UtilizaçÃo da fotocatálise heterogênea no tratamento de efluentes industriais



Baixar 12.33 Kb.
Encontro14.02.2018
Tamanho12.33 Kb.

Emprego da Flotação por ar dissolvido no tratamento de efluentes de lavagem de veículos visando a reciclagem da água


Priscila da Cunha Teixeira1, Carlos Gomes da Nave Mendes2

Palavras chave: reciclagem, floculação; flotação por ar dissolvido; lavagem de veículos.


A escassez de água tem causado impacto na indústria de lavagem de veículos no Brasil. As regulamentações tornam-se cada vez mais exigentes quanto ao descarte de efluentes e os consumidores tomam consciência da necessidade de proteção dos recursos naturais. A lavagem de veículos apresenta um alto consumo de água, podendo atingir um volume de 260 L por veículo (1). Além disso, seu efluente nem sempre tem a disposição final adequada.Por todas estas razões, um sistema eficiente, que permita a reciclagem de efluentes das lavagens de veículos poderia amenizar tais problemas.

O objetivo principal deste trabalho foi investigar, em experimentos realizados em escala de bancada, o desempenho do tratamento físico-químico por coagulação, floculação e flotação por ar dissolvido (FAD) na remoção dos principais poluentes, presentes em águas residuárias provenientes de instalações de lavagem automática de veículos, verificando-se a possibilidade de reciclagem do efluente tratado.

Foram realizados vários ensaios de tratabilidade com as amostras coletadas em um sistema de lavagem de veículos, instalado no setor de transportes e manutenção da UNICAMP, no campus da Cidade Universitária, Zeferino Vaz, Barão Geraldo, Campinas.

Os ensaios de coagulação, floculação e flotação foram realizados numa unidade de flotação por ar dissolvido em escala de bancada com escoamento descontínuo; conhecido como equipamento de floteste, conforme é mostrado na Figura 1.

Este equipamento é constituído de uma câmara de pressurização e seis jarros, cada um, provido de manifold de distribuição de água saturada por orifícios instalados no fundo.

Após as primeiras etapas, nas quais avaliou-se a eficiência da remoção de turbidez, ensaios de DQO e DQO filtrada passaram a ser realizados com o intuito de refinar a escolha do polieletrólito ideal, sua dosagem e influência sobre a possível redução da dosagem do coagulante primário. Além disso, testar a eficiência de remoção de poluentes não só suspensos, como dissolvidos. A partir disso, foram otimizados os parâmetros de floculação e de flotação. Finalmente, comparou-se, sob as mesmas condições, o desempenho da FAD com o da decantação





Figura 1 - Fotografia do floteste utilizado na pesquisa

Os resultados obtidos no trabalho demonstraram a potencialidade de emprego da coagulação + floculação + flotação por ar dissolvido para o tratamento de efluentes de lavadores de veículos, seja para seu lançamento na rede pública de esgotos sanitários ou sua reciclagem.

A etapa de coagulação para esse tipo de efluente é otimizada quando se utiliza o "Hidroxicloreto de Alumínio", também conhecido como PAC, particularmente, o "Panfloc Hiper Plus", como coagulante primário, em dosagens de 50 a 70 mg/L sem a necessidade de correção do pH inicial, para as condições e amostras brutas investigadas neste estudo.

O emprego de polieletrólitos catiônicos, particularmente do W360, é útil como auxiliar de floculação, principalmente sob o aspecto de ganhos na eficiência de remoção de substâncias causadoras de DQO total e filtrada, sem, contudo, permitir a redução de dosagens do coagulante primário.

Submetendo-se o efluente gerado em lavadores de veículos às mesmas condições de coagulação e floculação, o desempenho da FAD foi superior ao manifestado pela decantação, mesmo empregando uma taxa de escoamento superficial de 72 m/dia e 28,8 m/dia, respectivamente para a flotação e decantação, o que proporcionaria neste último, uma demanda de área 2,5 vezes superior.

A efetiva comprovação da viabilidade do uso da tecnologia proposta nesse estudo para a reciclagem dos efluentes de geradores de veículos somente poderá ser comprovada pela construção e operação de unidade protótipo de fluxo contínuo, testada em situação real, quando efetivamente será possível visualizar a eventual necessidade de inclusão de etapas complementares, tais como: filtração rápida em areia; reator biológico ou contínuo e/ou desinfecção.



Referências bibliográficas

  1. US.EPA (1980). Development Document for Effluent Limitations guidelines and standards for the auto and other laundries point source category. EPA 820-B-80-100, Office of Water and Waste Management, Washington, D.C.+

Agradecimentos: CAPES.

1 Doutoranda, engenheira civil, DSA/FEC/UNICAMP; priscilatomas@universiabrasil.net

2 Orientador, DSA/FEC/UNICAMP; cgdanave@fec.unicamp.br



Compartilhe com seus amigos:


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal