Universidade tecnológica federal do paraná



Baixar 100.45 Kb.
Encontro14.05.2018
Tamanho100.45 Kb.


UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

I CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MOTORES E COMBUSTÍVEIS: PROGRAMA BRASILEIRO DE FORMAÇÃO EM MOTORES E COMBUSTÍVEIS

Área de Concentração: MECÂNICA

AUTOR(ES): Prof. Jorge Luiz de Sá Riechi

Email: riechi@cefetpr.br

Telefone:3 310-4653 – 91982614

Sumário



I.TÍTULO 3

II.JUSTIFICATIVAS 3

III.OBJETIVOS 4

IV.INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS 4

V.TURNO DE FUNCIONAMENTO 4

VI.NÚMERO DE VAGAS 4

VII.CONDIÇÕES PARA INSCRIÇÃO E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO 5

VIII. DATAS PARA INSCRIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E REGISTRO DE CANDIDATOS. 5

IX.EMENTAS DAS DISCIPLINAS COM BIBLIOGRAFIAS RELACIONADAS E CARGAS HORÁRIAS 6

X.QUADRO DE DOCENTES 11




I.TÍTULO




CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MOTORES E COMBUSTÍVEIS





II.JUSTIFICATIVAS

Histórico:


Em fevereiro de 2000, o Centro de Integração de Tecnologia do Paraná - CITPAR, a Escola Nacional Superior de Petróleo e Motores – ENSPM, situada na França, com apoio da Renault do Brasil, iniciaram o desenvolvimento de trabalhos visando realizar no Brasil um programa de formação profissional na área de motores e combustíveis. Este trabalho resultou na constituição de um grupo composto de quatro instituições de ensino superior brasileiras (Universidade Federal do Paraná - UFPR, Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná – CEFET/PR e Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC), da ENSPM, do Sistema FIEP e de 22 empresas ligadas ao setor automotivo e de combustível. Em 28.05.2001, foi realizada a solenidade de apresentação do Programa, quando o CITPAR e a ENSPM assinaram o Termo de Cooperação para implementação do Programa Brasileiro de Formação em Motores e Combustíveis. Programa este que se trata de um curso de pós-graduação e possibilita o desenvolvimento de pesquisa aplicada, inédito no país, destinado à formação de mão-de-obra especializada para atuar no setor automotivo e de combustíveis. A criação do Programa Brasileiro de Formação em Motores e Combustíveis, nível Lato Sensu, teve sua primeira edição lançada em agosto de 2001 e contou com a participação efetiva de quinze alunos. A segunda, terceira e quarta edições contaram com a participação de 11, 13 e 22 alunos respectivamente. Este projeto trata da quinta edição do Programa.

Dado o envolvimento de mais de uma instituição de ensino superior e de parceiros da indústria, o curso tem características muito particulares que o diferem de cursos de especialização regularmente ofertados. É importante mencionar que no âmbito de cada instituição de ensino, haverá um responsável , que estará trabalhando em consonância com o coordenador da instituição onde estará sendo realizado o curso.

Desta forma, a proposição desta quinta edição do Curso de Formação em Motores e Combustíveis, sendo a primeira Edição na UTFPR, em nível de pós-graduação Lato-Sensu, se justifica pelos seguintes aspectos:


  1. Necessidade de profissionais qualificados e com sólida formação na área de motores, combustíveis e lubrificantes no Estado do Paraná, incluindo o desenvolvimento de protótipos mais avançados desses produtos;

  2. Carência deste tipo de especialistas no mercado paranaense;

  3. Inexistência de cursos neste setor no Estado do Paraná que possam atender às necessidades acima expostas;

  4. Existência de potencial técnico, instrucional, humano e administrativo para a realização do programa de formação, por parte do CEFET PR e demais parceiros.

III.OBJETIVOS


Ministrar Curso de Especialização em Motores e Combustíveis, em nível de pós-graduação Lato-Sensu, para qualificar profissionais e egressos das Áreas de Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia Eletrônica, Engenharia Química e Engenharia de Materiais, visando atender às necessidades da indústria automotiva e de combustíveis. Além de melhorar a qualificação desses recursos humanos, pretende-se que este Curso contribua para ampliar o relacionamento entre as empresas e as universidades e possibilite a realização de trabalhos conjuntos em Pesquisa e Desenvolvimento.




IV.INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS




Instalações

  • As aulas teóricas serão ministradas na sala I102, equipada com recursos de informática para o ensino. Além disso, serão utilizados os laboratórios do DAMEC/UTFPR, do DEMEC/UFPR, do DEM/PUCPR e do SENAI-Curitiba.


V.TURNO DE FUNCIONAMENTO

As aulas serão ministradas, às sextas-feiras no período noturno e aos sábados pela manhã


VI.NÚMERO DE VAGAS

O curso conta com 30 (trinta) vagas, sendo:



  • 03 (três) vagas prioritárias, reservadas para servidores do UTFPR que estão isentos do pagamento de mensalidade; visando atender a política de desenvolvimento de recursos humanos da instituição;

  • 27(vinte e sete) vagas para os interessados da comunidade, denominados de alunos pagantes.

As vagas prioritárias que por ventura não sejam preenchidas poderão ser remanejadas para atender candidatos da comunidade, de acordo com o §5o do Art. 5o da deliberação 5/2002 do CODIR.

O curso será aberto se, no mínimo 24 (vinte e quatro) das vagas ofertadas aos interessados da comunidade forem preenchidas.


VII.CONDIÇÕES PARA INSCRIÇÃO E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

No momento da inscrição os candidatos deverão entregar a na secretaria os seguintes documentos:



  1. Ficha de inscrição preenchida;

  2. Comprovante do pagamento da taxa de inscrição no valor de R$ 35,00 (Trinta e Cinco Reais). OS SERVIDORES DO CEFET-PR ESTÃO DISPENSADOS DESSE PAGAMENTO.

  3. Diploma de conclusão do curso de graduação;

  4. Histórico escolar do curso de graduação

  5. Curriculum Vitae;

  6. Carteira de identidade.


Critérios de Seleção: Atendendo a DELIBERAÇÃO Nº. 05/2002 de 9 de agosto de 2002:
Art. 10 - A seleção dos candidatos aos Cursos de Pós-Graduação lato senso far-se-á através de processo de classificação, estabelecido no Edital de Abertura do Curso.
§ 1o Os candidatos serão classificados por uma Comissão designada pelo Gerente de Ensino e Pesquisa da Unidade proponente, constituída pelo Coordenador do Curso e de, pelo menos, mais dois professores da área respectiva do Curso proposto.
§ 2o A seleção dos candidatos poderá ser feita através de provas, entrevista, análise do Curriculum Vitae ou do Histórico Escolar do Curso de Graduação, carta de recomendação ou outra forma definida no Edital de Abertura.
§ 3o A classificação dos candidatos será feita até o número de vagas existentes, mais 25%, gerando uma lista de suplentes.

Requisito Básico para Inscrição

Ser graduado em Engenharia Mecânica, Elétrica, Eletrônica, Química ou Materiais. Casos isolados serão analisados pela comissão de seleção.




VIII. DATAS PARA INSCRIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E REGISTRO DE CANDIDATOS.





Período de Inscrição

10/01/2005 a 18/02/2005

Divulgação do resultado

23/02/2005

Matricula

28/02/2005 a 02/03/2005

Segunda Chamada

03/03/2005


IX.EMENTAS DAS DISCIPLINAS COM BIBLIOGRAFIAS RELACIONADAS E CARGAS HORÁRIAS





Metodologia da Pesquisa (10 horas)

Ementa: Técnicas de desenvolvimento de pesquisa. O texto científico normalizado e o delineamento metodológico da pesquisa.

Bibliografia:

HEEMANN, A. O texto científico. Ed. Livro do Eleutério. Curitiba: 2002.

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. Ed. Cortez, São Paulo: 1996.




Termodinâmica (30 horas)

Ementa: Conceitos introdutórios e definições. Propriedades de substâncias puras. Trabalho, calor e energia. A Primeira Lei da Termodinâmica. A Segunda Lei da Termodinâmica. Exergia e análise exergética. Ferramentas computacionais para análise termodinâmica. Ciclos teóricos para motores de combustão interna. Análise termodinâmica dos ciclos teóricos.

Bibliografia:

MORAN, M. J., SHAPIRO H. N. Princípios de Termodinâmica para Engenharia, 4ª edição. LTC Editora, 2002.

VAN WYLEN, G. J.; SONNTAG, R. E.; BORGNAKKE, C. Fundamentos da Termodinâmica Clássica, 5a. edição. Editora Edgard Blücher Ltda, 2001.



Vibrações e Acústica (25 horas)

Ementa: Conceitos básicos de vibrações. Vibração livre e forçada para sistemas com um ou mais graus de liberdade. Conceitos básicos de acústica. Instrumentação e aquisição de sinais. Estudo de caso: análise modal, perda de transmissão sonora em escapamento de motores. Conceitos básicos de manutenção preditiva..

Bibliografia:

INMAN, D. J. Engineering Vibration. Addison-Wesley Publishing Company –1994.

WOWK, V. Machinery Vibration – Measurement and Analysis. McGraw-Hill, 1991.

GERGES, S.N.Y. Ruído: Fundamentos e Controle (2ª edição). Florianópolis: NR Consultoria e Treinamento, 2000 p.700





Desmontagem e Montagem do Motor (30 horas)

Ementa: Conhecimento do motor. Princípio de funcionamento dos motores.Elementos constitutivos dos motores. Prática de desmontagem e montagem dos motores.

Bibliografia:

JOVAJ, M. Motores de automóvil. Editora MIR, 1982.

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.




Introdução aos Motores de Combustão Interna (20 horas)

Ementa: Aspectos gerais dos motores térmicos. Potência e pressões médias de um motor de combustão. Combustíveis e combustão. Desempenho de um motor de combustão. Potência máxima, regulagem da carga e enchimento dos cilindros de um motor. Aspectos gerais do processo de combustão nos motores..

Bibliografia:

JOVAJ, M. Motores de automóvil. Editora MIR, 1982.

TAYLOR, C. F. Análise dos Motores de Combustão Interna, Volumes 1 e 2. Editora Edgard Blücher Ltda, 1971.

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

GANESAN, V. Internal Combustion Engines. New York: McGraw-Hill, 1995.

FERGUSON, C. R. Internal Combustion Engines: Applied Thermosciences. New York: J. Wiley & Sons, 1986.

STONE, R. Introduction to Internal Combustion Engines. 2nd ed. Warrendale: SAE International, 1993.

SUSUKI, T. The Romance of Engines. Warrendale: SAE International, 1997.






Modelagem e Simulação Termodinâmica de Motores (30 horas)

Ementa: Aspectos gerais da modelagem computacional dos motores. Estudo e modelagem dos processos termodinâmicos que ocorrem durante o funcionamento dos motores de combustão interna. Estudo dos principais parâmetros construtivos e funcionais que afetam a conversão da energia química dos combustíveis em energia mecânica. Regulagens de motores de combustão interna. Análise exergética de motores de combustão interna.

Bibliografia:

FERGUSON, C. R. Internal Combustion Engines: Applied Thermosciences. New York: J. Wiley & Sons, 1986.

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

GANESAN, V. Internal Combustion Engines. New York: McGraw-Hill, 1995.

BLAIR, G. P.; Design and Simulation of Two-Stroke Engines. Warrendale: SAE International, 1996.




Combustíveis (20 horas)

Ementa: Combustíveis utilizados em motores de combustão interna. Principais propriedades dos combustíveis. Influência da composição dos combustíveis sobre as suas propriedades. Combustíveis alternativos. Aditivos para combustíveis.

Bibliografia:

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

ABNT. Armazenagem de Petróleo, seus Derivados Líquidos e Álcool Carburante: Procedimento. Rio de Janeiro: ABNT, 1995.

OWEN, K. Automotive Fuels Reference Book. 2nd ed. Warrendale: SAE International, 1995.

SOCIETY OF AUTOMOTIVE ENGINEERS. Alternate Fuels: a Decade of Success and Promise. Warrendale: SAE International, 1994.




Fundamentos de Combustão (30 horas)

Ementa: Conceitos introdutórios. Composição de equilíbrio dos produtos de combustão. Cinética das reações de combustão. A chama homogênea. A velocidade de propagação da chama e a influência da turbulência do escoamento. A chama heterogênea. Formação de poluentes. Influência da turbulência no processo de combustão nos motores.

Bibliografia:

TURNS, S. R. An Introduction to Combustion: Concepts and Applications. New York: McGraw-Hill, 1996.

KUO, B. K. Principles of Combustion. New York: J. Wiley & Sons, 1986.

LOHMANN, R. P.; URAM, E. M. Fluid Mechanics of Combustion. New York: The American Soc. Mechanical Engineers, 1974.





Materiais e Tribologia (25 horas)

Ementa: Composição, propriedades e comportamento dos materiais. Conceitos fundamentais. Regimes de lubrificação. Atrito e desgaste. Projeto do circuito de óleo. Dimesionamento de mancais e bronzinas. Lubrificantes. Produção e características dos óleos de base. As especificações no Brasil..

Bibliografia:

SOCIETY OF AUTOMOTIVE ENGINEERS. Subjects in Engine Oil Rheology and Tribology. Warrendale: SAE International, 1996.





Escoamento e Transferência de Calor em Motores de Combustão Interna (30 horas)

Ementa: Introdução. Classificação dos Motores com relação à transferência de calor e escoamento de fluidos. Admissão e exaustão. Preparação da mistura. Câmara de combustão. Sistema de refrigeração. Introdução à simulação com transferência de calor e escoamentos reais.

Bibliografia:

FOX, R. W.; McDONALD, A. T. Introdução à Mecânica dos Fluidos. 5. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2001.

DAILY, J. W.; HARLEMAN, D. R. F. Fluid Dynamics. Massachusetts: Addison-Wesley, 1966.

INCROPERA, F. P.; DEWITT, D. P. Fundamentos de Transferência de Calor e de Massa. 4. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

BEJAN, Adrian. Convection Heat Transfer. 2nd ed. New York: J. Wiley & Sons, 1995.

KAYS, W. M.; CRAWFORD, M. E. Convective Heat and Mass Transfer. 3rd ed. New York: McGraw-Hill, 1993.

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

STONE, R. Introduction to Internal Combustion Engines. 2nd ed. Warrendale: SAE International, 1993.





Combustão e Controle da Emissão de Poluentes nos Motores (40 horas)

Ementa: Combustão nos motores à gasolina. Combustão nos motores diesel. Emissão dos poluentes. Centelha e ignição da combustão. Catalisadores.

Bibliografia:

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

GANESAN, V. Internal Combustion Engines. New York: McGraw-Hill, 1995.

FERGUSON, C. R. Internal Combustion Engines: Applied Thermosciences. New York: J. Wiley & Sons, 1986.

JOVAJ, M. Motores de automóvil. Editora MIR, 1982.




Sobrealimentação de Motores de Combustão Interna (15 horas)

Ementa: Princípios de funcionamento dos Sistemas de Sobrealimentação. Tecnologia e adaptação aos motores convencionais.

Bibliografia:

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

JOVAJ, M. Motores de automóvil. Editora MIR, 1982.

GANESAN, V. Internal Combustion Engines. New York: McGraw-Hill, 1995.

FERGUSON, C. R. Internal Combustion Engines: Applied Thermosciences. New York: J. Wiley & Sons, 1986.

STONE, R. Introduction to Internal Combustion Engines. 2nd ed. Warrendale: SAE International, 1993.





Ensaios de Motores de Combustão Interna (30 horas)

Ementa: Equipamentos e medidas. Curvas características e a influência dos parâmetros de regulagem, uso e concepção. Análise dos gases de escapamento.

Bibliografia:

PLINT, M. A; MARTYR, A. Engine Testing: Theory and Practice. 2nd ed. Oxford: Butterworth-Heinemann, 1999.

JOVAJ, M. Motores de automóvil. Editora MIR, 1982.

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

GANESAN, V. Internal Combustion Engines. New York: McGraw-Hill, 1995.




Dimensionamento de Elementos do Motor (30 horas)

Ementa: Equilibragem. Equações e dimensionamento. Definição do torque. Ordem de ignição. Cames. Dimensionamento de molas e válvulas.

Bibliografia:

JOVAJ, M. Motores de automóvil. Editora MIR, 1982.

TAYLOR, C. F. Análise dos Motores de Combustão Interna, Volumes 1 e 2. Editora Edgard Blücher Ltda, 1971.

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

GANESAN, V. Internal Combustion Engines. New York: McGraw-Hill, 1995.

FERGUSON, C. R. Internal Combustion Engines: Applied Thermosciences. New York: J. Wiley & Sons, 1986.

STONE, R. Introduction to Internal Combustion Engines. 2nd ed. Warrendale: SAE International, 1993.




Controle de Motores de Combustão Interna (30 horas)

Ementa: Função e evolução do controle do motor. Sistemas de injeção e controle do motor Diesel e à gasolina. Sistemas de automação e controle.

Bibliografia:

HEYWOOD, J. B. Introduction to Internal Combustion Engines. McGraw-Hill, 1988.

GANESAN, V. Internal Combustion Engines. New York: McGraw-Hill, 1995.

HEISLER, H. Advanced Engine Technology. Warrendale: SAE International, 1995





Engenharia Assistida por Computador (25 horas)

Ementa: Revisão dos conceitos básicos. Filosofia de sistemas CAD. Filosofia de sistemas CAE. Fundamentos de engenharia simultânea. Integração de sistemas

Bibliografia:

AGOSTINHO, O. L.; RODRIGUES, A. C. S.; LIRANI, J. Tolerâncias, ajustes, desvios e análise de dimensões. São Paulo : Edgard Blücher, 1995.

BESANT, C.B. CAD/CAM: Projeto e fabricação com o auxílio do computador. Rio de Janeiro, Ed. Campus, 1995.

SCHEER, A W. CIM: Evoluindo para a Fábrica do Futuro; Berlin: Ed. Springer-Verlag, 2002.





  • Além das disciplinas acima, serão realizadas 50 horas de seminários com profissionais de áreas diversas, enviados pelas empresas co-participantes;


X.QUADRO DE DOCENTES





Nome da Disciplina

Carga

Horária

Docente Responsável e colaboradores

INSTITUIÇÃO

Titulação (*)

Metodologia da Pesquisa

10

João Mansano Neto

UTFPR

ME

Termodinâmica

30

José A. Velásquez

UTFPR

DO

Vibrações e Acústica

25

Nilson Barbieri

UTFPR

DO

Desmontagem e Montagem do Motor

30

SENAI –PR







Introdução aos Motores de Combustão Interna

20

Julio Lodetti

VOLVO

ME

Modelagem e Simulação Termodinâmica de Motores

30

Fernando Boçon

UFPR

DO

Combustíveis

20

Pedro R. da Costa Neto

UTFPR

DO

Fundamentos de Combustão

30

Dmitri Vlassov

UFPR

DO

Materiais e tribologia

25

Carlos Siqueira

UFPR

DO

Escoamento e Transferência de Calor em Motores de Combustão Interna

30

Amir de Oliveira

UFSC

DO

Combustão e Controle da Emissão de Poluentes nos Motores

40

Jean Pierre Pouille

ENSPM

DO

Sobrealimentação de Motores de Combustão Interna

15

Celso Samea

GARRET




Ensaios de Motores de Combustão Interna

30

José A. Velásquez

UTFPR

DO

Dimensionamento de Elementos do Motor

30

Nilson Barbieri

UTFPR

DO

Controle de Motores de Combustão Interna

30

João A. Palma Setti

UTFPR

ME

Engenharia Assistida por Computador

25

João A. Palma Setti

UTFPR

ME

Total

420









(*) ES = ESPECIALISTA ME = MESTRE DO = DOUTOR


UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná

ENSPM – Escola Nacional Superior de Petróleo e Motores - França

UFPR – Universidade Federal do Paraná

UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina






Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal