, de venda, financeira e produção.

Como citado anteriormente, a empresa ainda passa por um período de planejamento interno, mas trabalhará de maneira semelhante à atual empresa de telas, na qual os vendedores são responsáveis pelos pedidos e algumas cobranças, o setor financeiro é exercido em conjunto com os pagamentos e as compras são vinculadas às necessidades de investimento e de orçamento da produção, que neste caso está também vinculado ao orçamento de vendas. A contabilidade é realizada fora da empresa.

A área da produção é gerenciada por Adriano Petrone, experiente químico que já trabalhou em empresas de grande expressão como Sherwin Willians e Coral. Trata-se de uma estrutura simples de produção, na qual o diferencial fica por conta de possuir um layout adequado e bons equipamentos que possibilitem o melhoramento do processo. A parte mais importante desta área é o laboratório, pois lá são testadas as matérias primas e lotes produzidos, assim como realizados também novos desenvolvimentos de produto em conjunto com os grandes laboratórios dos nossos fornecedores, como o AWETA da BASF.

Neste estágio estarei atuando com maior atenção ao controle de qualidade dos produtos.

3 ATIVIDADES DE ESTÁGIO NA PARIS TINTAS



3.1 Introdução
Não é erro algum afirmar que dentro de uma lata de tinta não há simplesmente tinta, o que se tem lá é mais que isso, é muita informação. A tinta que temos hoje no mercado é resultado de exaustivas análises e aprimoramento de materiais, formulações, processos e técnicas de aplicação.

A formulação corresponde à “receita do bolo”, o percentual de cada matéria que irá compor cada produto. Esta formulação deve estar intimamente relacionada com a seleção dos materiais adequados, a fim de maximizar a eficiência de cada componente introduzido na receita. O processo de fabricação deve contemplar a minimização dos custos, a máxima eficiência da mão de obra e além de tudo assegurar o resultado pretendido com a formulação e a seleção dos bons materiais. As técnicas de aplicação correspondem à última etapa, que é executada pelo profissional da pintura.

Como são possíveis inúmeras alterações do produto final (formulação + processo + aplicação), há a enorme necessidade de se estabelecer padrões e controles de qualidade de matérias primas, de formulação, de processo e de análises para liberação de lotes com a finalidade de garantir que os produtos que saiam da empresa estejam de acordo com a qualidade exigida pelo mercado e pelos órgãos certificadores de qualidade.

O controle de qualidade em uma empresa de tintas deve garantir as propriedades do produto, sua reprodutividade e estabilidade. Dentro desta visão é que a empresa Paris Tintas trabalhará seu desenvolvimento de controle de qualidade.


3.2 O Mercado de Tintas
O mercado de tintas imobiliárias no Brasil evoluiu muito nos últimos anos e tem se mostrado cada vez mais competitivo. Feiras internacionais americanas e européias já ajustam suas datas em detrimento da atenção que as grandes empresas químicas têm dado ao mercado brasileiro. Um cliente de tintas imobiliárias possui no Brasil os melhores produtos a sua disposição. São representantes mundiais do segmento, que contam com o apoio de gigantes da área química, muitas vezes donas das empresas de tintas.

A história da tinta no Brasil não pode ser contada sem falar no nome Olócio Bueno. Bueno fundou em 1961 a Super, uma pequena fábrica de tintas que mais tarde passou a produzir tintas a base PVA, composto mais conhecido como vinil. Neste momento surgiu a Suvinil (Super + Vinil), uma empresa respeitada que moldou o mercado de tintas no Brasil. A Suvinil mais tarde passou a integrar o grupo BASF, talvez a maior empresa química do mundo, e conseguiu impor no mercado brasileiro suas características de produto, fazendo deles sinônimo de qualidade. A Sherwin Willians, líder no mercado americano, enfrentou por muito tempo esse desafio que aqui vou chamar de “Suvinil, a tinta do Brasil”. Não bastava ter um produto de excelência, tinha que ter a mesma característica de aplicação da empresa de Bueno. Uma viscosidade diferente, um cheiro diferente, densidade diferente, tudo era motivo de desconfiança, pois fugia ao padrão da “tinta do Brasil”.

Hoje a Suvinil continua líder de mercado no Brasil, entretanto houve um desenvolvimento muito grande de empresas nacionais e também do próprio mercado, que agora já reconhece qualidade também em outros produtos. Houve um avanço neste sentido, as informações são maiores, o mercado brasileiro está aberto à tecnologia mundial como nunca esteve e é possível através de parceiros estrangeiros atingir um nível excelente de produto. O mercado de tintas no Brasil hoje é representado pelas grandes Suvinil, Coral, Renner, Sherwin Willians; pelas médias Dacar, Resicolor, Eucatex, Anjo, Universo, Killing, entre outras, e por diversas empresas de pequeno porte que geralmente possuem pouco desenvolvimento de produto e atendem a segmentos de baixa qualidade.
3.3 Cronograma
O estágio será desenvolvido em três etapas, são elas:

1ª Etapa (03/03/2008 a 22/04/2008): Introdução, apresentações e realização de estudos teóricos sobre o produto tinta, seus componentes e o processo de fabricação.

2ª Etapa (04/23/2008 a 09/06/2008): desenvolvimento de controle de qualidade para aprovação de matérias primas, análise e seleção de equipamentos para o processo de fabricação em grande escala.

3ª Etapa (10/06/2008 a 31/07/2008): desenvolvimento de controle de qualidade dos produtos acabados, realização de testes em campo e criação de conjunto de orientações para aplicação do produto pelos profissionais.
3.4 O produto Tinta
Tinta é uma composição química, pigmentada ou não, que após sua aplicação se converte em um revestimento, proporcionando acabamento, resistência e proteção às superfícies.
3.4.1 Os componentes da tinta
• Água: utilizada como solvente universal. Deve ser sempre potável, possuir baixa presença de íons solúveis como cálcio, magnésio e ferro. A presença desses íons diminui a eficiência do dispersante pela formação de sais insolúveis.

• Resina: é a parte não volátil da tinta, serve para aglomerar as partículas de pigmentos e cargas. A resina é responsável pela formação do filme/película de tinta seca, que confere brilho, resistência e durabilidade à tinta.

Pigmentos: são partículas sólidas insolúveis no veículo no qual estão em suspensão. Temos os pigmentos ativos (que conferem cor) e os inertes (cargas).

Aditivos: são substâncias que atuam como auxiliares para facilitar o processo produtivo ou para alterar alguma propriedade do produto. Exemplos: anti-sedimentantes, anti-peles, anti-espumantes, secantes, dispersantes, biocidas, espessantes.

Em laboratório foram testadas pela equipe (Químico responsável Adriano Petrone, o auxiliar Gustavo Cargnin e eu) diversas combinações de soluções para que pudéssemos tirar conclusões práticas do que a teoria nos indicava. A cada análise, fomos concluindo que deveríamos estudar todas as combinações, resina + cargas + aditivos, utilizando fornecedores diferentes e a partir disso selecionar os melhores resultados.


3.4.2 Resina e Agentes Reológicos

A interação entre Resina, espessantes e dispersantes possui diversas combinações possíveis para se chegar ao espessamento e fluidez desejada. Entretanto, é necessário combiná-la de maneira adequada visando a obter os melhores resultados globais da tinta.

A combinação dos agentes reológicos com a resina influencia diretamente em aspectos como: lavabilidade, nivelamento, transferência da tinta para a parede, respingos, manchamento e outros. Neste período fizemos inúmeros testes com diferentes resinas e agentes reológicos, de diferentes fornecedores e a partir dos resultados apresentados nós fomos eliminando algumas opções, terminando os testes com a aprovação de dois conjuntos de resina-agentes reológicos. Os conjuntos dos fornecedores “X” e “Y”.

Realizar esses ensaios demanda muito investimento. Além de a empresa ter que ir a busca de todos os produtos para testar, há também o investimento em mão de obra e o tempo que se permanece focado no laboratório. Entretanto, não restam dúvidas de que um bom desenvolvimento nesta fase é o que vai sustentar a empresa no restante do planejamento e na atuação frente ao mercado.



3.4.3 Pigmentos

A ação dos pigmentos e cargas também é de muita importância, cada produto (por exemplo: Titânio, Precipitado de Cálcio, Bentonita, Polygloss) contribui de maneira diferente para o produto final.

Algumas cargas adicionadas na formulação possuem a finalidade de conferir opacidade, outras servem para atuar na dispersão das partículas de pigmentos ativos, outras servem para conferir aspecto aveludado à tinta fosca, outras para assegurar bom lixamento, entre outras funções. De posse deste conhecimento, tivemos também que realizar inúmeros testes que nos encaminhassem à utilização correta do percentual de cada componente, sempre tendo em vista a exigência do mercado e o nosso objetivo de desenvolver um produto “premium”.
3.4.4 Propriedades a controlar
Os principais aspectos a serem controlados são:

• Efeito de cobertura: quanto da cor é transferido ao substrato.

• Rendimento: quantos m² de substrato são cobertos por cada litro de tinta.

• Durabilidade: resistência às intempéries.

• Lavabilidade: resistência do produto à remoção de sujeiras.

• Poder de nivelamento: capacidade de se uniformizar sobre o substrato.

• Estabilidade em prateleira: manutenção das propriedades durante 36 meses de armazenamento.

• Reologia ligada à aplicação: características de aplicação, como viscosidade, respingamento, transferência do rolo para a parede.



4 DISCUSSÕES E CONCLUSÕES
Este primeiro período em contato com grandes profissionais do mercado de tintas me trouxe muito conhecimento. Duas grandes conclusões sobre este período: (1) não há formulação pronta que possa ser trazida de outra empresa e aplicada diretamente no processo de fabricação da Paris. Os líderes de mercado possuem algumas etapas internas de desenvolvimento de matérias primas, isso faz com que todo o restante do conjunto esteja combinado com as propriedades que esses materiais por eles desenvolvidos possuem. O resultado é que todo o processo de desenvolvimento que fizemos nessas sete semanas é vital para que tenhamos um produto de alto nível. (2) Nada em uma empresa de tinta pode ser considerado “definido e acabado”. As matérias primas podem sofrer alterações em seus lotes e este fato pode contaminar toda a produção da Paris, sendo necessário, então, um controle rigoroso sobre todas as entradas de MPs na empresa.

Outras experiências deste período também me chamaram muita a atenção. Uma delas foi o fato de, em alguns momentos, profissionais extremamente capacitados se abrirem para discussões muito simples, coisas pequenas que podem fazer total diferença no desenvolvimento do produto, mas que antes eu não percebia. Poder concluir que a solução para os problemas está no todo, num conjunto de esforços, e não na contratação de um “pacote pronto” também foi muito importante, pois trouxe para a equipe a importância do desenvolvimento correto de cada etapa, da necessidade de ter qualidade em cada passo, de ser exigente com o que temos e ao mesmo tempo abertos a conhecimento externo que possa contribuir para nosso trabalho.

A partir de agora a equipe se dedicará aos trabalhos que serão abordados na segunda etapa deste estágio profissional.

ANEXO A – Latas, Cartela e Sistema Tintométrico






Cartela de 1050 cores para o sistema tintométrico.

Embalagens de 18 litros, 3,6 litros e 0,91 litros.


Equipamento dosificador automático

do sistema tintométrico (ainda sem arte).






Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal