Vozes Femininas



Baixar 242.83 Kb.
Página1/7
Encontro13.01.2018
Tamanho242.83 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7

INTRODUÇÂO

Cantar é um ato sensível e natural em si, de nada adianta complicá-lo se bem que é necessário estabelecer suas bases que são a respiração, a ressonância, a emissão e a articulação.
Os exercícios de técnica vocal são úteis também àqueles que usam as palavras como instrumento de trabalho: advogados, oradores, atores, etc. Elas evitarão a fadiga e a rouquidão originadas pelo uso indevido da voz.
O instrumento vocal não pode ser reformado. Deve-se aprender a manejá-lo corretamente desde o princípio.
Simplificando, o instrumento vocal se divide em 3 partes:
1. O aparelho respiratório
2. O aparelho fonador
3. O aparelho ressonador

O APARELHO RESPIRATÓRIO

O aparelho respiratório é composto pelo nariz, traquéia, pulmões e diafragma.


Fig. 1: As costelas superiores não estão desenhadas para deixar ver os pulmões. A linha pontilhada ao lado das costelas, indica a dilatação das mesma na inspiração. As flechas indicam a descida do diafragma durante a respiração.

1) Laringe


2) Traquéia
3) Pulmão
4) Pulmão esquerdo
5) Diafragma
6) Fígado
7) Estômago
8) Falsas costelas
9) Costelas flutuantes
10) Esterno

O diafragma, amplo músculo transversal que separa os órgãos respiratórios dos órgãos digestivos, desce durante a inspiração para dar lugar aos pulmões.

O aparelho fonador é formado pela laringe e as cordas vocais.

A laringe é também chamada de "voice-box", que quer dizer caixa de voz, uma vez que é a fonte da voz.


As cordas vocais, que de cordas só têm o nome, são ligamentos fixados à laringe ao longo de sua borda interna.


O APARELHO RESSONADOR

O som produzido pela vibração das cordas vocais é muito fraco.
Assim como o som de uma corda de violão deve ressonar na caixa de madeira, o som das cordas vocais deve passar pelos ressonadores para adquirir brilho, amplitude e redondeza.
Os ressonadores mais importantes são os ossos do peito (para os sons graves) e da cabeça (para os sons médios e agudos). A beleza, o timbre e a amplitude da voz, dependem mais de qualidade dos ressonadores que das cordas vocais.

A RESPIRAÇÃO

É impossível ser um bom cantor se não se possui um perfeito controle da respiração.
A respiração natural é a que se realiza durante o sono. Para compreendê-la, basta colocar uma mão sobre o estômago e a outra sobre as costelas, estando deitado. Nota-se que toda a caixa torácica se dilata.
Todo o ar inspirado deve transformar-se em som para que ele seja cheio e puro. Ao emitir demasiado ar para um som, a voz se torna velada e parece estar se ouvindo um escape de gás.
A respiração se realiza em três tempos:

1º tempo: Inspiração pelo nariz ampla e profunda, silenciosa e rápida.


2º tempo: Um instante de suspenso para o bloqueio do ar. As costelas estão separadas.
3º tempo: Expiração - a caixa torácica e o abdômen permanecem dilatados o maior tempo possível
Para facilitar o controle do ar, os músculos devem pressionar suavemente para baixo, tendo a mesma sensação da expiração quando bocejamos.
Uma boa respiração proporcionará nitidez no ataque e no final dos sons, assim como em sua continuidade.

CONSELHOS

Para cantar não é necessário aspirar muito o ar, sem saber como emiti-lo com economia.
O excesso de ar oprime e incomoda o cantor.
As inspirações muito profundas não deverão ser praticadas a não ser nos exercícios respiratórios. Estes têm por objetivo chegar a dominar o mecanismo da respiração e submetê-la ao controle da vontade.
Todo ar deve transformar-se em som. É uma questão de dosagem; e é também o segredo de vozes puras cristalinas.
Quando o ar sai dos pulmões em excesso, forma-se um véu sobre a voz, semelhante ao ruído da agulha sobre o disco.
Cuide sempre para que a expiração termine com o som.
É inútil "esvaziar-se" depois de uma frase cantada. O ar retido nos pulmões permitirá efetuar uma pequena inspiração antes de prosseguir.
Se tiver pouco tempo entre duas frases cantadas para efetuar uma boa inspiração, sempre bem as costelas ao inspirar e bloqueie-as. Deste modo, dominará o fôlego, que resultará numa emissão dócil e regulada de acordo com a extensão da frase.
Deve-se conseguir respirar sem que se ouça ou se veja.
Na fala ou no canto, o costume de pensar no ar, ajudará a não encontrar nunca a falta dele.

OS ÓRGÃOS DA BOCA

A boca tem um papel importante na articulação das palavras e também na transformação do som.
O queixo deve estar livre de toda concentração, podendo subir e descer sem alterar o som.
A língua deve voltar ao seu lugar rapidamente, que é o fundo da mandíbula inferior. A rigidez da língua dificulta as subidas estrangulando o som. Isto acontece, principalmente, com os sons agudos. Fazendo exercícios com a língua fora da boca, se libera a passagem do ar e os sons podem chegar até os ressonadores.
O véu do paladar deve elevar-se para que o som se torne redondo, fechando as fossas nasais e liberando o fundo da garganta.
Os lábios devem obedecer à pronúncia. O som não dependerá de caretas ou contrações dos músculos faciais.

OS RESSONADORES

Os mais importantes ressonadores são os faciais.
A região das cavidades ósseas, entre a mandíbula superior e a testa, é chamada de "máscara". É a região mais importante da ressonância vocal.
"Cantar na máscara" ou "cantar para frente", significa cantar usando os ressonadores faciais. Esses ressonadores, porém, são os mais difíceis de alcançar.
Os ressonadores do peito e da boca, nós usamos corretamente.
A passagem do grave para o agudo depende da adaptação da boca.

Chegada do som aos ressonadores faciais

1) Crânio
2) Cérebro
3) Seios frontais
4) Seio esfenoidal
5) Fossas nasais
6) Paladar
7) Véu paladar
8) Língua
9) Cordas vocais (laringe)
10) A - Ponto ao qual se deve ter a impressão de enviar o som

EMISSÃO

Existem várias maneiras de se emitir a voz. para verificar cante a nota A (lá) no médio da voz:

1) Com a boca aberta, sorrindo, sem levantar o véu do paladar


2) Com a boca aberta em redondo, elevando o véu do paladar
3) Com a boca aberta em redondo, contraindo o fundo da garganta

Foram empregadas desse modo, três emissões diferentes e bem características.

1) A emissão branca ou chata
2) A emissão redonda ou coberta
3) A emissão sombria ou opaca

O ATAQUE DO SOM

O som deve começar no preciso momento em que começa a expiração. Nenhum ar deve sair transformado em som, que será mais forte conforme seja alimentado pelo ar.
Para se obter um som redondo e agradável, é necessário elevar o véu do paladar. Esta é a posição de um bocejo.
Quando reprimimos um bocejo, os lábios se fecham e o fundo da garganta fica bem aberto; o véu do paladar se eleva e a boca se abre ao máximo interiormente. Nesta posição se emite o zumbido MMM..., que chega infalivelmente aos ressonadores faciais, provocando uma leve viração por trás do nariz.
Uma vez conseguido isto, basta abrir a boca para qualquer vogal, que resultará num som emitido corretamente.
Os defensores dos "passos e registros" reconhecem três registros que são: registro do peito, médio e da voz de cabeça. isto dificulta o estudo do canto pela dificuldade de passar de um registro a outro.
Outros são absolutamente contra essa idéia.
Temos duas experiências que justificam, homogeneizando a voz em toda a sua extensão.

1º) Escolha uma nota aguda e comece uma escala descendente em semitons com a boca e a laringe distendidas e uma posição de ligeiro bocejo. Execute cada nota tendo a sensação de ser mais alta que a anterior. Dessa maneira não se poderá acusar nenhuma mudança de registro.

2º) Os exercícios efetuados com a língua fora da boca e cantando um E leviana, também mostram a ausência de registro.
Isto prova que os registros são resultados de uma contração inconsciente do fundo da garganta ou da língua.
É importante abrir progressivamente a boca no sentido vertical nas escalas ascendentes, para que o som possa chegar ao "gong" (espécie de gongo metálico, imaginário atrás do nariz).

Para finalizar um som, não deixar faltar o ar. Não há nada mais desagradável. A expiração deve acabar junto com o canto. A voz deve ser nítida, limpa e pura (sem excesso de ar).



ARTICULAÇÃO

As consoantes devem ser pronunciadas com energia, por isto os exercícios deverão ser feitos sobre todas as consoantes e todas as vogais.
Um leve trêmulo que existe em certas vozes, quase sempre é devido a uma expiração mal controlada que causa uma certa pressão sobre as cordas vocais. É um defeito que necessita paciência para ser corrigido.
Eliminando o excesso de ar, as obtém muito bom resultado. O trabalho deverá ser feito sempre em completo relaxamento. Também ajuda muito a colocar dois dedos sobre os lábios levianamente.
A verdadeira força, no canto, se consegue sempre na base de flexibilidade. Por isso o trabalho de relaxamento é tão importante embora ingrato a princípio. O trabalho a "meia-voz", com os órgãos vocais relaxados com a respiração firme, consegue desenvolver, sem esforço nem contração, uma maior amplitude.
DICÇÃO - INTERPRETAÇÃO

Não se pode esquecer que o ouvinte quer entender o que diz o cantor, não bastando uma linda voz, cantando como se fosse um instrumento.


"A", É", "U"- Não podem ser cantadas como na fala. Elas necessitam serem arredondadas. Elas devem ser emitidas no funda da garganta, e o maxilar inferior deve descer para ovalar a boca.
"E", "I" - A boca fica sorridente e a ponta da língua se prende aos dentes inferiores. Conforme o som se torna mais agudo, elas necessitam de um ovalamento da boca.
"O", "U"- Os maxilares se afastam ao mesmo tempo que os lábios se projetam para frente, Conforme os sons se tornem mais agudos, os maxilares se afastam e a boca se ovala. Nos agudos, o "U" deve ser cantado como "O".
Nas partes muito agudas, é quase impossível cantar outra vogal que não seja o "A", por isso, deve-se pensar na vogal que se vai cantar e emiti-la como para um "A". O som sofrerá um mínimo de deformação dessa maneira.
As consoantes devem sempre ser duplicadas sem medo do exagero, nos exercícios.
Não estamos mais no tempo em que acrobacias vocais satisfaziam o público. A interpretação tem um papel primordial no canto. Ela é a meta de todo o trabalho vocal.
Só depois de ter conseguido o controle da respiração, a impostação da voz, a articulação e a dicção perfeitas, o cantor poderá interpretar com liberdade sem se preocupar com a técnica.

A CLASSIFICAÇÃO DAS VOZES

As divisões mais gerais na classificação das vozes são:
· aguda - soprano (mulher); tenor (homem)
· média - meio soprano (mulher); barítono (homem)
· grave - contralto (mulher); baixo (homem)

A classificação de uma só voz pode ser feita depois de vários meses de trabalho, porque ela sofre muitas modificações conforme o estudo.


A voz deve ser classificada por sua tessitura e seu timbre.
Tessitura: é o conjunto de notas com as quais se canta com comodidade.
Timbre: é a cor, a personalidade de cada voz, que pode ser claro, redondo, cálido, áspero, profundo, cristalino, etc.
Em geral a tessitura abrange 10 notas.

O TRABALHO VOCAL

Sempre há no canto, algo que pode aprender, que aperfeiçoar. Quem quiser cantar bem por muito tempo, deve exercitar-se bem e durante muito tempo.
Se o trabalho vocal acarreta um cansaço ou ronqueira anormais, isto significa que foi realizado de maneira errada.
O estudo diário deve ser feito sempre a "meia-voz" e suave, durante 15 minutos, sem se preocupar com a força do som. Pela manha o aproveitamento é maior.
Jamais force a voz ao exercitar. Busque a qualidade do som.
Após as vocalizações, o aluno pode cantar melodias imitando um instrumento, como por exemplo: violino, flauta, etc., buscando a beleza do som. O cantor sempre deve ser muito exigente consigo mesmo.
As gravações ajudam a corrigir os erros.
A saúde não pode ser esquecida. A voz reflete quase sempre a mínimas alterações do corpo: mal-estar, fadiga, etc.
Reprima a tosse sempre que seja possível porque ela fatiga a voz.
Se tiver que cantar à noite, descanse à tarde. O canto origina um desgaste nervoso.
Evite gritos e não fale em lugares barulhentos.

A VOZ FALADA

A diferença entre o canto e a palavra é que a fala emprega menos notas, mas que são emitidas pelos mesmos órgãos.
O cantor tem maior facilidade em expressar o assombro, a tristeza, a alegria, e sua fala é menos monótona.
Em um discurso ou conferência, comece sempre com muita calma e em voz bem baixa. O público será obrigado a guardar maior silêncio para escutar.

CONSELHOS

Falar muito ao telefone, desgasta a voz.
Cultive a calma e a serenidade.
Ao cantar, não escute mais a sua voz: escute seu coração.
Viva um pouco acima da realidade cotidiana. Um artista tem o direito de sonhar.
Cultive a "mentalidade profissional" que busca sempre a perfeição, num esforço contínuo para melhorar.
Reserve em cada dia, um tempo para meditação e silêncio. Sem espírito meditativo não há grande artista.
Nunca desanime diante de um fracasso, de críticas ou de críticas venenosas.

Vocal e Ministério

A voz é um instrumento muito especial. Primeiro, porque o timbre que um ser humano possui é individual, uma dádiva divina única e intrasferível. Segundo, porque temos que nos acostumar com NOSSO próprio instrumento: limites, domínio, atenções. A voz é tão espetacular que numa orquestra, todo cantor nunca é bem visto, pois os músicos sabem que só a voz consegue tirar harmonia própria que nenhum instrumento da orquestra pode tirar.

Nossa voz, quase sempre, transmite o estado em que se encontra o organismo. Sono mal dormido, alergias, stress, excesso de exercícios ou fadiga são refletidos diretamente em nossa voz. Assim, se o corpo está bem, a voz transparecerá este estado. O profissional da voz deve estar ciente que a voz depende do seu ofício, mas não custa nada o amador utilizar este conhecimento em seu dia-a-dia. Não dá pra ir assistir um clássico de futebol, ficar gritando com a torcida 90 minutos e depois ir para o Culto à Noite na Igreja cantar, sua voz já era. Longas conversas também diminuem sua capacidade de cantar, principalmente, em lugares com som alto, shows, shoppings, entre outros. Por isso, quem canta deve aprender a poupar sua voz para uma ocasião mais necessária. Quer ir ao Show de Kleber Lucas? Tudo bem, mas evite gritar alto e em exagero.

Hoje em dia, é mito falar que somente os "bem-dotados" podem exercer profissões vocais. Os avanços da fonoaudiologia podem provar que qualquer pessoa bem treinada pode ser um bom cantor, dependendo somente do bom cuidado com o seu aparelho fonador e com treinamento específico. Infelizmente, é muito mais comum encontrarmos vocalistas que se preocupam muito mais em decorar letras e ensaiar com a banda do que aperfeiçoar sua voz e cuidar bem dela. Claro, que uma dose de oração irá cair perfeitamente bem. O nosso Deus é o autor da criação. A voz, a música, o som foi criado por Ele. Deus com certeza é rico em capacitar e se ele te chamou para Ministrar os louvores e com certeza o chamou para adorar, não custa nada perder umas horas treinando e aperfeiçoando sua técnica vocal.

É necessário seguir algumas regras para executar bem os exercícios:
1.Concentração:
Em um local tranquilo, livre de ruídos ou o mais silencioso possível, inicie os exercícios e administre seu tempo para concluí-los com exatidão. Considere que a rotina de exercícios aqui encontrados leva por volta de 45 minutos para ser executada, estudar canto exige muita atenção (percepção, sentimento, paciência...), esta atenção você não terá caso sua mente esteja voltada para outras coisas (horário por exemplo), ou seja, é necessário esquecer-se do relógio e que existe um mundo lá fora. Volte sua atenção exclusivamente para você e para o estudo da técnica vocal.
2. Avise para não ser interropido:

Ocorre de você não conseguir mais se concentrar ou demorar para atingir novamente o estado de concentração anterior quando você é interrompido durante seus estudos? Se você respondeu sim, você é um ser humano normal (tanto quanto eu), e eu só conheço uma forma de evitar que isto aconteça: é necessário pedir a todos que não lhe interrompam durante seus estudos.


3. Estude Diariamente:

Não acumule conteúdo. Sempre que puder dê uma olhadinha diariamente em seu material. Invista, compre revistas, procure um professor ou um preparador vocal, fono, otorrino, e a partir dos exercícios que lhe for entregue, treine todos os dias. Não existe limite para se estudar canto, tudo é novo, sempre tem alguma coisa que ainda você não conseguiu aprender. Aproveite para descansar também. Exercícios no seu limite, até onde você pode aguentar. O mínimo é de 30 minutos, no máximo 01 hora de exercícios e ai sim pode estudar seu repertório.


Dentro do ministério de música, a área vocal costuma ser uma das mais problemáticas. Sentindo tal carência queremos lançar alguma luz sobre este assunto.
Vamos pensar juntos ,sugerir caminhos e incentivar você a buscar um padrão de excelência nesta área maravilhosa da música e do ministério .

Enfim, qual a função e importância do grupo vocal dentro da ministração? Vamos no termo americano "backing vocal". "On the back", significa estar atrás, o que está atrás serve de apoio.


A função do vocal consiste em apoiar o dirigente de louvor em três áreas específicas. Vejamos:

1- MUSICAL :

- Cantando a melodia: muitos ignoram, mas é muito difícil cantar bem em uníssono.


E no uníssono que ficam claros os dois maiores problemas do vocal: afinação e timbragem. Se o grupo vocal não conhece bem a letra, a melodia, ou canta a melodia de maneira errada, não irá apoiar o dirigente, irá derrubá-lo! Certifique-se de que todo o grupo tenha aprendido a mesma melodia, métrica, e letra. O grupo pode cantar a melodia lentamente, prolongando a duração das notas ou sílabas em que existem dúvidas.

Se o problema for métrico, tente fazer com que todo o grupo bata palmas em cada ataque silábico e confira se há alguém batendo sílabas erradas.


É fundamental que o ensaio vocal tenha sempre o apoio de um instrumento harmônico bem afinado, assim, enquanto o vocalista canta, poderá perceber sua voz e comparar sua afinação com a do instrumento; progressivamente os problemas de afinação serão resolvidos.
Quanto a timbrarem, agrupe primeiro as pessoas de timbres semelhantes. Durante alguns ensaios, mantenha esta formação, respeitando os semelhantes naipes. Depois, alterne-os progressivamente. Faça brincadeiras de imitação e percepção, até conseguir um som equilibrado.
No timbre se manifestam problemas como rouquidão , som anasalado, ar na voz, vibrato excessivo, que só pode ser resolvido com as correções da técnica vocal.
- Cantando arranjo: um grupo só pode começar a cantar arranjos quando é capaz de fazer um bom uníssono. Comece com arranjos a duas vozes. Firme bem as vozes separadamente e sempre ofereça um registro visual. Se o grupo não lê partitura, invista 30 minutos do ensaio para este aprendizado. A longo prazo isto facilitará muito o trabalho.
Você também pode usar cifras ou simples apontamentos alturas.
Todo arranjo vocal deve estar baseado na harmonia. E impossível abrir vozes sem pensar em acordes.

Aqui você também deve parar e verificar cada acorde pelo prolongamento de notas. Existe sempre alguém que diz saber tirar o contralto ou o tenor. Dificilmente esta pessoa desenvolve uma Segunda melodia correta comparada com a melodia. Estas vozes são sempre paralelas e se tornam cansativas. Não é interessante que a música tenha arranjo vocal desde o primeiríssimo acorde. De preferência ao refrão e as repetições pôr uma questão de dinâmica.


- Solistas e desenhos: dentro do grupo vocal, alguns desenvolvem um estilo de cantar mais particular. Eles são os solistas, os que fazem pequenas variações na melodia ( desenhos ), e responsivas. Isto normalmente vem enriquecer a dinâmica, mas tem sua hora e lugar. Cuidado com os exageros.
Se você quer desenvolver este lado da improvisação, comece cantando escalas maiores, menores, arpejos, inversões. Desta forma seus desenhos ficarão mais interessantes.

2- EXPRESSIVA :

- Expressão facial : tenho a impressão de que, se algum deficiente auditivo nos observasse cantando, acharia que algo muito terrível nos aconteceu para estarmos com aquele "semblante fúnebre". Os momentos de louvor e adoração são momentos de reverência sim, mas de profunda alegria e prazer.


Em contrapartida, existem aqueles que fazem tantas caretas e gestos, que nos sentimos de volta a infância , na escolinha dominical.
Sugestão : Cante em frente ao espelho ! Note se você esta sendo convincente.
- Expressão corporal : o grupo vocal tem que estar em harmonia consigo mesmo e com o dirigente do louvor.
Muita informação atrapalha. Temos que concordar e reforçar a informação que o dirigente tem a transmitir. No momento do ensaio você pode exercitar através de brincadeiras descontraídas.

Faça uma lista de músicas, sorteando-as entre os vocalistas e peça para que eles deixem claro ao grupo qual é a música, somente através da expressão facial e corporal. Coloque seu grupo para dançar (com equilíbrio). Daremos dicas de exercícios de desinibição e desenvolvimento da visão periférica.

Dicas Gerais



Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal