Vozes Femininas



Baixar 242.83 Kb.
Página2/7
Encontro13.01.2018
Tamanho242.83 Kb.
1   2   3   4   5   6   7

Cuidado Com a Voz


Como todo órgão do corpo, os que constituem o aparelho fonador necessitam de um uso adequado para não se sentir forçados e lesados. Algumas das medidas preventivas de possíveis disfunções vocais são:

* não pigarrear nem tossir; em vez disso: bocejar para relaxar a garganta, engolir lentamente, beber um pouco de água;

* não gritar; em vez disso: para chamar a atenção bater palmas, assobiar, utilizar apitos, etc.;

* evitar falar de maneira prolongada à distância; em vez disso: aproximar-se para que possam ouvi-lo;

* evitar falar de maneira prolongada nos ambientes com muito barulho; em lugar disso: falar cara a cara, perto da pessoa que o escuta ou esperar que o entorno esteja silencioso;

* não falar em salões amplos sem uma amplificação apropriada; nesse caso se aconselha utilizar o microfone;

* não cantar fora do registro normal; nesses casos, é necessário conhecer os limites físicos de cada um no referente ao tom e à intensidade, procurar ajuda profissional para a formação da voz e não cantar uma nota elevada se você não pode cantá-la em voz baixa;

* evitar costumes nervosos ao falar ou cantar em público como podem ser: pigarrear, conter a respiração falando rapidamente, falar com a respiração insuficiente, falar num tom baixo e monótono, etc. No seu lugar, poderão se adotar atitudes ou estratégias eficazes para diminuir esses costumes ruins;

* depois de várias horas de uso vocal, é aconselhável esperar até que o sistema respiratório se recupere; para isso acontecer, poderá se fazer relaxamento e repouso vocal.

* não falar com voz monótona de tom baixo; deve-se permitir que o fluxo respiratório alimente a voz de maneira que o tom se mantenha, varie e soe bem;

* evitar ataques glóticos ou inícios de voz tensos e bruscos; em vez disso, pode manter a garganta relaxada quando começa a falar;

* não falar com frases mais compridas do que o ciclo respiratório natural; em vez disso, poderá se falar lentamente e fazer intervalos com mais freqüência;

* não esticar as diferentes partes do corpo quando se utiliza a voz, em vez disso deverá: tratar de manter o corpo alinhado e relaxado para que a respiração seja natural, permitir que o abdômen e a caixa costal se movimentem livremente;

* não apertar os dentes, nem a mandíbula ou a língua; para isso, será necessário aprender a relaxar essas estruturas;

* quando cantar, não esforçar a voz para manter um registro que está além dos limites de tom no que fica confortável (voz de peito: elevada demais; voz de cabeça: elevada na gama de falsete); em vez disso, deve-se permitir mudar de registro vocal com o tom e aprender técnicas de transição suave de registro.

Estas são algumas das dicas mais úteis que se lhe pode oferecer a toda pessoa que reconheça a voz como uma ferramenta importante não apenas de trabalho, mas também de comunicação que, como tal, deve ser cuidada.



Bibliografia
• Murria Morrison; Linda Ramaje/ "Tratamento dos transtornos da voz". Editorial Masson.
• Segre, R.; Naidich, S./ "Princípios de Foniatria". Editorial Médica Panamericana. Buenos Aires, ano 1981.

A utilização da voz humana como forma principal ou exclusiva de trabalho categoriza as profissões em dois grandes grupos: vocais e não-vocais.

As áreas da comunicação e artes, em especial os locutores, cantores e atores fazem parte do grupo dos profissionais vocais. Para estes a voz é seu principal instrumento de trabalho, embora nem sempre eles tenham consciência disso. É importante ressaltar que para ser um bom profissional desta área é fundamental cuidar bem da voz, mantendo saúde e estética vocal. Para tanto deve-se buscar a orientação e acompanhamento vocal com profissionais habilitados, pois a manutenção saudável e estética da voz garantem a estes permanência no mercado de trabalho.

Hoje, na era da comunicação, já é mito afirmarmos que somente os vocalmente "bem-dotados" podem exercer profissões vocais. As práticas fonoaudiológicas, legalmente reconhecidas na área da saúde, auxiliam no desenvolvimento do potencial vocal saudável sem recursos medicamentosos ou cirúrgicos. Apesar disso, o desconhecimento da higiene vocal tem levado muitos a manifestarem doenças laríngeas leves, e as freqüentes repetições destas afecções chegam até mesmo à agravamentos que culminam em tratamentos cirúrgicos.

O alto índice de alterações vocais nos profissionais da voz tem merecido especial atenção dos fonoaudiólogos, pois a utilização da voz inadequada, resulta em uso abusivo do aparelho fonador. A exposição aos fatores nocivos como falar/cantar prolongadamente em ambientes ruidosos, sem tratamento acústico apropriado, ou mesmo o inocente hábito de pigarrear bruscamente, sempre antes do ato da fala, deixam o falante mais vulnerável. Alguns profissionais utilizam erradamente como prevenção aos problemas vocais pastilhas, conhaques, gengibre, sprays, entre outros. É ainda muito comum encontrarmos locutores, atores e cantores dedicando grande parte do seu tempo em ensaios e preparos de leituras, sem contudo investir igual atenção na forma saudável de apresentá-las.

É preciso conhecer e desenvolver medidas preventivas, mudando pequenos hábitos e comportamentos no nosso cotidiano, não apenas quando a rouquidão aparece. Alguns cuidados básicos devem ser observados, como:

1- disciplinar os horários de trabalho para que haja repouso vocal após cada apresentação;

2- hidratar-se com 7 à 8 copos de água por dia;

3- evitar a ingestão de drogas inalatórias ou injetáveis que têm ação direta sobre o laringe e a voz, além de alterações cardiovasculares e neurológicas.

4- evitar o uso do fumo, inclusive da maconha, pois a aspiração provoca um super aquecimento no trato vocal deixando a voz mais grave (grossa);

5- utilizar roupas leves que permitam a livre movimentação do corpo, principalmente na região do pescoço e cintura, onde estão situados o laringe e o músculo diafragma;

6- evitar a ingestão de refrigerantes, comidas gordurosas ou condimentadas, pois estes produzem gases e refluxo gastroesofágico prejudicando os movimentos respiratórios, além de lesar a mucosa;

7- evitar as mudanças bruscas de temperatura no ar ou líquido;

8- realizar exercícios de relaxamento regularmente, liberando a tensão corporal evitando a produção vocal com esforço e tensão; 9- realizar avaliações auditivas e fonoaudiológicas periódicas.

10- manter a melhor postura da cabeça e do corpo durante a fala ou canto.

O melhor seguro que os profissionais vocais podem fazer para preservar seu instrumento de trabalho é manter a saúde vocal.

- É importante fazer exercícios de relaxamento e aquecimento antes de cantar e desaquecimento após o período de atividade vocal.
- Faz mal: Raspar a garganta, balas que gelam a mucosa, alimentar-se demais ou de menos, anestésicos como o gengibre.
- Faz bem : Beber água, repousar oito horas por noite, exercícios físicos, comer maçã.
- Os ensaios devem ser feitos pelo menos uma vez por semana, com no mínimo duas horas de duração. Mantenha pontualidade e objetividade nos ensaios (lembre-se: o objetivo do ensaio é ENSAIAR ).
- Procure equilibrar os volumes dos microfones. Ele deve sempre ser colocado em frente a boca, a 90º do rosto e manter a distância mínima de 3 dedos e máxima de 5.
- Ao procurar um professor de canto, confira se, em seu vocabulário existem as palavras: relaxamento, diafragma, colocação, desaquecimento, leitura e estilo. Nem sempre um bom cantor é um bom professor de canto.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7


©ensaio.org 2017
enviar mensagem

    Página principal