Universidade federal do rio grande do sul instituto de letras



Baixar 1.56 Mb.
Página1/28
Encontro08.06.2018
Tamanho1.56 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   28

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

INSTITUTO DE LETRAS

NAU-LET


PROGRAMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UFRGS

PAIUFRGS

INSTITUTO DE LETRAS

NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE

RELATÓRIO 2008

RELATÓRIO DO CICLO 2005-2008

Porto Alegre, 2008
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

INSTITUTO DE LETRAS

NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE

RELATÓRIO NAU-LETRAS

2005-2008

Relatório submetido à Secretaria de Avaliação da Universidade, contendo dados relativos ao Instituto de Letras, para o Programa de Avaliação Institucional da UFRGS

Porto Alegre

17 de Dezembro de 2008



UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

INSTITUTO DE LETRAS

NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE
INSTITUTO DE LETRAS DA UFRGS 2008


Diretor: Prof. Arcanjo Pedro Briggmann

Vice-diretora: Profa. Rosalia Neumann Garcia

Assessora: Secretária Zuleima Jacques

Coordenadora NAU-Let: Profa. Jane Fraga Tutikian
Coordenadora NAU-Let: Profa. Sandra Sirangelo Maggio


Coordenadora COMGRAD-Let: Profa. Márcia Ivana de Lima e Silva

Bolsista SAI: Aluna Vane Ribeiro

Bolsista SAI: Aluna Neiva Kampf
AGRADECIMENTOS
Ao concluirmos este quadriênio de trabalho, os integrantes da Equipe Nau-Let agradecemos, de modo especial:
- À Direção do Instituto de Letras da UFRGS, nas pessoas do Diretor, Prof. Arcanjo Pedro Brigmann e da Vice-diretora, Profa. Rosalia Neumann Garcia, representando a gestão que se encerra neste final de ano e à qual o NAU-Let esteve vinculado durante os últimos quatro anos. Ao mesmo tempo, saudamos a nova Direção Eleita, nas pessoas da Diretora Profa. Jane Tutikian e da Vice-diretora, Profa. Maria Lúcia de Lorenci, desejando a ambas e ao nosso Instituto um período de grandes realizações.
- À Assessora Administrativa, Sra. Zuleima Jacques, pelo apoio e incentivo a todas as nossas propostas de atividades.
- À Secretaria de Avaliação Institucional, pelo apoio constante e orientação segura ao longo destes últimos quatro anos. Agradecemos de forma especial o equipamento de trabalho (computador) e a cessão de duas bolsas de Iniciação Científica SAI.
- À Comunidade do Instituto de Letras, pela atenção e o interesse demonstrados em todas as etapas de realização dos trabalhos, por todas as sugestões que melhoraram a eficácia dos instrumentos utilizados.
- À Comissão de Graduação do Instituto de Letras, na pessoa de sua coordenadora, Profa. Márcia Ivana de Lima e Silva, por todo o esforço empreendido para a concretização de nossa meta de construção dos Planos Pedagógicos dos Cursos de Licenciatura e de Bacharelado em Letras.




SUMÁRIO

1 Apresentação.................................................................................................06


2 Relatório do Quadriênio NAU........................................................................07
3 Relatório do Ano de 2008..............................................................................09
4 Propostas para a Próxima Etapa.........................................................................10
5 Projeto Pedagógico da Licenciatura e Letras.......................................................11
6 Plataforma da Nova Direção Eleita.....................................................................152
7 Referências.........................................................................................................155



1 – APRESENTAÇÃO
Este relatório apresenta simultaneamente um resumo das atividades do Núcleo de Avaliação do Instituto de Letras (NAU-Let) durante o quadriênio 2005-2008 e uma síntese das atividades principais ações empreendidas durante o ano de 2008.
Nos últimos quatro anos o NAU-Let esteve ligado à gestão “Concertando Letras”, encabeçada pelos Professores Arcanjo Pedro Brigmann, na Direção do Instituto, e Rosalia Angelita Neumann, na vice-direção. Ao longo desse tempo, integraram a Comissão do NAU-Let, em períodos diversos, os seguintes membros de nossa comunidade acadêmica:

  1. corpo docente: três coordenadoras NAU – Jane Tutikian (quatro anos), Márcia Montenegro Velho (dois anos) e Sandra Sirangelo Maggio (quatro anos);

  2. corpo de funcionários: Magda Gartska (dois anos) e Maria do Socorro; Zuleima Jacques (assessora administrativa);

  3. corpo discente: Joseane Camargo, Luciane Sarti, Valter Henrique Fritsch; Anderson Hakenhoar; Vane Ribeiro e Neiva Kampf

Finda esta etapa de atividades, o grupo atual encerra suas atividades e entrega à direção o material compilado no quadriênio para que seja repassado aos membros da próxima equipe. Ficam os nossos agradecimentos e votos de bom trabalho aos próximos que assumirem esta tarefa tão rica e gratificante.





2 – RELATÓRIO DO QUADRIÊNIO NAU
O ano de 2005 representou o retorno do Instituto de Letras ao processo de avaliação continuada da UFRGS. Foram realizados encontros entre os membros de nossa comunidade acadêmica nos quais foi discutida a situação de nosso Instituto e os tipos de direcionamentos a serem propostos. Constatamos então que nossas principais limitações diziam respeito ao espaço físico e aos conteúdos programáticos das dezenove diferentes ênfases de nossos dois cursos, o de Licenciatura, que forma professores, e o de Bacharelado, que forma tradutores.
Em 2006 foram apresentados, tabulados e avaliados diversos questionários a serem preenchidos por professores, funcionários, alunos de graduação, de pós-graduação e bolsistas. Neste ano a Comissão NAU-Let ganhou um gabinete no Instituto de Letras, um computador, uma impressora e passou a contar com o auxílio de duas bolsistas SAI.
Em 2007 foi feito contato com os diferentes setores do organograma do Instituto de Letras com vista a integrar o trabalho desenvolvido nos diferentes departamentos, núcleos e comissões da casa. Foi inaugurado o novo prédio das aulas e a modificação no Currículo de Licenciatura passou a ser acompanhada e avaliada. No item cinco deste Relatório é apresentado um mapeamento detalhado do novo formato do Plano Pedagógico da Licenciatura em Letras. A de 2007 o NAU-Let passou a contar com um assento permanente no Conselho da Unidade, que é a instância deliberativa máxima em nosso Instituto.
Em 2008 foi feito um trabalho junto aos Setores, as unidades menores que integram cada departamento, para averiguar as principais necessidades e dificuldades. Um grupo de professores, alunos e técnicos, liderados pelas professoras Rosalia Neumann Garcia, Márcia Ivana de Lima e Silva e Luciene Simões empreendeu todos os encaminhamentos necessários para a concretização do Plano Pedagógico do Bacharelado em Letras, que possivelmente já estará aprovado e em funcionamento no próximo relatório NAU, no final de 2008. Esperamos então poder apresentá-lo de forma tão detalhada como esta com que está sendo mostrado o mapeamento do Plano da Licenciatura.
Como nossa nova Diretora é a Profa. Jane Tutikian, membro integrante da coordenação NAU que agora se encerra, temos a convicção de que a nova equipe a integrar o NAU-Let da próxima gestão continuará bastante empenhada em dar prosseguimento aos trabalhos que agora se encontram em andamento.


2 – RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2008
Durante o ano letivo de 2008 a equipe NAU dividiu-se da seguinte maneira: a Profa. Jane Tutikian e a bolsista Neiva Kampf se alternaram na participação das reuniões com a SAI. A Profa. Jane Tutikian também viajou a Brasília algumas vezes, como representante NAU participante de encontros de Grupos de Avaliação. Após cada viagem e cada encontro SAI a Profa. Jane trazia as notícias para o núcleo interno do Instituto, em que a Profa. Sandra e a bolsista Vane se revezavam nos contatos junto aos Departamentos, à Biblioteca, à COMGRAD e à Direção.
A adequação entre os Planos de Disciplinas e o acervo na nossa Biblioteca passou a ser alvo de cuidado constante por parte dos departamentos e da COMGRAD. O Projeto Pedagógico da Licenciatura em Letras da UFRGS já se encontra implementado e em fase de avaliação. O Projeto Pedagógico do Bacharelado em Letras da UFRGS se encontra bem encaminhado e em processo de finalização, devendo estar sendo posto em funcionamento no momento do próximo relatório anual.
Todo o material está do NAU está sendo organizado em arquivos e pastas físicos e virtuais e deverá ser entregue à nova Direção antes do final do ano de 2008.



4 – PROPOSTAS PARA A PRÓXIMA ETAPA
Os próximos direcionamentos deverão ser idealizados pela nova equipe de integrantes do NAU-Let, a ser montada no início do próximo ano. Todavia, duas ações estão sendo empreendidas no momento as quais deverão ser ainda finalizadas.
A primeira tem a ver com a finalização e a implantação do Projeto Pedagógico do Bacharelado.
A segunda se refere à maior necessidade apontada na última pesquisa realizada junto aos Setores dos Departamentos. Em todos os Setores há a sensação de que muito trabalho é realizado, mas nem todas as ações são registradas oficialmente. As causas prováveis são a sobrecarga de trabalho dos executantes das ações, ou os mecanismos lentos e pesados para registro das mesmas, ou ainda a falta de contato entre os diversos pontos receptores das informações. Exemplos dessas práticas são o registro das publicações junto à BSCSH e o retorno da informação para os computadores dos Departamentos e do Programa de Pós-graduação; ou o registro das ações de extensão, sempre muito complexos, lentos e pesados. Os Setores estão também se organizando para implementarem os Espelhos de Atividades, que são um registro aberto a todos os professores de cada Setor informando onde e como está sendo aplicada a carga de trabalho de cada colega. O corpo Discente também está assumindo um papel muito importante neste estágio das atividades. Com as eleições para os novos representantes do Centro de Estudantes de Letras (CEL) passamos a ter os assentos de representação discente ocupados em praticamente todas as instâncias deliberativas do Instituto.


5 – PROJETO PEDAGÓGICO DA LICENCIATURA EM LETRAS

O novo projeto pedagógico do curso de Letras foi projetado e implementado gradualmente ao longo dos últimos cinco anos. Ainda apresenta alguns entraves, que estão sendo aos poucos enfrentados. Ele é pautado nas Diretrizes Curriculares para os cursos de Letras (integrantes dos Pareceres CNE/CES 492/2001 e 1.363/2001), nas Res. 01/ 02, 02/02 e 18/02 do CNE/CES e na Resolução 04/04 do CEPE/UFRGS, dá prioridade ao currículo das ênfases de Licenciatura. Ocuparemos a maior parte deste relatório apresentando os detalhes de nosso Projeto Pedagógico da em Letras, elaborado e implantado pelas duas últimas gestões da COMGRAD-Let porque muito nos orgulhamos desta conquista e esperamos ansiosamente pela complementação desta tarefa tão árdua com a apresentação, no próximo ano, do Projeto Pedagógico do Bacharelado em Letras.


O NAU-Let e a COMGRAD-Let estão cientes de que, devido às modificações constantes e rápidas vivenciadas pela sociedade em que estamos inseridos, a velocidade com que certas mudanças e adaptações na nossa vivência acadêmica precisam ser assimiladas cada vez com maior presteza. Sentimos a necessidade de um currículo ágil e versátil, voltado para um aluno que estuda, trabalha e assume uma série de compromissos tanto em sua Universidade quanto em seu grupo social.
Enquanto o novo Projeto vai sendo operacionalizado e avaliado, uma equipe de professores, funcionários e alunos tem-se dedicado, ao longo de 2008, à implementação do Projeto Pedagógico do Bacharelado em Letras. Cabe aqui lembrar que a Licenciatura em Letras forma professores enquanto que o Bacharelado em Letras forma tradutores. Sobre o projeto do Bacharelado trataremos brevemente no item 6 do presente relatório.
Segue então, aqui, a síntese das informações pertinentes.

5.1 – O perfil dos formandos nas modalidades de licenciatura - Independentemente da modalidade escolhida, o profissional em Letras deve ter domínio do uso da língua ou das línguas que sejam objeto de seus estudos, em termos de sua estrutura, funcionamento e manifestações culturais, além de ter consciência das variedades lingüísticas e culturais. Deve ser capaz de refletir teoricamente sobre a linguagem, de fazer uso de novas tecnologias e de compreender sua formação profissional como processo contínuo, autônomo e permanente. A pesquisa e a extensão, além do ensino, devem articular-se neste processo. O profissional deve, ainda, ter capacidade de reflexão crítica sobre temas e questões relativas aos conhecimentos lingüísticos e literários."

Com base neste documento, explicitamos o seguinte perfil para o formando em Letras da UFRGS nas diversas modalidades da Licenciatura:

O perfil do licenciado em Letras pela UFRGS é de um profissional que tenha domínio do uso da língua portuguesa ou da língua estrangeira objeto de seu estudo e que não somente é consciente das variedades lingüísticas e culturais, mas também sabe lidar com as diferentes variedades, sabe reconhecer o papel que estas exercem na sociedade, sem estimular ou reforçar a diferença ou o preconceito lingüístico. Além disso, domina os instrumentos teóricos que lhe permitam analisar e compreender a estrutura das diversas línguas e a organização das manifestações pela linguagem e também refletir criticamente sobre as descrições dessas manifestações fornecidas pela tradição gramatical e pela tradição crítica. Deverá estar tecnicamente preparado para orientar e mediar o ensino para a aprendizagem dos alunos, para elaborar e executar projetos para o desenvolvimento dos conteúdos curriculares, bem como para produzir ou avaliar recursos didático-pedagógicos pertinentes à sua área de formação. É também um profissional preparado para o trabalho em equipe e para a comunicação com outras áreas de conhecimento. Finalmente, deve ter um compromisso ético e responsável com o sucesso da aprendizagem dos alunos e com as demais conseqüências de sua atuação na educação.



    1. Competências gerais e habilidades específicas a serem desenvolvidas durante o período de formação - Para a caracterização das capacidades e habilidades que o licenciado em Letras deve possuir, tomamos em consideração o que dizem as Diretrizes para os Cursos de Letras, bem como a Resolução CNE/CP 1, de 18-2-2002 sobre a Formação de Professores, abaixo transcrita:

Na construção do projeto pedagógico dos cursos de formação dos docentes, serão consideradas:

I -as competências referentes ao comprometimento com os valores inspiradores da sociedade democrática;

II -as competências referentes à compreensão do papel social da escola;

III -as competências referentes ao domínio dos conteúdos a serem socializados, aos seus significados em diferentes contextos e sua articulação interdisciplinar;

IV -as competências referentes ao domínio do conhecimento pedagógico;

V -as competências referentes ao conhecimento de processos de investigação que possibilitem o aperfeiçoamento da prática pedagógica;

VI -as competências referentes ao gerenciamento do próprio desenvolvimento profissional.


Tendo em vista estes documentos orientadores, estabelecem-se as seguintes competências para o licenciado em Letras, baseadas também nas competências e habilidades detalhadas para o profissional de Letras nas diretrizes para o Provão (ENC).1


  1. domínio do uso da língua portuguesa e/ou de uma língua estrangeira, nas suas manifestações oral e escrita, de maneira a ser capaz de organizar, expressar e comunicar o pensamento em situações diversas, inclusive formais, em língua culta;

  2. domínio de repertório de termos especializados que fundamentam o conhecimento sobre a língua e a literatura;

  3. capacidade de analisar e descrever, diacrônica e sincronicamente, a estrutura e o funcionamento de uma língua, das variedades lingüísticas existentes e dos vários níveis e registros de linguagem;

  4. domínio ativo e crítico de um repertório representativo de literatura da língua portuguesa e/ou de língua estrangeira e capacidade de identificar relações intertextuais com obras de literatura universal;

  5. capacidade para reconhecer a esteticidade da expressão lingüística;

  6. capacidade de analisar criticamente as perspectivas teóricas adotadas nas investigações lingüísticas e literárias que fundamentam sua formação profissional;

  7. atitude investigativa que favoreça o processo contínuo de construção do conhecimento na área;

  8. atitude investigativa que favoreça a utilização dos recursos da tecnologia no ensino;

  9. percepção da linguagem como fenômeno psicológico, social-histórico, cultural, político e ideológico;

  10. domínio dos conteúdos básicos que são objeto dos processos de ensino e aprendizagem nos diferentes níveis de ensino;

  11. capacidade de desempenhar papel formador de leitores críticos, intérpretes e produtores de textos de diferentes gêneros;

  12. domínio dos métodos e técnicas pedagógicas que permitam a transposição didática dos conhecimentos sobre língua e literatura para os diferentes níveis de ensino.

5.3 – Desenho curricular - O desenho curricular está de acordo com a interpretação da Resolução 1/2002 do CNE apresentada na Proposta de Plano Pedagógico da COORLICEN e regulamentada na Resolução 04/2004 do CEPE/UFRGS. Apresenta as seguintes características:

  1. presença de disciplinas de formação da especialidade distribuídas nos seguintes eixos: língua, lingüística, literatura e teoria literária;

  2. presença de disciplinas de formação do perfil docente desde as etapas iniciais;

  3. associação entre teoria e prática na formação específica como na formação pedagógica;

  4. relação estreita entre a formação da especialidade e a formação pedagógica;

  5. presença das práticas desde as etapas iniciais do curso;

  6. estímulo à pesquisa, visando tanto a construção do conhecimento específico quanto da prática pedagógica;

  7. presença de trabalho de conclusão de curso, como disciplina autônoma;

  8. disciplinas preparatórias ao estágio curricular a partir da segunda metade do curso;

  9. estágio obrigatório nas etapas finais do curso (dividido em duas etapas);

  10. o estágio curricular compreende um conjunto de atividades do âmbito da atuação do professor, englobando contato com a comunidade escolar, apreensão da organização e do planejamento escolar e, finalmente, o planejamento, a execução e a avaliação de atividades docentes de acordo com a legislação vigente;

  11. observância da carga horária apresentada na Resolução CNE/CP 2/2002;

  12. atividades complementares de acordo com Resolução 31/2003 do CEPE/UFRGS.

 

Mantém-se a divisão do curso nas seguintes ênfases:


Português e Literaturas da Língua Portuguesa (180.01)

Português e Alemão (180.21)

Português e Espanhol (180.22)

Português e Francês (180.23)

Português e Inglês (180.24)

Português e Italiano (180.25)

Português e Latim (180.03)

Português e Grego (180.04)

Língua Moderna - Alemão (180.51)

Língua Moderna - Espanhol (180.52)

Língua Moderna - Francês (180.53)

Língua Moderna - Inglês (180.54)

Língua Moderna - Italiano (180.55)




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   28


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal